VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Política

Marcos Coimbra: Programa Brasil sem Miséria e o caso Palocci


05/06/2011 - 17h50

por Marcos Coimbra, no Correio Braziliense

Ministros em apuros são mais a regra que a exceção em nossa experiência recente. Se alguém se desse ao trabalho de calcular quantos dias passamos, nos últimos 20 anos, sem que pelo menos um estivesse complicado, veríamos que não foram muitos.

O que é realmente importante na informação que recebemos todo dia sobre o sistema político? E o que é secundário, referindo-se a coisas que não duram muito e apenas parecem ter maiores consequências?

Neste momento, por exemplo, o noticiário sobre a crise causada pelos problemas de Antonio Palocci domina os meios de comunicação. Ela é importante?

Certamente sim, pois qualquer dificuldade que afete um ministro central no governo é relevante. Ainda mais se for alguém como ele, que foi, nos primeiros meses, quase um primeiro ministro.

Embora a crise seja, de fato, significativa, ela está longe de ser tudo que acontece no governo. E nem é tão original assim. Ministros em apuros são mais a regra que a exceção em nossa experiência recente. Se alguém se desse ao trabalho de calcular quantos dias passamos, nos últimos 20 anos, sem que pelo menos um estivesse complicado, veríamos que não foram muitos.

O próprio Palocci já viveu essa história. No fim do primeiro governo Lula, quando ocorreu o caso Francenildo, ele não era tão menos que agora. Como ministro da Fazenda que contava com apoio unânime do empresariado e da mídia, e depois que vários de seus colegas tinham tombado vítimas do mensalão, achava-se que Lula dependia dele para sobreviver. Pois bem, Palocci saiu, Lula ganhou a eleição e foi adiante para se confirmar como a maior liderança de nossa história (goste-se ou não dele).

Palocci pode estar vivendo, de novo, um inferno astral, mas isso não é fundamental. No médio e, especialmente, no longo prazo, sua permanência ou saída são secundárias. Como foram as de antecessores seus em governos passados. Ministros são parecidos a outras pessoas insubstituíveis, das quais, como diz o ditado, os cemitérios estão cheios.

As coisas que realmente importam são outras. Como o lançamento do programa Brasil sem Miséria, que ocorreu enquanto olhávamos para a “crise”.

Se medirmos a centimetragem a ele dedicada pelos nosso maiores veículos ou o tempo nos telejornais de maior audiência, ficaríamos com a impressão que é um assunto quase insignificante. Pelo espaço e a atenção que recebeu, que o novo programa é apenas mais um na rotina da burocracia.

Na verdade, um pouco pior que isso. O tom da cobertura foi claramente negativo, com insinuações de que era uma manobra para desviar a atenção da opinião pública do que seria realmente importante, a “crise”.

Como se fosse sequer possível inventar um programa da complexidade do Brasil sem Miséria na última hora. Como se não tivesse exigido meses de estudos e formulações preliminares. Como se seu lançamento não estivesse anunciado há muito tempo e não ocorresse no prazo estipulado antes da eclosão da “crise do Palocci”.

O programa passou a ser visto como uma pirotecnia algo ingênua. Foi reduzido a uma manobra, no fundo, inútil, pois incapaz de produzir suas “verdadeiras intenções”.

Tudo nele passou a ser enxergado a partir desse prisma. Até a cerimônia inicial. O número de convidados, a solenidade, os discursos, cada detalhe foi interpretado como parte de um “estratagema” diversionista. O que pensavam? Que Dilma lançaria um programa desse porte às escondidas? Que ele não era suficientemente importante para justificar o evento?

É possível que nossa imprensa ache que faz “bom jornalismo” quando ignora, coloca sob suspeita ou trata como irrelevante um programa como o Brasil sem Miséria. Que o certo é deixar tudo de lado e manter-se focada na “crise do Palocci”.

O curioso é que, ao comentá-lo, não se afirmou que era inviável, fantasioso ou irrelevante. Ninguém argumentou contra suas propostas concretas. Não foram questionadas suas metas ou estratégias.

Parece, portanto, que ela não discorda do programa. E não vê razões para duvidar que o governo tenha capacidade de executá-lo.

