VIOMUNDO

Diário da Resistência


Dilma, sobre a exaltação de torturador por Bolsonaro: “A tortura é crime contra a humanidade e imprescritível”
Algumas das vítimas do torturador Carlos Brilhante Ustra, chamado de '' herói nacional'' por Jair Bolsonaro
Política

Dilma, sobre a exaltação de torturador por Bolsonaro: “A tortura é crime contra a humanidade e imprescritível”


08/08/2019 - 20h10

Sobre elogio à tortura

Em nota, Dilma Rousseff lamenta exaltação de torturador pelo presidente da República: “A tortura é considerada crime contra a humanidade”

Dilma.com.br

É grave que um presidente exalte um notório torturador e defenda a tortura como política de Estado.

O Brasil está vinculado ao Estatuto de Roma, acordo elaborado sob a égide da ONU e referendado pelo Presidente da República e pelo Congresso Nacional, em 2002.

Nele, a tortura é considerada crime contra a humanidade e é crime imprescritível, conforme também aponta a Convenção das Nações Unidas de 26 de dezembro de 1968.

É inadmissível que um chefe de Estado e de governo defenda a tortura e desrespeite os acordos assinados por seu País violando os princípios fundamentais de civilidade da comunidade internacional.

Dilma Rousseff

 

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

08 de agosto de 2019 às 20h57

https://pbs.twimg.com/media/EBeIRNDWsAEZ1-P.jpg
https://pbs.twimg.com/media/EBeIRNDW4AA2k5Z.jpg
https://pbs.twimg.com/media/EBeIRNFW4AUldn7.jpg

A carta de 1985 dirigida a Sarney na qual a então deputada
Bete Mendes denunciou Brilhante Ustra
após tê-lo encontrado casualmente na função de adido militar
da Embaixada no Uruguai:
“Digo-o, Presidente, com conhecimento de causa:
fui torturada por ele.”

https://twitter.com/rubensvalente/status/1159545326447071232/photo/1

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.