VIOMUNDO

Diário da Resistência


Petrobras nunca teve em caixa menos que o dobro da Exxon, diz Dilma, ao denunciar Bolsonaro como traidor
Política

Petrobras nunca teve em caixa menos que o dobro da Exxon, diz Dilma, ao denunciar Bolsonaro como traidor


07/09/2019 - 17h04

Dilma Rousseff: Desnacionalizar é traição à Pátria

Por Dilma Rousseff, em CartaCapital

A Frente da Soberania é o instrumento para defender o país e enfrentar o governo que busca destruir empresas, entregar riquezas e florestas

A Frente em Defesa da Soberania Nacional, lançada na quarta-feira, 4 de setembro, é o caminho para reunir as forças democráticas em defesa da Nação e do povo brasileiro, dos nossos direitos e riquezas. Isto significa defender o Brasil.

Hoje, a soberania brasileira está sendo atacada em várias frentes.

As mais visíveis são: 1) a venda das grandes empresas estatais brasileiras, que são estratégicas, como a Embraer, a Caixa, o Banco do Brasil, os Correios, a Eletrobrás e a Petrobrás; 2) o desmonte do ensino superior público, do sistema de pesquisa e geração de ciência e tecnologia, assim como da cultura, com o bloqueio do sistema de incentivos; e 3) a destruição da proteção e conservação da Amazônia e do meio ambiente, além do desprezo pelos povos indígenas.

A privatização da Petrobras, a maior empresa pública brasileira e uma das dez maiores petroleiras do mundo, é traição ao Brasil e ao nosso povo.

O ataque à companhia foi iniciado com a entrega de algumas de suas subsidiárias, por meio da oferta de leilão de ações, numa estratégia adotada pelo governo para esconder a venda da empresa a estrangeiros, sem cobrar pela alienação do bloco de controle.

A mídia relata que, além da BR Distribuidora e da TAG, a venda será acelerada até o final do ano com o leilão de metade das refinarias.

O governo Bolsonaro anunciou a venda da Petrobras até 2022. É um escândalo.

A Petrobras tem dono. E não são apenas os acionistas minoritários.

O principal acionista da empresa é o povo brasileiro, representado por seu acionista controlador, o Estado brasileiro.

O governo promove um assalto duplo. Não apenas privatiza.

Na verdade, esconde a DESNACIONALIZAÇÃO DA PETROBRAS.

Nenhuma empresa ou consórcio de empresas brasileiras têm hoje recursos suficientes para comprá-la.

Foi assim que o governo investiu contra a Embraer, vendendo-a para sua concorrente, a norte-americana Boeing.

Trata-se, portanto, não apenas de vender a Petrobras.

O governo Bolsonaro quer ir além. Pretende entregar uma das maiores reservas de petróleo do mundo a grupos estrangeiros.

Não é possível aceitar a desnacionalização da maior riqueza do Brasil, do ponto de vista econômico ou geopolítico.

Desnacionalizar a Petrobras é quebrar a independência do povo brasileiro sobre seu futuro.

Isso porque, sem uma empresa pública para explorar o petróleo e o gás, as reservas brasileiras do pré-sal cairão no colo de grandes petrolíferas internacionais.

Para esquartejar a Petrobras e transferir ao capital estrangeiro mais de US$ 1 trilhão em reservas do pré-sal, o governo forja uma situação de penúria da empresa. A Petrobras não está quebrada.

É uma mentira. A maior empresa do Brasil não sofre nem nunca sofreu tal situação.

Essa manobra vem sendo patrocinada desde o Golpe de 2016.

A Petrobras nunca manteve um saldo de caixa menor que US$ 13 bilhões, mais que o dobro da Exxon, nesta última década.

E sempre teve geração operacional mínima de caixa de US$ 26 bilhões.

A trama urdida para a entrega da Petrobras conta com o apoio de parte da mídia nacional.

A mentira é repetida por facções da imprensa antinacional e domesticada. Isso vem de longe.

Antes do impeachment golpista, a Globo disse: “A exploração das reservas do pré-sal pela Petrobras é um delírio estatista do PT”.

Em editorial de 20 de dezembro de 2015, o jornal O Globo repetiu a ladainha e chamou o pré-sal de “patrimônio inútil”.

Segundo a visão da família Marinho, o patrimônio do povo só seria útil para ser vendido às grandes petrolíferas internacionais.

Só em setembro do ano passado, a Globo reconheceu que o pré-sal é a maior fronteira petrolífera do mundo e vai atrair a atenção das principais petroleiras do planeta.

Os governos Temer e Bolsonaro, incensados pela mídia, inventaram que a Petrobras não tem condições de pagar suas dívidas, a não ser que venda seu patrimônio, ou que reajuste seus preços pelo mercado internacional.

Disseram, ainda, que a empresa não tem recursos para explorar o pré-sal. É um engodo!

Setores da grande mídia atribuem o bom resultado obtido pela Petrobras no segundo trimestre deste ano à venda de seus ativos. É outra mentira deslavada. A análise dos resultados mostra exatamente o oposto.

A Petrobras está pagando suas dívidas, sem qualquer sacrifício extremo, quitando seus débitos, APESAR das privatizações de seus ativos. E não por causa disso.

Os últimos resultados mostram situação operacional saudável e lucrativa.

Em 2019, o pré-sal completou dez anos de produção contínua. Em julho, a Petrobras alcançou extração média de 2,184 milhões de barris de petróleo equivalente por dia. Isso representa nada menos que 57% da produção nacional.

A tendência é que aumente sua participação para 60% e, logo, 70%.

A direção da Petrobras informa – e a mídia celebra – a mentira segundo a qual o lucro líquido de R$ 18,9 bilhões no segundo trimestre se deve à venda de ativos, como a BR Distribuidora e a TAG. É fake news.

Do fim de 2014 até 2018, a Petrobras reduziu sua dívida de US$ 115,4 bilhões para US$ 69,4 bilhões. Neste período, vendeu ativos por US$ 18,7 bilhões, dos quais apenas US$ 11,8 bilhões entraram de fato nos cofres da empresa.

Portanto, a venda de ativos representou meros de 25% da redução da dívida, enquanto 74% da redução dos débitos saíram do caixa operacional da companhia – vale dizer, da produção e venda de petróleo e derivados.

Mesmo que nenhum ativo tivesse sido vendido, a dívida líquida da Petrobras teria caído significativamente.

A atual direção da empresa e o governo escondem a informação importante de que a diminuição da dívida seria maior se a Petrobras não tivesse vendido ativos altamente rentáveis, como a distribuição de combustíveis e o transporte de gás.

Vem de muito tempo o processo de destruição da imagem da empresa, no esforço de enfraquecê-la e, assim, desnacionalizá-la, junto com as reservas brasileiras de petróleo e a tecnologia criada para sua exploração.

É a cobiça por nossas maiores riquezas que tem movido os muitos ataques à soberania nacional.

É essa cobiça dos nossos vizinhos do Norte e a submissão dos procuradores de Curitiba que explicam as estranhas relações entre a Lava Jato e o Departamento de Justiça dos EUA no caso dos R$ 2,5 bilhões para a Fundação Lava Jato em troca de informações privilegiadas sobre a Petrobras.

Os meios empregados para produzir o ataque à nossa soberania e o esquartejamento da Petrobras são as ações clandestinas da Lava Jato, a criminalização do PT e da política, além da realização do ato inaugural contra a democracia que foi o impeachment inconstitucional que me derrubou ilegalmente em 2016.

Culmina o processo na prisão de Lula, sem provas, impedindo-o de voltar à Presidência. Sabiam que nossos governos jamais permitiriam tamanho golpe na Petrobras e em nossas reservas.

Por fim, abriu-se o caminho para a eleição de um neofascista que torna viável a adoção da política neoliberal desnacionalizante, derrotada quatro vezes nas urnas. Mas resistiremos e lutaremos.

Amazônia em chamas

O símbolo mais vergonhoso da destruição da soberania nacional pelo governo Bolsonaro se expressa nas queimadas na Amazônia. E também nas promessas de liberação da exploração mineral da região a empresas americanas. Sempre a desnacionalização.

Depois de mais de 30 anos de política ambiental consequente, o atual governo não protege o meio ambiente.

Pelo contrário. Incentiva a destruição das florestas, ao ponto de enfraquecer e desmobilizar órgãos reguladores e de fiscalização.

O Fundo da Amazônia sempre foi uma contrapartida dos países europeus comprometidos com o meio ambiente à política brasileira de proteção à floresta. Nasceu ainda no governo Lula e cresceu em meu governo.

Adotamos como meta a redução do desmatamento de forma expressiva. Caiu 79%, desde 2004 até 2013, e assumimos o compromisso de reduzi-lo em 80% até 2020.

Meta cada vez mais distante, diante da montanha de dinheiro que o meio ambiente vem perdendo no orçamento, devido à política de austeridade, somando-se agora os R$ 283 milhões suspensos pelos países europeus.

Pior. Perdemos grande parte de nossa riqueza ambiental, perdemos credibilidade perante o povo e o mundo, além de mercado para nossos produtos de exportação.

Bolsonaro colocou a floresta amazônica no rumo da devastação, com explícito desprezo pela integridade das etnias indígenas, perseguindo ambientalistas e desprezando a fantástica biodiversidade existente na região.

Quando fala barbaridades sobre meio ambiente, autoriza e incentiva a destruição da floresta por grileiros, garimpeiros, invasores e contrabandistas.

Todos se beneficiam com a impunidade. Seu comportamento e manifestações públicas sustentam a agressão ambiental e a violência.

Bolsonaro representa o desprezo pelas riquezas nacionais e pelo futuro do país.

É a ponta de lança da implantação de um neoliberalismo perverso e devastador.

A agressão à Amazônia é a face assustadora da destruição da soberania nacional. Um crime de lesa-pátria cometido pelo governo.

A derrubada de árvores e queimadas, sob a inoperância tolerante do governo, representa grave investida contra a soberania.

Bolsonaro conduz uma política de terra arrasada, na destruição das nossas florestas e no absoluto desrespeito ao meio ambiente.

Ensino Superior sob ataque

Outro ataque à soberania está explicitado na ofensiva do governo contra o ensino superior público.

O acesso massivo ao ensino superior de qualidade no Brasil tem três objetivos que só um sistema público pode cumprir.

Em primeiro lugar, garantir à maioria da população um caminho de saída da pobreza ao acessar o ensino superior.

Em segundo, as universidades e os institutos devem abrir caminho à economia do conhecimento, ao desenvolvimento da riqueza do país e do povo, pela produção de ciência básica, geração de tecnologia e difusão de inovação.

Por fim, é fundamental para dar sustentação e força à nossa cidadania, garantindo suporte à expressão da diversidade cultural e da identidade brasileira.

O programa Future-se representa o contrário de tudo isso. É a privatização disfarçada dos institutos e universidades públicas.

O projeto desloca a gestão das universidades e institutos federais para o controle das grandes corporações privadas, muitas delas com forte presença de capital estrangeiro.

Para abrir caminho a isso, o governo promoveu corte de 30% no orçamento das universidades.

Na prática, estrangulou as instituições federais de ensino superior, para então submetê-las e privatizá-las.

O Future-se é um programa que privatiza a essência da universidade pública.

Desobriga o estado de sustentá-la, de dar educação de qualidade, de criar laboratórios de ciência e tecnologia, transferindo a gestão para corporações, cujo objetivo não é o desenvolvimento do país e de nossa gente, mas o lucro.

É, portanto, um grave ataque à soberania nacional e à geração de ciência e tecnologia.

E, sobretudo, no Brasil da desigualdade, torna-se a barreira intransponível para o acesso dos filhos do povo trabalhador às universidades.

O programa vai permitir a cobrança de mensalidades para os alunos, excluindo a grande maioria dos jovens brasileiros que não têm renda para custear seus estudos, já que muitos precisam da assistência social para estudar.

Foi assim que aconteceu no Chile de Pinochet. O ditador do país vizinho jamais privatizou as universidades chilenas.

Apenas obrigou-as a funcionar sob a ótica da gestão empresarial, estabelecendo mensalidades e impondo resultados financeiros.

Tal modelo existe em outros países menos desiguais que o Brasil e sem a carga de exclusão legada pela escravidão e pelas décadas de concentração de renda e riqueza.

Com o Future-se, as universidades e os institutos serão aparentemente públicos, mas permitirão a cobrança de mensalidades, estando submetidos à logica empresarial.

Funcionarão com base em pactos estratégicos estabelecidos pelas corporações privadas.

O ensino superior terá uma face pública, mas a alma será privada, pois não se integrará a um plano de desenvolvimento nacional. Na prática, funcionará como uma empresa. SERÁ O FATURE-SE!

Este é o objetivo final do programa: faturar, abrindo caminho para a privatização dos institutos e da universidade pública, chegando até à sua desnacionalização.

Jamais na história do país o ensino superior público esteve tão ameaçado como agora.

É preciso que estejamos atentos e mobilizados contra o Future-se.

O programa não promove o desenvolvimento nacional, não fortalece a democracia e nem permite tornar o país mais justo, menos desigual e mais desenvolvido.

É uma agressão a tudo o que o Brasil construiu em décadas em termos de ensino público. Um golpe duro contra o povo e a nação.

A Frente em Defesa da Soberania Nacional é nossa trincheira de resistência, que transformaremos em uma ofensiva que contenha, barre e derrote aqueles que encaminham a destruição de nossa Nação.

Por isso, desejamos que seja ampla, ecumênica, e reúna, todos os que acreditam num Brasil soberano, senhor de seu destino e de suas riquezas.

SETE DE SETEMBRO É DIA DE LUTA!

EM DEFESA DO BRASIL, DA PÁTRIA E DA NOSSA SOBERANIA!

VIVA O POVO BRASILEIRO!

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



20 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

[email protected]

08 de setembro de 2019 às 08h36

Torço pra cassar registro do pt e Lula nunca sair da cadeia merece ser transferido pra Tremembé urgente ele preso em Curitiba e um tapa na cara d0s brasileiro parecendo que ele tá em casa

Responder

    Adriano

    09 de setembro de 2019 às 18h03

    Daniel, você é muito mal informado, procure ler mais e pesquisar. Tapa na cara do povo brasileiro é a prisão indevida de Lula, foi o afastamento fraudulento da presidente Dilma. Assista menos televisão.

Ayrton Pisco

08 de setembro de 2019 às 05h12

Ler a Dilma é algo que revolta o estômago. A repetição da retórica estúpida da esquerda é algo bizarro.

Responder

    Julio

    08 de setembro de 2019 às 19h04

    Não confunda a sua mediocridade com outros.

Luiz carlos

08 de setembro de 2019 às 03h58

um governo sem proposito para o povo brasileiro, querer privatizar a petrobras, sao pessoas que nao tem nada a ver com pais, e como tirar a galinha dos ovos de ouro do povo brasileiro sao pessoas que nao querem nada com trabalho e sim com lucros

Responder

Oslec Richardson

08 de setembro de 2019 às 00h35

O discurso do poste é o discurso do stabilishment. Ou seja, querem que tudo permaneça como está, para continuarem fazendo o que sempre fizeram, que é viver às custas na união sob a falsa égide de caudilhos do povo.

Responder

Ênio

07 de setembro de 2019 às 23h53

Compra da passadina, construção de refinaria super faturada, perda de refinaria em outros países, desvio de dinheiro público, indicação política para roubar o cofre da Petrobrás…

Responder

Danuzio Alves

07 de setembro de 2019 às 23h02

Tiveram muita, muita chance e tempo pra fazerem o certo. Mas não, não fizeram. Preferiram fazer um assalto à Petrobras pra conseguir mais poder e a merda taí. Um desmiolado no governo, a nação entregue a um bando de loucos e o povo na penúria.

Responder

Eduardo

07 de setembro de 2019 às 22h53

Tem q vender a Petrobrás mesmo assim acaba com a roubalheira q sempre existiu de engordar muita gnt quem paga e sempre o povo.

Responder

Caio Bravo

07 de setembro de 2019 às 22h53

Mas é mesmo um Fature-se. Sabe o que irá acontecer ? Pobre nao vai passar mas nem na porta das universidades publicas. Estao destruindo tudo de bom que o PT fez pelo povo. Sim, pq o PT fez muita coisa boa.
A petrobras vendeu bilhoes de litros de petroleo por centavo o litro. Isso é um roubo, um assalto ao povo brasileiro.
Sorte da Boeing que comprou a Embraer, pois o seu aviao Top de Linha atual (max 800) está falido porque é um aviao que cai, o projeto é ruim. Sorte que as vendas com os avioes da Embraer pela Boeing vao gerar caixa para os americanos. Conseguiram tudo de graça e de mao beijada, negocio de pai pra filho. A engenharia dos Embraer avioes de medio porte é otima. A Boeing nao tinha bons avioes nesse mercado de medio porte.
Seremos eternamente colonia do G7. Geraremos riquezas para eles do G7.
Será que a Boeing irá ajudar no desenvolvimento dos avioes de defesa do Brasil ? Será que a boeing irá ajudar a equipar nossa aeronautica ?
Acredito que nao.

Responder

    Carlos Malhado

    08 de setembro de 2019 às 13h36

    O que foi de bom que o pt fez, quase destruiu o país, deu créditos a meio mundo de gente e esqueceu de dizer que tinha que pagar, a exemplo do Fies, roubou de tudo quanto é jeito, sua cúpula está toda presa, e ainda fica um bando de fdp defendendo uma desgraça dessas.

Francisco Lasmar

07 de setembro de 2019 às 22h43

Dilma, dilminha e a Rede petralha comunista. Nunca vcs quiseram o bem do nosso país. Vocês são comunistas e agora vem querer se fazer de uma cidadã patriota brasileira kkkkkkkk

Vocês todos dessa rede de comunistas deveriam sair do nosso país e ir para um país comunista.
Bando que atolou o nosso país em dívida. Agora um presidente que quer fazer as coisas corretamente vcs tentam denegrir a imagem dele e da equipe do Bolsonaro.

Vão embora de nosso país bando de esquerdaopatas comunistas.

Responder

    Adriano

    09 de setembro de 2019 às 18h10

    Francisco, diante de tantas bobagens que você conseguiu escrever em poucas linhas, só tenho uma coisa pra te dizer: Vá estudar, pesquisar, aprender e pare de assistir TV.

Leandro Gustavo de Queiroz Ribeiro

07 de setembro de 2019 às 22h38

Tanta besteira e desinformação que nem compensa colocar novamente as verdadeiras fontes conta essa mesma narrativa, mas a Petrobrás correios e afins não era do povo, onde começou o mensalão? nos Correios que o PT quebrou os fundos de pensões, Petrobrás foi o segundo maior esquema de desvio de dinheiro pelo PT PMDB pp etc, BNDES nem se fala, nunca foi do povo sempre foi dos políticos, agora está começando a mudar. Geralmente é só pesquisar um pouco que isso tudo cai por terra, se sempre deu lucro então pq tem o maior preço de combustível do mundo? Onde só uma empresa tem o monopólio, todos compram dela, ela paga para fazer profana e mesmo assim dá prejuízo… é a mesma coisa que correr com vc mesmo e perder.

Responder

Antônio Reginaldo Zampieri

07 de setembro de 2019 às 21h11

Sra Dilma sua administração deixou 13.000.000 de desempregados e vindos de uma economia crescente ao longo dos 14 anos de governo do PT não acho justo a Sra criticar o que não fez no primeiro turno o Presidente atual não foi minha escolha, mas no segundo para não eleger o que não deu certo em 14anos mudamos. Larguem de reclamar e se oporem vamos ser no mínimo honestos

Responder

Nelson

07 de setembro de 2019 às 19h32

Não havia opção no segundo turno.

Responder

Zé Maria

07 de setembro de 2019 às 19h32

https://pbs.twimg.com/media/ED3bV7MXkAE8VB7.jpg

“A Injustiça que se faz a Um(a)
É a Ameaça que se faz a [email protected]

#LulaLivre #VoltaLogoPT

* Não Dá Pra Apagar o Sol *

62% dos Brasileiros acreditam que
a Vida era Muito Melhor com Lula

Havia “melhores condições de vida:
Emprego, Maior Renda, Menor Inflação
e Acesso a Bens e Serviços”.

De acordo com pesquisa Vox Populi,
mesmo entre eleitores de Bolsonaro,
Governo Lula é considerado o Melhor.

*Não dá para apagar o sol,
Não dá para parar o tempo.
Não dá para contar estrelas,
Que brilham no firmamento.
Não dá para parar um rio
Quando ele corre para o mar.
Não dá para calar um Brasil
Quando ele quer cantar:
Lula lá, brilha uma Estrela” …

https://twitter.com/ManuelaDavila/status/1033712707227213829
https://twitter.com/ManuelaDavila/status/1033712596350717952

https://youtu.be/jSOVyhaymvg
https://twitter.com/hashtag/LulaAPatriaLivre

Responder

Zé Maria

07 de setembro de 2019 às 18h42

10/02/2012
UOL SP

GOVERNO DILMA ROUSSEFF (PT)

Lucro da Petrobras em 2011, de R$ 33,313 Bilhões,
é o Quarto Maior da História da Estatal

O LUCRO BRUTO alcançou R$ 77,2 bilhões em 2011 [DILMA],
1% superior ao de 2010 (R$ 76,2 bilhões) [LULA].

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização,
medida de análise de geração de caixa da empresa,
conhecida como Ebitda, foi de R$ 14,05 bilhões
no último trimestre do ano passado (2011),
ante os R$ 14,34 bilhões do quarto trimestre de 2010.

Investimentos previstos sobem quase 20%

A empresa também anunciou a aprovação de R$ 87,5 bilhões em investimentos para 2012 – um aumento de quase 20% ante os R$ 73 bilhões de 2011.

Desse total, R$ 41,8 bilhões serão para exploração e produção, e R$ 33 bilhões para abastecimento.

GOVERNO LULA

Em 2010, Lucro Ajustado foi de R$ 35,189 Bilhões.

O MAIOR LUCRO Ajustado foi obtido em 2008: R$ 38,81 Bilhões.

https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2012/02/10/lucro-da-petrobras-em-2011-e-o-quarto-maior-da-historia-da-estatal.htm

Responder

Zé Maria

07 de setembro de 2019 às 18h27

25/02/2014
G1.Globo

LUCRO LÍQUIDO anual da Petrobras
nos últimos anos:

2008: R$ 32,99 bilhões

2009: R$ 28,98 bilhões

2010: R$ 35,19 bilhões

2011: R$ 33,13 bilhões

2012: R$ 21,18 bilhões

2013: R$ 23,57 bilhões

Deduz-se daí que o Mantra da ‘Petrobras Quebrada’
foi uma Fake News da Força-Tarefa de Patifes da
Operação Lava-Jato instalada em 2014, ano em que
a Petrolífera Estatal Brasileira foi obrigada a declarar
Prejuízo de R$ 6 Bilhões, número chutado pela FTLJ
e disseminado pela Imprensa Escrita, Radiofônica
e Televisionada, que se associou à Patifaria de Curitiba.

Responder

Zé Maria

07 de setembro de 2019 às 18h13

https://pbs.twimg.com/media/ED27_ANXoAEoPb6.jpg
“O patriotismo que Bolsonaro exalta em palavras
é desmentido pelas suas ações.
A soberania brasileira está hipotecada pelos Estados Unidos.
A Petrobras está sendo vendida por partes a preço de banana.
Enfim, um governo vassalo e entreguista.” #LutoPeloBrasil

@DeputadoFederal Paulo Pimenta (PT=RS)

https://twitter.com/DeputadoFederal/status/1170382181891477505
.
.
O Mito imbecil conseguiu fazer com que convergissem contra
ele e se unificassem todas as Pautas identitárias do Planeta.

Manifestações Sociais Emblemáticas: #VoltaLogoPT

Talvez por isso, o Termo #VoltaPT ficou por tanto tempo
em evidência no Topo dos Tópicos do Twitter (Brasil e Mundial),
desde sexta-feira (06/9).
https://pbs.twimg.com/media/ED46jRhX4AoifKp.jpg
https://twitter.com/erikakokay/status/1169975107693043712
https://pbs.twimg.com/media/ED470OHWwAMbwNo.jpg
https://twitter.com/search?q=%23VoltaPT
https://exame.abril.com.br/brasil/voltapt-e-o-assunto-mais-comentado-do-twitter-nesta-sexta/
https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2019/09/06/voltapt-e-o-assunto-mais-comentado-do-twitter.htm

A Câmara Municipal de Porto Alegre censurou,
mas a gente mostra os cartuns da exposição
“Independência em Risco”. https://t.co/4SxcYI0BUO

Os 35 desenhos censurados você pode ver aqui
https://bit.ly/2knju67

https://twitter.com/HenriqueFontana/status/1170031658701086721
https://pbs.twimg.com/media/ED3rx68W4AwZmXr.jpg
#CensuraNaBienal #LutoPeloBrasil
https://twitter.com/MidiaNINJA/status/1170350795470114817

Ação na Justiça pede interdição de Jair Bolsonaro
por “insanidade mental”

Ação Popular lista Dezenas de Situações em que Bolsonaro
desrespeitou a Constituição e dá exemplos concretos de atos
que demonstram “insanidade” do presidente;

Autor é Advogado e Professor de Direito na Faculdade de Fortaleza=CE (Unifor), que conseguiu derrubar, em 2017,
um Decreto de Michel Temer que extinguia a Reserva
Nacional do Cobre e Associados (Renca), na Amazônia.

“O presidente demonstra a cada dia, de forma
não possuir o necessário discernimento e equilíbrio mental
para os atos da vida política imposta pelo alto cargo que ocupa”,
diz o advogado na ação.

íntegra:
https://revistaforum.com.br/politica/acao-na-justica-pede-interdicao-de-bolsonaro-por-insanidade-mental/

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.