Apenas acha que é pouco importante, pelo menos em comparação com a “crise”. Será que é? Será que um programa destinado a solucionar, em quatro anos, o mais grave problema do Brasil pode mesmo ser considerado irrelevante? Para os 16 milhões de beneficiários, pode ser tudo, menos desimportante.

Leia aqui “A entrevista do ministro Palocci e a pergunta que não foi feita”.





47 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Marcos Coimbra: Programa Brasil sem Miséria e o caso Palocci

08 de abril de 2015 às 00h11

[…] By ferreirinha on 6 de junho de 2011 Brasil Dilma política pública Do Portal Vi o Mundo por Marcos Coimbra, no Correio Braziliense Marcos Coimbra é sociólogo e presidente do […]

Responder

Andre Antares

06 de junho de 2011 às 16h34

O brasil sem miséria está a todo vapor, prova disto é o palocci

Responder

Regina Braga

06 de junho de 2011 às 16h05

Estranho,a conclusão do PCdo B,pelo que vi, Aldo e Kátia estavam do mesmo lado.

Responder

Elisabeth

06 de junho de 2011 às 14h51

Vou ser sins era, ainda estou tentando entender o caso Palocci, no primeiro momento pensava que acusavam o Palloccci receber dinheiro de empresas para trafico de influência, para ter vantagens no estado…Mas não é isso, acusam e dele "enriquecer" rapidamente e quatro anos? Peraí, eu ate fiquei confusa, porque tanto Azenha e outros bloguistas afirmavam a mesma coisa , que era anti ético a postura do Palocci de ganhar dinheiro usando "influencia"por estar no governo. Mas ele não tem mais a empresa!!Mas ele não tem recebeu dinheiro das empresas para eleições, não era responsável por arrecadações para eleições, as empresas que deu consultoria não tem "negócios" ou ligações com estado.NENHUMA foi beneficiada por ele estar no governo. Sua empresa de consultoria ganhou em media como outra empresas de consultoria, apenas quando fechou a empresa, todos pagaram de uma vez suas dividas a ele e por isso o balanço foi grande. Então acusam ele de que? Ganhar 2O milhões? Ele não deu o nomes publicamente das empresas, mas a PROCADORIA tem os nomes e logo todos podem ter acesso as empresas. Sério do que acusam o Palocci? Desculpem mas acusações antigas de arrecadações de dinheiro para eleições e “Valérioduto” no mensalão, isso sim era duvidoso!

Responder

Elisabeth

06 de junho de 2011 às 14h37

Tinha comentado sobre isso, a razão de criar uma crise por causa do programa "Brasil sem miséria". Avisei aqui,a elite morrendo de medo de 2 de junho! Agora fazem parecer que o programa do governo foi "criado" para esquecerem o "caso Palocci". Sendo quem criou o caso Palocci foi a "midia". E governo tem planejado o programa desde o inicio do ano. Tenho acompanhado. A ministra Tereza Campello em dado entrevista sobre o programa sem miséria desde que foi empossada. Enfim, CONCORDO A mídia corporativa do Brasil pensa que é um partido político e pensa estar disputando o poder com o governo.
Ps: Convido a todos Engajarem no Projeto "Brasil sem miséria"

Responder

Lousan

06 de junho de 2011 às 14h09

é o brasil

Responder

EUNAOSABIA

06 de junho de 2011 às 14h05

Todos nós sabemos quem é Marcos Coimbra, para o azar dele.

Responder

Eduardo Guimarães

06 de junho de 2011 às 13h20

Hugo Chávez encontra Palocci no Palácio do Planalto e lhe deseja "força" http://bit.ly/jpKhg4

Responder

augusto

06 de junho de 2011 às 12h47

Mais adiante porem…
atn planejadores e estrategos. Se voces insistirem demasiado na comunicaçao com a vertente da inclusao do segmento dos muito pobres (necessario e urgente!) nao vai sobrar alguma coisak proclasse C que ja
emergiu e continua ascendendo?
Se faltar isso eles vao reclamar. No voto, é claro. Esse script ja passou em outro país.

