VIOMUNDO

Diário da Resistência


Política

Izaías Almada a Yoani: Interceda pela vida do soldado Bradley Manning


20/02/2013 - 23h37

soldado Bradley Manning, acusado de ter vazado segredos de Estado a Julian Assange, do WikiLeaks

SÍNDROMES, PAPAS E DATAS MEMORÁVEIS

por Izaías Almada

21 de fevereiro de 1848. Nessa data se publicou o Manifesto do Partido Comunista. Há 165 anos. Nele, Marx e Engels dão o diagnóstico fúnebre da monarquia e da religião, estas suplantadas por uma nova ordem econômica, o capitalismo, e identificando a burguesia como a nova classe social opressora.

Curioso o movimento pendular da História. Um século e meio depois o mundo vive, ao que parece, em nova crise de identidade, de transformação econômica onde, com esforço, impaciência e alguma incredulidade e ignorância por parte de uns e o esforço analítico e sério por parte de outros tantos, o mundo continua a dar cabeçadas em nome de alguma coisa que minimamente possa representar a solidariedade, a melhor distribuição da riqueza acumulada, a paz entre os povos. Nesse contexto reina a confusão entre homens e nações.

Aqui no Brasil, por exemplo, ao declarar a uma emissora de rádio gaúcha, semanas atrás, que o deputado José Genoíno deveria renunciar ao seu mandato, o ex-governador do Rio Grande Sul, Olívio Dutra, do mesmo PT de Genoíno, ofereceu de bandeja à oposição, em especial aos seus pitibuls na mídia, o pretexto para ampliar a execração da esquerda brasileira.

Outra coisa não fizeram alguns desqualificados jornalistas e comentaristas políticos que, além de ironizarem o fato, ainda relembraram um caso antigo que envolveu o próprio governo Dutra no sul, citando o encontro de um seu funcionário com bicheiros naquele estado que, supostamente, ajudavam a financiar campanhas eleitorais.

Em outras palavras: Olívio Dutra, além de demonstrar inabilidade na análise da conjuntura atual da política brasileira deu munição àqueles que já não sabem muito bem o que fazer com os dez anos de governo do Partido dos Trabalhadores. Ou não sabem como conviver com o julgamento da AP 470, o maior e mais ridículo julgamento político feito por um tribunal brasileiro em tempos de democracia.

O tempo vai passando e, sobre isso, o jornalismo investigativo, o sério, vai aos poucos desmontando a farsa do “mensalão”, deixando a oposição de direita, de meia-direita, de centro ou mesmo de esquerda de calças na mão. Além do livro “A Privataria Tucana”, que mostra com provas irrefutáveis o verdadeiro ninho da corrupção no Brasil contemporâneo, temos o trabalho do jornalista Raimundo Pereira na revista Retrato do Brasil e agora o livro do jornalista Paulo Moreira Leite, “A Outra História do Mensalão” (também da Geração Editorial), matérias da revista Carta Capital e do jornal Brasil de Fato, além de inúmeros blogues, vão dando contornos à farsa político/jurídico/midiática organizada pelos setores mais comprometidos com o atraso em nosso país.

Do julgamento à renúncia do papa. O que deixa Deus sem seu representante na terra por algumas semanas. Fui surpreendido, como milhões e milhões de cidadãos com a notícia da renúncia do papa Bento XVI e dei-me conta (não é a primeira vez, claro) de que é tudo muito efêmero à nossa volta. Nada é muito novo nas relações humanas. O mundo caminha a passos largos para tornar tudo relativo e de pouca importância. Ou melhor, essa caminhada – ao que tudo indica – tem a ver diretamente com o sistema econômico de cada época em que se vive e, portanto, a que estamos submetidos.

O laicismo, desde sua definição e adoção em França, não tem passado de um conceito apenas teórico, cuja prática deixou e deixa de existir com as diversas interferências da religião na vida dos cidadãos e do estado. A fé continua a ser um “produto” vendido nos grandes mercados mundiais da ingenuidade humana. O que, apesar de não ser nenhuma novidade, contribui para confirmar uma zona nebulosa da humanidade.

Por outro lado, o moderno sistema de comunicação social, tendo a seu serviço emissoras de televisão privadas e estatais, jornais e revistas para os mais variados gostos e ideologias, emissoras de rádio, internets, tuíteres, feicibuquis, celulares, tabletes e mais algumas bugigangas da posmodernidade, afunda o ser humano numa cisterna de informações contraditórias, espalhando no mais das vezes a confusão para dividir e reinar, para alongar a vida de um capitalismo que já dá inúmeras mostras de esgotamento de seus principais postulados. Nesse vendaval de informações e teorias, as várias religiões espalhadas pelo mundo ainda tentam “vender” uma fé que já não consegue se explicar. E, no meu modesto ponto de vista, que nunca se explicou. A história das religiões é, antes de qualquer coisa, a história do próprio homem, de suas virtudes e de seus defeitos. O homem é quem cria os deuses à sua imagem e semelhança.

Termino por dizer que 21 de fevereiro de 1912 é também uma data importante, pelo menos no meu calendário. Nesse dia, mês e ano nasceu Martha, minha saudosa mãe, que morreu ainda jovem e não conheceu o computador, o celular, o Genoíno, o Partido dos Trabalhadores, o papa Bento XVI e, com toda certeza, nunca ouviu falar em Marx e Engels. E muito menos em Julien Assange e seu Wikileaks.

Aproveito, então, a data para sugerir à nossa ilustre visitante Yoani Sánchez, brava defensora do direito de expressão dos grandes monopólios midiáticos, que interceda junto ao governo norte americano pela vida e pelo direito de expressão do soldado Bradley Manning.

Leia também:

John Pilger: A perseguição a Assange é um insulto ao jornalismo

Assange: EUA precisam parar de perseguir aqueles que revelam os seus crimes secretos

Daniel Ellsberg: A vergonhosa violência contra Bradley Manning

 

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



44 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Mauro Santayana: Espionagem e o cinismo de Barack Obama | Jornal A Verdade

16 de junho de 2013 às 14h48

[…] Izaías Almada a Yoani: Interceda pela vida do soldado Bradley Manning […]

Responder

Nelson

23 de fevereiro de 2013 às 23h54

Marcelo.

Em primeiro lugar, quero agradecê-lo pela réplica; o debate saudável ajuda-nos em muito a evoluirmos na nossa compreensão sobre o que acontece a nossa volta.

Em segundo lugar, permita-me discordar da tua afirmação de que minhas “perguntas são muito ingênuas e não se sustentam”. Não as considero assim e explico por que. Quando eu falo em democracia, eu me refiro a uma democracia de fato, real, não de qualquer regime que seja apenas “tecnicamente” uma democracia.

Quanto ao voto popular, ele existe, sim, nos EUA, mas está presente, também, em Cuba. É óbvio que nossa mídia dominante, que tanto se gaba de bem informar o povo brasileiro, nunca nos trouxe notícia alguma sobre as eleições que ocorrem periodicamente na ilha caribenha. E mais, Marcelo. Se os cubanos não elegem diretamente a seu presidente, o mesmo acontece com o povo estadunidense.

Alternância de poder nos EUA, Marcelo? Você tem razão, mas, essa alternância é meramente “técnica”. Dois partidos que se revezam no poder há muitas décadas e, por força do regimento eleitoral pactuado entre eles, e da grande influência do poder econômico, alijam os demais partidos existentes da possibilidade de, em alguma momento, chegarem ao poder. Quando o povo yankee enjoa de um presidente republicano, opta por um democrata. Passam-se quatro anos, ou mesmo oito, e o povo, enjoado de um determinado partido que está à frente do governo, vota no outro e assim sucessivamente, sendo que os dois partidos citados representam, em realidade, os interesses dos grandes grupos econômicos, representam uma classe, a classe dos endinheirados, e, portanto, deixam o poder fora do alcance do povo. Nos EUA, vigora “um sistema de partido único com duas alas de direita”. Quem fazia tal afirmação não era outro senão um estadunidense, o escritor Gore Vidal.

E quanto a tua afirmação de que “Se ela [as eleições nos EUA] é manipulada pelo poder econômico, isso é uma distorção do sistema”. Creio que com essa afirmação você está autorizando também as desculpas ao regime cubano pelas falhas existentes em seu sistema eleitoral.

E, como estou falando aqui em democracia real, não apenas “técnica”, eu reafirmo a minha convicção de que uma democracia tem que garantir a qualquer cidadão, seja civil ou soldado ou qualquer outro, amplo direito de defesa. Do contrário, tenho certeza, não é democracia.

E quanto às tais “informações sigilosas”, também reafirmo que em uma democracia verdadeira, não meramente “técnica”, que funcione “do povo, pelo povo e para o povo” não deveria, de forma alguma, tolerá-las. E, nos EUA, o que mais tem no governo central são informações sigilosas.

Enfim, Marcelo. Se nos EUA, que nos são vendidos pela propaganda dominante, exaustiva e insistentemente, como o paradigma da democracia, a realidade que temos é a de uma democracia altamente defeituosa, que necessita ainda de um profundo aperfeiçoamento, será que teríamos que cobrar, assim, de uma forma tão veemente, tão incisiva, que Cuba seja a democracia perfeita? Cuba, que, também segundo a propaganda dominante, se teria transformado em um inferno para seu povo tal o nível de autoritarismo que estaria a vigir lá desde 1959?

Responder

Janio de Freitas: “Viva o símbolo da liberdade cubana de viajar” « Viomundo – O que você não vê na mídia

22 de fevereiro de 2013 às 00h12

[…] Izaías Almada a Yoani: Interceda pela vida do soldado Bradley Manning […]

Responder

Leo V

21 de fevereiro de 2013 às 23h11

Sugestão ao Viomundo, reproduzir essa entrevista arrasadora com a Yoani, feita pro Salim Lamrini:

http://espn.estadao.com.br/post/238103_a-blogueira-que-virou-santa-e-a-dona-da-semana

É imperdível apesar de longa, não sobra um argumento dela.

Responder

Gerson Carneiro

21 de fevereiro de 2013 às 17h57

Cuba, Fidel Castro, estão de parabéns por permitirem que Yoani Sanchez percorra o mudo livremente, bancada pelos EUA, fazendo propaganda contra Cuba. E que também, a permitem morar livremente em Cuba.

Aqui no Brasil, os opositores do regime militar não tiveram essa liberdade.

E nos EUA o soldado Bradley Manning também não tem.

Cuba, a melhor ditadura do mundo!

Responder

    Nelsn

    21 de fevereiro de 2013 às 20h04

    È isso aí, Carneiro. E eu acrescentaria um apenas em sua lista dos que estão privados de liberdde, sem direito a julgamento, em países ditos democráticos: Julian Assange.

    Rodrigo Leme

    21 de fevereiro de 2013 às 20h24

    Cuba tbm está de parabéns pelas centenas de presos por crime de consciência em seus porões. Assim como na ditadura daqui, não sabemos ao certo atos são e atos foram mortos.

    A maior democracia do mundo!

    abolicionista

    22 de fevereiro de 2013 às 12h03

    Bom era Cuba antes do Fidel, né Rodrigo? Com o democrata Fulgência Batista, né? Esse era um ditador amigo, mantinha o povo na miséria e transformava Havana em um cassino para os EUA. A propósito, você estudou história nas bibliotecas de Miami Beach?

    Rodrigo Leme

    22 de fevereiro de 2013 às 16h00

    Nas bibliotecas de Miami vc acha livros contra e a favor de Cuba. Vc acha isso nas cubanas?

Urbano

21 de fevereiro de 2013 às 16h36

E aí madre yzorrani? Tens um coração tão fraterno assim para encarar essa caridade?

Responder

lia vinhas

21 de fevereiro de 2013 às 16h34

Se fosse verdade o que ela e outros energúmenos dizem, que o governo cubano usa o bloqueio como desculpa para os problemas que a Ilha enfrenta depois da debacle do socialismo no Leste Europeu, por que então os EUA até agora não suspenderam esse embargo? Sabemos bem a resposta: porque seria dar o braço a torcer e Cuba deslancharia rumo a um desenvolvimento virtuoso, tornando-se um dos países mais avançados deste planeta com todo o seu potencial em Medicina, Ciencias, e, sobretudo, Educação e Esporte. E a suposta jornalista, que foi alçada a essa categoria pelo PIG, jamais deixará de viver na Ilha por sua livre e espontanea vontade, porque perderia sua fonte altamente rentável de lucro, as dezenas de milhares de dólares com que a CIA, seu braço braasileiro, o Instituto Millenium e outros assemelhados a remuneram por alta traição a Pátria. Não é o primeiro cidadão cubano a falar contra seu país e,como sempre, só atinge com suas mentiras um punhado de desavisados e reacionários. O Povo brasileiro já demonstrou inúmeras vezes seu amor pela Revolução e pelo povo cubanos e quem visita a Ilha vem maravilhado, desde parlamentares, médicos, professores, cientistas a simples brigadistas que disputam as vagas para poder ir nas várias Brigadas voluntárias anuais a Cuba.

Responder

Árley

21 de fevereiro de 2013 às 16h22

Se essa blogueira Cubana falar alguma coisa contra o Estados Unidos, ela perde suas benesses, o que ela ainda não compreendeu, que ela está sendo usada e depois na hora que não convier mais a grande oligarquia americana e direitistas da América Latina a abandonarão sem o menor receio.

Responder

    Paulo Roberto Álvares de Souza

    21 de fevereiro de 2013 às 19h30

    Não compreendeu? A moça descobriu um filão fantástico para enriquecer, e tem uma capacidade empresarial invejável. Logo, logo, nós veremos seu nome figurar entre os que ingressam nas listas da Forbes.

    Abel

    21 de fevereiro de 2013 às 20h33

    Ela sabe quem paga o salário dela…
    http://www.imil.org.br/author/yoanisanchez/

Valcir Barsanulfo

21 de fevereiro de 2013 às 16h10

A cubaninha traira podia tambem defender o direito de expressão do Julian Assange.
Ela, o Caiado e o Bossalnaro devem ser convertidos em Catão das torturas, pois não sabem separar a liberdade da libertinagem.

Responder

Leo F.

21 de fevereiro de 2013 às 15h42

Pessoal, esse caso é distinto. Bradley Manning é um soldado norte-americano, que vendeu/forneceu informações sigilosas do Exército dos EUA (quiçá, sigilosas para o Departamento de Estado). O que além de ser considerado grave crime federal, é punido com a expulsão da Força e até com a pena de morte.

O motivo é considerado a traição.

Responder

    Nelson

    21 de fevereiro de 2013 às 20h14

    Até o momento, meu caro Leo, ao que eu saiba, o soldado Manning em uma acusação que pesa sobre ele de ter repassado as informações para o Wikileaks. E mais, você é o primeiro que eu vejo acusando soldado de ter vendido as informações.
    Dois questionamentos no caso de Manning:

    1 – Os Estados Unidos são ou não são uma democracia? Se são, Por que é que já prenderem o soldado sem que ele tenha passado por um julgamento conforme as regras do direito?

    2 – Uma democracia verdadeira precisaria de informações sigilosas? secretos?

    Marcelo

    21 de fevereiro de 2013 às 23h36

    Nelson,

    Apesar de eu defender a liberdade do Assange e torcer pelo soldado sou obrigado a dizer que suas perguntas são muito ingênuas e não se sustentam.

    Vejamos

    1 – Os Estados Unidos são ou não são uma democracia?
    R. Sim, sob qualquer ponto de vista, tecnicamente eles são uma democracia. Existe voto popular, alternância de poder e se eu não me engano é o país que tem eleições há mais tempo. Se ela é manipulada pelo poder econômico isso é uma distorção do sistema.

    Se são, Por que é que já prenderem o soldado sem que ele tenha passado por um julgamento conforme as regras do direito?
    R. A resposta está na sua própria pergunta. Porque ele é um soldado. Em qualquer país, os militares seguem regras militares próprias. Por ser soldado ele deve responder à justiça militar. As prerrogativas do direito civil não servem aos militares. Concorde ou não com esse sistema, essa é a regra lá nos EUA, aqui no Brasil, na Rússia, em Cuba, ou seja, em qualquer força militar do mundo.

    2 – Uma democracia verdadeira precisaria de informações sigilosas? secretos?
    R. Sim, em qualquer uma. Algumas decisões devem ser mantidas em siglilo por motivos estratégicos, motivos comerciais, diplomáticos, etc. Por exemplo, um país pede ao seu embaixador um parecer sobre diferentes cenários para a eleição de dois candidatos a presidente de outro país, vamos supor que a Dilma pedisse um cenário político para a eleição do Chavez e outro para a eleição do candidato da oposição da Venezuela. Estas informações serão basicamente suposiçoes e podem colocar o país em situações diplomáticas delicadas se forem divulgadas. Imagine no tempo do Collor se vazasse a informação que o embaixador de algum país achava que o presidente brasileiro era corrupto, que batia na mulher e que cheirava cocaína. Por mais que fosse verdade essa informação não poderia ser divulgada abertamente com a chancela de uma embaixada. A questão é por quanto tempo as informações devem ser mantidas confidenciais, e não se devem ser mantidas em sigilo. Nesse sentido os EUA tem uma regulamentação mais clara e aberta que a brasileira. Que melhorou muito um pouco com o FHC e muito com a Dilma.

    Abç

Messias Franca de Macedo

21 de fevereiro de 2013 às 15h34

… Não transformemos uma reles mercenária numa ícone da DIREITONA!… Eu já não suporto mais ouvir falar neste [pretenso] ‘símbolo da desfaçatez pós-moderna de araque’!…

… Vade retro Satanás!…

… República da [eterna] OPOSIÇÃO AO BRASIL… Traidora, indecorosa, despudorada, fascista, aloprada, alienada, histriônica, impunemente terrorista, MENTEcapta, néscia, golpista de meia-tigela, antinacionalista, corrupta… ‘O cheiro dos cavalos ao do povo!’ (“elite estúpida que despreza as próprias ignorâncias”, lembrando o enunciado lapidar do eminente escritor uruguaio Eduardo Galeano)

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Rodrigo Leme

21 de fevereiro de 2013 às 15h07

O Izaias Almada vai interceder a favor da democracia em Cuba?

Responder

Hélio Pereira

21 de fevereiro de 2013 às 11h44

O Soldado americano é considerado “Traidor” por ter repassado dados que são a expressão da Verdade,enquanto Yoani repassa MENTIRAS tentando destruir o estado cubano.
A diferença dos dois casos,enquanto Yoani esta por ai a difamar e agredir o Governo e o Povo de seu país,”livre,leve e solta”,o Soldado Norte-americano esta preso,acusado de ser um “Traidor da Pátria”.
Yoani que posa de “bem informada” deveria utilizar seu tempo para cobrar o fim da Prisão de Guantanamo,mantida pelos americanos pela Força das Armas em seu país,uma Prisão onde crianças Afegãs de menos de 12 anos foram levadas como Prisioneiras,acusadas de “Terrorismo” e la são Torturadas e não tem sequer direito a Advogados.
Yoani deveria pedir o fim do “Muro da Vergonha” construido pelos Norte-americanos para evitar a entrada de Imigrantes Mexicanos,ou sera que ela não sabe disto também?
Yoani pode sair de Cuba e falar o que bem entender,quanta diferença de Jean Charles de Menezes que foi morto na Inglaterra,ou do Estudante Brasileiro morto com armas Taser na Austrália,acusado de “Roubar” Bolachas.
Nossos Patricios são tratados como Marginais e deportados dos EUA,Espanha,Portugal,França,Alemanha,Austrália e Canadá ,estes que hojem ficam “Bajulando”Yoani Sanches nunca se manifestaram contra os abusos cometidos contra os Brasileiros no Exterior,o Senador Suplicy já chegou até a “Desfilar” de “cuequinha” no Congresso para agradar a Sabrina Sato,mas honrar os Votos que recebeu, disto ele não lembra!

Responder

    izaias almada

    21 de fevereiro de 2013 às 15h39

    Parabéns por todas essas lembranças, Hélio. E há muito mais. Não é por acaso que o cicerone de Yoani no Congresso foi Jair Bolsonaro.

    Marcelo

    21 de fevereiro de 2013 às 23h44

    Não seja injusto…

    Aonde Caetano Veloso e Gilberto Gil se refugiaram no período da ditadura? Inglaterra.

    Quem causou constrangimento ao Presidente Ernesto Geisel falando sobre tortura? Jimmy Carter (ex-presidente dos EUA)

    Quem abrigou o Gabeira? Suécia

    Os casos do Jean Charles e do rapaz na Austrália são chocantes, errados, mostram um despreparo, mas não me consta que fossem por causa de perseguição política. Talvez de recismo na Austrália racismo/preconceito/medo do terrorismo na Inglaterra.

Marinho

21 de fevereiro de 2013 às 10h48

Que a dita senhora está sendo patrocinada por grandes conglomerados econômicos e pelo Tio Sam, nenhuma criancinha duvida. O curioso que a dita senhora é louvada por impérios midiáticos da América do Sul que tanto apoio deram a regimes de exceção na região. É esta gente que vai levar democracia à Cuba.

PS: A Folha de S.Paulo conseguiu na justiça impor censura à Falha de S.Paulo. Repito, é esta gente que vai levar democracia à Cuba.

Responder

Mardones

21 de fevereiro de 2013 às 10h02

Yoani veio defender a liberdade do PIG. Quem paga as contas da moçoila?!

Responder

renato

21 de fevereiro de 2013 às 09h39

Yoani Sánchez, brava defensora do direito de expressão dos grandes monopólios midiáticos, que interceda junto ao governo norte americano pela vida e pelo direito de expressão do soldado Bradley Manning.
Vamos lá moça.
Vamos lá pessoal, façam uma lista, das opressões no mundo e, ilustrem a ela.
Peçam para libertar a Palestina.
O resultado da autopsia de Arafat.
Onde esta Ben Laden.
Quem jogou os aviões nas torres.
Quem para quem matou os Iraquianos. E por aí vai.
Voces são melhores que eu, para conseguir isto.
Mas sem puxar o cabelo da moça. Senão o Neumane fica louco.

Responder

    Willian

    21 de fevereiro de 2013 às 15h25

    Quem matou Salomão Ayala?

Jair de Souza

21 de fevereiro de 2013 às 09h33

Como havia dito em um comentário anterior, em lugar de perder tempo com uma cibermercenária a serviço da CIA (e do Instituto Millennium, que são a mesma coisa), seria melhor que a gente conhecesse e divulgasse algumas verdades sobre Cuba que as máfias midiáticas e seus cachorrinhos amestrados não querem que saibamos. Portanto, ajudemos a divulgar os seguintes documentários:

O Bloqueio: A guerra contra Cuba
http://www.youtube.com/watch?v=kTKWT60LouI

Os direitos humanos em Cuba: Fatos, não palavras
http://www.youtube.com/watch?v=nGwQnKj3CW8

Responder

matheus

21 de fevereiro de 2013 às 09h28

Engraçado, se as vaias tivessem acontecido durante a visita de um líder político cubano, a mídia, a extrema-direita e a pseudo-esquerda “moderninha” achariam lindo. Como é uma propagandista contra-revolucionária financiada pelos EUA, a mídia, a extrema-direita e a pseudo-esquerda “moderninha” demonstram uma reação histérica e raivosa. Patético!

Responder

Bonifa

21 de fevereiro de 2013 às 08h54

Yoani conseguiu uma maneira de enriquecer traindo a Pátria, apenas isso. Coisa muito comum através de toda a História, e ainda vivemos na História, que não acabou, como rezava a falsa profecia neoliberal. Assim como a Terra também não acabou com o falso e midiático Apocalipse Maia. Efialtes traiu Esparta em favor do Império Persa. O Império Romano usou inúmeras Yoanis, que fizeram os povos de seus paises receberem as legiões não como ocupantes, mas como libertadores. Patriotas que lutaram contra os conquistadores romanos, tais como Viriato na Lusitânia, eram tidos como meros bandidos (terroristas) pelos ocupantes do país. Só que a Yoani aceitou missão de alto risco. Como se sabe, o grande Império Persa foi surpreendentemente derrotado pela confederação grega em Salamina e Efialtes não recebeu sua recompensa pela traição. Ao contrário, sua cabeça foi posta a prêmio. Tentou fugir mas foi morto miseravelmente em completa desonra.

Responder

Willian

21 de fevereiro de 2013 às 08h38

Izaias Almada: você já intercedeu pela vida de algum preso político cubano?

Aliás, há presos políticos em Cuba?

Sobre monopólios midiáticos, como é a mídia em cuba? Dê o nome de um jornal de oposição.

Como você gostaria de falar sozinho, hein, como o mundo seria mais justo, não é mesmo?

Responder

    renato

    21 de fevereiro de 2013 às 09h46

    Vou responder!

    1- Não.
    2- Não sei, Há?
    3- A média em cuba é bem pequena.
    4- De oposição.
    5- Se ele falasse sozinho, como o mundo iria escutá-lo! Tããããã!

    Willian

    21 de fevereiro de 2013 às 15h22

    Renato, perdoável se você tem menos de 15 anos. Tem?

    Calisto

    21 de fevereiro de 2013 às 10h50

    Certo, vamos ver: o senhor lê Veja e Folha de São Paulo, certo? Vai defender o site “Falha de São Paulo” do ataque a liberdade de expressão da Folha?
    Vai pedir a prisão dos torturadores do menino Carlos em 1974, que aos 40 anos cometeu suicídio devido às sequelas dessa barbárie?
    Vai pedir a prisão dos facínoras estadunidenses que jogaram agente laranja no Vietnã? Que cometem crimes de guerra no Oriente Médio até hoje? Que mantêm os crimes em Guantánamo (aliás, nunca citada pela blogueira-spam)?
    Então, vamos combinar: o senhor defende suas bandeiras direitosas e nós defendemos o que achamos justo…

    Willian

    21 de fevereiro de 2013 às 15h24

    Você está igualando todos estes fatos que condena à situação de Cuba hoje? Se estiver, concordo com vossa senhoria.

    abolicionista

    21 de fevereiro de 2013 às 16h10

    Você conhece a história de Cuba, Willian, ou estudou história nas bibliotecas de Miami Beach?

    Mário SF Alves

    22 de fevereiro de 2013 às 20h38

    Pense bem, Willian, se Cuba fosse isso que você diz, Cuba não valeria nada, ok? Pois bem, se Cuba não valesse nada por que os EEUU a atacariam desde o berço?
    _______________________________
    Não, não venha me dizer que é a ditadura cubana que incomoda a terra do destino manisfesto, destinado por zeus a dominar o resto do mundo.
    _____________________________________
    E aí, alguma ideia?
    _____________________________________________
    Ah! Já sei Cuba não vale, mas pode servir de exemplo ao resto do mundo. Não vale nada mas pode botar o resto mundo (ou riquíssimo Brasil) a perder… interessante.

    Mário SF Alves

    22 de fevereiro de 2013 às 20h46

    Que poder tem essa pequenina ilha, heim, Willipe? Deve ser seu tecnologicamente ultrapoderoso exército, não?. Não, não, pensando bem deve ser a suprema força da guerra de guerrilha tão bem articulado pelo Fidel e pelo Che durante (e após) a Revolução Socialista. É isso?
    _________________________________________
    Ao debate, Willian; desenvolva Willipe.

Fabio SP

21 de fevereiro de 2013 às 08h20

Como ela defendeu o fim do “embargo” a Cuba ontem no Congresso, então vamos inventar algo novo para ela defender…
Meus amigos, ela tem que defender o país dela daqueles caquéticos…

Responder

    abolicionista

    21 de fevereiro de 2013 às 16h10

    Outro que estudou história nas bibliotecas de Miami Beach…

Roberto Locatelli

21 de fevereiro de 2013 às 06h42

Repito o que disse em outros posts:

– a blogueira denuncia o governo de Cuba e está livre para voltar a Cuba ou sair de Cuba na hora em que quiser.

– Bradley Manning denunciou o governo dos EUA e está preso, podendo ser condenado à morte por “atividades antiamericanas”.

– O jornalista Julian Assange denunciou os EUA e está há quase um ano cercado pela polícia na embaixada do Equador. Se for preso, também pode ser condenado à morte.

Detalhe: o governo do Equador, que protege Assange, é aliado de Cuba.

Responder

    Marcelo

    22 de fevereiro de 2013 às 00h03

    Não misture alhos com bugalhos…

    – a blogueira denuncia o governo de Cuba e está livre para voltar a Cuba ou sair de Cuba na hora em que quiser.
    R. Parabéns a Cuba por esse avanço, mas que me conste essa “liberdade” foi conquistada há bem pouco tempo. Os tubarões gordinhos que nadam entre Cuba e Miami que o digam… (e cá entre nós na hora que quiser também não… depende de autoriazação do governo. Mais uma vez parabéns a Cuba pelo avanço em conceder o visto).

    – Bradley Manning denunciou o governo dos EUA e está preso, podendo ser condenado à morte por “atividades antiamericanas”.
    R. Bradley Manning é soldado e não civil. Em qualquer país, quebrar a hierarquia militar é crime grave, pasível de penas duríssimas e fora do sistema penal civil. Concorde ou não, isso acontece em qualquer país. Você conhece algum ativista civil norte americano preso por falar mal do Estados Unidos? Os Estados Unidos não são bonzinhos, quando querem destruir alguém usam do poder econômico, da mídia, dos altos custos advocatícios no país que impedem um cidadão comum de se defender adequadamente, mas não costuma atropelar seus códigos jurídicos.

    – O jornalista Julian Assange denunciou os EUA e está há quase um ano cercado pela polícia na embaixada do Equador. Se for preso, também pode ser condenado à morte.
    R. Sim, mas detalhe, ele está preso na Inglaterra, e não nos EUA. Quem pediu a extradição foi a Suécia… e por crime de estupro. Será que é uma farsa? Pode ser, mas eu acho que a Suécia é um país que tem grande credibilidade.

    Detalhe: o governo do Equador, que protege Assange, é aliado de Cuba.
    R. Parabéns ao Correa. Defende seu ponto de vista e de quebra faz picuinha com a Inglaterra, Suécia e EUA.

    Mário SF Alves

    22 de fevereiro de 2013 às 21h00

    Se você quiser mesmo entender o que pensa o Locatelli, dê uma esticadinha até o Diário do Centro do Mundo. É certo que não lhe restará mais nenhuma dúvida. A seguir o link:

    http://diariodocentrodomundo.com.br/por-que-falam-tanto-de-yoani/

Jose Mario HRP

21 de fevereiro de 2013 às 06h12

Vaias incomodam?
Ao Lula não incomodaram não!
Reeleito, fez a sucessora, elegeu o prefeito de São Paulo, passou por um cancer e lançou agora Dilma a reeleição……
Enquanto isso Aécio vociferava, no senado, sobre um país e governo que não existem , a não ser em sua realidade neo liberal tucana!
Que vaiem sim a Yoani, que explica muito mal seus privilégios, como “verdadeira combatente ” em Cuba!(sic, sic)

Portanto em país livre se vaia e vai para casa de carro, onibus, metro, bicicleta ou a pé, e não no camburão!
Mas aqui e por aí vaiar é reprimir! (hummmmmmmmmm)
KKKKKKK…..10 anos de governo popular turvam a visão de certos setores da “oposição”.
E quer saber, passo a fazer coro pela “lei dos médios” no Brasil!

Responder

Deixe uma resposta para Rodrigo Leme

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.