VIOMUNDO

Diário da Resistência


Política

Nassif: Os bastidores da pesquisa Datafolha


16/04/2010 - 01h53

do blog do Nassif

Para entender o caso Datafolha

Os bastidores do caso Datafolha começam a aflorar.

Alguns dias antes do lançamento da candidatura José Serra, correu a informação de que o Instituto Sensus divulgaria sua pesquisa no mesmo dia. Poderia ser o anticlímax para Serra.

Dias antes, o Sensus passou a levar tiros da Folha, tentando desqualificar a pesquisa antes de saber o resultado. Um repórter foi incumbido de ouvir os donos do Instituto. Percebendo o jogo, ele informou que, devido às chuvas no Rio, os resultados sairiam após o dia do lançamento da candidatura Serra.

Em vão. Os tiros prosseguiram e a velha mídia começou a deixar pistas pelo caminho. O Datafolha preparou uma pesquisa de emergência, não programada. O Jornal Nacional anunciou que, dali para frente, só divulgaria resultados do IBOPE e do Datafolha.

Saiu o resultado do Datafolha, chamando a atenção geral, a ponto de ser colocado em dúvida pelos próprios jornalistas da Folha. Em vez de jogar com margens de erro em todos os estados, para beneficiar a candidatura Serra, o Datafolha jogou toda a variação no sul. E aí escancarou os erros cometidos, abrindo margem para fortes suspeitas de manipulação da pesquisa.

Foi o mais desgastante episódio na vida do instituto – que conquistou credibilidade nos anos 80 ao fazer o contraponto ao IBOPE.





93 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Guilherme Scalzilli

19 de abril de 2010 às 04h28

Quem já observou os bastidores desse tipo de levantamento sabe que é fácil induzir resultados usando apenas instrumentos legais ou tolerados. Faz toda a diferença entrevistar pessoas em trânsito ou nas residências, a ordem e o teor das perguntas, o tipo de apresentação dos candidatos.
Podemos levantar suspeitas sobre institutos que estimulam o entrevistado apenas citando os nomes de Serra e Dilma, não os apresentando como aliados de FHC e Lula, pois é assim que ambos serão identificados na campanha. Este é o consolo dos defensores da petista, e provavelmente o diferencial das enquetes que apontam o tal empate técnico. Eis porque a mídia conservadora tem tanto medo dessas associações.
A guerra de pesquisas é saudável, principalmente quando seus métodos são elucidados. O público escolhe em que acreditar. Não convém esperar muito da Justiça Eleitoral, mas já seria grande coisa se ela instituísse um pouco de transparência nesse burburinho estatístico.

Responder

Urbano

18 de abril de 2010 às 23h34

Há um pedro lá em cima, pelo menos neste momento, que está incorrendo em erro, de novo, de negar 'Jesus Cristo'.

Responder

Alberto

18 de abril de 2010 às 19h50

Folha: não dá prá acreditar…

Responder

Luis M. Madruga

17 de abril de 2010 às 02h06

No RS, a direita sempre lança 3 ou 4 candidatos contra o PT, o que ficar melhor colocado lidera o frentão anti-PT. A Yeda não apita nada por aqui…

Responder

    pedro

    18 de abril de 2010 às 17h56

    Desta vez nem vai haver frentão, vamos votar de cara no Fogaça que é o que tem mais condições de derrotar o PT. Derrotar o PT é fundamental, o resto é o resto.

    Giordano Paz

    19 de abril de 2010 às 01h45

    Barbaridade, piá! Tens coragem de defender a roubalheira da Yeda Cruz Credo? Vais arder nas chamas dos quintos dos infernos.

@stelles_br

17 de abril de 2010 às 01h11

No Sul:
Sensus: Dilma 40 x Serra 33
Datafalha: Dilma 20 x Serra 48
Ponto evidente: no sul, temos Requião pró-Lula e Yeda pró-Serra. Quem será q influencia mais?

Responder

    Hanibal

    18 de abril de 2010 às 17h12

    Bom dia a todos,

    A meu ver nenhum dos dois. Tanto Requião quanto Yeda estão eleitoralmente desgastados em seus estados.
    O Paraná tem eleitores de perfil muito mais conservador que os demais estados, basta ver como o PT local é incipiente. Lá, o PMDB está rachado e Requião só apoiará Dilma se Gleisi Hoffmann (esposa do Paulo Bernardo) desistir da sua candidatura ao Senado, para não ameaçá-lo. Caso contrário, Requião ameaçou apoiar Serra. Em resumo: é um maluquete, mas ainda com algo das máquinas municipais em suas mãos. E o imbróglio que se cria é que se o PT ceder a Requião, abrirá mão de uma excepcional puxadora de votos para Dilma. Nó górdio.
    O RS, cujos eleitores tem um grau de consciência ligeiramente maior e são mais esclarecidos, tem a singular tradição trocar as raposas sempre que possível. Não são afetos a reeleger, seja quem for. Foi a forma que encontraram para combater a corrupção.
    Na minha opinião, se nos estados do Sul o PT não perder por muito já seria motivo para a turma da estrela festejar.

    Antes de alguém sair cuspindo fogo contra o pobre Hanibal, dê uma olhada nos resultados de 2006. http://www.tse.gov.br/internet/eleicoes/2006/resu

jbmartins

16 de abril de 2010 às 21h00

A Coisa mais sensata que li esta tarde é que o Diretor Coimbra vai abrir o arquivo da pesquisa a Imprensa e aos Partidos Politicos, agora Data e PSDBostas vão ser desmascarados.

Responder

Julio Silveira

16 de abril de 2010 às 16h58

Eles podem fazer tudo que quizerem mas seu candidato já atingiu seu teto, na faixa dos 30% e ficará no maximo nisso, se não baixar.
desses 30% média, a maioria são de empedernidos paulistas que ganharam muito nas administrações tucanas enquanto doavam o estado, e alguns poucos convivas de outros estados.

Responder

Paulo

16 de abril de 2010 às 16h37

Advogados do PSDB acusam a direção do Instituto Sensus de estar impedindo, neste momento, em Belo Horizonte (MG), o acesso de dois representantes do partido aos formulários da pesquisa realizada pelo instituto. Ontem à noite, o PSDB conseguiu uma autorização do TSE para ter acesso aos documentos, para análise. O advogado do PSDB, Ricardo Penteado, afirma que os representantes do partido chegaram à sede do Sensus às 8h, com uma certidão expedida pelo TSE na noite de ontem, autorizando o acesso aos dados. Segundo Penteado, a direção do Sensus afirmou que só liberaria o acesso aos formulários com uma ordem direta do TSE. Esse documento foi enviado ao Sensus por fax às 11h44, reiterando os termos da certidão expedida ontem. No entanto, afirma Penteado, mesmo com a documento, o instituto agora pede um prazo até as 16h para liberar acesso aos formulários. A legislação eleitoral permite o acesso de partidos políticos, caso requeiram, aos dados das pesquisas. A lei prevê que "ato que vise a retardar, impedir ou dificultar a ação fiscalizadora dos partidos constitui crime, punível com detenção, de seis meses a um ano".

Responder

ocator

16 de abril de 2010 às 16h27

E se esses tucanos estão sustentando com tanto peito a pesquisa da folha, não ha alguma possibilidade de que tenham acertado já a contagem de votos? O sistema é seguro ou pode ser "invadido"?

Responder

    Ubaldo

    16 de abril de 2010 às 16h48

    Você assistiu ontem o filme "A teoria da conspiração?" ou se excedeu no vinho durante o jantar?
    Se houvesse alguma dúvida sobre a lisura do sistema de apuração eleitoral no Brasil, sem dúvida que iria recair no governo federal, que é em última instância o responsável pelas eleições, nunca um partido político.
    Acho que já passamos essa fase, felizmente. Fique tranquilo que se a Dilma tiver mais votos, ela leva!

    José

    16 de abril de 2010 às 19h28

    Última instância é o Judiciário, não o governo (Executivo) federal.
    Li há dois ou três dias, matéria sobre isso, só não lembro onde. É o caso de você peswquisar em alguns blogs – aqui, no PHA, nos amigosdopresidentelula,..

    Você, Ubaldo, falando em "Teoria da conspiração"?
    Não to te reconhecendo…. Alguma "auto-crítica"?

    Paulo

    16 de abril de 2010 às 19h41

    Então foi o vinho . . . .

    Augusto Gasparoni

    19 de abril de 2010 às 03h57

    Ô infeliz!!!
    Você tem repetido insistentemente esta colocação em vários post's e não corrige sua falsa afirmação. Você não é tão estúpido quanto quer fazer parecer, e sabe perfeitamente que a fiscalização do processo eleitoral não tem nenhuma ingerência do chamado governo federal (que é o Executivo). Ela é exercida pelo Judiciário (TSE), Poder Judiciário, e eles não têm se mostrado imparciais.
    Sua colocação portanto é no mínimo mentirosa. Tudo leva a crer que há riscos de manipulação sim.

    luis

    16 de abril de 2010 às 23h58

    O sistema não é seguro não, senhores. Há um zona cinzenta no processo. Vc pode auditar cada urna? Por que a amostragem é controlada pelos tribunais? Por que a escolha de urnas "prenhes" não pode ser aleatória e por partidos e coligações? A zerésima só garante que não havia nada antes. Depois de instalado o software (não auditado), este pode conter comandos "suicidas" (ou seja, que "morrem" depois de alterar, por exemplo, votos em "X" votos em branco para fulano). Por que não aceitam que 10% das urnas, escolhidas aleatoriaemnte, tenham o voto eletrônico e o manual, simultaneamente?

    francisco.latorre

    19 de abril de 2010 às 21h42

    'Por que não aceitam que 10% das urnas, escolhidas aleatoriaemnte, tenham o voto eletrônico e o manual, simultaneamente? '

    não aceitam porque aí não tem fraude.

    ..

Bonifa

16 de abril de 2010 às 16h11

Então a Máfia do Milênium trabalhou unida para socorrer o Serra…A Globo também estava nessa até o pescoço. Mas…Porquê a Globo escancarou que não ia mais divulgar as pesquisas do Vox e do Sensus? Porque ela simplesmente não deixou de divulgar, sem precisar escancarar sua atitude? É um intrigante mistério.
O Poirot já teria suspeitado de que Vox e Sensus foram peitados para aderirem à máfia da manipulação e não aceitaram. E escancarando sua rejeição a estes institutos, a Globo estaria claramente golpeando os ditos institutos por eles permanecerem honestos. Sem divulgação pela Globo, diminuiria drasticamente o cacife comercial do Vox Populi e do Sensus. É uma hipótese prá lá de plausível, essa do Poirot. E o que nos resta fazer? Antes de tudo, é preciso garantir a boa performance comercial desses institutos honestos, para que eles não desapareçam do mercado e para não ficarmos nas garras das ratazanas de pesquisa, criadas e engordadas pelo glorioso PIG.

Responder

Veritas

16 de abril de 2010 às 16h11

Datafolha de pagamento

Responder

MAURO DIAS

16 de abril de 2010 às 15h48

Acessei o blog "Brasil mostre tua cara " apareceram , por duas vezes , a mensagem " este sitio não é seguro".
Não é nada , é apenas ataque de hakers para os blog de apoio a Dilma.
Dilma Presidente

Responder

Vieira

16 de abril de 2010 às 15h43

Azenha sugiro que voce faca uma entrevista com o ex-deputado do PT do RS, Flavio Kutzi. E bom relembrar o historia da eleicao do Governador Germano Rigotto no RS em 2002. Na ocasiao o grupo RBS, juntamente com o Ibope insistiu com pesquisas de intencoes de votos que apresentavam uma grande margem de diferenca entre Tarso Genro do PT e Germano Rigotto do PMDB. Claro que a pesquisa era favoravel ao Rigotto.http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos/ec061120026.htm

Responder

João da Silva

16 de abril de 2010 às 15h18

Azenha,

Não deixe de ver o sitehttp://www.youtube.com.br/stf

O Gilmar Mendes vai dar uma entrevista hoje as 18 horas e deve responder as perguntas mais votadas. Olha só o que está liderando …

No tópico “Corrupção no Judiciário” veja as perguntas mais votadas

“O sr. recusou como prova de suborno a entrega, transmitida em rede nacional de televisão, de um milhão de reais a agente da PF. Qual seria a prova que o sr. aceitaria para manter o banqueiro condenado a 10 anos de prisão na cadeia?”
marioitalo, Rio de Janeiro

Responder

Vieira

16 de abril de 2010 às 15h12

Azenha sugiro que voce faca uma entrevista com o ex-deputado do PT do RS, Flavio Kutzi. E bom relembrar o historia da eleicao do Governador Germano Rigotto no RS em 2002. Na ocasiao o grupo RBS, juntamente com o Ibope insistiu com pesquisas de intencoes de votos que apresentavam uma grande margem de diferenca entre Tarso Genro do PT e Germano Rigotto do PMDB. Claro que a pesquisa era favoravel ao Rigotto.
Quando da contagem dos votos das urnas a diferenca foi minima. A RBS e do Ibope ficaram em uma posicao tao constrangedora que o presidente da RBS teve que ir a publico tentar explicar o ocorrido.
Nesse momento em que a Globo afirma que so vai apresentar pesquisa do Datafolha e do Ibope e bom traz a publico essa historia. E bom revivar a memoria das pessoas.

Responder

Augusto da Fonseca

16 de abril de 2010 às 11h55

Não tem nada a ver, mas até agora (8h54min do dia 16/4/2010) não consegui acessar os dois endereços do Paulo Henrique Amorim: o antigo e o novo.

Alguém sabe o que está acontecendo?

Responder

    Marcos

    16 de abril de 2010 às 12h58

    O concersa afiada mudou e não avisou ninguém.

    O novo endereço é: http://www.conversaafiada.com.br/

    Eu, que acesso os blogs através do google reader (recomendo a todos que façam o mesmo) também fiquei um tempo
    sem acessar o PHA.
    Fica a dica, avise os seus leitores sobre a mundança com letras garrafais no antigo dominio.

    Chacon

    16 de abril de 2010 às 13h27

    Olha, recebi informação da mudança. Estou acessando normalmente!

    desinformacaonao

    16 de abril de 2010 às 14h06

    Marcos, apenas complementando, no meu caso, cadastrei meu email no site antigo e recebi a novidade.

    Giovanni Gouveia

    16 de abril de 2010 às 13h07

    Estou acessando sem problemas…

    Cleverton Silva

    16 de abril de 2010 às 13h23

    Aqui, o post "Gilmar tenta censurar o You Tube. Mas não consegue" está fechando a aba quando clicamos.

    José Ruiz

    16 de abril de 2010 às 15h47

    ué… eu acessei lá, mas tá tudo em inglês… qual é a parada?

    daniel neto

    16 de abril de 2010 às 12h52

    aqui normal, desde ás 9

J. Ferrari

16 de abril de 2010 às 14h52

Tem que fazer auditoria no Datafolha, isso sim. Aquela pesquisa que deu 48% para o Serra e 20% para a Dilma na Região Sul é mais fajuta do que uma nota de três reais. A quem querem enganar??? Será que acham que nós aqui do Sul somos bobos??? Será que alguém acha que os gaúchos vão deixar de votar na Dilma, criada aqui no RS, e com carreira administrativa nos governos do PDT e PT, para votar em um paulista??? Nem f….
PS: Os gaúchos até andam meio conservadores nos últimos anos. Mas depois do desastre do governo demo-tucano da Yeda (ela não vai nem para o segundo turno, vai ter uns 10% dos votos), o palanque do Serra no RS vai estar mais vazio do que os discursos do FHC. No RS a Dilma ganha, com certeza.

Responder

    Ubaldo

    16 de abril de 2010 às 16h56

    Estou com você. Se o Datafolha cometer irregularidades como foi o caso do Sensus que na pressa de divulgar as pesquisas antes do lançamento da candidatura Serra, registrou no TRE o nome errado do Sindicato que patrocinou a pesquisa e não aguardou os 5 dias de prazo legal exigido para divulgação, ele também certamente sofrerá justa perícia.
    Quanto a Yeda ai no RS, não conte ainda com a derrota dela, pois quando ela foi eleita também iniciou a campanha com um percentual muito baixo e foi atropelando todos os candidatos, surpreendentemente.

Flavio Luiz Sartori

16 de abril de 2010 às 14h22

Que o TSE aproveite este importante momento de debate sobre as pesquisas eleitorais e convoque todos os principais institutos ou empresas de pesquisas que atuam divulgando resultados de pesquisas eleitorais nas principais mídias do Brasil sobre a eleição deste ano para apresentarem de forma transparente a metodologia usada e a forma como auditam suas pesquisas.
O TSE também poderia convocar profissionais de todo Brasil, com comprovada experiência em planejamento de pesquisas de opinião e que não tenham histórico de relação com estes institutos ou empresas de forma que estes profissionais possam analisar as metodologias utilizadas e emitir pareceres.

Responder

Flavio Luiz Sartori

16 de abril de 2010 às 14h21

Já faz muito tempo que as “caixas pretas” sobre as cotas de entrevistados do IBOPE e do Datafolha precisam ser abertas.
Quem tem histórico de manipulações em momentos decisivos de muitas eleições são o Datafolha e o IBOPE, não o Sensus e o Vox.
O TSE já deveria ter uma equipe técnica capacitada para auditar empresas de pesquisa como o Datafolha e o IBOPE à muito tempo.
Ao atender solicitação do PSDB em relação a última pesquisa do Sensus, o TSE abriu o precedente que todos nós esperávamos a muito tempo.

Responder

Donizeti Costa - SP

16 de abril de 2010 às 14h16

E aí direção nacional do PT e coordenação da campanha da Dilma ?

Voces vão ficar parados, de braços cruzados frente a armação do PSDB e do Datafolha para desacreditar as pesquisas do Sensus e do Vox Populi e da judicialização da campanha eleitoral feita pelos tucanos e sua midia de cabresto ?

O PT tem que pedir URGENTE ao TSE acesso aos dados e planilhas da última pesquisa do Datafolha, que mostram o Serra 9% a frente da Dilma, com uma inexplicável subida do tucano no Sul, que tem côr, cheiro e odor de queimado e fraude grosseira.

O PT não pode continuar a posar de bonzinho, de vítima como sempre faz com medo da mídia golpista. Tem que ir pra cima e enfrentar essa baixaria que está sendo armada. A vontade soberana do eleitorado não pode ser fraudada pelos que não tem apoio do povo.

ACORDEM, DEPOIS NÃO ADIANTA CHORAR!

Responder

    José

    16 de abril de 2010 às 19h32

    E então, José Eduardo Dutra?
    Vai pedir auditoria na Datafraude?
    E já deixze tudo pronto pras próximas pesquisas, inclusive do Ibope.

Carlos.

16 de abril de 2010 às 13h58

Pesquisa realizada a alguns anos aponta que os homens com nome "José" são maioria, seguidos pelos de nome "João". O nome "Carlos" apareceu em quartro lugar na lista. Vou entrar com um pedido de auditoria na pesquisa… Talvez isto explique porque Serra lidere as pesquisas Data-Otávio com tanta folga, porque na metodologia do Data-Frias foi feito o cruzamento das pesquisas eleitorais com as pesquisas dos nomes… Sierra, como se sabe, é José.

Já imagino a forma como os pesquisadores realizaram a pesquisa que aponta superioridade esmagadora de Sierra: "Cidadão, o senhor conhece o Zé?" "Conheço, é meu tio." "O senhor gosta dele?" "Claro!" Aí então p pesquisador do DataBranda anota na ficha das intenções de voto: JOSÉ Serra.

Por conta disso, agora sou Carlo Ponte. A Sofia Laura aprovou.

Responder

    Geloca

    16 de abril de 2010 às 20h45

    adorei esta viagem, rsrsrsrs, super criativa e inteligente

André Luiz

16 de abril de 2010 às 13h26

Concordo com amigo Armando Pinto. A Malandragem do PIG é muito grande. Tomemos cuidado.

Responder

Valdirio Guerra

16 de abril de 2010 às 13h16

Portal da Folha online.

Marina diz que não irá posar com bandeira do movimento gay.
Isso para mim é puro preconceito e racismo aos homossexuais, gente reconhecida em quase todo o mundo como seres humanos iguais a qualquer outro. Isso tem muito a ver com a sua postura, de pessoa que “Cuspe no prato que comeu”. Ouço comentários de amigos e amigas ao meu lado, com relação a essa sua atitude contra os gays, dizem eles que vc só deve mesmo posar para a Revista Rural e assim mesmo ter que pagar para isso. Estou quase concordando com eles, mas todos nos temos o direito de nos redimir.

Responder

    José

    16 de abril de 2010 às 13h22

    Considere a possibilidade de a Folha ter distorcido o que ela falou.

    desinformacaonao

    16 de abril de 2010 às 14h04

    Creio que este não é o ponto. Tenho amigos GLS e os considero muito, mas por assim dizer, não apoio a causa :) Sou contra qualquer preconceito e sou a favor de direitos iguais pois somos todos diferentes. Minha mãe se separou de meu pai e nos criou sozinha, numa época que isso era raríssimo e condenável. Hoje várias situações que eram impensáveis a 10 anos ocorrem, ex. a adoção por casais homossexuais. Creio que o preconceito é a verdadeira fronteira final da humanidade. E concordo mais ainda com o comentário do José, antes de julgar, considere a fonte.

Geraldo Mendes

16 de abril de 2010 às 13h15

As suas perguntas comprovam a lambança da Folha ao mergulhar de cabeça na campanha de Serra. Agora, seja qual for o resultado apresentado, uma entre duas coisas serão ditas: (1) a Folha insistiu na manipulação grosseira ou (2) a Folha ajeitou seu resultado de forma a se aproximar dos Vox Populi e Sensus. Não troquei as bolas não. Disse "a Folha" e não o "Datafolha". O Datafolha morreu.

Responder

sergio

16 de abril de 2010 às 13h12

globope e dataserra, que dupla!

Responder

Fabio

16 de abril de 2010 às 13h12

O PSDB recebeu nesta quinta-feira (15) a autorização do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para fiscalizar a pesquisa de intenção de votos para a Presidência da República divulgada pela Instituto Sensus na terça-feira (13). A pesquisa apontou empate técnico entre o pré-candidato tucano José Serra (32,7%) e a petista Dilma Rousseff (32,4%).

O partido entrou com representação no TSE pedindo a aplicação de multa de até R$ 100 mil ao instituto, alegando que a publicação do resultado, ocorrida nesta terça-feira (13), fere regra eleitoral que estipula o prazo de cinco dias para a divulgação, a contar do registro das informações no TSE.

A assessoria do PSDB informou ao G1 que, nesta sexta-feira (16), dois analistas de pesquisas ligados ao partido vão à Belo Horizonte, Minas Gerais, onde fica a sede do Sensus. Os analistas vão ter acesso a todas as etapas do levantamento de opinião, além de verificar o questionário formulado e as respostas obtidas dos entrevistados.

Só depois que o levantamento for realizado, o partido deve se manifestar sobre eventuais medidas a serem adotadas. Como a decisão do TSE saiu no final da noite desta quinta (15), nenhum líder do partido foi localizado para falar sobre o assunto.

Divulgação
A pesquisa foi registrada pelo instituto no dia 5 de abril, em nome do Sindicato de Trabalhadores em Concessionárias de Rodovias (Sindecrep). A entidade negou à imprensa que tivesse encomendado o levantamento ao Sensus, o que fez o instituto realizar um segundo registro, desta vez em nome do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Construção Pesada de São Paulo (Sintrapav), no dia 9. A contar desse dia, a pesquisa só poderia ter sido revelada nesta quarta (14), quando completaria os cinco dias exigidos pela norma, argumentam os advogados do PSDB.

Na quarta, o diretor do Instituto Sensus, Ricardo Guedes, defendeu a validade da pesquisa. "O questionamento à pesquisa tem origem política, não técnica", disse Guedes à Agência Estado. "Não sei por que cismaram com a gente." O diretor disse ainda que a alteração do nome do contratante foi feita dentro do prazo da pesquisa de campo e, por isso, não traria prejuízo à data de divulgação.

Responder

    augustinho

    16 de abril de 2010 às 14h24

    o Sensus tem que ter o cuidado de pegar o roteiro, filmar e gravar o ' trabalho' dos dois xisnoves do partido tucano.
    Mesmo SEM que os tucanos percebam.
    Alias se eu fosse o ricardo guedes, amarrava o bico deles previamente.

    José

    16 de abril de 2010 às 13h25

    PT deve questionar pesquisas da Folha e do Ibope.
    Sensus poderá pedir indenização ao PSDB? – No valor de 10 vezes o da multa.

desinformacaonao

16 de abril de 2010 às 13h08

Gostaria de comentar sobre algo que me parece estar acontecendo na atual campanha eleitoral. Mas antes quero voltar à fatos ocorridos em Belo Horizonte nas últimas eleições.

ANO: 2000 – Célio de Castro foi reeleito prefeito de Belo Horizonte, e Fernando Pimentel eleito como vice. Em Novembro de 2001, Célio de Castro sofreu um derrame que o obrigou a deixar a vida pública. Fernando Pimentel assumiu interinamente, e só foi efetivado no cargo de prefeito em Abril de 2003, após a renúncia de Célio. O governo de Célio de Castro sempre teve muita credibilidade e altos níveis de aprovação. Fernando Pimentel, continou as grandes obras de Célio de Castro, revitalizando o centro de Belo Horizonte, retirando os ambulantes das ruas, entre outras ações. Seu governo sempre teve grande aprovação, e em especial estas duas ações de revitalização da cidade, foram muito bem recebidas.

ANO 2004: Quando as primeiras pesquisas eleitorais foram divulgadas, houve grande surpresa. João Leite, que havia sido derrotado por Célio de Castro na eleição de 2000, apareceu com mais de 60% de intenções de voto. Curiosamente, as mesmas pesquisas, informavam que mais de 80% da população aprovava o atual governo. Assim, logo que a campanha eleitoral começou, e os programas obrigatórios de rádio, e principalmente televisão foram ao ar, a população percebeu qual era a candidatura da continuidade e Fernando Pimentel foi reeleito em primeiro turno com quase 70% dos votos válidos.

Agora, assim como no ano de 2004 em Belo Horizonte, o governo tem enorme nível de aprovação, mais de 76% segundo últimas pesquisas, mas este não é candidato a reeleição. Já o candidato que fora derrotado em eleição passada aparece na frente. Será que a história está prestes a se repetir e veremos a candidatura que representa a continuidade do governo ser eleita em primeiro turno apesar das pesquisas?

Responder

    Tarcísio

    16 de abril de 2010 às 13h23

    Esse povo de BH é bacana demais da conta!

    Concordo em grande parte com o que você diz! Outro dado que corrobora com a sua tese é os dados da pesquisa espontânea Dilma 16% Lula 16% Serra 12%.

    O único senão que faço é que o mandatário era o candidato e isso facilita em muito, por isso acho que o caminho da Dilma é um pouco mais difícil do que o do Pimentel, mas não tenho dúvidas que ela obterá o mesmo sucesso dele.

    sds do interior (Uberlândia)

    desinformacaonao

    16 de abril de 2010 às 13h58

    Concordo discordando :), o meu ponto é que, a população aprovava quase que integralmente o governo, mas desconhecia o candidato, assim que a população tomou conhecimento, a situação inverteu. Não achei, mas lembro que na época, como hoje, a pesquisa espontânea era liderada por Célio de Castro. Quem lidera hoje as pesquisas espontâneas é o Lula. Serra lidera, como diz o PHA, com os 30% da UDN, e de lá só sai pra baixo.

    francisco.latorre

    16 de abril de 2010 às 15h04

    serra abaixo.

    ..

José Ricardo

16 de abril de 2010 às 12h59

Pessoal…… Que tal nos organizarmos ou incentivarmos instituições organizadas (sindicatos, associações profissionais, etc.) para fazermos o mesmo que o PSDB/ DEM fizeram junto à Justiça Eleitora…… Vamos questionar a metodologia adotada pelo Datafolha…. como já existe a jurisprudência para o caso da Sensus…. poderemos a partir de então questionar a validde dos dados apresentados por eles…….

Responder

    Klaus

    16 de abril de 2010 às 13h22

    Por que não o PT?

    José

    16 de abril de 2010 às 14h14

    Certo, que o PT e aliados questionem as pesquisas Ibope e Folha, com livre acesso a todos os documentos…
    Justiça teria condições de negar?
    Sei não, mas acho que o PSDB deu um tiro no pé do Otavinho.

    Alexandre

    16 de abril de 2010 às 18h34

    José! O PT está certo em esperar… Quando sair nova pesquisa do Datafolha ou Ibope pede para conferir os dados também… Essa ideia de desmoralizar os O CNT/SENSUS e o VOX POPULI pode ser mesmo "um tiro no pé do Otavinho…" Agora, o TSE não poderá negar ao PT verificar os dados do DATAFOLHA e assim, eles precisarão tomar mais cuidado e apresentar a verdade! Talvez, a sede ao pote do PSDB faça com que eles caiam numa armadilha contra eles mesmos…

Armando Pinto

16 de abril de 2010 às 12h59

A guerra armada pelo Datafolha da Judith "nós somos a oposição partidária a Lula/PT" Brito-ANJ e a judicialização da campanha pelo PSDB, que está processando Deus e todo mundo que não reza pelo seu falido neoliberalismo, está armando o cenário para um golpe via judiciário contra o resultado das eleições deste ano.
O enredo do golpe é o seguinte: a Dilma ganha nas urnas, mas a mídia aliada dirá que as pesquisas do Datafolha ou Ibope dizem que o Serra estava na frente, portanto a eleição foi fraudada. O judiciário brasileiro é reacionário e grande parte dos juízes são conservadores e com certeza haverá um que se sujeito a dar respaldo a um golpe do Serra e do PSDB, apoiado com certeza pela mídia tucana. É disso que se trata.

Responder

    Tarcísio

    16 de abril de 2010 às 13h26

    Vale dizer que o TSE andou mudando a vontade do povo no Tocantins e Maranhão portanto tem muito fundamento jurídico (jurisprudência) o que você diz!
    Mas acho que a coisa não vai tão indolor como essa turma pensa! O pau vai quebrar!

    Barral

    16 de abril de 2010 às 13h29

    Nem precisa chegar ao ponto de declarar fraude, após a vitória de Dilma PSDB/DEM vão alegar abuso de poder econômico ou político e pedir a impugnação da candidatura. Esse expediente foi usado com sucesso no Amapá e no Maranhão.

    Donizeti Costa

    16 de abril de 2010 às 13h42

    O post do Armando Pinto é sério, gente.

    Assino embaixo de tudo o que o Armando falou. O desespero da oposição demo/tucana e da mídia venal que lhe dá apoio sinalizam nessa direção.

    Um "golpe judicializado " contra a vontade do eleitorado, visto que o povo rejeita o modo de governar e a gestão tucana, do Estado minimo ( para os pobres, of course!) e de privilégios totais para seus comparsas de neoliberalismo, tipo Daniel Dantas.

    Sobre o que aconteceu conosco no governo FHC e pode acontecer com Serra no poder, tem um vídeo imperdível no Cloaca News intitulado – La pátria de los tucanos! Acessem e divulguem o vídeo.

    francisco.latorre

    16 de abril de 2010 às 15h06

    e tem a urna robocop.

    ..

Carlos Ribeiro

16 de abril de 2010 às 12h08

"Era uma vez um menino rico chamado Otávio, que herdou um jornal e o transformou em papel higiênico. O papel era de péssima qualidade . De tão ruim, só ganhava do sabugo de milho…"(prossigam,prossigam,…)

Responder

    José

    16 de abril de 2010 às 13h28

    Lembra da parte em que ele botou a cabeça na boca do jacaré?

mila

16 de abril de 2010 às 11h54

O problema é que o PIG quer que o Brasil retorne para buraco que FHC o meteu em seu governicho. Entendem ser uma audacia a massa mal cheirosa ousar desejar ser protagonista no mundo. Sentem saudades dos funcionarios bem cheirosos do FMI dando ordens aqui. Jobim representante do pensamento tucano já demonstrou que a direita não muda com o acordo militar realizado com os USA. Não entregou no acordo uma parte do território para a instalação de euma base porque espera um governo tucano assumir em 2011, mas deixou brechas para a base. O s demotucanos quebraram o país por três vezes. E querem quebrar a quarta. A pergunta que não quer calar: o povo brasileiro permitirá?

Responder

Augusto da Fonseca

16 de abril de 2010 às 11h54

Os tucanos têm razão. As pesquisas atendem os interesses de quem as contrata. Pena que os dois maiores (será?) institutos (Ibope e Datafolha) sejam contratados pelos dois maiores cabos eleitorais do Serra: O Globo e a Folha de São Paulo.

Cabe à blogosfera independente desconstruir as parcialidades contidas nessas pesquisas, mostrando suas contradições e incoerências.

É mais um capítulo histórico pela construção da democracia brasileira

Á luta pois!
http://festivaldebesteirasnaimprensa.wordpress.co

*

Responder

pereira

16 de abril de 2010 às 11h47

Para o serra não tem jeito, nimguém modifica time que esta ganhando de 5×0, e a conversa é de 8×0, o serra vai tar com os burros naqua como diz aqui no interior, e pesquísa é como sergio guerra vem falando é dataibope até o fim. mesmo que no final seja 60% Dilma 40% serra se ouver segundo turno, porque do jeito que eu estou vendo vai ser no primeiro mesmo, porque a marina com este preconceito contra as minórias não vai passar dos 5%, mas o o dataibope só vai dar o resultado como aqui na Bahia depois das urnas abertas.

Responder

Sebastião Ferreira

16 de abril de 2010 às 11h29

E dizer que houve um tempo que o jornal Folha de São Paulo, aquele que mentia ao afirmar que não tinha rabo preso com ninguém entrava em minha casa. O cara que disse "que o otimista é um sujeito mal informado" é um gênio. Assine e leia a Folha e seja mais um idiota. Não me perdôo por isso. Não entrem nessas " frias".

Responder

Ubaldo

16 de abril de 2010 às 11h22

O título deveria ser: Para entender o caso Sensus.

A pesquisa foi contratada por um sindicato, o que já demonstra ser um cliente suspeito, e registrada em nome de outro sindicato. Na pesquisa de campo foi incluída uma pergunta ao início da entrevista sobre a satisfação em relação ao governo Lula, o que levanta a possibilidade de que alguns entrevistados tenham sido, em caso de indecisão, levados a preferir a Dilma, distorcendo a pesquisa. Além do mais a coleta de dados se encerrou exatamente no dia anterior ao lançamento do evento da candidatura do Serra, o que pode ser inferido que isso foi feito para se evitar um incremento das percentagens favoráveis ao Serra. Outra observação foi que esse Instituto, em todas as pesquisas anteriores apresentou percentuais favoráveis à Dilma superiores aos resultados das pesquisas tanto do Datafolha quanto do Ibope.
Por tudo isso, a tal pesquisa Sensus, não CNT-Sensus, foi justamente avaliada como não importante para ser considerada. Quanto ao Datafolha, Ibope e Vox Populi, acredito que, dependendo do cliente que banca a pesquisa e dentro das margens de erro, podem ser também ligeiramente ajustadas tanto para favorecer o Serra quanto a Dilma.

Responder

    Carlos

    16 de abril de 2010 às 12h13

    Quer dizer que, dependendo de quem é o cliente, os institutos de pesquisas puxam pra lá ou pra cá, para agradar o pagador?
    Então, pra que instituto de pesquisa, se a gente sabe que o resultado é acochambrado?
    Fechem essas porcarias. Os próprios politicos não dizem que "não acreditamos em pesquisa"?
    Pra que essa briga toda, então? Só pra torrar dinheiro?
    Peraí, meu!

    Paranah

    16 de abril de 2010 às 13h36

    Tem pesquisa que retrata a realidade, pra orientar a campanha, e tem pesquisa pra divulgar…

    Ubaldo

    16 de abril de 2010 às 15h21

    Carlos,
    É isso mesmo. Os institutos de pesquisa sempre se reúnem para acertar detalhes de como as pesquisas devem andar juntas e como a sociedade continue a ficar dependente das pesquisas. Assim todos eles faturam.
    Para os políticos as pesquisas valem mais ou menos apoio e isso significa mais ou menos dinheiro para a campanha, daí a sua importância. Além disso, há uma parcela da população que vota em quem vai ganhar para "não perder o voto" e para estes as pesquisas também são importantes.
    Vamos no popular: as pesquisas servem para arrecadar grana para campanhas, a movimentar a imprensa e a manipular os votos dos sobreviventes.

    Juarez Marques

    16 de abril de 2010 às 12h32

    Ubaldo,

    Este ministro deve ser seu ídolo.
    Aos outros que frequentam esse blog, é bom pesquisar que é este ministro meio suspeito.

    De Os Amigos do Presidente Lula

    sexta-feira, 16 de abril de 2010
    Era só o que faltava; Justiça Eleitoral autoriza PSDB a fiscalizar pesquisa Sensus

    O ministro Joelson Dias, do TSE (Tribunal Superior Eleitoral),o mesmo que vem aplicando multas no Presidente Lula, e fez vistas grossas para a campanha política de José Serra no governo de São Paulo, autorizou hoje o PSDB a fazer uma fiscalização na pesquisa do Instituto Sensus.

    A última pesquisa do instituto, deu empate técnico na corrida presidencial entre o tucano José Serra (32,7%) e a petista Dilma Rousseff (32,4%. O jornal de oposição a Lula e Dilma,o Folha de São Paulo, não gostou do resultado da pesquisa. Se juntou ao PSDB, para detonar o instituto

    "O ministro Joelson Dias determinou a entrega para o partido de toda a documentação, inclusive dos formulários utilizados na pesquisas", afirmou o advogado Ricardo Penteado, que defende o PSDB.

    O pedido de fiscalização foi apresentado hoje pelo advogado. Ontem, o partido ajuizou um pedido de multa ao instituto. Segundo Penteado, o Sensus desrespeitou o prazo legal de cinco dias entre o registro da pesquisa no TSE e a divulgação dos resultados.Nesta quinta-feira, o ministro mandou notificar o instituto para que apresente sua defesa.

    A pergunta que os meus queridíssimos leitores estão estão fazendo:" O PT não pedir para o TSE autorizar auditoria no Datafolha?

    jose carlos

    16 de abril de 2010 às 13h12

    Calma gente! O Ubaldo é apenas um personagem do Henfil, lembram-se; Ubaldo, o paranóico!

    José

    16 de abril de 2010 às 13h34

    Isso, e se continuar ubaldiando assim, o Henfil joga nanquim nele e o baixim fica sozinho…

    Ines Ferreira

    16 de abril de 2010 às 15h31

    o que me deixa pasma é a falta de atitude do PT e da coordenação da DILMA, deveriam entrar com outro ação no TSE recorrendo da decisão deste ministro Joelson que, claro deve ter sido colocado lá no governo FHC, mas não tem outro ministro lá, não. A petições dos tucanos só caem na mão deste ministro. Muito suspeito. 'bora gente! A luta está só começando, estamos lutando com gente que apela para golpe baixo, dedo no olho, chute nos ovos e etc.

    Donizeti Costa - SP

    16 de abril de 2010 às 17h10

    Putz, chute nos ovos, Ines ?

    Isso dói pacas !

    Mas fique tranquilinha Ines, ontem na entrevista para a rádio jovem pan, o Zé Serra disse que se depender dele, a campanha será de alto nível, pois ele não é adepto de baixarias na política !!! Caraca, tô rolando de rir até agora !!!

    Todos sabem que o Serra terceiriza a baixaria para seus jornalistas de aluguel/PIG e seus cães de aluguel na Internet e fica posando de " santinho do pau oco ". Serra é o maior perigo que existe para a democracia e a liberdade no Brasil.

    Almerindo

    16 de abril de 2010 às 16h42

    "A pergunta que os meus queridíssimos leitores estão estão fazendo:" O PT não pedir para o TSE autorizar auditoria no Datafolha? "

    SIMPLES: se o PT pedir ao TSE a MESMA COISA que o psdb pediu, o PIG irá esconder o pedido do psdb e irá escancarar o do PT em gigantescas manchetes, dizendo que o PT está cerceando a liberdade e a democracia, que o PT quer transformar o Brasil numa Cuba, etc… QUER APOSTAR???

    Cleverton Silva

    16 de abril de 2010 às 13h28

    Coitado! Esse caiu na conversa da "Rede Neural". Ubaldo também quer cortar os pulsos?

joao sal

16 de abril de 2010 às 11h21

Acho que a "Falha de São Paulo" está entrando numa "Frias".
É só esperar que o tempo confirmará.

Responder

    Hps

    16 de abril de 2010 às 14h02

    E o ibope também. Os marqueteiros do pig viraram as baterias para suas próprias tricheiras. era tudo que o lula e adilma queria… tá provado mais uma vez que a truculência sucumbe a razão e a estratégia

    Ubaldo

    16 de abril de 2010 às 15h12

    João Sal,
    Você quis dizer Forum de São Paulo?
    Aquele que o pessoal da esquerda ainda acha que pode implantar o socialismo e o comunismo aos moldes cubanos no Brasil?

Flavio Lima

16 de abril de 2010 às 10h59

Desespero. Que bom que é do lado "deles". Vão fazer uma caca em cima da outra. É postura de quem não zela pelo seu nome profissional. Nem eles mesmo acreditam neles, falam só pro publico de direita, cada vez menor.

Responder

Barão Klaus da VP

16 de abril de 2010 às 10h40

Finalmente o jornalista bolchevique, que teve sua alma tomada pelo molusco nonadictilo apedeuta, se rendeu ao instituto de pesquisa com os números mais confiáveis, ilustrando a página principal com o último levantamento do DataPrado (http://hariprado.wordpress.com/ ). Alvíssaras.

Responder

    José

    16 de abril de 2010 às 13h36

    Passei lá, tá muito divertido.

Dias Melhores

16 de abril de 2010 às 10h22

Atenção !
Parece q o TSE deu decisão favorável a que o PSDB faça uma auditoria no Sensus.
Se for verdade, trata-se de um dos maiores absurdos da Justiça eleitoral brasileira e mostra de forma muito clara que a campanha da Dilma terá novos adversários.

Responder

Dias Melhores

16 de abril de 2010 às 10h19

Olá Azenha e amigos.
Sei que o assunto político é da ordem do dia, mas peço especial atenção para o artigo, publicado hoje no JB, do Mauro Santayana.
É de suma importantância e gravidade.

Responder

Antonio Lyra Filho

16 de abril de 2010 às 10h03

Por qual motivo o PSDB não entrou na justiça como fez com a do Sensus.

Responder

H. Pires

16 de abril de 2010 às 09h52

A direita esta na defensiva. A direita é amadora. Ainda com poder, mas de um amadorismo a toda prova. A cada dia se fragmentam mais, por deixar a MIDIA no comando e no jogo sujo, pra eles.

Responder

Roberto Locatelli

16 de abril de 2010 às 09h15

E tem uma coisa, Beto, o eleitor típico de Marta não vota em demo-tucano nem pra diretor de circo de pulgas. Então é caso de se perguntar: será que os resultados para governador de São Paulo também não estariam sendo manipulados? A conferir.

Responder

val

16 de abril de 2010 às 05h27

FOLHA tá indo pro buraco. Nem se o Serra ganhar (toc toc toc, Deus nos livre) a situação deste jornal se inverterá.
Caiu no rídiculo. Virou um panfletário do Serra. Ninguém mais acredita. Brinquedinho do levado FRIAS. Fico pensando nos jornalistas com caráter que trabalham numa redação destas. A pressão. O sufoco pra segurar a barra, pois as contas no final do mês precisam ser pagas. O sujeito aguenta até o talo. Tudo em vão pq a Folha vai dançar. Anotem aí …

Responder

    Beto Crispim - BH

    16 de abril de 2010 às 06h16

    e será para os buracos do metrô e a lama da chuva dos desgovernos demotucanos de São Paulo. Os Frias (frias mesmo), devem estar enlouquecidos. Dilma ja empatada com o Serra e a Marta disparada em primeiro lugar para o Senado. Queria ser uma formiguinha pra estar na sala de jantar da casa Frias….kkkkk

    José

    16 de abril de 2010 às 11h47

    "Era uma vez um menino rico, chamado Otávio, que herdou um jornal…" (prossigam, prossigam,…)


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding