VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Política

Eduardo Campos se diz tão esquerdista quanto o Serra


22/03/2013 - 19h42

22/03/2013 – 13h17
Campos diz ter mais coisas em comum com Serra do que com alguns aliados

DANIEL CARVALHO
DO RECIFE

na Folha

Depois de ser elogiado pelo ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB), o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), afirmou ter mais pontos em comum com o tucano do que com alguns aliados.

“Esse campo em que Serra sempre militou é um campo mais próximo do nosso campo político do que muita gente que está conosco e esteve conosco na base de sustentação do presidente Lula. Todo mundo sabe disso”, afirmou o governador.

A declaração ocorreu nesta sexta-feira (22), no Recife, antes de ele participar do lançamento de um livro patrocinado pela empreiteira OAS sobre artesãos pernambucanos.

O governador afirmou ter “muitas coisas em comum” e citou como exemplo questões como a maior distribuição de renda, crescimento “mais arrojado” da economia e “inovação que agregue valor às nossas exportações”.

“Não há diferença nisso em relação a muitos que estão na base do governo e outros que estão na oposição”, disse Campos.

Em entrevista à Folha, José Serra disse que a provável candidatura de Eduardo Campos à Presidência da República “é boa para o Brasil e boa para a política”.

O jornal revelou também que os dois se encontraram em São Paulo, na última sexta-feira.

Ontem, o ex-governador se irritou ao ser questionado sobre o encontro. Hoje, ele disse encarar a reunião como algo “inteiramente natural”.

“Eu acho que nós devemos seguir discutindo o Brasil. É bom, é importante que possamos acumular um debate plural, diverso, sobre o futuro do Brasil”, afirmou.

“Ele não vai concordar com tudo o que eu falo, nem eu vou concordar com tudo o que ele fala. Mas nós vamos, com certeza, com esse debate, enriquecer o debate político”, disse Campos.

O governador falou da relação que sua família teve com Serra durante o regime militar e depois, quando ambos eram governadores.

Referiu-se ao tucano como homem de “experiência”, “quadro importante na vida brasileira” e “economista respeitado”.

“Sempre tive uma boa relação com Serra. O próprio [ex-]presidente Lula sabe disso, que sempre tivemos uma porta de conversa”.

DILMA

O governador Eduardo Campos disse que nesta segunda-feira (25) terá “absolutamente” a mesma postura que sempre teve com a presidente Dilma Rousseff em suas visitas ao Estado.

Dilma irá inaugurar uma adutora no sertão de Pernambuco e um trecho de uma rodovia na região metropolitana do Recife.

“Estamos felizes de receber a presidente Dilma aqui. Terei muito gosto de fazer uma calorosa recepção para ela”, disse.

Leia também:

André Singer: PSB, base governista?

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



30 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Urbolino PIgao

23 de março de 2013 às 15h22

Eduardo, o poste de Serra.
Mas o único que elege poste eh Lula!!!

Responder

Regina Braga

23 de março de 2013 às 14h41

Ao declarar o amor pelo Cerra,Dudu, deixa Aético com muito ciúme.Agora quero ver o psdb?

Responder

Maria Rita

23 de março de 2013 às 13h50

Tadinho do Dudu. Fruta verde que fica muito perto de fruta estragada, tá lascada. Cai antes do tempo. Aliás, essa é a especialidade do Serra, tudo o que ele toca apodrece. É essa a sua semelhança com ele, Dudu? Como o Serra quer ser presidente do Brazil e vender a Petrobrax, tenha cuidado, que na língua inglesa, dudu é outra coisa…

Responder

Hélio Pereira

23 de março de 2013 às 13h45

Que ele é igual o Serra todo mundo já percebeu,a unica diferença entre os dois é a falta de cabelo de Zé Bolinha,no resto cada um tem até um “Braço esquerdo”!

Responder

Abel

23 de março de 2013 às 13h17

“Presidente” e não “presidenta”? Ele já está do “lado de lá” (do PIG, quero dizer)…

Responder

Elias

23 de março de 2013 às 12h50

Sem nenhuma presunção em ditar a verdade, ouso dizer que Eduardo Campos está se esfarelando ao se aproximar de Serra, e mais, o governador de Pernambuco se expõe como ingênuo quando diz ser tão de esquerda quanto Serra. Porque até o mundo mineral sabe que Serra é tão de esquerda quanto Bento XVI é seguidor da teologia da libertação.

Responder

FrancoAtirador

23 de março de 2013 às 12h21

.
.
COM A PALAVRA, LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA:

“Defendo a liberdade incondicional de cada partido de fazer o que bem entenda. Se não fosse assim, o PT não teria chegado à Presidência da República. Portanto, eu jamais tomaria qualquer atitude para impedir que um companheiro fosse candidato a presidente.”

“Ele [Eduardo] é uma personalidade que pode desejar qualquer coisa que ele quiser nesse País. O meu papel é fazer todo o esforço para que a gente esteja junto. Temos que construir uma aliança muito forte.”

“O que temos que ver é se, estrategicamente, é importante a gente colocar em risco uma coisa que tem dado tão certo nesse País, que é a aliança histórica entre PT e PSB.”

“Ainda faltam quase dois anos para a eleição presidencial e se a gente ficar fazendo política do ‘diz que diz’ ou ‘diz que não diz’, a gente vai dar trombada desnecessariamente.”

“Deixa eu falar uma coisa em alto e bom som: quem escolhe vice é a presidenta, não sou eu. Quando fui presidente da República, escolhi duas vezes o meu vice, José Alencar. Jamais iria escolher um vice para a Dilma. É ela que vai escolher o melhor partido para indicar. Não serei eu.

“Como ela [Dilma] tem uma bela amizade com o PSB e nossa relação é histórica, e ela tem uma boa amizade com o Eduardo Campos, no momento certo eles vão conversar e, no final, entre mortos e feridos, todos serão salvos.”

Fonte: iG, com Agência Estado
.
.
Detalhe:

De acordo com dados da pesquisa pré-eleitoral divulgada pelo DataFolha,

nessa sexta-feira (22/3/2013), se a eleição para Presidente fosse hoje,

LULA TERIA 60% DAS INTENÇÕES DE VOTO DO TOTAL DE ENTREVISTADOS.

Dilma obteve 58% da preferência dos pesquisados pelo instituto dos Frias.

A pesquisa foi realizada entre os dias 20 e 21 de março e ouviu 2.653 pessoas.
A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.
.
.
Atualizado às 07h15 de sábado 23/3.

CartaCapital
Eleições

Datafolha: Dilma seria reeleita hoje com 58% dos votos

Se as eleições ocorressem hoje, a presidenta Dilma Rousseff venceria no primeiro turno com 58% dos votos.

É o que mostra pesquisa Datafolha divulgada na sexta-feira 22.

A petista, que subiu quatro pontos desde a última pesquisa em dezembro passado, lidera no cenário com três prováveis adversários na disputa:

a ex-senadora Marina Silva (Rede), segunda colocada com 16%,
o senador tucano Aécio Neves (10%)
e o governador de Pernambuco Eduardo Campos, do PSB (6%).

A pouco mais de um ano da eleição, todos eles têm se movimentado para viabilizar a candidatura.

A pesquisa, com margem de erro de dois pontos percentuais, foi realizada entre os dias 20 e 21 de março e ouviu 2.653 pessoas.

Dessas, apenas 6% declararam voto nulo ou em branco, e 3% se disseram indecisas.

Dilma lidera em todos os cenários

Em um cenário com Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro soma 7% das intenções de voto, empurrando Campos para 4%.
Dilma teria 56%, Marina, 14%, e Aécio, 10%.

Dilma vence em todas as regiões do Brasil, tendo uma vantagem menor no Sudeste (52%).
A petista soma 64% das intenções de voto no Nordeste, 62% no Norte e Centro-Oeste e 59% no Sul.

Campos, aliado da atual gestão do PT, tem seu melhor desempenho no Nordeste.
Ainda assim, o governador de Pernambuco alcança 11% das intenções de voto. No Sudeste e Sul, não ultrapassa 3%.

LULA

Substituindo Dilma pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o petista também venceria no primeiro turno.

Em um cenário com Joaquim Barbosa, Lula teria 58% dos votos, seguido por Marina (14%), Aécio (9%), o ministro do STF (7%) e Campos (3%).

Sem Barbosa, a vantagem de Lula aumenta:

Ele teria 60%, contra 16% de Marina, 10% de Aécio e 4% de Campos.

Votos por faixa de renda

A presidenta também lidera em todas as faixas de renda.

A sua maior vantagem é entre as pessoas com até dois salários mínimos (62%), na qual é seguida por Marina (14%), Aécio (8%) e Campos (7%).

Na faixa dos eleitores que recebem entre dois e cinco salários mínimos, Dilma soma 56% dos votos, Marina (18%), Aécio (11%), Campos (4%).

Já entre os que ganham mais de cinco salários até dez, a vantagem da petista é menor: ela tem 52%, Marina, 19%, Áecio, 14%, e Campos, 5%.

Entre o que ganham mais de dez salários mínimos, Dilma soma 50% dos votos, Marina, 19%, Aécio (16%) e Campos (6%).

Quando os entrevistados são estimulados a indicar seus candidatos sem uma lista de opções pré-definida, Dilma aparece com 35%, Lula tem 8%, José Serra (PSDB-SP) tem 3% e Aécio, 2%.
.
.
Potencial de voto

Uma pesquisa nacional do Ibope e do jornal Estado de S.Paulo, também divulgada nesta sexta, coloca a presidenta com 76% de potencial de voto, cerca de duas vezes mais que Marina (40%), três vezes mais que Aécio Neves e sete vezes mais que Campos.

Dos eleitores que votariam em Dilma, 52% afirmaram que o fariam com certeza e 24% que poderiam escolher a petista. Outros 20% não votariam na presidenta de forma alguma. Ninguém afirmou desconhecer a mandatária. O resultado gerou um saldo de 56%, o único resultado positivo entre os presidenciáveis.

Segundo a pesquisa, 40% dos entrevistados votariam em Marina (10% com certeza e 30% talvez), contra 40% que não votariam nela. A ambientalista não é conhecida por 19% dos eleitores.

O senador Aécio Neves tem um potencial de voto de 25%, contra uma rejeição de 36%. O saldo é negativo em 11 pontos. Já o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, tem 25 pontos negativos (10% votariam nele e 35%, não).

Os dois são pouco conhecidos dos eleitores: 39% desconhecem o presidenciável tucano e 54% não sabem quem é Campos.

Outros nomes

Derrotado duas vezes na disputa pelo Planalto, José Serra (PSDB) tem saldo negativo de 15 pontos.
Entre os entrevistados, 35% votariam no ex-governador de São Paulo, contra 50% que não o consideram uma opção.
Ele é desconhecido por 14% dos eleitores.

Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal, teve um potencial de votos de 17% (4% votariam nele com certeza e 13% talvez).
Já Fernando Gabeira (PV), registrou potencial de 7%, dos quais 1% com certeza e 6%, talvez.

A pesquisa tem margem de erro de dois pontos porcentuais, para mais ou para menos.

O Ibope entrevistou pessoalmente 2.002 eleitores em 142 cidades do Brasil, entre 14 e 18 de março.

http://www.cartacapital.com.br/politica/datafolha-dilma-seria-reeleita-hoje-com-58-dos-votos/

Responder

nona fernandes

23 de março de 2013 às 10h29

Como disse um dos comentarista deste espaço, duduzinho está muito mais para um completo bobo político, do que esperteza. Juntar-se com Serra para ganhar espaço midiático, é realmente um desastre. Tomara que continue assim, pois certamente terá uma “bela” lição política.

Responder

Maria Fulô

23 de março de 2013 às 09h51

Só falta agora ele dizer que admira o Jabor desde criancinha… Será que o grande Arraes poderia imaginar o neto que viria a ter?

Responder

[email protected]_2

23 de março de 2013 às 09h50

Cara, esse merda de governador do PE seria um Jão Ninguém se não fora o Presidente Lula.

Lula colocou o PE no mapa do Brasil e Mundi.

Quanta torpeza deste Ed Campos…

:/

Responder

    Julio Silveira

    23 de março de 2013 às 13h20

    Cara, tu fala uma grande verdade.

Alfredo

23 de março de 2013 às 09h42

Só se esqueceu de falar q ele e o que e graças ao lula e os recursos federais
Esse aqui resultou outro traira. Pior q a marinatura

Responder

LEANDRO

23 de março de 2013 às 06h06

Eu to com a DILMA. Projeto mais liberal que o dela não tem entre os candidatos e ela tem o apoio popular para continuar fazendo o que é necessário para modernizar o país. Que outro candidato poderia privatizar sem nenhuma oposição como ela faz? Que outro candidato poderia propor reformas trabalhistas sem chiadeira? E a tal “regulamentação da mídia” que ela já tratou de engavetar para sempre? Imagina se fosse alguém do psdb? E, como as pesquisas indicam, ela tá no caminho certo e tem o apoio do povo.

Responder

leia

23 de março de 2013 às 05h30

Por isso tenho orgulho de ter votado em Dilma.

http://youtu.be/DbG6s1-b2NM

Responder

FrancoAtirador

23 de março de 2013 às 02h43

.
.
CAMPOS CRUZOU O RUBICÃO CONSERVADOR

Traição e coerência: lições do avô ao neto

Por Saul Leblon, na Carta Maior

Imediatamente após o golpe 1964, os militares tentaram cooptar grandes nomes da política brasileira, cuja credibilidade pudesse mitigar a violência cometida contra a democracia.

Ao então governador de Pernambuco, Miguel Arraes, avô do atual ocupante do cargo, Eduardo Campos, foi dada a opção seca: adesão com renúncia ‘espontânea’, ou prisão.

Cercado no Palácio das Princesas, o sertanejo Miguel Arraes honrou a fibra que lhe dera fama.

‘Não vou trair a vontade dos que me elegeram’, mandou dizer aos emissários do Exército.

Foi preso imediatamente. Sobral Pinto, famoso jurista da época, conseguiu-lhe um habeas corpus, cujo relator foi Evandro Lins e Silva.

Em 1965, Arraes exilou-se na Argélia.
Em 1967 foi condenado à revelia: 23 anos de prisão.

Voltou ao país com a abertura, em 1979. A coerência que o transformara em legenda, impulsionou a retomada da carreira política.

Arraes elegeu-se governador de Pernambuco mais duas vezes, em 1986 e 1994.

Outro exemplo de retidão sertaneja foi o paraibano de Pombal, Celso Furtado.

Decano dos economistas brasileiros, Furtado dirigia a Sudene, em Recife.

No dia do golpe, esvaziava gavetas quando teve a sala invadida por um grupo de oficiais de alta patente.

A exemplo de Arraes, foi chantageado pelos que buscavam aliados vistosos.

Sua resposta não foi menos enfática:

‘Sou um servidor da República, não me peçam para trair minha pátria’, disparou sobre seus interlocutores envergonhando-os.
Consta que deixou o edifício da Sudene dirigindo o próprio carro.

Cassado, Furtado exilou-se na França, onde viveu de suas aulas.
Até hoje não foi anistiado, embora tenha sido incluído na primeira lista de cassados da ditadura.
Tampouco se tem notícia de que seus familiares receberam qualquer indenização do Estado brasileiro.

O governador Eduardo Campos conhece essas histórias, conviveu com seus personagens.

O governador tem recebido emissários frequentes das mesmas forças e interesses que em 1964 acossaram seu avô, perseguiram e jogaram no ostracismo reservas intelectuais e morais da Nação, a exemplo de Furtado.

O governador deve em boa parte a carreira política aos que souberam dizer não aos emissários da traição e do golpismo.

http://www.cartamaior.com.br/templates/postMostrar.cfm?blog_id=6&post_id=1206

Responder

João-PR

23 de março de 2013 às 01h35

Vivo e não leio tudo:

“Referiu-se ao tucano como homem de “experiência”, “quadro importante na vida brasileira” e “economista respeitado”.”

Economista? Formado aonde? Cadê o diploma do Serra?

Esse Eduardo Campos está se saindo melhor do que a encomenda!!!

Bom para o PT aprender: a base de sustentação do Governo Dilma é ampla, mas o PT pode contar com poucos partidos dessa base! Tem muito traíra nesse rio.

Responder

    Ana Cruzzeli

    23 de março de 2013 às 12h52

    É verdade João, mas Dilmita e Lulita são otimos pescadores.

    Essa besta do Dudu deu aquela de que não estava de acordo com a doidiva da Erundina de querer detonar o Haddad com aquela crise malufista e agora se vê que foi a primeira tentativa sim de detonar o Haddad pelo PSB e se deram SUPER MAL.

    A traição começou ali meio disfarçado de mulher doida. Não, na politica não existem movimento doidos, isso foi combinado. Erundina iria desistir da chapa com qualquer desculpa, isso estava na cara.

    Como todo mundo já sabe o Haddad pode ser o sucessor de Dilma em 2018. Enfim tudo está ficando cada vez mais claro.
    Dudu quer reforça a oposição em SP para tentar frear queridinho do Lula.

    Voltando a tese do pescador…
    Lula e Dilma colocaram a isca( vice-prefeita) e eles foram fisgados. Se o Dudu fosse traira eles iriam detonar o Haddad pelo ventre. Tentaram, mas conspirar contra o universo fica dificil, se deram muito mal, o menino do Lula tem o corpo fechado.

    Dudu, não se conforma do Haddad ter ganho daquela maneira, foi demais para o traidor. Agora é tudo ou nada, quero ver a Erundina em 2014, será que ela vai sentar no colo do Alckmim?

LENE

22 de março de 2013 às 23h21

CAMPOS ESTÁ PERDIDO NO TEMPO E NO ESPAÇO.

Responder

Uélintom

22 de março de 2013 às 23h18

Pois é, o título do post deveria ser: “Eduardo Campos promete privatizar Banco do Brasil e Petrobras”. Ele não diz que bate um bolão junto com o Serra? Se existisse alma, a do Arraes estaria atormentada uma hora dessas…

Responder

Terezinha

22 de março de 2013 às 21h53

Nossa, não imaginava que o Eduardo Campos fosse tão bobão assim. Desculpe o termo, mas não achei outro. comparar-se ao Serra para se elogiar é porque Ave Maria!

Responder

    Roberto Locatelli

    23 de março de 2013 às 09h22

    Realmente, Terezinha, é espantoso que um sujeito que pretenda ter alguma chance em 2014 se compare com Serra. Ele está perdidão.

Fabio Passos

22 de março de 2013 às 21h52

Uma pena que o neto de Miguel Arraes se venda para a pior “elite” do mundo.

Nao ha como errar: Candidato com apoio e simpatia do PiG… nao presta!

Responder

Bonifa

22 de março de 2013 às 21h49

“Este campo em que Serra Militou”… Só pela abordagem da realidade histórica se vê a limitação deste pobre político. Não honra a inteligência pernambucana.

Responder

Marat

22 de março de 2013 às 21h47

Se o Eduardo Csmpos falou mesmo isso (o PIG adora uma distorção…), direi com todas as palavras: política no Brasil é um lixo!!! e o pior é que os três poderes teóricos e o verdadeiro poder (PIG) estão infestados de malandros e corruptos!

Responder

    Bonifa

    23 de março de 2013 às 09h26

    Explique porque diz isso. Só porque um político pernambucano o decepcionou?

Marcio H Silva

22 de março de 2013 às 21h39

Considerando a teoria de einstein sobre o universo, ele é tão, mas tão esquerdista que fechando a curva ( OCIRCULO ), ele encontra a extrema direita, AH, E AÍ SURFA CONFORTAVELMENTE…….

Responder

Julio Silveira

22 de março de 2013 às 20h07

Queria saber que mal existe na esquerda. Ultimamente os politicos deste país que chegam ao nivel de postulantes a presidência alegam jamais terem sido de esquerda, até o Lula.
Isso é o que dá termos esses partidos de fachada, um deboche contra aqueles que acreditam no ideário e no ideal.

Responder

    Caracol

    23 de março de 2013 às 08h43

    É uma boa reflexão, Julio.
    Acho que tem a ver com o modismo imposto pela globalização hegemônica do capitalismo após a derrocada da URSS, que inspirou idiotas como Fukuyama imaginar que ideários e ideais humanos possam ser eliminados por decreto.
    Mas você tem razão, aqui no Brasil a coisa vai de mal a pior, principalmente se nos compararmos com outras sociedades latinoamenricanas. Aqui a moda pegou: ou o sujeito é de direita ou é maneta.
    Espero que os exemplos em contrário frutifiquem e nos ajudem, e deixemos de ser tão alienados, mas percebo que a luta vai ser dura. O nível de politização e consciência por aqui está muito baixo. À esquerda por aqui só em relação a zero. Muito à esquerda de zero.

    Julio Silveira

    23 de março de 2013 às 13h31

    É meu caro, saiba que as vezes quase desisto. Muita gente não entende meus questionamentos e se sentem ofendidos, ou como se estivesse ofendendo aqueles em quem acreditam, mesmo que estes contrariem o que dizem acreditar. Mas vale a pena quando encontro alguem que mostra capacidade de compreensão para o alcance de minhas criticas, como você. Isso renova meu espirito e você não tem ideia do quanto. Fica claro para mim que no Brasil não prolifera somente mediocridade, que existe CONSCIÊNCIA critica entre nós, mesmo sob todas as adversidades (que o meio dominante constroi para corrompê-la) mantendo-se assim, integra.

francisco niterói

22 de março de 2013 às 20h01

Nunca vi um cara tao sem nocao.

Vivia no cantinho dele lá, sendo protegido pela midia do estado dele. E sempre fazendo as suas chantagens pois isso é a essencia do “cabra”.

Foi pro “mundao” chamado Brasil e achou que iria abafar, ideia esta vinda da sua imensa arrogancia.

Resultado: em pouco tempo ja esta se queimando, ou melhor, mostrando a personalidade que tem.

Eduardo, no resto do Brasil tem hoje a internet bem atuante e a sua zona de conforto ( a midiazona) acabou. Aqui pra ser heroi tem pelo menos que ser coerente.Seja o,politico do DEM, mas se for coerente com isso, parabens. O que nao da é a sua ideia de esperto, quando nao passa de arrivista.

Responder

Deixe uma resposta para FrancoAtirador

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.