Responder

Eduardo Guimarães

06 de junho de 2011 às 12h05

Estadão acusa petistas que querem derrubar Palocci de buscarem "tirar vantagem" de sua demissão http://bit.ly/mzqsn8

Responder

Eduardo Guimarães

06 de junho de 2011 às 11h38

Estadão acusa petistas que querem derrubar Palocci de buscarem "tirar vantagem" de sua demissão http://bit.ly/mzqsn8

Responder

Pardalzinho

06 de junho de 2011 às 11h12

Tivemos esta bela iniciativa do Brasil sem Miséria, o desemprego em maio foi o mais baixo da história recente, a inflação (que diziam que estar totalmente fora de controle) baixou sensivelmente e o saldo da balança comercial, para surpresa geral, foi positivo; algo em torno de U$ 3.5 bilhões de dólares (este número anualizado daria um saldo superior a U$ 40 Bi).

E quem lê os jornais e assiste o JN só lê e ouve a palavra CRISE… Porra, que crise é essa?

Responder

@aweiser278

06 de junho de 2011 às 11h10

Pura mentira. Camareiras sempre sabem quando tem umm hospede VIP em seu hotel. Elas sao escolhidas a dedo para servir estes hospedes. Hoteis em Nova Iorque e em todas as cidades grande sao notorios por oferecerem servicos de prostituicao, e drogas. geralmente estes servicos sao entregues aos cata malas. E muito possivel que el caso deste senhor a transacao ficou do lado de dentro do hotel para proteje lo de "riscos" com os centros de prostitutoas ja conhecidos. Nao e realidade que ela nao sabia. E se esta mentindo sobre isto nao sei mais em que possa estar mentindo. ja o caso do caseiro tabem esta super mal contado. Como a grana foi parar na conta dele e que foi o pai dele quem mandou esta em duvida

Responder

ELIMA

06 de junho de 2011 às 11h04

A META é destruir o governo DILMA, desgastá-la até a derrota nas urnas em 2012 ou até mesmo sofrer um impedimento (impeachment) ou um golpe armado , quem sabe ?, A OPOSIÇÃO aposta no vale tudo para para CONTRARIAR as URNAS e tomar o Poder , mas , com uma desculpa mesmo que falsa incutida na cabêça do Povo pela midia cumplice desse metódo nazista. A instalação e o sucesso do programa 'BRASIL SEM MISÉRIA' que beneficiará mais de 16milhões de brasileiros, será uma RASTEIRA definitiva no PSDB=DEM=PPS=PSOL, a direitona mascarada, ENTREGUISTAS E ANTI-NACINAL ,que tanto MAL ja fez a esse País e a este Povo sofrido, e ELES sabem disso. EIS o motivo das suas eternas invenções de FACTÓIDES e CRISES para atingir o Governo Dilma ……. ainda bem que existe esses blogs para alertar os desavisados….

Responder

    abrantes

    06 de junho de 2011 às 12h09

    É uma pena que o blog do PHC -Paulo Henrique Cardoso tucanou .

Eduardo Guimarães

06 de junho de 2011 às 10h56

PC do B vê CONLUIO de forças CONSERVADORAS no caso Palocci para enfraquecer governo Dilma http://goo.gl/3gZK3 @ptnacional

Responder

monge scéptico

06 de junho de 2011 às 10h54

O caso palocci embora afrontante, perdeu para mim a importância, diante
da magnitude do programa Brasil sem miséria. Porém a miséria continuará,
se paralelamente não houver oferta de trabalho para os beneficiários do pro-
-grama, Qualquer trabalho e, não me falem em trabalho em condições espe-
-ciais, porque a maioria dos brasileiros trabalham , sem ter nenhum benefício
adicional. Adeus palocci!.

Responder

Julio Silveira

06 de junho de 2011 às 10h37

O programa da presidenta Dilma para acabar com a miséria absoluta no país é de nos encher de orgulho.
Todo homem publico, ao iniciar mandato em qualquer nivel de atuação deveria buscar essa condição. A Dilma, ao agir assim, personifica um governo por muito tempo ambicionado pela maioria da nação. Mas ela peca, peca pela sua inercia quando permite que, em nome da fidelidade ao seu partido, permita que alguem, quem quer que seja, tenha beneficios alem dos reconhecidamente justos e obrigatórios aos demais cidadãos. Aí, ela se sobrepõe a cidadania, se coloca em pedestal superior manchando seu histórico de busca pela justiça para a cidadania.

