VIOMUNDO

Diário da Resistência


Política

Emir Sader: Marina no colo da direita


04/09/2010 - 12h55

03/09/2010

por Emir Sader, no seu blog em Carta Maior

No Forum Social Mundial de Belém, em janeiro de 2009, Marina propagava que ela seria o Obama da Dilma. Já dava a impressão que as ilusões midiáticas tinham lhe subido à cabeça e que passava a estar sujeita a inúmeros riscos.

De militante ecologista seguidora de Chico Mendes, fez carreira parlamentar, até chegar a Ministra do Meio Ambiente do governo Lula, onde aparecia como contraponto de formas de desenvolvimentismo que não respeitariam o meio ambiente. Nunca apresentou alternativas, assumiu posições perdedoras, porque passou ao preservacionismo, forma conservadora da ecologia, de naturalismo regressivo. Só poderia isolar-se e perder.

Saiu e incutiram na sua cabeça que teria condições de fazer carreira sozinha, com a bandeira supostamente transversal da ecologia. Saiu supostamente com críticas de esquerda ao governo, mas não se deu conta – pela visão despolitizada da realidade que tem – da forte e incontornável polarização entre o bloco dirigido por Lula e pelo PT e o bloco de centro direita, dirigido pelos tucanos. Caiu na mesma esparrela oportunista de Heloísa Helena de querer aparecer como “terceira via”, eqüidistante entre os dois blocos, ao invés de variante no bloco de esquerda.

Foi se aproximando do bloco de direita, seguindo as trilhas do Gabeira – que tinha aderido ao neoliberalismo tucano, ao se embasbacar com as privatizações, para ele símbolo da modernidade – e foi sendo recebido de braços abertos pela mídia, conforme a Dilma crescia e o fantasma da sua vitória no primeiro turno aumentava.

As alianças da Marina foram consolidando essa trajetória na direção do centro e da direita, não apenas com empresários supostamente ecologistas – parece que o critério do bom empresário é esse e não o tratamento dos seus trabalhadores, a exploração da força de trabalho – e autores de auto-ajuda do tipo Gianetti da Fonseca, ao mesmo tempo que recebia o apoio envergonhado de ecologistas históricos.

O episódio da tentativa golpista da mídia e do Serra é definidor. Qualquer um com um mínimo de discernimento político se dá conta do caráter golpista da tentativa de impugnação da candidatura da Dilma – diante da derrota iminente no primeiro turno – com acusações de responsabilidade da direção da campanha, sem nenhum fundamento. Ficava claro o objetivo, típico do golpismo histórico – que vinha da UDN, de Carlos Lacerda, da imprensa de direita e que hoje está encarnado no bloco tucano-demista, dirigido ideológica e política pela velha mídia.

Marina, ao invés de denunciar o golpismo, se somou a ele, tentando, de maneira oportunista, tirar vantagens eleitorais, dizendo coisas como “se a Dilma (sic) faz isso agora, vai saber o que faria no governo”. Afirmações que definitivamente a fazem cair no colo da direita e cancelam qualquer traço progressista que sua candidatura poderia ter até agora. Quem estiver ainda com ela, está fazendo o jogo da direita golpista, não há mais mal entendidos possíveis.

Termina assim a carreira política da Marina, que causa danos gravíssimos à causa ecológica, de que se vale para tentar carreira oportunista. Quando não se distingue onde está a direita, se termina fazendo o jogo dela contra a esquerda.





173 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Orlando

11 de setembro de 2010 às 21h51

Professor Emir Sader, Azenha e frequentadores deste espaço,

Reproduzo um comentário de um leitor do site do PHA:

"MARINA: LARANJA DE TUCANO…MAIS ECOLÓGICA IMPOSSÍVEL"

Muito boa!!!

Responder

Geysa Guimarães

11 de setembro de 2010 às 17h40

O futuro político da Marina é tomar chá verde com Heloísa Helena.

Responder

    Simone Vasconcelos

    11 de setembro de 2010 às 18h23

    Tem gente que quer ser engraçadinha e finge ou não quer ou não consegue perceber a realidade.
    Quanta bobagem, quanta infantilidade e falta de comprometimento. O mundo está como está por
    nossa responsabilidade, por insistirmos em olhar somente para o nosso umbigo, ou nossa carteira,
    ou nosso espelho, inependente do que rola ao nosso lado. Geysa, procure se informar melhor sobre
    Marina, assista a alguns vídeos dela, ponha a mão no consciência e faça o seu cérebro funcionar
    antes de escrever boibagens como esta.

GeorgeLuckas

11 de setembro de 2010 às 12h50

como já mencionei: para os vira-casacas, ameaças para a Pólis (Brasil), só há um único destino…o ostracismo

Responder

Victor Fisch

08 de setembro de 2010 às 17h04

Gostaria de fazer dois comentários:

1. ESQUERDA E DIREITA
Há de se ter uma visão muito retrógrada para crer que ainda existe tal divisão como se propõe. Eu, como eleitor e apoiador da Marina, estou fazendo o jogo da direita? Por que?
Porque acredito que a construção do Brasil do futuro vem com a participação da sociedade? Com o Estado Mobilizador, que a Marina adora falar e não o Estado Provedor, que a Dilma adora se vangloriar? Porque eu acredito que o essencial para o Brasil é a distribuição de renda? Porque eu acredito que o Brasil precisa ter educação de qualidade? Porque eu não quero que o Brasil siga o modelo da China, nem tampouco o dos EUA? Porque eu sei que o petróleo é um bem do século XIX e não traz mais bens a humanidade, sabendo que precisamos de renovação, de tecnologia de ponta, de um outro modelo de desenvolvimento?
Desculpe-me, mas não creio que pensar assim me coloca como agente da "direita".

2. CEGUEIRA
Não sei o que aconteceu com os petistas de carteirinha, que ficaram todos cegos, como em "ensaio sobre a cegueira". Onde está a "sabedoria política" daqueles que não vêem e não escutam, apenas bradam e agitam bandeiras? Assim são os militantes petistas. Se alguém aparece com ideia contrária, é rapidamente taxado de "traidor", "direitista", "reacionário", etc.
Então a estratégia é desqualificar seja quem for? Temo por nossa cultura e inteligência como os russos stanilistas perderam os seus artistas.

Caetano Veloso ficou louco. Gianetti virou escritor de auto-ajuda. Gabeira é um traidor.
E o que é Gil?
E a Gal? E a Maria Bethânia?
E o Tom Zé?
Arnaldo Antunes, Adriana Calcanhoto, Lenine…?
Wisnik?!
Fernando Meirelles?!
A lista poderia continuar…

Todos irrelevantes para a cultura nacional? Ficaram todos loucos ou lúcidos?

Responder

    Orlando

    08 de setembro de 2010 às 23h01

    Victor

    Sou eleitor do PT. Isso faz de mim um "petista de carteirinha"? Você é um "pevista de carteirinha"? Confesso que ser chamado de "petista de carteirinha" é algo que me aborrece. Tem também outra designação pejorativa: "Petralhas". Mas deixa quieto, os cães passam e a caravana passa.

    Quanto ao seu "artistômetro" (artistas que você relacionou), por que diabos você acha tão importante o que pensa o "artista A" ou em quem vota o "artista B"? Isso influi no seu voto? Será que os artistas que você citou declaram voto em Marina por pura convicção, ou o fazem de olho nos desdobramentos comerciais de suas posições políticas? Tem um artista mais relevante do que todos os que você citou, Chico Buarque. Este não precisa de mídia como os que você citou. O Chico é "petista de carteirinha". (continua…)

    Victor Fisch

    09 de setembro de 2010 às 15h30

    E uma última questão (talvez você veja como a primeira pois respondi seus comentários fora de ordem):

    O PT, partido pelo qual já tive grande apreço, mas me trouxe muita decepção, está fazendo um jogo político muito sujo. Não que esses outros partidos não o fizessem estando no seu lugar. Mas o uso da máquina para se perpetuar no poder é algo pelo qual você deveria ter vergonha de votar na Dilma. Construiram essa candidata do nada, a reformaram, o Lula já está fazendo campanha há mais de um ano, ele abandonou seu cargo para fazer campanha, não só para ela como para o Netinho, Marta, Mercadante (ao menos aqui em São Paulo). E o discurso dele é que a Dilma quer apresentar propostas e o Serra está baixando o nível! Fato que o cara tá desesperado, mas apresentar propostas é brincadeira, não é?
    Ontem ela não foi ao debate e tenho certeza que só irá no último, da tal da mídia golpista da Globo. Compare com convicção as propostas da Dilma com a da Marina.

    Se você tiver paciência, assista essa animação que compara os europeus certinhos com os italianos zoneados e perceba como somos parecidos com eles. (deixo aqui porque no "capítulo" politics a semelhança com a atual atitude do Lula é total.

    [youtube 28-P_pc8tmM http://www.youtube.com/watch?v=28-P_pc8tmM youtube]

    Orlando

    09 de setembro de 2010 às 21h34

    Oi, Victor.
    Realmente, como você já registrou, suas respostas aos meus comentários vieram meio fora de ordem, então me desculpe se as minhas réplicas também apresentarem algum descompasso.

    Fico feliz que um cara como você tenha visto sensatez em mim. Um cara que lê "Mindwalk" e Ladislau Dawbor…Pra um petista de carteirinha, como eu, é uma honra ser bem tratado por uma pessoa com a sua erudição.

    Victor, 2010 com os pobres e 2018, quem sabe, com as árvores. Mas antes, os verdes têm que sair do colo da direita.

    Orlando

    09 de setembro de 2010 às 21h41

    Victor.

    Quer dizer que você é de São Paulo? Quatrocentão, hein… Tenho dito que Marina é ótima opção para elitistas envergonhados de votar no Serra.

    Vamos parar de fazer marolinha com a quebra do sigilo da filha do Serra, que isso não vai levar ninguém pro segundo turno. E, Victor, ficar com esse papo de aparelhamento do Estado, nem precisava ler Mindwalk ou Dowbor, bastava ir na banca comprar a Veja e ler Mainardi e Azevedo, kkkkk. Isso é conversinha da Revista Veja, Victor, não estás enganando ninguém com suas citações bibliográficas, kkkk. Ah…esta elite quatrocentona…

    GeorgeLuckas

    11 de setembro de 2010 às 12h26

    Lula está fazendo propaganda porque senão vai acontecer aqui o que houve no Chile: michelle bachelet, 80% de aprovação, não se esforçou para que seu candidato, Camilo Medina, ganhasse…quem ganhou no final foi Sebastían Piñera, o Serra do Chile que está fadado a 4 anos de possíveis desastres econômicos e sociais

    e eu acho que vc não quer o Serra eleito

    Orlando

    08 de setembro de 2010 às 23h03

    Victor

    Continuando…

    Tem outros "artistas" que odeiam os "petralhas", tudo boa gente, gente preocupada com a nação, com os pobres: Luciano Huck, Hebe Camargo, Ivete Sangalo (próceres do finado movimento CANSEI, lembra?). Eles também influenciam seu voto?

    Particulamente, também acho meio ultrapassado este papo de direita e esquerda. Podemos chamar de "preocupados com os pobres" e "despreocupados com os pobres". Você, Victor, deve ter todas as suas necessidades satisfeitas, como Caê, Calcanhoto, Lenine, Antunes e os outros citados, seus ícones da arte, seus mentores políticos. A maior preocupação da vida e vocês é o meio ambiente. Nada contra. Mas é uma questão de prioridade. Como já disse em mensagem anterior, se você votar comigo nos pobres em 2010, voto com você nas árvores, em 2018.

    Orlando

    08 de setembro de 2010 às 23h04

    Victor

    Continuando…

    Nada contra o fato de você pensar diferente. É sua opção. Mas confesse-a. Confesse que você quer que os pobres se explodam. Confesse que os índices sociais do governo Lula, exaltados no mundo inteiro, não significam nada pra você. Os países do primeiro mundo destruíram sua natureza no processo de desenvolvimento. Agora querem que sejamos um país agrícola para toda a eternidade, preservando o meio ambiente que eles degradaram. A agenda do PV parece encomendada por estas potências estrangeiras, mas só atende os que já alcançaram um padrão de vida decente, como provavelmente é o seu caso, Victor, e, certamente, é o dos artistas que você citou.

    Pra terminar, gosto de todos os artistas que você mencionou, exceção feita pra Caê, o supra sumo do preconceito e da visão elitista. Um sujeito que já chamou o Presidente de cafona e foi repreendido em público pela grande Dona Canô, sua própria Mãe, que desautorizou as palavras preconceituosas do filho. Logo o Caetano ser preconceituoso…Um cara que devia saber respeitar as diferenças…

    Victor Fisch

    09 de setembro de 2010 às 15h22

    Orlando,

    aqui você exagero, foi agressivo sem necessidade. Sim, tenho minhas necessidade supridas, mas não, não quero que os pobre se explodam. Sinto pena de você por pensar isso. Sinto pena porque você não consegue compreender como estão interligadas todas as questões e apenas uma quebra de paradigma no seu pensamento e na sua visão faria com que você percebesse isso. Para tal recomendo o filme "Ponto de Mutação" (Mindwalk em inglês).

    O que significa que não se trata de queimar árvores ou ser um país agrícula. Muito pelo contrário. Trata-se de uma visão diferenciada de economia. A economia está a servço da sociedade ou a sociedade a serviço da economia? O economista Ladislau Dowbor tem ótima visão sobre esse assunto, que me abriu a cabeça para um novo modo de enxergar nossos sistemas. Como você pode perceber, sim, eu acho muito importante a opinião de outros para a construção da minha, mas mais importante é escutá-las e tentar compreendê-las, não simplesmente aceitá-la.

    Estou me dando o trabalho de responder porque você me pareceu um cara sensato. Ladislau Dowbor relativiza a importância do PIB, pois nele estão imbutidos valores que vão contra a qualidade de vida. E o que é essencial, se não a qualidade de vida? E não venha me dizer que estou pensando em consumo, ter um carro, tv de plasma etc. Estou falando de alimentação de qualidade, moradia, saúde, educação, segurança, transporte.

    Esta visão é a principal divisória entre a Marina Silva e qualquer outro candidato. Só ela compreende como a sociedade é feita a partir de células que se integram, assim como a matéria e os átomos e elétrons.

    Orlando

    09 de setembro de 2010 às 21h12

    Victor,

    Insisto que não preciso de cabresto intelectual pra definir minhas posições políticas. Enxergo e escuto, sem que, para isso, precise recorrer a artistas. Você me desculpe se estou com dificuldades de te entender, mas o que vejo é uma tentativa de sua parte de nos convencer a partir de uma lista de "celebridades", quando deveria apresentar um conjunto de bons argumentos. Tente. Nós aqui, "militantes e comentaristas deste blog" saberemos apreciar seus argumentos.

    Orlando

    09 de setembro de 2010 às 22h04

    Oi, Victor.

    Noooossa, quanta erudição. Quer dizer que você agora me recomenda leitura de Mindwalk? Ou de Dowbor?

    Olha, nós, os "petralhas", os "petistas de carteirinha", mesmo aqueles que, como eu, não nasceram em São Paulo, também gostamos de leitura, exceto Veja. Por exemplo, pra melhor entender o fenômeno Lula e as transformações que ele implementou no Brasil, recomendo que você leia "A Estratégia do Oceano Azul". Você vai gostar. E talvez aceite que a tendência que tanto te apavora veio pra ficar, porque um metalúrgico enxergou algumas obviedades que a elite quatrocentona desprezou ou sequer percebeu.

    Victor Fisch

    10 de setembro de 2010 às 08h31

    Perdeu a noção e o respeito, se mostrando cego como qualquer outro.
    Você é o exemplo perfeito do que disse aqui em todos os posts. Quando acabam os argumentos, apelam para rótulos, comparações com a Veja (?!) e diminuições do debatedor.
    Me disponho a conversar, se quiser. Tenho uma casa de Marina que posso te receber.
    meu blog: http://100melhoresfilmes.blogspot.com/

    E, por fim, assista esse vídeo do senador Ricardo Young:

    [youtube _8HiKI2YZZI http://www.youtube.com/watch?v=_8HiKI2YZZI youtube]

    GeorgeLuckas

    11 de setembro de 2010 às 12h59

    vi o vídeo do candidato young…porque le não lê os jornais ou o pnad…o IDH sobe e o índice de Gini revela um Brasil mais igual…preste atenção antes de criticar…tsc tsc

    Orlando

    11 de setembro de 2010 às 19h44

    Oi, Victor.

    Calma, amigo. Não perdi a noção. Apenas discordo de você. Meus argumentos não acabaram. É só você não desistir do debate. Mas quero o debate aqui, onde ele começou. Por isso, agradeço o convite para comparecer ao seu blog. Até o faria, em outra circunstância, mas você insiste em generalizar e desqualificar seu interlocutor. Aí não dá.

    Quanto às comparações com a Veja, só o fiz porque você reproduziu na íntegra a cantilena deles, de "aparelhamento de Estado", "uso da máquina", "jogo político sujo". Além disso você diz que Dilma foi construída do nada…Você só pode estar de brincadeira. Outra joia sua foi dizer que tem pena de mim.

    Ô Victor, vai procurar a sua turma.

    GeorgeLuckas

    11 de setembro de 2010 às 12h44

    na minha opinião o equilíbrio deve ser alcançado, crescimento com preservação, isto é desenvolvimento sustentável

    entende o que é equilíbrio, 50% a 50%…
    não voto em Marina porque acho que ela vai priorizar a preservação…se ela fosse eleita provavelmente haveria uma alta no preço dos gêneros agrícolas…acho que já pode deduzir o porque

    como podemos preservar se não podemos proteger…precisamos de crescimento para podeermos ter a capacidade de proteger, por isso apóio Belo Monte…
    por exemplo…como Somália pode preservar seu litoral rico em biodiversidade se não pode impedir que haja descarregamento de lixo tóxico, inclusive atômico, em seu litoral por parte de outras nações…

    será que pode mediitar sobre isso e medar uma resposta…

    Orlando

    08 de setembro de 2010 às 23h06

    Victor

    Continuando…

    Como não uso o "artistômetro" pra definir meu voto, não sei exatamente, com exceção de Chico Buarque, que artistas votarão na Dilma. Mas posso procurar descobrir e te informo, valeu, Victor? Quem sabe não descolo uma lista bacana, cheia de intelectuais e de grandes nomes da arte e, assim, conquisto seu voto pra Dilma?

    A propósito, nas horas vagas, Hitler era artista. Você votaria no candidato do Hitler?

    Victor Fisch

    09 de setembro de 2010 às 15h11

    Caro Orlando,
    o "artistômetro" não é a questão, mas sim a falta de capacidade que os militantes e comentaristas desse blog em geral costumam ter de enxergar e escutar.

    Orlando

    08 de setembro de 2010 às 23h31

    Oi, Victor.

    Reafirmo que acho o "artistômetro uma bobagem. Mas vai aí uma listinha pra você. Tem gente boa, hein…Quem sabe você não muda o seu voto:

    Encontrei alguns artistas que apoiam Dilma. Não sei se você vai gostar, alguns são do samba, às vezes rola um preconceito. Mas vamos lá: Martinho da Vila, Alcione, Zeca Pagodinho, Beth Carvalho e Lecy Brandão. Mas tem gente de fora do samba, também, como o músico Wagner Tiso, a Jornalista Hildegard Angel (filha de Zuzu Angel e irmã do ex-militante político Stuart Angel Jones, mortos durante a ditadura militar), Jorge Mautner, Chico Buarque, a filósofa Marilena Chauí, o historiador Francisco Carlos Teixeira, o cineasta Luis Carlos Barreto, o teólogo e filósofo Leonardo Boff e os atores Paulo Betti e José de Abreu. Deve ter mais…Depois procuro.

    Até 4 de outubro.

    Victor Fisch

    09 de setembro de 2010 às 15h10

    Caro Orlando,
    Leonardo Boff está com a Marina, eu mesmo gravei seu depoimento:
    [youtube VA6bJDzmr_A&p=A06AA2E19DD6A555&playnext=1&index=72 http://www.youtube.com/watch?v=VA6bJDzmr_A&p=A06AA2E19DD6A555&playnext=1&index=72 youtube]

    jaime silva

    09 de setembro de 2010 às 12h46

    Meu querido, não se trata de ser lúcido ou louco. É uma questão de IDEOLOGIA, ou será que vc acredita no fim das ideologias. No jogo do poder no capitalismo ou em qualquer outro modelo, vc precisa estar atento e sensível aos blocos. Se vc me convencer COM FATOS, que o bloco da Rede Globo, PSDB, DEM e DERIVADOS é esrategicamente
    importante na luta contra o capitalismo no Brasil, eu deixo de votar na Dilma e voto na Marina. Abs. Jaime Silva

    GeorgeLuckas

    11 de setembro de 2010 às 12h21

    com certeza estes artistas tem uma profundidade intelectual política gigante…que tal pedir a opinião de um especialista sobre o assunto…como o professor Emir Sader, um dos organizadores do fórum social mundial

    Mário de Oliveira

    13 de setembro de 2010 às 03h52

    O senhor apresentou um programão da Marina. Obrigado. obrigado. Foi o senhor o autor? Foi apresentado no" Jornal do Brasil impresso?" Aí se perdeu… Vemos que o senhor aboliu a direita e a esquerda. O senhor apresenta ao final de seu comentário nomes que considera, parece, representantes de nossa "cultura e inteligência", dentre eles uns vendedores de cd's que não representam a cultura de nosso povo.Uns mistificadores ordinários embalados pela mídia mais ordinária. O senhor ao extinguir a direita e a esquerda ficou sem norte daí a desorientação que expressa em seu comentário.Com todo o respeito,eu não o desqualifico e digo que o senhor tem a qualidade do especialista em nonsense.

Fabio_Passos

06 de setembro de 2010 às 16h00

É uma pena.

ecocapitalista e ecoudenista.

Responder

    @ThathaCarol

    07 de setembro de 2010 às 21h27

    Acho importante não esquecer o passado e a história de Marina Silva. Conheço Marina Silva, e não acredito que essa seja sua posição(à direita), e muito menos sobre a política sociambiental que a duras penas construímos no Min do Meio Ambiente, e que vemos ruir tudo nessa gestão.
    Se assim fôr acho que precisamos fazer uma campanha urgente para que Marina volte para o PT

    GeorgeLuckas

    11 de setembro de 2010 às 12h46

    a minha opinião; vira-casacas devem ser levados ao ostracismo, como Ciro Gomes, meu conterrâneo, que foi do Arena na época do agradabilíssimo Regime Militar

PFiga

06 de setembro de 2010 às 11h37

Felizmente, os brasileiros ficaram livres dessa senhora Marina. Que volte para o Acre e recomeçe a sua trajetória. Depois de ter-se lambuzado 6 anos no Governo Lula, apresenta-se como alternativa da direita. Foi leviana e deveria compor o esquadrão dos Fariseus! Tinha enorme respeito e admiração por essa senhora! Quanto ao Gabeira o Estado do Rio de Janeiro ficará livre desse embuste! É outro oportunista da política brasileira! Que retorne a usar a sua "sunguinha" de croche e vá acompanhar a sua filha SURFAR no HAVAI. Só que com passagens aéreas pagas pelo seu bolso e não com o dinheiro público, na farra das passagens dos parlamentares!

Responder

    Simone Vasconcelos

    11 de setembro de 2010 às 18h34

    Tem gente que ouve o galo cantar e não sabe onde. Quem tem usado e abusado do poder e do dinheiro público é este infeliz do Lula e esta senhora Dilma. É realmente uma pena que nosso país ainda tenha tanta gente incapaz de refletir e enxergar a realidade. A Dilma se eleita não pode nem entrar nos EUA , você sabia? Acho que não, com certeza você não sabia e não quer perceber tudo o que o Lula tem feito sem a menor vergonha na cara pois sabe que a maioria da população não consegue enxergar. Pobres de nós brasileiros lúcidos que queremos dignidade e honestidade,
    o povo que o Lula criou, ignorante que só pensa em si, vai demorar a se dar conta do mal que Lula nos fêz. Infelizmente.

jP Vergueiro

06 de setembro de 2010 às 09h50

Vergonhoso, mais um texto repleto de preconceitos e ecoando a velha esquerda no poder. Está na hora de mudar o país, mudar os governantes que se utilizam do Estado para se manter controlando tudo. E perseguir a Marina por ela representar a mudança, por ela representar a esperança, é justamente o que a Direita fazia antigamente. Emir Sader em seu texto representa o que tem de mais antigo em política, uma visão burguesa, preconceituosa e ultrapassada. Triste ver um grande autor se entregar tão fácil a quem quer manter o poder a todo custo.

Responder

    kodaly

    13 de setembro de 2010 às 12h40

    Que mudança? Acorda colega.

Maria 1

05 de setembro de 2010 às 19h50

E, para não perder o hábito, eis a Marina de novo espinafrando o governo, por conta de matéria da Folha que, segundo os entendidos, é assunto requentado e já resolvido. (http://www1.folha.uol.com.br/poder/794363-e-falta-de-transparencia-diz-marina-sobre-falha-de-r-1-bi-durante-gestao-de-dilma.shtml). Provavelmente não examinou e/ou desconhecia os detalhes. A prudência seria recomendável. Mas fez o jogo.

Responder

Alexandr Albuquerque

05 de setembro de 2010 às 18h39

A política de segurança do Cabral é mexicana, torna a lei cara e a violência barata, nunca funcionou. Este é o maior problema do Brasil e terá que começar a se resolver pelo Rio, e o Gabeira é a única opção. O incrível da discussão política fossilizada é que enquanto se discute qual a cor mais progressista, as questões de foro íntimo estão sendo devastadas pela esteria do politicamente correto. Todos perdem com o excesso leis, regras, normas, métodos e patentes. Poxa, como somos tapados.

Responder

ARTUR 75

05 de setembro de 2010 às 17h04

Marina no colo da direita? Que é que tem isso? afinal já temos casos mais célebres e antigos de EX.
Por exemplo Ex-comunistas: Arnaldo Jabour, Myriam Leitão, Dora Kramer só pra não encompridar a lista.

Responder

ARTUR 75

05 de setembro de 2010 às 17h00

Caetano? quem é? Ah! o Caetano Veloso que frequentava o Porto da Barra? Sei.
Tá apoiando o Fernando Gabeira? Então tá explicado. Os semelhantes se atraem.
Que quié isto, companheiro?

Responder

Antonio

05 de setembro de 2010 às 16h45

Marina não faz mal algum à causa ecológica. Ela é outro embuste, como seu partido, que de verde tem o dólar, e é apendice do PSDB. Marina, no desespero, vai à direita, vai à esquerda, vai flutuar feito folha morta ao vento, cair e se decompor em nada, pois tombará no asfalto nu e cru. Foi uma perfeita idiota, que se emaranhou no plano inóquo da direita.. Foi ingenuidade? Ou teve muita grana envolvida nessa história?

Responder

Conceição

05 de setembro de 2010 às 15h00

Apóie a nova Representação do MSM à Justiça Eleitoral.
E atenção, por favor: peço encarecidamente àqueles que estiverem chegando agora e que quiserem assinar a representação que façam os seus comentários de apoio clicando aqui. Quem deixar seu apoio à representação neste post aumentará ainda mais o trabalho do blogueiro e a demora para levar a ação a cabo. http://www.blogcidadania.com.br/2010/09/proximos-

Responder

Fernando Oliveira

05 de setembro de 2010 às 13h52

Em tudo, concordo com o sempre brilhante Emir Sader. Marina tornou-se um verdadeiro vexame político. Um constrangimento, tanto pra si mesma, quanto para este cidadão aqui, que não obstante admirador do Lula e eleitor declarado de Dilma Roussef, algo de digno e honrado ainda conseguia vislumbravar em sua candidatura. Ao Ilustre professor, parabéns. Belíssimo artigo…

Responder

Julio Silveira

05 de setembro de 2010 às 12h59

Minha chateação é que cheguei a considerá-la uma opção de candidatura de esquerda, pensei até em votar nela.
Constato um tanto quanto decepcionado que será outra que pedirá para esquecer seu passado.

Responder

    José Silva

    05 de setembro de 2010 às 13h57

    Pois é Julio, lá no meu Sindicato eu cheguei até a "debater fortemente" com um amigo meu que a campanha da Marina estava toda armada para impulsionar a eleição de José Serra, e que ela tinha traído a si própria. Tá aí a prova e repito o que um palestrante do DIAP afirmou para nós no dia do meu "debate": Após a eleição, caso tenha muita sorte, Marina talvez consiga ser vereadora no Acre.
    Fim merecido para quem quando teve a chance de se tornar uma alternativa real para o Brasil, preferiu pegar o caminho aparentemente mais fácil e tentou crescer negando suas origens e traindo sua história. Triste e merecido desenrolar de carreira para Marina Silva.

Guanabara

05 de setembro de 2010 às 12h56

Assim como a Maitê Proença foi a Regina Duarte de 2010, Marina encarou a personagem de HH neste ano. Pelo visto, terá o mesmo destino da outra…

Como disse o PHA, de verde ela ficou mais é para laranja. Uma pena. Ou, como eu mesmo já citei aqui, um personagem interessante de um filme já de mais de 10 anos atrás dizia: vaidade, o meu pecado favorito.

Responder

Gerson Carneiro

05 de setembro de 2010 às 12h52

Quanto ao Gilberto Gil ainda é compreensível por sua filiação ao PV.

Agora quanto ao Caetano Veloso é triste vê-lo posando de moderninho. "vê-lo" e "veloso", capitou? :)

O Caetano até que é um cara legal, o mala mesmo é aquele argentino torcedor do Boca que mora dentro dele.

Responder

Solange

05 de setembro de 2010 às 12h49

Querido Prof: parabéns, mais uma vez, pela lucidez da análise!

Responder

Renato Lira

05 de setembro de 2010 às 12h47

Essa é a sina de Marina, a inocente útil. Estar na garupa de um oportunista. que faz as vezes de cabo-eleitoral de seu adversário.

Gabeira é isso. Oportunista, falso-moralista, dissimulado, golpista. Fez até um livro inventando coisas que não fez. Apoderou-se do PV para seus projetos pessoais e o vendeu para a direita. Negou seu suposto passado e vendeu sua consciência (se é que um dia teve).

Ainda bem que, visto sua performance eleitoral. Sua dissimulação não convenceu muita gente não.

Gabeira não engana mais ninguèm.

Nem os lutadores juvenis verdes deminha adolescência, pixadores e verdadeiros. Nem o povo, definitivamente ciente do que quer.

Só alguns incautos, inocentes, como a Marina.

Porém há de se concordar que Marina prestou-se a esse papel sem pestanejar.

EVOÉ

Responder

Renato Lira

05 de setembro de 2010 às 12h45

Marina perdeu-se por uma ilusão alimentada por espertalhões enganadores da direita, foi a marioneteda turma demotucanomidiática, armada junto com o Gabeira.

Ela acreditou no canto da sereia do enganador, do dissimulador, e virou isso, uma candidata perdida, sem discurso, partindo para a apelação, que agora viu-se envolvida no rolo, descartada pelos que sorriam para ela, vendo, impotente, seu partido acusado de participar do "complô anti Serra".

E o Gabeira, apareceu para defender sua candidata e seu partido? É ruim…

Se for pra defender o Serra, aí ele aparecena hora.

Responder

    José Silva

    05 de setembro de 2010 às 14h03

    Renato, vc realmente acredita que uma pessoa com a história de vida da Marina, que chegou a ser Senadora e Ministra perdeu-se por uma ilusão?!?!?!
    Ela é uma oportunista amigo!!! E graças a Deus teve o que merece e se deu muito mal.

    Renato Lira

    05 de setembro de 2010 às 17h20

    Caro José.

    Odeio admitir isso, mas estou a ponto de concordar com você, apesar da longa missiva que escrevi.

Renato Lira

05 de setembro de 2010 às 12h35

No episódio da saída do Gabeira do PT, com um discurso de radical de esquerda, natural seria que Gabeira ficasse mais à esquerdas. Ledo engano.

Mais uma performance do farsante dissimulado.

Foi diretinho pro colo da direita, com fez Marina.

Fosse Gabeira verdadeiro, teria ido pro PSOL. São reaças também, mas de esquerda. São matusquelas, mas não mudadram de lado. Gabeira, sempre oportunista, votou no Severino Cavalcanti para presidente da Câmara para prejudicar o governo, e depois fez aquele deiscursinho mequetrefe e falso-moralista, atacando seu eleito, no episódio do mensalinho.

Responder

Renato Lira

05 de setembro de 2010 às 12h30

Como Marina se engana com o Gabeira, não entendo. Mas Marina se prestou a esse papel.

A forma como age Gabeira não é novidade. Este sujeito, oportunista como nunca vi,elegeu-se pelo PT em 2002, pulou fora rapidinho, atacando o PT naquelas mudanças na previdência, criticando o governo com discurso um típico de raivosos radicais de esquerda.

Aí o indivíduo sai do PT para se juntar ao que há de pior na direita, adeptos do golpismo, da privataria, das causas das eleites, dos "cheirosos", dos antipovo.

Até o PPS, outro saco de gatos, amontoado de zumbis políticos, golpistas, desviadores de dinheiro, comunas arrependidos seduzidos pelo tintilar das moedas, brucutus virtuais e patricinhas pop-golpistas, antes d sair do governo e aderir ao golpismo, votou a favor do governo. Não se negou a apoiar e criticou o discurso dúbio e gente como Gabeira, apesar de agir igual depois.

Responder

Renato Lira

05 de setembro de 2010 às 12h25

Porque cito tanto o Gabeira, ou ex-Gabeira, como muitos o têm tratado, apesar de não achar que ele é "ex" coisa nenhuma, ele é e sempre foi isso aí que está exposto em praça pública.

Um oportunista que, dadas as circunstâncias do momento, estava do lado que lhe traria proveito, como o guerrilheiro que fez coisas do arco da velha, desmentido por seus próprios companheiros, qu usou como escada para, como sempre, se promover. Como faz agora com a Marina.

Responder

Renato Lira

05 de setembro de 2010 às 12h18

E Marina? O que é? Mais uma que se deslumbrou com o canto da sereia de neodireitistas golpistas como Gabeira, achando que seria mesmo presidente e que a mídia lhe seria simpática. Ocorre, e ela, inocente e incauta, demorou a descobrir, se é que descobriu, me parece que não, que mídia tem lado, tem candidato, que o PV vai pro lado de quem tem grana, o que muitas vezes a põem pra escanteio, e, especialmente, ela nunca foi a candidata do Gabeira.

Gabeira, junto com os demotucanos e a mídia, inventou e deslumbrou a Marina, contando que el tirasse votos de Dilma, para ajudar Serra.

Só para isso que serviria Marina.

E o que acontece agora? No vale-tudo final do desespero de Serra, criou-se ontem a história do "complô PT-PV" para "destruir o perigoso Serra" para "impedir a iminente virada".

Gabeira tá quietinho. Não defende seu partido contra as ilações demotucanomidiáticas. Porque ele não tá nem aí pro PV. Ele só pensa no umbigo dele. E seu candidato é Serra. Marina é seu bibelô. Sua marionete.

Responder

Renato Lira

05 de setembro de 2010 às 12h13

Em minha adolescência, nos anos 80, tive mutia proximidade pelo PV.

Admirava aquelas pessoas, lutadores românticos das causas ecológicas. Os pioneiros verdes.

Tinha uns punks loucos também, diziam-se anarquistas, pregavam o voto nulo, pixavam o "A" dntro do círculo, símbolo anarquista, junto como o "V" dentro do círculo, símbolo dos verdes, um ao lado do outro.

Mesmo não aderindo, admirava aqueles moleques de mesma idade da minha, espontâneos, militantes mesmo, que acreditavam no que defendiam. Absolutamente de esquerda, todos.

O que é o PV? Um saco de gatos, legenda de aluguel, que corre pro lado de quem "pode mais", ou paga mais, com um discurso artificial, manjado, pseudoecológico, tomado por gente conservadora e sem compromisso com causa nenhumaa não ser com o próprio umbigo, como Gabeira.

Responder

    Baixada Carioca

    05 de setembro de 2010 às 14h45

    Num passado recente aliou-se ao Cesar "vaia" e está de braços dados com o PSDemB e o PPS no RJ. Expliquem-me como isso funciona que eu não entendi até agora. Ah! Se for possível desenhem…

Bob Marley

05 de setembro de 2010 às 12h11

O partido verde inteiro tá fumado. A Marina fumou a floresta inteira prá poder embarcar na onda da direita.

Responder

Helcid

05 de setembro de 2010 às 11h51

… cá entre nós, confrades:

Por que a Marina ecoa tudo o que o Serra critica?
Por que a Marina, que foi do PT, ficou calada quando o "índio" acusou levianamente o partido de ligação com o narcotráfico? Ela concordou?
Qual foi a orientação que a Marina recebeu do PV, quando foi chamada, às pressas, no mês passado pelo partido?
Por que o Gabeira faz a Marina de boba?
Por que o PV abre seu palanque para o Serra, tendo uma candidata própria?
Por que a Marina vê tudo isso e não faz nada?
Marina, na verdade, é uma candidata?
qual é o verdadeiro propósito de Marina nas eleições de 2010?
Marina, Marina, o povo não é bobo!!!!!

Responder

chanceLer

05 de setembro de 2010 às 11h37

Assim como HH a fala da Marina só serve se for contra o PT e o governo LULA. MAs o que move a candidata verde (de raiva) para direita é a sua inveja da DILMA indicada por Lula à candidata.
Marina já na sua gestão como ministra mostrou-se limitada nas ideias e ações, pois foi incapaz de conciliar os intereses desenvolvimentistas de um Brasil que urge crescer com a sustentabilidade. Sempre foi elemento de conflito e travamento dos projetos.
Ou seja, definitivamente não seria a candidata ideal, mas, eis, que de militante xiita passa a ser aquela das boas defesas contra os males lulistas. Apareceu, virou manchente, tornou-se candidata terceira-via, queridinha e sábia do PIG.
Marina tomou a direita não por inocência, a inveja serviu-lhe de veículo.

Responder

Patricio

05 de setembro de 2010 às 11h01

Triste é ver uma cidadã que parecia – só parecia – ter luz própria, vir demonstrar agora, que vive à sombra dos outros. Primeiro, do Chico Mendes, depois do Lula, agora do dono da natura. E neste momento, gabeiramente, à sombra dos demo-tucanos. Triste é ver que dentro daquela pobre alma não habita nenhum espírito revolucionário. A candidata já aprendeu o idioma das raposas: prega golpes no púlpito da mídia, acusa sem provas, senta à mesa com os filhos da UDN. Entrou numa rota sem volta, o que acabará a levando à extrema direita. Suas elucubrações tergiversam. Não diz quem é exatamente, muito pelo contrário (prática política bem conhecida desde antes da Revolução Francesa).
Ficou claro: a ecologia de Marina é só uma griffe.

Responder

Nilton

05 de setembro de 2010 às 11h00

Marina, errou ao tentar pegar carona na campanha difamatória da mídia, poderia sim, ser coerente como sempre foi a frente do MMA. Mas isso não diminui em nada seu prestigio e no momento certo ela se dará conta do erro.

Responder

    Maria 1

    05 de setembro de 2010 às 13h25

    Nesse episódio recente, a Marina embarcou bonitinho na onda golpista, tanto que sua observação "se ela faz isso na campanha, imagina o que fará no governo" foi usada por Serra em sua saga difamatória. Isso não é um erro, um ato falho. É um posicionamento. Uma semana de bombardeio que não surtiu efeito nas pesquisas e a Marina escreveu artigo no Valor maneirando o discurso. Declarou que não era certo usar o caso eleitoralmente e nem acusar previamente a Dilma. Mas foi o que ela fez de pronto. Com todo respeito aos seus ainda admiradores, essa moça melou sua história ou se trata de mais um caso de propaganda enganosa.

Sergio

05 de setembro de 2010 às 10h55

Não passa de uma traíra com ares de retirante, a serviço do grande capital.

Tem cara de povo, mas serve a outros interesses, trabalha pro PIG, tem um vice bilionário, é financiada pelo Soros e seu tesoureiro é tucano.

Responder

    José Silva

    05 de setembro de 2010 às 14h11

    E ainda fica a serviço dos "donos do mundo" que acabaram com os recursos naturais de seus países e agora tentam segurar o desenvolvimento dos ditos emergentes com essa balela de meio ambiente, só para não serem obrigados a dividir o poder que têem sobre as outras nações através das organizações mundiais, que ao meu ver existem somente para passar recibo aos desmandos americanos no mundo. O ser humano é capaz de se desenvolver com sustentabilidade.
    Marina vc é repugnante!!!

Valentin

05 de setembro de 2010 às 10h43

Marina age como um pedaço de mata isolada. Dá eco aos gritos do Jenyus.

Responder

mello

05 de setembro de 2010 às 10h41

Caetano votar no Cesar Maia, não supreende, em matéria de plítica o baiano sempre rezou pela cartilha do ACM e suas posições sempre foram estudadamente "polêmicas" ( dá ibope e cobertura dos jrnlões).
Agora, a guinada da Marina e do Gabeira faz pensar: o que os leva a se aliarem a figuras como Marcio Fortes e cesar maia ( Gabeira) e assumir posições antidemocráticas, de poluir o processo eleitoral
com denuncismo e golpismo ( Marina). ?
A causa ecológica perde força moral.
Ainda resta Leonardo Boff.

Responder

paulo chacon

05 de setembro de 2010 às 10h31

A Marina é ecologicamente correta. Entrou nesta eleição com um só objetivo. A preservação dos tucanos.

Responder

    Américo

    05 de setembro de 2010 às 13h17

    Grande Paulo,
    na mosca!!!!!

    Alex Gonçalves

    05 de setembro de 2010 às 19h04

    Quá-quá! Muito boa!

abiliosol

05 de setembro de 2010 às 10h13

Para mim a Marina não apresenta conteudo prático, suas propostas relacionadas estreitamente a preservação da natureza não tocam o povão, muito menos a irresponsável classe média. Ao contrario, infelizmente, existem deiversos locais do Brasil em que o pobre vive da degradação da natureza através do desmatamente e da venda ilegal de madeira. A imagem dela está estreitamente ligada ao conservacionismo radical, não que ela o seja, mas é isto que fixou-se no eleitorado. O Brasil é um país pobre, e o pobre não pensa duas vezes antes de atirar em arribasã quando tem fome. Quanto as suas decisões políticas, ela mostrou um lado desagradável de sua personalidade, o oportunismo, e uma falta de habilidade política terrível. Certamente, terá grandes dificuldes a partir de 04/10.

Responder

lucéliaborges

05 de setembro de 2010 às 10h04

Marina é uma marionete de Gabeira, que a arrastou para suas hostes para tentar atrapalhar a candidatura Dilma. Tanto que o próprio Gabeira apoia claramente José Serra.
Marina sairá seta eleição para o lugar reservado aos traidores: o ostracismo.

Responder

Ricardo Melo

05 de setembro de 2010 às 10h02

Eu sou a favor da Campanha do Partido Verde.;

Dez vivas à campanha de Marina Silva!

Eu apoio totalmente a participação dela, afinal ela praticamente só tira votos da campanha do Serra.

SE a Marina Silva saísse hoje da disputa, a quase totalidade dos seus eleitores migraria para o Vampiro.

SE a Marina Silva não tivesse entrado na campanha, com certeza haveria um 2º turno

Responder

    sergio pedretti

    05 de setembro de 2010 às 12h17

    Tá de brincadeira, 90% dos votos da Marina vão diretos para Dilma, digo isso sem dúvidas, afinal quem era Marina, antes de ser Ministra do Governo Lula?

    Américo

    05 de setembro de 2010 às 13h22

    Ricardo,
    Concordo com você, tudo que dizes corrobora com o Emir
    Marina endireitou, ela não é ingênua, seria primarismo dizer isto,
    então é proposital,
    e sendo proposital
    ela, como HH, segue a cartilha do pig,
    agora é tarde para mudar o curso,
    Marina e gabeira são marionetes dos pigs.
    Quem diria…
    Marina foi parar no Irajá.
    (me desculpem os irajianos)
    bye bye marina,
    bye bye pig
    não passarão

Pérola

05 de setembro de 2010 às 10h01

Marina já perdeu o pouco da simpatia que eu tinha por ela.

Responder

    Baixada Carioca

    05 de setembro de 2010 às 14h43

    Como uma senhora que trabalha comigo na Funasa disse: "pô, parece que ela tá querendo que o tucano vença!". Nota: ela seria eleitora da Marina e decidiu migrar para Dilma.

Heitor Rodrigues

05 de setembro de 2010 às 09h57

É evidente que a agenda ambiental está presente no debate político como problema concreto. É evidente que Marina fêz um bocado pela questão do meio ambiente. Mas, não é isto que está em discussão.

A candidatura Serra e seus apoiadores movem-se na direção de um golpe, como já fizeram em 1997, para garantir a continuidade de FHC. Para que a sociedade faça suas escolhas, é preciso que o regime seja democrático, que um conjunto de regras fundamentais seja respeitado por todos os cidadãos. E que a escolha dos últimos seja acatada por todos. Marina, por ingenuidade ou esperteza, omitiu-se no momento em que Serra colocou as regras do jôgo no balcão de negócios de sua candidatura. E isto é imperdoável.

Responder

jfilho

05 de setembro de 2010 às 09h53

Quanto a Marina, sem comentários… Tá no colo da DIREITA RAIVOSA.
Entretanto, vamos ser objetivos: "Uma mentira repetida milhares de vezes, torna-se verdade".
Urge que tomemos uma atitude efetiva, que confronte nossos opositores…
Tá na hora do LULA, com toda credibilidade e popularidade, atributos que ninguém tem nesse país, ocupar os programas de TV e RADIO da Dilma, e discursar como tem feito nos últimos eventos, 'ARREBENTANDO COM O SERRA E SUA CORJA", já que a MIDIA (pig) não nos dá espaço. Eles escondem, editam, omitem…
Alguém discorda?

Responder

Fabiana

05 de setembro de 2010 às 09h23

Discordo total. Marina é uma candidatura legítima, de eleitores que não se identificam com a visão de desenvolvimento do PT e do PSDB, sustentabilidade é um tema que mobiliza parte do eleitorado brasileiro, a vida política nacional não de seduz a petistas e tucanos. Dessa vez Emir Sader foi rasteiro, diante da trajetória de Marina, beira a leviandade o que ele escreve. O posicionamento de Marina diante do descontrole da Receita (que é real, o crime de quebra de sigilo existe) foi muito claro: investigar com transparência e punir. Em nenhum momento atribuiu a autoria da quebra de sigilo ao PT como faz Serra, disse o óbvio, que o próprio Mantega assume, a Receita está com problemas de controle. Voto em Dilma e tenho um imenso respeito por Marina Silva. Quanto a direita, nossa aliança que tem Collor, Sarney, Jader Barbalho, Renan Calheiros…é melhor mudar de assunto.

Responder

    RR1

    05 de setembro de 2010 às 11h44

    Eu assisti a entrevista (passou na TV) em que ela disse que quem faz isso (quebra de sigilo) na campanha, o que não fará no governo. A partir daí eu mudei a opinião positiva que eu tinha dela.

    sergio pedretti

    05 de setembro de 2010 às 12h23

    Não da para mudar de assunto, com tamanha asneira, talvez você tivesse ficado com Collor naquele momento equivoicado certo. Agora não há como alguém, que tem visão de progresso querer se emendar nessa quebra de sigilo com essa tamanha ingenuidade, isso como diz o Presidente sim, é politica rasteira, será que não percebes que vives no Brasil, procuração falsa, reconhimento falso, contador falso, e aí, o que me assusta sim, e o Emir tem razão, é presenciar que a Marina tá beirando o alambrado, para a direita.

    Américo

    05 de setembro de 2010 às 13h31

    Cara Fabiana Poliana,
    Falas de alianças,
    que tal as alianças limpinhas e sustentáveis do pvzinho com os demotucaninhos no rio de janeiro.
    Por isyo vc quer mudar de assunto, né????
    Este papo de sustentabilidade, não é uma bandeira só do pvzinho, é uma bandeira da humanidade,
    Pô pará com issu.!!!!!
    O posicionamento da marinex em relação a receita é político eleitoral e só reverbera o que o pig e
    a direita golpista tenta neste momento querer reverter uma situação irreversível,
    a direita vai ser derrotada, juntamente com os verdes marinistas quinta colunas.
    realmente, para mim chega,
    vamos mudar de assunto.
    marina desloca-se rapidamente para os braços do pig e do ex-gabeira.

Augusto

05 de setembro de 2010 às 09h16

Esse texto do Prof. Emir Sader acusando Marina de fazer o jogo da Direita o aproxima muito de um goebells da "esquerda" -Para ele, tudo que se distancia de LULA é um perigo a governabilidade do Governo "popular ' e "socialista "de lula – Chega a ser delirante…E os acordos desse governo com os banqueiros? E os bilhoes que o governo despeja no PiG -Imprensa Golpista em detrimento das midias que sempre lhe apoiaram?
Emir, parece que deixou de ser filósofo a muito tempo, para tomar partido de uma causa.

Responder

    Helcid

    05 de setembro de 2010 às 12h04

    Peço perdão aos trolls-simpatizantes da Marina Silva, mas o seu comportamento não tem sido coerente com a história de vida que construiu ao longo de sua militância na esquerda.

    Caminhar de mãos dadas com setores conservadores aos quais combateu, aceitar os assédios do PIG de maneira simpática, criticar injustamente o governo do qual foi ministra, beira o oportunismo político.

    Por causa de uma eleição vale a pena transformar em nada, um passado de luta, um ideal?

    …agora com relação as asneiras citadas aos banqueiros e os bilhões ao PIG, não finja de bobo, tá?

Eduardo Guimarães

05 de setembro de 2010 às 09h09

Fiquei sinceramente entristecido com a perda de Marina para a causa da humanização social do Brasil. O monstro da vaidade ataca novamente.

Responder

Alexandre Moreira

05 de setembro de 2010 às 08h33

A bandeira Ecológica que tem a "Terra" como objetivo de salvação, como diz um amigo meu, erra o foco.A bandeira da Ecocultura não devia ser a sobrevivência da terra mas do HOMEM. Uma hecatombe vulcânica desfigurariam a querida terra de tal forma que defendê-la seria risível se é que existiria mais alguém para defendê-la.
A marina, como a maioria dos ecologistas, transformou esta defesa do ambiente quase que em "divina " e, por isto tornando-se ideológicamente flexível(um coringa) serve como combustível de qualquer ideologia a esquerda ou a direita, quase um lumpesinato "verde" por incrível que pareça!!! A política é entre os pares ….o meio ambiente é isto …O meio.

Responder

Maria

05 de setembro de 2010 às 08h32

Já tinha explicado a minha filha mais ou menos com essas palavras, porque votar na Dilma e não em Marina, ela entendeu, mas só mudou o voto pra Dilma, quando Marina não saiu em defesa da mesma contra as acusações sem fundamentos de Serra!
Mesmo sem querer ele está ajudando Dilma!

Responder

sergio

05 de setembro de 2010 às 07h52

marina foi tragada pela midia, inexperiente no jogo pesado, sucumbiu, mas ela se recupera, tem futuro.

Responder

    Baixada Carioca

    05 de setembro de 2010 às 14h41

    Mas não foi por inocência meu caro Sergio. Ela sabia do jogo e o aceitou. Foi astuta.

easonnascimento

05 de setembro de 2010 às 07h33

Lamento profundamente que a ex-ministra por quem tenho um respeito profundo, tenha enveredado por estes caminhos, certamente convencida por aqules que a cercam nesta campanha. Por certo que se deixar levar na direção da direita, mancha um pouco a bonita história de vida e de luta que ela tem no seu curriculum.
http://easonfn.wordpress.com

Responder

ROGERIO

05 de setembro de 2010 às 06h59

Marina: uma história triste e normal de um ser humano que foi enganado pela vaidade, egoísmo e falta de caráter, por uma direita que sabe muito bem cooptar pessoas fracas…

Responder

Fred Oliva

05 de setembro de 2010 às 06h45

Parabéns Professor por mais um brilhante texto… Como não pago para ler seus artigos só posso dizer, Muito Obrigado.

Mas tem uma coisa que está me incomodando muito. Várias ações aparentemente desconexas que vinham sendo exercitadas por Serra e seus parceiros da mídia, começam agora a fazer sentido e visavam, no correr do tempo, convergir para esta tentativa rasteira do golpe midiático. Apenas como exemplo, o excesso de doçura do pai carinhoso quando do primeiro debate na Band; ele já agia como quem fosse precisar da filha querida.

Mas a meu ver o principal lance, tanto de Serra quanto de seus parceiros midiáticos, foi a questão da "liberdade de expressão" que já vem bem lá de trás e que causava forte repulsa pois uma midia que durante 8 anos bateu à vontade no presidente mais popular que este país já teve não tinha – aparentemente – do que se queixar.

Mas agora caiu a ficha…

Nesta última semana foi criado para Serra um Horário Político gratuito alternativo; e só para Serra. Com a escusa de que estão informando o público, tentaram – sem sucesso, pois o produto é muito ruim – dar a Serra um tempo na TV e nos jornais, proibidos por lei. Com o dinheiro dos anunciantes (se sabiam são cúmplices; se não, são otários) promoveram a candidatura Serra sem a menor cerimônia. E pobre de quem for se queixar… estará mexendo com o sacrossanto direito da imprensa de informar o que, tudo indica, eles mesmo criaram.

A Justiça Eleitoral não pode se deixar enganar. A tentativa – felizmente frustrada – de alavancar a candidatura Serra para, pelo menos, um 2o Turno, foi, e continua sendo, um flagrante desrespeito às leis eleitorais. Isso não pode passar impunemente com o discurso vazio da ANJ de que as "liberdades de expressão" estão ameaçadas.

O TSE – que já deu mostras de que não faz parte deste joguinho rasteiro – não pode se deixar intimidar por quem transgride consistentemente as regras eleitorais.

Responder

    Grinaldo Oliveira

    05 de setembro de 2010 às 12h22

    Excelente comentário, Fred.

    Faz todo sentido o que você afirmou quanto ao carinho demonstrado por Serra em relação à filha, durante aquele debate. Lembro que ele disse "Minha filha pediu-me para sorrir…", o qual soou um pouco desconexo com o momento. Pois bem, juntando as peças e o falado por Serra de que "sua filha tinha visto dados do Imposto de Renda em alguns blogs sujos", o que não é verdade, tudo leva a crer em um plano premeditado. Embora este fato não seja surpresa alguma, seria gratificante ver algum Jornalista juntar tudo isto em uma reportagem. Quando a verdade aparecer, daria uma história fabulosa.

    Baixada Carioca

    05 de setembro de 2010 às 14h40

    Fred.
    Aparição do tucano mentiroso não nos preocupa. Já ficou demonstrado que ele quanto mais aparece, mais desce, ou melhor, cai nas pesquisas. Sua imagem não é simpática e provoca asco nos eleitores.

Zaneli Malta Prata

05 de setembro de 2010 às 06h21

O Emir só foi infeliz ao comparar Marina A Heloísa. Heloísa não saiu do PT por oportunismo político. Ao contrário! Sua saída se deu por que o PT, de certa forma, traiu seu tradicional programa de governo. Se fosse oprtunista Heloísa Helena teria permanecido no PT. Nunca é demais lembra que a saída de HH do PT se deu ainda no início do primeiro madato de LULA.

Responder

Mauro

05 de setembro de 2010 às 04h28

Não sei se a Marina tem conhecimento sobre direita e esquerda, mas penso que o PV que já esteve no governo do PSDB através do Fábio Feldman em São Paulo tem seu eleitorado e sua plataforma política muito próxima do PSDB. Basta ver que os eleitores do PV estão na mesma faixa de renda e educação que os eleitores(sua melhor performance) de Serra, qual é a faixa onde os dois apresentam melhores intenções de voto? Se não houvesse Marina na eleição o PV estaria apoiando o PSDB como já o fez em São Paulo no passado. Não me admira portanto a proximidade de idéias e discursos entre Serra e Marina, acho inclusive que o PV será a opção do PIG quando o PSDB perder a eleição pois engana-se quem pensa que o PIG é pró latifúndio ou agronegócio, o PIG é pró ele mesmo e só.

Responder

PAULO ANGELO (MG)

05 de setembro de 2010 às 04h20

Só o fato da figura ser a favor da Teoria da Criaçao em pleno século XXI, já demonstra sua cabeça. Nada contra qualquer religiao, mas convenhamos, essa do mundo ser criado em 6 dias é no mínimo uma metáfora em respeito a minha formaçao crista!

Responder

francisco p neto

05 de setembro de 2010 às 03h33

Só faço uma colocação:
Quem seria Marina Silva se Lula não tivesse nomeado-a como ministra do Meio Ambiente?
Seria uma ilustre deconhecida.
Subiu na sua cabeça a ambição. Lula foi seu mentor.
Qual a sua gratidão?
A traição.
Caiu aonde?
No colo da direita.
Qual o seu final?
O ostracismo.

Responder

Augusto

05 de setembro de 2010 às 03h10

Depois do dia 3 de outubro, a mídia vai abandonar Marina, vai esquecê-la totalmente. Sinceramente, será que vale a pena se submeter a tudo isso só por rancor a Lula???? A vaidade humana é uma coisa deplorável…

Responder

    Maria José Rêgo

    05 de setembro de 2010 às 17h10

    Farão com o mesmo que fizeram com Heloíza Helena.

turmadazica

05 de setembro de 2010 às 03h05

O PV é bom, se está contaminado é outros 500…

Um Partido Verde [e importante em qualquer país foi o que quis dizer… Já o erro de concordância foi vício de paulista mesmo, sorry…

Responder

Felipe

05 de setembro de 2010 às 03h03

O tom peremptório de Emir Sader nesse texto disfarça muito mal o dogmatismo contido em sua visão. Considerar que o posicionamento de Marina quanto a um tema menor, surgido no calor da disputa eleitoral – o escândalo da Receita -, coloca-a "definitivamente" no colo da direita é um arremedo de análise. Com ele, o sociólogo não exerce o seu ofício, mas faz propaganda política contrária à candidata mais preparada para levar o Brasil ao encontro dos melhores projetos para o futuro próximo.

"Quem estiver ainda com ela, está fazendo o jogo da direita golpista, não há mais mal entendidos possíveis" – só porque o professor quer, evidentemente, já que, com Marina, há muita gente de uma esquerda mais atenta do que a dele aos desafios colocados pelo modelo de desenvolvimento econômico que exaure a base natural sobre a qual se assenta. Sua desatenção e seu desconhecimento sobre o assunto são tamanhos, que, para tentar disfarçá-los, ele faz de conta que tem alguma preocupação nesse sentido. Mas, para fazer isso, não se envergonha de usar uma expressão velha de décadas. Marina não se vale da "causa ecológica", professor. Ela é líder mundial num campo epistemológico e político que vem transformando essa antiga "causa" num projeto global para a humanidade – projeto de sociedade, fora do qual, aliás, há muita gente boa e fiel à sua candidatura que considera não haver futuro civilizatório. Se a economia continuar acreditando que a ecologia é uma bobagem contaproducente, estamos fritos. E é por isso que, entre achar que Leonardo Boff, por exemplo, é um ingênuo jogador a serviço da direita e achar que Emir Sader é um dogmático tacanho, fico com a segunda opção – sem nenhuma dúvida, é certo, mas com o desgosto de quem um dia acreditou estar com ele aprendendo sociologia nos bancos da USP.

Responder

Luiz vidal

05 de setembro de 2010 às 02h12

Emir Sader é o nosso grande timoneiro.A bússola que me dá o rumo,o prumo o discernimento!Obrigado por mais uma,mestre!

Responder

Carmen Chagas

05 de setembro de 2010 às 02h03

Não dá pra analisar ou entender a candidatura de Marina tendo como base o paradigma esquerda x direita. Uma das meninas do vídeo "Novos Ventos" (http://www.youtube.com/watch?v=FWdXXpt4plk), disse que Marina está nos chacoalhando. Acho q algumas pessoas podem ter ficados confusas com a chacoalhada e não conseguem perceber o significado da candidatura dela. Espero que entendam a tempo de fazer o que deve ser feito para q nossos descendentes tenham uma vida melhor, num ambiente menos inóspito e injusto.

[youtube FWdXXpt4plk http://www.youtube.com/watch?v=FWdXXpt4plk youtube]

Responder

    Gerson Carneiro

    05 de setembro de 2010 às 04h48

    Sem pretensão de ensinar preservacionismo à Marina, acho que as crianças deveriam ser preservadas desse engodo, não?

    De fato a Marina está me chacoalhando: ora por sua aparente ingenuidade, ora por seu cinismo.

    Orlando

    05 de setembro de 2010 às 06h58

    Desculpe-me, Carmen. Acho que inóspito e injusto são adjetivos que definem bem a situação em que viviam milhões de brasileiros que sairam debaixo da linha de pobreza nos oito anos do Governo Lula e de outros tantos milhões que ascenderam à classe média.

    A candidatura Marina não me chacoalhou em momento algum. Vejo, isso sim, um processo em curso, em que equilibraremos as desigualdades através do desenvolvimento e da sua correta distribuição. Sanadas as necessidades mais prementes, a ecologia pode passar a ditar a agenda do país. Mas não agora. O momento é inoportuno. E Marina, pessoa por quem tenho admiração, comete um erro de avaliação política, como bem explicado pelo Professor Emir Sader.

    Orlando

    05 de setembro de 2010 às 06h58

    Acho que ainda está em tempo de Marina se recompor politicamente, começando por pular fora da canoa golpista dos desesperados. A antiga Marina, a respeitada ecologista, a defensora da floresta é figura importante no processo a que me refiro no início da mensagem. Ela pode ser um importante contraponto ao desenvolvimentismo desenfreado, defendendo o verde no campo de batalha que lhe garantiria influir no processo, que é o parlamento. Mas urge que saia do colo da direita.

    Orlando

    05 de setembro de 2010 às 06h59

    Quanto aos eleitores de Marina, podemos dividí-los em dois grupos:

    a) para aqueles que votam, sinceramente, na causa ecológica, valem as mesmas observações dirigidas à candidata, com uma ressalva: devem avaliar se sua defesa do verde é mais importante e urgente do que a demanda dos pobres e dos miseráveis que ainda temos. Se a avaliação for honesta e isenta, deverão perceber que estão sendo manobrados, levantando-se do colo da direita;

    b) quanto ao segundo grupo, de direitistas envergonhados, aí não tem jeito. São Marina e são Gabeira, porque encontram, ali, um ambiente onde conseguem a camuflagem ideal. São a vanguarda do atraso. Esses estão no colo da direita faz tempo. Encontram-se protegidos pelo rótulo de "pessoas que prezam pela saúde do planeta". A Zona Sul do Rio está lotada deste tipo de eleitor. Fica aqui a sugestão: se fizerem uma pesquisa somente na Zona Sul do Rio, acho que dá Gabeira Governador e Marina Presidente. É que a Zona Sul concentra os mais ricos, Demo-Tucanos há várias gerações, abatidos em pleno voo pelo sucesso estrondoso do Governo Lula.

    Orlando

    05 de setembro de 2010 às 07h00

    E então, Carmen, em que categoria você se enquadra: é verde mesmo e não percebeu que está sendo manipulada ou é Demo-Tucana disfarçada de "preocupada com o planeta injusto e inóspito"?

    Vamos combinar assim: você vota nos pobres em 2010, que eu voto nas árvores em 2018, ok?

    Leider_Lincoln

    05 de setembro de 2010 às 07h27

    Claro que dá para analisar, minha cara. O Emir Sader fez isto magistralmente. Você é que não está querendo entender. E acredite, ele, e muitos de nós, não está confuso, mas lúcido e cristalino. Você é que precisa ser chacoalhada: o "sonho verde" foi marinado pela direita e servido à caçadora…

SAMUEL

05 de setembro de 2010 às 01h58

O PV é hj um tucano de bico curto e plumas verdes, (UM PERIQUITO)

Responder

    Robson Porto

    05 de setembro de 2010 às 07h04

    Não por coincidência, o periquitinho verde, já foi símbolo do clube de futebol do coração de Serra…

J. Passos

05 de setembro de 2010 às 01h24

Como sempre o mestre acertou na mosca: esta eleição marca o precoce fim da carreira política de Marina Silva. Acrescento eu: e também o fim tardio da carreira política de Serra, o Zé.

Responder

Aninha

05 de setembro de 2010 às 01h13

Agora de noite, pela primeira vez, pude assistir ao horário eleitoral. E fiquei surpresa com Gilberto Gil mandando votar em Marina. Sabia não dessa.

Responder

Lucas Brandão

05 de setembro de 2010 às 00h48

Finalmente, em relação às críticas da Marina ao Mantega… A Marina não defendeu a tentativa golpista do Serra de impugnar a candidatura da Dilma, mas sim criticou a omissão do ministro responsável pela Receita Federal (e, portanto, pelos vazamentos). Pior, quando o Mantega finalmente se pronunciou, falou algo que não deveria sair da boca de um ministro: falou que a quebra de sigilo era algo corriqueiro e, portanto, sem grande importância. Isso é uma afirmação grave, que afeta a confiança da sociedade no Estado de Direito, que naturaliza um ato ilícito cometido por agentes do próprio Estado. A crítica de Marina é uma crítica republicana, que conclama a indignação da sociedade face aos crimes cometidos pelo Estado, no Estado. Crimes que não podem ser impunes ou tratados levianamente, crimes que devem ter o mais alto repúdio das autoridades públicas, especialmente aquelas responsáveis pela Receita Federal.

Se quiser conhecer mais sobre a Marina, segue uma seleção temática de vídeos sobre ela: http://www.movmarina.com.br/profiles/blogs/seleca

Responder

    Maria 1

    05 de setembro de 2010 às 14h17

    Marina falou, sim, que "se a Dilma faz isso na campanha, imagina o que fará no governo". E o mote foi aproveitado direitinho. A crítica que ela fez ao Ministro Mantega foi posterior. E, a bem da verdade, o ministro da Fazenda não disse que a quebra do sigilo era algo corriqueiro e sem importância. Eu vi a entrevista. O que ele falou foi que violações sempre ocorreram, pois não existe sistema inviolável. E que os sistemas de controle são aperfeiçoados constantemente, mas era impossível garantir inviolabilidade. A imprensa, como de praxe, tirou algumas frases do contexto e fez festa. Os admiradores da Marina tem todo de direito de defendê-la, mas não precisam usar de argumentos enviezados e toscos. O crime de violação de sigilo pode ter sido cometido por agentes do Estado. E é o Estado que está apurando, com seu aparato policial e judicial. Nesse momento, " conclamar a indignação da sociedade face aos crimes cometidos pelo Estado, no Estado" é uma exortação golpista que vc usa para descolar a Marina dessa corrente. Espero que a ex-Ministra seja suficiente hábil para não fazer uso de expressão tão infeliz.

Lucas Brandão

05 de setembro de 2010 às 00h48

Segundo, sobre o suposto papel direitista que a Marina estaria exercendo nesta eleição, você dá a entender que os 10% de Marina, que podem provocar um segundo turno, estaria fazendo o jogo da direita. Ora, o autor aparenta esquecer o significado de uma eleição em dois turnos. No primeiro, temos a oportunidade de votar em projetos políticos que condizem de forma mais aproximada com o que defendemos, seja o candidato que esteja em primeiro lugar, em terceiro ou em 5 lugar com um traço nas pesquisas de opinião. Não podemos menosprezar esse turno, que é fundamental para disputarmos projetos alternativos, colocarmos em pauta questões e demandas que talvez os dois primeiros candidatos não contemplem. Lembrando inclusive que é um turno desproporcional, no tempo de TV, na cobertura da mídia, no montante de recursos, etc. Já no segundo turno, temos a oportunidade de votar seja em quem acreditamos, seja em quem achamos ser o "menos pior". Aí sim é majoritário, é 50% + 1. Apesar da desigualdade de recursos permanecerem (ainda não temos a exclusividade do financiamento público de campanha), pelo menos o tempo de TV é igual para os dois candidatos. É um turno onde estes dois podem aprofundar as suas propostas, talvez até incorporando algumas bandeiras que outros candidatos do primeiro turno levantavam.
Ora, se o papel do primeiro turno é ter uma diversidade de projetos para que possamos votar naquele que seja mais próximo dos nossos valores, a Marina tem feito isso como nenhum outro. Foi a primeira a apresentar um programa de governo consistente, rico, recheado de diretrizes e de propostas inovadoras. Enquanto a parte de políticas sociais da Dilma se resume, literalmente a " Manter e aprofundar a principal marca do governo Lula – seu olhar social -, ampliando programas como o Bolsa Família e implantando novos programas com o propósito de erradicar a miséria na década que se inicia". A Marina tem apresentado propostas e visões integradas extremamente significativas e imperativas para manter o que há de bom nesse governo (como o Bolsa Família) e ir além, criando as "portas de saída", ao oferecer aos beneficiários um amplo leque de oportunidades, composto por cursos profissionalizantes oferecidos pelo Governo Federal, Estadual e Municipal, assim como pelo "Sistema S" e pelo Terceiro Setor (que abriria mão do poder de escolha do beneficiário em prol do foco nos 15 milhões mais pobres, ao menos em parte das vagas). A Rede de Agentes de Desenvolvimento Familiar também teria a função de arranjar vagas em creches para que estas mães possam trabalhar, assim como trabalhariam em conjunto com o fortalecimento do Programa Saúde na Família, que previne doenças e cuida da qualidade de vida da população brasileira. Em que medida isso é parte do jogo da direita? Aliás, não é só na área social que a Marina tem inovado, é também na área de Segurança Pública (com a valiosa contribuição do Luiz Eduardo Soares), da Saúde (defendendo a regularização imediata da Emenda 29 e o fortalecimento do Programa Saúde na Família, a descentralização das verbas, etc.), da Educação (prioridade máxima da sua campanha, sendo a primeira a defender o aumento das verbas da Educação para 7% do PIB, defendendo a educação integral, a universalização do ensino médio e infantil, o investimento no ensino superior público e de qualidade, assim como o investimento em centros tecnológicos e de pesquisas que são fundamentais para o nosso desenvolvimento sustentável tanto economicamente quanto socioambientalmente), etc. Se quiser ver essas e outras contribuições da Marina e da campanha dela, leia em http://www.minhamarina.org.br/diretrizes_governo/… ).

Responder

    Maurício Bandeira

    05 de setembro de 2010 às 02h35

    eu acho que o emir quis apontar o seguinte: apesar do programa de governo da marina ser bom, ela está se aproveitando dos factoides que a midia cria pra fazer o mesmo jogo que o serra está fazendo. Eu não ouvi a declaração que o emir citou da boca da marina, mas se ela tiver dito isso mesmo, basicamente fez um pré-julgamento sem provas igual ao serra. Oq o PSDB está tentando fazer (sem sucesso) é ganhar no tapetão, e os outros candidatos deveriam estar condenando isso qdo a mídia lhes apontassem os holofotes.

    Carlos Carvalhaes

    05 de setembro de 2010 às 05h28

    Caro Lucas. Parece que voce desviou-se do artigo do Prof. Emir.
    O fato resumidamente é o seguinte: Há uma semana atraz a extrema direita golpista, que sabendo-incapaz de vencer esta eleição, vem tentando criar um clima para um golpe de estado. Que desta vez não seria militar mas juridico-militar. A Sra. Marina Silva somou-se a esta direita golpista.

    Fred Oliva

    05 de setembro de 2010 às 07h03

    Considere Sr, Lucas que a exposição que a causa de Serra teve na TV e nos jornais na última semana, foi propaganda pura – e ilegal – para tentar levar a eleição para o 2o Turno. Ou V.S. também acreditou naquela balela levantada pela AJN sobre "liberdade de expressão"? Era apenas um movimento para que pudessem fazer propaganda para Serra, no horário nobre, sem caracteriza-lo como propaganda; uma coisa ilegal.

    Eles consideram que "liberdade de expressão" é propagar, sem apresentar nada de concreto como provas, matérias que claramente tinham como intersse inflar uma das candaturas.

    Marina tem o direito de apoiar quem e o que ela bem entender; ela só não pode querer que os observadores externos deixem de associar sua guinada rumo aos interesses de Serra e da mídia golpista como suspeita e pouco consistente com seu discurso.

    cmarinsdasilva

    05 de setembro de 2010 às 09h15

    Concordo em parte com o que vc falou, mas vc não deve esquecer que a sua Marina nesse momento não passa de um fantoche político. Sempre admirei a Marina, mas hoje estou decepcionado com a postura que tomou, acredito, salvo melhor juízo que entendes o que significa a candidatura do Sr. Serra para esse Brasil, ele é o maior inimigo brasileiro do Brasil, o seu posicionamento político alinhado com os valores NeoLiberal, já foi provado que não passa de uma grande catástrofe. Onde vc privatiza a riqueza do país e socializa o prejuízo, exemplo maior foi o EUA emprestando bilhões de dólares para proteger a ciranda de dinheiro no WALL. Marina nesse cenário não passa de um boneco de ventríloquo, que vive repetindo o que o PIG e elite retrógrada desejam…Então meu amigo, o projeto dela(Marina) é dividir a esquerda para o maior inimigo brasileiro do Brasil alcançar o segundo turno…Por isso aceito a opinião do Emir Sader…Ela enterrou seu futuro político.

    kimparanoid

    05 de setembro de 2010 às 10h27

    Lucas, respeito sua opinião, mas faço as seguintes objeções:

    1. O programa de Marina pode ser maravilhoso, no entanto, vivemos num sistema de poder tripartite. Ou seja, não bastam as boas intenções se não houver apoio do Congresso. Deixando idealismos de lado, na prática, a candidatura de Marina mais contribui com as aspirações tucanas do que petistas.

    2. Não vejo com bons olhos essa institucionalização da participação de ONGs e entidades do 3º setor na execução de políticas públicas – ainda que isso já seja feito em certa medida no atual governo. Isso, na minha visão, é uma espécie de "privatização da questão social", uma terceirização das responsabilidades públicas. Ou essas entidades não precisam fortalecer suas "marcas" para garantir sua sobrevivência? O significado disso é uma invasão da mentalidade empresarial no campo das políticas públicas, o que, vide o caso da saúde em SP, nem sempre privilegia o interesse público.

    3. Por fim, como já comentei antes, acho que a concepção de "desenvolvimento sustentável" adotada por Marina é ingênua. Por um lado existe o imperativo capitalista de valorização do capital; por outro, a necessidade de preservar o meio ambiente. Até certo ponto, de alcance geográfico, social e temporal limitado, acredito que é possível atingir o desenvolvimento sustentável (entendido como conciliação entre os interesses capitalistas e ambientalistas). No entanto, tomado o conjunto da economia e um horizonte temporal mais amplo, é difícil de acreditar que entre garantir a sobrevivência da empresa e preservar o meio ambiente um empresário não escolherá a primeira opção. Ainda mais nos dias em que as empresas mais importantes têm o capital aberto e, portanto, compromisso fundamental com a geração de lucros e dividendos para os acionistas.

Lucas Brandão

05 de setembro de 2010 às 00h47

Caro Emir Sader,

Como um admirador da sua história, da sua militância, da sua inteligência ímpar, me entristeço com seu texto. Eis o porque, respeitosamente, discordo em gênero, número e grau:

Primeiro, a Marina nunca foi da corrente preservacionista, mto pelo contrário, sempre brigou pela bandeira do desenvolvimento sustentável. Uma prova disso é que, quando estava a frente do Ministério do Meio Ambiente, foi o período que mais houve liberação de licenças ambientais em toda a história brasileira (inclusive contra o período FHC). Quando ela chegou lá, a média de licenças concedidas por ano era de 140; quando saiu, era de 280 licenças por ano. A diferença é que as licenças foram dadas após ampla discussão com a sociedade e com as comunidades afetadas, com uma avaliação criteriosa de impacto ambiental e de compensação. Resultado, obras gigantescas que estavam paradas a décadas, como as hidreléticas do Rio Madeira e como a BR-163 (que corta a Amazônia ao meio e atende à populações amazônicas isoladas, mas contou com a criação de 8 milhões de hectares de proteção ambiental ao longo do seu trajeto para evitar a grilagem) foram realizadas. Quando ela entrou no Ministéiro, 45 hidrelétricas estavam na justiça, quando ela saiu, não tinha nenhuma. De que forma isso é ser preservacionista?!?!?

Responder

    eroni spinato

    05 de setembro de 2010 às 08h29

    Caro Lucas, tenha em conta que só houve mais liberações de licenças porque no governo Lula devido ao crescimento economico nunca antes visto neste pais obrigaram a isto. No governo FHC nem projetos para serem analisados tinha.

Patrícia Monteiro

05 de setembro de 2010 às 00h31

Acho que a candidatura da Marina Silva tem vários problemas, mas não concordo com as análises que dizem que ela é de direita ou que ela estaria a serviço do PSDB. A geração que viveu a guerra fria acha que esquerda é sinônimo de socialismo. Desde aquela época os movimentos sociais/políticos que não se alinham ao socialismo são chamados de alienados. O movimento feminista, os hippies, os ecologistas, foram chamados de desbundados e alienados.
A esquerda não é mais a mesma, não precisa ser socialista. Acho que tanto o PT quanto o PSDB ainda não entenderam que a questão ambiental não pode ser tratada como um assunto periférico.

Responder

    keko

    05 de setembro de 2010 às 01h24

    Ser de esquerda é saber que as desigualdades não são naturais

    cmarinsdasilva

    05 de setembro de 2010 às 09h24

    Ser de esquerda ou direita não vem ao caso, direita é situação, esquerda oposição…agora no caso da dona Marina ela está defendendo a causa NeoLiberal…a causa do PSDB, infelizmente sua carreira política foi jogado as lamas ao se envolver com Gabeira…Vê se vc entende isso, Gabeira PV, apoia abertamente e oferece palanque para o candidato Serra. Marina PV, Marina PV, Marina PV. Isso mesmo, ela está oferecendo seu maior legado ao que é HÁ mais atrasado no BRasil.

    Bury

    14 de setembro de 2010 às 12h58

    Só complementando as duas excelentes respostas ao post da colega: ainda perdura essa mentalidade simplista de que "esquerda = socialismo", e, como isso pode incorrer facilmente em preconceitos e estupidez (já que, como o próprio Azenha expôs em seu texto, existe entre nós o pavor da igualdade social), as pessoas que querem se acreditar um tanto mais "libertárias" e "engajadas" que as outras, via de regra acabam caindo nessa conversa mole de "terceira via" que o neoliberalismo encampou e que a Marina Silva agora encarna por aqui. Assim, a classe média sente-se menos culpada.

Go Oliveria

05 de setembro de 2010 às 00h18

O PV virou um PaVão.

Marina, realmente é uma traíra. Se é que ela algum dia teve convicção de alguma coisa ou só agarrou oportunidades…

Desde o começo eu já lia que Marina tinha virado linha auxiliar de Serra. Acredito que, no fundo, no fundo, rivalidades com Dilma – porque não consegui no Governo Lula brilhar tanto quanto aquela – a tenha levado a sair do ministério e tentar carreira solo, acreditando que tinha cacife para passar uma rasteira em Dilma.

Vai acabar melancolicamente, igual a Heloisa Helena. Enquanto a mídia golpista acreditar que Marina poderá ajudar a levar Serra para o segundo turno, ela terá vez nos holofotes. Depois será levada ao ostracismo, como Heloisa Helena, que após as eleições, voltou a ser o que sempre foi para a mídia: um bicho de sete cabeças.

PS: A propósito, será que o problema de Marina e Helena é o jeito de amarrar o cabelo? Vai que esticam tanto os cabelos para trás que acabam por afetar os neurônios e atrapalharem o raciocínio…

Responder

    carlos anselmo

    05 de setembro de 2010 às 10h30

    salve, go,

    ahahahahhahahhhh!!!!!!!!
    o seu ps salvou meu domingo!
    abçs

José Maia

04 de setembro de 2010 às 23h28

Exatamente o que eu mais queria dizer sobre Marina. Definitivamente mostrou-se oportunista e teve uma oportunidade impar para mostrar a diferença: se tivesse se posicionado publicamente e claramente contra essa atitude golpista. Teve a oportunidade e posicionou-se: alinhando-se com o golpe! Jamais gastarei 10min para ouví-la daqui em diante, como já fiz.

Responder

Franco Atirador

04 de setembro de 2010 às 22h18

.
.
NEOLIBERALISMO SUSTENTÁVEL…
SALVAR TUCANOS DA EXTINÇÃO…
ECOCAPITALISMO SELVAGEM….
.
.
Realmente:
.
"A ALMA NÃO TEM SEGREDO QUE, AFINAL,O COMPORTAMENTO NÃO REVELE"
.
Lao Tsé.
.
.

Responder

Clayton Cunha Filho

04 de setembro de 2010 às 22h12

Fazia tempo que não via o Emir escrever alguma coisa interessante, preso que ele tinha ficado na lógica de defender o governo Lula de tudo e de todos, mesmo em seus pontos mais indefensáveis. Mas taí, nesse ele finalmente voltou a acertar a mão.

Responder

Baixada Carioca

04 de setembro de 2010 às 21h39

Sader, como todos sabem, é sábio.
Em 10 de abril deste ano, publiquei no Blog do Rildo (desativado) um artigo com o título Marina Silva e os Trolls, inclusive fazendo referência a um post maravilhoso acerca do que vem a ser Troll publicado aqui no Vi o Mundo, onde cantei essa pedra.
Num outro, também migrado do Blog do Rildo para o Baixada Carioca, eu digo que a CBN marinou para ajudar a campanha tucana. Era Marina a cada meia hora. Falou-se mais na ecotucana que no próprio candidato do PIG.
Eu sei que meu blog nunca foi abundantemente frequentado, mas cheguei a pensar que só eu considerava Marina usada pelo PIG e a caminho da direita. Que bom que Sader me fez ver que não fui o único!

Responder

Alex Gonçalves

04 de setembro de 2010 às 21h33

Eu assisti o JN no dia da declaração contra Dilma. Em meio ao meu ódio visceral contra o golpismo podre do PSDB/Mídia, ao ver Marina no jogo só senti pena e desgosto.

Não conta com mais um pingo de simpatia minha.

Responder

    LuizCarlosDias

    05 de setembro de 2010 às 00h11

    Nossa lata de lixo esta muito cheia, Serra, Maia, Marina, Gabeira, e tem outros piores, E mais, fede

reinaldo

04 de setembro de 2010 às 21h26

Para saber quem é a nona Marina, basta ver quem são os politicos que a apoiam nos estados.
Se fizer o levantamento dos dirigentes ecologistas do PV, veremos que são os conservadores, que fizeram como os animais, Quando viram o mato pegando fogo, procuraram abrigo pulando na agua, como não sabiam nadar. seguraram no primeiro tronco que passava, o problema é a cachoeira, que vai afogar a todos.

Responder

    Felipe

    05 de setembro de 2010 às 01h55

    Se você aplicar o mesmo raciocínio à candidata que provavelmente apoia, encontrará Sarney no MA, Collor em AL, Jáder Barbalho no PA et caterva, e terá de dizer que são eles que mostram quem é Dilma Roussef. De minha parte, acho esse raciocínio, para ambas as candidatas, uma bobagem.

Shedd Pegáz

04 de setembro de 2010 às 21h12

Após quase sete anos no governo começou a dizer que havia discordância na condução da política ambiental do governo Lula, mas nunca apresentou proposta alternativa e utilizou desse pretexto para justificar sua saída. Talvez já tivesse em mente fazer trabalho solo, provavelmente sondado por outras correntes, mas, enquanto pode ficar no governo, ficou. Agora, candidata a presidente pelo PV, critica o governo Lula como se nunca tivesse feito parte do dele.
Essa sua atitude não condiz com a sua personalidade, a não ser que desconhecêssemos esse seu lado, porque esse tipo de procedimento é prática de políticos escusos.
Marina, está na hora de você ser a pessoa que sempre foi e se continuar assim você jogará na lata de lixo toda a sua trajetória que começou lá nos seringais, junto com Chico Mendes.

Shedd – São Paulo

Responder

Antonio Carlos

04 de setembro de 2010 às 20h53

Marina, Roberto Freire e os outros que um dia militaram na esquerda ao lado das causas sociais foram para a direita udenista lacerdista. Hoje, tenho consciência que esses militantes de esquerda que vao para a direita sao piores que aqueles que sempre militaram na direita udenista. Como tenho consciencia que para cada um que saí do jogo político pelo voto popular, nascem dez para ocupar o espaco deles. O problema nao está nesse tipo de político que idolatra o poder acima de suas conviccoes, o problema no Brasil se chama Rede Globo / Veja / Estadao / Folha / Bandeirante. O dia que o Brasil tiver uma mídia que seja o mínimo possível decente, nao existirá espaco para esses políticos e como diz PHA, se nao fosse o PIG os tucanos nao passavam de Resende.

Responder

kimparanoid

04 de setembro de 2010 às 19h56

O problema da Marina – e não só dela, mas de seus seguidores – é, ao meu ver, uma visão "ingênua" diante da perspectiva de "desenvolvimento sustentável". Acreditar que empresários "conscientes" serão os agentes do desenvolvimento com respeito ao meio ambiente é ignorar os conflitos sociais que estão subjacentes (inclusive a exploração do trabalho pelo capital). Não é possível haver relação harmônica do homem com a natureza enquanto a relação entre os homens for regida pela lógica do lucro. Escrevi um post no meu blog sobre isso: http://kimparanoid.wordpress.com/2010/06/03/desen

Responder

Gerson B.

04 de setembro de 2010 às 19h49

O PV acabou no Brasil.

Aliás, eu penso que ele nunca existiu por aqui.

Vamos ver o tal Partido Livre (dissidentes do PV) com quem virá.

Responder

    sandro rodrigues

    05 de setembro de 2010 às 08h01

    PV na direita só no brasil…aff

    concordo, vamos ver o PL

gerson yamin

04 de setembro de 2010 às 19h16

Concordo com a análise do prof.Emir. Se a campanha da Marina centrasse fogo no Serra,do jeito que ele está sendo derrotado,ela teria grandes chances de assumir o segundo lugar e ficar de representante da direita.Mas aí seria muito constangedor…..

Responder

Sagarana

04 de setembro de 2010 às 18h41

Se esse "senhor" está contra a Marina, mais um motivo para eu votar nela. MARINAAAA!!!

Responder

    sol

    05 de setembro de 2010 às 01h10

    Vote em quem vc seletivamente escolher. Não transfira o seu voto, do Emir para Marina. O Emir não é candidato.

    cmarinsdasilva

    05 de setembro de 2010 às 09h34

    Amiguinho, vc pode votar em quem quiser, agora não coloque a culpa da sua escolha no Emir, ele não é candidato.

    Helcid

    05 de setembro de 2010 às 11h47

    Em pleno domingão, os trolls-carpideiros vêm aqui imundar com suas lágrimas e asneiras… os olhos de vocês brilham ao ver a própria marina rasgar sua biografia…

    … é Itha Rocha: os trolls aqui vão brilhar em seu curso !!

Denise Queiroz

04 de setembro de 2010 às 18h40

Desnorteou.

Responder

ruypenalva

04 de setembro de 2010 às 18h40

Marina nunca me enganou. Esse discurso pronto, certinho, na ponta da língua, evangelizador que ela tem, nada mais revela do que uma oportunista-carreirista. Podia-se até dar-lhe um alibi de certo descontrole emocional, aquele mesmo que acometeu Heloísa Helena na fase maníaca, por inflação do ego, ou que a mãe natura andou colocando fumos nas suas narinas para viagens ex-terrestres. O certo é que está rodeada de empresários próximos ao Serra, basta ver a entrevistas deles no Valor, que a preferiam de Vice do Serra, e depois que se aliou ao Gabeira recebeu o Espírito Santo do Pó, do Rebunde, do Xicabunde, assumindo de uma vez uma postura direitista-neopentecostal pós subalterna. Não é um corvo apenas, é um estorvo parvo, uma meleca, um catarro-bizarro. Parece um corujão seboso com aquelas enormes olheiras escuras que lhe são mal disfarçadas pela maquiagem cuprea. Andou também dando um trato nos dentes e já não mostra mais as diásteses que mostrava dantes e escondeu os roaches, pois nãi fica-lhe bem exibir aqueles roaches na campanha. A Lolô Helena é louca varrida, de sanatório, e ainda por cima raivosa, daquelas que lhe morde e você tem que tomar vacina anti-rábica. O Plínio deve estar com problema de alguma demência senil, alguma síndrome de pop star senescente com lapsos de memória evidente e um certo lag para pensar e refletir. Vive de tiradas. Declinou de ser Plínio, preferiu o declínio do raciocínio. Crê-se um puer aeternus.

Responder

    Baixada Carioca

    04 de setembro de 2010 às 21h44

    Oportunismo! Essa é a palavra.

    O que pensa essa ecotucana? Ora, se Dilma for cassada, o PT tem de apresentar um outro candidato no lugar dela, e aí não há mais tempo para campanha e tornar o novo candidato conhecido, o que poderia (poderia porque isso jamais vai acontecer) acontecer? Um segundo turno com o tucano e a ecochata. Quem vocês pensam que a esquerda apoiaria? Marina é oportunista, ardilosa e astuta.

    sandro rodrigues

    05 de setembro de 2010 às 07h59

    se cassarem a dilma o lula apoia o vesgo do pânio e ganha no primeiro turno do mesmo jeito

    hehe

Ed.

04 de setembro de 2010 às 16h49

Marina é politicamente ingênua ou está com dor de cotovelo.
Se quisesse efetiva e objetivamente chegar ao segundo turno, qualquer garoto de 8 anos sabe que precisa combater quem está em segundo (Serra) e não quem está disparado em primeiro (Dilma), pois isso só fortalece o segundo.
Só o fato de estra concorrendo (que é um direito inalienável dela) já tira quase 10 pontos da disputa 1×2.
É a famosa inocente útil… (para a coligação "Brasil à Venda").

Responder

    Ricardo Rangel

    04 de setembro de 2010 às 18h08

    Não dá para atribuir ao "ciume" estas tomadas de posições. O caminho tomado me parece ser o mesmo da Heloisa Helena, como aponta a matéria. Adotando a trilha mais fácil e palatável do discurso pronto e sugerido pelas manchetes da midia.

    Robson Porto

    05 de setembro de 2010 às 06h52

    Realmente Ed, espero que o problema de Marina seja apenas ingenuidade e/ou dor de cotovelo…

    Seria, para mim, motivo de muita tristeza saber que a motivação dela foi outra, de ordem pecuniária.

Jairo Luiz Fonseca

04 de setembro de 2010 às 16h48

Nós estamos presenciando dois problemas gravíssimos de ciúmes. Um é o pior de todos: ciúme de homem. Percebem que todos os dias Serra detona o Evo e a Bolívia? Por quê? Ciúme, puro ciúme. Ele queria receber de presente aquele casaco – traje típico dos indígenas bolivianos para grandes comemorações, que o Lula ganhou de Evo e que depois acabou dando de presente para o Hebert Vianna dos Paralamas. Serra acha no direito de também recebeu um. Agora imagine este "coiso" como o chamam os Sindicalistas da Força, vestido com aquele casaquinho boliviano. Será a glória para nós. O outro é o ciúme de mulher para mulher. Este pega no bréu. Marina além de hipócrita e rasteira, é a maior traira que se tem notícia na política mundial.

Responder

Guilherme Souto

04 de setembro de 2010 às 16h24

Está dentro do sistema, tão dentro que está às voltas com um correligionário metido na história da filha do Serra, pois foi gente do PV que entregou ao tal contador – versão dele próprio – a dita requisição falsa.

No colo da direita é pouco!

Responder

    Robson Porto

    05 de setembro de 2010 às 06h50

    Guilherme, não seja ingênuo… Esse cara do PV só entrou na história para que o PV faça com ele o que o DEM fez com o Arruda, ou seja, expulsa-lo para que a expulsão seja usada como virtude (quando pegamos bandidos, expulsamos; diferentemente do PT que os mantém…).

    Como a mídia está do lado deles, o assunto morre no noticiário rapidamente…

CARLOS HELY

04 de setembro de 2010 às 16h05

POIS É TAMBÉM ACHEI RÍDICULO A MARINA ENTRAR NO JOGO SUJO DO PSDB. ALI ELA APAGOU TODA SUA PASSAGEM PELO PT E COMO MILITANTE DO POVO.

Responder

    Conceição Lemes

    04 de setembro de 2010 às 16h15

    Carlos, por favor, letras minúsculas nos comentários. É uma norma do Viomundo. abs

    Guanabara

    05 de setembro de 2010 às 12h58

    Seguiu os passos do Cristovam Buarque em 2006.

Roberto Weber

04 de setembro de 2010 às 15h50

Nunca etendi a Marina aceitar passivamente que o Gabeira fizesse campanha em prol de Serra.
É lógico que ela (en)direitou…

Responder

Luciano Prado

04 de setembro de 2010 às 15h41

Essa moça é um caso a ser estudao com profundidade. Ainda não dá para entender no que ela se transformou.

Responder

Torquemada

04 de setembro de 2010 às 15h37

Então… Para dar um pouco de corda na eco-capitalista o Ibope dá para a Dilma com um ponto a menos e para ela um ponto a mais. Deixaram o jenio no mesmo lugar como quem diz: Vai em frente que você está tirando votos da Dilma. É lá que tem que martelar.

Responder

    Baixada Carioca

    04 de setembro de 2010 às 21h40

    O incrível é ver o PIG comemorar o estacionamento do tucano. Ou seja, "parou de cair, vamos comemorar!…"

Morvan

04 de setembro de 2010 às 15h37

Mais uma vez, o grande escritor Sader nos posta algo remarcável. Belo texto. Só vejo uma diferença gritante entre a [alienada] Marina e a [esclarecida e violenta] Heloísa Helena: Marina é dócil. Não no sentido pejorativo! Ela, mesmo que tenha se bandeado (acredito, sem o saber) para o colo da direita, jamais emitirá um "eu quebro seus detessssss" ou coisa congênere, como a odiosa e desagregadora Heloísa Helena.
A propósito, o Lula está muto "bem servido" de "aliados": Marina, Gabeira, Heloísa Helena, Cristovam Buarque, etc., etc., …

Morvan, Usuário Linux #433640

Responder

    Renato Lira

    05 de setembro de 2010 às 12h50

    Aliados?

    Daí só o Cristovam é aliado.

    Saiu e voltou, "arrependido".

    Os outros são há muito oposição.

O_Brasileiro

04 de setembro de 2010 às 15h24

Por que a Marina consegue olhar para as câmeras mas não consegue olhar nos olhos das pessoas?

Responder

Helio Leite

04 de setembro de 2010 às 15h21

É, a Marida já foi e tarde.

Responder

Marcos Alonso

04 de setembro de 2010 às 13h50

Esse é o problema que vejo em votar na Marina.. a relacao que o PV tem com o PSDB nao me é nada alentador em ter ela (ou o PV) como nova opcao

Responder

    Guanabara

    05 de setembro de 2010 às 12h56

    PV no RJ sempre andou de braços dados com o DEMo.

blogdacoroa

04 de setembro de 2010 às 13h41

Carlos Lacerda pede o golpe!
http://blogdacoroa.wordpress.com/2010/09/04/carlo

Responder

Jairo_Beraldo

04 de setembro de 2010 às 13h39

A causa ecológica teria danos gravíssimos se Marina não for aniquilada politicamente, quer dizer o grande Prof. Sader.

Responder

Alberto

04 de setembro de 2010 às 13h26

Apoiado!

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding