VIOMUNDO

Diário da Resistência


Presença de Greta em Nova York carimba em Bolsonaro o papel de vilão do clima; Vaticano dispara míssil contra fake news amazônica
Reprodução de vídeo
Política

Presença de Greta em Nova York carimba em Bolsonaro o papel de vilão do clima; Vaticano dispara míssil contra fake news amazônica


20/09/2019 - 23h47

O Vaticano teve de recorrer a vídeo (acima) para desmentir o bolsonarismo

Da Redação, com vídeos e fotos das redes sociais

Três milhões de pessoas em três mil cidades de 160 países, calculam os organizadores. A campanha da adolescente sueca Greta Thunberg, 16 anos de idade, floresceu.

Foi a Terceira Greve do Clima, que atraiu manifestantes — especialmente adolescentes — às ruas para dizer que não existe planeta B, às vésperas da Cúpula de Ações Climáticas das Nações Unidas, marcada para acontecer segunda-feira, em Nova York.

O Brasil será representado na reunião pelo governador de Pernambuco, Paulo Câmara, que falará em nome do Consórcio Nordeste.

O governo Bolsonaro não foi convidado.

Na terça-feira, o presidente Jair Bolsonaro abre a Assembleia Geral das Nações Unidas com o filme queimado.

Os Estados Unidos são os maiores poluidores do planeta, produzindo 16,5 toneladas métricas de gás carbônico per capita em 2014, de acordo com o Banco Mundial.

A China produziu 7,5 toneladas per capita, contra apenas 2,6 do Brasil, que está abaixo da média mundial de 5,0.

Porém, se o Brasil não polui tanto, tem em seu território, na Amazônia, a capacidade de absorver gás carbônico indisponível em outras partes do globo.

É por isso que Bolsonaro ingressou nas últimas semanas na categoria de vilão do clima, ao lado de seu grande parceiro Donald Trump — segundo o qual, moinhos de vento causam câncer.

O plano paranoico do governo Bolsonaro para desenvolver uma região específica da Amazônia, no Pará, sem consultar as populações locais, é a mais recente demonstração da enorme distância entre setores da caserna que produziram Bolsonaro e a realidade.

Nem parece que a ditadura militar acabou. Bolsonaro está tentando enfiar o plano goela abaixo dos brasileiros através do apoio de empresários locais, de acordo com denúncia do Intercept Brasil.

O plano foi gestado sob o comando do coronel reformado Raimundo César Calderaro e considera indígenas, quilombolas, ambientalistas, ONGs, jornalistas e imigrantes chineses que vivem no Suriname como ameaças à integridade física do Brasil.

“Eles” estariam dispostos a relativizar a soberania brasileira sobre a região ou a impedir o desenvolvimento local a qualquer custo.

Ah, faltou falar da Igreja Católica.

Nas redes sociais, bolsonaristas dizem que o Sínodo dos Bispos sobre a Amazônia, que acontece de 6 a 27 de outubro, no Vaticano, será um passo para formar um país independente na região.

Com os robôs funcionando a todo vapor para espalhar a mentira, o Vaticano tomou a decisão extraordinária de fazer um desmentido formal, em vídeo (veja acima): “Piada”.

Greta participou da Greve do Clima em Nova York. A figura física dela e a mobilização de milhões de adolescentes fará aumentar o contraste com o discurso atrasado e anticiência do líder brasileiro.

Jair Bolsonaro não deve encontrar a nova líder ambientalista durante a viagem aos Estados Unidos.

Vai jantar com o colega Donald Trump.

Faz todo sentido.

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Antônio Sérgio Neves de Azevedo

21 de setembro de 2019 às 13h44

MUDANÇAS DO CLIMA

As mudanças do clima que atingem as mais diferentes regiões do Planeta Terra, como a passagem da tempestade solapante por Curitiba/Pr ou mais recentemente o ciclone Idai que passou por Moçambique, Zimbábue e Malauí no continente africano ocasionando milhares de mortes e desaparecidos; as chuvas torrenciais no Rio de Janeiro e São Paulo; a erupção vulcânica na Guatemala; na Indonésia com a erupção do Anak Krakatoa que provocou terremotos com tsunami; o tufão no Japão e na China; furacão nos EUA (estado do Alabama); tornado em Itaperuçu no Paraná-Brasil – todos esses acontecimentos não são eventos isolados e, estão sim, concatenados numa sequência de fatores que ultrapassam o fenômeno do efeito estufa e repercutem em terríveis mudanças climáticas localizadas, produzindo catástrofes ambientais imprevisíveis e sem precedentes. Aliás, o efeito estufa é um fenômeno natural e necessário para manter a vida em uma temperatura segura para a Terra, inclui-se gases em quantidades ideais como o CO2, metano, óxidos de azoto, ozônio dentre outros presentes na atmosfera. Entretanto, o problema urgente é o aumento descontrolado do dióxido de carbono (CO2) na atmosfera, devido ao desmatamento e à queima de florestas, de carvão, de petróleo, de gás natural e de outros combustíveis fósseis. Nesse sentido, não comporta nenhum engano em afirmar que a espécie humana está passando por um grande desafio em sua existência, principalmente porque as catástrofes ambientais, devido ao acúmulo descontrolado de CO2 na atmosfera, serão cada vez mais terríveis e sem previsão matemática de modelos do clima: desabrigando, inundando, sufocando e ceifando preciosas vidas humanas. Dessa forma, num cenário ambiental caótico, catastrófico e irreversível serve de alerta o profético filme o “Planeta dos Macacos”, do original de 1968, em que o astronauta Taylor encenado pelo ator Charlton Heston, sobrevivente de uma missão espacial, aterrisa em um planeta similar a Terra, quando em um determinado momento do filme, este cavalgando pelas areias de uma praia avista os destroços da famosa Estátua da Liberdade (Nova Iorque, EUA) e descobre para o seu espanto que está no mesmo planeta Terra mas do futuro, dominado por uma espécie de símio que escraviza seres humanos – estes são mudos; aqueles, falantes. Imediatamente vem à cabeça do astronauta um insight: os humanos se destruíram! O filme é enigmático e possui um cenário futurístico e alarmante. Nesse sentido, para evitar que a ficção vire realidade, é preciso desconstruir o discurso fantasioso, sem base científica, vazio, incauto, superficial, epidérmico, demagógico e “nonsense” de algumas autoridades e agentes políticos: vide as notícias propaladas pela mídia escrita e falada da entrevista do atual Ministro do Meio Ambiente num programa televisivo, este desconhece por completo quem foi Chico Mendes (ativista ambiental brasileiro que doou sua vida pela causa ambiental; assassinado por um fazendeiro e seu filho; posteriormente condenados pela Justiça local) e por consequência, parece não conhecer, por dedução lógica, as atribuições do ICMBio – Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, órgão este, que executa as políticas ambientais e é integrado ao Sistema Nacional do Meio Ambiente (SISNAMA), por fim, filiado ao órgão central que é o Ministério do Meio Ambiente, do qual ele é o chefe) em nível nacional e internacional que propalam na mídia escrita e falada que as mudanças climáticas são fruto de teorias conspiratórias. Ora, a situação atual do clima global é gravíssima. Tentativas de minimizar essa realidade por meio de um discurso simples, falacioso e demagógico que carece de total credibilidade é ser cúmplice, omisso e participante da destruição do meio ambiente, bem como, contribui enormemente para o desaparecimento de muitas espécies da fauna e da flora, além do mais, empurra, inevitavelmente a espécie humana para a beira do precipício, numa possível extinção em um futuro não muito distante.

ANTONIO SERGIO NEVES DE AZEVEDO – estudante, Curitiba – Paraná.

Responder

Antônio Sérgio Neves de Azevedo

21 de setembro de 2019 às 13h42

AQUECIMENTO GLOBAL

A entropia – grandeza termodinâmica que mensura o grau de irreversibilidade de um sistema físico, ensina: um imenso bloco de gelo desprendeu-se do continente gelado da Antártida, outro da calota polar da Gronelândia; mais um degelo das placas do Ártico, das montanhas do Himalaia, do Alasca, da Cordilheira dos Andes com reflexos futuros na escassez e desabastecimento de água potável em Santiago, no Chile e em algumas comunidades ao pé das montanhas no Peru; no Equador com o derretimento dos reguladores hídricos – as geleiras de Carihuaiarazo, província da Chimborazo e de Iliniza sul, entre as províncias de Pichincha e Cotopaxi, também corre o mesmo risco. Esses fatos são apenas mais um acontecimento termodinâmico decorrente do aquecimento global. Porém, o pior pode ainda estar por vir, como dizia a banda Legião Urbana numa belíssima letra da canção “Índios” – “o futuro não é mais como era antigamente”. Tudo indica que virão outros e mais outros icebergs; continuarão a derreter outras e mais outras geleiras, aumentando assim, num breve intervalo de tempo, o nível dos oceanos e o desaparecimento do gelo das montanhas, prejudicando a regulação hídrica do fornecimento de água para as cidades do entorno das montanhas. Ainda que, sob o ponto de vista da física teórica a tese do resfriamento global prevaleça em função do esgotanento do combustível nuclear (transformação do hidrogênio em hélio) da Estrela Sol devido ao seu estágio evolutivo em que se encontra – diagrama HR (Hertzprung e Russel) que representa a relação entre a sua temperatura e a sua luminosidade. O planeta Terra, solitário em abrigar vida inteligente na imensidão do cosmos e isolado num canto da Via Láctea está “ferrado” e por hora aquecendo. O desafio imediato para a humanidade é reduzir as emissões de CO2 e conter o seu acúmulo na atmosfera, além disso, caso a vida no planeta fique inviabilizada com o passar dos anos devido a crescente dos índices de dióxido de carbono, a colonização do espaço deve ser iniciada imediatamente através de projetos espaciais que objetivem a construção, instalação e aparelhamento provisório de uma base na Lua (satélite natural da Terra); daí para o povoamento do Planeta Marte será um “pulo”, em seguida uma base em Europa (Lua do planeta Júpiter) e Encélado (Lua de Saturno), e num futuro não muito distante a espécie humana estará fazendo viagens intergalácticas rotineiras ao Campo Profundo e Ultra Profundo do Universo. Bom, oxalá haja tempo para a humanidade realizar todas essas conquistas!

ANTONIO SÉRGIO NEVES DE AZEVEDO – estudante – Curitiba.

Responder

Zé Maria

21 de setembro de 2019 às 01h59

“When haters go after your looks and differences,
it means they have nowhere left to go.
And then you know you’re winning!”
“I have Aspergers and that means
I’m sometimes a bit different from the norm.
And – given the right circumstances-
being different is a superpower.”

https://twitter.com/GretaThunberg/status/1167916177927991296

Responder

    Zé Maria

    21 de setembro de 2019 às 17h14

    Frase para estes tempos de Autômatos
    Despejando Ódio e Violência pelo Mundo:

    “Dadas as atuais circunstâncias,
    ser diferente é um Superpoder”
    Greta Thunberg

Zé Maria

21 de setembro de 2019 às 01h24

https://twitter.com/i/status/1175063725361029120

A Insanidade tomou o Poder no braZil.

Responder

Zé Maria

21 de setembro de 2019 às 00h54

https://pbs.twimg.com/media/EE7rx97XsAAUQbG.jpg

Documentos e áudios (*) inéditos mostram plano de Bolsonaro
para ‘povoar’ Amazônia https://t.co/HGAVPtSxY1

Proposta avança na mão de militares que avaliam
ONGs e Igreja Católica como instrumentos internacionais
contra a soberania nacional

Reportagem publicada nesta sexta-feira (20) no The Intercept
Brasil (**) em parceria com a Open Democracy revela a estratégia
do governo Bolsonaro em retomar o projeto de ocupação
na Amazônia idealizado pelos militares durante o período
da ditadura (1964-1985).

Áudio 1: *(https://youtu.be/yqbMPOMDKok)
Áudio 2: *(https://youtu.be/eR-wvQ7kOkc)
**(https://interc.pt/31D0mRU)

https://twitter.com/luisnassif/status/1175135800629051394
https://twitter.com/TheInterceptBr/status/1174882730187866113
https://jornalggn.com.br/politica/documentos-e-audios-ineditos-mostram-plano-de-bolsonaro-para-povoar-amazonia/

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.