VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Empresários de peso atacam uso da Fiesp por Skaf e fazem previsão sombria sobre futuro da entidade
Foto Antonio Cruz/Agência Brasil
Política

Empresários de peso atacam uso da Fiesp por Skaf e fazem previsão sombria sobre futuro da entidade


21/01/2020 - 10h31

Da Redação

“Como compactuar com o uso partidário da Fiesp?”, escreveram na Folha de S. Paulo os empresários Horácio Lafer Piva, Pedro Passos e
Pedro Wongtschowski.

O artigo Morte Anunciada é visto como uma resposta de setores empresariais paulistas descontentes com a perspectiva de a Fiesp se engajar na formação da Aliança pelo Brasil, partido do presidente da República Jair Bolsonaro.

O presidente da entidade, Paulo Skaf, apoiou Bolsonaro em sua eleição e parece interessado em atar seu futuro — e o da Fiesp — ao do presidente de extrema-direita.

Em 6 de janeiro deste ano o articulista Celso Rocha de Barros escreveu um texto de grande repercussão no mesmo diário, especulando: A Fiesp é fascista?

“Paulo Skaf, presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) está trabalhando pela organização do partido de Bolsonaro no estado. É uma vergonha para a indústria brasileira e para São Paulo. Associando-se ao bolsonarismo, Skaf está amarrando a elite do estado mais dinâmico do Brasil ao que há de mais imundo e atrasado na tradição política brasileira”, afirmou Barros. 

No Viomundo, Jullyana Souza, mestra em História Econômica pela USP, escreveu que ninguém deveria se surpreender com a opção política de industriais paulistas.

“Deu. Apesar de já há algum tempo estarmos envolvidos em reflexões a respeito de representações patronais e termos pactuado certo silêncio, temos novamente que mostrar nossa indignação com o que ocorre em São Paulo. Seremos atacados por amigos do rei, mas a reputação é algo que se presta a ser colocada a serviço de convicções”, escreveram hoje os três empresários no diário conservador paulistano.

O texto não cita Skaf diretamente. Mas fala em ideologias “que não respeitam instituições”, o que nas circunstâncias de hoje pode ser interpretado como fascismo:

“Temos defendido ao longo da vida os valores republicanos, democráticos e civilizatórios. Não acreditamos em sociedade bem-sucedida que se ancora em duas ou três variáveis e estamos longe de concordar que a economia, sozinha, traga a paz. Ao contrário, embora assim pensem colegas amantes do reducionismo e de ideologias que não respeitam as instituições”, afirmam.

Os integrantes dos conselhos de administração da Klabin, Natura e Ultrapar alfinetam Skaf, falando em culto a personalidade:

“O que fazem os presidentes de sindicatos e os bons nomes que ocupam conselhos da entidade, a com seu silêncio compactuar com o uso político, partidário mesmo, escolhas duvidosas, culto a personalidades?”

Fazem um vaticínio sombrio sobre o futuro da entidade:

“A Fiesp está em acelerado processo de destruição. Uma marca forte, um passado com falhas que deveriam ensinar, mas com um papel majoritariamente construtivo ao nosso diverso parque industrial, uma pauta honrada, uma necessária voz nestes tempos de dúvidas, agora centrada na sua insignificância, num processo de autoengano que se repete ano após ano”.

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



7 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

22 de janeiro de 2020 às 13h56

https://pbs.twimg.com/media/EOv_N_2WAAAKRaz.png
RANK CRESCIMENTO DO PIB EM 2020

O crescimento do PIB do Brasil ficará em 109º de 133 países,
conforme projeção do Banco Mundial para este ano.
Em 2019, ficamos em 106º.

E aí? Estamos melhorando?

https://twitter.com/PMorceiro/status/1219348751585771521

Responder

LuisCPPrudente

22 de janeiro de 2020 às 10h12

Paulo Skaf é um pilantra, todos os que elegeram e mantiveram esse canalha à frente da mafiosa Fiesp sabiam disto. Faz tempo que o canalha Skaf vem tomando decisões que destroem a indústria brasileira, incluindo a decadente indústria paulista. Esses industriais paulistas não perceberam que o canalha Skaf estava destruindo as bases da indústria paulista e brasileira? Esses industriais paulistas são cúmplices do Skaf na destruição da indústria brasileira.

Responder

Maria A. L. de Oliveira

21 de janeiro de 2020 às 23h34

É notaria que as instituições brasileiras se corromperam, em prol do capital , econômico, politico e ideológico. Por essa razão, estão condenadas, seus estatutos foram substituídos por interesses de um pequeno grupo. A visão de valores no contexto social de um país subdesenvolvido, num mundo globalizado em crise humana, se dissolve numa lama de ações e valores desqualificando os cidadãos, subtraindo o minimo de dignidade desses. Querem saber o mais pobre de todo esse contexto? É ler os comentários de pessoas que deveriam defender os direitos dos cidadãos de sua nação, contrariando toda a lógica – ser voz da coletividade que está sob a mesma nação- justificam num debate individualista, argumentado sob situação caótica nacional, acusando um Partido, sem leva em consideração que tivemos corrupção desde a famosa Ditadura. Há uma verdade imutável, podemos afirmar, que anteriormente tínhamos voz, direito ao grito livre… Hj não temos nada… Só a intolerância e troca de acusações que nos leva a negligenciarmos um com os outros. Estamos nos matando ao vez de nos unirmos.

Responder

Abelardo

21 de janeiro de 2020 às 15h15

A incompetência somada ao faro ganancioso e ambicioso, de quem colocou Skaf na presidência por tampo tempo, é razão e culpa suficiente para explicar a acelerada degradação e insignificância que hoje consome e devora a FIESP. No tempo dos patos amarelos os ratos fechavam os olhos e os ouvidos e aturavam o fedor, na esperança do lucro fácil. Hoje, com a cara amarela feito um pato, alguns começam a pular desesperados do vergonhoso barco a deriva, que não leva nenhum associado a nada e a lugar algum.

Responder

Zé Maria

21 de janeiro de 2020 às 14h30

Não pode usar a Fiesp para fins Políticos Partidários… só Ideológicos …

Para derrubar a Dilma estavam todos montados no Pato Amarelo.

Quem sabe querem substituir a Fiesp pela LIDE do Tucano Dorinha ?

Como compactuar com o Antipetismo que levou o País ao Fascismo?

Responder

mario cinelli

21 de janeiro de 2020 às 14h13

Acho que estes pseudo artistas aí gostam mesmo é de ficar de 4 para o BOZO. Aliás, ele já ofendeu vocês nordestinos várias vezes. Que se danem.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.