VIOMUNDO

Diário da Resistência


Com posse de Bolsonaro, salário de amigo do peito do Mito triplica para R$ 50 mil mensais
Reproduçãp Facebook
Política

Com posse de Bolsonaro, salário de amigo do peito do Mito triplica para R$ 50 mil mensais


11/01/2019 - 14h14

‘Amigo particular’ de Bolsonaro vira gerente na Petrobras

Capitão da reserva da Marinha, Carlos Victor Guerra Nagem é funcionário da estatal há 11 anos; ele já disputou duas eleições

Fabio Grellet, no Terra

RIO – Um capitão-tenente da reserva da Marinha classificado como “amigo particular” do presidente Jair Bolsonaro (PSL) foi indicado para assumir a gerência executiva de Inteligência e Segurança Corporativa da Petrobras.

Carlos Victor Guerra Nagem é funcionário da estatal há 11 anos e atualmente trabalha em Curitiba.

Desde que ingressou na Petrobras, Nagem se licenciou em duas ocasiões, para disputar as eleições de 2002 e de 2016, usando a alcunha de Capitão Victor e filiado ao PSC (partido que Bolsonaro integrou e pelo qual o atual presidente foi eleito deputado federal em 2014).

Na primeira, Capitão Victor tentou se eleger deputado federal pelo Paraná. Na segunda disputou uma cadeira de vereador em Curitiba. Nas duas foi derrotado.

Em 2016, Bolsonaro gravou um vídeo em que pede votos para o candidato que classificou como “meu amigo particular”: “É um homem, um cidadão que conheço há quase 30 anos. Um homem de respeito, que vai estar à disposição de vocês na Câmara lutando pelos valores familiares. E quem sabe no futuro tendo mais uma opção para nos acompanhar até Brasília”, afirma o atual presidente no vídeo de 2016. “Todos nós ganharemos”, continua Bolsonaro.

Na campanha, um dos slogans do Capitão Victor afirma que “Bolsonaro (o) indicou”.

Experiência na estatal

Em nota, a Petrobras confirmou a indicação e afirmou que o nome ainda “será submetido aos procedimentos internos de governança corporativa”.

Segundo a estatal, Nagem é graduado em Administração pela Escola Naval e há seis anos atua na área de Segurança Corporativa da Petrobras.

A empresa afirma ainda que o indicado possui mestrado em Administração pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e tem dez anos de experiência como professor no ensino superior.

Nesta quinta-feira, às 23h, Bolsonaro divulgou no Twitter a indicação.

“A seguir, o currículo do novo gerente executivo de Inteligência e Segurança da Petrobras, mesmo que muitos não gostem, estamos no caminho certo”, escreveu no post.

De acordo com o site O Antagonista, o anúncio foi feito por videoconferência para os funcionários ontem.

O salário dele na empresa, segundo o site, passará de R$ 15 mil mensais para mais de R$ 50 mil.

Capitão Victor vai substituir Regina de Luca, indicada pelo ex-presidente da Petrobras Pedro Parente.

Leia também:

Filho de Mourão emplaca salário de R$ 37 mil mensais

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



Nenhum comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!