VIOMUNDO

Diário da Resistência


Jeferson Miola: O que falta para o Dallagnol fazer o powerpoint de Flávio Bolsonaro e Queiroz? Ou precisa desenhar?
Fernando Frazão/Agência Brasil
Política

Jeferson Miola: O que falta para o Dallagnol fazer o powerpoint de Flávio Bolsonaro e Queiroz? Ou precisa desenhar?


22/01/2019 - 18h54

O que falta para o Deltan Dallagnol fazer o powerpoint do Bolsonaro?

por Jeferson Miola, em seu blog

Sempre é útil lembrar que Flávio Bolsonaro e o laranja dos Bolsonaro, Fabrício Queiroz, foram poupados pela Operação Furna da Onça, o braço da Lava Jato do RJ que levou à prisão 10 deputados estaduais e assessores parlamentares.

As ilicitudes cometidas por Flávio e Queiroz, idênticas às praticadas pelos parlamentares e assessores presos, foram abafadas pela Lava Jato para proteger a candidatura presidencial do Jair e a candidatura ao Senado do Flávio.

O esquema do Queiroz e do Flávio somente foi descoberto depois do segundo turno da eleição, e por meio de vazamento do COAF que escapou ao controle do Moro e do Dallagnol.

Desde então, a cada dia surgem novos detalhes sobre as falcatruas e abundam novas provas dos ilícitos.

A despeito disso, Deltan Dallagnol, Moro e a horda da Lava Jato incrivelmente fazem de conta que o assunto não é com eles.

Para facilitar o trabalho do Deltan e a turma da Lava Jato, segue adiante um roteiro com os fatos conhecidos, para que finalmente deixem de prevaricar e preparem o power point do Flávio e do Queiroz:

1)as suspeitas são de práticas de lavagem de dinheiro, falsidade ideológica, formação de quadrilha, negócios obscuros, enriquecimento ilícito e, cereja do bolo, de envolvimento com o alto-comando do Escritório do Crime.

O Escritório do Crime, organização especializada em matar sob encomenda, é considerada a mais letal e secreta milícia do Rio. A milícia controla “da primeira à última rua” da segunda maior favela do Rio, a Rio das Pedras, e é suspeita de relação com o assassinato da Marielle Franco e do Anderson Gomes;

2) são muito fortes os indícios de relação da família Bolsonaro com milícias do Rio;

3) em dezembro passado, Fabrício Queiroz se escondeu e buscou refúgio na favela Rio das Pedras para fugir da justiça;

4) a mãe e a esposa do miliciano Adriano Magalhães da Nóbrega, ex-capitão do BOPE e um dos chefes do Escritório do Crime, trabalharam no gabinete de Flávio Bolsonaro até novembro passado, e repassavam para o esquema da família Bolsonaro parte do salário que recebiam no gabinete do Flávio;

5) na ALERJ, Flávio Bolsonaro apresentou Moção de Louvor e Congratulações ao miliciano Adriano “pelos inúmeros serviços prestados à sociedade” [2003], bem como a outro chefe da milícia, o ex-capitão Paulo Alves Pereira [em 2004];

6) Bolsonaro pai fez carreira política enaltecendo a prática de extermínio e defendendo a atuação das milícias, e na ALERJ o filho Flávio defendeu a legalização das milícias; e, finalmente,

7) Flávio Bolsonaro, que já homenageou os chefes do Escritório do Crime suspeitos de envolvimento no assassinato da Marielle, foi o único deputado da ALERJ que votou contra a concessão da medalha Tiradentes em homenagem à vereadora.

Diante desse roteiro, pergunta-se ao DD, Deltan Dallagnol, coordenador da Lava Jato: isso tudo basta para fazer o power point do Queiroz ou ainda é preciso desenhar?

Veja também:

Pimenta: quando abrirem a conta do Queiroz, vai aparecer o Jair Bolsonaro

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



15 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Eduardo

24 de janeiro de 2019 às 11h29

Não precisa ser da mesma igreja para rezar na mesma cartilha! Nesse caso,pode ser Senador, laranja, deputado, miliciano, bandido foragido, suspeito de assassinato,testa de ferro, milico amaciado, , chefe de gabinete, sogro eu sogra de miliciano,traficante, matador por encomenda, não importa ! O que importa é a fé( dor) não a igreja! Power point para foder adversário é coisa de mau caráter! Seria fácil um power point com a hierarquia desse caso! Melhor,seria mais crível que aquele power point de má fé e picareta de Dallagnol! Ainda bem que ele não falou que o power point lhe foi entregue no pé de goiaba, apesar que pode ter sido elaborado numa reunião de pastores!

Responder

LUIZ HORTENCIO FERREIRA

24 de janeiro de 2019 às 11h07

Eu não entendo em que mundo este pessoal da mídia está, como o Jeferson Miola querendo o tal Dalanghol se manifeste? O cara é cria do Moro, que se não lembram, prendeu o Lula em troca do cargo de Ministro e o outro (dalanghol) está esperando o cargo de PGR. Daí vcs acham que vão investigar o caso Bolsogate??? Inocentes… Caiam na realidade deste nosso pais fascista!!! Será que não percebem que estes caras estão juntos!!!!

Responder

Sergio

23 de janeiro de 2019 às 09h37

Cadê uma prova contra a família?Como sempre os comunistas doentes pelo poder, seus carniceiros de plantão, vcs vão engolir a seco

Responder

    Julio Silveira

    23 de janeiro de 2019 às 14h07

    Kkkkk, doentes são gente como vc que vê comunista embaixo da cama. Rsrsrsrs, vcs é que precisam explicar seu Mico, e provar de seu prooprio veneno feito a base de fake news. Nada como o tempo para expor a verdade, a do seu Mico estarei esperando para ver, mas que ele no se esconda debaixo da patente e das armas dos seus generais.

    Hudson

    23 de janeiro de 2019 às 20h24

    Ah, Sergio, toma tento!

    Explica pra nós o que você sabe sobre as transações financeiras de Flavio Bolsonaro, Queiroz e o Escritório do Crime; por que eles não explicam? Explica como Queiroz, pobrezinho como se diz que é, foi atendido no hospital mais caro do país.

    Mesmo depois de tanta apologia pública ao crime pela máfia Bozo, você ainda não acordou?

Zé Maria

22 de janeiro de 2019 às 23h22

Flavinho e a Surra Moral no Debate

https://youtu.be/gqHA_0p9iEw
https://youtu.be/RbCkifenKuw

Responder

paulo guimarães correia

22 de janeiro de 2019 às 22h15

Como Jair Bolsonaro, assim como seus filhos sempre foram carrascos com seus opo sitores, exigindo desses um comportamento ético e até exigindo da Justiça uma ação forte para condenar os petistas corruptos…até aí, tudo bem! Agora é a vez de dar a mão a palmatória, e com coragem ( atributo que tanto apregoam), humildade assumirem seus pecados e culpá e enfrentarem a Justiça. Emfim Jair Bolsonaro, que durante sua campanha se mostrou como verdadeiro paladino da ética e dos bons costumes deve ” puxar as orelhas de Seu filho Flavio , e exigir que esse se explique à Justiça pelos seus atos. Em tempo: Lula inocente ou culpado, foi homem suficiente para enfrentar a Justiça e, apesar de suas súplicas, e indignaçao foi condenado. Mas foi forte e mosttrou coragem .

Responder

Zé Maria

22 de janeiro de 2019 às 21h03

Revelações Bombásticas

“Na ALERJ, Flávio Bolsonaro apresentou Moção de Louvor
e Congratulações ao Miliciano Adriano[Magalhães da Nóbrega,
ex-Capitão do BOPE-RJ e um dos Chefes do Escritório do Crime,
que encontra-se Foragido da Polícia]* “pelos inúmeros serviços prestados à sociedade” [2003], bem como a outro chefe da milícia,
o ex-capitão Paulo Alves Pereira [em 2004].”

“Flávio Bolsonaro foi o único deputado da ALERJ que votou
contra a concessão da medalha Tiradentes em homenagem
à Vereadora [Marielle Franco].”

https://twitter.com/jeferson/status/1087686386910679041

https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2019/01/22/operacao-mira-grilagem-de-terras-pela-milicia-na-zona-oeste-do-rio.ghtml

Responder

    Zé Maria

    22 de janeiro de 2019 às 22h32

    “Quanto ao Major Ronald, o Flavinho fez homenagem a ele quando o PM já tinha sido acusado de participar de chacina de cinco jovens.
    Agora ele vai dizer que as homenagens não valiam nada e que não conhecia ninguém!
    Como se o Queiroz não fosse íntimo da família.”

    https://twitter.com/VIOMUNDO/status/1087822723466842117

Fernando Carneiro

22 de janeiro de 2019 às 20h59

Falta descobrir onde o Lula entra nessa história.

Responder

Zé Maria

22 de janeiro de 2019 às 20h32

Deputado [Flavio Bolsonaro] quer legalizar milícias no Rio

http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI1477397-EI7896,00-Deputado+quer+legalizar+milicias+no+Rio.html

Responder

Zé Maria

22 de janeiro de 2019 às 20h29

Curiosidade

Será que, tal como a Barbie do Capiroto Temeroso,
a Susi Neopentescostal é Bela, Recatada e DoLar?
Será que não sabia que o Marido, os Enteados, Amigos
e Agregados do Clã faziam Parte da Máfia Miliciana?

Responder

Julio Silveira

22 de janeiro de 2019 às 19h39

Falta convicção. Quem sabe eles não são da mesma igreja?

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!