VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Faustão e a Globo “concedem” trinta minutos à democracia; Adilson Filho viu a entrevista de Zé de Abreu numa padaria do Rio
Política

Faustão e a Globo “concedem” trinta minutos à democracia; Adilson Filho viu a entrevista de Zé de Abreu numa padaria do Rio


25/04/2016 - 06h58

Da Redação

Da entrevista concedida por Zé de Abreu ao Faustão, neste domingo, há um pequeno trecho que resume o que o apresentador — e possivelmente a própria TV Globo — acreditam ser “democracia” ou “liberdade de expressão”.

Num comentário, Fausto Silva disse que aquela entrevista, em si, era um exemplo de democracia, com a concessão de 30 minutos, “absurdamente”, para que Zé de Abreu expressasse suas opiniões políticas.

Fez a gente lembrar da Globo publicando seus índices de audiência nos jornais, no passado, como se equivalessem a votos — ainda que o público brasileiro não tivesse muitas escolhas, considerando o monopólio global obtido ao longa da ditadura militar.

Sim, a Globo tentava tirar sua legitimidade do Ibope como se fosse uma eleição, como se tivesse havido uma disputa limpa e igual entre as diversas emissoras para chegar à casa do telespectador.

Mais audiência, mais “votos”, mais legitimidade, diziam os anúncios da Globo.

É como se o crack “ganhasse eleição” pelo do fato de que vicia e mata mais.

Para nosso bem, agora o Jornal Nacional não seria capaz de apresentar seus 25 pontos de audiência como vitória esmagadora numa “eleição” popular.

Estamos livres dos anúncios, mas não da visão distorcida de democracia.

Se Faustão — ou a direção da Globo — decidiu conceder 30 minutos a um colega, por que o Jornal Nacional se nega cotidianamente a conceder direito de resposta aos que critica? Por que resume a opinião alheia a notas para cumprir o formalismo de que ouviu o outro lado? Por que não reproduz em seu noticiário o pluralismo da sociedade brasileira, do qual Zé de Abreu, Monica Iozzi e Letícia Sabatella são exemplos? Por que o jornalismo da Globo promoveu uma limpeza ideológica em seus quadros a partir de 2002?

Faustão expressou a visão de democracia da Casa Grande, algo fortuito, arbitrário, ao qual os adversários políticos têm direito desde que obedeçam as regras definidas pelos outros e se limitem ao tempo que lhes foi concedido.

Zé de Abreu foi muito além das explicações sobre as cusparadas que disparou em um restaurante de São Paulo. Teve a oportunidade de chamar Eduardo Cunha de “ladrão”, por exemplo (veja a íntegra no vídeo acima).

O ator também mencionou o episódio de ontem à tarde na avenida Paulista, quando houve confronto entre defensores do Pato e defensores da democracia, que organizaram um piquenique diante da TV Gazeta. O jornalista Pio Redondo, quando tentava proteger uma jovem de agressão, teve dois dentes quebrados por um agressor partidário do golpismo.

O fato de que a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo está empregando leões-de-chácara armados com paus e barras de ferro é MUITO preocupante, mas isso a Globo, indignada com cusparadas, pelo jeito ainda não acha digno de registro.

As fotos são do Mídia Ninja.

Captura de Tela 2016-04-25 às 05.24.26 Captura de Tela 2016-04-25 às 05.24.43 Captura de Tela 2016-04-25 às 05.24.57 Captura de Tela 2016-04-25 às 05.25.15 Captura de Tela 2016-04-25 às 05.26.10

Nosso colaborador Adilson Filho viu a entrevista numa padaria de um dos lugares de maior risco para quem não concorda com a Globo, a Zona Sul do Rio:

Acabei de ver José de Abreu dando a sua versão sobre o ocorrido no restaurante.

Estava na padaria, junto a outras pessoas que também pararam para assistir. É incrível o que está acontecendo no país.

Os brasileiros, de um tempo pra cá, passaram a acompanhar a vida política como se fosse uma novela.

Foi assim que me senti, parado, junto a funcionários, clientes e o dono da padaria, vendo o personagem da semana se manifestar na telinha da TV.

Foi realmente impressionante a entrevista.

Ele falou sobre intolerância crescente, sobre combate à corrupção, sobre a quadrilha do PMDB, sobre a queda da ciclovia no Rio de Janeiro, sobre a quarta citação do vice-presidente Temer por delatores da Lava Jato, sobre a honradez da presidente Dilma… mas foi quando falou sobre a violência que sofreu, dizendo que uma mulher que chama a outra de vagabunda não merece ser chamada de mulher, que arrancou aplausos do auditório e foi fazendo o recinto esvaziar aos poucos.

Eu fiquei pensando sobre a reação dele ao ataque dos fascistas e consigo compreendê-lo totalmente.

Honestamente, não sei como reagiria, na hora, tendo que lidar com dois loucos descontrolados no meio de um jantar com minha família.

Ele cuspiu, poderia ter jogado a mesa no chão ou dado logo uma tapa no meio da venta do sujeito.

É sempre difícil prever uma reação sob forte impacto emocional. Mas acho que alguma lição temos que tirar, e temos de começar a pensar juntos, pois o país que essas pessoas estão moldando com esse golpe irá exigir de nós esse esforço coletivo.

Eu não acredito em diálogo com essa gente. Não existe.

Estamos falando de golpistas, de loucos alucinados que atacam à luz do dia em restaurantes e aeroportos, gente que está longe de ser ‘ingenuazinha’ ou (apenas) iludida pela mídia, como muitos pensam.

É gente que sabe muito bem o que quer, desde que o mundo é mundo. Mas também não acho que a única alternativa seja o enfrentamento físico e verbal.

Isso eu não acho mesmo, e vou lutar até o fim acreditando. Acho que temos de tentar construir juntos um “caminho do meio” para lidar com o fascismo que está aí.

A coisa já não é mais tão imprevisível assim, sabemos que a qualquer momento poderemos ser atacados, xingados, etc.

Nas ruas, creio que a melhor solução seja deixar falando sozinho, se estiver com os filhos dizer que está dando péssimo exemplo pra eles, tentar desconcertar, ou fingir que não está ouvindo mesmo.

Se for o caso, chamar uma autoridade. Em locais privados, como restaurantes, por exemplo, a coisa muda de figura.

Creio que a melhor atitude seja chamar o responsável e exigir a retirada do louco que não está sabendo se comportar civilizadamente.

Não sou eu que tenho que bater boca com um descontrolado desses, o restaurante é responsável por garantir minha integridade.

Fiquei vendo a entrevista até o final, sobraram eu, o gerente da padaria e um cara que esperava o amigo fazer a compra.

Eu percebia o tempo todo esse cara procurando o meu olhar, querendo demonstrar algo.

Fiquei na minha, apenas acompanhando o final da entrevista.

Quando Zé de Abreu falou sobre a ilegitimidade de Temer eu dei um risada como quem diz: é “isso aí mesmo”.

O cara estrebuchava, gritou algumas coisas para o amigo, olhava pra mim — e eu continuava fingindo que não o o via, olhos fixos pra cima.

Não é fácil, eu sentia que ele estava mexido, não acreditando que dentro de uma Padaria na Zona Sul da cidade alguém concordava com o que o seu “inimigo” falava.

Senti o quanto ele queria fazer de mim o seu inimigo também.

E se eu reajo, olho pra ele, ele manda uma letra qualquer — tudo podia descambar pra algo muito pior que o cuspe.

Eu já estava ali me preparando espiritualmente pra ser provocado e não reagir.

Como eu não olhei pra cara dele nem por um minuto, fingi que nem existia, talvez ele tenha desistido.

Eu resolvi escrever isso aqui por acreditar que esse pode ser um caminho: nem diálogo, nem porrada. É possível ignorar os fascistas sem baixar a cabeça.

E acho que, daqui pra frente, precisaremos todos aprender a fazer esse exercício coletivo, encontrar cada um o seu meio de não cair em provocação, mas se manter firme e ocupando os espaços com dignidade, para que a nossa sociedade não se transforme de vez naquilo que eles estão fazendo de tudo para transformá-la.

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



41 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Cláudio P. Pinheiro, o CPP!

27 de abril de 2016 às 12h57

GENTE BOA,

MEUS BROTHERS,

Caia pra cima DILMA DO BRASIL! TENTE MAIS UMA VEZ E VENCEREMOS!
NOCAUTE NESTA QUADRILHA QUE ENVERGONHA O PLANETA E JÁÁÁÁÁÁÁ…!!!
PEDALAR É SAUDÁVEL!
PEDALAR É LEGAL!
OS SENADORES ESTÃO EM TORMENTOSA DÚVIDA! OS NÃO ALIADOS DA QUADRILHA ESTÃO ESPERANDO SÓ UM EMPURRÃOZINHO PARA ENTENDER DE VEZ O VERDADEIRO PAPEL DE UM SENADOR DA REPÚBLICA!
ELES JÁ ESTÃO PREOCUPADOS! NÃO QUEREM EMBARCAR NESSA FRIA! NESSE VERGONHOSO GOLPE ENGENDRADO POR CUNHA, AÉCIO, FHC, TEMER, GILMAR MENDES E SEUS ASSECLAS! PARTE PRA CIMA DILMA DO BRASIL E O BRASIL DA VERDADE VENCERÁ!
O GOLPE NÃO PASSARÁ!
DILMA DO BRASIL FICA!
CEM POR CENTO DEMOCRACIA JÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ…!!!
Meus Brothers, Gente boa, Caro Darlan, o Dan Matias, o mal não se traduz em siglas partidárias, estas ou aquelas e sim nos facínoras oportunistas nelas infiltrados!
São verdadeiras “superbactérias”! Agem livremente, escancaradamente, propiciando abalos perigosíssimos à nossa, ainda incipiente, DEMOCRACIA! Elementos perniciosos de altíssima periculosidade que estão sempre tramando, dia e noite, incessantemente, contra a Nação brasileira, contra as nossas liberdades democráticas conquistadas com suor, sangue e sacrifício de preciosíssimas vidas de jovens brasileirinhos e brasileirinhas! Entendeu meu brother Dan Matias!
Vida que segue!
SEM GOLPE! SEM TRAIÇÃO! SEM CONSPIRAÇÃO! SEM CORRUPÇÃO!
Não podemos nos acovardar! Acovardados? Nunquinha!
É preciso estar atento e forte!
Viva o nosso heróico Nordeste, viva o nosso Brasil varonil!
Viva o nosso amado povão!
Ao trabalho!
SEM GOLPE! SEM TRAIÇÃO! SEM CONSPIRAÇÃO! SEM CORRUPÇÃO!
CEM POR CENTO DEMOCRACIA JÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ…!!!

JUÍZO GENTE! JUÍZO MESMO! JUÍZO JÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ…!!!

AMANHÃ PODERÁ SER TARDE DEMAIS!

Responder

Urbano

26 de abril de 2016 às 13h21

Mas quantas das verdades ditas e mostradas por outros e por lá mesmo, que em tempos brevíssimos foram desmentidas ou quando nada distorcidas?

Responder

Cláudio P. Pinheiro, o CPP!

26 de abril de 2016 às 11h43

Caia pra cima DILMA DO BRASIL! TENTE MAIS UMA VEZ E VENCEREMOS! OS SENADORES ESTÃO EM TORMENTOSA DÚVIDA! OS NÃO ALIADOS DA QUADRILHA ESTÃO ESPERANDO SÓ UM EMPURRÃOZINHO PARA ENTENDER DE VEZ O VERDADEIRO PAPEL DE UM SENADOR DA REPÚBLICA! ELES JÁ ESTÃO PREOCUPADOS! NÃO QUEREM EMBARCAR NESSA FRIA! NESSE VERGONHOSO GOLPE ENGENDRADO POR CUNHA, AÉCIO, FHC, TEMER, GILMAR MENDES E SEUS ASSECLAS! PARTE PRA CIMA DILMA DO BRASIL E O BRASIL DA VERDADE VENCERÁ! O GOLPE NÃO PASSARÁ! DILMA DO BRASIL ENTÃO FICA!
CEM POR CENTO DEMOCRACIA JÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ…!!!
Meus Brothers, Gente boa, Caro Darlan, o Dan Matias, o mal não se traduz em siglas partidárias, estas ou aquelas e sim nos facínoras oportunistas nelas infiltrados! São verdadeiras “superbactérias”! Agem livremente, escancaradamente, propiciando abalos perigosíssimos à nossa, ainda incipiente, democracia! Elementos perniciosos de altíssima periculosidade que estão sempre tramando, dia e noite, incessantemente, contra a Nação brasileira, contra as nossas liberdades democráticas conquistadas com suor, sangue e sacrifício de preciosíssimas vidas de jovens brasileirinhos e brasileirinhas! Entendeu meu brother Dan Matias! Vida que segue! Sem golpe! Sem traição! Sem conspiração! Sem corrupção! Não podemos nos acovardar! Acovardados? Nunquinha! É preciso estar atento e forte! Viva o nosso heróico Nordeste, viva o nosso Brasil varonil! Viva o nosso amado povão! Ao trabalho! SEM GOLPE! SEM TRAIÇÃO! SEM CONSPIRAÇÃO! SEM CORRUPÇÃO! CEM POR CENTO DEMOCRACIA JÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ…!!! JUÍZO GENTE! JUÍZO MESMO! JUÍZO JÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ…!!! AMANHÃ PODERÁ SER TARDE DEMAIS!

Responder

Otto

26 de abril de 2016 às 08h29

Agora a simples grosseria e vulgaridade virou “manifestação pela democracia”.

Responder

Labareda

26 de abril de 2016 às 06h52

#anunciou na globo, fodeu-se

Responder

Apolônio

25 de abril de 2016 às 23h57

Esquerda caviar, palavras de ordem da década de 1970. Comunismo, comunista, cheira a naftalina. Estamos no século XXI e muitas pessoas ainda não se deram conta. Todos à rua em defesa da democracia e do estado democrático de direito. Um não ao retrocesso !

Responder

Palhaço Goiabada

25 de abril de 2016 às 21h15

Pesquisa entrega Lula ao juiz Moro

Agora não tem mais jeito: Lula vai ser preso a qualquer momento:

http://www.tijolaco.com.br/blog/vox-mostra-lula-liderando-e-aecio-caindo-e-por-isso-que-querem-prende-lo/

Responder

Antero

25 de abril de 2016 às 18h04

No Globo:

Lula: ‘quadrilha legislativa implantou a agenda do caos no Brasil’

Ex-presidente se manifesta publicamente pela primeira vez após aprovação do impeachment pela Câmara

SÃO PAULO – Em sua primeira manifestação pública depois da aprovação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff pela Câmara dos Deputados, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta segunda-feira que a Casa é comandada por uma “quadrilha legislativa que implantou a agenda do caos no Brasil” durante seminário realizado, em São Paulo, pela Aliança Progressista, rede de partidos de vários países. O petista fez ainda um mea-culpa e reconheceu as falhas do governo que levaram à insatisfação da população.

Com voz rouca, Lula preparou um discurso, que foi lido pelo diretor de seu instituto e ex-ministro Luiz Dulci durante o encontro.

– A oposição derrotada por quatro vezes optou por uma atitude golpista, para voltar ao poder (…) voltar com a agenda neoliberal – disse Lula no discurso lido por Dulci. E, no texto, acrescentou:

– Uma quadrilha legislativa implantou a agenda do caos.

O ex-presidente falou ainda que “a população do Brasil sofre com falhas do governo, que precisam ser corrigidas”. Apesar do mea culpa, o ex-presidente acusou a oposição de trabalhar para “aprofundar o caos” por não aceitar o resultado da eleição de 2014. Disse que o que acontece atualmente “envergonha o Brasil aos olhos do mundo” e que a defesa de Dilma foi ignorada, não passando de “mera formalidade”. Lula declarou também que “a solução dessa crise passa pela manutenção do processo democrático”.

O seminário se mostrou uma nova oportunidade para o petista criticar o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que, segundo ele, deflagrou o processo de impeachment de Dilma porque o PT não aceitou ajudá-lo no Conselho de Ética da Casa:

– Foi um gesto claro de vingança.

SEM TRÉGUA

Também presente no seminário, o presidente do PT, Rui Falcão, focou sua fala nos ataques ao vice-presidente Michel Temer. Ele voltou a afirmar que um eventual governo do peemedebista “não terá trégua”. O dirigente petista espera contar com “a solidariedade dos democratas de todos os países” para o que ele chama de “atentado à democracia” não se consume.

– Se a oposição de direita insistir na deposição da presidente, reafirmamos que não haverá trégua nem respeito a um governo usurpador, sem o referendo do voto popular e, portanto, ilegítimo e ilegal – disse Falcão.

Ele reforçou a discurso do partido, que entende o impeachment como “golpe” por, segundo ele, não haver crime de responsabilidade contra a presidente:

– Traidor de sua colega de chapa, contra a qual conspira abertamente, Temer já anunciou um programa antipopular, de supressão de direitos civis e sociais, de privatizações e de entrega do patrimônio nacional a grupos estrangeiros.

Responder

FrancoAtirador

25 de abril de 2016 às 18h02

.
.
“O que o Multi-Bilionário Plutocrata Hereditário Brasileiro
João Roberto Marinho estava fazendo nos Comentários do Guardian?”
“Não é o lugar onde se espera encontrar o mais poderoso homem do Brasil,
o Herdeiro Bilionário do Império das Organizações Globo”
.
Por David Miranda, no Intercept, via DCM:
.
(https://t.co/ILXjBRQD9h)
(https://twitter.com/DCM_online/status/724681152724905985)
(https://theintercept.com/2016/04/25/joao-roberto-marinho-me-atacou-no-guardian-e-tentou-enganar-o-mundo-eis-minha-resposta)
.
.

Responder

Antero

25 de abril de 2016 às 16h54

O papel da mídia na propagação do ódio e a reação aos fascistas, por Jean Wyllys

O Jornal de todos Brasis
O papel da mídia na propagação do ódio e a reação aos fascistas, por Jean Wyllys
183
seg, 25/04/2016 – 11:47

Por Jean Wyllys, via Facebook

Pingos nos “is”!

Agora eu posso contar.

Poucos dias depois da morte daquele garotinho de 8 anos, o Alex, cujo pai o espancou até dilacerar seu fígado porque o menino gostava de lavar louça e de dança do ventre (isso meses depois de o deputado viúvo da ditadura militar dizer publicamente que gays, lésbicas e transexuais só somos o que somos por falta de porrada na infância para que tomássemos jeito de homem ou de mulher), eu recebi a ligação de um editor de O Globo me pedindo para que escrevesse uma resposta a um artigo de um dos seus colunistas (aquele que o jornal demitiu recentemente e que também escrevia para Veja até ser dispensado por ela), que havia afirmado em seu texto que a esquerda brasileira esconde que a homofobia é própria ou originária de países da África negra para, aqui no Brasil, não prejudicar a luta do movimento negro contra o racismo. Antes de atender ao pedido e responder a essa mistura de ignorância com desonestidade intelectual que constrangeu os próprios editores de O Globo, eu perguntei ao tal editor: “Por que o jornal contratou e mantém um sujeito desses escrevendo para seus leitores?”. O editor me respondeu: “Desculpe-me, deputado, mas eu não sou responsável por isso. Não depende de mim”.

Bom, por que contei essa história? Ora, porque os principais jornais e revistas desse país (mesmo a Folha de São Paulo, o mais “plural” desses veículos), em seu propósito de derrubar o governo Dilma e destruir o PT, não bastasse a linha editorial de suas reportagens e notícias, encheram seus espaços com “jornalistas” e “intelectuais” cuja a atuação e produção de conteúdo se pauta pela desonestidade intelectual, má fé, deturpação deliberada de fatos e declarações e, em alguns casos, por ignorância e analfabetismo político. O resultado final disso é uma permanente campanha de difamação e estímulo ao ódio e à violência cujo alvo não circunscreveu apenas o governo e o PT: estendeu-se a toda esquerda e ao campo político progressista e identificado com os direitos humanos.

Os jornais, revistas, telejornais e seus sabujos davam o material ruim necessário (meias-verdades, deturpações, manipulações, declarações e lados das histórias selecionados, ângulos de fotos e etc) acerca dos fatos e personagens políticos para que, na internet, os fascistas e difamadores profissionais produzissem sua avalanche de mentiras, calúnias, injúrias e teorias conspiratórias contra Dilma, o PT, a esquerda e o campo progressista, sem qualquer distinção: para os difamadores e fascistas, somos todos um bloco monolítico.

Sabia-se que tudo isso estava não só destruindo reputações e afetando os direitos políticos de cidadãs e cidadãos brasileiros, mas fortalecendo a extrema-direita nacional e seu fascismo. Entretanto, nenhum veículo da chamada “grande mídia” fez qualquer coisa para barrar esse processo; ao contrário (lembrem-se de que a última contratação da Folha de São Paulo foi um analfabeto político hipócrita e proto-fascista membro do MBL, cujo método de trabalho é constranger e difamar os contrários ao impeachment de Dilma)!

Mesmo com a escalada da violência produzida por esse “jornalismo” intimamente articulado com a difamação – os panfletos insultuosos atirados no enterro de Zé Eduardo Dutra; os insultos a Guido Mantega no hospital onde fora encontrar a esposa em tratamento de câncer; as ofensas a Alexandre Padilha, Patrus Ananias e Gregório Duvivier em restaurantes; os ataques às casas de Jô Soares, Juca Kfouri, Ciro Gomes e do filho do ministro do STF Teori Zavascki; os insultos a Chico Buarque numa rua do Leblon; os atentados a sedes de partidos e sindicatos; e etc., fora a violência verbal perpetrada de maneira orquestrada nos perfis dessas pessoas e instituições nas redes sociais – apesar dessa barbárie, nenhuma desmentido, nenhuma matéria, nenhum artigo, nenhum editorial foi feito por qualquer desses veículos no sentido de contê-la; nenhum mea-culpa, afinal, o objetivo de derrubar o governo e PT estava sendo alcançado mesmo que inocentes estivessem sendo destruídos e um mal se fortalecendo (Foi Ricardo Noblat ou Merval Pereira que repetiu, como argumento, que “os fins justificavam os meios”? Não importa. Eles são a mesma coisa).

Agora reconhecida internacionalmente como antidemocrática, desonesta intelectualmente e excessivamente partidária por protagonizar e apoiar um golpe contra a democracia urdido por plutocratas e cleptocratas, a mídia brasileira quer se livrar do corpo morto ou esconder seu esqueleto no armário (até a patética revista Veja decidiu descobrir agora que Cunha é “do mal”). Tarde demais pra vocês, hipócritas e golpistas!

A esquerda e o campo progressista decidiram reagir de vez! Não só em manifestações de rua e denúncias à comunidade internacional contra seu golpe na democracia, mas por meio da reação imediata e enérgica ao fascismo e ao macartismo cotidiano perpetrados pelos analfabetos políticos e facistas em restaurantes, aeroportos, porta de residências, hospitais, cemitérios e etc. Juca Kfouri e Ciro Gomes foram os primeiros a reagir de maneira mais ostensiva aos seus detratores. Os fascistas não voltaram às suas casas depois disso. Ontem, foi o vez do ator José de Abreu reagir a um casal fascista – e com uma cuspida na cara de cada um!

Sempre existirão, claro, os que vão considerar a reação de Juca, Ciro e principalmente a de Zé de Abreu “extremadas”, “mal-educadas”, “grosseiras”, “violentas” e “desnecessárias”, inclusive nos veículos da chamada “grande mídia”. Quase sempre são os mesmos que eram insensíveis ou faziam vistas grossas e ouvidos moucos às violências sofridas pelos que agora eles acusam e condenam pela reação justa. Quem liga para esses hipócritas e canalhas?

Essa gentalha precisa saber que vivemos numa democracia e num estado de direito e que, nestes, o exercício de nossos direitos políticos, por mais que esse exercício contrarie sua visão de mundo, senso comum, teorias conspiratórias, analfabetismo político ou preconceitos, não lhe autoriza a nos insultar, injuriar, difamar, acusar, ameaçar e agredir em lugares públicos! E essa gentalha só começará a entender isso quando reagirmos pronta e energicamente. As pessoas de esquerda e do campo progressista têm o direto político à organização e à atuação políticas! Defender a democracia e a justiça só nos torna “cúmplices de ladrões” e/ou “vendidos ao governo e ao petê” nas cabeças desses imbecis, regadas por esse “jornalismo” abjeto praticado pela “grande mídia” – imbecis que, ao fim e ao cabo, serão os responsáveis pela chegada, à presidência da República, de um traidor citado em delação e cúmplice de um gângster reú no STF pelo crime de corrupção. Quanto ironia do destino, né?

Sendo assim, para garantir nossos direitos, inclusive o de ir e vir sem ser insultado por conta de nossas escolhas políticas, precisamos reagir aos fascistas! José de Abreu reagiu ontem e com razão! Tenho certeza de que o casal de fascistas não repetirá a façanha com Zé nem com qualquer outro! Não temos que ouvir calados nem deixar pra lá. Temos de gritar na mesma altura, fazer o mesmo barraco, impedir as filmagens constrangedoras, responder de imediato aos insultos, denunciar e processar os estabelecimentos que não tomarem providências imediatas e também os agressores. Só assim, esses analfabetos políticos e fascistas alimentados por esse jornalismo irresponsável e nefasto vão se pôr em seus devidos lugares.

Não passarão!

Responder

Antero

25 de abril de 2016 às 16h50

Aparentemente fora de pauta, mas está tudo dentro da grande pauta

http://jornalggn.com.br/noticia/o-papel-da-midia-na-propagacao-do-odio-e-a-reacao-aos-fascistas-por-jean-wyllys

O papel da mídia na propagação do ódio e a reação aos fascistas, por Jean Wyllys

O Jornal de todos Brasis
O papel da mídia na propagação do ódio e a reação aos fascistas, por Jean Wyllys

seg, 25/04/2016 – 11:47

Por Jean Wyllys, via Facebook

Pingos nos “is”!

Agora eu posso contar.

Poucos dias depois da morte daquele garotinho de 8 anos, o Alex, cujo pai o espancou até dilacerar seu fígado porque o menino gostava de lavar louça e de dança do ventre (isso meses depois de o deputado viúvo da ditadura militar dizer publicamente que gays, lésbicas e transexuais só somos o que somos por falta de porrada na infância para que tomássemos jeito de homem ou de mulher), eu recebi a ligação de um editor de O Globo me pedindo para que escrevesse uma resposta a um artigo de um dos seus colunistas (aquele que o jornal demitiu recentemente e que também escrevia para Veja até ser dispensado por ela), que havia afirmado em seu texto que a esquerda brasileira esconde que a homofobia é própria ou originária de países da África negra para, aqui no Brasil, não prejudicar a luta do movimento negro contra o racismo. Antes de atender ao pedido e responder a essa mistura de ignorância com desonestidade intelectual que constrangeu os próprios editores de O Globo, eu perguntei ao tal editor: “Por que o jornal contratou e mantém um sujeito desses escrevendo para seus leitores?”. O editor me respondeu: “Desculpe-me, deputado, mas eu não sou responsável por isso. Não depende de mim”.

Bom, por que contei essa história? Ora, porque os principais jornais e revistas desse país (mesmo a Folha de São Paulo, o mais “plural” desses veículos), em seu propósito de derrubar o governo Dilma e destruir o PT, não bastasse a linha editorial de suas reportagens e notícias, encheram seus espaços com “jornalistas” e “intelectuais” cuja a atuação e produção de conteúdo se pauta pela desonestidade intelectual, má fé, deturpação deliberada de fatos e declarações e, em alguns casos, por ignorância e analfabetismo político. O resultado final disso é uma permanente campanha de difamação e estímulo ao ódio e à violência cujo alvo não circunscreveu apenas o governo e o PT: estendeu-se a toda esquerda e ao campo político progressista e identificado com os direitos humanos.

Os jornais, revistas, telejornais e seus sabujos davam o material ruim necessário (meias-verdades, deturpações, manipulações, declarações e lados das histórias selecionados, ângulos de fotos e etc) acerca dos fatos e personagens políticos para que, na internet, os fascistas e difamadores profissionais produzissem sua avalanche de mentiras, calúnias, injúrias e teorias conspiratórias contra Dilma, o PT, a esquerda e o campo progressista, sem qualquer distinção: para os difamadores e fascistas, somos todos um bloco monolítico.

Sabia-se que tudo isso estava não só destruindo reputações e afetando os direitos políticos de cidadãs e cidadãos brasileiros, mas fortalecendo a extrema-direita nacional e seu fascismo. Entretanto, nenhum veículo da chamada “grande mídia” fez qualquer coisa para barrar esse processo; ao contrário (lembrem-se de que a última contratação da Folha de São Paulo foi um analfabeto político hipócrita e proto-fascista membro do MBL, cujo método de trabalho é constranger e difamar os contrários ao impeachment de Dilma)!

Mesmo com a escalada da violência produzida por esse “jornalismo” intimamente articulado com a difamação – os panfletos insultuosos atirados no enterro de Zé Eduardo Dutra; os insultos a Guido Mantega no hospital onde fora encontrar a esposa em tratamento de câncer; as ofensas a Alexandre Padilha, Patrus Ananias e Gregório Duvivier em restaurantes; os ataques às casas de Jô Soares, Juca Kfouri, Ciro Gomes e do filho do ministro do STF Teori Zavascki; os insultos a Chico Buarque numa rua do Leblon; os atentados a sedes de partidos e sindicatos; e etc., fora a violência verbal perpetrada de maneira orquestrada nos perfis dessas pessoas e instituições nas redes sociais – apesar dessa barbárie, nenhuma desmentido, nenhuma matéria, nenhum artigo, nenhum editorial foi feito por qualquer desses veículos no sentido de contê-la; nenhum mea-culpa, afinal, o objetivo de derrubar o governo e PT estava sendo alcançado mesmo que inocentes estivessem sendo destruídos e um mal se fortalecendo (Foi Ricardo Noblat ou Merval Pereira que repetiu, como argumento, que “os fins justificavam os meios”? Não importa. Eles são a mesma coisa).

Agora reconhecida internacionalmente como antidemocrática, desonesta intelectualmente e excessivamente partidária por protagonizar e apoiar um golpe contra a democracia urdido por plutocratas e cleptocratas, a mídia brasileira quer se livrar do corpo morto ou esconder seu esqueleto no armário (até a patética revista Veja decidiu descobrir agora que Cunha é “do mal”). Tarde demais pra vocês, hipócritas e golpistas!

A esquerda e o campo progressista decidiram reagir de vez! Não só em manifestações de rua e denúncias à comunidade internacional contra seu golpe na democracia, mas por meio da reação imediata e enérgica ao fascismo e ao macartismo cotidiano perpetrados pelos analfabetos políticos e facistas em restaurantes, aeroportos, porta de residências, hospitais, cemitérios e etc. Juca Kfouri e Ciro Gomes foram os primeiros a reagir de maneira mais ostensiva aos seus detratores. Os fascistas não voltaram às suas casas depois disso. Ontem, foi o vez do ator José de Abreu reagir a um casal fascista – e com uma cuspida na cara de cada um!

Sempre existirão, claro, os que vão considerar a reação de Juca, Ciro e principalmente a de Zé de Abreu “extremadas”, “mal-educadas”, “grosseiras”, “violentas” e “desnecessárias”, inclusive nos veículos da chamada “grande mídia”. Quase sempre são os mesmos que eram insensíveis ou faziam vistas grossas e ouvidos moucos às violências sofridas pelos que agora eles acusam e condenam pela reação justa. Quem liga para esses hipócritas e canalhas?

Essa gentalha precisa saber que vivemos numa democracia e num estado de direito e que, nestes, o exercício de nossos direitos políticos, por mais que esse exercício contrarie sua visão de mundo, senso comum, teorias conspiratórias, analfabetismo político ou preconceitos, não lhe autoriza a nos insultar, injuriar, difamar, acusar, ameaçar e agredir em lugares públicos! E essa gentalha só começará a entender isso quando reagirmos pronta e energicamente. As pessoas de esquerda e do campo progressista têm o direto político à organização e à atuação políticas! Defender a democracia e a justiça só nos torna “cúmplices de ladrões” e/ou “vendidos ao governo e ao petê” nas cabeças desses imbecis, regadas por esse “jornalismo” abjeto praticado pela “grande mídia” – imbecis que, ao fim e ao cabo, serão os responsáveis pela chegada, à presidência da República, de um traidor citado em delação e cúmplice de um gângster reú no STF pelo crime de corrupção. Quanto ironia do destino, né?

Sendo assim, para garantir nossos direitos, inclusive o de ir e vir sem ser insultado por conta de nossas escolhas políticas, precisamos reagir aos fascistas! José de Abreu reagiu ontem e com razão! Tenho certeza de que o casal de fascistas não repetirá a façanha com Zé nem com qualquer outro! Não temos que ouvir calados nem deixar pra lá. Temos de gritar na mesma altura, fazer o mesmo barraco, impedir as filmagens constrangedoras, responder de imediato aos insultos, denunciar e processar os estabelecimentos que não tomarem providências imediatas e também os agressores. Só assim, esses analfabetos políticos e fascistas alimentados por esse jornalismo irresponsável e nefasto vão se pôr em seus devidos lugares.

Não passarão!

Responder

lulipe

25 de abril de 2016 às 16h36

Agora só falta dar o mesmo espaço para a versão do casal agredido pelo discípulo de Willys….

Responder

marcio ramos

25 de abril de 2016 às 14h44

GOLPISTAS NA CADEIA. OCUPAR A GLOBO. FAUSTÃO NA CADEIA.

Responder

fabiana

25 de abril de 2016 às 14h17

Imagina vc jantando e vem um ser te humilhar, xingar…apenas por discordar da sua opinião!!! Absurdo…e somos seres humanos, imagina se fosse de agir apenas com instinto???? É isso que alguns estão virando, animais irracionais!!!

Responder

Alex Orelha

25 de abril de 2016 às 14h12

Os curitibanos apoiadores do possível governo ‘Temer + Cunha’ deveriam também propor renomear a República de Curitiba para ESTADO MÍNIMO DOS HIPÓCRITAS.

Responder

Luiz Fernando

25 de abril de 2016 às 14h08

Eu estou te falando, estão caçando a esquerda igual caçava judeu na Segunda Guerra

Responder

Luiz Fernando

25 de abril de 2016 às 13h49

Tem que acabar com essa história de esquerda caviar

Responder

Sergio Govea.

25 de abril de 2016 às 13h15

Tenho cá as minhas razões para não acreditar na autenticidade da evolução dos fatos.

Aquele cenário do módulo “arquivo confidencial” já estava pronto antes de sexta-feira.

A postura da Rede Globo, se descolando do golpe, se descolando do brutal envenenamento social que ela sistematicamente implantou contra a presidenta Dilma e contra o ex-presidente Lula.

Zé de Abreu já sabia que estaria, domingo, no programa do tal de faustão, quando ocorreu o episódio no restaurante.

Sabia da repercussão.

Não dá para acreditar na imprensa golpista de forma pendular.

Ou a imprensa é golpista e opera cientificamente, direcionando a opinião das pessoas, ou todos nós somos caolhas políticos.

É isso aí.

Sergio Govea.

==========================

Responder

renato

25 de abril de 2016 às 13h01

Ele sabe que agora haverá reação.
Nem que seja o silencio..
O mesmo silencio que a GLOBO faz para
os jovens mortos na periferia..
Acabou o bate boca.
Agora temos que identificar os GOLPISTA e FASCISTAS.
Os coxinhas morreram..

Responder

Alvaro Ferreira

25 de abril de 2016 às 10h24

Dívida pública avança 2,38% em março, para R$ 2,88 trilhões
(Repitam comigo: O PT não entregou o país aos bancos)
AHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHHAHAA

Responder

    renato

    25 de abril de 2016 às 20h43

    Este é golpísta..

Lidia

25 de abril de 2016 às 10h11

Este espaço ao José de Abreu foi uma tentativa de ocultar aquilo que não pode ser ocultado: a Globo é o maior partido político deste país. Também é uma tentativa de mostrar a mídia internacional, principalmente ao The Gardian, de como ela é assim….imparcial.

Responder

    Julio Silveira

    25 de abril de 2016 às 11h10

    Você acertou na mosca. O Zé foi usado com uma ferramenta, para uma hipócrita mostra de apoio a diversidade de opiniões. Mas não vai adiantar, o golpismo que já ultrapassa gerações no cerne desse grupo não terá condições de reverter para quem tem alguma noção ou senso critico, a percepção de que são golpistas, elitistas e preconceituosos, historicamente.

    renato

    25 de abril de 2016 às 13h09

    uando a GLOBO mostrou o ator delas no dia da votação o senhor ARI.
    Que coincidentemente diz ter CUSPIDO em outra artista em cena, em nome do
    profissionalismo e a grande apresentação do espirito artista que foi tomado.
    Acgincalhou em nome dele e da rede GLOBO toda a democracia e o PT a DILMA
    e o LULA..
    Hoje ironicamente, Zé Abreu, por intervenção dos artistas da GLOBO..( mentira do FAustão, em dizer que já estava marcado!!!).
    Dizer que ela deu mais de 30 minutos (* ele disse quarenta), para o Zé explicar, não a cusparada, mas o lado politico (direito de resposta ao Ari Fontana,).
    E acha que fez demais, fez sim…teve audiência..
    O FAUSTÂO é um dos caras que fica repetindo todo o programa, vagabinda, vagabunda…
    O JN fica repetindo todo dia mais de 40 minutos, vagabunda, vagabunda, vagabunda.
    As radios com a JPAN, vagabunda, vagabunda, vagabunda,
    A Band, com Datena e outros jornalistas falsos, vagabunda, vagabunda vagabunda, todo o dia…
    O BRASIL vai CUSPIR voces..não esqueceremos os FASCISTAS e GOLPISTAS…

Cleiton do Prado Pereira

25 de abril de 2016 às 09h30

Para dar aparência de imparcialidade e dizer que não é antidemocrática, a Globo cedeu 30 minutos ao Zé de Abreu. Inócuos estes 30 min. não serve para quase nada, nesta altura do golpe.
“Ela pôs fogo no circo e, quando já está quase tudo queimado, não havendo nada a salvar, aparece com uma lata d´água, para apagar o fogo”.
E o PT continuará acreditando na “liberdade de expressão”.

Responder

Leleco

25 de abril de 2016 às 09h21

A Globo ” sentiu o golpe “… ( infelizmente , por enqunto , de fora pra dentro ).

Responder

FrancoAtirador

25 de abril de 2016 às 09h10

.
.
A Globo Mede o Tempo em Dólares.
.
Meia Hora é um Heliponto em Paraty.
.
.

Responder

MUrdok

25 de abril de 2016 às 09h08

É por ai o caminho. Também já passei por situações dentro de grupos de amigos. Tive que me afastar por um bom tempo, algumas semanas e no voltar escutar o aonde andas, não aparece mais, o que houve. Minha resposta foi a de muita viagem e trabalho.
O fascista vc tem que deixar ele se expressar, fazendo de conta que vc não está nem escutando. Ele sempre vai mandar mensagem por tabela pra vc, principalmente se ele te conhece e sabe a tua posição. Foi por isso que dei um tempo do grupo dos amigos. Por último agora quando voltei pra tomar uma gelada, de cara já encontrei outro dizendo asneiras e bobagens. Meu Deus do céu quanta asneira. Será que foi esse o gigante que acordaram no Brasil?

Responder

    Lidia

    25 de abril de 2016 às 09h46

    Faço a mesma coisa. Amigos e conhecidos que sempre souberam das minhas posições, começaram me perseguir com provocações diversas. Ignorei. Continuo ignorando. Suas opiniões eu já conheço. Fiquem com elas, eu fico com as minhas.

José Fernandes

25 de abril de 2016 às 09h06

O Zé de Abreu foi usado.a globo sabe que ela está perdendo a longo prazo., por isso esse longo espaço

Responder

Fabio Hideki

25 de abril de 2016 às 08h54

Por que todos quase todos os restaurantes e bares nos obrigam a ver a globo ?

Responder

    Lukas

    25 de abril de 2016 às 09h55

    Provavelmente porque a maioria dos clientes prefere.

    Mas acho que vc está indo aos lugares errados. Bar ou restaurante com tv ligada é o Ó, fala a verdade…

FrancoAtirador

25 de abril de 2016 às 08h48

.
.
DOMINGÃO DE EXCEÇÃO
.
O Domingo na Globo teve 23 horas e Meia de Golpe,
.
30 Minutos de Democracia com o Ator Zé de Abreu.
.
.

Responder

FrancoAtirador

25 de abril de 2016 às 08h40 Responder

FrancoAtirador

25 de abril de 2016 às 08h34

.
.
O Janô falou nos Estados Unidos
que o Cunha é o “Quarto Homem
na Linha Sucessória” Presidencial.
.
O Ciro também Palestrou nos EUA
e afirmou que Edu Cão é o Primeiro.
.
(http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2016-04-22/eduardo-cunha-comprou-250-deputados-afirma-ciro-gomes.html)
.
.

Responder

FrancoAtirador

25 de abril de 2016 às 08h09

.
.
Imperdível Debate na TV Globo:
.
BatMan Moro x Pingüïm Cunha.
.
E, de Surpresa, a Intervenção
Oportuna do Beato Dalanhól.
.
(https://youtu.be/4DgLkd1MlPs)
.
.

Responder

FrancoAtirador

25 de abril de 2016 às 07h05

.
.
Não Adianta Mandar Levar o Zé de Abreu ao Faustão:
.
O Boicote à Rede Globo e aos Patrocinadores Continua:
.
(https://twitter.com/NITIFA/status/724429066988838912)
.
.
Só uma Pessoa Muito Ingênua em Política, pra Acreditar
.
que a Globo vai mudar alguma Letra na Linha Editorial.
.
.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.