VIOMUNDO

Diário da Resistência


Política

Jorge Viana: “Elite conservadora e ambiciosa” quer destruir Lula


17/12/2012 - 16h27

Em defesa de Lula e seu legado

por Jorge Viana*, via assessoria do senador, por e-mail

Em 1º de janeiro de 2013, o PT completa dez anos no governo federal. Em uma década, o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva mudou o Brasil e a vida do nosso povo. Para melhor. Deixaram a pobreza mais de 40 milhões de brasileiros. A classe C saltou de 26,7% da população para 50%. A dívida externa caiu de US$ 165 bilhões para US$ 79,1 bilhões. A economia se expandiu e o bem-estar das pessoas virou conquista de todos.

O reconhecimento não é apenas de nós, petistas. Mas da imensa maioria da população brasileira, incluindo de governantes de várias nações, mundo afora. O PT conquistou a Presidência com Lula, o povo o reelegeu quatro anos depois e Dilma Rousseff continua seu legado depois de ganhar o Palácio do Planalto em 2010. O Brasil tem hoje respeito e uma nova dimensão política na arena internacional. Hoje, o país disputa o mundo.

Em outubro de 2002, Lula era eleito presidente da República. Num momento raro da política brasileira, um homem do povo chegava ao posto máximo da Nação. Um nordestino, vindo de Garanhuns, em Pernambuco, que saiu da miséria e da condição de retirante, quebrava um tabu e era eleito pela maioria do povo para comandar os destinos da Nação.

Um homem de origem popular, que encarou a ditadura e foi preso, fundou um partido para alcançar, em pouco mais de 30 anos, a Presidência com quase 53 milhões de votos. É um dos maiores líderes políticos dos nossos tempos.

Nesses dez anos, Lula mostrou-se o democrata que nasceu com a marca do nosso povo. Governou para todos. No melhor da tradição da esquerda brasileira, colocou a maioria como centro das políticas públicas de seu governo. Incomodou a muitos. É que, mesmo tendo governado para todos, parte da elite brasileira não tolera Lula e o PT.

Ao longo de seu governo, Lula passou por uma das mais sórdidas campanhas políticas movidas pelo ressentimento. Foi vítima de xingamentos pessoais e agressões verborrágicas dignas apenas de Carlos Lacerda. Assim como Getúlio Vargas e Juscelino Kubistschek, Lula é alvo permanente dos conservadores.

Nos oito anos que esteve à frente da Presidência, ele foi chamado dos piores nomes. Ainda assim, não o derrotaram. Apesar das tentativas de desmoralizá-lo, o povo o apoia e reconhece nele os traços do líder em quem o país confia. Lula deixou a Presidência em 2010 com mais de 80% de popularidade. Um dos homens mais respeitados do mundo. O presidente Barack Obama chegou a tratá-lo de “o cara”.

A guerra sem fim continua mesmo agora. Essa elite conservadora e ambiciosa não aceita que o presidente Lula seja um ótimo ex-presidente.

Continua a atacá-lo mesmo ele fora do Palácio do Planalto. Sem provas, publicam-se mentiras. Sem honra, recorre-se a condenados. Acusações são lançadas com o mero pretexto de desconstruir Lula. Não adianta. Por mais que tentem, não conseguirão destruir sua imagem.

Como mostra a última pesquisa Datafolha, o reconhecimento ao nosso projeto político pela população coloca Lula com 56% da preferência do eleitorado, se a eleição para presidente da República fosse hoje. Em outro cenário em que o PT tem Dilma Rousseff como candidata, a preferência popular permanece. Ela lidera a disputa entre 53% e 57%, dependendo de quem são os outros candidatos.

Com Dilma ou Lula, o PT conquistaria a Presidência hoje no primeiro turno das eleições. A fragilidade da oposição é tamanha que o segundo lugar nessa corrida pelo Planalto é ocupado pela ex-senadora Marina Silva, que teria 18% dos votos.

A oposição está há dez anos fora do poder. Pelo que revelam essas pesquisas de opinião pública, provavelmente permanecerá longe do governo central na próxima eleição. Por isso mesmo, o PT e o governo precisam estar vigilantes para manter os rumos das políticas econômicas e sociais, sem distanciar-se dos princípios que nos levaram ao poder. É preciso continuar governando para todos.

No Acre, o PT está no governo há 14 anos. Ao longo desse tempo, vimos repactuando compromissos históricos, renovando quadros e garantindo a aplicação de políticas públicas destinadas à maioria do povo. Há quem lembre o ditado de que o tempo é um aliado poderoso para transformar a realidade. Mas é preciso lembrar também que o tempo impõe inovação e renovação. Este é o desafio que o PT e nosso governo têm pela frente.

Jorge Viana, 53, engenheiro florestal, é ex-governador do Acre e senador pelo PT.

Leia também:

Lúcio Flávio Pinto: Ocupação da Amazônia ainda segue diretriz da ditadura

Lucro privado, prejuízo público: Um exemplo do capitalismo à brasileira

Cláudio Puty: Celpa, um caso clássico de Privataria Tucana

Exportação em Carajás é crime lesa Pátria

Ildo Sauer: O ato mais entreguista da história

Celio Bermann: Belo Monte serve a Sarney e às mineradoras

Wanderlei Pignati: O que tem na água que você bebe





9 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Joerge Sted MST

18 de dezembro de 2012 às 14h09

Empatou. Lula também quer destruir essa elite. Quer substituí-la por uma elite cumpanhêra.

Responder

Nisio

17 de dezembro de 2012 às 22h59

Discurso dentro do figurino da maioria dos parlamentares do PT. Mesmo num momento que o PT sofre ataques do PIG e do tribunal de exceção, um senador do PT ocupa a tribuna para dizer que o leite é branco. São obviedades que não vão a lugar nenhum.

Responder

Abraao Dias

17 de dezembro de 2012 às 21h33

Eu sei que…

Enquanto corruptos praticantes da corrupção enrustida discutem o destino dos corruptos tipificados ou falsamente tipificados na lei,

Enquanto pessoas que comem discutem se devemos dar um auxílio para aqueles que não tem o suficiente para comer ou se devemos deixá-los com fome para forçá-los a trabalhar por qualquer prato de comida,

Enquanto pessoas que recebem instrução discutem se devemos chancelar ou rechaçar uma proposta que mesmo desigual propõe uma correção de uma desigualdade social enraizada em cor de pele,

Enquanto pessoas discutem se devemos apoiar a livre iniciativa do desenvolvimento ou a livre iniciativa do lucro pelo lucro,

Enquanto pessoas discutem se devemos apoiar o comércio de bens ou o comércio de papéis,

Enquanto pessoas discutem se devemos abrir as portas das universidades para todos ou abrir para poucos,

Enquanto pessoas discutem a urbanização baseada no direito de morar ou no poder de compra,

Enquanto pessoas discutem se vale mais o produto do trabalho ou o acúmulo de capital,

…há aqueles outros que discutem sem dicotomias ou maniqueísmos ou moralismos como continuar explorando, parasitando e lucrando em cima de todas aquelas pessoas que discutem maniqueísmos, moralismos e dicotomias. E há também aqueles que recebem uns trocados para espalhar os discursos dos maniqueísmos, dos moralismos e das dicotomias. E há aqueles que o fazem sem receber um trocado sequer.

Responder

Willian

17 de dezembro de 2012 às 19h48

Traduzindo para quem está chegando agora: conservadores são todos aqueles que não se ajoelham no altar petista e não têm Lula como seu salvador. Sarney, Renan Calheiros, Maluf e Collor não são conservadores. Kassab era até uns meses atrás, agora deixou de ser.

Responder

ana reis

17 de dezembro de 2012 às 19h00

eu só não entendo por que continuar a chamar essa minoria de “elite”

Responder

    Julio Silveira

    18 de dezembro de 2012 às 13h13

    Rodrigo, grande parte das vezes discordo de você, mas sacadas inteligentes como essa me fazem respeitá-lo. Ao contrário de muitos boi cornetas que aparecem por aqui gritando palavras de ordem e repetindo chavões, mas desprovidos de coerência.

    Julio Silveira

    18 de dezembro de 2012 às 13h16

    Ana, desculpe, esta resposta não era para você, como podes verificar.

Rodrigo Leme

17 de dezembro de 2012 às 17h41

Jorge Viana, o homem de todos os presidentes:

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/jorge-viana-critica-estrategia-do-olho-por-olho

“Contrariando a bancada do PT que conseguiu aprovar ontem um convite para que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso seja ouvido em uma comissão do Senado, o senador petista Jorge Viana (AC) saiu em defesa do tucano.

(…)

O petista elogiou FHC. Disse se tratar de um ‘grande brasileiro, que cumpriu sua missão de presidente’. Ainda de acordo com o senador, Fernando Henrique governou ‘separando o joio do trigo, separando os equívocos do seu governo de sua conduta pessoal’.”

Responder

    Julio Silveira

    18 de dezembro de 2012 às 13h15

    Rodrigo, grande parte das vezes discordo de você, mas sacadas inteligentes como essa me fazem respeitá-lo. Ao contrário de muitos boi cornetas que aparecem por aqui gritando palavras de ordem e repetindo chavões, mas desprovidos de coerência.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding