VIOMUNDO

Diário da Resistência


Bolsonaro faz o Brasil passar vergonha em todo o mundo: agora, em Israel, na França e nos Estados Unidos
Ed Reed/Prefeitura de Nova York
Política

Bolsonaro faz o Brasil passar vergonha em todo o mundo: agora, em Israel, na França e nos Estados Unidos


14/04/2019 - 14h47

Acima, o trecho da entrevista em que Bill de Blasio diz que Bolsonaro é uma ameaça a ser confrontada 

Mesmo que a Amazônia seja vital para a humanidade, e os povos indígenas sejam seus principais defensores, ele [Bolsonaro] está tentando nos separar de nossos apoiadores internacionais, ameaçando expulsar as organizações aliadas sob o pretexto de que elas interferem na soberania do país. Carta escrita por líderes da Aliança de Povos Indígenas no diário francês Le Monde

Este é um evento externo e privado que não reflete a posição do Museu [de História Natural] de que é urgente preservar a Floresta Amazônia, o que tem profundas implicações para a diversidade biológica, comunidades indígenas, mudança do clima e a futura saúde de nosso planeta. Roberto Lebron, porta-voz do Museu de História Natural de Nova York, ao site Gothamist

Nós sempre iremos nos opor a aqueles que negam a verdade ou aos que desejam expurgar nossa memória — nem indivíduos ou grupos, nem líderes de partidos ou premiês. Nós nunca vamos perdoar nem esquecer. Reuven Rivlin, presidente de Israel, sobre declaração de Bolsonaro a líderes evangélicos de que o Holocausto não pode ser esquecido, mas pode ser perdoado

Da Redação

Os sites apoiadores de Jair Bolsonaro estão pintando o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, de globalista, comunista e, “pior de tudo”, amigo íntimo de George Soros.

O fato é que ele mesmo se define como um social democrata, cuja grande promessa é dar aos trabalhadores dos Estados Unidos duas semanas de férias pagas!

Blasio considera concorrer à Casa Branca no ano que vem, mesmo diante do favorito, Bernie Sanders, de 77 anos de idade.

Ele testa as águas com um discurso de centro-esquerda, que tem o combate ao aquecimento global como um dos temas mais importantes da plataforma.

O Museu de História Natural de Nova York é parcialmente financiado pela Prefeitura de Nova York, por isso Blasio foi chamado a falar sobre a homenagem a Jair Bolsonaro prevista para acontecer em maio no museu.

Foi durante uma entrevista à WNYC, uma das rádios públicas de Nova York.

Blasio disse respeitar a primeira emenda à Constituição dos Estados Unidos, que garante a liberdade de expressão, mas apontou para a contradição de uma entidade simbólica da luta em defesa do meio ambiente receber em um de seus principais salões um líder que potencialmente pode devastar a Amazônia.

O prefeito de Nova York afirmou que Bolsonaro é alguém a ser confrontado permanentemente.

“Pedimos ao Museu que não permita que ele seja recebido lá”, disse o prefeito ao apresentador Brian Lehrer, que afirmou que quando soube da notícia pensou tratar-se de mentira de primeiro de abril (ver íntegra de pergunta e resposta acima, em inglês).

A fala de Blasio veio dias depois de uma aliança indígena ter publicado carta no diário francês Le Monde dizendo que a Amazônia está próxima de um “apocalipse” e sugerir que Bolsonaro quer expulsar da região as ONGs internacionais que trabalham pela preservação da floresta e pelos direitos dos indígenas.

Museu de Nova York não quer sediar homenagem a Bolsonaro

Cyntia Campos, PT no Senado

O Museu Americano de História Natural “avalia opções” para cancelar aluguel de suas dependências para a premiação de Bolsonaro como “Pessoa do Ano” pela Câmara de Comércio Brasil-EUA

“O evento externo e privado no qual o atual presidente do Brasil será homenageado foi agendado antes da escolha do laureado. Estamos profundamente preocupados e avaliando nossas opções”.

Este é o texto divulgado pelo Twitter, no final da noite da última quinta-feira (11), pelo prestigiado Museu Americano de História Natural, sediado em Nova York.

Dependências do museu foram alugadas para a realização da cerimônia de entrega do prêmio “Pessoa do ano” da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, marcada para 14 de maio.

A locação de dependências para eventos privados — formaturas, casamentos e solenidades — em museus e outros edifícios do gênero, como a Biblioteca Pública de Nova York, é uma prática corriqueira nos Estados Unidos, mas reação da opinião pública a uma homenagem a Bolsonaro nas dependências do Museu de Historia Natural, um dos mais populares da cidade, levou a instituição a considerar o cancelamento do contrato.

A postagem está afixada no topo da página do museu no Twitter, recurso utilizado quando se quer manter um conteúdo permanentemente visível.

Até o início da tarde desta sexta-feira, 15 horas após a publicação, o tweet já contava com 926 compartilhamentos (retweets), 3,9 mil likes e 1.000 comentários — a vasta maioria dos quais pedem à instituição que cancele a realização da homenagem em suas dependências.

O prêmio de “Pessoa do Ano” é entregue anualmente pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos a duas personalidades, uma norte-americana e outra brasileira. As solenidades reúnem um milhar de convidados que pagam entradas de US$ 30 mil por cabeça.

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



17 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Cláudio

15 de abril de 2019 às 04h12

#LulaLivre
#AssangeLivre
#FreeAssange

Responder

Luiz

14 de abril de 2019 às 21h12

Pagar 30 mil para ver Bolsonaro é ruim hein..

Responder

Zé Maria

14 de abril de 2019 às 20h35

https://t.co/FMZ18rdgVu

Paulo Freire é estudado nas 20 melhores universidades do planeta

Obra “Pedagogia do Oprimido” é a terceira mais citada do mundo
nas Ciências Humanas.

Por André Azevedo da Fonseca (*), no HuffPost BR

Trabalho com a pedagogia freireana há 15 anos, produzi uma série de vídeos no meu canal no YouTube para discutir Paulo Freire e criei um curso online para ensinar a Pedagogia da Autonomia.
Por isso, às vezes me
– mas onde Paulo Freire deu certo? Me diga onde os seus livros são estudados?

Quando explico que Paulo Freire está presente nos currículos das universidades mais importantes do planeta, pessoas que foram enganadas por charlatões de redes sociais ficam surpresas e se recusam a acreditar.
E passam a “refutar” com slogans que reproduzem os mesmos preconceitos de sempre.

Neste artigo demonstro como é fácil verificar a presença de Paulo Freire nas 20 melhores universidades do mundo, segundo o World University Ranking.
Espero que essa informação contribua para que o questionamento seja respondido de forma objetiva.

Funciona assim:
o Google oferece uma fórmula simples para buscar ocorrências a um termo dentro de um mesmo domínio.
Digamos, se você quer encontrar as menções a qualquer livro ou autor
dentro do site da Universidade de Harvard, basta buscar o termo acrescido
do código site:harvard.edu.

Deste modo, podemos conferir facilmente a presença de Paulo Freire em bibliografias de disciplinas, planos de aula, relatórios, projetos de pesquisa, monografias, dissertações, teses, artigos, conferências, seminários, colóquios e outros documentos acadêmicos disponibilizados no interior dos sites dessas instituições.
E é claro, ao acessar os arquivos, é possível realizar uma análise qualitativa e verificar como Freire é um autor respeitado e influente no campo da educação, nos estudos de criatividade e na área dos direitos humanos.

Ao lado da busca pelo autor, incluí também os links que indicam as referências ao livro Pedagogia do Oprimido (traduzido como Pedagogy of the Oppressed) no site dessas universidades.
A busca por este livro é particularmente interessante porque esta é a terceira obra mais citada no mundo no campo das Ciências Humanas.

Veja aqui a contagem de citações no Google Acadêmico:
https://scholar.google.com.br/scholar?cites=16821698212665309865&as_sdt=2005&sciodt=0,5&hl=pt-BR

Não acreditem em mim: confiram os links com os próprios olhos.
A lista respeita a ordem do ranking das melhores universidades do mundo do World University Ranking de 2018.
Em algumas universidades há centenas de referências.
Em outras, há algumas dezenas.

Mantive todas, incluindo as universidades mais voltadas à engenharia e tecnologia.
Preste particular atenção nas universidades que são referência mundial em Educação e Humanidades, como Stanford, Universidade de Chicago, Johns Hopkins University, Universidade da California e Universidade de Michigan, por exemplo.

Vamos aos links (**):

University of Oxford -Referências a Paulo Freire em Oxford | Citações ao livro “Pedagogy of the Oppressed” em Oxford

University of Cambridge -Referências a Paulo Freire em Cambridge | Citações ao livro “Pedagogy of the Oppressed” em Cambridge

Stanford University -Referências a Paulo Freire em Stanford | Citações ao livro “Pedagogy of the Oppressed” em Stanford

Massachusetts Institute of Technology -Referências a Paulo Freire no M.I.T. | Citações ao livro “Pedagogy of the Oppressed” no M.I.T.

California Institute of Technology -Referências a Paulo Freire em Caltech | Citações ao livro “Pedagogy of the Oppressed” em Caltech

Harvard University -Referências a Paulo Freire em Harvard | Citações ao livro “Pedagogy of the Oppressed” em Harvard

Princeton University -Referências a Paulo Freire em Princeton | Citações ao livro “Pedagogy of the Oppressed” em Princeton

Yale University -Referências a Paulo Freire em Yale | Citações ao livro “Pedagogy of the Oppressed” em Yale

Imperial College London -Referências a Paulo Freire no Imperial College London | Citações ao livro “Pedagogy of the Oppressed” no Imperial College London

University of Chicago -Referências a Paulo Freire na University of Chicago | Citações ao livro “Pedagogy of the Oppressed” na University of Chicago

ETH Zurich -Referências a Paulo Freire na Universidade de Zurich | Citações ao livro “Pedagogy of the Oppressed” na Universidade de Zurich

Johns Hopkins University -Referências a Paulo Freire na John Hopkins University | Citações ao livro “Pedagogy of the Oppressed” na John Hopkins University

University of Pennsylvania -Referências a Paulo Freire na University of Pennsylvania | Citações ao livro “Pedagogy of the Oppressed” na University of Pennsylvania

UCL -Referências a Paulo Freire na UCL | Citações ao livro “Pedagogy of the Oppressed” na UCL

University of California, Berkeley -Referências a Paulo Freire na University of California, Berkeley | Citações ao livro “Pedagogy of the Oppressed” na University of California, Berkeley

Columbia University -Referências a Paulo Freire na Columbia University | Citações ao livro “Pedagogy of the Oppressed” na Columbia University

University of California, Los Angeles -Referências a Paulo Freire na University of California, Los Angeles | Citações ao livro “Pedagogy of the Oppressed” na University of California, Los Angeles

Duke University -Referências a Paulo Freire na Duke University | Citações ao livro “Pedagogy of Oppressed” na Duke University

Cornell University -Referências a Paulo Freire na Cornell University | Citações ao livro “Pedagogy of the Oppressed” na Cornell University

University of Michigan -Referências a Paulo Freire na University of Michigan | Citações ao livro “Pedagogy of Oppressed” na University of Michigan

Como sugestão para prosseguir o exercício, sugiro realizar a mesma busca em outras universidades situadas entre as 50 melhores do planeta. Além disso, seria interessante, em termos de comparação, fazer o mesmo exercício com outros pensadores brasileiros das mais diversas áreas.

Desse modo, será possível constatar qual é o autor brasileiro mais influente e estudado nas universidades mais importantes do mundo. E quem sabe, aprender com ele, em vez de desperdiçar a própria inteligência com preconceitos de redes sociais.

(*) André Azevedo da Fonseca é Professor e Pesquisador
na Universidade Estadual de Londrina

(**) Acesse os Links em:

https://www.huffpostbrasil.com/entry/paulo-freire-universidades_br_5c7afa9ce4b0bb3ddff1afcc

Responder

Zé Maria

14 de abril de 2019 às 20h21

https://twitter.com/i/status/1117549437977550848

“Enquanto uns tentam descredibilizar Paulo Freire,
o educador é estudado nas 20 Melhores Universidades do Planeta,
e sua obra ‘Pedagogia do Oprimido’ é a terceira mais citada do mundo
nas Ciências Humanas”

https://twitter.com/MidiaNINJA/status/1117549437977550848

Infelizmente, na eleição presidencial passada,
a maioria dos eleitores, quiçá por desinformação,
preferiu o Coronel Torturador Carlos Alberto Ustra
ao Mestre da Educação Paulo Freire.

https://oglobo.globo.com/sociedade/deputado-defende-que-livros-de-olavo-de-torturador-sirvam-de-material-para-alunos-23554979

Responder

Zé Maria

14 de abril de 2019 às 19h58

https://i1.wp.com/www.apostagem.com.br/wp-content/uploads/2019/04/screenshot_20190414-183536285361203..jpg

Eleitora de Jair Bolsonaro pede desculpas
pelo erro cometido de votar 17 no 2º Turno:

“Acreditei cegamente nas promessas a favor do Brasil,
na suposta luta contra a corrupção e organizações criminosas
e na nomeação de cargos técnicos para os ministérios, por exemplo.
Me deparo hoje, pouco mais de 100 dias de governo,
com um asno perdido a frente de sua récova, com seus amigos jumentos
a passear pelo país, apresentando propostas deploráveis, se portando
como juvenis sem escrúpulos, totalmente alheios a verdadeira realidade
e necessidade do Brasil e dos brasileiros.
Indivíduos desinformados, com a moral distorcida, dando continuidade
as castas já instauradas. Foi e está sendo um golpe baixo e covarde.
Me sinto em parte responsável por isso e no dever de retribuir de alguma forma
na reparação dos danos que serão causados a nosso país.”

Carina Faggiani, no Facebook

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=2164823286898633&id=100001129479325

Responder

Zé Maria

14 de abril de 2019 às 19h48

https://pbs.twimg.com/media/D4JTqiKXoAEppIz.jpg
Atualmente, somente os Vermes Encasulados
continuam apoiando o (des)governo do Mitomano.

Responder

Zé Maria

14 de abril de 2019 às 18h48

Aproveitando a Fama que o Governo Bolsonaro lhe deu,
o Astrólogo da Virgínia, Mercenário da imbecilidade,
inventou mais uma pra arrecadar dinheiro dos BolsoAsnos:

“Me arrumem um patrocinador que permita tornar
o COF [Curso Online de Filosofia (SIC!!!] gratuito
para todos os brasileiros.
Em uma geração o Brasil estará de pé, vencedor e glorioso.
Generais e acadêmicos não podem ajudar em nada.
Já pensaram — milhões de brasileirinhos descrevendo
o despertar da sua inteligência como hoje o descrevem
milhares de alunos do COF?”
.
E o Dudu Pintinho, Nº 3 do Jair, delirou vibrando:

“Olavo quer tornar seu curso gratuito para todos os brasileiros.
Isso sim seria um duríssimo golpe na esquerda!!!”

Agora vai! …
Definitivamente pro Hospício …

Responder

Zé Maria

14 de abril de 2019 às 18h06

“O movimento cultural que ocorre no Brasil ocorre da exata mesma
e mesma forma no Chile, Inglaterra, França e, claro, nos EUA.
Isso visa a construção de um novo mundo suprimindo as culturas locais.
Depois falamos que são GLOBALISTAS e ainda há quem queira fazer chacota conosco.”

Esse amontoado de palavras foi escrito pelo Dudu Pintinho, o Nº 3 do Jair,
e servirá para uma Pesquisa de Psiquiatria sobre a Globalização da idiotice.
https://twitter.com/BolsonaroSP/status/1117068403322257408

Responder

Zé Maria

14 de abril de 2019 às 17h48

https://twitter.com/i/status/1116752501217419267
Perdoar o Holocausto é perdoar o Nazismo.
Foi o que o Jair Bolsonaro quis dizer…
.
Dos nove milhões de judeus
que residiam na Europa antes do Holocausto,
cerca de dois terços [6 Milhões] foram mortos;
mais de um milhão de crianças,
dois milhões de mulheres e
três milhões de homens judeus
morreram durante o período.
https://twitter.com/AldoAldo2019/status/1116752501217419267

“Não é direito de nenhuma pessoa determinar
se crimes hediondos do Holocausto podem ser perdoados”,
diz comunicado divulgado pelo Memorial israelense;
presidente de Israel também se manifestou contra Bolsonaro:
“Nós nunca vamos perdoar ou esquecer”

https://twitter.com/AldoAldo2019/status/1117239841048100864

Responder

Zé Maria

14 de abril de 2019 às 17h39

“Se o nazismo fosse de esquerda,
Bolsonaro não teria perdoado o Holocausto.”

Professor Fernando Haddad

https://twitter.com/Haddad_Fernando/status/1116809392312213504

Responder

Zé Maria

14 de abril de 2019 às 16h42

https://t.co/5tHYPYOzSw

Pesquisadores e Funcionários de Museu de História Natural de NY nos EUA
programam protesto e pedem cancelamento de evento com Bolsonaro.

https://twitter.com/dw_brasil/status/1117114066693185537
https://www.dw.com/pt-br/festa-para-bolsonaro-gera-cr%C3%ADticas-em-nova-york/a-48316814

Responder

    Zé Maria

    14 de abril de 2019 às 20h44

    https://twitter.com/search?q=%23CancelBolsonaro

    Participe da Campanha: @AMNH #CancelBolsonaro

    E Responda aos Tuítes: https://twitter.com/AMNH

    Zé Maria

    14 de abril de 2019 às 20h50

    Duas Coisas Totalmente Opostas,
    no Sentido mais Amplo:
    Ciência e (des)governo Jair Bolsonaro

    Zé Maria

    16 de abril de 2019 às 21h43

    CANCELADO!!!
    O Brasil Agradece o Apoio de [email protected]!

    Muito Obrigado, Sr. De Blasio!
    Obrigado, Museu Americano de História Natural!

    “Com respeito mútuo pelo trabalho e pelos objetivos de nossas organizações individuais, concordamos em conjunto que o Museu não é o local ideal
    para o jantar de gala da Câmara de Comércio Brasil-EUA.
    Este evento tradicional terá lugar em outro local na data e hora originais.”

    Museu Americano de Historia Natural

    https://twitter.com/AMNH/status/1117904122580099072

    “Jair Bolsonaro é um homem perigoso.
    Seu racismo evidente, homofobia e decisões destrutivas terão um impacto
    devastador no futuro do nosso planeta.
    Em nome de nossa cidade, obrigado a @ AMNH por cancelar este evento.”

    Bill De Blasio
    Prefeito de Nova Iorque

    https://twitter.com/NYCMayor/status/1118198898617667585

    Zé Maria

    16 de abril de 2019 às 21h51

    Museu de História Natural de NY
    rejeita sediar homenagem a Bolsonaro

    Instituição negociou cancelamento de evento
    da Câmara de Comércio Brasil-EUA
    que agraciaria presidente.
    Museu disse não concordar
    com “os objetivos declarados” do Governo

    | 16 ABR 2019 | Reportagem: Diogo Magri | El País BR |

    O Museu Americano de História Natural de Nova York informou nesta segunda-feira que não abrigará o evento da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos no qual o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, receberá o prêmio de “Pessoa do Ano”. O tradicional museu da cidade já havia demonstrado nos últimos dias preocupação com a realização do jantar de gala no local por conta dos “objetivos declarados da atual administração brasileira” e optou por informar a recusa a sediar o evento por meio de sua conta oficial no Twitter.

    “Com respeito mútuo pelo trabalho e pelos objetivos de nossas organizações individuais, concordamos em conjunto que o museu não é o local ideal para o jantar de gala da Câmara de Comércio Brasil-EUA. Este tradicional evento terá lugar em outro local na data e hora originais”, informou o museu, em português. Antes, a instituição também utilizou a língua portuguesa para “agradecer às pessoas que expressaram sua opinião sobre o evento”, “deixar claro que o museu não convidou o Presidente” e se declarar “profundamente preocupados” com a homenagem a Bolsonaro. Houve movimentos online, incluindo uma petição, pedindo que o museu se recusasse a abrigar o evento.

    Em fevereiro, o presidente foi escolhido como “Pessoa do Ano” pela Câmara de Comércio, que premia há 49 anos líderes brasileiros e americanos reconhecidos por se esforçar para aproximar diplomaticamente Brasil e EUA. Na época, a câmara afirmou que o prêmio era um “reconhecimento de sua intenção fortemente declarada de fomentar laços comerciais e diplomáticos mais próximos entre Brasil e Estados Unidos, e seu firme comprometimento em construir uma parceria forte e duradoura entre as duas nações”. Sergio Moro, então juiz responsável pela Operação Lava Jato, foi o homenageado em 2018. No ano anterior, João Doria, prefeito de São Paulo na época, foi o escolhido.

    O Museu de Nova York, que é a maior instituição de história natural do mundo e completou 150 anos no último dia 6 de abril, abrigou o evento da Câmara quando este homenageou Doria e Moro. O perfil da organização no Twitter também informou que o jantar acontecerá em outro local, na mesma data: 14 de maio.

    https://brasil.elpais.com/brasil/2019/04/15/internacional/1555363030_517982.html

    Zé Maria

    16 de abril de 2019 às 21h58

    Pessoal tá dizendo que a homenagem a Jair Bolsonaro,
    pela AMCHAM, vai se realizar na sede da Ku Klux Klan.

    Zé Maria

    16 de abril de 2019 às 23h48

    A Big Apple é Esquerdalha Comunista

    A Câmara de Comércio Brasil-EUA está encontrando dificuldades para conseguir
    um novo local para homenagear Jair Bolsonaro na cidade de Nova Iorque.

    A Jornalista Helena Chagas noticia no Blog Os Divergentes que o tradicional
    restaurante de luxo Cipriani, considerado um dos cinco melhores de Nova Iorque,
    também se recusou a sediar o jantar em homenagem a Bolsonaro, agendado para maio.

    https://osdivergentes.com.br/curtinhas/cipriani-tambem-nao-quer-dar-jantar-para-bolsonaro/


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.