VIOMUNDO

Diário da Resistência


Stella Senra à juíza Carolina Lebbos: De mulher para mulher
Fotomontagem da RBA
Política

Stella Senra à juíza Carolina Lebbos: De mulher para mulher


08/03/2019 - 09h59

Carta à juíza Carolina Lebbos

por Stella Senra*

Senhora juíza,

Nos últimos tempos temos visto um grande número de juízas, mulheres que, como a senhora, se tornaram conhecidas pelo rigor — ou melhor, pela dureza — de suas sentenças.

Se tomo a decisão de lhe escrever, é também nessa mesma condição: de mulher para mulher.

Essa curta afirmação — de mulher para mulher — parece óbvia, mas não é.

Colocando-me me aquém dos muitos estereótipos que tem definido o termo “mulher”, refiro-me ao sentido animal, o mais cru do termo: à carne, ao sangue, às entranhas que dão origem à vida.

Refiro-me, portanto, a seres capazes de um amor irrestrito.

Também esta expressão “amor irrestrito” exige maior precisão.

Se quiser saber o que pretendo dizer, deixe sua sala de juiza federal (responsável pela custódia do Presidente Lula), dê um pulo ao presídio e vá até a fila da visita aos prisioneiros.

Lá verá quase unicamente mulheres, em filas que dobram esquinas; dentre elas mães, uma maioria de mães, mas também esposas, namoradas, filhas…

Qualquer que seja o crime, lá estarão elas: para além do mal, cuidando; para além do mal, amando.

É nesse plano das entranhas que estou me colocando para me dirigir à senhora.

E o que me motivou foi a pungente fotografia de Ricardo Stuckert que circulou na internet, da família Lula da Silva no velório do menino Arthur, neto do presidente Lula.

Habituados a vermos a representação fotográfica do presidente sufocado pelos abraços de seus admiradores não nos espanta, à primeira vista, esse amontoado de braços e cabeças, num enlace tão estreito que mal conseguimos distinguir, ao centro, a cabeça de Lula.

Mas logo percebemos, recuada ao fundo do quadro, uma pequena figura solitária que chora; e de imediato ficamos sabendo que o motivo de tal enlace não é a alegria do encontro.

É uma grande dor, a mais profunda, a dor da perda, aquela que faz de todos os corpos um só corpo, um sólido bloco de dor.

Esta foto me fez pensar na senhora, que concedeu 1:30 hs ao presidente para estar com sua família na despedida do netinho.

E como tal medida temporal não foi extraída da letra da lei, posso me perguntar que aritmética lhe teria servido para chegar a esse número.

Que contabilidade lhe teria inspirado?

Seria a senhora conhecedora de alguma “medida” para o sofrimento humano?

De um número capaz de definir o rugir da dor de uma família?

A dor é selvagem. Não escolhe, não poupa. É devastadora.

Pode acontecer a todos e a qualquer um de nós. Por ela sofremos. Mas sofremos também quando ela atinge o outro.

Seja ao nosso lado, seja distante de nós — mas próximo pela mesma condição de seres humanos.

O sentido de humanidade infelizmente não é distribuído de forma equitativa pra todos; mas não é tampouco passível de ser medido, não é objeto de nenhuma matemática, de nenhuma contabilidade.

Por isto não pode ter sido ele que lhe ajudou a estabelecer tão precisamente a “cota” do presidente Lula.

Aqui se trata de amor irrestrito, (que, portanto, também não pode ser medido), de carne, de sangue, de entranhas — coisas concretas e também incomensuráveis que se objetivam, no entanto, de modo palpável no mundo das mulheres.

Mesmo dentre os animais, as fêmeas que dão a vida cuidam e defendem seus filhotes até a conquista de sua autonomia.

É o que me deixa perplexa, com uma pergunta que não sei responder: de que matéria serão feitas suas entranhas, juíza Lebbos?

Stella Senra

*Foi professora da PUC-SP. Mantém o site stellasenra.com.br.

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



10 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

FUMIO KURIHARA

09 de março de 2019 às 09h39

Todo ser humano tem um lado obscuro. A dessa juiza é a crueldade com as pessoas que julga. E tem requinte. Acha que do pedestal a que foi conduzida pode humilhar a quem julga. Um dia ela vai sentir a dor e vai perceber que algumas situações não bastam 1h 30min para aplacar ou minimizar, às vezes nem 1mes.

