VIOMUNDO

Diário da Resistência


Política

Rodrigo Vianna: A represália é da Globo


05/02/2013 - 20h01

Resposta ao UOL: a represália é da Globo

publicada terça-feira, 05/02/2013 às 19:32 e atualizada terça-feira, 05/02/2013 às 19:32

por Rodrigo Vianna, no Escrevinhador

Fui procurado por e-mail, nessa terça-feira, pela jornalista Carla Neves – que se apresentou como repórter do UOL no Rio de Janeiro. Ela queria declarações minhas sobre o processo movido contra este blogueiro por Ali Kamel – diretor da Globo.

Pedi que ela mandasse as perguntas por escrito. Não tenho motivos para desconfiar da colega jornalista, mas tenho todos os motivos para desconfiar das intenções do UOL – ligado ao grupo “Folha”. Por isso, e pelo teor de uma das perguntas, tomei a liberdade de publicar aqui a íntegra das respostas que estou enviando à jornalista. (Curiosidade: o TJ-RJ me condenou há três semanas, e naquele dia o UOL já havia registrado o fato.

Só agora, o TJ-RJ publica um “release” com mais informações – que viram “gancho” para o UOL voltar ao tema… Hum. Cada um conclua o que quiser.)

Abaixo, minha mensagem completa para o UOL.

“Carla, seguem minhas respostas

— Seu advogado vai recorrer da decisão?
Sim, meus advogados vão recorrer da decisão, que considero injusta e equivocada.

— O que você achou da conclusão do desembargador, especialmente do seguinte trecho: “A crítica, ao contrário da notícia, é o exame valorativo, o juízo de valor, positivo ou negativo, resultante da aplicação de uma reflexão sobre o fato noticiado. Em outras palavras, é o direito de opinião atrelado à informação jornalística, o qual permite aos órgãos de comunicação a valoração do objeto informativo, seja do ponto de vista científico, artístico, literário ou político, e a consequente emissão de opiniões, não estando o crítico, por isso, sujeito às ações civis ou criminais. Assim, pelo exercício do direito de crítica, possibilita-se ao emissor instituir relações entre os fatos noticiados e determinada interpretação ou juízo valorativo, favorável ou desfavorável, por ele formulado. A liberdade de crítica é uma liberdade natural. Contudo, criticar não é destruir, ofender, injuriar, difamar, violentar a dignidade alheia”?

Considero que os desembargadores cometeram alguns equívocos. No entanto, mais importante que minha opinião sobre a decisão foi o que disseram, nos autos, dois especialistas em Comunicação: da UFRJ e da UFABC. Eles atestaram que meus textos eram opinativos, e refutaram essa idéia de “direito de opinião atrelado à informação jornalística”. Meus textos não eram “informativos”, nunca “informei” que Kamel (o diretor da Globo) fosse Kamel (o atôr pornô). Isso não me interessava. Se ele era ou não o ator pornô, não estava em questão pra mim.

Utilizei a homonímia (Ali Kamel era o nome de um ator do filme “Solar das Taras Proibidas”; é o nome que aparece nos créditos do filme, e também na ficha do IMBD) como metáfora para criticar o papel de Kamel à frente do jornalismo da Globo. O Arnaldo Jabor, que trabalha sob as ordens de Kamel, escreveu um livro chamado “Pornopolítica”. Só a Globo pode usar metáforas?

Importante: a juiza de primeira instância negou-se a ouvir especialistas em Comunicação ou testemunhas. E os desembargadores não fizeram sequer referência aos argumentos apresentados por esses especialistas, por escrito, nos autos.

Na verdade, fui condenado por usar ironia e por usar metáforas para criticar Ali Kamel.

— Por que você foi dispensado do núcleo de jornalismo da Globo? O que escreveu seria uma represália?

Curioso, Carla, você não me perguntar se o processo de Kamel poderia ser uma represália contra o que escrevo em meu blog. Permita-me dizer: sua premissa está equivocada. E ao “testar essa hipótese”, você me leva a imaginar quem, por acaso, pode ter “sugerido” que o UOL entrasse nesse assunto, e com esse enfoque.

Não, Carla. Minha saída da Globo (em 2006) é que foi uma represália da emissora por meu posicionamento crítico à cobertura feita pela emissora. Na época, entrei na sala do diretor da Globo/SP, com outros colegas, e manifestei minha discordância com a cobertura que eu considerava (e considero) tendenciosa para beneficiar o candidato tucano em 2006. Não o fiz sozinho. Outros colegas que trabalhavam na Globo também se insurgiram, negando-se a aderir a um abaixo-assinado que a direção da Globo levou aos jornalistas, para que defendessem a cobertura eleitoral feita pela emissora. Coincidentemente, esses colegas que se insurgiram também tiveram que deixar a emissora logo depois. Não fui o único.

O processo de Kamel, por sua vez, parece-me também uma represália contra o papel que um grupo de blogueiros passou a exercer no país, como contraponto ao jornalismo de bolinhas de papel comandado pela Globo. Não sou o único blogueiro processado por Ali Kamel. Há pelo menos outros cinco. Quase todos os processos foram abertos na mesma época, logo após a eleição de 2010 – em que a Globo e Kamel foram, de novo, derrotados pelos fatos e pelos eleitores.

Acho que isso deixa claro quem está fazendo represália. Será que você perguntou a Kamel se esses processos todos contra blogueiros são uma represália? Quem sabe…

Não tenho contra Ali Kamel nada do ponto de vista pessoal. Não há “rancor”, como Kamel tentou apresentar à Justiça do Rio. Há, sim, críticas e discordâncias profundas sobre a maneira de fazer Jornalismo, além de diferenças políticas insanáveis. O processo foi a forma que ele encontrou para judicializar um debate que é político. Se a idéia dele era intimidar, vai-se dar mal. Esses processos todos só tornam os blogueiros mais aguerridos. E nos trazem mais apoio de quem acompanha a guerrilha informativa travada, diariamente, na blogosfera e nas redes sociais.

Por último, uma dúvida: de que forma um blogueiro que – nos momentos de maior audiência – não chega a 30 mil leitores/dia, poderia “destruir” a reputação do diretor da poderosa Rede Globo – como sugerem os ínclitos desembargadores?

O sujeito dirige a TV Globo, tem influência sobre CBN, Globo News, G1, jornal O Globo… e um simples blogueiro incomoda tanto assim? Há algo de desproporcional nisso tudo.

O Kamel deve ser um grande leitor dos blogs. Especialmente do meu. Agradeço a preferência.

Leia também:

Rodrigo Vianna: A Globo tem medo da internet

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



31 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Justiça conclui que Ali Kamel não manda na Globo

30 de março de 2013 às 16h33

[…] Rodrigo Vianna: A represália é da Globo […]

Responder

Justiça conclui que Ali Kamel não manda na Globo « Viomundo – O que você não vê na mídia

29 de março de 2013 às 11h42

[…] Rodrigo Vianna: A represália é da Globo […]

Responder

sergio moraes

20 de fevereiro de 2013 às 19h24

o brasil sera outro sem a folha a veja a globo eo pig em geral

Responder

Amarildo Barreto

18 de fevereiro de 2013 às 15h44

Parabéns, rodrigo viana, pela coragem em enfrentar esse dinossauro do Kamel, receba a solidariedade de todo os amazonenses da terra dos guerreiros de Ajuricaba.
Com admiração!
Amarildo Barreto

Responder

RodrigoR

06 de fevereiro de 2013 às 21h24

Esse é o PIG, ainda bem que existe jornalistas verdadeiros que encaram de frente esse monstro bisonho.

Mas deixe estar Rodrigo, todo poder é terrenal e a Globo já está indo p BREJO, vide ultima pesquisa que indicou a pior audiência alcançada pela Globo desde sua hegemonia.

O Povo não é Bobo, fora Rede Globo.

Responder

Jotace

06 de fevereiro de 2013 às 20h34

Caro Rodrigo,

Foi deveras excelente tua idéia não só de solicitar que a UOL apresentasse por escrito suas questões, como ainda a de publicares na WEB tuas judiciosas respostas. Pois, como confiar na mídia entreguista vendepátria capitaneada pela Globo? Tenha a certeza que tua causa é a de todos nós que lutamos por um Brasil para os brasileiros… Abraço cordial, Jotace

Responder

Julio Silveira

06 de fevereiro de 2013 às 20h19

O que ainda me chateia hoje, já me indignou ontem, e certamente me fará dar de ombros amanhã é a certeza cada vez maior de que o cidadão estará só nesta contenda contra manipulações, é saber que essa midia corporativa elitista e arrogantemente imperial fala (sempre que surge no horizonte alguma nuvem com assunto que indique poder lhes tolir um milimetro de seu poder manipulador) em liberdade de imprensa. E o que é pior, o governo dos que se auto proclamam “progressistas” teimam rezar no mesmo terço.

Responder

João Vargas

06 de fevereiro de 2013 às 12h59

Não conheço os pormenores do processo, mas aqui de longe me parece uma luta de Davi contra Golias. E o judiciário deu a vitória para o Golias. Não sei porque isto não me surpreende.

Responder

Aristharco

06 de fevereiro de 2013 às 10h57

Deixa tudo explicadinho Rodrigo para ninguém distorcer.

Responder

Aristharco

06 de fevereiro de 2013 às 10h56

Isso aí Rodrigo!

Responder

Paulo Moreira Leite: A outra história do mensalão « Viomundo – O que você não vê na mídia

06 de fevereiro de 2013 às 10h27

[…] Rodrigo Vianna: A represália é da Globo […]

Responder

Jairo Falcucci Beraldo

06 de fevereiro de 2013 às 10h12

Karla UOL – “A liberdade de crítica é uma liberdade natural. Contudo, criticar não é destruir, ofender, injuriar, difamar, violentar a dignidade alheia”?”

Claro que a pau mandada do UOL queria dizer:
“Só nós cheirosinhos podemos criticar, destruir, ofender, injuriar, difamar e violentar a dignidade alheia. Ponha-se no seu lugar, blogueiro imundo! Se nem magistrados ousam bater de frente à nós, quem é voce para faze-lo? Recolha a sua insignificancia!”

Responder

Pedro luiz

06 de fevereiro de 2013 às 08h56

O nosso apoio ao Rodrigo Viana.Nosso repúdio a jornalistas com a cara da UOL e Cia.Antes de jornalistas são brasileiros e brasileiras, são assalariados a serviço dos grupos poderosos de comunicação desse país. Mas em busca da sobrevivência e da escalada profissional esquecem o juramento feito lá no dia de sua colocação de grau.Infelizmente para o bem da boa notícia.

Responder

Alexandro Rodrigues

06 de fevereiro de 2013 às 08h23

Como diria um professor meu da faculdade de Economia da PUC de Campinas:

“…qualquer pessoa com uma leve tendência à falta de caráter possui três carreiras inequívocas a seguir: advogado, político e jornalista”.

Fecha a conta e passa a régua!

Responder

    Jairo Falcucci Beraldo

    06 de fevereiro de 2013 às 11h32

    Pegou pesado, hein, caro Alexandro Rodrigues?

    Por que inseriu jornalista neste balaio de gato? Acho que misturou as coisas. Jornalista informa, e se lado tiver, tem coragem de mostrar…já o jagunço/capanga é que critica, destroi, ofende, injuria, difama e violenta a dignidade alheia, não assume sua parcialidade, mostra-se o bom moço ético e defensor dos bons costumes. Saiba separar o joio do trigo.

    Alexandro Rodrigues

    07 de fevereiro de 2013 às 01h39

    Jairo, a frase não é minha, mas apesar dela ser generalista eu concordo com ela sim…

    Afinal do Brasil do STF absolutista, no Brasil do Congresso Nacional controlado Renan e Alves e no Brasil de Ali Kamel, fatos e personagens concretos para dar veracidade à frase não faltam!

    Sideval Jr.

    06 de fevereiro de 2013 às 20h08

    ô Paulo… Seu amigo esqueceu de incluir, no rol: “professor de economia na PuC”

Mardones

06 de fevereiro de 2013 às 08h13

Coitadinha da Carla. k k k

Ela pensou que estava tratando com certos artistas, políticos e ministros que não resistem aos microfones e câmeras do PIG.

Responder

Mário SF Alves

06 de fevereiro de 2013 às 08h04

“…Contudo, criticar não é destruir, ofender, injuriar, difamar, violentar a dignidade alheia”
__________________________
Muito bem. Criticar não é destruir, ofender, injuriar, violentar, …, e NOTICIAR, seja por quais meios for, é?
_____________________________________
Insisto: crítica não contextualizada, não circunstanciada, não é crítica é FOFOCA. E acrescentaria: NOTÍCIA de mesma índole, também.
_______________________________________________
Como ligeiro e comuníssimo exemplo, sugiro o link: http://globotv.globo.com/globo-news/jornal-das-dez/v/com-76-de-impostos-caipirinha-e-a-bebida-com-a-maior-carga-tributaria/2379674/
_____________________________________________

Força, Rodrigo.

Responder

Francisco

06 de fevereiro de 2013 às 05h43

A fortuna dos Marinho é de 22 bilhões.

Quanto alguém pagaria, desse dinheiro, para continuar a ter o resto dele?

Essa é a questão.

Responder

Bonifa

06 de fevereiro de 2013 às 03h56

Ou se trata de subdesenvolvimento explícito do Judiciário, ainda “atrelado” ao sentimento colonial de que há na sociedade uma casta de pessoas que não podem ser atacadas, ou ironizadas, ou criticadas, ou sequer mencionadas, ou estão é algo pior.

Responder

Defensores públicos querem derrubada do veto ao PL 114 « Viomundo – O que você não vê na mídia

06 de fevereiro de 2013 às 00h19

[…] Rodrigo Vianna: A represália é da Globo […]

Responder

FrancoAtirador

06 de fevereiro de 2013 às 00h01

.
.
Já não se trata mais de profissionalismo jornalístico,

mas de integridade de caráter e convicção de princípios.

Virtudes que sobram na pessoa humana de Rodrigo Vianna

e de que carece a gentalha humanóide da Mídia Bandida.
.
.

Responder

    Mário SF Alves

    06 de fevereiro de 2013 às 08h16

    Franco,
    “Gentalha humanóide” estabelece um link diretamente com os irmãos Wachowski, em Matrix, e com Platão em o Mito da Caverna.

J Souza

05 de fevereiro de 2013 às 23h25

Se uma “jornalista” se presta a um papel desses contra um colega de profissão só para agradar aos patrões, imagina o que ela não faz com a imagem de pessoas ignorantes que podem ser manipuladas por ela…

Talvez ela queira, assim, mostrar que não é corporativista… mas só com o Rodrigo Vianna… Continua sendo corporativista com o Ali Kamel.

“Imparcialidade” é isso ai!

Responder

Luís Carlos

05 de fevereiro de 2013 às 23h22

Kamel vai dizer: “não somos racistas”.

Responder

Márcio Martins

05 de fevereiro de 2013 às 21h39

Belo exemplo do Rodrigo Vianna de como se deve “lidar” com o PIG; em especial, aos homens públicos. Toda entrevista dada à “eles” deveria ser a priori publicada na internet, tanto as perguntas, quanto as respostas, para que não paira “dúvidas” quanto à lisura do processo. Parabéns! Quem for esperto já tem o “modus operandi”…

Responder

Roberto C Ventura

05 de fevereiro de 2013 às 21h20

A Globo está com os seus dias contados, queero ver emprego para esta corja toda.

Responder

Murdok

05 de fevereiro de 2013 às 21h04

Parabéns Rodrigo.

Responder

Marat

05 de fevereiro de 2013 às 20h53

Vianna destroçou a funcionária do UOL, mostrou o quão tendenciosos são os do “direito” e provou o que Kamel é: Um pornojornalista que se acha o máximo, só porque trabalha num império montado com dinheiro sujo do Tio Sam…

Responder

Cibele

05 de fevereiro de 2013 às 20h39

Geral alucinada com essas respostas do Rodrigo! Assessoria nas costas da repórter nem espanta mais. Vai mexer com o bando de loucos, vai, Mr. Kamel! Só vai piorar pra vocês. O povo tá se ligando, só não consegue ainda largar o VÍCIO em novelas, mas nada é impossível…

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!