VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Wanderley Guilherme dos Santos: Prioridade de Lula é esmagar Ciro
Reprodução You Tube
Política

Wanderley Guilherme dos Santos: Prioridade de Lula é esmagar Ciro


27/08/2018 - 18h36

Reprodução You Tube

Cartas na mesa

por Wanderley Guilherme dos Santos, no Segunda Opinião

A euforia petista facilita demarcar divergências em relação a outras vertentes progressistas. Não é em momento de depressão ou de reduzido prestígio social do PT, mas quando dirigentes e militantes antecipam possível vitória no primeiro turno de Lula/Haddad, que faço um descarrego pessoal.

O vício de origem do processo que encarcerou o candidato Lula/Haddad não basta para cobranças de adesão a qualquer decisão emanada da direção do PT ou do próprio Lula. Esse é um preço similar às imposições de monopólio natural, supostamente implícito na condição do vitimado.

Mas a injustiça não garante soberania indisputada a injustiçados. A coação é um preço aberrante, tratando-se, na verdade, de um assalto de Lula e apóstolos contra os insubmissos à jurisdição monárquica de algum predestinado. Seria a contrapartida civil dos gênios iluminados do Supremo Tribunal Federal. Rejeito a ambos.

O político Lula, vítima da notória e tácita conspirata do Judiciário, é o mesmo Lula que persegue de maneira implacável como um mouro, togado honoris causa, disposto a cobrir elevadas apostas, sacrificando quadros de seu partido, promovendo acordos clandestinos com PP e PR para destruir oportunidades ao surgimento de outras lideranças populares.

Lula, pessoalmente, foi tenaz na urdidura do isolamento de Ciro Gomes, e mostrou-se hospitaleiro um tanto inescrupuloso a figuras e partidos que depuseram Dilma Rousseff. A versão dos fanáticos é a de que os ladrões e golpistas se arrependeram e Lula os perdoou. Mas não por generosidade dos novos centuriões.

A prioridade de Lula e do PT nacional, que é o apelido do PT paulista, era e é a destruição da candidatura Ciro Gomes (ora, um cearense!). Para haver novo candidato paulista era indispensável que só houvesse rebotalho fora do PT paulista. Não é, obviamente, o caso de Ciro Gomes.

Eleitores de boa fé acreditaram que a exigência da cabeça de chapa era anseio partidário, sem qualquer explicação para a sacralidade de tal mandamento. Durante toda a embromação para a escolha do candidato “Lula”, da qual um esperto baiano ficou longe, a questão real sempre foi limitar a escolha da embuçada de Lula aos quadros do PT paulista.

Fernando Haddad, claro. Lula é nordestino de nascimento e político paulista por conversão, inseminado pelo preconceito contra Getúlio Vargas, do qual nunca se desfez, e orgulhoso da predominância da indústria e dos bancos paulistas, com os quais se senta e se sente à vontade para negociar.

Há um aspecto inédito do fenômeno Lula: a capacidade de transformar homens e mulheres de reputação e história em meninos e meninas de recados, transformação aceita como promoção a estafeta: “o Lula mandou dizer…”. Aos sólidos opositores ao golpe, que não trocam a dignidade pelo poder, enrubesce testemunhar a subserviência e abdicação da autonomia de profissionais competentes, antes empenhados em formulações originais sobre o País.

Pior: compactuam conscientemente com a mais intolerante máquina de intimidação e de difamação dos que se recusam ao beija-mão de chalaças; propõem e promovem censura nos blogues, outrora democráticos, e em todos os meios de comunicação, ocasionalmente infiltrados. São meganhas mentirosos, como os da ditadura militar, omitindo, desmoralizando, coagindo e, sem o saber, morrendo com Lula.

Nunca mais terão direito a opinião pessoal.

Lula sabe que agoniza politicamente, aconteça tudo ou aconteça nada em outubro de 2018. E independe do Judiciário. Lula agoniza porque todos os grandes líderes terminam superados pela irreversível passagem do tempo. Talvez a revolta contra o fim inevitável se encontre na origem da obsessão instalada em sua nova concepção de mundo, expressa em obsoleto programa de governo. Lula não está à altura de Lula.

O programa do PT é caduco e, em certos aspectos, tão reacionário quanto o do PSDB, na lengalenga de quem vai pagar mais imposto, mantido o equilíbrio fiscal, por suposto, na repetição de programas sociais altamente louváveis, mas indefesos, como se viu, sem reflexo institucional protetor. Acabar com a miséria exige bem mais do que aumentar conjunturalmente a renda dos pobres.

Os intelectuais que o acompanham, sobretudo os subservientes do jornalismo alternativo, ignoram a formidável extensão do drama do Brasil, que ingressa no circuito do ocaso da democracia representativa sem tê-la instituído integralmente, e exposto aos estertores da revolução industrial, que não completou.

Profundamente desamparado diante da perspectiva de se perpetuar como copeiro das nações produtoras de tecnologia pós- revolução digital, o Brasil é um ente coagido por negociatas, ameaças, ações e omissões predatórias, a espremer-se entre um caudilho que mudou de lado e espumantes nulidades em rede.

As cartas, porém, não foram todas jogadas.

Leia também:

Fiocruz agradece a Lula pelo apoio que deu à instituição

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



20 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Ibsen Matques

30 de agosto de 2018 às 03h25

Desde quando o Coro é um quadro da esquerda?
Desde quando um candidato alijado da mídia, perseguido por ela e preso político pode ser considerado um agonizante político quando apesar de tudo se mantém com 39% das intenções de voto,
O ocasoi da democracia ocorre justamente pela judicialização e midicializacão das eleições e pela tentativa de alijamento do ex presidente do processo político. Por fim, o que esmagou Ciro foi sua ambição desmedidae sua compete falta de tão político.
Convenhamos, flertar com o centrão não é
o que se poderia chamar de coerência política. A democracia já terminou muito antes do lançamento do processo eleitoral. Um historiador incapaz de analisar o presente.

Responder

Elson de Mendonça Ribeiro

30 de agosto de 2018 às 00h03

Com Lula o PT pode ganhar no 1o. Turno. Se o partido da in-justiça estuprar mais uma vez o direito, Haddad pode estar no 2o. turno, aparentemente contra oBoçalnato. Nesse caso, quem o Ciro apoiaria? E se o 2o. Turno for Haddad x Marina, quem Ciro apoiaria?

Responder

Sérgio Pestana

29 de agosto de 2018 às 16h42

Profº Wanderley,

triste fim o teu. Que a análise rebaixada e desprovida de qualquer profundidade sobre LULA e o PT. Não, meu caro, a verdade dos fatos estão à vista daqueles que não se deixam serem repetidores de “teses” de professor frustrado “em suas baladas de fim de noite”. Enganou-se redondamente e cometeu um artigo decepcionante pela falta de argumentos factíveis e verdadeiros para defender um camaleão da política, como é Ciro Gomes. Este oscila do centro para direita a descaradamente e volta e meia retorna ao seu status de direitista que nunca abandonou . Tem um discurso articulado e simultaneamente vazio, pois nem seus pares do PDT e de outros partidos de que foi membro, creem em seus discursos. Perdeu uma ótima oportunidade de ser protagonista quando abandonou seu ideário e foi se somar ao empresariado predador e antinacional. Não tem uma ideologia firmada na luta real a favor dos trabalhadores. Criticar LULA foi seu erro grasso. Imperdoável. Como o teu artigo, professor.

Responder

    PAULO DE TARSO BRAZ LUCAS

    30 de agosto de 2018 às 00h17

    Sérgio Pestana,
    Concordo em número, gênero e grau com a sua manifestação. Só acrescento o seguinte: Votarei no Lula ou em quem ele indicar. Mas votaria com asco incomensurável se o indicado fosse o Ciro. Ainda bem que ele não será o indicado, como tudo parece assim indicar.

Jorge

29 de agosto de 2018 às 11h46

Destruir um cara que só tem 5% de intenções? Vai chorar noutro lugar, mentiroso. Se Ciro quer votos que os consiga sozinho como fez o Lula.

Responder

Fernando

28 de agosto de 2018 às 18h27

Como afirmou o ilustre autor do texto, está em curso nova rodada de tentativas de desqualificação e intimidação, temperada com a ignorância e oportunismo de sempre. Ainda que o texto possa guardar certa intempestividade, sobressaem a coragem, a inteligência e a sinceridade, característicos da mais longeva e profícua tradição do pensamento crítico brasileiro. Oxalá o mestre tenha perdido, um pouco, sua capacidade preditiva.

Responder

José Raimundo Pereira

28 de agosto de 2018 às 15h11

Quanto rancor.

Responder

JULIO CEZAR DE OLIVEIRA

28 de agosto de 2018 às 12h27

Mentira,não é preciso,o ciro por si só,ja destroi sua campanha,ele é vaidoso,é só ver uma câmera que começa a dar com a língua nos dentes,acaba completamente sua humildade,
não fala coisa com coisa,desce o pau em quem está nas pesquisas a sua frente,sem se
importar quem seja,uma hora fala que vai sequestrar o lula e dar asilo em outro país,outra hora mete o pau no lula só pra se engrandecer.Outra hora vai dar entrevista na globo enquanto deveria estar abraçando o povão.

Responder

Julio Silveira

28 de agosto de 2018 às 08h23

Muitas verdades sendo ditas sobre Lula, um contumaz destruidor de adversarios progressistas de seus interesses, ainda que encubra isso sob o manto de cobertura de seus seguidores que o querem uma entidade acima da humanidade, o que não convence cidadãos como eu que tem a real dimensão da coisa publica e do que deveria mover os cidadãos que escolhem por sua vontade seguir este caminho de serviços. Defeitos graves de um Lula tirano e egocentrico a parte, há tambem um Lula que sabe como poucos tirar proveito das iminenciaa pardas e unanimidades burras midiotizadas que vem dominando este país a decadas destruindo seu potencial politico e civico. Sua inteligencia natural fez aflorar seu aprendizado na lida com essa mediocridade, lhe dando o estofo necessario para se tornar um lider, um rei e um mito, mas sobre a mediocridade ululante que domina os indutores modo culturais do Brasil que vivem nas cortes, e de uma inter bajulação que lhes fazem falsamente crer serem as ultimas bolachas do pacote. E aí se insere o Ciro, culpado por si mesmo, quando falta-lhe humildade e sobra-lhe uma insuportavel arrogancia. Também por que falta-lhe essa experiencia de vivencia da base, que o Lula teve, para que obtivesse a cobertura necessaria para que mesmo não sendo humilde e sendo arrogante como o Lula, sob disfarce, angariasse seguidores dispostos a fecharem os olhos para isso, por suas historicas conquistas alcançadas por sua superioridade intelectual que que surfa sobre a mediocridade dominante no país e que o fez angariar um tipo de opoio animico que esconde todos as suas falhas de personalidade.

Responder

    JULIO CEZAR DE OLIVEIRA

    28 de agosto de 2018 às 12h50

    Julio silveira,antes de ler seu comentário já havia feito o meu,parece que concordamos em muita coisa em nosso ponto de vista,não costumo agir por impulso,analisa muito as coisas antes de tomar uma decisão,quando votei no lula eu já havia votado no fhc,Aécio,color,Nilton cardoso,mas o único que não me decepcionou foi lula,ele é um ser privilegiado,já nasceu sábio,
    embora não tenha diploma de doutorado,você mesmo reconhece isso em seu comentário,mas
    uma coisa que diferencia ele entre os demais,coisa que você também reconhece em seu comentário,é a sua humildade,talves por ter vivenciado no meio de dificuldades em que lhe deu a capacidade de entender o que a população mais pobre precisa para ser feliz,isso não podemos tirar dele,em todo governo do pt,governou em função da pobreza,isso ele mesmo disse,o pobre não é problema é solução.

    Antônio Carlos

    28 de agosto de 2018 às 13h55

    Pretensões de minúsculos que, sem simancol, se arvoram em analisar e criticar um homem e um político como o Lula e outros grandes líderes. Falta a estes o espelho que lhes coloquem no devido lugar e sobra-lhes cara-de-pau. Um Lula – imperfeito e com um saco de senões – vale por mais de 100 de cada um destes críticos. Teóricos que provavelmente nunca dirigiram nem uma banca de jornais, se acham sabidos e em condições de analisar e criticar um líder sindical e político, duas vezes Presidente de um país dominado pelas elites predadoras. Seriam estes movidos por ressentimentos ou interesses contrariados? Ou operam para outros anões políticos que nunca passarão de 6%…

    Julio Silveira

    29 de agosto de 2018 às 12h06

    “Cidadão” Antonio Carlos, a sua postura tiete do Lula explica por que o Brasil é este país de seguidores até dos states, de poucas lições e contribuição mundial em cidadania.
    Reconheço os meritos do Lula ante a mediocridade politica nacional, pouco civica e ante a mediocridade popular inculta para assunto civicos e de cidadania.
    Se o Brasil fosse um pais de povo um pouco mais esclarecido, menos idiotizado, e menos suscetivel a golpes, Lula já teria passado ao passado. Infelizmente a elite mediocre deste pais ajuda a santificar Lula e a fazer dele, com a ajuda de uma cidadania adolescente de pouco senso critico, mas muita disposição para o contraditorio, como vc., um mito. Rsrsrs.

Cláudio

28 de agosto de 2018 às 05h13

Lamentável… mais uma (outra) vez . . .

Mas por que é mesmo que eu ainda me emprego em ler isso ?!!???!!!! …

Deve ser falta do que fazer…

Ou talvez Wanderley Guilherme dos Santos não esteja (mais) assim tão à altura de Wanderley Guilherme dos Santos…

Não me sinto sem direito a opinião pessoal por não concordar com o, ao meu ver, equivocado (senão, de misteriosos objetivos) artigo aqui publicado nem concordo com quase tudo do texto e ainda acho um absurdo profundamente desrespeitoso chamar de caudilho quem não o foi nem o é talvez apenas para marcar (o)posição por marcar (o)posição ora lamentável. Divisionismo/diversionismo. Como chegamos a isto ? . . .

Responder

C.Poivre

27 de agosto de 2018 às 23h20

É o comentário de um anti-Lulista fanático que se comprometeu com a candidatura fracassada do coronelzinho cearense e se deu mal. Não dá para concordar com um único parágrafo deste ressentido. As melhores e mais lúcidas cabeças do mundo intelectual brasileiro apoiam Lula livremente, sem imposições de qualquer tipo.

Responder

Wildner Arcanjo de Morais

27 de agosto de 2018 às 22h33

Discordo e vou ser sucinto na minha análise:

– Lula e o PT precisam verter os possíveis votantes em Lula para Haddad, em uma eventual (e certa) impugnação de sua candidatura;

– Se metade dos votos de Lula migrar para Haddad ele já consegue ir para o segundo turno e, com certeza, vence qualquer um da direita em segundo turno;

– Ciro Gomes não têm nenhuma chance de ir para o segundo turno sem o apoio de Lula

– 10% não pode impor a vontade sobre 40%, em canto nenhum do mundo, imagine na política!

– O resto é devaneio de quem faz o que os que dominam adoram: dividir para conquistar.

Abraços!

Responder

    Antônio Carlos

    28 de agosto de 2018 às 13h57

    Sintetizou com perfeição!

Paulo Werneck

27 de agosto de 2018 às 22h09

Puxa vida. Menos um pensador.

Responder

Francisco de Assis

27 de agosto de 2018 às 22h09

Wanderley Guilherme dos Santos, o pai-guru-intelectual da blitzkrieg fracassada contra Lula e o PT por parte das tropas de Ciro Gomes, Pai-Protetor dos Endividados, comete, neste texto rancoroso e vingativo, um ato falho ao usar a expressão “mouro, togado honoris causa” para descrever Lula.

Em poucas palavras, expõe todo o seu preconceito intelectual contra Lula, um sobrevivente da matança secular contra os pobres no Brasil que se mostrou o mais importante líder do povo brasileiro. Com “togado”, em vez de “doutor”, quer esvaziar e desmerecer os títulos recebidos mundo afora e, ao mesmo tempo, mostrar Lula como um desses juízes de merda que o perseguem. Ao lembrar tais títulos, e assim desmerece-los, tenta colocar “no seu lugar” o operário com ensino primário, tal como o Frias, ora morto, que diminuía Lula por não falar inglês.

Fala-se muito do ódio bruto de um Bolsonaro e de seus seguidores, mas o ódio de certos pensantes não lhes fica atrás, apesar de toda a pompa intelectual com que pretendem revesti-lo. A FHC, Cristóvam Buarque e tantos outros, se junta agora Wandeley Guilherme dos Santos. Que pena.

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – –
PS: O comentário acima a este mesmo texto no blog The Little Coffee foi censurado pelo seu proprietário, o que mostra como é pouco democrática essa esquerda que, de repente, descobriu Ciro Gomes como seu grande líder. Esse é o tipo de esquerda representada por figuras como Roberto Freire, FHC, Gabeira e Cristóvam Buarque.

Responder

Hildermes José Medeiros

27 de agosto de 2018 às 20h33

É , Wanderley Guilherme dos Santos tem suas razões, mas não são questões cruciais nem desabonadoras, que aponta. São da política, principalmente diante do arbítrio, que é enfrentado sem armas. Não ver que Lula abrir mão da cabeça de chapa seria impossível para o PT é demais, para quem certamente é um dos príncipes da análise política no país. Pior: desfazer de quem não concorda com sua análise e conclusão. Será que entende que não fosse um candidato do PT, como Ciro Gomes seu preferido, o golpe abriria mão de continuar no poder e facilitaria as coisas para um oposicionista? Crê, mesmo, que Ciro teria condições de liderar o enfrentamento, a resistência ao golpe, como faz Lula? Não tem jeito: é aguardar a carta que diz ainda existir.

Responder

Stalingrado Lula da Silva

27 de agosto de 2018 às 19h50

Hélio Bicudo, Palocci, Cristovam Buarque e o professor Wanderley são uma decepção.
Ciro Jeirissati é um estelionato eleitoral. O dia-a-dia dele é dar pancadas no PT e em Lula Magno em especial. Esqueceu tudo sobre luta ideológica e resistência política. Está fazendo um serviço de apoio ao Golpe.
#HaddadNoGovernoLulaNoPoder

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.