Responder

lulipel

08 de março de 2019 às 15h14

Será que a professora sabe que esse “coitadinho” do qual fala é um preso condenado a mais de 24 anos por corrupção e lavagem de dinheiro? Será que sabe que a maioria dos criminosos no país que perderam entes queridos não tiveram nem 5 minutos pra velá-los??? Hipocrisia pouca é bobagem.

Responder

    Denise

    09 de março de 2019 às 13h33

    Seu comentário demostra que em termos de cruelda você se equipara à essa juíza, no entanto quanto ao conhecimento da legislação brasileira você demonstra total ignorância. Você se alimenta de um ódio que nem sabe por que sente. De onde vem o seu odio por Lula. Reflita.

Zé Maria

08 de março de 2019 às 13h24

https://twitter.com/hashtag/8M2019?src=hash

CAPIM DO VALE
(Sivuca/Paulinho Tapajós)

https://youtu.be/cwTmroVXsSA

Lava esse cheiro de erva
Pimenta e capim do vale
Lava esse cheiro de erva
Pimenta e capim do vale
Lava o suor da colheita
E aceita que eu te agasalhe

Larga a madeira na estrada
E larga essa faca de entalhe
Larga a madeira na estrada
E larga essa faca de entalhe
Larga o patrão na picada
E aceita que eu te agasalhe
Larga o patrão na picada
E aceita que eu te agasalhe

Sempre há de haver algum trigo
E da terra algum pedaço
Guarda a tua mão pra um amigo
Que não vai querer teu braço
Guarda a tua mão pra um amigo
Que não vai querer teu braço

Deixa o dinheiro mal pago
E mande que ele trabalhe
Deixa o dinheiro mal pago
E mande que ele trabalhe
Enquanto você toma um trago
E aceita que eu te agasalhe
Enquanto você toma um trago
E aceita que eu te agasalhe

Deita teu corpo em meu ventre
Que eu guardo a tua semente
Deita teu corpo em meu ventre
Que eu guardo a tua semente
Ninguém carrega a colheita
Dos frutos que são da gente
Ninguém carrega a colheita
Dos frutos que são da gente

Sempre há de haver algum trigo
E da terra algum pedaço
Guarda a tua mão pra um amigo
Que não vai querer teu braço
Guarda a tua mão pra um amigo
Que não vai querer teu braço

https://www.vagalume.com.br/elba-ramalho/capim-do-vale.html
https://youtu.be/4ZMeAG7MV7w
https://twitter.com/MidiaNINJA

Responder

Zé Maria

08 de março de 2019 às 12h49

Ministro da Saúde Demitiu a Diretora do Departamento
de Vigilância Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids
e das Hepatites Virais (DIAHV)

Segundo a ex-diretora, a demissão foi causada
por uma cartilha destinada para homens trans.

De acordo com ela, houve uma ordem para retirar
o documento do ar, que foi cumprida.
Entretanto, ela conta ter sofrido uma cobrança,
porque ainda era possível encontrar a cartilha na internet,
bem como notícias sobre a distribuição do material nos estados.

O ministério noticiou que a saída foi um entendimento entre as duas partes. Entretanto a ex-diretora afirmou que não:

— Não foi de comum acordo.
Ficou muito claro que a
era por conta da cartilha,
explicou ao Jornal O Globo.

O Fórum das ONG/Aids do Estado de São Paulo (Foaesp), grupo que reúne 98 organizações, enviou na quinta-feira um ofício endereçado ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, defendendo a manutenção de Adele no cargo. O texto ressalta avanços no combate ao HIV nos últimos anos, como uma campanha governamental que incentiva a adesão ao tratamento antirretroviral.

Outra organização, a Articulação Nacional de Luta Contra a Aids (Anaids), também enviou um ofício à pasta criticando a decisão.“Vivemos um momento em que a saúde tem sido apontada em muitas pesquisas como sendo a maior preocupação dos brasileiros, e em se tratando da população vivendo com HIV/aids, essa inquietação é ainda maior.
Não podemos adormecer diante de uma epidemia que se aproxima de um milhão de casos e mais de 350 mil mortes desde 1980 no Brasil”, diz a mensagem.

Na última década, o número de infecções por HIV,
entre pessoas de 15 a 24 anos, saltou 700%.
O ‘Moralismo’ de setores conservadores,
tem atrapalhado as campanhas do MS,
dizem especialistas e ativistas

— O jovem não usa mais camisinha, mas o discurso
não deve ser restrito a isso. É fato que as campanhas
e o debate têm sido silenciados por forças conservadoras
— diz Salvador Corrêa, que recebeu o diagnóstico de HIV
aos 27 anos, passou a escrever sobre o isolamento social
que viveu depois disso e reuniu seus textos
no e-book “O Segundo Armário” (https://www.livrariacultura.com.br/p/ebooks/biografias/o-segundo-armario-99430057).

https://oglobo.globo.com/sociedade/saude/entidades-criticam-saida-de-diretora-do-departamento-de-hivaids-do-ministerio-da-saude-23364728
https://oglobo.globo.com/sociedade/saude/o-que-esta-por-tras-da-explosao-de-casos-de-hiv-entre-jovens-23459399

Responder

Zé Maria

08 de março de 2019 às 12h14

Puta Merda! Esses Broxas* de Pijama não vão parar, mesmo!

As Adolescentes poderiam ter ficado sem [mais] esta do Bolsonaro:

Bolsonaro sugere que pais rasguem páginas
sobre educação sexual
da “Caderneta de Saúde da Adolescente
impressa pelo Ministério da Saúde
para meninas de 10 a 19 anos’

O presidente Jair Bolsonaro criticou ontem,
em transmissão ao vivo em uma rede social,
ilustrações que mostram os órgãos genitais
e ensinam como usar camisinha.

— Então, é uma sugestão. Quem tiver a cartilha em casa, dá uma olhada porque vai estar na mão dos seus filhos, e, se você achar que é o caso, tira essas páginas que tratam desse tipo de assunto, ressalta o presidente, ao lado dos generais Otávio Rêgo Barros, porta-voz do governo, e Augusto Heleno, chefe do Gabinete de Segurança Institucional.

Bolsonaro, então, disse que discutiu o assunto
com o ministro da Saúde, Luiz Mandetta:

— Expus o problema e então a solução, a decisão que ele tomou: vai fazer uma nova cartilha, com menos páginas, mais barata, sem essas figuras aqui no final, e vamos rapidamente distribuir,
recolher essas anteriores.

https://t.co/FEOnyqSOpc
https://oglobo.globo.com/sociedade/bolsonaro-sugere-que-pais-rasguem-paginas-sobre-educacao-sexual-de-caderneta-de-saude-da-adolescente-23506442

Responder

    Zé Maria

    08 de março de 2019 às 17h14

    O Nível de Ignorância do 1º Escalão
    desse (des)governo do Bolsonaro
    ultrapassou o Limite do Tolerável.
    Da Burrice do Mito nem se fala.

Fernando Carneiro

08 de março de 2019 às 11h57

Eu responderia: -” de nada”.

Responder

Sergio Furtado Cabreira

08 de março de 2019 às 11h21

ORA, ORA, NOBRE DOUTORA STELLA SENRA !
CONVERSAR COM FASCISTAS É QUASE QUE UMA IMPOSSIBILIDADE COGNITIVA!
A REFERIDA “MULHER” JUÍZA E SERGINHO NARCISO MORO JULGAM POR OUTRAS RAZÕES E FATOS, TODOS ALHEIOS À REALIDADE DO CLIENTE LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA!
SÃO ENVIADOS DO TIO SAM E DA CIA, PARA RESOLVER INTERESSES HEGEMÔNICOS DOS EUA QUANTO AO PETRÓLEO BRASILEIRO!
E, SÓ A LUTA NOS SALVA!

Responder

Zé Maria

08 de março de 2019 às 10h41

No campo da Sensibilidade e da Empatia,
há tantas perguntas que poderiam ser
extensivas a mulheres, especialmente
às que detêm algum poder de decisão,
sem que fossem respondidas à altura
da Dignidade da Pessoa Humana.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.