Responder

Jocélio Lima

06 de junho de 2011 às 09h30

Tbm acho que os "blogueiros sujos" deveria trabalhar mais com agenda positiva do governo..

Responder

leandro

06 de junho de 2011 às 08h37

O PMDB tá adorando o caso palocci. O governo da Dilma tá nas mãos dele, por isso não querem que ele caia, quanto mais tempo durar mais forte fica o partido e deixa o ônus de ser governo fica com o PT.

Responder

leandro

06 de junho de 2011 às 08h08

O caseiro do Piauí e a camareira da Guiné

Nascido no Piauí, Francenildo Costa era caseiro em Brasília. Em 2006, depois de confirmar que Antonio Palocci frequentava regularmente a mansão que fingia nem conhecer, teve o sigilo bancário estuprado a mando do ministro da Justiça.
Nascida na Guiné, Nafissatou Diallo mudou-se para Nova York em 1998 e é camareira do Sofitel desde 2008. Domingo passado, enquanto arrumava o apartamento em que se hospedava Dominique Strauss-Kahn, foi estuprada pelo diretor do FMI e candidato à presidência da França.
Consumado o crime em Brasília, a direção da Caixa Econômica Federal absolveu liminarmente o culpado e acusou a vítima de ter-se beneficiado de um depósito irregular no valor de R$ 30 mil. Por duvidar da palavra do caseiro, a Polícia Federal resolveu interrogá-lo até admitir, horas mais tarde, que o dinheiro fora enviado pelo pai do jovem detido por dizer a verdade.
Consumado o crime em Nova York, a direção do hotel chamou a polícia, que ouviu o relato de Nafissatou. Confiantes na palavra da camareira, os agentes da lei localizaram o paradeiro do hóspede suspeito e conseguiram prendê-lo dois minutos antes da decolagem do avião que o levaria para Paris ─ e para a eterna impunidade.
Até depor na CPI dos Bingos, Francenildo, hoje com 28 anos, não sabia quem era o homem que vira várias vezes chegando de carro à “República de Ribeirão Preto”. Informado de que se tratava do ministro da Justiça, esperou sem medo a hora de confirmar o que dissera em depoimentos na polícia e na Justiça. Nunca foi chamado. Na sessão do Supremo Tribunal Federal que julgou o caso, os juízes se dispensaram de ouvi-lo. Decidiram que Palocci não mentiu e engavetaram a história.
Depois da captura de Strauss, a camareira foi levada à polícia para fazer o reconhecimento formal do agressor. Só então descobriu que fora estuprada por uma celebridade internacional. A irmã que a acompanhava assustou-se. Nafissatou, muçulmana de 32 anos, disse que acreditava na Justiça americana. Embora jurasse que tudo não passara de sexo consensual, o acusado foi alojado numa cela.
Nesta quinta-feira, Francenildo completou cinco anos sem emprego fixo. Palocci completou cinco dias de silêncio: perdeu a voz no domingo, quando o país soube do milagre da multiplicação do patrimônio. Pela terceira vez em oito anos, está de volta ao noticiário político-policial.
Enquanto se recupera do trauma, a camareira foi confortada por um comunicado da direção do hotel: “Estamos completamente satisfeitos com seu trabalho e seu comportamento”, diz um trecho. Nesta sexta-feira, depois de cinco noites num catre, Strauss pagou a fiança de 1 milhão de dólares para responder ao processo em prisão domiciliar. Até o julgamento, terá de usar uma tornozeleira eletrônica.
Livre de complicações judiciais, Palocci elegeu-se deputado, caiu nas graças de Dilma Rousseff e há quatro meses faz e desfaz como primeiro-ministro de fato. Atropelado pela descoberta de que andou ganhando pilhas de dinheiro como traficante de influência, tenta manter o emprego. Talvez consiga: desde 2003, não existe pecado do lado de baixo do Equador. O Brasil dos delinquentes cinco estrelas é um convite à reincidência.
Enlaçado pelo braço da Justiça, Strauss renunciou à direção do FMI, sepultou o projeto presidencial e é forte candidato a uma longa temporada na gaiola. Descobriu tardiamente que, nos Estados Unidos, todos são iguais perante a lei. Não há diferenças entre o hóspede do apartamento de 3 mil dólares por dia e a imigrante africana que arruma o quarto.
Altos Companheiros do PT, esse viveiro de gigolôs da miséria, recitam de meia em meia hora que o Grande Satã ianque é o retrato do triunfo dos poderosos sobre os oprimidos. Lugar de pobre que sonha com o paraíso é o Brasil que Lula inventou. O caseiro do Piauí e a camareira da Guiné berram o contrário.
Se tentasse fazer lá o que faz no Brasil, Palocci teria estacionado no primeiro item do prontuário. Se escolhesse o País do Carnaval para fazer o que fez nos Estados Unidos, Strauss só se arriscaria a ser convidado para comandar o Banco Central. O azar de Francenildo foi não ter tentado a vida em Nova York. A sorte de Nassifatou foi ter escapado do Brasil que absolve o criminoso reincidente e castiga quem comete o pecado da honestidade.

