VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Dilma: Palocci é “mentiroso contumaz” e farsa da Lava Jato aplica a tática da “intimidação” para sair da defensiva
Política

Dilma: Palocci é “mentiroso contumaz” e farsa da Lava Jato aplica a tática da “intimidação” para sair da defensiva


11/09/2019 - 14h21

NOTA À IMPRENSA

11/09/2019

Da assessoria de Dilma Rousseff

A propósito da reportagem “Investigações da Lava Jato miram campanhas e núcleo de confiança de Dilma”, publicada pela Folha nesta quarta-feira, 11 de setembro, a Assessoria de Imprensa de Dilma Rousseff esclarece:

1) Mais uma vez, vazamentos seletivos e ilações mal intencionadas  suscitados pela Lava Jato dão a tônica do noticiário, com o intuito de elevar a pressão sobre a ex-presidenta da República e intimidá-la com suspeitas e tentativas de ofender sua imagem.

2) Vale lembrar que apenas 6 dias antes das eleições de 2018, a Lava Jato utilizou-se desse mesmo artifício a fim de interferir nas eleições, com graves consequências para o país.

3) É estranho e distorcido apontar que as últimas duas operações da força tarefa atingiram o “núcleo de confiança” da ex-presidenta Dilma Rousseff, como noticia a Folha de S.Paulo.

4) O senhor Márcio Lobão, detido pela Polícia Federal na Operação Galeria, na terça-feira, 10 de setembro, em mais uma das muitas etapas da Lava Jato, não tem – nem nunca teve – qualquer relação de amizade ou proximidade com Dilma Rousseff.

5) A base da investigações é a delação premiada do senhor Antonio Palocci, um mentiroso contumaz que prestou depoimento e jamais apresentou provas de envolvimento de Dilma com corrupção ou mal feitos. A fragilidade das denúncias não serviu nem mesmo ao Ministério Público a aceitar a delação do senhor Palocci.

6) É curioso que a ofensiva da Lava Jato contra Dilma Rousseff ocorra no momento em que procuradores da República e o ex-juiz Sérgio Moro estão sob suspeita, desmascarados pelo The Intercept Brasil e demais veículos de imprensa que revelaram as manipulações e distorções feitas a respeito da gravação ilegal entre a então presidenta e o ex-presidente Lula.

7) As revelações feitas até agora pela Vaza Jato mostram um verdadeiro conluio armado para esconder informações do STF, contribuindo para o Golpe de 2016 e a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

8) Cabe ao Supremo Tribunal Federal dar um basta aos desmandos cometidos pelos procuradores da Lava Jato e reverter as condenações e sentenças forjadas na mentira e na violação de princípios constitucionais, como a presunção de inocência e o direito de defesa.

9) A intimidação não vai funcionar. Dilma Rousseff continuará lutando para desmascarar essa imensa farsa construída com o suporte da Lava Jato, reiterando as denúncias de que foi vítima de uma trama armada para derrubá-la da Presidência da República, prender Lula, impedindo-o de disputar as eleições de 2018, abrindo caminho para a chegada do candidato da extrema-direita ao Palácio do Planalto. Desde então, a democracia está sob o fogo cruzado dos amigos da ditadura, da tortura e das milícias.

10) A Justiça prevalecerá. A História não será complacente com os omissos que cederam aos encantos do poder e submeteram o país ao atraso e ao ódio.

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

11 de setembro de 2019 às 19h20

Quando se apertam, os Patifes da FTLJ largam
uma Fake News do Palocci atrás da outra.

Urge uma CPI da #VazaJato no Congresso.

Falando nisso, a CPMI das Fake News aprovou
requerimento da Deputada Luizianne Lins (PT=CE)
para ouvir representantes, no Brasil, das empresas
que administram Redes Sociais na internet.

As plataformas de redes sociais WhatsApp, Facebook,
Youtube, Instagram, Google, Twitter terão que explicar
na CPMI das Fake News do Congresso Nacional,
quais métodos utilizam para identificar e coibir
a disseminação de notícias falsas na internet.

A iniciativa partiu da deputada Luizianne Lins (PT-CE),
titular da CPMI, que apresentou na reunião de terça-feira (10)
vários requerimentos convocando os representantes legais
dessas empresas no Brasil.

Mesmo com a obstrução de parlamentares do PSL, que
tentaram adiar a votação, os requerimentos foram aprovados
pela maioria dos membros do colegiado.

A parlamentar ainda viu aprovados outros dois requerimentos
que apresentou, os quais convocam os representantes do
site The Intercept e do Telegram no Brasil, e ainda a blogueira
feminista, professora universitária e pedagoga argentina,
naturalizada brasileira, Dolores Aronovich Aguero, mais
conhecida como Lola Aronovich.

Durante a reunião, parlamentares do PSL e o senador Flávio
Bolsonaro (RJ) questionaram a presença das plataformas
de redes sociais na CPMI.

Ao defender a aprovação dos requerimentos, a deputada
Luizianne Lins explicou que é impossível investigar a
disseminação das fake news sem ouvir essas empresas.

“O objetivo dessa CPMI é entender esse processo de fake news.
É impossível investigar sem ouvir as empresas por onde essas
informações são compartilhadas.
Não consigo entender os questionamentos sobre ouvir os
responsáveis por essas empresas no Brasil.
Isso me parece confissão de culpa”, afirmou.

íntegra:
https://ptnacamara.org.br/portal/2019/09/11/cpmi-das-fake-news-aprova-requerimento-de-luizianne-lins-para-ouvir-representantes-de-redes-sociais/

Responder

Zé Maria

11 de setembro de 2019 às 19h09

Mercredi, 11 Septembre, 2019

L’Humanité

Éditorial: https://t.co/ONsygsZmqP
Tradução: https://t.co/hDk1OLmKeh

LULA LIBRE

Les politiques sociales de Lula avaient sorti 40 millions de Brésiliens de la misère. Lorsqu’il a quitté le pouvoir après deux mandats, donné largement favori aux élections, il jouissait de 90 % d’opinions favorables dans la population.

« Nous n’abandonnerons pas la lutte tant que le Brésil et les Brésiliens ne seront pas heureux à nouveau », écrivait Lula depuis sa prison aux lecteurs de l’Humanité, le 7 avril dernier. Nos colonnes non plus ne renonceront pas. Plus un jour ne passe sans que les frasques lamentables du président d’extrême droite ne fassent les gros titres. Incarnation du fascisme au service de l’agrobusiness, soutenu et financé par les patrons et les banquiers, Jair Bolsonaro tue un peu plus chaque jour les conquis sociaux et démocratiques du Brésil.

Les politiques sociales de Lula avaient sorti 40 millions de Brésiliens de la misère. Lorsqu’il a quitté le pouvoir après deux mandats, donné largement favori aux élections, il jouissait de 90 % d’opinions favorables dans la population. Donc l’arrivée au pouvoir de ce nostalgique de la dictature militaire qui assume sans complexe sa volonté de raser une partie de l’Amazonie et d’anéantir des populations autochtones n’était pas inévitable. Elle est l’aboutissement d’une cabale, assumons le mot ici, d’un complot, pour déloger la gauche au pouvoir.

Les faits, rien que les faits : en 2018, à l’issue d’un procès inique où il est accusé d’avoir bénéficié de largesses d’entreprises du BTP, un appartement à São Paulo, Lula est condamné à douze ans d’emprisonnement sans aucune preuve, exclusivement sur la base des « convictions » du juge Moro, devenu entre-temps ministre de la Justice de… Jair Bolsonaro. Sa sentence ne repose que sur la « délation récompensée » d’un ancien cadre de l’entreprise qui a joui d’une remise de peine à la faveur de son témoignage à charge contre Lula. Ce simulacre de justice cache mal un véritable coup d’État institutionnel, comme celui intenté deux ans plus tôt pour destituer Dilma Rousseff.

Ce week-end, à La Courneuve, l’ex-présidente du Brésil se joindra au peuple de la Fête de l’Humanité pour entonner « Lula libre », afin que la campagne internationale pour sa libération s’amplifie. Lula derrière les barreaux, c’est l’espoir de tout un peuple qui est condamné.

Par Maud Vergnol

https://www.humanite.fr/editorial-lula-libre-676928
https://twitter.com/LulaOficial/status/1171822027898007555

Tradução para o Português:
https://lula.com.br/jornal-frances-lhumanite-publica-editorial-por-lula-livre-leia-a-integra/

Responder

Marys

11 de setembro de 2019 às 19h03

Dilma guerreira do povo brasileiro!
Hoje, vejo sua garra na defesa da Petrobrás e do patrimônio nacional, pq o sistema golpista que se instalou no seu lugar e gerou o Bolsonarismo(discurso patriota que vende a pátria visando abastecer o próprio bolso) revelou com clareza solar o que o Congresso eo empresariado nacional não tinham forças para mostrar nos governos Petistas. Agora, têm e o fazem do modo mais canalha possível, como se os interesses públicos só a eles pertencessem.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.