VIOMUNDO

Diário da Resistência


Política

O fascismo social e o silêncio conivente da esquerda


29/01/2012 - 16h06

Brasil: inimigo meu

por Túlio Muniz

Em Agosto de 2011, o Observatório da Imprensa publicou artigo de minha autoria, Por novos discursos midiáticos, no qual abordei o conceito de “fascismo social”, de Boaventura Santos, e adiantei o que chamo de Dispositivo Pós-Colonial, ou DPC.

Relembrando: o “fascismo social” é “um tipo de regime no qual predomina a lógica dos mercados financeiros em detrimento de grandes setores das populações, gradativamente distanciados e excluídos do campo de direitos sociais adquiridos nas últimas décadas. O risco, alerta Santos, é o da ingovernabilidade”.

Presente no Forum Social de Porto Alegre quando da expulsão dos moradores do Pinheirinho, Santos, ainda que não referisse diretamente ao seu próprio conceito, demonstrou como o “fascismo social” é presente na sociedade brasileira, e reafirmou a necessidade de se contrapor a ações como aquela, que, com o aval do Estado, beneficiam setores dominantes e opressores em detrimento do bem público e social (ver aqui).

O caso do Pinheirinho é grave e preocupante, e alinha-se a outros acontecimentos recentes de violência estatal. Entre outros, estão a carga da polícia militar contra estudantes em São Paulo (USP) e contra professores cearenses, ambos em 2011. Vale lembrar que, já neste ano, a polícia militar foi autorizada pelos governos do Espirítio Santo, do Piauí e de Pernambuco a carregar contra estudantes, em protestos contra reajustes do transporte coletivo.

Aqui há perigo. SP está nas mãos dos debilitados tucanos, do PSDB que há quase duas décadas se aliou à direita financista, mas CE, PI, PE e ES são estados governador pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB), o que demonstra que as cessões ao “fascismo social” não são exclusivos da direita, extravasaram também para a centro-esquerda, e às vezes com o silêncio conivente de partidos de esquerda.

Nos meio de comunicação convencionais, as abordagens críticas ao “fascimo social”, permanecem restritas aos espaços já consolidados (revista Carta Capital, Rede Record), com raras e bravas exceções, como a do jornalista Ricardo Boechat em seus comentários na Rádio Bandeirantes.

E eis que em meio ao caos ressurge com força o que outrora chamei de DPC, discursos e estratégias que os governos exercem sobre suas próprias populações, “impondo normas que visam tanto a justificar ocupações e dominação de territórios estrangeiros, quanto à imposição de determinações internas. Tais normas são geradas por governantes que necessitam coagir as populações nacionais e são sustentadas e difundidas pela mídia”.

A Rede Globo (não por acaso) permanece sendo o campo privilegiado de propagação do DPC. Se na TV aberta se esboça um certo pudor e contenção, estes se desnudam nos canais fechados da Globo, o que ficou patente em entrevistas recentes conduzidas por Monica Waldvogel.

Para além do bem e do mal, o DPC resulta no que se pretende, ou seja, coagir populações com discurso institucional legalista e higienista, conforme diz a Folha de S.Paulo de domingo, 29 de Janeiro: “Polícia na cracolândia é aprovada por 82% em SP”.

O que fazer nesse campo confuso, onde tanto o “fascismo social” quanto o DPC são gerados à esquerda e à direita? Talvez,  estar atentos para o que muitos  vem chamando de  período pós-institucionais, a eclosão de movimentos não necessariamente estruturados ou vinculados à organizações governamentais e não-governamentais (nesse sentido sugiro leitura de análise de [Emir] Sader, aqui).

Entretanto, permanece relevante o papel de pensadores que se inserem na mídia para tratar de casos que passam ao largo da “neutralidade” jornalística, e exemplo disso é o artigo “Razão, desrazão”, do sociólogo e filósofo Daniel Lins no jornal O POVO de 29 de Janeiro, acerca da violência estatal no Pinheirinho: “A exclusão da loucura emerge no domínio das instituições mediadas pelo enclausuramento psiquiátrico ou social. Exilado em sua diferença intratável, o destino do louco ou do pobre é o confinamento moral, social”.

No mesmo nível de importância no combate ao DPC, estão os sites e blogues no estilo do Observatório, e tantos outros (viomundo, conversaafiada, escrevinhador, luiznassif, cartamaior, etc). Estes, mais do que a mídia convencional, primam pela proximidade entre jornalismo e pensamento. Portanto, parece urgente e preciso, cada vez mais, reforçar e manter a aliança entre opinião e reflexão, esta arma poderosa que causa horror aos jornalões, às TVs e ao poder institucionalizado.

Pinheirinho, polícia contra estudantes e professores, magistrados nababos, prédios desabando, mídia sem regulação. O Brasil, definitivamente, não precisa de inimigos externos.

*Túlio Muniz é jornalista, historiador e doutor em Sociologia pelo Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra.

PS do Viomundo: Não há combate possível ao fascismo social sem democratização da mídia; mídia concentrada, ascensão social despolitizada — calcada no consumismo — e governo por pesquisas de opinião são ingredientes essenciais para fomentar o “discurso da ordem”, que existe para bloquear a expansão dos direitos sociais.

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



127 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

sociusnonsense

02 de fevereiro de 2012 às 04h05

Excelente argumentação e apropriação global do problema. Ótimo texto inclusive para ser trabalhado em sala de aula. Obrigado. (http://sociusnonsense.wordpress.com)

Responder

antonio carlos

31 de janeiro de 2012 às 16h46

E constitucional o direito a propriedade, aquela area nunca deveria ter sido invadida, o que aconteceu foi consequencia dos atos políticos de administradores como sempre irresponsáveis. Se dermos amplitude a isso daqui a pouco estaram invadindo as casas de quem paga seus impostos. Alguem ter que falar que a população tem que diminuir, o indivídui ñ tem recursos pra viver e ainda coloca filho no mundo. Aplausos a justiça e a PM.

Responder

Orlando

31 de janeiro de 2012 às 13h36

Discurso da ordem não é exclusividade de direita ou esquerda. É inerente ao conceito de Estado.

Responder

Filipe Rodrigues

31 de janeiro de 2012 às 10h34

Esses bobocas da esquerda só sabem falar de Belo Monte, como ocorreu no Fórum Social Mundial.
Não vejo críticas a vergonhosa concessão dos aeroportos que o governo quer promover, com dinheiro público (BNDES) e desnacionalização (participação estrangeira).

Responder

    Tiago

    12 de fevereiro de 2013 às 20h51

    Essa galerinha de “esquerda” é a esquerda mais capitalista e hipócrita que já vi.

FranX

31 de janeiro de 2012 às 08h58

Digite o texto aqui![youtube QoPH0KUtIRs&feature=player_embedded http://www.youtube.com/watch?v=QoPH0KUtIRs&feature=player_embedded youtube]

Responder

FranX

31 de janeiro de 2012 às 02h44

Digite o texto aqui![youtube QoPH0KUtIRs&feature=youtu.be http://www.youtube.com/watch?v=QoPH0KUtIRs&feature=youtu.be youtube]

Responder

ZePovinho

31 de janeiro de 2012 às 00h07

http://www.aepet.org.br/site/colunas/pagina/206/S

Serviços Privatizados: caos instalado e preços exorbitantes

Data: 30/01/2012
Fonte: Agência Petroleira de Notícias
Colunista: Emanuel Cancella

Um dia falta transporte e no outro falta luz. Para acabar com o caos instalado, só com os serviços essenciais e estratégicos sob a gestão de empresas estatais e públicas

Por Emanuel Cancella *

Faço parte do grupo de cidadãos que entende que os serviços essenciais e estratégicos devem ser estatais e públicos. A história tem mostrado isso.

A mídia é do partido do capital ou pertence ao capital, tanto faz. A verdade é que a mídia tem o poder de seduzir a sociedade com a história de que a iniciativa privada traz benefícios à população. Gostaria de ser informado onde a iniciativa privada é eficiente, onde fez os investimentos necessários e mantém serviços de excelência, com preços de tarifas razoáveis.

O que se vê no Brasil, é o Estado fazendo pesados investimentos com o dinheiro do contribuinte e depois entrega a obra pronta para a iniciativa privada. As estradas são construídas com o nosso dinheiro e depois entregues às operadoras, que cobram preços de pedágios inconcebíveis.

Aqui no Rio, os transportes (trem/metrô/barcas) operam em um verdadeiro caos. Na Ligth e no gás, como se não bastassem os serviços pífios, temos a explosão dos bueiros. No Rio, o jornal O Dia (de 25/1), destacou na primeira página: um dia é sem transporte e no outro sem luz. De excelência mesmo só os preços, para eles, pois para o povo são exorbitantes.

A população mais pobre tem se manifestado em todo o país contra o preço da tarifa dos transportes. No Rio, o governador Sérgio Cabral, além de autorizar o aumento da tarifa das barcas, concedeu um subsídio de 30 milhões (isso é dinheiro vivo na mão da concessionária). As barcas estão entre as piores prestadoras de serviços em transporte.

Os brasileiros já reprovaram as privatizações, que, diga-se de passagem, não resistem a uma investigação. Entretanto, não conseguimos implantar uma CPI para apurar o que hoje se conhece como “privataria”. Leia, para saber o que rolou nas privatizações, o livro “A Privataria Tucana”, do jornalista Amaury Ribeiro Junior.
Além de serem consideradas como ação entre amigos, os resultados da transferência do público para o privado são ridículos. Aliás, não é só a mídia que sustenta as privatizações, os governantes e grande parte dos políticos financiam suas campanhas com dinheiro dessas empresas.

Aqui no Rio, não conseguimos espaço na mídia para fazer esse tipo de crítica. A mídia critica de forma pontual, como se essas ocorrências nos serviços privatizados fossem uma coisa pontual. Apesar de derrotadas nas urnas por Lula e Dilma e nas ruas pela sociedade, as privatizações prosseguem, agora o governo Dilma, de forma contraditória, vai privatizar os aeroportos: Pasmem! Não vão privatizar todos os 67 aeroportos, somente os lucrativos!

* Emanuel Cancella é diretor do Sindipetro-RJ.

Responder

ZePovinho

30 de janeiro de 2012 às 23h27

O que deu no negão,Azenha???????????????????????????????????????????????????
http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMos

Obama cria unidade para investigar fraudes financeiras
Em uma decisão surpreendente, Obama nomeou o Procurador Geral de Nova York, Eric Schneiderman, como vice-presidente da Unidade de Investigação de Abusos na Securitização de Hipotecas. Schneiderman fazia parte da equipe de procuradores que estava negociando um acordo com os cinco maiores bancos do país, mas se opôs ao acordo por considerá-lo demasiado limitado e porque oferecia uma imunidade demasiado generosa diante de futuros processos por fraude financeira. O artigo é de Amy Goodman.
Amy Goodman – Democracy Now
No discurso anual do presidente ao Congresso, muitos tiveram a impressão de escutar ecos do antigo Barack Obama, aquele aspirante à presidência de 2007 e 2008. Uma das promessas populares de seu discurso foi um ataque contra os bancos considerados “muito grandes para quebrar”, que financiaram suas campanhas e para os quais trabalharam muitos de seus principais assessores. “Nós não voltaremos a resgatá-los”, prometeu.

O presidente Obama também fez um anúncio surpreendente que bem poderia ter sido redigido pela assembleia geral do Ocupa Wall Street: “Esta noite estou solicitando ao Procurador Geral que crie uma unidade especial de procuradores de alto nível para ampliar nossas investigações sobre os empréstimos abusivos e os pacotes de hipotecas de risco que provocaram a crise hipotecária. Esta nova unidade fará aqueles que infringiram a lei prestarem contas, acelerará a assistência aos proprietários endividados e ajudará a deixar para trás uma era de imprudência que prejudicou a tantos estadunidenses”…………………………….

Como diz o Azenha: SERÁ???????????????????????????????????????????????????????????????

Responder

mateus

30 de janeiro de 2012 às 22h36

Acho que da para resumir tudo isso que esta acontecendo, com um simples exemplo. Vamos resumir todo o Brasil a apenas um homem. Um garimpeiro.
O cara passa anos e anos se alimentando mal, pegando malaria, se contaminando com o mercúrio. Além de estar poluindo os rios. Daí um dia consegue achar uma boa quantidade de ouro. E o que ele faz? Gasta tudo de forma desenfreada e desorganizada. Ou seja, na farra. Mas porque isso? Porque ele não estudou, não se preparou para saber lidar o dinheiro. Não se preparou para resistir algumas tentações da vida. Junto, a falta de preparo do garimpeiro existe também aquelas pessoas, que nos momentos de bonança, se aproximam somente para aproveitar. Ficam ali incentivando o consumo desenfreado. Chamando para fazer aqui, festa ali. Com a desculpa de comemorar o achado. E o coitado do garimpeiro quando menos espera. Acaba o seu momento de gloria. Tudo que foi conquistado foi pro água abaixo. Por um simples despreparo de conhecimento.
Ou seja, a população Brasileira luta, consegue começar a melhorar de vida. Mas por uma simples inocência, perde tudo.
Ainda não perdeu. Mas se as mídias tradicionais continuarem dominando o mercado, se continuarem passando pra população as mesmas porcarias de sempre. Se as organizações sociais não agirem seriamente. Se não houver a democratização de mídia. Como esta no PS do Viomundo. Ai sim o Brasil vai perder.

Responder

Lucas

30 de janeiro de 2012 às 22h16

É bom lembrar que a volta do fascismo não é um fenômeno apenas brasileiro. Depois da Segunda Guerra as elites ocidentais deicidiram maneirar seu ódio à classe trabalhadora, e promoveram a passagem de algumas reformas sociais para acalmar as massas. Mas desde então o movimento se reverteu em todo mundo ocidental, com o surgimento do neoliberalismo.

Agora a regra é destruição dos direitos trabalhistas, e repressão a qualquer protesto. É só ver o que aconteceu com o Occupy nos EUA, com a revolta recente que houve no Reino Unido, e os golpes de estado na Itália e na Grécia.

O mundo caminha para tempos interessantes.

Responder

Bernardino

30 de janeiro de 2012 às 21h53

PS do Viomundo: Não há combate possível ao fascismo social sem democratização da mídia; mídia concentrada, ascensão social despolitizada — calcada no consumismo — e governo por pesquisas de opinião são ingredientes essenciais para fomentar o “discurso da ordem”, que existe para bloquear a expansão dos direitos sociais. Sintese perfeita do PS,porem ninguem no governo se mexe para produzir a lei dos medios.O que notamos é uma acomodaçao aos ditames do Mercado,tanto pelo PT quanto outros partidos ditos de Esquerda o que me leva a dizer: Farinhas do mesmo SAco,mofadas pela disputa do PODER

Gostou? Compartilhe.

Responder

    Fabio_Passos

    30 de janeiro de 2012 às 22h19

    Não dá mais prá esperar ações do governo e dos partidos políticos que deveriam representar a população sem voz na mídia.
    Preferem fazer conchavos e acordos secretos do que cumprir a constituição e democratizar os meios de comunicação.

    Organizações populares precisam se unir e promover manifestações políticas contra a rede globo e o restante das oligarquias midiáticas.
    Com muita ousadia, insistência e bom humor é possível enfrentar e quebrar a ditadura direitista da mídia no Brasil.

    Adilson

    01 de fevereiro de 2012 às 01h15

    Estamos juntos, Fábio… É isso aí, virá do povo!

Adilson

30 de janeiro de 2012 às 21h26

" Não há combate possível ao fascismo social sem democratização da mídia; mídia concentrada, ascensão social despolitizada — calcada no consumismo — e governo por pesquisas de opinião são ingredientes essenciais para fomentar o “discurso da ordem”, que existe para bloquear a expansão dos direitos sociais."

Azenha esse foi um dos melhores PS do Viomundo! De pleníssimo acordo.

Responder

    Fabio_Passos

    30 de janeiro de 2012 às 22h21

    DEMOCRATIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO

    Ótimas propostas que precisamos defender:

    [youtube 9e9kyOw8rUs http://www.youtube.com/watch?v=9e9kyOw8rUs youtube]

    Adilson

    01 de fevereiro de 2012 às 01h12

    Muito bom Fábio..Sempre pensei parecido com o prof. Hamilton: Os meios de comunicação no Brasil, são, na verdade, uma ferramenta super eficaz de difusão da ideologia da classe dominante.

Roberto Ribeiro

30 de janeiro de 2012 às 20h06

Juro, que antes de deixar o comentário anterior não tinha conhecimento do texto a seguir: http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/outros

Responder

Roberto Ribeiro

30 de janeiro de 2012 às 19h53

Independente da coloração ideológica, os governantes não pensam uma vez, se quer, em enfrentar problemas sociais com aparatos policiais e militares. No Complexo do Alemão, o Estado chegou com tanques e blindados à frente.

Responder

FrancoAtirador

30 de janeiro de 2012 às 19h26

.
.
FOTOGRAFIA 3X4
(Belchior)

Eu me lembro muito bem
do dia em que eu cheguei.
Jovem que desce do norte
p'ra cidade grande,
Os pés cansados e feridos
de andar légua tirana…
E lágrima nos olhos de ler o Pessoa
e de ver o verde da cana…

Em cada esquina que eu passava
um guarda me parava,
pedia os meus documentos e depois sorria,
examinando o três-por-quatro da fotografia
e estranhando o nome do lugar de onde eu vinha.

Pois o que pesa no norte,
pela lei da gravidade,
(disso Newton já sabia!)
Cai no sul, grande cidade:
São Paulo violento,
corre o Rio que me engana…
Copacabana, zona norte,
e os cabares da Lapa,
onde eu morei…

Mesmo vivendo assim,
não me esqueci de amar
que o homem é pra mulher
e o coração pra gente dar,
mas a mulher, a mulher que eu amei
não pode me seguir, não…

Esses casos de familia e de dinheiro
eu nunca entendi bem
Veloso, o sol não é tão bonito,
p'ra quem vem do norte
e vai viver na rua…

A noite fria me ensinou
a amar mais o meu dia
e pela dor eu descobri
o poder da alegria
e a certeza de que tenho coisas novas,
coisas novas pra dizer…

A minha história é, talvez,
é talvez igual a tua,
jovem que desceu do norte,
que no sul viveu na rua;
e que ficou desnorteado,
como é comum no seu tempo;
e que ficou desapontado,
como é comum no seu tempo;
e que ficou apaixonado e violento
como… como você…

Eu sou como você! Eu sou como você!
Eu sou como você, que me ouve agora!
Eu sou como você! Eu sou como você!
Eu sou como você, ê, ê…
Eu sou como você… Eu sou como você…
Eu sou como você…

[youtube KE4aDy9EIP4 http://www.youtube.com/watch?v=KE4aDy9EIP4 youtube]
Cenas do filme "Vidas Secas", baseado no livro de Graciliano Ramos.

Responder

    Renato

    30 de janeiro de 2012 às 22h50

    Como vale a pena rodar por este site. Belchior já estava com saudades. Muito bom para meu coração…

Luci

30 de janeiro de 2012 às 18h42

Para alcançar a paz necessária às sociedades civilizadas, é preciso considerar uma nova ordem mundial que se nos apresenta, não será mais o apego à economia, que indicará liderança mundial, será considerado país de primeiro mundo aqueles que garantirem a primazia dos Direitos Humanos a seus cidadãos. Exercer política privilegiando grupos é gestão arcaica e injusta.

Responder

Luiz Fortaleza

30 de janeiro de 2012 às 17h34

Cada um no seu quadrado…

Responder

Ana

30 de janeiro de 2012 às 17h16

Eis o poder. http://youtu.be/ig6rtauIn4g

O poder do Estado no uso da violência excessiva, contra uma comunidade em situação de vulnerabilidade em suas necessidades básicas para sobreviver, ordens que desrespeitaram o limite da legalidade e justiça. A desumanidade e crueldade para demonstrar o exercício de um poder que no mundo está sendo condenado por demonstrar cenas de terrorismo contra cidadãos brasileiros pobres e violar Direitos Humanos.

Responder

Robert

30 de janeiro de 2012 às 16h40

Como seria a situação do carioca se a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro entrarem em greve nesse momento?
Adeus mito da cidade capaz de sediar Copa do Mundo 2014 e Olimpíadas 2016?
Adeus o mito do rj bem governado e pacificado?

Ocorre que a imprensa carioca se cala e se omite sobre o descontentamento destas categorias

A greve é iminente

é o q sempre digo p/ os meus conhecidos
se quiser se informar sobre o rj
leia os jornais paulistas!!! http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1041077-bo

Com a palavra o sr. governador do rj, aquele q chamou de vagabundos os nossos bombeiros…

Responder

Robert

30 de janeiro de 2012 às 16h40

Fato atual e importantissimo para ser melhor debatido:

Como melhorar a situação da segurança publica carioca? O descontentamento das categorias de policiais e bombeiro do estado do rj é total

Em outros estados do brasil a greve de policiais ocorreu recentemente
Com PM em greve, Polícia Civil do Ceará também decide parar http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1029592-co

Inclusive pipocam aqui e ali boatos sobre uma greve da categoria no estado do RJ em fevereiro http://coturnocarioca.blogspot.com/2012/01/pmerj-

Responder

willforlife

30 de janeiro de 2012 às 16h30

Eu não sei como alguém como Monica Wadirvogel pode ser apresentadora de tv e ter credibilidade…é verdade que era boa apresentadora de telejornais, afinal faz tempo e uma voz levemente rouca, sua função era ler os prompts. hoje alguém muito sem noção a colocou na tv paga para defender o capitalismo selvagem bem como a mídia golpista além de menosprezar os interesses coletivos. resumindo, uma vulgar e insana.

Responder

AlceuCG

30 de janeiro de 2012 às 16h16

Continuação:
…E se não fosse o suficiente, ainda mencionou totalmente fora do contexto, o documento que um cidadão, salvo engano um juiz, no qual o dito cujo pedia ao então presidente LULA desapropriasse a área de Pinheirinho. Tal atitude foi uma tentativa óbvia de responsabilizar o LULA e seu governo por um crime praticado pelos tucanos. E assim foi durante todo o programa com suas manipulações e em nenhum momento ouviu o lado dos líderes dos moradores de Pinheirinho.
Como disse acima, foi triste, deprimente e decepcionante assistir a tal programa, vendo alguém que admiramos assumir tal atitude andrógina num assunto tão importante.

AlceuCG

Responder

AlceuCG

30 de janeiro de 2012 às 16h15

… Continuação:
Eu e outros milhares, talvez milhões como o próprio PHA informa, que frequentamos seu blog sempre vamos em busca de informações e opiniões progressista e inteligentemente analítica. Mas qual não foi a minha surpresa e decepção ao assistir a reportagem que o PHA , no Domingo Espetacular, fez sobre o crime praticado contra os habitantes do Pinheirinho; Ele somente entrevistou os representantes do governo tucano, tanto no executivo quanto no judiciário. Continua…
AlceuCG.

Responder

    Bruno

    31 de janeiro de 2012 às 14h56

    Interessante. Assisti ao mesmo programa mas a minha leitura foi diferente. Acho que o PHA contou com um mínimo de capacidade crítica dos telespectadores. por outro lado ele tem feito, no Conversa Afiada, uma ótima cobertura dos fatos relativos ao Pinheirinho.

Ana

30 de janeiro de 2012 às 16h14

"Tudo se discute neste mundo menos uma única coisa não se discute. Não se discute a democracia. A democracia está ai como se fôsse uma espécie santa no altar de quem já não se esperam milagres mas que está ai como uma referência, uma referência da democracia e, não se repara que a democracia que vivemos é uma democracia sequestrada, condicionada, amputada". José Saramago
http://youtu.be/m1nePkQAM4w
http://youtu.be/-UUB5DW_mnM

Responder

    Bruno

    31 de janeiro de 2012 às 14h59

    O pipoqueiro da esquina me falou que democracia é o governo do "demo". Começo a concordar que, de fato,é.

AlceuCG

30 de janeiro de 2012 às 16h14

Deve-se considerar também ambivalentes de bloguistas com prestígio, os quais em seus blogs adotam posições progressistas e críticas, mas quando comandam programas jornalísticos na grande mídia, principalmente na televisão, suas posições são patéticamente conservadoras e estão sempre a serviço do supracitado DPC. Como exemplo mais notório temos o Paulo Henrique Amorim, com seu blog Conversa Afiada e o programa Domingo Espetacular na TV Record. Continua…

Responder

Antonio Vianna

30 de janeiro de 2012 às 15h24

"silencio conivente da esquerda" , a serviço de quem aqueles que ao invés de explicar semeam a confusão. Direita envergonhada assim como o PSDB,.

Responder

Poder

30 de janeiro de 2012 às 15h13

Opus Dei e seu Poder: http://youtu.be/tLvnehOg5SI

Responder

Ana

30 de janeiro de 2012 às 14h49

O método do ataque surpresa é secular de Canudos a Palmares, Lanceiros Negros: O Massacre de Porongos. Lanceiros Negros. A ordem: "Poupe o Sangue dos meus" O ano de 2012 assinala os 168 anos do Combate de Porongos quando, às vésperas da concertação da paz, os intrépidos negros farroupilhas – Lanceiros Negros/ R.Gde do Sul) -, previamente desarmados por Davi Canabarro, foram atacados de surpresa e dizimados pelas tropas imperiais. Desde então, uma cortina de silêncio foi baixada sobre esse degradante episódio da guerra dos farrapos. _ _http://www.anovademocracia.com.br/no-48/1916-o-massacre-de-porongos-faz-164-anos

Responder

Julio Silveira

30 de janeiro de 2012 às 14h38

Essa percepção de que temos uma chamada "esquerda" inoperante é verdadeira. Primeiro por que aqui "esquerdas" são linhas de argumentos utilizados sómente no palanque a fim de se criar uma opção nova, sair do lugar comum. Comprovada a tese quando os aprovados pela cidadania, com esses discursos, pelo voto, sequer querem ousar atender os anseios populares produzindo reformas que honrem os discursos, sendo pertinentes. Nossa "esquerda" não é reformadora. Exceção tivemos em figuras como Getulio Vargas, João Goulart que ensaiou as chamadas reformas de base (uma necessidade de modernização premente nas estruturas do País, que mexia na forma oligárquica com que nossa Aristocracia o comandava, já tendo, inclusive, sido levada a efeito no país exemplar para todos os oligarcas que se pretendem modernos do Brasil, os States), encontrando grando resistência do Status Quo, que preferiram o maior de todos os crime, o constitucional, o golpe, ao respeito democratico da escolha popular. Tivemos sim no passado recente e até nem tão recente, cidadãos que se alinharam com o que pode se caracterizar por esquerda, como Prestes, que foi jogado no pensamento de esquerda por questionar o reacionarismo escravocrata dos Aristocratas, aqui chamados de direita. Mas que não se iludam, podem navegar em outros mares. Esses nunca pensaram o País, nem pretenderam um país rico, basta eles ricos. Mesmo sendo o pais fornecedor de mão de obra barata. Dupla vantagem, podem surfar sobre a plebe posando de generosos ao peso de algumas migalhas, enquanto mantem suas estruturas. Nossa "esquerda", a de hoje pode ser reflexo disso. Sabem o peso das nossas Oligarquias, e também do nosso povo, acostumado a alguma mão oligárquica a lhes adular a fronte, a sentirem-se com isso eternamente gratos. Sabem que a maioria está acostumada a manter o dorso para o porrete, que temos índole "elogiada" por não gostar de revide. Por isso estaremos fadados a sofrer outros pinheirinhos e a ouvir discursos de contrariedade demagica, fazendo de conta que ninguem sabe que possuem todo uma infraestrutura que o poder do voto lhes outorgou para que em seu nosso possam buscar reparos. Sem nos colocar sob o risco de alguma reação.

Responder

FrancoAtirador

30 de janeiro de 2012 às 14h00

.
.
CONHEÇO O MEU LUGAR
(Belchior)

O que é que pode fazer o homem comum
neste presente instante senão sangrar?
Tentar inaugurar a vida comovida,
inteiramente livre e triunfante?
O que é que eu posso fazer
com a minha juventude,
quando a máxima saúde,
hoje, é pretender usar a voz?
O que é que eu posso fazer
um simples cantador das coisas do porão?
(Deus fez os cães da rua pra morder vocês
que sob a luz da lua, os tratam como gente
– é claro! – a pontapés.)
Era uma vez um homem e seu tempo…
(Botas de sangue nas roupas de Lorca).
Olho de frente a cara do presente
e sei que vou ouvir a mesma história porca.
Não há motivo para festa: ora esta!
Eu não sei rir à toa!
Fique você com a mente positiva
que eu quero a voz ativa
(ela é que é uma boa!)
pois sou uma pessoa.
Esta é minha canoa: eu nela embarco.
Eu sou pessoa!
(A palavra "pessoa" hoje não soa bem
– pouco me importa!)
Não! Você não me impediu de ser feliz!
Nunca jamais bateu a porta em meu nariz!
Ninguém é gente!
Nordeste é uma ficção!
Nordeste nunca houve!
Não! Eu não sou do lugar dos esquecidos!
Não sou da nação dos condenados!
Não sou do sertão dos ofendidos!
Você sabe bem:
Conheço o meu lugar!

[youtube F8soEDclmpE http://www.youtube.com/watch?v=F8soEDclmpE youtube]

Responder

Xad Camomila

30 de janeiro de 2012 às 13h46

Gente! Olha só: GREVE DE FOME, em frente da sede da Globo, contra a criminalização de Pinheirinho:

"O militante Pedro Rios Leão, que esteve em Pinheirinho colhendo depoimentos dos moradores e registrando (veja o filme abaixo) as atrocidades cometidas pela PM de São Paulo e pela Guarda Municipal de São José dos Campos, iniciou neste domingo uma greve de fome em protesto contra a cobertura injusta que a rede Globo deu ao caso (…) Pedro, assim como nós (jornalistas da revista Vírus Planetário), está indignado com o fato de os assassinatos cometidos pela Guarda Municipal de São José dos Campos e pela Polícia Militar de São Paulo estarem sendo escondidos pelas autoridades e pela mídias coniventes, como a rede Globo, através de sua afiliada na região, TV Vanguarda. A Vanguarda foi a única autorizada a entrar em Pinheirinho no momento da invasão policial. “Espero que os jornalistas desse país (que eu sei que tem internet) em algum momento pensem ‘pô, aquele maluco lá fazendo greve de fome e eu calado em assassinato de criança por causa do meu emprego’ ” – desabafa o ativista."
http://rogeliocasado.blogspot.com/2012/01/greve-d

O documentário curta-metragem “Eu queria matar a presidenta: depoimentos da guerra civil brasileira” foi filmado por Pedro em Pinheirinho: http://youtu.be/Tj_zHrx7jcU

Responder

Rodrigo Leme

30 de janeiro de 2012 às 13h34

Pq o PT fica quieto? Pq faz igual:
http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/

E pq m,ovimentos socieis, blogueiros progressistas, secretários da presidência e afins ficam quietos com essa demonstração de desrepeito a famílias que ocupam terras?

Ah, adivinha, vai. Os motivos variam, mas a raiz é a mesma.

Responder

    Antonio Nunes

    30 de janeiro de 2012 às 14h21

    rapaz…

    assim vc vai acabar sendo bloqueado!

    rsrsrs

    kruguer

    30 de janeiro de 2012 às 19h27

    Aqui não é o blog reacionário da Veja do Reinaldo Azevedo e Augusto Nunes que só semeiam o ódio e o fascismo.
    Aqui tem espaço para o debate de alto nível , sem guerra partidária idiota que só leva a radicalismos e não trás nada de positivo para a busca de soluçoes para o futuro do brasil.

    pedro cavalcante

    30 de janeiro de 2012 às 21h16

    acaba não!
    se der pau no PSOL
    ai nem depende do
    humor do ceifador

    luiz pinheiro

    30 de janeiro de 2012 às 15h40

    Vejam só o que informa a reportagem: "Uma megaoperação do Comitê de Combate ao Uso Irregular do Solo do GDF removeu 70 famílias e destruiu 450 barracos de uma invasão em propriedade da Secretaria de Patrimônio da União (SPU), ocupado desde a última sexta-feira".
    O Rodrigo Leme compara uma pequena invasão, de menos de uma semana, em terras patrimônio da União, por sua importância ambiental, com o Pinheirinho, onde 1500 famílias viviam há oito anos num grande terreno urbano reclamado pelo megaespeculador Naji Nahas. É mole?
    A reportagem informa também que a SPU pediu ao Comitê para intervir, e a Delegacia do Meio Ambiente do DF (Dema) prendeu 29 pessoas, por crime ambiental.

    Yacov

    30 de janeiro de 2012 às 16h30

    Que piada essa comparação. É como comparar o pinscher com um Pit-Bul e dizder que todos são cães. O que é correto, guardadas as devidas proporções e o viés totalmente diverso das questões. Num dos casos houve invasão de terras do governo por meia dúzia de sem-terras que lutam pela reforma agrária, e que forma retirados de forma pacífica das terras, no outro houve a retirada de 1700 famílias, que eprderam seus pertences, debaixo de uma chuva de bombas, balas-de-borracaha, cães e cacetadas. não tem termo de comparação. VIVA A REFORMA AGRÀRIA!!

    "O BRASIL PARA TODOS não passa na glObo – O que passa na glObo é um braZil para TOLOS"

Ricardo Oliveira

30 de janeiro de 2012 às 13h10

Magistrados nababos, polícia corrupta, parlamentares que não representam o povo, mídia aliada dos mercados, mercados que governam, povo que vota. Vota ? Sim o povo vota, escolhe representantes que acredita trabalharão por ele. Essa é a farsa da democracia que Saramago definiu como democracia amputada. Ou em outras palavras, o pannis circense pós -moderno. Estamos assistindo a escalada da anomia, a situação onde se cria um estado no lugar do estado de direito. E o mais assustador é que o estado que ocupa o lugar do estado de direito é composto pelos poderes que deveriam defendê -lo, preservá-lo. Bem diferente das favelas do Rio , que tinham leis próprias criadas pelo narcotráfico. Hoje, os poderes , junto com a mídia se comparam ao narcotráfico das favelas cariocas. A República sofre um esfacelamento, criam -se agências reguladores que flutuam em uma suposta independência, que na prática trabalham para favorecer os intereses daqueles que que elas, as agências, deveriam fiscalizar, regular para o bem da população. O capital, através dos mercados esquizofrênicos, consegue criar uma modalidade de auto -governo, para bem poucos, lógico. Alguns pensadores acreditavam que o Anarquismo, como uma forma mais evoluída de governo , seria uma evolução do comunismo. E o que se vê ? Um anarquismo de mercado, que brota dos setores de direita mais radicais do planeta, que, aqui no Brasil, perigosamente ganha terreno com o apoio amplo, geral e irrestrito da mídia de longo alcance. Essa mídia, braço armado para formatação de consciências, endossa toda e qualquer violência executada pelo aparato do estado, constituindo-se como um palanque privilegiado para consolidação do anarquismo de mercado. E as esquerdas ? A maioria, hoje, no poder comporta-se como extensão da barbárie, cedendo ao neoliberalismo, o que em pouco anos pode , dependendo de mudanças conjunturais, serem transformadas no que são hoje os partidos de esquerda da Europa. Para aqueles que ainda estão erguendo estranhas catedrais ( como diz a canção do Chico em referência a resistência a ditadura) é fundamental e urgente colocar o governo federal na defensiva, através de pautas, reinvidicaçoes é ações objetivas que viabilizem a preservação do estado de direito democrático, o rompimento com o neoliberalismo e a construção de um socialismo ecológico.

Responder

Substantivo Plural » Blog Archive » O fascismo social e o silêncio conivente da esquerda

30 de janeiro de 2012 às 12h35

[…] Por Túlio Muniz NO VI O MUNDO […]

Responder

Guanabara

30 de janeiro de 2012 às 11h33

Muito bom artigo. E vejo essa questão do fascismo social como global.

Agora, a quantas anda a CPI da Privataria? Não podemos deixar esse assunto esfriar.

Responder

Marcelo de Matos

30 de janeiro de 2012 às 11h31

(parte 3) A população está pedindo a Deus uma intervenção policial. O PT, que pretende disputar a prefeitura de São Paulo deve consultar seu marqueteiro (o baiano João Santana?) sobre a conveniência ou não de sustentar o discurso dominante na blogosfera progressista. Esse discurso agrada aos pequenos partidos da esquerda, mas, esse pessoal não ganha eleição. Eu votei na Erundina para prefeita e ela ajudou na proliferação de favelas, fechou o “Minhocão” nos domingos e feriados, etc. Hoje eu não votaria nela. O Haddad está muito mal nas pesquisas e só melhorará um pouco se conseguir apoio de outros partidos, quiçá do Kassab. Se o PT ouvir os hermanos da esquerda e promover expurgos no partido e em possíveis coligações, será fragorosamente derrotado. No momento, com o discurso que, ao que parece, pretende sustentar, está caminhando sobre um campo minado.

Responder

Marcelo de Matos

30 de janeiro de 2012 às 11h30

(Parte 2) Como estamos fazendo um exercício de reflexão, pergunto o que a população prefere: bairros planejados, moradias populares ou manutenção de cracolândias intactas e proliferação de favelas? No governo Erundina houve invasão de uma grande área do INSS na Estrada das Lágrimas e não houve reintegração. O local virou uma enorme favela com casas comerciais na parte da Avenida. Ali ninguém paga imposto ou taxas, até onde eu sei. Parece que não é isso que os tão execrados (na blogosfera progressista) paulistanos desejam. Nem mais cracolândias, nem mais favelas. Pesquisa Datafolha aponta que 82% dos paulistanos aprovam a intervenção policial na Cracolândia. Em outros municípios paulistas a aprovação poderia chegar a número bem mais expressivo. No interior não há cracolândias, mas, existem moradores de rua viciados em crack. Uma menina de 16 anos pulou o muro de minha casa e furtou dois álbuns de CD através da grade da janela. Na vizinhança ela já furtou carteiras, celulares e roupas no varal.

Responder

Marcelo de Matos

30 de janeiro de 2012 às 11h30

(parte 1) “No mesmo nível de importância no combate ao DPC, estão os sites e blogues no estilo do Observatório, e tantos outros (viomundo, conversaafiada, escrevinhador, luiznassif, cartamaior, etc). Estes, mais do que a mídia convencional, primam pela proximidade entre jornalismo e pensamento. Portanto, parece urgente e preciso, cada vez mais, reforçar e manter a aliança entre opinião e reflexão”. My God! Politicamente eu não me alinho com Alberto Dines, Luiz Nassif, Paulo Henrique Amorim, Walter Fanganiello, Mino Carta, entre outros. Porém, já que estamos falando em “reflexão”, não custa fazer um exercício desse tipo. A juíza de São José foi muito sensata – pena que muitos não se deram ao trabalho de ouvir toda sua entrevista. Disse que fez reuniões com a prefeitura que pedia judicialmente a demolição das casas. Perguntou se havia a possibilidade de desapropriação e disseram que não havia dinheiro para isso. Então, a única solução seria cumprir a lei, embora eu já esteja ouvindo expressões como “justiça estamental-putrefata” e coisas desse jaez.

Responder

O fascismo social e o silêncio conivente da esquerda | OCOMPRIMIDO.COM

30 de janeiro de 2012 às 10h49

[…] Brasil: inimigo meu, por Túlio Muniz. Via Viomundo. […]

Responder

ZePovinho

30 de janeiro de 2012 às 10h17

A direita,no mundo inteiro,sempre foi socialista.Ou seja:sempre manteve as empresas que possui em relação direta com o Estado.
O problema é que hoje em dia(com a facilidade do meios de comunicação modernos) as pessoas estão trocando informações e percebendo que a direita quer o capitalismo só para ela.Só ela pode ter empresas com todas as benesses da relação priviiegiada com o Estado.Para o Zé Povinho,como eu,resta viver no mercado sem acesso ao crédito barato e sem poder fugir da tributação regressiva.
Voltei afiado,depois de um fim de semana em Mucuripe, Morvan!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Responder

    jaime

    30 de janeiro de 2012 às 13h17

    Caro ZePovinho, se esse comentário fosse uma escultura, seria a Pietá de Michelangelo. Mais do que perfeito.

    Marcos

    30 de janeiro de 2012 às 16h37

    Vc tem razão, quando no Brasil, poucos estudavam, a elite tinha disponível colégios públicos de qualidade (vide Pedro II no Rio de Janeiro). Quando a educação se generalizou, os ricos passaram a defender a privatização na educação. E se for ver, em linhas gerais é assim para tudo. A elite quer o socialismo, mas só para ela, porque tem certeza que o pirão não dá para todos.

    ZePovinho

    30 de janeiro de 2012 às 23h25

    Eles não querem concorrência,Marcos.Se você abrir sua empresa,vai ver a dificuldade que é.Aí você olha para um desses empresários da oligarquia e o cara levanta milhões no BNDES.
    Eu estava em Fortaleza justamente pensando nisso.Os pescadores do Mucuripe trazem o peixe e vendem baratinho na hora,além de preparar para você do jeito que quiseres.Usam barcos antigos.Poderiam ter equipamentos melhores com acesso ao crédito com juros pequenos,que é concedido apenas para os grandes empresários.Muitas vezes,empresta-se dinheiro público a juros de 1% para os bancos privados emprestarem esse dinheiro aos clientes com os juros lá na lua.
    O Banco do Nordeste,sede no Ceará,tem um papagaio de Tasso Tenho Jatinho Porque Posso Jereissati de centenas de milhões de reais.Nunca pagou.

    Morvan

    30 de janeiro de 2012 às 16h45

    Boa tarde.

    Concordo com o comentário do Jaime e ainda digo: voltou fazendo inveja, pois tive um desastroso final de semana (uma rinite daquelas que impedem até de sair da redinha e de pelo menos ir ao mercadinho).

    Obs.: o PS do ViOmundo também é um primor.

    :-)

    Morvan, Usuário Linux #433640.

    ZePovinho

    30 de janeiro de 2012 às 23h18

    Eu ali no Mucuripe,no Golden Tulip Iate Plaza,tomando aquela cervejinha e comendo peixe preparado pelos pescadores da cooperativa que eles tem ali.Eita Brasilzão rico,macho réi!!!

    Morvan

    30 de janeiro de 2012 às 23h52

    Boa noite.

    ZePovinho, isto aí é a vida. Não adianta inventar: comer um peixinho feito na maior simplicidade, "mordendo uma cerva", é idílio; vida mansa e panorâmica.

    E o Mucuripe é um oásis – um coral de gente bonita e radiante. Alegria de cearense.
    <img src="http://www.viagemdeferias.com/fortaleza/photos/mucuripe.jpg"&gt;

    :-)

    Morvan, Usuário Linux #433640.

Paulo P.

30 de janeiro de 2012 às 07h34

Governo Alckmin é condenado por racismo

O governo paulista foi condenado por disseminar o medo e a discriminação racial dentro de sala de aula. A decisão é do Tribunal de Justiça que deu uma “dura” no poder público e condenou o Estado a pagar indenização de R$ 54 mil a uma família negra. De acordo com a corte de Justiça, a escola deve ser um ambiente de pluralidade e não de intolerância racial. Continue lendo…
http://brasil247.com.br/pt/247/poder/38786/Govern

Responder

tiago tobias

30 de janeiro de 2012 às 04h03

Como eu disse, deixe o tucano piar. Não sinta raiva. É engraçado e grotesco ao mesmo tempo. Ele gosta de se mostrar como um cidadão de bem, pagador de impostos, católico, respeitador da ordem. Mas eu convivo com muita gente assim, na vida real e no facebook. É inacreditável: os argumentos, as ideias, as visões de mundo, são idênticas entre eles. Nem sabe o que pensam e porque pensam dessa forma. Suas ideias são pensadas por outrem, e é aí que reside o perigo. O que me preocupa não é o governo da Dilma Roussef. O que me preocupa é o que vem depois de 2014, ou uma política pós-PT, que apesar de tudo, ainda segura a peteca,freando a fúria da extrema-direita, que desde a campanha do Serra ano passado, viu que a tampa do esgoto estava aberta e se sentiu representada. O importante não é identificar o fascismo chucro, explícito, dos skinheads, dos Bolsonaros, de membros de grupinhos nazistas. O crucial é identificar esse fascismo sutil, aquele que se deixa aparecer no discurso. É o fascismo plantado por uma capa da Veja, por um comentário do Boris Casoy, por um comediante de stand-up, por um diálogo aparentemente inocente de uma novela, por um imbecil do CQC, por uma piada homofóbica, por um discurso “religioso”, pelo Manhattan Connection…

Responder

    Zé Carlos

    30 de janeiro de 2012 às 18h20

    O PT "segura" ou a militância apaixonada? Militância aliás que se acomodou na redes sociais e blogs(porque nas ruas , repito , não existe) e fica por aí discursando contra a direita , o PIG e defendendo qualquer coisa que venha do governo federal.

    Ora, é tão clara a ausência da "esquerda" na ruas que fatos como Pinheirinho chegam ao ponto que chegam e só foi vão ter algum movimento depois da coisa toda em andamento e da mídia divulgar. Como este são vários os exemplos.

    A "esquerda" só existe nos discursos das redes sociais. Isso é fato. E , curioso, fala uma língua totalmente diferente da que fala o governo. Mas nào explicam como aceitam tudo que venha dele numa bizarra contradição.

    Eu continuo achando tudo isso muito estranho, muito estranho.

    E a nova classe média está aí para não deixar dúvidas.

    E não, não é só o paulistano (aquele da capital) que tem a mente à direita. De modo algum.

    E o que foi feito para ao menos diminuir essa mentalidade nesses anos todos de governo que essa "esquerda" de internet não ousa cobrar em nada? Nada. Nada foi feito.

    E o governo sem saber o que fazer nesse sentido jogou a toalha faz tempo. só essa esquerda de internet insiste em aceitar tal realidade sem ao menos questionar.

    Não que isso tenha importância. Na verdade nenhuma. Tanto faz. As coisas são como são.

    No meu caso é apenas uma irritação pessoal quando leio discursos esquerdistas contra isso e aquilo, contra o tal PIG e etc. mas nada mais que discurso porque se esse governo que essa esquerda apoia nada fez , meus caros, é óbvio que vão ficar a vida toda repetindo o mesmo discurso. Um tanto cansativo para quem lê. Só e apenas só isso é minha irritação.

    Não cabe dizer que estou decepcionado ou que não sabia que isso seria assim porque confesso que sempre soube. Como disse , é apenas questão pessoal. Por óbvio que insisto nesse ponto tanto quanto os discursos que leio são repetitivos. Poderiam até não ser se viessem acompanhados de algum tipo, algum esboço de cobrança desse governo.

    No mais…Paciência.

    Só não podem é reclamar quando minha imaginação começa a tentar arranjar motivos para tamanha incoerência. hehe

    Bruno

    31 de janeiro de 2012 às 14h46

    Meu caro José Carlos
    Você acha que é pouca coisa UM MILHÃO DE POBRES NAS UNIVERSIDADES, VIA PROUNI?
    E sabia que os estudantes das cotas raciais e do PROUNI estão mostrando melhor desempenho que os oriundos das classes média e alta? Já pensou quando esses alunos bolsistas do Prouni,amanhã formados começarem a fazer concurso para serem juízes,fiscais de renda,professores universitários etc? Você está acompanhando o programa das 600 creches para cianças de 0 a 5 anos? Está acompanhando a expansão do ensino técnico e universitário? A instalação de 400 praças culturais e esportivas nos conjuntos habitacionais do PAC?
    Agora só falta o povo despertar e se organizar em movimentos que defendam os seus reais interesses. Está indo. Veja a Força Tarefa da CONDEPE descrita no Blog do Eduardo Guimarães.

    goya

    30 de janeiro de 2012 às 20h01

    Disse tudo Tobias…fascismo plantado pela midia vazia e hipócrita. É por isso que SP está assim.

tiago tobias

30 de janeiro de 2012 às 04h03

O engraçado desse "fascismo light", é que ele se manifesta no cotidiano, sem às vezes, não nos darmos conta. É uma piadinha de preto aqui, um comentário machista ali…Todos que vão contar uma piadinha de preto, antes de começarem, soltam "eu não sou racista, tá?" Toda frase que começa com esse alerta termina em merda.

É o fascismo sutil.

Peguemos o exemplo da sogra do meu irmão. Não citarei o nome dela e ela não tem facebook, nem blog, por isso, sinto-me a vontade para descrevê-la.

Tucana das bravas. Hoje, comecei a conversar com meu querido irmão sobre política, governo Dilma Roussef, crianças de rua etc. Concordamos que o governo Lula, melhorou um pouquinho a vida das pessoas, com programas sociais tímidos, mas que ao menos, garantiram um bife a mais no almoço dos brasileiros. Mas isso não é o principal. A sogra do meu irmão é da cidade de São Paulo. É o tipo paulistano que acha que seu Estado é a locomotiva do Brasil e o resto da nação é composta por índios canibais, nordestino ignorante e preto safado. Ela não diz isso literalmente. Como todo bom tucano, diz nas entrelinhas. O diálogo abaixo foi travado entre tucana raivosa e eu, enquanto degustava um delicioso pernil com arroz, maionese, farofa e uma cerveja gelada.

– Vocês falam do Serra, do Alckmin e do PSDB. O Alckmin é muito bom pra São Paulo. Nossas estradas são as melhores do Brasil.

– Eu sei. Mas estrada é parâmetro de qualidade de governo?

– Ele é muito bom pra gente, dá pra ver. Só ignorante não percebe.

Entre alterações de voz e de ânimo, causadas por algumas latas de Brahma, ela continuou.

– E aquele barbudo sem vergonha? O que ele deixou para o país? Êta homem ignorante.

Como se nota, o tucano, na ausência de argumentos começa a atacar a origem social do Lula e sua base de sustentação eleitoral, que é associada aos nordestinos (tidos como ignorantes, massa de manobra eleitoral, gente não esclarecida como nós, paulistas e sulistas, loiros e descendentes de europeus), sem levar em conta que na última campanha eleitoral, se fossem tirados os votos no nordeste e do norte, a candidata do PT teria vencido Nosferatu de qualquer jeito.

Quando se discute com um direitista raivoso, aprendi que não posso sentir raiva. Eu começo a sentir pena, pois sua argumentação mostra que a água que tucano bebe tem substâncias que fazem encolher o cérebro. Tomei mais um gole de cerveja e fiquei em silêncio, pois parece que contra a burrice, não há argumentos. Ela dá seguimento a sua tese de doutorado:

– Sabe qual é a solução pra isso? Castrar esses pobres que ficam fazendo filho. Dar injeção em todo mundo. Aí a coisa melhora.

O mais engraçado é botar lenha na fogueira. É deixar o tucano falar. Ele começa se mostrando um gentleman, respeitoso, moderno. Em menos de vinte minutos de conversa, torna-se um monstro. Seus argumentos são divididos da seguinte forma:

1º – Os tucanos dizem que o problema do Brasil é o Estado. É o tamanho do Estado. Vamos reduzi-lo.

2º – As privatizações foram um sucesso. Antes ninguém tinha celular. Hoje, até mendigo fala ao telefone.

3º – O Lula criou uma legião de vagabundos, que ficam recebendo Bolsa-Esmola e gastando dinheiro tomando cachaça no bar. Não se pode dar o peixe. Tem que dar a vara e ensinar a pescar (argumento corriqueiro entre os tucanos)

4º – Eu pago meus impostos.

5º – Cuba é uma ditadura horrorosa. Lá não se pode trocar de carro. (Que concepção de felicidade é a nossa, não?)

6º – Li na Veja que…

7º – O Brasil é o país dos petralhas.

8º – É difícil ser branco e hétero. Vivemos sob uma ditadura gay. (Essa eu ouvi recentemente de um tucano)

9º – As cotas dividem a sociedade. Imagina, o preto tem a mesma capacidade que o branco de entrar na Usp.

10º – Eu não sou racista, mas vou contar uma piadinha de preto…

Por último, o grand finale desse papo natalino, dessa aprazível discussão no almoço que tanto bem fez ao meu cérebro, veio da seguinte forma:

– Quer saber? Vocês vão me xingar, mas eu sou a favor da volta da ditadura. Naquela época, a polícia só corria atrás de criminoso. A polícia não corria atrás de mim. Ora, por que a polícia não corria atrás de mim? Porque eu não fazia nada errado. Eles mataram gente, sim, mas fizeram muito bem para o Brasil.

Responder

    Ana

    30 de janeiro de 2012 às 14h51

    Pois é contam estas piadas sentados em cima da ignorância e escondendo a origem.

    HMS TIRELESS

    30 de janeiro de 2012 às 17h02

    Gostei do Nosferatu..rs!

    Antonio Nunes

    30 de janeiro de 2012 às 19h27

    Por favor, não confunda a "ogra" da sogra do seu irmão com os tucanos!

    além do mais, a coisa mais fácil do mundo é tirar o PSDB do governo de SP… Basta combinar com a população do Estado!

    rsrsrsrs

    Almir

    30 de janeiro de 2012 às 22h21

    Muito mais sólida, invencível, imbatível e inexpugnável era a fortaleza construída por ACM na Bahia. Eram 417 municípios dominados por coronéis carlistas, que nutriam um ódio mortal por LULA e pelo PT. Em 2006 a "fortaleza" veio abaixo e não se "alevanta" mais tão cedo.

    Como LULA conseguiu isso?

    Ora, quando LULA conseguir derrubar os tucanos em SP você vai ficar sabendo. E vai ser logo em 2012/2014.

    Horridus Bendegó

    30 de janeiro de 2012 às 20h16

    Corretíssimo.
    Esse fascismo leve está incrustado na cultura classe média de SP.
    Ouço diariamente.
    Acrescentaria o dizer:
    "Minha empregada doméstica passa o tempo ao celular"
    Tem mesmo muitos desses bordões que, parece, são de autoria da Veja.
    Um classe média que lê Veja e se acha muito bem informada.

    Xad Camomila

    31 de janeiro de 2012 às 06h49

    Tétrico. Mas é exatamente assim. Quanto mais tempo eles falam, pior vai ficando. E tanto faz se a gente contra-argumenta ou se vai dando corda; o veneno escorre do mesmo jeito. Bico de tucano é tudo igual!
    Mas o texto ficou muito bom. Cheguei a rir.
    E ó só, tiago: inclui na coletânea de argumentos da tucanada o "grevista é tudo vagabundo! Tem mais que ser demitido!". Isso tb é culpa do Lula, claro! Então, coloca junto no "3o". Rsrsrs
    Hasta la vista!

    Marcelo

    31 de janeiro de 2012 às 12h15

    Eu tb já to nessas, nem argumento mais, só vou ouvindo… e volta e meia faco alguma perguntinha ingênua. Quanto mais falam, mais se acabam.

    rafael

    31 de janeiro de 2012 às 14h10

    Esse comportamento não se restringe aos tucanos.na verdade é a média do brasileiro que pensa dessa forma.

tiago tobias

30 de janeiro de 2012 às 04h03

Faz alguma semanas, publiquei em meu blog um pequeno texto, o qual intitulei "O fascismo light". Acho que resume esse "fascismo psicológico" pensado pelo Hugo no comentário acima. Defendo que o "fascismo light" é mais perigoso que o fascismo chucro, pq ele é perpassado através da fala, do senso comum…enfim…lá vai:

"Quando o pensamento torna-se supérfluo, abre-se caminho para a banalidade do mal" (Hannah Arendt)

Almoço de natal, família reunida, cerveja de graça, comida farta, crianças brincando. Como é agradável esse momento. Mas quando a família se reúne, é bom preparar os ouvidos, pois sempre tem um tio, um parente, alguém que defeca pela boca quando se está alterado pelo álcool. E se esse alguém tiver opiniões políticas divergentes da sua, o vento da discórdia começa a soprar. Respeito a opinião alheia, desde que baseada em argumentos lúcidos, em opiniões claras, baseada em evidências concretas. Eu, nem sob tortura, votaria no PSDB, pois sou funcionário público e vi o que esses demônios fizeram com a gente. A entrega do patrimônio nacional, arrocho salarial, repressão aos movimentos sociais, Estado mínimo etc. O PSDB aprontou o diabo no Brasil, continua com sua ditadura desde 1994 em São Paulo e começa a mostrar seus dentes no Paraná, onde estou morando. Mas, respeito quem gosta de apanhar. Respeito o masoquismo dos que votam nos tucanos. É caso de internação num hospital psiquiátrico e burrice perpétua, eu sei, mas não está ao meu alcance fazê-los pensar diferente. Longe de mim. Jamais tentarei impor minha opinião para alguém e não suporto quem tenta fazer isso comigo.

Responder

alex

30 de janeiro de 2012 às 01h51

Azenha e Navegantes:

Pouca gente assinou as petições pelo povo de Pinheirinho. Vamos lá minha gente …
http://www.peticoesonline.com/busca/pinheirinho

Responder

luiz pinheiro

30 de janeiro de 2012 às 01h51

"ascensão social despolitizada, calcada no consumismo, é ingrediente essencial do discurso da ordem que bloqueia a expansão dos direitos sociais".
É "consumismo" o pobre finalmente comprar uma casa, um sofá, um computador? A compra é elemento que bloqueia os direitos sociais? Tem dó!!! Esse PS é revelador, mostra que Viomundo, mais que apenas não compreender o momento da nossa economia, alcança o fanatismo cego. Desde a década de 50 lutamos pela superação do subdesenvolvimento e da miséria, pelo mercado interno. Celso Furtado foi o principal baluarte dessa luta. A ditadura bloqueou o projeto da nação brasileira, depois veio o neoliberalismo destruidor. Agora, quando finalmente o Brasl vai se encontrando com sua vocação desenvolvimentista, vai formando uma nação com direito a trabalhar e a consumir, pode alguém batizar isso de "consumismo"?

Responder

    assalariado.

    30 de janeiro de 2012 às 21h16

    luiz, seu cerebro está de cabresto? Voce é porta voz/ assessor da social democracia petista e genericos? Pelo jeito voce não sabe diferenciar a pratica politica social democrata, com a pratica politica dos ideais socialistas, mesmo dentro desta sociedade tocada pelo deus mercado. Fanatismo cego é, quando, o raciocinio dialético/ fica estanque, se restringe ao simples oba- oba, do deus mercado, (até a próxima crise), quando dizem que metade dos brasileiros são de classe média. Vou dar um exemplo claro: em uma casa que os pais e filhos todos trabalham fora, é claro que, se juntar os 4 salários de R$ 1.000,00, se somará R$ 4.000,00. Sendo desta forma, é claro que, passaram a ser "classe média", segundo a visão do pessoal, "…vamos explorar o povo mas, nem tanto." Isto é colocado de forma oportunista. Visto que, segundo o DIEESE, um(a) chefe de familia com: mulher, homem e dois filhos pequenos, deveriam receber um salário minimo de R$ 2.350,00. Isto sim, é um pratica politica distorcida, de quem se diz de esquerda, …

    Saudações Socialistas.

    luiz pinheiro

    30 de janeiro de 2012 às 23h21

    Olha aqui, assalariado, o meu direito de defender o governo é exatamente do mesmo tamanho do seu para criticá-lo. Nem um pouco a mais, nem um pouco a menos. Portanto, repudio essas suas insinuações, todas elas, uma por uma. São levianas, você caiu na tentação de chutar e chutou para fora. Não trabalho para o governo, não recebo do governo. Como qualquer um tenho direito a expor minha opinião, para que a leiam ou não leiam, para que botem o polegarzinho para cima ou para baixo, não tem problema. Não devia nem comentar, porque não merece, de tão absurda, essa sua ideia de que os pobres subiram à classe média apenas porque estão morando em família, repartindo salários e despesas. Prevejo que você possa, como o Azenha, dizer que eu “botei palavras em sua boca”.

    assalariado.

    31 de janeiro de 2012 às 19h21

    luiz, agora entendi os seus parâmetros ideologicos de um Brasil melhor sem exploradores e, nem explorados. Ou seja, voce defende o governo, da vez da moda, desde que, de algumas quirelas a mais para os assalariados enquanto esturrica os bolsos do capital de lucros/ MAIS VALIA, sem mexer ou questionar as elites, sem se preocupar com a higienização burguesa de colocar pobre contra pobre através da cultura mercantilista imposto pelo capital, no dia/ dia, com os cerebros do nosso povo, via PIG ( Partido da Imprensa Golpista). Agora, quero que voce me prove que eu errei na afirmação de que para chegar à "classe média", -( com esses salários miseraveis que os patrões pagam )- a famila toda tem que ratear os seus salários para ser/ estar classe média.

    Com todo respeito, …

    Saudações Socialistas.

    luiz pinheiro

    31 de janeiro de 2012 às 20h28

    Eu não consigo entender, assalariado, como alguém que quer um país sem explorados nem exploradores, como voce diz, possa ser contra o o processo de redução das desigualdades pela primeira em vez em curso no Brasil. Voce acha que esse processo prejudica a construção do socialismo? Eu não, eu acho que abre caminho. A novidade brasileira não são os lucros do capital, esses já existiam, e são agora proporcionalmente menores. A novidade é a forte ascensão social, que voce nega, dizendo tratar-se apenas de trabalhadores da mesma família somando salários. Não sou eu que tenho que provar que essa sua suposição é fora da realidade: é voce que precisa prestar mais atenção nos estudos e estatísticas sobre o tema, como por exemplo os do próprio Dieese, órgão que voce cita. Entre no site do Dieese e procure as pesquisas sobre o custo da cesta básica, em relação ao salário mínimo. Compare a evolução, de 2002 para cá. Depois, a gente conversa mais.

    Luiz Carlos Azenha

    30 de janeiro de 2012 às 21h22

    Você colocou um monte de palavras na nossa boca. Quem disse que compra bloqueia direitos sociais foi você. Quem disse que consumismo é pobre comprar uma casa, um sofá, um computador foi você. O que criticamos é a política despolitizada, calcada em pesquisas de opinião, que se faz só em véspera de eleição com marqueteiros. abs

    luiz pinheiro

    30 de janeiro de 2012 às 22h48

    Ora, Azenha, não me faça essa acusação furada! O PS do Viomundo está aí para ser lido: o que chama de "ascensão social despolitizada, calcada no consumismo” é a política do governo de expansão do mercado interno, que tirou milhões de pessoas da pobreza e lhes deu a possibilidade de comprar. O PS não trata do consumo supérfluo do rico. Fala no consumismo de quem está ascendendo socialmente, ou seja, o pobre. E pobre está comprando é casa, é sofá, é computador, entre outras coisas. O PS não usa essa expressão "politica despolitizada" (que, aliás, é um absurdo em si mesma). Ele fala na tal da "ascensão despolitizada”, que seria um dos ingredientes (as pesquisas de opinião são citadas como outro, mas não único) para “fomentar o discurso da ordem e bloquear a expansão dos direitos sociais”. Portanto, não botei palavra na boca de ninguém, apenas li o que está escrito no PS. E não gostei.

    Luiz Carlos Azenha

    31 de janeiro de 2012 às 00h58

    Rico não vota no PT. Pobre despolitizado que vota no PT hoje vota no Serra amanhã, se ele oferecer salário mínimo de 1.000 reais, ainda que vá contra toda a história do PDSB no poder. Política despolitizada é isso, onde o marqueteiro conta mais que a história de lutas sociais em torno das quais se constrói um partido. Como diria o PHA, as novas classes média sem ley de medios e sem luta social elegem o Berlusconi.

    luiz pinheiro

    31 de janeiro de 2012 às 11h47

    Preconceito contra o pobre, de novo, pra variar. Lamentável, Azenha, é tudo que posso dizer. Na última eleição, é bom recordar, o Serra ofereceu salario minimo demagógico, além de fazer toda a campanha suja de calúnias variadas, com toda a amplificação da mídia, e perdeu mesmo assim. Pobre mostrou que sabe votar sim, sabe quem está do lado dele. No mais, Azenha, voce fugiu do nosso assunto principal: o Viomundo acha ou não acha que a "ascensão social despolitizada, calcada no consumismo,leva ao discurso da ordem e provoca o bloqueio de direitos sociais"? O PS está dizendo isso, lá em cima.

    Fabio

    31 de janeiro de 2012 às 17h14

    Opa.. boa discussão essa dos Luizes. O Pinheiro, com todo respeito, pode se acalmar um pouco. Acho que não está em questão a urgência da dignidade na vida de todos os brasileiros. Comida, teto, saúde, educação, tranporte, lazer, etc.. são sim direitos básicos e qualquer ser humano lúcido, tendo sido privado ou não de qualquer um ou de todos eles, tem que ter a dimensão da incrível revolução que estamos vivendo. Por outro lado acredito sim que, sem considerar um dogma e levando em conta o momento e a história do Brasil, a "ascensão social despolitizada, calcada no consumismo,leva ao discurso da ordem e provoca o bloqueio de direitos sociais". Foi o que, por coincidência, tentei dizer num comentário no CA a pouco num post sobre Salvador e Pinheirinho. Confesso que fiquei com receio de ser interpretado da mesma maneira que o Luiz Pinheiro interpretou o texto aqui. Mas as opiniões evoluem no confronto mesmo. Segue o comentário:

    Sabem quem apoia td isso que os higienistas e especuladores estão fazendo? As novas classes B e C, que pensam como a A. Os eleitores do Berlusconi, como previu o PH. A quem se destinam os futuros empreendimentos? Quem sonha com as maquetes nuveau riche livres de qualquer vestígio de “Brasil”? O brasilero nunca foi tão egoísta, fascista e devorador de enlatados americanos como hoje. Com toda aquela demência ultra-direita, a ultima eleição ainda acabou 56% x 44%. Essa revolução econômica sem uma revolução cultural (desculpem se o nome assusta) é um perigo. Na nossa cultura atual, TOTALMENTE midiática (ou PIGuiática), recalque de ex-pobre é ainda pior que o de ex-comunista. O brasileiro precisa enxergar o Brasil. Estamos num momento de conquistas históricas, mas há uma fragilidade que cresce de maneira quase invisível. Vamos parar de colocar mais um andar e mais outro no prédio antes de mexer na fundação. Sem re-fundação, numa noite de verão, desabaremos. Os saqueadoeres do Brasil contam com isso e trabalham pra isso, dia e noite. LEY DOS MEDIOS PELAMORDEDEUS!!!!!!

    luiz pinheiro

    31 de janeiro de 2012 às 21h49

    Fábio, politizar é um desafio permanente. Governo e oposição, partidos políticos de todos os naipes, estão preocupados com a estratégia para conquistar essa classe ascendente. Mas a ascensão social tem valor em si, independente de qualquer politização. Nós não queremos um país mais justo, mais próspero, mais soberano? Então precisamos construí-lo, e a base é um desenvolvimento econômico-social homogêneo, democrático, que contemple todos os brasileiros, de todas as regiões, promova a inclusão social e reduza as diferenças entre as classes. É profundo equívoco batizar esse processo de “calcado no consumismo”. Pior ainda é supor que “fomente o discurso da ordem e o fim de direitos sociais”. Significa, objetivamente, negar valor à expansão do consumo dos mais pobres. Também discordo que favoreça a eleição de um Berlusconi qualquer. Esse é um risco sempre presente. Em época de agravamento da pobreza, o Brasil elegeu o Collor, a Argentina o Menen, o Peru o Fugimori, a Colômbia o Uribe.

    Zé Carlos

    30 de janeiro de 2012 às 22h43

    Que absurdo sem sentido. Deu pra imaginar a cena nitidamente : um comício, um palanque e um político que se precisasse do meu voto já teria perdido pelo discurso ultrapassado.

    luiz pinheiro

    31 de janeiro de 2012 às 00h42

    Como não sou político, dispenso tranquilamente o seu precioso voto.

alex

30 de janeiro de 2012 às 01h41

MUITO TRISTE!
Pinheirinho: moradores denunciam torturas e desaparecimentos http://www.youtube.com/watch?v=_ANqPpWsYBY&fe

Responder

Marcio H Silva

29 de janeiro de 2012 às 22h24

texto muito bom do Antonio Carlos Mazzeo: "Não sei como", mas a PM tem meu endereço eletrônico … e acreditem, me enviou um e-mail "explicativo" sobre a ação (desastrosa) daquela corporação no Pinheirinho ….
http://www.diariodaclasse.com.br/profiles/blog/sh

Antonio Carlos Mazzeo é professor da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho e membro do Comitê Central do PCB.

Responder

Ana

29 de janeiro de 2012 às 21h43

Assisti a matéria sobre a tragédia da reintegração do Pinheirinho no Domingo Espetacular, o Prefeito Cury gaguejou bastante.São justificativas que revoltam, e não é só o Pinheirinho que está no chão, este jogo de empurra demonstra as instituição públicas a serviço de Nagi Nahas cairam junto com ele. Não pode ser maravilhosa o esforço, e atuação jurídica e política para jogar no chão famílias brasileiras pobres. Quem entende a atuação de Nagi Nahas é o delegado Protógenes Queirós e o Juiz Fausto de Sanctis. Protógenes pediu sua prisão, concedida pela Juiz, e na Justiça ele conseguiu sua liberdade e a reintegração. Este homem governa muito, é poderoso.
Tornem público o Satiagraha, suspendam a paralisação do processo.

Responder

Silvio I

29 de janeiro de 2012 às 21h29

Este povo gosta de autoritarismo. Gosta de mais de Governos de Força. Por outro lado, e um povo, analfabeto político, e a mídia não colaboram em nada, para ajudar a sair de essa situação. A lei dos médios poderá ser uma solução rápida, para esse problema acabar. Também os problemas sociais, como este caso, onde o uso da policia foi aprovado por 82% da população. Será interessante em que médio da população foi feita. Que bairros foram consultados, e qual foram à quantidade de consultados. Como o Plim, Plim, tem uma influencia grande na cultura social, de este povo. Ele e o grande responsável por sua insensibilidade, ante esse problema. E um problema que ele vê muito superficialmente, e consideram todos bandidos, não pessoas drogadas, que tem chegado a uma posição de perder sua personalidade. Pessoas que tem necessidade de tratamento médico psiquiátrico. E não alcançam a perceber, que o uso da policia, de esta forma foi uma aberração. Agora a mídia, com seus baixos interesses, da publicidade com grande destaque, esse numero de aprovação da sociedade de 82%.Com isto continua respaldando os negócios, que existem por trás de esse problema da cracolándia, que vão também de encontro, a os seus interesses.

Responder

Luci

29 de janeiro de 2012 às 20h53

Azenha e Conceição parabéns pela menção do Túlio ao site, o Vi O MUndo é fabuloso.
Sigamos à caminho de uma democracia inclusiva, por uma nova globalização, a de todos com respeito à dignidade humana.

Responder

Indio Tupi

29 de janeiro de 2012 às 20h33

Aqui do Alto Xingu, os índios humildemente discordam num pontinho minúsculo: O PSB é partido de esquerda? É com uma lógica dessa que querem nos orientar?

Responder

    Morvan

    30 de janeiro de 2012 às 21h51

    Boa noite.

    Isso, Indio Tupi. O que eles chamam de esquerda está, para dizer o mínimo, esdrúxulo. Basta ver os "quadros" de certos "partidos" e você enxerga a realidade sem paralaxe.

    :-)

    Morvan, Usuário Linux #433640.

    Bruno

    31 de janeiro de 2012 às 14h35

    Partido Socialista de esquerda? Esse mito vai sendo derrubado na Europa,país por país. Grécia, Portugal, Espanha puxam o cordão. Mas é o que lhes resta coitados,fazer o que? A lavagem cerebral do PIG europeu não lhes deixou outra alternativa. E por isso,lá vai a França querendo trilhar esse velho caminho traicoeiro.

FrancoAtirador

29 de janeiro de 2012 às 18h14

.
.
Um exemplo claro de fascismo em sociedade foi dado pela MMª Dra. Marcia Loureiro, da 6 Vara Cível de São José dos Campos, que determinou a expulsão sumária dos moradores do Pinheirinho pela Polícia Militar do Estado de São Paulo, e depois, ainda sob mesma ordem judicial, a destruição não só das casas, mas dos lares das famílias, pois até os pertences, adquiridos em anos de sacrifício com o suor do próprio trabalho, foi-lhes negado retirar do local.

Na entrevista concedida pela juíza estadual paulista ao jornal "O Vale", chamou a atenção uma expressão por ela utilizada: "Eu agradeço a Deus por não ter tido nenhuma baixa".

Ora, comandantes militares, após um combate com o inimigo em campo guerra, é que assim se expressam.

Em vez de "nenhuma baixa", a magistrada do estado de São Paulo poderia ao menos ter dito:

"nenhuma pessoa morreu" ou "não houve um óbito sequer".

Mas não. A julgadora estadual usou propositalmente a máxima dos "bravos combatentes militares de guerra".

Porque foi assim mesmo que foi encarada pelo judiciário e pelos governos a tal "operação militar":

Um combate "de homens e mulheres de bem" contra "a bandidagem suja, esfarrapada e vagabunda".

E na visão desses juízes, policiais e governantes é assim que devem ser tratados os "fora-da-lei": "à bala".

E de acordo com a concepção vigente entre esses "nobres comandantes", muito repercutidos pela mídia oligárquica mercantil: "dignidade não é coisa p'ra bandido".

Poucos são os que percebem que, nessa guerra de "mocinhos e mocinhas" contra "bandidos e bandidas", de "bons" contra "maus", de "santos" contra "pecadores", traveste-se a luta de classes.

Uma luta escamoteada, onde uma classe exploradora dominante dita valores anti-éticos, não republicanos e inconstitucionais, principalmente através de uma mídia oligárquica empresarial e de governantes imorais, senão amorais, cooptando, inclusive, a própria classe média trabalhadora, também explorada, por meio de subterfúgios psicológicos da propaganda e da publicidade de consumo hedonista.

Realmente podemos chamar isso de império do fascismo social.

Quem tem ouvidos para ouvir, ouça:

[youtube NtupI-OpCGY http://www.youtube.com/watch?v=NtupI-OpCGY youtube]

Responder

    Werner_Piana

    29 de janeiro de 2012 às 22h33

    CNJ nessa criatura dasluzenta 'cheirosa'!

    Ana

    30 de janeiro de 2012 às 14h22

    É o fim deste modelo oligárquico, ultrapassado, que garante posse a latifundio.
    A formação acadêmica, a insensibilidade, o horror se aprende em sala de aula nos cursos de Direito, que formam juristas que atuam na Justiça do país, é chocante ouvir o que está registrado e deveria ser transmitido na OEA, para que compreendam porque o povo Pinheirinho está nas ruas. É para chorar.
    Este discurso é de doer a alma, a juíza em sua determinação correu o risco de ter "baixas, banho de sangue" para garantir a reintegração a Nagi Nahas!!! Por sorte na magistratura há mulheres e homens que atuam observando o direito à vida, os direitos humanos.
    É urgente uma Reforma no Judiciário.

    Lei

    30 de janeiro de 2012 às 16h44

    Eis a minha voz contra os sem voz, Eis meu empenho, a minha verdade, meu planejamento, meu comando, minha lei, minha decisão e minha sentença , minha reintegração a Nahas, e, a face da Justiça para o povo pobre.
    Eu sou uma Ilha de poder no mundo.Eu decido.

    ferreira

    30 de janeiro de 2012 às 08h51

    Esta entrevista e repudiante
    Obs: Eu nao consegui assistir ate o final, porque me deu ansia de vomito ao ver o cinismo e a frieza dessa juiza…

    Horridus Bendegó

    30 de janeiro de 2012 às 19h11

    A Casa Grande ainda vige neste nauseabundo Brasil!

    Já existiam Tucanos aqui em 1897!

    Canudos dá seu testemunho nas imagens.

    Chame-se Pinheirinho ou Canudos, por trás das ordas fardadas e togadas já existia um Dantas (coincidência histórica) ascendente do atual Daniel, o banqueiro condenado.

    Era do Barão de Jeremoabo o brado a proclamar Canudos proscrito da Lei.

    De quem seria hoje o papel do barão?

    Justiça do baronato, Dra. Mathei?
    http://www.advivo.com.br/index.php?q=sites/defaul

    Ana

    30 de janeiro de 2012 às 15h26

    Estudou Ciências Jurídicas e Sociais!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Prêmio Nobel da Paz 2012

    FrancoAtirador

    30 de janeiro de 2012 às 22h23

    .
    .
    Com direito à promoção ao Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP).

    E, no futuro, quiçá, ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).
    .
    .

    Morvan

    31 de janeiro de 2012 às 00h37

    Boa noite.

    Como sempre, belo Post, FrancoAtirador.

    Com relação a essa magistrada (não chamo de juíza, pois este nome remete a uma função que ela parece desconhecer, que é julgar, não através da letra fria da Lei, e sim através do equilíbrio, da equidade) o Judiciário brasileiro é o que a direita idem amalgamou no mesmo torrão reacionário: Judiciário, para co-validar a as falcatruas dois outros dois Poderes, o que vem a se chamar, tecnicamente, de "conluio"; polícia, para organizar a turba e evitar que esta se insurja contra a Casa Grande; e imprensa, para produzir a "normalização", a banalização de todos os níveis de violência estatal. Só que o Judiciário, além deste amálgama, se tornou um Poder bandido, colocando-se claramente como Moderador dos outros poderes e ajudando a legitimar a Lei do mais forte.
    Ou se controla este câncer chamado Judiciário (?) ou somos títeres dele.
    Volto a insistir que o PS do Vi O Mundo é muito feliz em denunciar a inocuidade de se discutir democracia sem mexer com o vespeiro da mídia.

    # Edit: Todo; Todos.

    :-)

    Morvan, Usuário Linux #433640.

    FrancoAtirador

    31 de janeiro de 2012 às 13h31

    .
    .
    Caríssimo Morvan.

    Nem juíza, nem magistrada: ÁRBITRA, no pior sentido.

    Fez uso do cargo para praticar a arbitrariedade.

    E atos arbitrários são incompatíveis com julgamentos justos.

    Não são condizentes com a dignidade da Justiça,

    ainda mais quando põem em risco vidas humanas.

    O mais triste é perceber que a decisão arbitrária

    não é a única praticada no âmbito do poder judiciário.

    Pior, a maioria dos cursos de direito está formando monstros

    que um dia se assentarão nas cadeiras desses árbitros judiciais.
    .
    .
    Um grande abraço camarada e libertário.
    .
    .

Maisa

29 de janeiro de 2012 às 18h11

Efetivamente não precisamos de inimigos externos, pois aqui mesmo já os temos em profusão. Impressiona a capacidade, dos chamados lados que se contrapõe, mas que na realidade são faces de uma mesma moeda. A mídia é a grande responsável por tudo isso e por motivações, as mais diversas possíveis e inimagináveis, simplesmente se calam e/ou se acovardam diante dos "propagadores de notícias". Faço minhas as palavras do PS Viomundo, quando elege a democratização da mídia como o objetivo maior a ser alcançado para frear o fascismo social vigente.

Responder

Caracol

29 de janeiro de 2012 às 17h39

Para um melhor entendimento sobre onde tudo isso poderia desembocar, recomendo a leitura d'O Alienista, do genial Machado de Assis.
Eu só não consigo imaginar o tamanho que a Casa Verde, na atualidade, deveria ter, se bem que – afinal – não importa, pois ao se esgotar o decorrente processo, ela ficaria vazia e todo mundo seria preso no lado de fora.

Responder

lifega

29 de janeiro de 2012 às 17h36

Muito bom! Gostei muito e vou replicar!

Responder

Moacir Moreira

29 de janeiro de 2012 às 17h11

Se os nazistas estão no poder a serviço do crime organizado internacional e controlam tudo, desde a mídia, até os poderes constituídos, só é possível combatê-los por meio da insurgência popular.

Responder

    Horridus Bendegó

    30 de janeiro de 2012 às 20h18

    Moacir, o Brasil só será viável depois do dever de casa.
    Insurgência popular.

Hugo Albuquerque

29 de janeiro de 2012 às 16h47

Já disse, em um post recente meu, que a disputa PSDB e PT tem um caráter patológico: enquanto o primeiro não assume o que faz – enfim, sente remorso de agir como direita e se sente acuado quando é apontado como tal -, o segundo cada vez menos faz o que assume – discursa como esquerda, vai ao fórum social mundial, é perseguido como qualquer governo reformista radical por isso, mas pisa cada vez mais no freio por não saber o que fazer com as mudanças que deflagrou.

O PSDB é retrato de uma pequena-burguesia traumatizada com a ditadura, quando os seus foram torturados pela primeira vez na história, e com o direitismo de um modo geral, mas não deixa de agir nesse padrão por interesse de classe ao passo em que se pune por fazê-lo. Por sua condição de existência, ele não pode se assumir como direita, mas é precisamente isso que o torna particularmente radical – como o homófobo que agride homossexuais porque eles se mostram publicamente como ele gostaria de se mostrar, mas não consegue.

O PT sempre discursou mais esquerda do que agiu, mas tem agido cada vez menos à esquerda e, não raro, confunde negociar com conciliar – e a conciliação cresce num momento no qual a Presidência é ocupada por alguém que não teve origem humilde, atentem-se. Arca com o ônus de ser identificado como esquerda, mas não age como tal e não recebe o bônus. Cria, assim, as condições para sua derrota, a exemplo da esquerda europeia. Pior ainda, liderada uma base confusa e em permanente ebulição – o ora beligerante PSB, em muitos estados, é o que o PSDB poderia ter se tornado, mas não conseguiu pelos embates nacionais com o PT e pela conjuntura da política paulista.

O Brasil, portanto, não vive um fenômeno de avanço do fascismo histórico, algum movimento ou partido como na Europa contemporânea, mas sim do fascismo social e psicológico – ambos ao mesmo tempo, na sua área de intersecção – que nos trespassa a todos. Ou criamos um instrumento político para dar conta da liberação do desejo verificada nos últimos anos, com a inclusão enquanto incluídos dos setores largados para morrer, ou a tendência é o avanço do fascismo social por conta de uma vitória eleitoral da direita ou mesmo pelas mãos de uma auto-intitulada esquerda.

Responder

    Yacov

    30 de janeiro de 2012 às 16h46

    Que papo furado… O que o PT deflagrou ainda está em andamento, está apenas começando e é irreversível, companheiro. E vem muito mais vindo aí. "…pequena-burguesia traumatizada com a ditadura" é os culete!! A pequeno burguesia se deu foi muito bem com a Ditadura!! Tem uns tucanos que, como a gloeBBBels, pensam que somos todos idiotas. Uns pseudo-intelectuais que querem colocar todos os partidos políticos no mesmo saco, pois sabem que o que fizeram e fazem em seus governos é crime de alta traição à pátria e mereceria o fuzilamento em praça pública. Mas nada apagará a sua incompetência e entreguismo, fato fica a cada dia mais visível e certamente se manifestará na escassez de votos nas próximas eleições.

    "O BRASIL PARA TODOS não passa na glOBo – O que passa na glOBo é um braZil apra TOLOS"

Zé Carlos

29 de janeiro de 2012 às 16h34

"Não há combate possível ao fascismo social sem democratização da mídia; mídia concentrada, ascensão social despolitizada — calcada no consumismo — e governo por pesquisas de opinião são ingredientes essenciais para fomentar o “discurso da ordem”, que existe para bloquear a expansão dos direitos sociais."

Ai, ai. De vem quando faz bem ler algo assim. Pena que ninguém dá importância. Tratam de abafar o caso (e o objetivo é cada vez mais obscuro) e comemorar as oesquisas.

Responder

    Zé Carlos

    29 de janeiro de 2012 às 20h34

    Um problema de certa esquerda(?) – ao menos no discurso- por exemplo é achar que o governo é "esquerda". Durma-se com esse barulho na mente. Condenam e vociferam contra fascismo, conservadorismo e atacam a "direita" como se o governo fosse esquerda. Haja paciência. Essa confusão , nem sei se premeditada, não contribuiu em nada até agora. Muito pelo contrário. Mais atrapalham do que qualquer coisa. Mas se falar contra o coro é o de sempre "tucano disfarçado, fascista e blá blá blá":

    Eu fico só observando até quando a farsa vai durar.

trombeta

29 de janeiro de 2012 às 16h23

O "professor" português Boaventura Santos deveria descer de seu pedestal e explicar porque toda a sabedoria europeia produziu os partidos políticos que destruíram a esquerda na europa. Acho que o mais lógico seria o "professor" vir ao Brasil aprender e não dar lições… a europa, hoje, é governada pela Goldman & Sachs, troika, FMI… menos por seus cidadãos.

Responder

    Bonifa

    29 de janeiro de 2012 às 16h30

    Não é possível admitir algumas considerações fora de nível muito frequentes agora no blog do Azenha. Combateremos sempre todas estas manifestações. Boaventura Santos merece o maior respeito possível, e merece inclusive uma crítica à altura, se for o caso.

    Moacir Moreira

    29 de janeiro de 2012 às 17h57

    O trombeta do inferno deve ser mais algum troll pau mandado a serviço da revista Veja.

    Como é possível um país que destina quase 50% de seu PIB para pagar juros a banqueiros pode ser considerado uma nação hegemônica?

    Critique com moderação o que vc não entende já que está sendo pago para escrever bobagem na internet.

    Almir

    29 de janeiro de 2012 às 18h31

    50% do PIB pros banqueiros é muito ou pouco? Pros banqueiros é uma ninharia, tanto que TODOS eles (os banqueiros votaram na dupla Serra/Alckmin

    Moacir Moreira

    29 de janeiro de 2012 às 20h53

    Na verdade os banqueiros e "empresários" que mantém negócios com o Estado brasileiro patrocinaram ambas as campanhas, do PT e PSDB, e até mesmo a campanha da Marina Silva, cujo vice era o dono da Natura.

    Silvio I

    29 de janeiro de 2012 às 21h27

    Almir:
    Esse dinheiro e repartido entre mais o menos 31,000 famílias no Brasil. O resto fica mais pobre, e com menos serviços sociais.Mais um dia chega,e não esta longe.

    trombeta

    29 de janeiro de 2012 às 20h38

    Bonifa, você é o tipo de esquerdinha que baba quando vem um europeu ao Brasil nos dizer o que eles não praticam na sua terra; conheço muito bem o discurso cansativo e previsível do "professor" Boaventura. Prefiro escutar a intelectualidade de países que estão dando certo como Brasil, Argentina, Uruguai, Venezuela, Equador e Bolívia entre outros. A esquerda sul-americana é hoje a esperança e é quem pode dizer para o mundo o que fazer, como crescer, distribuir riqueza e incluir… tudo isso com muita democracia.
    Fique com o "professor" para você, faça bom uso… mas me permita o direito de discordar da mesmiçe.

    Silvio I

    29 de janeiro de 2012 às 21h23

    trombeta:
    Diz Sarmiento, as idéias não se degolam.Os pensadores não tem pátria, pertencem ao mundo.e eles não são os culpados do que passa na Europa, nem o que passa nos EUA.

    Abel

    29 de janeiro de 2012 às 21h48

    Bom, quem sempre babou por um europeu (e fazia questão de "gastar" o francês lá fora) é o nosso velho babão, o ex-presidente THC (ops, FHC)…

FranX

29 de janeiro de 2012 às 16h22

Há, porém, quem persiga quem busque arrancar a raiz de todo esse fascismo: ( mas o texto não foi capaz para tanto)
[youtube QfNliNB0xVI http://www.youtube.com/watch?v=QfNliNB0xVI youtube]

Responder

    Werner_Piana

    29 de janeiro de 2012 às 22h49

    bem lembrado, FranX, bem lembrado… o Presidente Lula perdeu grande oportunidade de colocar essa cambada da veja/pig e seus acolitos no judiciario em seu devido lugar = rua. Mas preferiram o desterro do P Lacerda, a expulsao do Protogenes… lamentável episodio no gov Lula, sem duvida!

    Bruno

    31 de janeiro de 2012 às 14h28

    Temos que exigir a volta de Paulo Lacerda. Quanto ao Protógenes, o destino aprontou com a direita. Como Deputado Federal ele é mil vezes mais perigoso para os corruptos e criminosos de colarinho branco do que na carreira policial. Em um ano de mandato, fazendo dupla com o Brizola Neto tem demonstrado isso claramente.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!