Responder

    abrantes

    06 de junho de 2011 às 12h04

    Para criticar você deveria pelo menos ter se informado melhor e ficaria sabendo que ele era ministro da fazenda e não da justiça.
    tucanos são assim mesmo quando não sabem alguma coisa inventam qualquer meleca.

    leandro

    06 de junho de 2011 às 13h27

    Como se o fato de ser outro ministério mudasse alguma coisa. Continua sendo o mesmo safado. Petista é assim mesmo, quando não tem argumento se apega a detalhes sem importancia.

    augusto

    06 de junho de 2011 às 12h40

    Por qual razao as dezenas de ministros, senadores e figuroes anteriores a palocci nao tiveram nenhum caseiro depondo , apontndo bacanais e saturnais politifquescas antes?
    Vejam que nao estou pedindo que houvesse algum caseiro sortudo (40 paus assim do nada) mas algum caseiro boquirroto simplesmente.
    Talvez porque a saturnalia da elite começou com palocci e o pt.

    Quintiliano Tenorio

    06 de junho de 2011 às 13h26

    Fernando Henrique, o teu mentor e "Rei" foi o maior malandro de todos, pois comprou boa parte do congresso para ser aprovada a reeleição, e hoje é bajulado pela midia direitista que fica criando espaços para o mesmo criticar Lula e o PT. Existe uma armação em curso onde a Globo, O Estadão e a Folha, vão focar na destruição da imagem de Lula e de Dilma, e ao mesmo tempo estão levantando a bola de Aécio e do governo de Minas. Isso é fato, é só assistir e ler a tv e os jornais. É uma estratégia até inteligente, só falta combinar com o povo e os outros meios de comunicação. Agora teu candidato Serra, esse foi rifado dentro e fora do partido, está descartado, virou peso morto, que só atrapalha. Não me impressionarei se a mídia não der um gelo e faze-lo sumir do noticiário politico, ou até mesmo mostrar sua gestão incompetente a frente do governo de São Paulo.

    leandro

    06 de junho de 2011 às 13h36

    Calma..rsrs….pq tanta revolta? Só por que uma verdade foi dita?? Hoje o presidente do PT-RS pediu o afastamento de Palocci. Isso é bom senso e não idolatria cega. Pode ser companheiro, se errou tem que ser punido. O PT de hoje ta cada vez mais parecido com o PSDB.

    luiz pinheiro

    06 de junho de 2011 às 22h12

    Tá na Folha:
    Kenneth Thompson, novo advogado da camareira que acusa Strauss-Kahn de agressão sexual é conhecido por conseguir vultosas indenizações em casos civis.
    Thompson descreveu sua cliente –cuja identidade tem sido mantida em sigilo– como uma mulher simples e trabalhadora, que está "traumatizada", e quer defender sua "dignidade".
    O escritório Thompson Wigdor & Gilly, de Nova York, é especializado em defender indivíduos que enfrentam grandes empresas para conseguir indenizações multimilionárias. Em seu currículo constam uma indenização de US$ 8 milhões em um caso recente de assédio sexual, e defesas bem sucedidas de um suposto traficante de heroína e, ironicamente,de um homem acusado de múltiplos estupros.
    Segundo especialistas, os promotores que levam adiante a denúncia penal contra DSK podem encontrar dificuldades caso a suposta vítima decida lançar um processo civil antes de iniciado o julgamento penal. Os advogados de defesa de DSK poderiam convencer o júri de que a suposta vítimal demonstra a intenção de obter benefício econômico.

SEBASTIÃO FACA

05 de junho de 2011 às 23h54

MEUS AMIGOS;
Sempre que posso, estou eu aqui partilhando com todos voces a minha humilde opinião sobre todas as materia que jugo interessantes para um bom debate, e acreditem, leio todos os comentarios e me enrriqueço com eles, mais vejam bem esse caso do palocci, o que é que tem de errado com ele, o palocci, por acaso é proibido ser rico no Brasil ? vejam a Monica serra ficou 50 vezes mais rica em 45 dias e grande midia nenhuma disse nada . Agora o PIG adora dar golpe , ou no minimo obter assunto para vender esses subproduto de esgoto o qual chamamos de jornalismo, fico "puto“ é com o frouxo do palocci, que ao invéz de ficar na moita se escondendo, deveria ter vindo a público e peitado esses denunciadores fajutos, por que não desafia a eles provarem que crime cometeu, chama esses jornalistas de quinta as falas, o ônus da prova é pra quem acusa, ou não, nesse caso do palocci não tem absolutamente nada de vergonhoso, ganhar dinheiro e prestar conta a receita federal nunca foi e nem será crime; Mais se for membro do PT, ai não pode , e se for ministro da dilma, ai ta ferrado mais ainda, a grande midia vai satanizar com certeza. Acho que a DILMA não tem que se preocupar com as babaquices dessa grande midia , pois seu governo ta com tudo e será com certeza o melhor de toda nossa historia, quem viver verá. BRASIL SEM MISÉRIA, EU ACREDITO.

Responder

beattrice

05 de junho de 2011 às 23h18

Uma razão a mais para enviar seu Palocci ao DOCE MUNDO das "consultorias", ele atrasa a agenda progressista do governo DILMA e quando ela consegue andar ele atrasa a visibilidade do avanço.

Responder

    Álvaro

    06 de junho de 2011 às 13h58

    Beattrice

    Não estou aqui defendendo o Palocci, mas discordo de que ele especificamente atrasa, se não fosse ele seria outro, encontrariam certamente alguem paa crucificar. A verdade é o que menos importa, e nós ficamos ainda discutindo este assunto, bola para frente, o programa Brasil Sem Miséria foi lançado vamos acompanhar e participar.

Ana Maria

05 de junho de 2011 às 22h32

Excelente análise:
Eu colocaria no texto o seguinte: É possivel que nossa imprensa e alguns blogs" progressistas" ache que faz "bom Jornalismo" quando ignora,coloca sob suspeita ou trata como irrelevante um programa como o Brasil sem miséria.Que o certo é deixar de lado tudo e manter-se focado na "crise do Palocci"

Responder

Gustavo Pamplona

05 de junho de 2011 às 22h12

Vou explicar para algumas coisas que talvez vocês ainda não sabem.

Não existe mais direita e esquerda no país, Isto é um fato: explico:

Tivemos uma Convenção do PSDB a uma semana atrás… pois bem… aquilo eu chamaria de "morte da direita no Brasil", sabem porquê, caros amigos do "Vi o Mundo"

Simples: Se ficarem com aquela racha entre os aecistas e os serristas, eles vão morrer… aliás já estão morrendo por causa disto e também porque se apoiaram no passado em denúncias vazias (sem provas) de uma mídia já decadente.

E sobre a esquerda… bom… a partir do momento que o PT se aliou ao centrista PMDB foi decretada o ínicio da decomposição da esquerda no país.

Eu não estou vendo crise alguma nisto: Crise que eu saiba era quando a mídia falava o tempo todo e não dava 17 minutos do Jornal Nacional para um ministro.

Somente para vocês terem uma idéia… eu passei numa farmácia hoje, domingo na parte da tarde e vi a capa da Veja com um camundongo vestindo um terno…

Bom… quando eu vi a capa, eu rachei de rir… (hahahhahahaha) , sabem porquê?

Lembrei de outra capa da Veja semelhante em plena crise do mensalão, esta sim.. foi uma "CRISE" em que o Lula teve que ir se explicar na TV.

Caros, sou PTIsta assim como a maioria de vocês, mas digamos que tenho um certo grau de satisfação quando vejo um político sendo pego e tendo que se explicar na mídia.

Eu sei o que anda acontecendo com certa parte da esquerda… vocês estão sentindo uma certa "saudade" de quando nós "divertíamos" vendo a mídia bater no governo e talvez vocês não conseguem suportar alguns setores da mídia hoje alinhados com o governo.

Eu mesmo cheguei a sentir esta "saudade" um tempinho atrás… eram bons aqueles tempos..

Querem um exemplo: O Fantástico a cada dia que passa perdendo só mais audiência (e do falho Globope), a Globo anda vendo isto, sabe muito bem disto e sabe muito bem as causas.

Mentiram demais… perderam a credibilidade e não defendiam o cidadão comum… agora estão indo atrás do prejúizo O JN já tem um bom tempo que anda "chocho", sem sal…

Responder

    Sônia

    05 de junho de 2011 às 23h22

    "Vou explicar para algumas coisas que talvez vocês ainda não sabem."

    Gustavo, se fosse outro eu deixaria passar, mas como vc. gosta de "explicar" tudo para os pobres mortais, escreve-se assim:…..talvez vocês ainda não SAIBAM.

    – Nada posso comentar sobre o JN, desde as últimas eleições que não o assisto.

    Gustavo Pamplona

    06 de junho de 2011 às 11h53

    Beleza! Também sem querer deixei um "para" sozinho naquela frase.

    Corrija também o "prejúizo" no final do texto que foi mal acentuado, o correto seria "prejuízo" e veja se não deixei virgulas faltando já que sempre esqueço de colocar. Tenho problemas com isto.

    E te pergunto Sônia: Você por acaso está sofrendo de "preconceito linguístico"? Ou será que esqueceu que tivemos um presidente que maltratava o português. E quanto aquela cartilha do MEC que saiu recentemente? hahahhahhahaah

Fabio_Passos

05 de junho de 2011 às 22h05

Corretíssimo o Marcos Coimbra ao apontar como o PIG é ruim.

De qualquer forma, tomara que funcione bem o programa Brasil sem Miséria.

A pobreza extrema de uma parcela enorme da nossa população é seguramente um dos maiores problemas do Brasil. Uma vergonha para todos nós.

Tomara que a Dilma mande embora logo o "consultor" e inaugure o programa Governo do Brasil com Ética

E aproveitando a oportunidade de mandar o menino da banca fazer suas "consultorias" longe do governo, finalmente poderíamos lançar o programa Brasil com Política Macroeconômica Soberana.

Responder

José do Ceará

05 de junho de 2011 às 21h03

Vai acontecer com este novo programa a mesma coisa que acontecera nos outros já lançados.O consórcio do inferno (psdb+dem+pig) vai negá-lo,fazer de conta que não existe, mas a população beneficiada ou não por ele enxergará.o consórcio do diabo não tem propostas e/ou políticas públicas para INCLUSAO, já que só se preocupam com a elite.Há uma esquizofrenia da oposição(pig+psdb+dem) :enquanto a população busca por emprego,renda,moradia,faculdade*o que vem sendo feito), eles tentam brigar com a REALIDADE.Se todas essas políticas públicas não existissem,como teria havido toda essa ascensão social? Em 2014, quando perderem pela quarta vez, eles vão ficar querendo saber a razão… Lá no Nordeste, (segundo maior colégio eleitoral), o crescimento econômico é superior ao do próprio País(pela base de comparação mais baixa) estão sendo construídos/implantados :Novas Universidades,refinarias,siderúrgicas,ferrovias,portos,rodovias.Quem vocês acham que ganha a eleição por lá? advinhem : Lula?dilma ou….

Responder

    LuizCarlosDias

    06 de junho de 2011 às 12h10

    A oposição cabe numa van e vejam vocês, enquanto no mundo o crescimento nos aeroportos é de 7% no Brasil herança de Lula é 24% e mais, o programa Brasil 100 miséria tem propaganda lindissima com atores globais, muito chic, é quer mais? esperem 2012, venceremos pelo Brasil afora ate em SP capital, Mirem em Miriam saudações aos LULISTAS como eu.

José Ivan M Aquino

05 de junho de 2011 às 21h02

É lamentável o comportamento da nossa grande imprensa. Marcos Coimbra fez excelente análise e traduziu o sentimento que tive ao acompanhar a solenidade de lançamento. Eu estava bem ao lado do grupo da imprensa e percebi a intenção dos seus fotógrafos para capturar imagens que traduzissem suas inteções imeidatistas: menções a Palocci, tosses da presidenta Dilma, alguma acintosa manifestação contrária à presença do transitório e desnecessário ministro… Nada alimentou os abutres e seus soslaios ficaram à espreita das coletivas finais e não havia perguntas concretas sobre metas, parcerias. Estão à procura dos erros de contas nos livros do MEC e não perceberam que serão declarados incompetentes pela história.

Responder

Pedro

05 de junho de 2011 às 20h03

Talvez falte dizer que os 16 milhões passam fome, não por falta de alimentos, os quais, se fossem distribuidos segundo as necessidades nutricionais de todo o povo, ainda sobrariam.

Responder

Pedro

05 de junho de 2011 às 19h57

Vamos ser claros: a miséria é o maior alimento do capitalismo. Produzir miseráveis é sua função precípua. D, Helder Câmara dizia que o capitalismo é uma fábrica de produzir pobres. Logo, para a mídia, Lula e Dilma são inimigos declarados. Que, por isso, não esperemos outra atitude dela. Serra, o candidato do império e da mídia, teria um único programa, evidentemente que não declarado: Brasil faminto.

Responder

Pedro

05 de junho de 2011 às 19h50

Artigo muito importante. No mundo inteiro está se configurando o declínio do império.

Responder

Remindo Sauim

05 de junho de 2011 às 19h43

Folha, o jornal que desconhece o Brasil!

Responder

Rafael

05 de junho de 2011 às 19h22

No final das contas o que vai ter repercussão é o sucesso desse programa.

Responder

LULA VESCOVI

05 de junho de 2011 às 19h14

Mais uma razão para o Palocci ser defenestrado de uma vez.Já comentei sobre isso e ninguém explica o porquê dessa permanência aparentemente sem sentido.De que a Dilma tem medo?

Responder

domingos

05 de junho de 2011 às 19h02

É assim: em 2014 DILMA ganha a reeleição, e as oposições estarão discutindo qual o eleitorado elas precisam conquistar, para a próxima eleição em 2018, é claro! Portanto, o que é importante para o povo brasileiro? A crise política ou o futuro do BRASIL.

Responder

luiz pinheiro

05 de junho de 2011 às 18h51

O Marcos Coimbra, além do conhecimento objetivo, científico, estatístico, que tem da opinião pública, é também um exímio analista político. Nas eleições de 2010 ele deu de lavada em qualquer outro – apesar de ter errado na previsão de que a Dilma venceria no primeiro turno, o que me parece compreensível. Neste artigo o Marcos Coimbra expõe mais um exemplo de lamentável miopia facciosa da nossa mídia. Li de manhã o artigo dele no Correio Braziliense. Nas páginas próximas, a comprovar o que ele diz, muita elocubração sobre o Palocci e nada sobre o combate à miséria.
Acho que o Azenha, e todos os blogueiros, vão acertar se ampliarem o noticiário sobre o plano de erradicação da miséria.

Responder

carlos saraiva

05 de junho de 2011 às 18h44

Marcos Coimbra, em principio diz-se que a grande imprensa , assumiu a liderança oposicionista como um grande partido estruturado. O que é verdade. Diz-se tambem que a grande imprensa, como perdeu a capacidade que ela fantaziava, como "formadora de opinião", apelou para o que chama de "jornalismo investigativo", o que é uma falacia, preferindo o espetáculo. Eu acho, caro Marcos, que a nossa grande imprensa , alem de sofrer uma crise de mediocridade, com jornalistas, despreparados , tanto do ponto de vista profissional, como de uma sofrivel erudição academica, cometem um verdadeiro crime de lesa pátria, expondo o país à serios questionamentos na geopolitica internacional. O que nos salva é o cada vez maior descredito que o setor alcançou. É verdadeiramente lamentável.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding