VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Haddad, Fernando Henrique e Ciro advertem Bolsonaro: Crime de responsabilidade
O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, durante solenidade de entrega da medalha da Ordem de Rio Branco, no Palácio Itamaraty.
Política

Haddad, Fernando Henrique e Ciro advertem Bolsonaro: Crime de responsabilidade


25/02/2020 - 22h54

Da Redação

A notícia de que o presidente Jair Bolsonaro compartilhou em rede social um convite para manifestação de extrema-direita no próximo 15 de março causou alarme.

Deputados apoiadores de Bolsonaro vem usando as redes para fazer a mesma convocação.

Partidários do presidente dizem que pretendem prestar solidariedade ao ministro do Gabinete de Segurança Institucional, general Alberto Heleno, que disse que o Congresso está chantageando o governo.

A disputa é em torno da execução orçamentária. Bolsonaristas reclamam que, ao invadir atribuições do presidente, o Brasil vive um “parlamentarismo branco”.

Porém, no chamamento para a manifestação há ataques frontais aos presidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, e ao Supremo Tribunal Federal.

Um vídeo traz fotos de políticos de todos os partidos e ministros do STF e uma descarga é acionada para fazê-los desaparecer.

Apoiadores do presidente descrevem a manifestação como mais um episódio no confronto institucional entre militares e o Congresso.

A convocação que a jornalista Vera Magalhães diz ter sido feita por Bolsonaro causou reação imediata.

“Bolsonaro, ao que tudo indica, cometeu crime de responsabilidade previsto na Constituição que jurou respeitar mas, certamente, nunca leu”, disse o presidenciável petista Fernando Haddad no twitter.

A deputada federal Erika Kokay (PT-DF) também ficou alarmada: “Bolsonaro está disparando de seu celular pessoal vídeo no WhatsApp convocando manifestações contra o Congresso Nacional para o próximo dia 15 de março. O ato é CRIME DE RESPONSABILIDADE. Não podemos conviver com esse nível de ataque e não reagir à altura!”.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, também no twitter, escreveu: “A ser verdade, como parece, que o próprio Presidente tuitou convocando uma manifestação contra o Congresso (a democracia) estamos com uma crise institucional de consequências gravíssimas. Calar seria concordar. Melhor gritar enquanto se tem voz, mesmo no Carnaval, com poucos ouvindo”.

Ciro Gomes, do PDT, foi na mesma linha: 

Acredito na seriedade da jornalista @veramagalhaes [que noticiou a convocação]. Se o próprio presidente da República convoca manifestações contra o Congresso e o STF, não resta dúvida de que todos aqueles que prezam pela democracia devem reagir.

É criminoso excitar a população com mentiras contra as instituições democráticas e sem causa nenhuma, a não ser sua agenda anti-pobre, anti-produção e entreguista de nossas riquezas aos estrangeiros. Vamos lutar pela preservação da Constituição e pelo Brasil!

Que o Congresso, sob as lideranças de Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, e o STF, com todos os Ministros, saibam reagir a essa ameaça.

“Muito grave q o presidente da república atente contra as instituições e a democracia. É uma escalada. Se coloca como patriota, justo e incorruptível. Explique Jair Bolsonaro o beijo a bandeira americana, o sofrimento do povo com renda baixa e Queiroz com as milícias q lhe acompanham”, escreveu a presidenta do PT, Gleisi Hoffmann.

Ivan Valente, do Psol, acredita que a convocação é prenúncio de tentativa de golpe:

É muito grave Bolsonaro convocar ato. Uma manifestação que ataca o legislativo e o judiciário e buscar fortalecer o culto à sua personalidade é um chamamento ao fechamento do regime. De novo o fantasma das “forças ocultas” é evocado. Golpistas: não passarão.

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



8 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

LULIPE

28 de fevereiro de 2020 às 09h48

Esses três têm tanta influência na política atual quanto Dilma e Lula têm nos rumos da Royal Society. O choro é livre. #mito2022#moro2026

Responder

Celso Junqueirac

26 de fevereiro de 2020 às 09h45

Onde estão o cabo e os dois soldados?

Responder

abelardo

26 de fevereiro de 2020 às 09h35

Acredito que para ter chegado ao ponto de cometer um gravíssimo crime de responsabilidade é sinal que o desespero, por tudo que está para se revelar nos telefones apreendidos do miliciano Adriano, ainda é só uma parte do que está por vir.

Responder

Roberto

26 de fevereiro de 2020 às 07h47

Dois tucanos (FHC e Haddad) e o oportunista Ciro Gomes “advertem” o presidente. Ah, então está tudo resolvido!

Responder

Zé Maria

26 de fevereiro de 2020 às 03h06

O Santos Cruz já alertou os
Militares.
As Forças Armadas estão aí para defender a Democracia Brasileira e não para golpeá-la, muito menos para destruir o Brasil.

Responder

a.ali

26 de fevereiro de 2020 às 00h38

e o bozo pouco se lixando pra todos e o brasil no geral!

Responder

Zé Maria

26 de fevereiro de 2020 às 00h27

Poder-se-ia dizer que o Mito
perdeu o juízo, se de fato o tivesse,
diria o Jânio.

Responder

Raquel Fernandez

25 de fevereiro de 2020 às 23h19

Mas claro que é um crime, o que ele quer fazer é terrorismo.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.