VIOMUNDO

Diário da Resistência


Jeferson Miola: Crise militar é real ou uma fabricação do próprio partido dos generais?
O general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, atual comandante do Exército Brasileiro, e o presidente da Anvisa Barra Torres, que assina o comunicado rebatendo as acusações do presidente Bolsonaro à agência como “Contra-Almirante RM1 Médico – Marinha do Brasil”. Fotos: Exército/ Divulgação e Jefferson Ruddy/Agência Senado
Política

Jeferson Miola: Crise militar é real ou uma fabricação do próprio partido dos generais?


09/01/2022 - 00h45

Crise militar é real ou é fabricada pelo próprio partido dos generais?

Por Jeferson Miola, em seu blog

O presidente da ANVISA Antonio Barra Torres assina nota como “Oficial General da Marinha do Brasil” em que exige – sim, exige – retratação do Bolsonaro pela insinuação que ele fez sobre supostos interesses escusos da ANVISA ao preconizar tecnicamente a imunização de crianças.

“Se o Senhor não possui tais informações ou indícios, exerça a grandeza que o seu cargo demanda e, pelo Deus que o senhor tanto cita, se retrate”, anotou Barra Torres, que ainda desafiou Bolsonaro: “Se o senhor dispõe de informações que levantem o menor indício de corrupção sobre este brasileiro, não perca tempo nem prevarique, Senhor Presidente. Determine imediata investigação policial sobre a minha pessoa […]”.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária não é um órgão militar. É uma instituição civil dotada de autonomia científica para regulamentar e regular produtos, insumos e práticas de saúde à luz da ciência, da legislação nacional e dos protocolos da Organização Mundial de Saúde incorporados ao ordenamento jurídico brasileiro.

Em vista disso, portanto, é inadequado e totalmente despropositado o uso, pelo presidente da ANVISA, do seu posto na hierarquia militar. A evocação do cargo militar, por outro lado, parece não ter sido fortuita; pode ser algo deliberado e orquestrado com o propósito de confundir e gerar caos.

Por que Barra Torres assinou o comunicado como “Contra-Almirante RM1 Médico – Marinha do Brasil” – portanto, um superior hierárquico do capitão reformado?

Escudado no mandato aprovado pelo Senado de Diretor-Presidente da ANVISA, Barra Torres usa, porém, a hierarquia militar para dar ordens a Bolsonaro – inferior na hierarquia militar, mas seu superior hierárquico enquanto comandante-supremo das Forças Armadas.

Não é preciso muito esforço para deduzir que, em qualquer desfecho deste episódio, é bastante significativa a possibilidade de eclosão de uma crise.

Qualquer que seja a reação de Bolsonaro, seja ela ensaiada ou não, o potencial de crise e impasse é considerável.

Até que ponto isso é planejado e fabricado? Ou será resultado de uma crise real no interior dos estamentos militares?

Ou os militares pretendem fabricar uma “crise militar” pra tumultuar o ambiente político e institucional; ou, então, há, de fato, uma “crise militar” que, de todo modo, serve para tumultuar e desestabilizar o já tenso clima político e institucional.

Do ponto de vista do partido dos generais, o cenário de crise real ou fabricada oferece-lhes uma equação de ganha-ganha, na qual, em qualquer caso, do ponto de vista deles, as Forças Armadas assumem as rédeas da situação.

Em qualquer caso, o efeito seria o mesmo: as FFAA sempre estarão a postos para “garantirem a lei e a ordem” diante do caos promovido pelos próprios militares no contexto da guerra híbrida que desenvolvem.

Seja na eventualidade duma crise real, ou de uma crise fabricada por eles mesmos, uma pergunta se impõe: por que fazem isso?

Se algo tem ficado cada vez mais claro, é que o partido dos generais joga nas duas pontas: tumultua e simula caos e, ao mesmo tempo, oferece o controle total da situação.

Não por acaso, nos últimos dias eles plantaram notícias na imprensa sobre riscos de violência na eleição de outubro.

É um truque manjado. Na realidade, com meses de antecedência eles testam a reação da sociedade a um roteiro que já está escrito de antemão, de um possível “Capitólio de Brasília” que podem estar armando, nos moldes dos acontecimentos terroristas perpetrados pelos trumpistas nos EUA em 6 de janeiro de 2021.

O general Fernando Azevedo e Silva já está escalado em posto-chave no TSE para cumprir eventual “missão”.

Neste cenário, eles “naturalmente” prevêem que as Forças Armadas serão “convocadas” a oferecerem a solução salvadora de garantia/tutela da democracia e de estabilidade do sistema diante da crise que eles próprios inventam e produzem …

Por trás das imagens cândidas e de prestação de serviços comunitários que o Exército publicou no twitter nos últimos dias, se esconde a face real duma instituição transformada em facção política; convertida em milícia armada que conspira contra o Estado de Direito e tutela a democracia.

O professor da UFRRJ Francisco Carlos Teixeira da Silva arrisca uma hipótese que não deixa de ser alentadora, ainda que de duvidosa confirmação, na opinião dele mesmo: “há uma versão de crise fabricada para esvaziar a pressão sobre o caso da Bahia, já que a ‘facada – episódio 2022’, não colou”, disse ele.

Os sinais estão no ar.





13 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

marcio gaúcho

11 de janeiro de 2022 às 15h37

O Partido Verde-Oliva discute, mas está sempre coeso nas suas metas e objetivos, para o bem estar do Brasil, o poder de empunhar as armas e a garantia patrimonial da casta militar. Trocam farpas entre si para dissimular e disputar posições de comando. Isso se chama vaidade. E a nação que se exploda!

Responder

Cleber Dias

10 de janeiro de 2022 às 21h14

Isso é crise fake.
Qdo o negócio envolve grana não mijam fora do pinico não.
Os milicos preferem a picanha e os aumentos de salários + uma reforma previdenciária bem benéfica a eles.
Esses generais do governo ganham mais de 100 mil, se tiverem brigando com o homem da chave do cofre e pq não deve ganhar + de 100 mil reais líquidos tb igual os outros.
Sacaram o motivo da pseudoguerra.
Não tem muito tempo que houve uma greve das esposas dos milicos das ffaa se eu não me engano.
Almirante que vale a pena elogiar é o almirante Othon. Desenvolvedor do programa (submarino) nuclear brasileiro. Isso sim daria poder de barganha ao Brasil.
Mas pelo jeito muitos tinham inveja dele. Chefiar e desenvolver um programa desses não é para qualquer um. O cara tem que ser fudidaço.
O exército tá com o cartaz junto ao povo jogado no chão e pisoteado. Vai ser difícil alguém acreditar neles. Vai ser difícil recuperar a credibilidade.
A briga deve ser por grana.

Responder

Henrique Martins

10 de janeiro de 2022 às 19h01

https://epocanegocios.globo.com/Mundo/noticia/2022/01/epoca-negocios-eua-quebram-recorde-de-hospitalizacao-por-covid-19-conforme-omicron-se-espalha.html

Complementando comentários a Dino

Observe na notícia do link acima mais um indício………………….

Responder

Henrique martins

10 de janeiro de 2022 às 12h11

https://www.band.uol.com.br/noticias/internacoes-de-criancas-por-covid-crescem-40-em-sp-16469706

Continuando comentários a Dino:

Observe no link acima
mais um indício.

Responder

José Nei Telesca Barbosa

10 de janeiro de 2022 às 04h08

Não é só de generais essa organização que é constituída a guerra híbrida, mas de uma milicia corporativa (com supremo e com tudo), que vazou no início do golpe. Quem articula essa organização miliciana é que deve ser identificada/desmascarada e não por partes de um todo como se examina até hoje! O artigo do j Miola sempre é ótimo, mas temos que identificar o amálgama que une o todo !

Responder

Henrique Martins

09 de janeiro de 2022 às 20h26

https://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2022/01/09/interna_gerais,1336431/bebe-de-1-ano-e-3-meses-internado-com-covid-19-morre-em-uti-da-santa-casa.shtml?utm_source=hardnews&utm_medium=hardnews&utm_campaign=score&utm_term=undefined

E aí senhor Jair vai continuar dizendo que não conhece nenhuma criança que morreu de covid? O mínimo que eu posso fazer é esfregar lhe essa noticia na cara….. Ordinário…

Responder

Henrique Martins

09 de janeiro de 2022 às 14h17

https://www.diariodocentrodomundo.com.br/medico-preso-no-egito-por-assediar-vendedora-estava-nos-eua-com-fabio-faria-e-allan-dos-santos/

A propósito, quero até ver o que o Fábio vai fazer se o SBT for obrigado a abandonar o barco de vez para não sucumbir com a Record por causa da desonra de Bolsonaro deixando o bolo praticamente todo para a Vênus Platinada. Quero até ver as duas televisões sustentarem o ibope ao serem acusadas principalmente pela Vênus Platinada de cumplicidade com Bolsonaro. Quero até ver…..

Responder

Henrique Martins

09 de janeiro de 2022 às 14h13

https://www.diariodocentrodomundo.com.br/medico-preso-no-egito-por-assediar-vendedora-estava-nos-eua-com-fabio-faria-e-allan-dos-santos/

Os bolsonaristas são todos ‘cidadãos de bem’.. RISOS…..

Responder

Henrique Martins

09 de janeiro de 2022 às 11h56

https://www.terra.com.br/diversao/theo-becker-fala-em-vacinacao-forcada-porchat-imbecil,768b6d488f7e826e7e615bb513e018258lyjq8pf.html

Ora, esse tipo de reação de gente descerebrada como esse garoto nem merece comentário, mais é claro que aqueles que o seguem são igualmente descerebrados. Desculpem-me… Minha língua hoje está muito afiada. Ophs… Me lembrei do saudoso Paulo Henrique Amorim.

Responder

Henrique Martins

09 de janeiro de 2022 às 11h47

Continuando comentário a Dino:

Analise a posição delirante de Bolsonaro anti-vacina para crianças junto com esta notícia e verás um indício do que eu estou te afirmando:
https://www.band.uol.com.br/noticias/caso-de-flurona-e-registrado-em-crianca-de-10-anos-no-parana-16469631

Responder

Henrique Martins

09 de janeiro de 2022 às 11h40

Continuando comentários a Dino:

Aliás, é bem possível que a coisa nem chegue até abril. Isso porque a ômicrom associada à cepa da Influenza – Flurona – vai causar inúmeras mortes e internações – especialmente de negacionistas não vacinados – e a
população como um todo vai se revoltar duramente contra Bolsonaro e o Centrão por dar apoio a ele em troca da liberação de emendas.
Portanto, o lado positivo desse quadro – repito – é que finalmente o país vai se livrar dos políticos do Centrão.
A liberação de emendas das quais hoje eles se beneficiam não servirá para nada uma vez que são cumplices do genocídio que está ocorrendo no país.
Coisas da providência divina. O mal pode muito, mais ela pode ,muito mais!.

Responder

Henrique Martins

09 de janeiro de 2022 às 10h17

Sobre esse artigo ‘Crise militar é real ou uma fabricação do próprio partido dos generais?’ uma coisa é certa: É preciso um mínimo de reação das Forças Armadas diante ao despotismo de Jair Bolsonaro. É preciso também diferenciar o partido militar dos generais de pijama e o partido militar dos generais da ativa,

Responder

Riaj Otim

09 de janeiro de 2022 às 02h42

como comAndante em Chefe o presidente pode com uma canetada rebaixar todo militar insubordinado a soldado raso e ainda aplicar 3 anos de cadeia. Como de fato é apenas jogo combinado para o povo se divertir , nada acontece

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding