VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Secretário de Bolsonaro abraça o nazismo publicamente e faz Olavo de Carvalho parecer o novo “normal”; veja o vídeo que está rodando o planeta
Reprodução
Política

Secretário de Bolsonaro abraça o nazismo publicamente e faz Olavo de Carvalho parecer o novo “normal”; veja o vídeo que está rodando o planeta


17/01/2020 - 09h22

Da Redação

O vídeo do secretário de Cultura do governo Bolsonaro, Roberto Alvim, com estética fascista, citação literal a Joseph Goebbels e música de Wagner — o preferido de Hitler — mobilizou as redes sociais na madrugada desta sexta-feira.

O assunto foi parar nos trending topics do tweeter, trechos do vídeo foram traduzidos para o inglês e o #Fora Alvim ganha força nas redes.

Alvim é aquele que atacou a atriz Fernanda Montenegro reclamando, em texto, que muitas pessoas comparavam Bolsonaro a Hitler.

Ele se autoproclamou campeão da guerra cultural contra a esquerda.

Chamou Montenegro de “sórdida” e “mentirosa” por posar para uma foto, encartada em uma revista literária, que seria simbólica dos tempos:

Algumas reações ao vídeo de Alvim:

Hey, Alvim! esse vídeo em que você ouve a música preferida de Hitler e faz um plagio de uma frase Goebbels foi feito para que a gente esquecesse o escândalo se corrupção da secretaria de comunicação? Não deu certo. Manuela

Convoco todos os artistas brasileiros a se posicionar contra o homem que destratou Fernanda Montenegro. Que todos assumam a defesa da cultura brasileira contra esse debil mental, mente lesada pela cocaina, que se arvora num novo Goebbels! Ou somos todos um bando de merdas? José de Abreu

O sentimento gerado com o vídeo de Alvim é de asco. Percebe-se uma arrogância típica dos ignorantes autoritários. Quem disse a eles que a arte e cultura brasileiras começam com este Governo? Qm deu o direito de julgar qualidade e conteúdo das obras artísticas brasileiras? Jandira Feghali

Alvim adapta Goebbels e usa uma das óperas preferidas de Hitler em um vídeo sinistro para falar sobre cultura no Brasil. Usar de referência o ministro da propaganda nazista é mais uma confirmação do fascismo que caracteriza Bolsonaro e seus amigos! Luciana Genro

Esse é de longe o vídeo mais assustador que vi nesse último ano. E olha que estamos falando de um ano absolutamente aterrorizante. Tudo no texto e na composição do quadro é pavoroso. Não dá pra fazer piada disso. Carol Almeida

Cruz de Lorena, usada nas missões jesuíticas, que usavam esta cruz para catequizar o povo nativo. Aposto que tem dedo do Sorocabannon aí. Ele adora essas quinquilharias de idade média, deus vult, templários… Viviane Bastos

Um trecho da fala de Roberto Alvim é copiado de Joseph Goebbels, quando afirma que a arte nacional será “heroica”, “nacional”, “igualmente imperativa posto que profundamente vinculada as aspirações urgentes de nosso povo. Ou não será nada”. Não é um pronunciamento, é um crime. Guilherme Macalossi

Roberto Alvim, secretário de cultura do Bolsornaro. Goebbels, ministro da propaganda de Hitler. Se parece um nazista, fala como um nazista e tem jeito de nazista…só pode ser um nazista. Joab Fernandes

Tá liberado chamar o governo de nazista. Toma-se todo cuidado para não comparar Bolsonaro a Hitler. Mas aí seu secretário da Cultura, Roberto Alvim, grava vídeo copiando Goebbels, ministro da Propaganda de Hitler. Já que o governo saiu do armário, chamemos as coisas por seu nome. Leonardo Sakamoto

O Secretário de Cultura Roberto Alvim ultrapassou todos os limites do aceitável. Vejam que a fala faz uma clara associação ao discurso nazista. Ao Estado Brasileiro NÃO cabe definir um modelo único de pensamento. Se o Ministério Público não fizer nada será conivente com o crime. George Marques

A face fascista do governo Bolsonaro aparece a cada dia! O Sec. de Cultura, Roberto Alvim, teve a abominável coragem de citar o nazista Goebbels para defender um padrão de arte no Brasil. Este governo composto por corruptos, milicianos e fascistas não pode continuar. #Fora Alvim. Ivan Valente

É cedo para julgar, mas o Roberto Alvim talvez não esteja muito bem da cabeça. Veremos. Olavo de Carvalho

Me perguntam se fiquei assustado com o discurso do Alvim. Claro que não fiquei. Achei óbvio. O governo mistura fascismo, nazismo, ignorância, proselitismo religioso e bandidagem. O presidente é cria dos esquadrões da morte. Quem votou nele ou ficou neutro esperava outra coisa? Luiz Antonio Simas

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



11 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

17 de janeiro de 2020 às 22h26

Advogado alemão Christian Solmecke, um dos mais conhecidos do país na área de mídia, disse que Alvim poderia ser processado na Alemanha e condenado “a uma pena de até três anos de prisão ou multa”.

“Qualquer pessoa que dê tal discurso pré-constitucional (ou seja, que faça referência a elementos anteriores à última Carta Magna alemã, de 1949) na Alemanha e faça uma referência atual a ele com alterações, o conteúdo do qual então resulte em um intento contra a constituição da República Federal da Alemanha, poderá ser processada. Isso é punível com pena de prisão de até três anos ou com multa”, disse Solmecke em entrevista à BBC News Brasil.

“Além disso, de acordo com o artigo 130 do Código Penal Alemão, isso pode ser um crime de incitação ao povo. Seria esse o caso se perturbasse a paz pública, incitando o ódio, a violência e atos arbitrários de violência contra ‘grupos nacionais, raciais, religiosos ou étnicos’ ou ‘contra partes da população ou contra um indivíduo por conta de sua participação em um grupo ou parte da população acima referida'”, acrescenta.

https://www.bbc.com/portuguese/amp/brasil-51149263

Responder

América Munhoz

17 de janeiro de 2020 às 19h41

Mas essa besta é conhecida. Bolsonaro e Alvim sao nazistas conhecidos.
E os nazistas das empresas que trabalhamos e faculdades que estudamos que ninguem sabe que sao nazistas, fascistas, racistas etc.
Imagine o tanto de nazistas que nao tem nas FFAA de onde saiu esse estrume do bozo. O tanto de racistas que sao formados nessas escolas pagas por todos brasileiros inclusive os negros que tanto eles odeiam.

Responder

Zé Maria

17 de janeiro de 2020 às 18h51 Responder

Zé Maria

17 de janeiro de 2020 às 18h47

https://pbs.twimg.com/media/EOgwBKVWkAAPviE.jpg

Se a Regina aceitar um Cargo
no Governo Nazista, é Porca.
Se não aceitar, segue Porcina.

Responder

Zé Maria

17 de janeiro de 2020 às 18h37

“Regina Duarte foi convidada para a Secretaria de Cultura.
Personagem e criatura se confundem na adoração
que ela devota ao Presidente Bolsonaro.
Ela é a matéria que incorpora a libido do poder patriarcal.
Uma mulher em submissão encantada.”

Antropóloga Débora Diniz
Professora Pesquisadora da Faculdade de Direito
Universidade de Brasília (UnB)
Pesquisadora do @CLACSBrownU.
Colunista de El País e Marie Claire.

https://twitter.com/Debora_D_Diniz/status/1218275133212844042

Responder

Zé Maria

17 de janeiro de 2020 às 15h55

E a Hebraica FasciPaulista ? Continua aplaudindo
e dando gargalhadas do Mito NeoNazista ?

E o MPF? E os TRFs? E o STJ? E o STF?
Vão continuar tratando Manifestos Crimes de Ódio
contra Etnias, LGBTs e minorias, e Pobres em geral
como atributo de uma ‘liberdade de expressão’
que só protege Milícias, Grupos de Extermínio,
Esquadrões da Morte e Assassinos de Aluguel ?

https://youtu.be/zSTdTjsio5g

https://www.viomundo.com.br/denuncias/benedita-nao-podemos-mais-aceitar-os-abusos-de-bolsonaro-e-inadmissivel-que-continue-zombando-dos-negros-veja-videos.html

https://www.viomundo.com.br/voce-escreve/protesto-contra-palestra-de-bolsonaro-na-hebraica-do-rj-quem-permite-torturar-se-esquece-da-shoa-veja-video.html

Responder

Airoldi Lacroix Bonetti Júnior

17 de janeiro de 2020 às 14h28

Que tristeza ouvir isso no Brasil,passamos do fundo do poço, com o sistema judicial brasileiro falido, assistindo toda está perversidade,crimes de guerra como o holocausto,nunca prescrevem,assim como atrocidades na Palestina e oriente médio,que Deus tenha piedade de nós!!

Responder

Harry Well Too

17 de janeiro de 2020 às 14h18

Esse estúpido quer atenção a qualquer custo. Sabe o que está fazendo e não dá ponto sem nó. A demanda de doidos e afins está em ascensão no mundo. Doidos com aparência de sãos, através do discursos falaciosos, manipulam a mente dos incautos. Praticaram lobotomia coletiva.
Desfecho? Caos social. Puro êxtase para os psicopatas e simpatizantes. O pateta-presidente (que administra o Brasil por rede social) usa de hipocrisia e sabemos que em momento que convier, desdiz tudo de novo. Afinal o principal dispersor de declarações homofóbicas, racistas, incitação ao uso de armas e matança de petistas e trabalhadores sem terras, entre diversas outras “fascistisses” é esse tal de Bolsonaro e da direita que o apóia.

Responder

walter rodrigues pereira

17 de janeiro de 2020 às 12h09

Como já tou avisado, não vou dar mole pra nazista.

Responder

David Melgarejo

17 de janeiro de 2020 às 10h55

Por que os progressistas não conseguem levar a população pras ruas contra esses absurdos????

Responder

Inêz Oludé

17 de janeiro de 2020 às 09h25

Alvim depois de copiar colar o discurso de Goebbels sobre cultura, veja o logo do Minc que està usando: a cruz de ferro nazista,verifiquem na minha pagina do face, coloquei la uns exemplos, precisa ser denunciado isso

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.