VIOMUNDO

Diário da Resistência


Frente Parlamentar em Defesa da Soberania será lançada dia 14 em Florianópolis
Patrus Ananias e Henrique Fontana. Fotos: Gustavo Bezerra
Política

Frente Parlamentar em Defesa da Soberania será lançada dia 14 em Florianópolis


07/10/2019 - 13h46

Frente em Defesa da Soberania será lançada em Porto Alegre nesta segunda

Da Assessoria de Imprensa do deputado Patrus Ananias

A Frente Parlamentar Mista em Defesa da Soberania Nacional será lançada hoje (07/10), às 18h30, no auditório da Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Instituições Financeiras do Rio Grande do Sul (Fetrafi/RS), em Porto Alegre (RS), realizando o compromisso de levar a Frente para os estados e municípios, e promover o debate nacional sobre a soberania do país, hoje ameaçada pelo desgoverno Bolsonaro.

Participam do ato o secretário-geral da Frente, deputado federal Patrus Ananias (PT-MG), o Presidente de Honra, ex-senador Roberto Requião, o coordenador da Frente no Rio Grande do Sul, deputado federal Henrique Fontana (PT-RS).

A Frente é presidida pela senadora Zenaide Maia (PROS-RN). Em São Paulo, onde a Frente foi lançada em setembro, a coordenação é do deputado Carlos Zarattini (PT-SP).

“Mobilizar a sociedade brasileira no debate amplo, democrático e plural sobre o país que nós queremos e o país que nós queremos deixar para as gerações futuras”, afirma o deputado Patrus Ananias sobre o objetivo da Frente e sua estruturação nos estados.

Patrus Ananias destaca ainda a importância do debate e da reflexão sobre o que está acontecendo atualmente no país. “Nós estamos vivendo no Brasil o que chamo de uma operação desmonte. Estão desmontando o nosso país, desmontando a nossa soberania, entregando as nossas riquezas”.

O deputado chama a atenção para o desmonte do patrimônio nacional, citando a Petrobrás “exatamente quando chegamos no pré-sal, quando poderíamos dar um salto extraordinário, vinculando estes recursos, como estava previsto, para a educação, para a saúde”, e a Eletrobrás, “que significa a privatização das nossas águas”.

O secretário-geral da Frente destaca ainda as graves ameaças à Amazônia, como o grande embate da frente em defesa da soberania. Ele critica o Acordo da Base de Alcântara (MA), assinado entre o Brasil e os Estados Unidos, que “fere profundamente a soberania nacional”.

Caráter pluripartidário

Para o deputado Henrique Fontana (PT-RS), vice-presidente da Frente para o Rio Grande do Sul, a mobilização tem caráter pluripartidário e reúne diversas lideranças do campo democrático.

“Precisamos unir todos os democratas, todos os brasileiros que defendem um projeto de nação para resistir a este projeto de desmonte nacional. Para resistir a esta tentativa insana do governo de extrema-direita do Bolsonaro de vender e entregar o patrimônio nacional na bacia das almas”, alerta Fontana.

O deputado ressalta que a venda das refinarias da Petrobras é um crime contra a soberania nacional e contra os interesses da população que, com isso, pagará mais caro pelo combustível. “Temos que defender a Petrobras, a Eletrobras, os Correios que são patrimônios construídos ao longo de décadas por milhões de brasileiros”.

A perspectiva da Frente é atuar na defesa do patrimônio público e contra as privatizações de estatais; na defesa da produção científica e na luta pelo ensino público, gratuito e de qualidade e ainda na defesa de riquezas naturais, como a Floresta Amazônica e os direitos dos povos das florestas.

Confirmaram presença no lançamento da Frente os ex-governadores Tarso Genro e Olívio Dutra, o coordenador nacional do MST, João Pedro Stédile, Manuela D’Ávila (PCdoB), deputados federais e estaduais, entre outras lideranças e representantes de movimentos sociais e artistas.

Com o apoio de 258 deputados e senadores, a Frente Parlamentar Mista em Defesa da Soberania Nacional foi lançada em Brasília e São Paulo (SP), em setembro, e nos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina será lançada em 7 e 14 outubro, respectivamente, e no Rio de Janeiro, em novembro.

 

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Sebastião

15 de outubro de 2019 às 22h50

Parabéns a Frente Parlamentar pela Democracia, pela a atitude e pela instrutiva matéria, que certamente, tocará fundo nas consciências dos cidadãos brasileiros de boa vontade e, a trazê-los-á, à realidade do que se passa em nosso país. Servirá também, para que eles possam meditar sobre os fatores verdadeiros, suas causas e quem são os principais responsáveis, desse processo institucional confuso, injusto e inconstitucional do Brasil. Servirá ainda, para capacitá-los a se situarem no contexto desse processo político, descobrindo assim, o nível de sua participação e responsabilidade como cidadão, no âmbito dele.
À luz de tudo isso , fica o nosso repúdio, àquelas pessoas, grupos e/ou organizações, que ainda acham que com ódio, com inveja, com preconceito, com mentira, com ofensa, com crueldade e, com autossuficiência e soberba e que também, desrespeitam a Constituição Federal, desprezam a verdade, o amor ao próximo, os direitos dos cidadãos, a liberdade e a igualdade de cidadania, a justiça imparcial para todos, a fraternidade, a misericórdia, a paz social, o bem-comum, a soberania e a segurança nacionais, etc, que entendam de uma vez por todas que, procedendo assim, não construirão nada positivo e bom, para a nação, para povo e para o país.
Os que assim agem, estão equivocados pois, com foco no Artigo 3º que dispõe sobre os Fundamentos da Nação Brasileira, que são perenes, todo e qualquer autoridade do país deveria ter registrado na CF, como meta de vida pública, em atenção aos recursos públicos, fidelidade e respeito ao povo que lhes escolheu e/ou nomeou e, aperfeiçoar o que seus antecessores deixou e sempre fazer melhor do que os outros fizeram, para o bem da população.
O que está em jogo no Brasil, não é o interesse mesquinho ou vaidades de pessoas, grupos ou organizações de pessoas, nacionais ou internacionais, sejam elas de direita, de esquerda, de centro ou do raio que os partas.
O que está em jogo no Brasil, é a nossa capacidade de entendermos que, O Plano de Governo e suas Políticas Públicas que, devem ser implementados pelos Poderes Legislativos, Executivos e Judiciários Nacional, Distrital Federal, Estaduais e Municipais, seja aquele indicado pelos Artigos 3º e 4º da Constituição Federal do Brasil, dentre outros.
Nossa sugestão para minimizar tais desvios de condutas das instituições, é que as pessoas, se interessem mais em lerem, conhecerem e adotarem como Manuais Efetivos dos Cidadãos que são, as Constituições Federal e Estadual e, a Lei Orgânica de seu Município. Essa atitude, lhes permitirá entender realmente, os seus direitos e responsabilidades e, o que são as Instituições Públicas, para que existem, o que fazem e quais as suas responsabilidades para com a governabilidade, com o bem-estar, com a justiça imparcial e com a paz social do povo do país.
Aos cidadãos, fica a sugestão para quando tiverem uma demanda, reclamação ou sugestão ao setor público e não conheçam os responsáveis, aprendam a recorrer a uma Ouvidoria Pública afim, registrem nela sua demanda e acompanhem através do protocolo criado, o andamento de sua demanda.
Aos agentes públicos de todos os Poderes Constituídos, apelamos para que respeitem os interesses do povo, que é seu patrão, respeitem a Constituição e as leis em vigor e, adotem se não conhecem, o procedimento de bem aplicar pelo interesse dos cidadãos os recursos públicos de suas Políticas Públicas e, sejam construtivos e não, destrutivos das obras públicas, aperfeiçoando e melhorando o que encontrarem e, produzindo com conformidade, qualidade e excelente funcionalidade, as obras públicas e serviços públicos, de sua lavra. O povo agradecerá e saberá reconhecer sua contra-partida.
Sucesso para todos e mãos à obra. São essas as nossas contribuições e sugestões.
Sebastião Farias
Um brasileiro nordestinamazônida

Responder

Zé Maria

07 de outubro de 2019 às 19h43

Venda do Petróleo braZileiro
é mais Cessão do que Onerosa

Predadores revoam sobre o Pré-Sal:
1 – BP Energy do Brasil Ltda.
2 – Chevron Brasil Óleo e Gás Ltda.
3 – CNODC Brasil Petróleo e Gás Ltda.
4 – CNOOC Petroleum Brasil Ltda.
5 – Ecopetrol Óleo e Gás do Brasil Ltda.
6 – Equinor Brasil Energia Ltda.
7 – ExxonMobil Exploração Brasil Ltda.
8 – Petrogal Brasil S.A.
9 – Petrobras
10 – Petronas Petróleo Brasil Ltda.
11 – QPI Brasil Petróleo Ltda.
12 – Shell Brasil Petróleo Ltda.
13 – Total E&P do Brasil Ltda.
14 – Wintershall DEA do Brasil Exploração e Produção Ltda.

https://exame.abril.com.br/economia/leilao-do-petroleo-da-cessao-onerosa-tem-14-empresas-habilitadas-diz-anp/

Responder

Zé Maria

07 de outubro de 2019 às 17h49

Na era dos Fernandos (1990-2002), a privatização
de + de 100 estatais obstaculizou o ingresso soberano
nas cadeias globais de produção, com a reprimarização
econômica.
Com o golpe de 2016, a nova safra de entrega de estatais
acaba com a industrialização e aprofunda a pobreza.
https://twitter.com/MarcioPochmann/status/1180470908575784960
Fábrica da desigualdade no Brasil não vem da política social,
como a previdência pública, foco dos porta-vozes do dinheiro,
mas da tributação que isenta ricos e do subdesenvolvimento
gerado pelo neoliberalismo que exclui massas de trabalhadores
do emprego formal e previdência.
https://twitter.com/MarcioPochmann/status/1180481085316239361

Responder

Zé Maria

07 de outubro de 2019 às 17h42

Óleo contamina partes das mais belas praias do país.
Mas como pertencem à região Nordeste,
a mídia e porta vozes do dinheiro
seguem comprometidos com o Brasil oficial.
Se sair no New York Times, quem sabe
chama atenção da elite enriquecida e
cada vez + ignorante do Brasil real.

https://twitter.com/MarcioPochmann/status/1180829711699730432

Responder

Zé Maria

07 de outubro de 2019 às 17h21

https://pbs.twimg.com/media/EGSIalFXkAcFGbd.jpg

Manchas de óleo atingem 9 estados e 132 praias do Nordeste.
Problema foi notificado em 5 de setembro;
somente na última sexta-feira, um mês depois,
a Marinha tomou a iniciativa de solicitar investigação.
Para entregar o pré-sal são lépidos e eficientes.

https://twitter.com/cartamaior/status/1181218995925635073

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.