VIOMUNDO

Diário da Resistência


Paulo Moreira Leite: Que medidas amargas Aécio e Eduardo pretendem tomar?
Política

Paulo Moreira Leite: Que medidas amargas Aécio e Eduardo pretendem tomar?


06/04/2014 - 20h23

IMPOPULARES E AMARGOS EM 2014

O espantoso, na campanha, é que candidatos falam em medidas que prejudicam a maioria dos eleitores e nada acontece

por Paulo Moreira Leite, no seu blog

Só pode haver algo muito errado numa campanha eleitoral na qual um candidatos de oposição diz que não tem medo de tomar “medidas impopulares” e nada acontece.

Assessores de outro candidato de oposição, informa o Pedro Venceslau no Estado de S. Paulo de hoje, admitem em voz baixa que apoiam “medidas amargas.”

Vamos combinar.

Até por uma questão de respeito por cada um de nossos 100 milhões de eleitores, em especial a imensa maioria que é alvo de medidas impopulares e amargas, seria bom saber o que se quer dizer com isso.

Fazendo uma imagem para facilitar o entendimento, vou colocar a coisa em termos bem populares.

É como um sujeito que chega para jantar de luxo, avisa que dentro de alguns minutos pretendem passar na cozinha para bater a carteira dos empregados e nenhum convidado pergunta: como assim? Eles vão deixar?

Na lata? E ainda manda aviso prévio?

Quantos reais podem ser extraídas do bolso de cada brasileiro quando um governante pretende tomar medidas “impopulares?”

Quanto valem os “amargos?”

Este é o debate que importa, não?

Em situações normais, nossos New York Times, Guardian, CNN, El País, Le Monde não deixariam passar uma notícia dessas. Na disputar pelo olhar do público, teriam transformado uma afirmação dessas num escândalo.

Tenho certeza de que Adam Prezeworski, o brilhante cientista político que o PSDB adorava ler quando se considerava social-democrata, iria questionar: estamos abandonando a frágil mas necessária relação entre capitalismo e democracia?

Até por uma questão de etiqueta, no mundo inteiro políticos que defendem medidas “não-populares” gostam de disfarçar, dizendo que são na verdade “populares.”

Não é sincero mas é menos arrogante do que entrar numa campanha eleitoral dizendo que se pretende prejudicar a maioria.

Igual a isso é falar em medidas amargas quando faltam poucas semanas para a criançada ganhar os ovos de Páscoa, não é mesmo? No fundo, não espanta.

Um sorridente filósofo-economista em campanha já disse – longe, muito longe dos palanques — que acha que o país não pode conviver com um povo que come bife todo dia. É ruim para o meio ambiente, pretextou, pois gado solta gases para a camada de ozônio.

O cidadão comum – o “popular” que não estava naquele jantar de “impopulares”– , agora você começa a entender a coisa, tem direito a fazer perguntas. Diga rápido o que são medidas “impopulares” para 2015? Por exemplo:

a) o plano é acabar com a lei do salário mínimo?

b) revogar a CLT e informalizar o mercado de trabalho?

c) cortar gastos sociais, o que inclui, você sabe, o Bolsa Família?

d) cortar repasses a bancos oficiais que permitem manter crédito barato para investimentos e emprego?

O debate de política econômica na eleição de 2014 é este. O país vive o menor desemprego de sua história. A economia cresce. Sim. Não tivemos recessão – apesar da torcida impopular.

É preciso ser muito “não-popular” para encher a boca e dizer que “deu errado”, vamos combinar.

Qual a prioridade, para a maioria dos “populares”, num país onde a lei diz que um homem vale 1 voto?

É preciso devotar um desprezo impopular irresistível pela inteligência popular para querer apresentar uma boa folha corrida do PSDB na luta contra a inflação.

A média da inflação no governo FHC foi de 9,2% — depois da moeda nova. A de Lula, que recebeu uma inflação de 12,5%, foi de 5,7%. A de Dilma se encontra em 6,1%.

Em 1995, 1996, 1999 e 2002, a inflação atingiu sob FHC, um patamar que jamais seria repetido, em momento algum, após a chegada de Lula ao Planalto. Ocorreram perdas salariais, que não se verificaram a partir de 2002. Deu errado?

Esse debate distorcido acontece porque estamos em 2002, mais uma vez. Terror eleitoral programado, com ajuda de nossos News of the World. O terror deles funciona com a língua de significados invertidos, onde a verdade é seu oposto.

Você lembra. Em 2002, um economista do Goldman Sachs lançou o “lulômetro”, uma peça de marketing eleitoral disfarçada de cálculo econômico, que pretendia aterrorizar o eleitor com projeções sobre o futuro do país caso Luís Inácio Lula da Silva chegasse a presidência. Ajudou a criar pânico nas bolsas, deixou a classe média amedrontada, criando uma situação política que forçou Lula a fazer concessões além da conta para garantir o início de seu governo. Já vimos este filme. Dez anos depois do lulômetro, o  economista-chefe do mesmo Goldman Sachs disse para a revista Época Negócios que Lula foi o mais competente presidente dos países do G-20.

Os mais espertos impopulares-amargos de 2014 apostam em todas as canoas – não podem se dar ao luxo da imprudência por motivos ideológicos — mas não deixam de notar que uma delas anda na frente. Podem até ter suas preferências profundas mas querem ganhar o jogo de qualquer maneira, não importa o vitorioso. Em caso de derrota, querem colocar uma faca no pescoço de Dilma. Este é o ponto. Por isso falam tanto em mudar o “modelo.” A crítica se concentra em 2009, quando o país enfrentou a maior crise do capitalismo desde 1929 sem desemprego nem recessão. Dizem que o erro foi cometido ali e agora é preciso arrumar a casa. Não perdoam o esforço para resistir a austeridade, as demissões em massa, aos cortes que jogaram a Velha Europa no atoleiro de hoje.

Em 2014, o condomínio Lula-Dilma disputa – como favorito – o quarto mandato consecutivo no Planalto, um feito sem igual na história de nossa República. Não teve ajuda “im-popular” de ninguém.

Em momentos de delírio, os adversários sonharam até com um impeachment auxiliado por um barítono da Baixada Fluminense, não é mesmo? A base é o reconhecimento pelas conquistas que os “populares” obtiveram até aqui. O que se pretende é revogar, uma a uma, aquelas conquistas alinhavadas nos ítens “a” a “d.”

Foi assim há 50 anos, não custa lembrar. Num gesto de grande dignidade, o avô das medidas impopulares chamou de “canalhas” aqueles que pretendiam derrubar, pelas baionetas, um governo que não tomava medidas “impopulares.”

O avô do amargo recusou-se a entregar o cargo, foi para a cadeia depois discursar no rádio em defesa da “revolução pernambucana.”

Está na hora de garantir transparência política na campanha, concorda?

Leia também:

Datafolha: Dilma cai, mas seria reeleita no 1º turno; Aécio e Eduardo empacam

Serra prevê vitória de Aécio e busca vaga de comentarista de futebol





69 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

pap

09 de abril de 2014 às 14h36

Sugiro a esses 2 candidatos que primeiro eles apliquem as tais medidas a eles e seus familiares, conhecidos,amigos e puxa-sacos da elite brasileira.
A começar pelo coronel dudu campos, que poderia fazer voto de pobreza e jejuar. Quanto à Aécio Neves,deveria se recolher a sua casa e la ficar: iria ajudar mais o brasil quieto no seu canto!

Responder

ANDRE

09 de abril de 2014 às 02h10

fugindo do assunto,segue informaçao:
http://www.rodrigovianna.com.br/geral/entenda-o-aumento-da-energia-eletrica-tucanos-cobram-e-aneel-cede.html
Serviços públicos
Entenda o aumento da energia elétrica: tucanos cobram e ANEEL cede

publicada terça-feira, 08/04/2014 às 10:51 e atualizada terça-feira, 08/04/2014 às 10:51

Da Comunicação do MAB

Anualmente as 64 distribuidoras de energia elétricas espalhadas pelo Brasil solicitam à Agencia Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) o reajuste tarifário anual, ou seja, quanto podem aumentar as contas de luz da população. Após esse pedido, a ANEEL avalia os dados fornecidos por essas empresas e decide quanto de fato será esse reajuste.

As distribuidoras CEMAT (MT), CEMIG (MG), CPFL-PAUISTA (SP) e ENERSUL (MS) solicitam um aumento que pode chegar até 30 %.

O anúncio do reajuste destas quatro empresas distribuidoras será feito na próxima terça-feira (8).

Os lucros vão para os acionistas privados que não reinvestem esse dinheiro na infra-estrutura das redes de distribuição, o que gera uma energia elétrica de baixa qualidade.

Desde que se iniciaram as privatizações do setor elétrico durante o governo FHC as empresas privadas optam pela terceirização de seus funcionários a fim de baratear os custos de produção.

Há com isso a precarização do trabalho e um alto índice de mortes no setor. O quadro de funcionários diminuiu, o consumo aumentou e as tarifas dispararam.

Todas estas empresas que solicitam esse aumento à ANEEL possuem mais da metade do seu quadro de funcionários terceirizados, na qual a CPFL- PAULISTA atinge a porcentagem de 65% de seus funcionários terceirizados.

“O Movimentos dos Atingidos por Barragens considera a tentativa de aumento abusiva e rejeita qualquer aumento autorizado pela ANEEL.”, aponta o coordenador nacional do MAB Leonardo Maggi.

Essas quatro empresas atendem 20 % dos 62 milhões de consumidores residenciais.

São 13, 5 milhões de consumidores que poderão ver suas contas de luz aumentarem até 30 % ainda esse ano.

MAIS AUMENTOS PARA 2015

Além deste reajuste tarifário, o governo federal já anunciou um aumento previsto para após as eleições nas contas de luz. Entenda o GOLPE que deixará as contas de luz ainda mais caras em 2015:

Responder

Hell Back

08 de abril de 2014 às 21h49

Se na campanha já prometem que serão duros, imaginem quando forem governos. Será uma verdadeira ditadura.

Responder

Fabio Passos

08 de abril de 2014 às 20h38

Bonecos da banca!

aécio e eduardo.

Capachos do capital.
Lacaios das oligarquias financeiras.

Larápios que não tem pudor em roubar dos pobres para dar as ricos…

Quem tem apoio e/ou simpatia do PiG… não presta!

Responder

Mário SF Alves

08 de abril de 2014 às 17h47

Clube de Roma, PiG, Millenium, SPYstates, Aécio, FHC(b), Campos, Serra, Itaú e Silva, nove fora o povo, tudo a ver.

Responder

Mário SF Alves

08 de abril de 2014 às 15h13

“No entanto, pode ser que estejam apenas jogando pra fazer dobradinha com o PiG. Algo de tipo: atenção classe média, saiba que não teremos dificuldades com a mídia, pois tudo faremos conforme o entendimento do PiG.” Ou seja: de quatro pra os que desde 64 se escondem atrás do PiG.

É… medidas amargas, impopulares e, acrescentamos… obscenas.

Responder

Claudio Caires

08 de abril de 2014 às 14h15

Como sempre, boa reflexão com Paulo Moreira Leite. Mais uma para a mesa de bar.

Responder

Mário SF Alves

08 de abril de 2014 às 13h33

Essa vale (epa! Vale?!!) ressaltar:

“Sávio tem esperança de que a situação se inverta, mas ressalta que a pressão exercida sobre os vários setores do Estado e da sociedade é praticamente total.

“Aqui tá tudo dominado… Produzimos um Aécinho Malvadeza. A Assembleia [Legislativa] está de joelhos. Se o governador mandar pra cá um projeto revogando a Lei da Gravidade, a Assembleia aprova. A imprensa, comprada, sempre disposta a publicar os releases da Andréa Neves. O nosso Ministério Público não denuncia os mal-feitos do governo. E o Tribunal de Contas se converteu em um tribunal do faz de contas”, denuncia.”

Responder

Mário SF Alves

08 de abril de 2014 às 13h27

Maurício Corrêa de Araújo
“Se o Aécio se propõe abertamente a tomar medidas IMPOPULARES, e o Eduardo fala em tomar medidas AMARGAS…….e ao mesmo tempo são candidatos da oposição à presidência da república. Só posso concluir que ambos sabem algo que o povo Brasileiro não sabem que vai acontecer!!! Coisas que eles como vestais do caos e da venda dos ativos de nosso país para as grandes corporações internacionais estariam bastante interessados. Eles não são crianças. Tem estrategistas bem informados que trabalham ao seu lado. Se propõem medidas AMARGAS ou IMPOPULARES e acham que esse discurso vai lhes render algo é por que estão de acordo com a interrupção da democracia brasileira. Quem? como? e quando? vão acontecer coisas no Brasil que possibilite a nossa população preferir esses aprendizes de ditadores que libertarão as novas serpentes para sufocar a sociedade Brasileira. O que vem por aí? Um brutal ataque do sistema financeiro mundial ao Brasil? Um distúrbio em escala nacional, promovido pela CIA paralisando os transportes aéreos e de carga em plena copa do mundo? Uma rebelião popular em todo o Brasil, a R$150,00 por manifestante, incendiando, ônibus, carros, quebrando lojas, bancos, para isso formalizando uma aliança explicita com o crime organizado em todo o Brasil? Mortes “acidentais” de turistas estrangeiros antes, durante e depois da copa das copas, …..OU TUDO ISSO DE UMA VEZ SÓ!!!!
O QUE ESTARÃO ARMANDO ESSES MACACOS FÍ D’UMA ÉGUA?? – diria Lampião.”
_________________________
Pois é, Maurício, é essa a questão.

No entanto, pode ser que estejam apenas jogando pra fazer dobradinha com o PiG. Algo de tipo: atenção classe média, saiba que não teremos dificuldades com a mídia, pois tudo faremos conforme o entendimento do PiG.
______________________________________
E, por aí, já viu, né, virão com tudo, inclusive dissimulados atrás do velho e surrado biombo neoliberal e midiaticamente tão acalentado Superávit Primário! Daí pro retorno das “adoradas” missões do FMI será só um detalhe.

Responder

    Mário SF Alves

    08 de abril de 2014 às 13h39

    Epa! Refere-se aqui à classe média RENTISTA, não à outra. A outra, apesar de certos pesares e dos corvos lacerdistas que diuturnamente estão a lhe furar os olhos, vai indo muito bem, obrigado.

Danna Quixote

08 de abril de 2014 às 12h36

Comparado o desempenho na bolsa dos valores de ambas as empresas nos últimos 12 meses, as ações da Sabesp caíram 30%, três vezes mais que a queda da Petrobras no mesmo período.

(do Blog do Rovai)

Responder

Mário SF Alves

08 de abril de 2014 às 11h46

Ah, a República… Ah, Repúblicas… até quando irá prevalecer esse arranjo de compadres e comadres a serviço de megacorporações?

Até quando iremos tolerar o amargor dessa total e abjeta in-transparência “política” antirrepublicana?

Responder

    Mário SF Alves

    08 de abril de 2014 às 11h50

    https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-prn2/t1.0-9/s403x403/7312_450879388327314_1946819626.jpg

    Mário SF Alves

    08 de abril de 2014 às 12h02

    ______________________________

    Mário SF Alves

    08 de abril de 2014 às 12h12

    Pausa pra meditação:

    “Não reverenciam suas próprias vidas, mijam em suas vidas. As pessoas as cagam. Idiotas fodidos.
    Concentram-se demais em foder, cinema, dinheiro, família, foder. Suas mentes estão cheias de algodão. Engolem DEUS sem pensar, engolem o PAÍS sem pensar. Esquecem logo como pensar, deixam que os outros pensem por elas. Seus cérebros estão entupidos de algodão. São feios, falam feio, caminham feio. Toque para elas a maior música de todos os tempos e elas não conseguem ouvir.
    A maioria das mortes das pessoas é uma empulhação. Não sobra nada para morrer.”
    Fonte: http://papodehomem.com.br/bukowski-e-a-nova-modinha-das-redes-sociais/

Roberto Locatelli

08 de abril de 2014 às 02h39

O mais vergonhoso é que a mídia tucana NÃO PERGUNTA aos candidatos quais medidas são essas!

Que tal?

— Senador Aécio, diga quais são as “medidas impopulares” que o senhor pretende tomar. Ajude os eleitores a decidir.

— Candidato Eduardo Campos, diga quais são as “medidas amargas” que o senhor pretende tomar. Ajude os eleitores a votar de maneira consciente.

Responder

    Hell Back

    10 de abril de 2014 às 21h59

    A única coisa de “medidas amargas” que ele vai tomar, deve ser chá de losna ou absinto.

ANDRE

08 de abril de 2014 às 00h49

o que aecio fez em minas gerais:
Como o PSDB controla a mídia em Minas Gerais

A explicação para que o mensalão tucano e outros escândalos que envolvem políticos do partido não repercutam em Minas Gerais tem nome, segundo o deputado estadual Sávio Souza Cruz (PMDB-MG), líder do bloco Minas Sem Censura, na Assembleia Legislativa do Estado. Trata-se de Andréa Neves, irmã mais velha do senador Aécio Neves (PSDB-MG).

O parlamentar se refere a ela como a “Goebbels das Alterosas”, em uma clara alusão ao ministro da propaganda nazista, Joseph Goebbels, que exercia forte controle sobre os meios de comunicação da Alemanha.

De acordo com Sávio, Andréa comanda o controle à mídia mineira com mão-de-ferro, para evitar que o irmão e políticos aliados sejam atingidos por notícias desfavoráveis.

Formada em jornalismo pela PUC Rio, Andréa integra desde 2003, quando Aécio assumiu o Executivo, o Grupo Técnico de Comunicação do Governo de Minas Gerais. O núcleo estratégico reúne representantes de empresas públicas e dos órgãos da administração direta, responsáveis pelas áreas de comunicação.

O deputado oposicionista relata que a maioria das empresas privadas sediadas em Minas está concentrada nas áreas de mineração, siderurgia e metalurgia, e que estas normalmente não são grandes anunciantes na imprensa local. Isso confere ao governo mineiro poder e controle sobre a mídia, por ter peso decisivo como anunciante preferencial.

Tudo dominado

É por isso que escândalos como o do mensalão tucano quase não reverberam nas páginas dos noticiários locais. Ao ser anunciante de destaque, o governo cuida de abafar o que o desfavorece. O controle exercido por Andréa evita que em Minas os tucanos apareçam de forma negativa na mídia.

Sávio tem esperança de que a situação se inverta, mas ressalta que a pressão exercida sobre os vários setores do Estado e da sociedade é praticamente total.

“Aqui tá tudo dominado… Produzimos um Aécinho Malvadeza. A Assembleia [Legislativa] está de joelhos. Se o governador mandar pra cá um projeto revogando a Lei da Gravidade, a Assembleia aprova. A imprensa, comprada, sempre disposta a publicar os releases da Andréa Neves. O nosso Ministério Público não denuncia os mal-feitos do governo. E o Tribunal de Contas se converteu em um tribunal do faz de contas”, denuncia.

Rompendo o esquema

Quando foi secretário de Administração do governo Itamar Franco, Sávio orientou o governador a romper todos os contratos com as empresas do publicitário Marcos Valério.

Itamar sucedeu Eduardo Azeredo, hoje réu no processo do mensalão tucano, que aguarda julgamento. O esquema teria sido montado para garantir a reeleição de Azeredo, em 1998, com o desvio de dinheiro de estatais minerais para as empresas de Marcos Valério.

O publicitário foi recentemente condenado no STF por envolvimento com o mensalão do Partido dos Trabalhadores, o esquema de caixa dois que o Supremo entendeu ser voltado para comprar votos no Congresso.

Quando assumiu o cargo no governo Itamar, Sávio diz ter percebido que as agências de publicidade de Valério serviam de fachada para o desvio do dinheiro público que abasteceu o mensalão tucano.

Sávio Souza Cruz ressalta que não foi difícil chegar à conclusão.

É que agências de publicidade recém formadas, às quais ele se refere como “portinholas”, tiveram crescimento extraordinário em pouco tempo.

Cita outros indícios, como declarações do então presidente da Copasa, a Companhia de Saneamento de Minas Gerais, de que teria sido orientado a abastecer as empresas.

O deputado do bloco Minas Sem Censura destaca que quando Aécio Neves assumiu o governo do Estado, sucedendo Itamar Franco, deu um giro de 360 graus.

Os contratos com agências de publicidade, que haviam sido cancelados pelo antecessor, foram retomados.

Hoje o líder do bloco Minas Sem Censura critica a manobra que excluiu vários beneficiários do mensalão tucano dos processos que correm no STF e na Justiça estadual de Minas.

O senador do PSDB Aécio Neves foi um dos que se beneficiaram da decisão do Supremo Tribunal Federal.

Segundo o relatório da Polícia Federal, ele teria recebido R$ 110 mil no esquema de corrupção montado pelo partido.

Para o parlamentar, a pressão da sociedade é fundamental para que justiça seja feita no caso do mensalão tucano.

“Não tem nada mais injusto do que justiçar um lado”, afirma ao se referir à condenação dos réus no processo do mensalão petista.

Enquanto isso, o esquema original só deverá ser julgado no final de 2014 ou em 2015.

Ele espera que as redes sociais ajudem na cobrança por isonomia do STF.

Sávio exemplifica com o caso de Marcos Valério, operador dos dois esquemas de corrupção.

Por enquanto, foi condenado apenas na ação penal que envolveu representantes do Partido dos Trabalhadores.

“Fica essa situação para o Judiciário explicar”, frisa.

Segundo o deputado, o tratamento diferenciado do Supremo Tribunal Federal em relação aos dois mensalões se deve à influência exercida pelo PSDB sobre a mídia.

Casos parecidos são tratados com dois pesos, duas medidas, diz o peemedebista.

Sávio lamenta que outro esquema de corrupção promovido por tucanos de Minas Gerais não tenha resultado em punição, pelo menos até agora: o da Lista de Furnas.

O esquema, voltado para abastecer as campanhas do PSDB e do extinto PFL em 2002, teria tido início em 2000.

Dirigentes da estatal de energia elétrica Furnas são acusados de fazer pressão sobre fornecedores da empresa para arrancar doações que abasteceram o caixa de campanha.

A autenticidade da lista com a relação de doadores foi reconhecida em perícia da Polícia Federal.

Sávio não descarta a hipótese de que outro esquema de corrupção esteja em marcha em Minas Gerais.

Como não existe espaço para o contraditório na mídia do Estado fica muito difícil exercer a vigilância sobre quem governa, diz o líder do bloco Minas Sem Censura.

Responder

Giordano

08 de abril de 2014 às 00h08

É preciso reconhecer essa virtude da tucanalha. Eles não enganam ninguém! O petróleo vai pra Chevron, a Petrobrás pra TExaco. O Banco do Brasil e a Caixa vão pro Itaú. As migalhas que vão sobrar ficam com a ralé falida do empresariado tucano. Simples assim! Quem votar nesses trastes não vai poder reclamar depois. Já estão avisados.

Responder

    Mário SF Alves

    08 de abril de 2014 às 18h02

    https://fbcdn-sphotos-g-a.akamaihd.net/hphotos-ak-prn1/1011249_543340195703359_535846603_n.jpg

FrancoAtirador

07 de abril de 2014 às 23h19

.
.
Venenos Amargos:

Eduardo Cicuta

e Arsênio Neves.
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    07 de abril de 2014 às 23h24

    .
    .
    Mas, entre todos,

    o mais amargo

    é a Anilina Silva.

    (http://pt.wikipedia.org/wiki/Anilina)
    .
    .

Marat

07 de abril de 2014 às 23h19

A medida mais amarga de Aécio será trocar (durante um tempo) vinhos do porte de Romanée Conti, Barca Velha, Chateau Chasse-Spleen etc., por Champagne Brut.

Responder

MORTIMER

07 de abril de 2014 às 23h06

Se o cidadão brasileiro estiver com a 20ª ou 30ª prestação do carro em dia, pode colocar as ‘barbas’ de molho’ com Aécio Neves na presidência, ele vai ter que optar: pagar a prestação do carro ou fazer compras no supermercado! Quem viver, verá, se ele for eleito!

Responder

    Mário SF Alves

    08 de abril de 2014 às 11h39

    Sem tirar nem por uma vírgula sequer.
    _________________________
    E esse é o preço a ser pago se a central de redes de boatos, intrigas, difamações e do vale tudo [só] contra o PT nos fizer acreditar em “políticos” e em mídias que desde o malfadado 64 sempre viveram de frente pros SPYstates e de costas pro Brasil.
    __________________________________
    Dos quais, um, mais dissimulado e pretensamente mais moderno já se organiza não em partido, mas em rede. Rede, de rede social(?). Rede, de rede de computadores. Rede, de rede de robôs. Rede, de rede de aranhas.

    Este é itaunicamesmissimamente assim, enquanto outros, bom… deixa pra lá.

Mário SF Alves

07 de abril de 2014 às 22h35

Constituição Federal de 1988

Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.

Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos:

Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou DIRETAMENTE, nos termos desta Constituição.

_____________________________________
Ora, se todo O poder emana do povo…

Que poder é esse que anda emanando do povo?

https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-prn2/t1.0-9/s403x403/7312_450879388327314_1946819626_n.jpg

Responder

Regina Braga

07 de abril de 2014 às 22h28

Medidas impopulares…Contratação irregular de milhões para o serviço público ou reforma de suape….kkkk

Responder

José.gaspar Chemin

07 de abril de 2014 às 22h23

2 filhinhos do papai. nada mais!

Responder

renato

07 de abril de 2014 às 20h35

Obvio, será o aumento da energia elétrica.
Dirão que foi um erro de DILMA, e pelo que escutei de quatro tecnicos
numa comissão do Senado, por 3×1, a Dilma perdeu e feio..
Vão se esbanjar..os depoimentos são convencedores se não houver um bom contra ponto.

Responder

Francisco

07 de abril de 2014 às 19h19

De Gaulle disse da França, que era impossível governar um país com mais de 50 tipos de queijo.

Realmente, tem gente por ai que já está perdendo o chão pela empregada doméstica ter alternativa de vida e ter o filho estudando medicina na mesma sala de aula que o filho da patroa.

Imagina quando a patroa entrar no ginecologista e achar lá, como médico, o filho da enpregada… A oligarquia pira…

Responder

Ze Povinho

07 de abril de 2014 às 18h05

Quem disse esta pérola foi André Lara Resende,que segundo o Nassif ganhou 500 milhões de reais com informações privilegiadas na bolsa durante a implantação do Plano Real e no governo FHC:

“…Um sorridente filósofo-economista em campanha já disse – longe, muito longe dos palanques — que acha que o país não pode conviver com um povo que come bife todo dia. É ruim para o meio ambiente, pretextou, pois gado solta gases para a camada de ozônio”….

Tá vendo,Gerson Carneiro!!!Agora só rico pode soltar pum!!!!!!!!!!!

Responder

Papudão

07 de abril de 2014 às 16h51

Exato. Muito bem dito. Além disso, desejo reiterar que as denúncias contra o companheiro deputado mineiro André Vargas não passam de desespero daqueles políticos que o povo abomina e que sabem que serão derrotados nas próximas eleições. O povo sabe eleger!

Responder

    Sagarana

    07 de abril de 2014 às 22h15

    Mineiro não, paranaense. Xô!

Fabiano Araújo

07 de abril de 2014 às 16h21

As medidas impopulares (literalmente serão, principalmente contra as camadas mais humildes) provavelmente serão:
1) aumento da idade para aposentadoria, tal como FHC fez (eu por exemplo tive que trabalhar cinco anos mais para me aposentar)
2) aumento do fator previdenciário que confiscou uma parte da renda que o aposentado teria (no meu caso, a redução foi de cerca de 35%). O PSDB, portanto, é favorável ao CONFISCO de renda, exceto, claro quando proveniente de rendas financeiras e do grande capital.
3) redução, ou eliminação do salário mínimo. Quando FHC deixou o governo o salário mínimo equivalia a US$ 70, hoje equivale a pouco mais de US$ 300. ATENÇÃO APOSENTADOS! Não esqueçam que suas aposentadorias são referenciadas ao salário mínimo. Vocês querem que o salário mínimo retorne ao equivalente a US$ 70 ?
4) A proposta econômica do PSDB é seguir os mandamentos do FMI, que por sua vez se alinha com os interesses políticos e econômicos dos Estados Unidos. Esses mandamentos são parcialmente responsáveis pela “austeridade” (para a classe média e pobres) europeia, que produziu o desastre que todos conhecem. Possivelmente o PSDB e o PSB de Campos pretendem “espanholar” o Brasil. É sabido que graças a “austeridade” a Espanha tem hoje desemprego de cerca de 54% entre os jovens de 18 a 25 anos e quase 30% de desemprego entre a população em geral.

Responder

    Sagarana

    07 de abril de 2014 às 22h20

    A grande reforma da previdência foi feita por Lula, meu caro. Na base do mensalão. Fato!

    Nelson

    08 de abril de 2014 às 15h38

    “O resto vende quw é melhor para o povo”.

    O povo a que tu te referes, meu caro Sagarana, só pode ser aquele grupo restrito composto por algumas centenas ou mesmo uns poucos milhares que detém ou deterão ações das empresas privatizadas.

    Ao povão, a esmagadora maioria dos brasileiros, restarão preços e tarifas altíssimos a serem pagos por produtos e serviços meia-boca. Sem contar o rebaixamento da massa salarial, uma vez que qualquer privatização gera arrocho nos salários dos trabalhadores que permanecem nas empresas e corte de empregos.

    Por aí, podemos constatar como seria melhor para o povo brasileiro a venda de tudo o que é público/estatal, não é Sagarana?

    Roberto Locatelli

    08 de abril de 2014 às 07h26

    Exato, Fabiano, acho que essas são as principais medidas.

    Eu acrescentaria:

    — forte aumento do preço da gasolina, diesel e álcool;
    — forte aumento das tarifas de energia elétrica;
    — forte aumento da taxa básica de juros.

    E, com certeza, eles venderiam a Petrobras, o Banco do Brasil, a Caixa, o BNDES e o Banco Central aos EUA.

    Sagarana

    08 de abril de 2014 às 13h39

    Tira o Banco Central que faz paete do Estado. O resto vende quw é melhor para o povo. O povo que não participa das maracutaias, evidente.

Walter

07 de abril de 2014 às 16h06

E o PT ? Onde está o PT para questionar essas falas? Envolto em mais uma maracutaia ,no varejo doleirista do congresso nacional.
Em quem votar?
Eis a questão.

Responder

Teco

07 de abril de 2014 às 15h05

Esses dois tomarem algo amargo? Underberg talvez.

Responder

Dennis Rodrigues da Silva

07 de abril de 2014 às 15h03

Quem é o filósofo-economista?! Não pesquei…

Responder

    Dennis Rodrigues da Silva

    07 de abril de 2014 às 15h06

    Gianetti?!

Paulo

07 de abril de 2014 às 14h58

Faltou uma pergunta entre as a até d: vão retomar a tentativa de privatizar a Petrobras? Acho que a resposta dada para esta pergunta está na ressurreição do FHC como mentor coadjuvante da plataforma de Aecio Neves. Ele não precisa explicitar isso, pode manter escondido e, caso eleito, simplesmente levar a cabo o processo de privatização simplesmente dizendo que o povo a avalizou quando endossou nas urnas a sua eleição porque sabia que essa sempre foi a intenção do ex-presidente. Dinheiro para um mensalão nesse sentido certamente não faltará e não será denunciado pela mídia,
da mesma forma que aconteceu na alteração constitucional que permitiu a reeleição de FHC. E o fato de ressuscitarem também Arminio Fraga como futuro comandante da Economia e outro indício incontestável.

Responder

Urbano

07 de abril de 2014 às 13h39

Basta que se faça a retrospectiva de tudo que a ditadura, sarna, collor, e o danoso ferrando henriqueaux fizeram de ruim, some-se tudo e teremos o efeito devastador do que os netos trevosos, o aéreo never e o eduardo moita, terão a capacidade de fazer. Só muita burrice somada à lavagem cerebral para que se vote em qualquer um dos dois.

Responder

    Julio Silveira

    07 de abril de 2014 às 15h52

    De uma coisa pode ter certeza meu caro, aconteça o que acontecer e já está acontecendo, toda lavagem cerebral que essa mídia corporativa faz, camufladamente, defendendo a voz do patronato como também marcando disfarçadamente um contra ponto feroz com a classe trabalhadora assalariada, é de plena responsabilidade, ou irresponsabilidade, deste governo. Que para tentar agradar a esses grupos, que nunca se sentirão agradados, vindo esses agrados de quem vem, deste setor politico social da sociedade, se abstêm de aprofundar a democracia nos meios de comunicação nacional. Preferindo que tudo fique como está, mantendo-os nas mãos dessa meia duzia de oligarquias, detentoras das palavras, da voz e da verdade nos meios midiáticos, perpetuando também aí neste setor os vícios cartoriais do País.

    Urbano

    07 de abril de 2014 às 20h30

    Realmente, Silveira. Estamos engolindo dois pútridos sapos, que envergonham toda a Nação brasileira, com exceção das hienas coniventes. Uma é a condição ilesa com que vem se saindo os fascistas da ditadura assassina, situação essa que os encoraja inclusive de quererem voltar. E a outra é o trabalho covarde, inerente aos fascistas, que vem fazendo os donos do pig. Afora isso, e sabendo-se que há muito pra se fazer, mas temos que verificar que em doze anos foi construído um Brasil que nunca existiu antes. Outra coisa; a República é composta por três poderes e todo mundo sabe que dois deles mais atrapalham do que ajudam. Os dois sapos pútridos são decorrentes principalmente da inação destes dois. Agora, são exímios em engordar gastos e mandar a conta para o Executivo. Eu creio que a quantidade dos sapos referidos seja o dobro… Salvaguardando-se obviamente as exceções, que em termo de quantidade não são lá essas coisas toda, não.

    Urbano

    07 de abril de 2014 às 20h36

    No texto acima, em vez de ‘mas temos de verificar’, leia-se apenas ‘temos de verificar’.

    Mário SF Alves

    08 de abril de 2014 às 12h46

    Trocentos anos de condicionamento mental + 42 anos de lavagem cerebral + 08 anos de plena liberdade para a livre produção e divulgação de boato, calúnia e difamação a gente ia esperar o quê?

    Tá. E isso sem dizer na espetacularização midiática de linchamento político travestido de julgamento.

    Água mole em pedra dura, tanto bate até que… ou fura ou acaba a água.

    Em 64 a enxurrada de dinheiro dos SPYstates que escorreu junto à cachoeira de boato, calúnia e difamação foi tão violenta que a pedra não resistiu, furou. E agora?

    Haja bueiro!

    Urbano

    08 de abril de 2014 às 15h24

    Mário, o que o povo precisa fazer, e urgentemente, é mudar o foco da cobrança. A mania que temos há éons é de cobrar benesses e responsabilizar mazelas, nos dirigindo unicamente ao Poder Executivo, como se fosse todo o Governo. Temos que ir pra cima do Legislativo e do Judiciário, com unhas e dentes. O povo brasileiro é atraiçoado historicamente por esses dois poderes e, no entanto, jogamos toda a nossa ira no Executivo, que, essencialmente nesses últimos doze anos, é quem mais tem feito pelo Brasil e pelo povo em toda a nossa história.

    Mário SF Alves

    08 de abril de 2014 às 12h54

    “Uma é a condição ilesa com que vem se saindo os fascistas da ditadura assassina, situação essa que os encoraja inclusive de quererem voltar. E a outra é o trabalho covarde, inerente aos fascistas, que vem fazendo os donos do pig. Afora isso, e sabendo-se que há muito pra se fazer, mas temos que verificar que em doze anos foi construído um Brasil que nunca existiu antes. Outra coisa; a República é composta por três poderes e todo mundo sabe que dois deles mais atrapalham do que ajudam. Os dois sapos pútridos são decorrentes principalmente da inação destes dois.”
    _________________________
    Aí, Urbano. Gostei disso. Essa foi que nem biotônico, sem contra indicações! Bom demais. Só não vê quem não quer ver!

Eunice

07 de abril de 2014 às 12h45

Uma semana antes da quebra da Argentina, Cavallo promoveu mais um ajuste fiscal e ganhou mais um elogio da S&P. Uma semana!

( e por isso Cavallo levou uns tabefes do público argentino quando apareceu numa feira de livros – após esse fato)

Responder

Julio Silveira

07 de abril de 2014 às 12h22

Certamente vão seguir a politica do FHC: arrocho salarial com pouca ou nenhuma possibilidade de aumentos salariais até o fim de um possível (espero impossível) mandato.
O trabalhador deve pensar bem e lembrar bem das restrições salariais, das restrições ao credito, das restrições para as classes medias e baixas terem acesso a consumo. Esses cidadãos aí, propunham a afirmação de uma sociedade de castas, onde o seus governos, para poucos, trabalham fortemente para quebrar a crista dos muitos que passaram a ser pelo menos respeitados. Já que aceitos, dentro dessa cultura que adotaram e que vem sendo mantida desde o passado, apesar das lutas, é difícil.

Responder

    Julio Silveira

    07 de abril de 2014 às 12h29

    Esqueci de lembrar também da entrega, ainda que camuflada, de nossa soberania, sob diversas formas, mas a mais emblemática, a assinatura do tal tratado de não proliferação nuclear. Em que somente os fracos, os entreguistas, e os sem visão, ou vocação para levarem o país a um protagonismo mundial aceitam.

    Mário SF Alves

    08 de abril de 2014 às 13h07

    E tudo isso em nome do… superrrrrrrrrrrrrrávit prrrrrrrrrrrrrimááááááááário¹.
    Medida amarga [mediante mais e mais ladainhas do PiG]: o retorno das saudosas missões do FMI esfregando cartilhas e impondo as regras do jogo pra economia brasileira.
    ________________________________________________

    ¹Saldo primário: é o resultado das contas públicas excluindo os juros. Esses recursos são usados para o pagamento dos juros e, quando superiores a eles, são usados para a quitação de parte das dívidas. Nesse caso, temos um exemplo de superávit nominal, o que tende a reduzir o montante da dívida pública.

    Impostos, tributos e lucros de estatais são algumas das principais receitas públicas. O pagamento de salários, manutenção de prédios públicos, investimentos em infra-estrutura, juros e gastos de custeio são as principais despesas públicas. O resultado entre essas receitas e despesas nem sempre é positivo, levando o governo a cobrir a diferença via emissão de divisas ou de moeda.

    A dívida pública, como qualquer empréstimo, gera obrigações de pagamento de juros, que variam de acordo com a modalidade contratada entre o credor (detentor dos títulos públicos) e o devedor (o Estado em suas diversas esferas). Para o pagamento desses juros, o devedor pode contratar mais dívida, ampliando o estoque dessa no mercado (artifício denominado “Rolagem” da dívida), bem como emitir moeda (gerando pressão inflacionária) ou ainda conter as despesas de forma a obter resultado positivo. Nesse último caso, há o chamado superávit primário, que pode ser (ou não) suficiente para cobrir todo o custo de juros referente à dívida do governo.
    Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Saldo_prim%C3%A1rio

gui

07 de abril de 2014 às 11h45

As medidas impopulares são claras. Estão nos jornalecos eleitoreiros da abril e nos panfletos oposicionistas de sampa. Afirmam em coro que existe populismo tarifário na política de Dilma Rousseff. Afirmam que as tarifas de energia elétrica, a água e os combustíveis estão defasadas propositadamente e que as estatais estão se desvalorizando (afirmar isso é colocar preço, já que quem não quer vender não se interessa pelo valor, somente pelo lucro e investimento no social). Então as medidas impopulares seriam elevação brutal das tarifas e preço dos combustíveis, além da venda(prefiro chamar de doação) da Petrobras, bancos (BB e CEF) e Eletrobras à Wall Street e seus lobos, para ampliar a remessa de lucros ao exterior. Seria interessante para europeus e americanos, em crise. Pergunte aos americanos se eles nos vendem as empresas estratégicas delles, os vendem à China ou Rússia. Vão te grampear na hora.
PetrobraX seria o golpe de mestre, verdadeiro xeque-mate que expulsaria o Brasil do grupo Brick’s que em vez de vender, estão comprando as empresas no primeiro mundo e explorando as populações das nações que logo serão ex-únicas ricas. Empurraria defeinitivamente o Brasil para inaugurar um grupo de países que o G7 já chama de Submergentes. Os ex-emergentes em crise enviando lucros extaórdinários para os Reis do Camarote gringos que vivem de renda e do suor dos brasileiros ignorantes, antinacionais vendidos e inocentes úteis. Um exemplo são as operadoras de telefonia gringas que exploram os brasileiros com as maiores tarifas do mundo e remetem lucros extraórdinários aos Rei dos Camarote gringos, que vivem do nosso suor e de renda fácil. Mas todo dia nasce um esperto e um… Aécio Never , o clássico Rei do Camarote. Luxo, ostentação e glamour para os ricos. Miséria, carestia e arrocho para os pobres.
http://glamurama.uol.com.br/olho-vivo-joao-doria-jr-recebe-cupula-do-psdb-em-jantar-em-sao-paulo/

http://jornalggn.com.br/noticia/industria-brasileira-paga-a-11%C2%AA-tarifa-de-energia-mais-cara-do-mundo
http://www.travessa.com.br/PRIVATIZE_JA_PARE_DE_ACREDITAR_EM_INTRIGAS_ELEITORAIS_E_ENTENDA_COMO_A_PRIVATIZACAO_FARA_DO_BRASIL_UM_PAIS_MELHOR/artigo/33468077-7d65-489f-866c-97d2aeb2b403

Responder

gui

07 de abril de 2014 às 11h43

As medidas impopulares são claras. Estão nos jornalecos eleitoreiros da abril e nos panfletos oposicionistas de sampa. Afirmam em coro que existe populismo tarifário na política de Dilma Rousseff. Afirmam que as tarifas de energia elétrica, a água e os combustíveis estão defasadas propositadamente e que as estatais estão se desvalorizando (afirmar isso é colocar preço, já que quem não quer vender não se interessa pelo valor, somemnte pelo lucro e investimento no social). Então as medidas impopulares seriam elevação brutal das tarifas e preçodos combustíveis, além da venda(prefiro chamar de doação) da Petrobras, bancos (BB e CEF) e Eeltrobras à Wall Street e seus lobos, para ampliar a remessa de lucros ao exterior. Seria interessante para europeus e americanos, em crise. Pergunte aos americanos se els nos vendes as empresas estratégicas delles, os vendem à China ou Rússia. Vão te grampear na hora.
PetrobraX seria o golpe de mestre, verdadeiro xeque-mate que expulsaria o Brasil do grupo Brick’s que em vez de vender, estão comprando as empresas no primeiro mundo e explorando as populações das nações que logo serão ex-únicas ricas. Empurraria defeinitivamente o Brasil para inaugurar um grupo de países que o G7 já chama de Submergentes. Os ex-emergentes em crise enviando lucros extaórdinários para os Reis do Camarote gringos que vivem de renda e do suor dos brasileiros ignorantes, antinacionais vendidos e inocentes úteis. Um exemplo são as operadoras de telefonia gringas que exploram os brasileiros com as maiores tarifas do mundo e remetem lucros extraórdinários aos Rei dos Camarote gringos, que vivem do nosso suor e de renda fácil. Mas todo dia nasce um esperto e um… Aécio Never , o clássico Rei do Camarote. Luxo, ostentação e glamour para os ricos. Miséria, carestia e arrocho para os pobres.
http://glamurama.uol.com.br/olho-vivo-joao-doria-jr-recebe-cupula-do-psdb-em-jantar-em-sao-paulo/

http://jornalggn.com.br/noticia/industria-brasileira-paga-a-11%C2%AA-tarifa-de-energia-mais-cara-do-mundo
http://www.travessa.com.br/PRIVATIZE_JA_PARE_DE_ACREDITAR_EM_INTRIGAS_ELEITORAIS_E_ENTENDA_COMO_A_PRIVATIZACAO_FARA_DO_BRASIL_UM_PAIS_MELHOR/artigo/33468077-7d65-489f-866c-97d2aeb2b403

Responder

Lucinda G Mariano

07 de abril de 2014 às 11h10

É puro desespero da oposição, que é muito incompetente, mesmo tendo a velha mídia malhando de maneira acintosa a Presidenta, não consegue avançar junto a população brasileira.

Responder

Nilson

07 de abril de 2014 às 10h57

Nossa oposição está morta. em 1964 os avôs Tancredo e Arraes defendiam as reformas. Os netos querem reformar para o Arminio Fraga os Mendonças.

Responder

Eunice

07 de abril de 2014 às 10h29

Ler Paul Krugman na Carta Capital. Muito bom.

Responder

Eunice

07 de abril de 2014 às 10h25

Os juros ao consumidor nos bancos públicos. O controle dos juros no varejo. Ninguém mais engole essa historia de juros altos contr a inflação. Não demora e descobriremos mais um Pallocci.

Responder

Eunice

07 de abril de 2014 às 10h22

Muito obrigada pelo texto! Estive a noite toda pensando nisso e também, “que tipo de compromisso os partidos de esquerda esperam de Dilma para apoiá-la no segundo turno? Esse compromisso é verbal ou assinado?
-de minha parte penso que ninguém deve apoiar uma presidente que não se comprometa com o salário mínimo, a queda do fator previdenciário.
-melhor gestão de previdência, com corte de incentivos para que os depositantes corram para a previdência privada, que não é aposentadoria coisa nenhuma. Se o governo não sabe administrar essa caixa sem blá, blá, blá, que me chame e faço isso de graça. É só administrar como uma caixa privada. Fazer incentivos e propaganda para que o povão se conscientize de que deve depositar é justamente aí no INSS e não nas privadas, pois é aí que o povão vai se aposentar, fiscalizar direito. Dar punições. etc etc. Com nível de administração atual não se pode mesmo pensar em aposentadorias. Mas é fácil resolver.
-o governo vai continuar permitindo que investimentos estaduais sejam feitos no fim da linha da degração humana, após dar lucro a muitos, ou vai administrar isso para que os investimentos sejam feitos quando ainda há salvação para os humanos (antes da cadeia, antes da queda, antes do analfabetismo, antes do desemprego)?
-o governo vai destinar 10% para a educação pública ou para a privada, inclusas as faculdades ixxperrtas, e prounis da vida eternamente, que também as beneficiam com recursos públicos?
-o MEC vai apenas destinar recursos ou vai mudar a grade e realmente educar a massa?

Responder

Gabriel Braga

07 de abril de 2014 às 09h41

Simplesmente brilhante.Parabéns pelo artigo PML.

Mas ao ler esse artigo e o discurso da (suposta) necessidade de medidas impopulares não dá pra não beter uma tristeza,pois a melhora que os pobres tiveram a partir de 2003 não se deu as custas dos interesses dos mais ricos e mesmo esses ganhos,ainda isuficientes tendo em vista nossa imensa dívida social,correm riscos.

Ou seja,mesmo todas as concessões feitas ao capital pelos governos petistas não foram suficientes.

Responder

Rogerio Carvalho

07 de abril de 2014 às 09h03

O silêncio do PT se assemelha a aquele time que acha que já ganhou antes de jogar. Está em campo de forma displicente ! Espero que estejam guardando “munição” para a campanha eleitoral ! Tomara !

Responder

Lamarca73

07 de abril de 2014 às 08h54

Azenha, uma pergunta: cadê a Marina na foto ???

https://twitter.com/baraodiario/status/453135289649614848/photo/1

Responder

Lukas

07 de abril de 2014 às 08h32

Aécio e Campos tem que fazer como o PT, mentir na campanha eleitoral.

Responder

    Marcilio Serrano

    07 de abril de 2014 às 14h34

    Lukas,

    Por favor seja menos infantilóide….quem mente??? Porque Aécio e Campos não falam a verdade que a intenção é promover arrocho salarial e aumento de impostos…o passado é bem recente ou seja 1998 pelos seus comentários talvez você não estivesse nem nascido, do contrário é pura má fé ou Síndrome de Estocolmo.

    Camile

    09 de abril de 2014 às 07h57

    Se ele não tinha nascido, eu já. Lembro bem de como eram as coisas antes do plano real. Aquele plano, que permitiu sair do buraco da inflação de 80% ao mês, destruía o povo. Promovida pelos que hj apoiam o PT.
    No que se refere a impostos, seria interessante consultar um advogado tributarista e entender melhor a bagunça que se tornou o sistema tributário nos últimos 10 anos.
    E por último, senhor, o que adianta medidas populares que viram manchetes em meios de comunicação em massa, e por “desatenção” gastar mais de um bilhão e trezentos mil numa usina avaliada em duzentos mil? Não acho isso muito popular, nem honesto.

    Aline C. Pavia

    09 de abril de 2014 às 11h57

    Não alimente trolhas.

Leandro_O

07 de abril de 2014 às 08h06

Uma coisa é inegável: ao menos eles se mantêm fieis ao discurso.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding