VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Requião propõe reforma agrária, estatizar bancos e desconcentrar mídia
Política

Requião propõe reforma agrária, estatizar bancos e desconcentrar mídia


06/07/2013 - 23h04

Mudar para não mudar?

Leia também:

Tijolaço: Globo admite que sonegou, mas pagou

Jamil Chade: TV brasileira envolvida no suborno a Teixeira e Havelange

Globo reafirma que pagou dívida à Receita; MP aguarda informações

Barão pedirá que MP investigue sonegação da Globo

Miguel do Rosário: Globo cobrada em R$ 615 milhões por sonegação 

Altercom: Relatório da Secom comprova concentração de verbas

Pimenta cobra; Secom diz que faz mídia “técnica”; Globo recebeu R$ 5,86 bi

Renato Rovai: A chamada mídia técnica versus a qualidade democrática

Venício Lima: Por que o governo deve apoiar a mídia alternativa



Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


43 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

As Revoluções de Lampedusa

03 de março de 2014 às 18h40

[…] do partido são os mais heterogêneos possíveis, variando de figuras dinastias progressistas como Roberto Requião, até o simulacro de senhores feudais como José Sarney, passando por intransigentes como Sérgio […]

Responder

Elias

09 de julho de 2013 às 16h26

Não sei se Requião curtiu Raul Seixas, mas decididamente o senador é hoje a mosca na sopa do governo e da oposição.

Responder

Cibele

08 de julho de 2013 às 19h06

Vocês sabem que a única solução é ensinar o povo a eleger um congresso que atue a seu favor. As pessoas são analfabetas políticas. Mas isso ninguém faz. Não há professor, não há cidadão, não há ativista nessas horas.

Responder

Todd Gitlin: O que fazer com uma classe política trancada em seu próprio universo? - Viomundo - O que você não vê na mídia

08 de julho de 2013 às 18h06

[…] Requião propõe reforma agrária, estatizar bancos e desconcentrar mídia […]

Responder

JOTACE

08 de julho de 2013 às 17h19

REFORMAS, FOGO NO RABO,
E ISOLANTES TÉRMICOS

Lendo, como sempre o faço, os comentários do Messias, caríssimo e ilustre coestaduano, a degola que ele sugere de certos ministros seria um grande passo para o atendimento das aspirações do povo. Mas, quanto às reformas de base, quem vai acreditar mesmo que o povo irá esperar até provavelmente 2018 ou mesmo depois como ele admite? O problema é o tal fogo no rabo que, segundo lembrou REQUIÃO, faz correr depressa até um bicho-preguiça. Por isso, ocorreu-me fazer uma pesquisa (rápida) na WEB, a respeito de que materiais isolantes térmicos poderiam se servir os mais altos mandos governistas no caso de tentarem mais uma vez empurrar tudo com a barriga. Encontrei, entre outros, os que se seguem: lã de rocha, fibra de vidro, hidrossilicato de cálcio, manta de fibra cerâmica, perlita expandida, vidro celular, poliestireno expandido, polietstireno extrudado, espuma de poliestireno, aglomerados de cortiça etc Surpreendí-me ainda com a informação técnica que a madeira pode resistir muito ao calor. É o caso de perguntar: resistiria o bicho-preguiça governista ao uso de materiais assim em parte tão especial do corpo?

Responder

Fátima Oliveira: O povo quer falar e não referendar - Viomundo - O que você não vê na mídia

08 de julho de 2013 às 09h20

[…] Requião propõe reforma agrária, estatizar bancos e desconcentrar mídia […]

Responder

Julio Silveira

08 de julho de 2013 às 08h39

Analisando algumas respostas vejo como a cidadania é instável, basta um discurso inflamado com palavras que calem fundo dentro inconsciente coletivo, coisa de profissional, e juras de amor são dadas.
Quem é de fato o Requião? Foi governador de seu estado o Paraná mais de uma vez, nunca alcançou a notoriedade necessária para ser um candidato inquestionável de seu partido. Com todo respeito que o cidadão Requião de mim mereça, mas é uma figura no mínimo contraditória por tudo que nos é dado saber sobre ele. Mas tem um discurso inflamado isso não tenho como negar, mas será sincero? será que cumpriria? Daria a vida para isso? por que não se iludam meus caros românticos, esse discurso é de quem esta disposto a enfrentar uma guerra civil no Brasil. Por que como vemos no atual governo, discurso é pra ganhar eleição, a pratica é outra, é isso que nos ensinam.

Responder

Ana Cruzzeli

08 de julho de 2013 às 08h28

Se o Requião quer mesmo avançar que peça reforma politica e reforma no judiciário que aí o resto caminha.
Problema da reforma agrária está no judiciário
Problema da democratização da midia está no lobby do congresso para a não regulação

Responder

pablo

08 de julho de 2013 às 03h24

Requião para Presidente do Brasil!
( ou ) Vice (da) Dilma

Responder

    renato

    08 de julho de 2013 às 16h22

    Dá até para pensar.
    Não teríamos perdas.
    Se a Glesi ganha-se no Paraná.
    Daí os Paranaenses iam morrer, iam
    ter cólicas….
    Mas eu não, apesar que Gleisi, deixa
    a desejar, seria bom para os professores.

Mário SF Alves

07 de julho de 2013 às 22h56

Reforma agrária?!!
Estatizar Bancos?!!
Desconcentrar a mídia?!!
________________________________
Com exceção do 3º item, e se o termo “desconcentrar” for sinônimo de “democratizar” a mídia, cabe verificar:

Salvo grosseiro engano, reforma agrária nos dias que correm e pari passo com o agronegócio só faz trazer à tona a dúvida: reforma agrária pra quem? Para as grandes corporações dos agroquímicos, da biopirataria das sementes hibridizadas, transgenizadas e todas impiedosamente patenteadas?

Como mencionado persiste a dúvida: reforma agrária pra quem?

____________________________________
Já o item 2, este é o mais simples de todos. Basta decretar o fim do capitalismo – no mundo. Simples.

Responder

Fabio Passos

07 de julho de 2013 às 21h13

O PiG é o partido da “elite” branca e rica.
Qualquer político que se refestela com os canalhas da mídia-burguesa é quinta-coluna.

O PiG é inimigo do povo… e assim deve ser tratado.

Há um oligopólio corrupto, entulho da ditadura, que afronta a constituição.
Já passou da hora de democratizar a mídia e enfrentar os interesses da famíglia marinho.

Responder

    renato

    08 de julho de 2013 às 16h24

    Demorou.

FrancoAtirador

07 de julho de 2013 às 19h22

.
.
Está na hora do PT romper com a estrutura fisiológica do Poder.

Ou vai ‘prás cabeça’ contra esses traidores da Pátria,

ou sucumbirá, junto com eles, diante de um(a) candidato(a) aventureiro(a).

É o que espera o Povo Trabalhador que está começando a se manifestar.
.
.

Responder

    Fabio Passos

    07 de julho de 2013 às 21h05

    Falou e disse!

    Requião está retransmitindo o que está entalado na garganta dos trabalhadores brasileiros.

    É hora do governo ousar e cumprir seu dever.
    É pegar a esquerda e acelerar!

    JOTACE

    08 de julho de 2013 às 10h24

    Concordo contigo, caro Fábio Passos. Pois o PT teve todas as chances para dar outra feição ao governo e nada fez. Nem fará jamais a não ser tentar empurrar com a barriga qualquer programa sério. Por isso se a Dilma não tomar de imediato as providências moralizantes que exige o povo nas ruas, há que se lançar o nome de um patriota digno e corajoso de experiência comprovada na administração pública. E que, como muito bem o diz o Franco, não seja um aventureiro.REQUIÃO PARA PRESIDENTE!

Messias Franca de Macedo

07 de julho de 2013 às 18h41

… AINDA SOBRE ‘O ESPÍRITO FELIPÃO DO REQUIÃO!

######################

DILMA: MUDAR OU MUDAR

Publicado em 07/07/2013
em http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2013/07/07/dilma-mudar-ou-mudar/#comment-1189173

LÁ VEM O MATUTO TRAZENDO, NAS MÃOS, O CONTROLE REMOTO DESPROVIDO DA TECLA QUE ACIONA OS SINAIS DA REDE GLOBO!

A presidente Dilma Rousseff, A Magnífica, retrucou o PIG afirmando que o estilo dela é o ‘estilo Felipão’! Portanto, a lista de dispensas:

Bernardo Cabral; José Eduardo Cardoso; Helena Chagas; Ideli Salvati; Gleisi Hoffmann; Geddel Vieira Lima(!) Sim! Diretor da Caixa Econômica Federal! Compreendo: parece até mentira o pesadelo (sic)…

EM TEMPO: a meu ver, a presidente Dilma Rousseff deve, imediatamente, admitir, publicamente, que não existe tempo hábil nem tampouco circunstâncias políticas favoráveis para a realização do plebiscito, notadamente, considerando-se uma consulta popular que, realmente, transforme – “pra valer” – o nosso decrépito e anacrônico sistema político… Em sendo assim, conclamar o povo para respaldar e consubstanciar a instituição e o desenvolvimento de uma Assembleia Nacional Constituinte exclusiva para tratar da reforma política – ainda que as mudanças somente possam entrar em vigor nas eleições de 2016 ou até mesmo a partir dos pleitos eleitorais de 2018… Agora, uma reforma política abrangente e profunda, que traduza os lídimos anseios da população brasileira – e os pressupostos imprescindíveis para a construção da nação…

E tenho dito!…

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Marcus Netto

07 de julho de 2013 às 18h38

Precisamos de um Partido que realmente assuma a Liderança Honesta das massas . Diante da situação: Dilma, convoque uma Assembleia Constituinte Soberana!

Se Temer do PMDB é contra, rompa com ele, e as ruas te apoiarão!

Por uma Reforma Política do Estado para o Brasil avançar:
1. Estatização do transporte público! Passe livre estudantil e nenhum corte nos gastos sociais!
2. Fim do superávit fiscal primário para pagar a dívida: o dinheiro do Orçamento para os serviços públicos!
3. Suspensão dos leilões: 100% do petróleo, não apenas royalties, para investir em saúde e educação pública!
4. Vagas para todos na escola pública!
5. Reestatização das empresas privatizadas! Revogação da lei das OSs! Fim das concessões privadas!
6. Redução da jornada para 40 horas! Fim da terceirização!
7. Reforma Agrária!
8. Desmilitatização das PMs! Piso salarial nacional para policiais militares, civis e bombeiros!
9. Punição dos crimes da ditadura e revogação da “lei de anistia”!
10. Eleições para uma Assembléia Constituinte:
unicameral (sem Senado)
proporcional (1 eleitor = 1 voto)
voto em listas partidárias
financiamento público exclusivo
começando com o movimento da juventude pela redução das tarifas de transporte, um milhão de pessoas saiu às ruas levantando suas reivindicações, em especial por serviços públicos. Elas são contraditórias com o superávit primário que esmaga o Orçamento do Estado para pagar a dívida, e com as seguidas concessões feitas às pressões das grandes empresas e do capital internacional.
São as mesmas imposições imperialistas que subjugam as nações em todo o mundo.
No Brasil, as manifestações de rua evidenciaram um fosso e abalaram as instituições, abrindo uma crise no regime político. Há uma nova situação no país e o povo não vai voltar pra casa de mãos vazias. As mobilizações pelos direitos sociais só começaram.
A única saída é o governo Dilma convocar uma Assembleia Constituinte, dar a palavra ao povo para passar o país a limpo e fazer uma reforma radical do Estado, de modo a abrir caminho para antigas aspirações populares de justiça social, que não foram atendidas em 10 anos do governo de coalizão encabeçado pelo PT. Ao contrário do que diz a cúpula do PT, as melhorias obtidas foram conquistas sociais e não benesses da “coalizão”, um obstáculo às aspirações de mudança.
Dilma disse que ia ouvir as ruas, que “as instituições e os governos tem que mudar”.
Chegou a propor um plebiscito para instalar uma “Constituinte específica” para fazer a reforma política – um passo à frente –, mas no dia seguinte (25/6) recuou face à negativa do comando do PMDB e de Joaquim Barbosa do STF.
Por que? Por que se, como apurou o Data Folha (29/6), nada menos que 73% dos brasileiros são a favor de “uma Constituinte para elaborar uma reforma política” (e apenas 15% contrários).
Dilma agora propõe um plebiscito sobre a reforma política o que é outra coisa. Pois não se pode confiar num plebiscito cujas perguntas serão escolhidas pelos líderes do atual Congresso, desprezado nas ruas, ainda mais para ele próprio, depois, reformar as leis. O plebiscito não pode ser o pântano para afundar as reivindicações das ruas.
Tem razão a CUT e as centrais sindicais que convocaram para 11 de julho um Dia Nacional de Luta com paralisações, com uma pauta de reivindicações concretas. Está mais do que na hora da classe trabalhadora, com suas organizações, mostrar sua força, ocupar seu lugar e polarizar o país.
Esse é também o melhor meio para enfrentar a manipulação da mídia e a ação da direita que, depois de explorar o discurso “sem partido”, “horizontalidade” etc., lança seus provocadores sobre as colunas de partidos e sindicatos, e multiplica incidentes nas manifestações. Os agentes provocadores devem ser desmascarados!
É verdade, a farra com o dinheiro público nas obras da Copa aparece como uma ofensa. Dinheiro há, mas bilhões são destinados a desonerações patronais da folha de pagamento, quando deveriam ir para os serviços públicos. Tal como os R$ 2 bilhões gastos há 9 anos nas tropas brasileiras no Haiti que participam da missão da ONU (Minustah) de ocupação desta nação negra.

Responder

    JOTACE

    07 de julho de 2013 às 20h17

    Caro Marcus Netto,

    Creio, após uma breve análise, que os ítens que você apresenta para discussão pelo povo, são os que constam dos manifestos populares. Da mesma forma me parecem estar todos eles incluídos na patriótica temática também defendida pelo digno Senador REQUIÃO. É tempo de apresentá-la ao Povo Brasileiro, num plebiscito antes que o fogo no rabo provoque uma correria frustrante, pois de nenhum resultado, por parte do bicho-preguiça do nosso governo. Ou mesmo de uma queda do galho da árvore em que ele se sustenta e que é unicamente o povo brasileiro e não mais os habituais cortesãos, os políticos, ou partidos cujos mandos dizem eles estarem ao lado do governo. Ainda, para melhor e absolutamente oportuno entendimento da Presidente com o povo, retiro do comentário do ilustre baiano e meu quase coestaduano Messias Franco, a seguinte sugestão que ele faz neste blog: dispensar Bernardo Cabral; José Eduardo Cardoso; Helena Chagas; Ideli Salvati; Gleisi Hoffmann, e Geddel Vieira Lima, do seu cargo na Caixa Econômica Federal. Pois tal dispensa seria o sinal da verdadeira mudança que o povo está a requerer nas ruas… Cordialmente, Jotace

Willian

07 de julho de 2013 às 15h47

Por que não está na seção de humor?

Responder

    Abel

    07 de julho de 2013 às 18h42

    Os seus comentários são sempre hilários, não precisam de concorrência ;)

Caracol

07 de julho de 2013 às 15h41

Ora, ora,como é bom ouvir isso! Demonstra que o Brizola, a quem durante anos e anos acusavam de ser um “político ultrapassado”, estava, na verdade, à frente do tempo dele! Então, vejam só, era o contrário, no tempo do Brizola o Brasil é que era um país ultrapassado.
Pra ficar igual ao discurso e às propostas do Brizola, só faltou ao Requião insurgir-se contra o regime escravocrata em que vivemos.
Mas tudo bem, senador Requião, bola pra frente, quem sabe, em breve alcançaremos o Brizola e seremos um país digno dele.

Responder

renato

07 de julho de 2013 às 15h29

Requião deve estar no Governo, como membro atuante.
Já falei, estão demorando…
Vice, Ministro das Comunicações.

Responder

    JOTACE

    07 de julho de 2013 às 17h55

    Presidente!

Fabio Passos

07 de julho de 2013 às 13h49

A esquerda tem um dever histórico.
Se a esquerda abdica de cumprir seu dever… abre espaço para o fascismo.

As propostas de Requião são excelentes. São bandeiras históricas da esquerda.
Enfrentar a banca e o PiG é lutar contra o regime neoliberal. É lutar contra o poder econômico e pelo resgate da democracia.

Não há dúvida que contrariar interesses da “elite” branca não é fácil.
Mas já passou da hora de implodir a casa-grande e recuperar toda a riqueza que a minoria rica roubou do povo brasileiro.

Responder

CRBs

07 de julho de 2013 às 13h41

Estatizar bancos, haha, bela piada.

O investimento jamais entrará neste país, como já está fugindo neste governo Dilma.

Responder

    JOTACE

    08 de julho de 2013 às 10h10

    Como está ‘fugindo’ da Venezuela…Naquela nação-irmã aumentou de muito o número de empresas internacionais após as restrições de Chávez de como se davam os ‘investimentos’ delas na exploração do petróleo…
    Viva REQUIÃO e suas excelentes propostas!

José Souza

07 de julho de 2013 às 12h24

Requião não falou sério. Parece que ele não conhece o país. 1-)Todos concordam com a reforma agrária desde que seja feita na fazenda dos outros. Na minha não. 2-)Como votar lei contra a concentração de mídia se grande parte dos votantes são detentores de concessões de rádio e tv. Não passa nas casa legislativas. 3-)O governo não pode estatizar justamente os clientes que compram seus títulos. Seria um absurdo. Resumindo: discurso pra ficar bem na foto. Falou sem analisar, antes, o que iria dizer.

Responder

José Ricardo Romero

07 de julho de 2013 às 10h45

O Brasil é um país azarado, mesmo! Quando se tem um político com esse grau de consciência, verdadeiramente iluminado e que faz um discurso irretocável até nas vírgulas, em quem eu votaria entusiasmadamente para presidente, lembro que ele pertence ao PMDB, este partido escroto e balcão de negócios. Aliás, porque o Requião não faz um discurso com esta verve contra os seus colegas de partido, especialmente os presidentes das duas casas legislativas e o vice-presidente?

Responder

    Pedro Cruz

    07 de julho de 2013 às 21h27

    Collor, Lacerda e muitos outros, tinham grandes discursos, falavam o que a platéia queria ouvir, como camaleão mudam de cor conforme o ambiente. Defende Reforma Agraria, Estatização dos Bancos, desconcentração da mídia, o que esse cara faz no PMDB???? Quer o governo do Paraná, em 2014. Sem o apoio do PT, não dá. Ele só quer o apoio da esquerda.

Pedro Cruz

07 de julho de 2013 às 10h07

Requião, com todo respeito. O que esse cara faz no PMDB?? O que é um Partido Político???? Ele, Requião, concorda com o programa do PMDB??? Concorda com o pensamento de 10%, de seus membros?? Está bem, o programa de um partido, papel, aceita tudo. Ser membro do PMDB, conviver dentro do PMDB e, vir aqui, ou no Senado, defender Reforma Agraria, Estatizar Bancos e desconcentrar a Mídia, É MUITA CANALHICE E OPORTUNISMO!!!!! Quantos do seu partido apoiam essas bandeiras??? Com quantos senadores, deputados, prefeitos, vereadores, membros do diretório nacional do pmdb ele pode contar??? Requião está de brincadeira, não posso levá-lo a sério. Primeiro, com essas bandeiras, se quiser ser levado a sério, tem que sair do PMDB, mudar de time. Fica no PMDB, partido que mais dificulta as ações do Governo Popular, e critica Dilma e seu governo???? É muito oportunismo, não pode ser levado a sério.

Responder

    José Stefanini

    07 de julho de 2013 às 12h46

    Não interessa que Requião seja do PMDB. Além de seu discursos teve atos concretos quando foi governador do estado do Paraná. Dilma lutou contra a ditadura militar, foi do PDT de Brizola, é do PT de Lula e se acovardou no governo. Quase não mostra as caras, quase não tem discurso político. Deixou a mídia dominar o território e ainda a mantém financeiramente, principalmente a Globo que recebe do governo bilhões de reais anualmente (considerando também seus canais pagos, portal, rádios e jornal).
    Requião quando foi governador do Paraná teve a CORAGEM de cortar toda a verba publicitária estatal para a mídia, teve CORAGEM para cortar toda a verba publicitária estatal para a poderosa rede Globo. Teve também CORAGEM de cancelar as concessões das empresas de pedágio do estado do Paraná, acabando com sua cobrança, decisão de Requião que nosso elitista e canalha poder judiciário revogou, protegendo essas concessionárias e seus empresários em detrimento do povo do estado do Paraná.
    Ah, essa coragem a Dilma não teve, e agora ainda mais que perdeu o discurso (ou nunca teve), é que não terá.

    JOTACE

    07 de julho de 2013 às 19h01

    Caro José Stefanini,

    Falastes por todos aqueles que desejam um Brasil melhor, sem esfomeados nas cidades e nos campos, sem excluídos como os sem-terras que vivem quando muito em barracas, comendo poeira com seus filhos, enquanto ao lado deles viceja o agronegócio. Um Brasil que não ocupe, como o faz desde muitos anos, o segundo ou o primeiro lugar em número de leprosos. Um Brasil em que o governo não tenha ministros que compactuem com os criminosos da grande imprensa e outros igualmente vende-pátrias. Um Brasil cujo governo não tente mistificar o povo com a enganação de medidas circunstanciais empurrando com a barriga os problemas que asfixiam o povo. E, acima de tudo, pelos que querem um país soberano, comandado por governantes dignos do seu povo como o é o Senador REQUIÃO, e que respeitem o patrimônio nacional. Um abraço cordial do, Jotace

jaime

07 de julho de 2013 às 10h05

Muito boas as idéias do Requião, mas são justamente essas boas idéias que nunca terão visibilidade na nossa mídia. A mídia cuja liberdade tem que ser respeitada, lembram?
A não ser que Requião também queira fazer uma participaçãozinha na Ana Maria Braga.

Responder

    Leonardo Dantas

    08 de julho de 2013 às 00h06

    Então você acha que a maioria dos participantes das recentes manifestações é telespectadora da Ana Maria Braga ?????

ZePovinho

07 de julho de 2013 às 08h42

O Requião podia ter siso irônico,falando que deviam é privatizar o sistema financeiro pois ele já é estatizado.Vive do grande negócio da dívida pública da União:
Lista de bancos que vendem títulos da dívida pública

Dealers do Mercado Aberto – Período de 10/2/2013 a 31/7/2013

Relação de dealers: http://www4.bcb.gov.br/Pom/demab/dealers/rel_dealers_100213_310713.pdf

Relação de títulos dos dealers:
Referência Legal:
– Decisão-Conjunta nº 18, de 10/2/2010, e Atos Normativos Conjuntos ns. 28 e 29, ambos de 6/2/2013.

http://www4.bcb.gov.br/Pom/demab/dealers/tit_dealers_100213_310713.pdf

Dealers Top 5:

Instituições credenciadas a operar com o Demab e com a Codip
Ranking Top
5 de Ofertas Públicas
Período de avaliação: 10/2/2013 a 30/4/2013
Nome da instituição (*)
1º) Banco Bradesco S.A.
2º) Banco BTG Pactual S.A.
3º) HSBC Bank Brasil S.A. – Banco Múltiplo
4º) Banco Santander (Brasil) S.A.
5º) Itaú Unibanco S.A.
(*) Relacionaram-se as instituições em ordem decrescente de desempenho no fator de avaliação.
Referência legal:
Decisão-Conjunta nº 18, de 10/2/2010, e At

Responder

Ideraldo

07 de julho de 2013 às 03h02

Partindo de Requião do PMDB, o PT deve aproveitar a janela e promover a Reforma Agrária, a< Estatização dos Bancos, desconcentrar a mídia e outros. Mas só essas 03 proposições seriam um novo despertar para o Brasil.

Responder

José Eduardo

07 de julho de 2013 às 02h56

Até votaria nele não fosse o partido que representa!

Responder

Walter

07 de julho de 2013 às 00h23

Requião, presidente do Brasil.

Responder

    Luís CPPrudente

    07 de julho de 2013 às 11h36

    Se tivesse mais pessoas como o Requião no PMDB até que ía. Mas um só Requião não faz verão diante de Temer e outros.

    O setor nacionalista e progressista do PMDB tem que crescer e passar por cima do Temer.

    Willian

    07 de julho de 2013 às 15h50

    Teria menos de 1% dos votos. Tremendo Cacareco.

FrancoAtirador

07 de julho de 2013 às 00h19

.
.
Finalmente surge uma proposta iluminista

para retirar o Brasil da Idade Média,

do obscurantismo e da mediocridade,

e quem sabe conduzi-lo à Era Moderna.

Que do Caos faça-se a Luz da Democracia!
.
.

Responder

    JOTACE

    07 de julho de 2013 às 19h25

    FIAT LUX, caro Franco, no que me parece ser a última oportunidade para o Brasil que desejamos!


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!