VIOMUNDO

Diário da Resistência


Carone: Zema trai a confiança dos eleitores mineiros; Novo é o novo PSDB
Política

Carone: Zema trai a confiança dos eleitores mineiros; Novo é o novo PSDB


02/02/2019 - 19h32

Zema, o Cavalo de Troia

por Marco Aurélio Carone, no NovoJornal

Analistas políticos são unânimes na análise que a eleição de Romeu Zema para o governo de Minas Gerais só ocorreu em função de sua apresentação no período eleitoral como não politico, além da promessa de não adotar em seu governo o fisiologismo dos “finórios tradicionais”.

Em síntese um novo modelo de governar.

Hoje, em função de suas decisões e escolhas, os mesmos analistas entendem que ele e seu partido foram utilizados estrategicamente por antigas lideranças politicas, cientes da insatisfação da população com seus nomes e práticas.

Tal análise torna-se crível diante da desenvoltura e rapidez na adesão do governador ao modelo e método que combatia.

Este comportamento vem causando, além de decepção aos eleitores, a morte prematura das carreiras dos parlamentares eleitos em função da proposta do partido Novo.

Alguns destes, já deixaram claro que não concordam com a mudança de rumo, porém serão tragados pelo julgamento popular, por fazerem parte do mesmo partido do governador.

As decisões políticas de Zema deixam claro que a imagem passada durante a campanha de “não político” era irreal e a proposta do partido Novo uma utopia a serviço da mesma estratégia narrada por Homero, do artifício de Ulisses na guerra de Troia para invadir a cidade utópica.

Utopia, palavra grega que significa “lugar nenhum” e o rumo do partido Novo. Caminhando a passos largos para os braços de Hades, deus do mundo subterrâneo.

Pois para o interior do governo do Novo caminham figuras sombrias, o que sobrou de pior na politica e administração pública mineira, que fatalmente, assim como fizeram no passado saquearam as finanças públicas mantendo o povo mineiro escravo.

Evidente que soluções existiam. Bastava Zema convocar a qualificada mão de obra da Escola de Governo da Fundação João Pinheiro, referência nacional e internacional, assim como desse espaço no legislativo para seus colegas de partido.

Indiscutivelmente ele traiu a confiança depositada pelos eleitores mineiros no projeto que ele representava.

“A política ama a traição, mas abomina o traidor”.

A frase de Brizola trata de episódios no mundo político. Onde a busca pelo poder e pela salvação pessoal e econômica motivaram traições históricas no Brasil e no mundo.

No entanto, aqueles que traíram, por mostrarem sua baixa confiabilidade, dificilmente conseguiram alcançar o prestígio desejado.

Joaquim Silvério dos Reis, um português que vivia no Brasil Colônia, era coronel da cavalaria, fazendeiro, proprietário de minas de ouro e estava falido devido aos altos impostos cobrados pela coroa portuguesa.

Isso o levou a participar do movimento que ficou conhecido como “Inconfidência Mineira”, que tinha como objetivo libertar o Brasil do regime colonial.

Contudo, em 1789, ele delatou o movimento ao governador de Minas Gerais, o Visconde de Barbacena, em troca do perdão de suas dívidas e de alguns outros privilégios.

A traição levou todos os Inconfidentes à prisão e ao posterior enforcamento de Tiradentes.

A imagem de traidor perseguiu Silvério dos Reis durante o resto da sua vida e até após a morte: seu túmulo foi destruído por populares.

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



22 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Jaime

03 de fevereiro de 2019 às 22h03

Escreveu e escreveu… E…????!!!!! Citou um passado histórico mundial… E eu querendo saber o que ele fez… Artigo tendencioso.

Responder

Matheus Colle

03 de fevereiro de 2019 às 20h25

Que reportagem ruim. Não fala das decisões do governador que está há UM MÊS no poder. Só ficou contornando falando de conceitos e história. Uma reportagem assim só faz passar vergonha.

Responder

Marlon Menezss

03 de fevereiro de 2019 às 17h59

Cita analistas mas não cita fontes, diz que ele faz escolhas que o alinha com a velha política mas não diz quais escolhas são essas. Quais decisões políticas? qual o contexto? Um texto cheio de citações, comparações históricas, metáforas, acusações, mas sem conteúdo algum.

Responder

Coutinho

03 de fevereiro de 2019 às 16h08

“Analistas políticos são unânime…”
Quanta besteira.

Responder

Vinicius Santos

03 de fevereiro de 2019 às 15h10

Um artigo de opinião completamente desprovido de conteúdo. Fala-se de analistas genéricos, más decisões políticas sem que se diga quais foram elas, fala-se de uma fantasiosa decepção popular, sendo que o governo, que existe há um mês, até o momento vem cumprindo as pautas de campanha.

Responder

Carlos Liporati

03 de fevereiro de 2019 às 14h12

Seus patrocinadores deveria pegar o dinheiro de volta, nem criticar você sabe. Um texto em que vc mistura uma informação com a outra, nem em ficção faz sucesso.
Aprender a levantar uma idéia deve ser o principal, antes de entender o mundo político.
Afinal, quem está te pagando mesmo?

Responder

    Conceição Lemes

    04 de fevereiro de 2019 às 08h07

    E vc deveria aprender português antes de criticar.sds

Tulio

03 de fevereiro de 2019 às 12h12

Essa escola de governo é lixo burocrático. Funcionários ganhando mais de 20.000 por mês. Novos marajás. Se ele fez isso, ignorou essa troça, está de parabéns. Essa escolinha é resquício e dejeto criado pelo do abominável escroque, anastasia. Parabéns Zema. Vc não alinhou com a elite podre que se mantinha no poder. Fora marajás !!!

Responder

Thales R. S.

03 de fevereiro de 2019 às 11h42

Besteira o cara está a 1 mês no governo, quer falar [email protected] espera um ano. Chega a ser [email protected] críticar alguém com o mês de trabalho é uma vergonha.

Responder

Fernando

03 de fevereiro de 2019 às 10h29

Imagine alguém ler apenas duas linhas da sua nobre reportagem e tirar conclusões. Acredito que um mês é muito pouco para um julgamento carregado de rancor como esse seu, talvez porque não esteja sobrando os dividendos que outrora lhe beneficiava, ou algo de cunho pessoal, mas julgar um mandato por um mês é algo no mínimo estranho, tendencioso e covarde.

Responder

Douglas Matoso

03 de fevereiro de 2019 às 09h11

Falou muito mas não citou nenhuma decisão dele que tenha ido contra às propostas apresentadas durante e campanha. Artigo muito vago.

Responder

EDUARDO P FILHO

03 de fevereiro de 2019 às 09h00

Reportagem sem sustentação.
Não são pontuadas de forma clara as atitudes do Zema da qual não sustenta a base ideológica do Novo. O que o Romeu fez? Quais suas atitudes?
Da a impressão que é uma oposição fazendo a caveira do governo.
Será mesmo? Vou analisar melhor em outras matérias o viés do Marco Aurélio Caroli, redator desta matéria, se ele é confiável ou é vendido como outros jornalistas barato, trazendo um ponto de vista unilateral e próprio.

Responder

Eduardo Andreazza Fonseca

03 de fevereiro de 2019 às 08h47

Não concordo, estado mineiro esta passando por dificuldades e qualquer tomada de decisão tem que ser bem pensada. Se fosse fácil governar como fala a reportagem o escritor deveria se candidatar a governador do seu estado.

Acredito no trabalho do Zema, em pouco tempo vem dando satisfações e esclarecimentos sobre todos os passos. Infelizmente teve que administrar uma grande tragédia logo no início.

#forçaminas
#forçazema

Responder

Zé Maria

03 de fevereiro de 2019 às 00h40

O Partido Novo [sic] foi organizado pela canalhada
do Instituto Millenium e da Casa das Garças, articulados com a Rede Globo e Empresas de Comunicação de São Paulo.

Responder

a.ali

02 de fevereiro de 2019 às 22h54

essa de “um novo modelo de governar” é uma estratégia antiga de fazer o que sempre foi feito, quem ñ desconfia é desinformado e vive caindo nesse papo de esperto prá pegar otário.

Responder

Zé Maria

02 de fevereiro de 2019 às 22h53

A “Nova Velha Política” nos Phodêres da Ré-Pública…

Patrimonialista, Oligárquica, Elitista, Feudal e Cruel…

https://exame.abril.com.br/brasil/quem-e-davi-alcolumbre-o-novo-presidente-do-senado/

Quais Senadores votaram a favor de Aécio Neves, quando o Senado derrubou a decisão da 1ª Turma do STF
que havia determinado o afastamento de Aécio Neves (PSDB-MG)
do mandato de senador:

PRÓ-AÉCIO
Airton Sandoval (PMDB-SP)
Antonio Anastasia (PSDB-MG)
Ataídes Oliveira (PSDB-TO)
Benedito de Lira (PP-AL)
Cássio Cunha Lima (PSDB-PB)
Cidinho Santos (PR-MT)
Ciro Nogueira (PP-PI)
Dalírio Beber (PSDB-SC)
Dário Berger (PMDB-SC)
DAVI ALCOLUMBRE (DEM-AP)
Edison Lobão (PMDB-MA)
Eduardo Amorim (PSDB-SE)
Eduardo Braga (PMDB-AM)
Eduardo Lopes (PRB-RJ)
Elmano Férrer (PMDB-PI)
Fernando Coelho (PMDB-PE)
Fernando Collor (PTC-AL)
Flexa Ribeiro (PSDB-PA)
Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN)
Hélio José (PROS-DF)
Ivo Cassol (PMDB-RO)
Jader Barbalho (PMDB-PA)
José Agripino Maia (DEM-RN)
José Maranhão (PMDB-PB)
José Serra (PSDB-SP)
Maria do Carmo Alves (DEM-SE)
Marta Suplicy (PMDB-SP)
Omar Aziz (PSD-AM)
Paulo Bauer (PSDB-SC)
Pedro Chaves (PSC-MS)
Raimundo Lira (PMDB-PB)
Renan Calheiros (PMDB-AL)
Roberto Rocha (PSDB-MA)
Romero Jucá (PMDB-RR)
Simone Tebet (PMDB-MS)
Tasso Jereissati (PSDB-CE)
Telmário Mota (PTB-RR)
Valdir Raupp (PMDB-RO)
Vicentinho Alves (PR-TO)
Waldemir Moka (PMDB-MS)
Wellington Fagundes (PR-MT)
Wilder Morais (PP-GO)
Zezé Perrella (PMDB-MG)

https://g1.globo.com/politica/noticia/veja-como-votou-cada-senador-na-sessao-que-derrubou-afastamento-de-aecio.ghtml

Responder

Marcelo Balieiro Fischer

02 de fevereiro de 2019 às 21h10

Que artigo vazio, uma crítica sem conteúdo nenhum. Terminamos de ler e ficamos sem saber: afinal, o que Zema fez???

Responder

Zé Maria

02 de fevereiro de 2019 às 20h46

Zema e Aécio fizeram um acordo de não-agressão no 1º turno,
para só bater no PT e tirar o petista Pimentel do 2º turno.

Responder

    Felipe

    03 de fevereiro de 2019 às 15h29

    Zé Maria, acho improvável esse acordo. Haja vista que um foi candidato a governador (Zema) e outro candidato a deputado (Aécio). Não houve debate entre os três. Então essa informação não procede.

    winnicyus

    03 de fevereiro de 2019 às 17h42

    Zé Maria tu só pode ter fumado um baseado dos grandes, Zema disputou eleição contra o Anastásia, e eu como mineiro sei que o estado não tem condições para nada, se vc veio aqui defender a gestão do Pimentel, deixa de ser canalha e diga isso logo.

    Leandro

    03 de fevereiro de 2019 às 20h06

    Blá blá blá…cadê as provas? Onde vc leu? Para de criar fantasias! Acorda pra vida e para de viajar, petista chorão…


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

Últimas matérias
Bebianno só acredita “quando sair o papel com a exoneração” e teria dito a interlocutor que com sua demissão “o Brasil vai tremer”

Da Redação  “Eu quero ver o papel com a exoneração, a hora em que sair o papel com a exoneração é porque eu fui exonerado”, afirmou aos jornalistas neste sábado Gustavo Bebianno, o ministro da Secretaria Geral da Presidência. O cala boca de Bebianno, agora acusado de ter vazado conversas sigilosas entre ele e Jair […]

Ler matéria