VIOMUNDO

Diário da Resistência


Bolsonaristas dizem ter nojo do laranjal, mas Bolsonaro mantém ministro do laranjal de Minas no cargo
Mas o ministro laranja fica. Foto Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Política

Bolsonaristas dizem ter nojo do laranjal, mas Bolsonaro mantém ministro do laranjal de Minas no cargo


15/10/2019 - 12h43

Da Redação

Os chargistas se divertiram e a hashtag #TicTacBolsonaro bombou no Twitter depois da Operação da Polícia Federal em endereços ligados ao presidente do PSL em Pernambuco, Luciano Bivar.

As reações foram diversas.

Para líderes políticos como o ex-candidato do Psol ao Planalto, Guilherme Boulos, ficou claro que Bolsonaro foi avisado sobre a operação antecipadamente, pelo ministro da Justiça Sergio Moro.

Só isso explicaria a fala de Bolsonaro a um candidato do PSL de Pernambuco, dias atrás, de que Bivar estava “queimado”, o que precedeu o racha do partido.

Boulos escreveu no twitter:

Fevereiro: laranjal do PSL é revelado. Junho: Bolsonaro, “recebi de Moro cópia da investigação”. Outubro: Bolsonaro ameaça sair do PSL. PF comandada por Moro faz ação contra presidente do partido 8 meses depois da revelação. Moro é ministro da Justiça ou xerife de Bolsonaro?

Para a deputada federal Jandira Feghalli, do PCdoB, trata-se de uma operação política de Bolsonaro para tentar se afastar do laranjal do PSL:

Escândalo atrás de escândalo. Bolsonaro afunda no próprio lamaçal, agora cada vez mais exposto. Com o presidente de seu partido na mira da PF, mais detalhes do laranjal do PSL serão revelados. E não adianta sair do partido, não, viu? #TicTacBolsonaro

Bolsonaristas atribuem a Luciano Bivar, o presidente do PSL, o controle do Fundo Partidário, dinheiro público que foi desviado em ao menos dois estados para abastecer candidaturas laranjas do partido.

Mulheres foram lançadas candidatas mas não fizeram campanha. O dinheiro foi desviado para gráficas.

Não se sabe se foi utilizado em outras campanhas ou simplesmente embolsado.

Em Pernambuco, estado em que Bivar foi eleito deputado federal com 117.943 votos em 2018, Maria de Lourdes Paixão, de 68 anos, candidata a deputada federal, recebeu R$ 400 mil do fundo partidário mas obteve apenas 274 votos.

Maria de Lourdes recebeu mais que a campeã nacional de votos do PSL, Joice Hasselmann, que em São Paulo obteve 1.078.666.

Ainda em Pernambuco, Érika Siqueira recebeu R$ 250 mil como candidata a deputada estadual e teve 1.315 votos.

Durante a campanha de 2018, Bivar se afastou formalmente do diretório do PSL em Pernambuco, colocando em seu lugar o advogado Antônio de Rueda.

Tirou licença da direção do partido, onde deixou Gustavo Bebianno, que mais tarde se tornaria ministro da Secretaria-Geral da Presidência.

Bebianno deixou o governo depois de brigar publicamente com Carlos Bolsonaro.

O deputado federal Airton Faleiro (PT-PA) vê problemas para Bolsonaro adiante:

Moro acaba de parir o Pedro Collor de Bolsonaro. Bivar sabe exatamente quem chupou da laranja!

Pedro Collor, irmão de Fernando Collor de Mello, denunciou o ex-presidente em entrevista à revista Veja, o que ajudou a levar ao impeachment em 1992.

 Em Minas Gerais, uma planilha que vazou para a Folha de S. Paulo mostra que dinheiro arrecadado através do esquema do laranjal feminino do PSL foi parar na campanha de Jair Bolsonaro.

Na planilha há uma anotação “out”, que seria indício de “caixa dois”.

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, foi denunciado pelo Ministério Público Federal por liderar o esquema no estado.

Ele era o presidente do PSL em 2018. Foi eleito deputado federal com 230.008 votos.

Foi denunciado por falsidade ideológica eleitoral, apropriação indébita de recurso eleitoral e associação criminosa, junto com quatro candidatas laranja, donos de gráfica e assessores.

A testemunha-chave é o coordenador de campanha Haissander Souza de Paula, que deu depoimentos contraditórios. 

Primeiro disse acreditar que a campanha presidencial havia sido abastecida com recursos irregularmente, depois voltou atrás.

Marcelo é deputado federal licenciado.

Se Haissander for convencido a fazer uma delação premiada, por exemplo, o chefe pode perder o ministério, o mandato e trazer junto Jair Bolsonaro.

Difícil de acreditar, já que o esquema de proteção do bolsonarismo conseguiu manter a salvo de escrutínio testemunhas muito mais importantes, como Fabrício Queiroz.

Com as estruturas do poder nas mãos, Moro no Ministério da Justiça e Gustavo Aras na Procuradoria Geral da República, Bolsonaro corre bem menos risco.

Porém, o presidente da República, numa atitude politicamente contraditória com o discurso de seus aliados, mantém Marcelo Álvaro Antônio no ministério do Turismo, mesmo depois da denúncia do MPF.

Medo das consequências de uma demissão.

Como se não notasse a contradição, a aliada de Bolsonaro, deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), ameaçada de expulsão da legenda, declarou:

A operação [da PF] fortalece nosso pedido por transparência no uso de recursos público e na democracia das decisões.

Mas, e o ministro Marcelo?

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

15 de outubro de 2019 às 17h00

Organização Criminosa para Desvio de Dinheiro Público e
Lavagem de Dinheiro com Candidaturas e Gráficas Laranjas

Não há como Dissociar Jair Bolsonaro de Luciano Bivar e as Falcatruas no PSL

https://f.i.uol.com.br/fotografia/2019/10/11/15708447085da13024ad42f_1570844708_3x2_xl.jpg

Vidal e sua pequena gráfica ganharam repasse milionário do PSL
O Dono da Gráfica Vidal era dirigente do PSL pernambucano, em 2018

As investigações do Ministério Público Eleitoral levaram os promotores até uma pequena gráfica, no interior de Pernambuco.

A empresa de Luís Alfredo Vidal Nunes da Silva,
que é vogal (dirigente com direito a voto) do PSL de Pernambuco,
lidera o ranking dos estabelecimentos comerciais que mais receberam verba federal no Estado, durante as últimas eleições.

Ao todo, segundo publicou o jornal Folha de S. Paulo, “sete candidatos declararam ter gasto R$ 1,23 milhão dos fundos eleitoral e partidário na gráfica Vidal, que nunca havia participado de uma eleição e funciona em uma pequena sala
na cidade de Amaraji”, no agreste pernambucano.

Levantamento da Folha identificou que pelo menos 88% deste valor,
a quase totalidade dos repasses de fundo partidário e fundo
eleitoral [Dinheiro Público], foram de responsabilidade oficial
do presidente nacional do PSL, à época, Gustavo Bebianno, então coordenador de campanha de Jair Bolsonaro …

Ainda de acordo com a apuração, o dono da Vidal Assessoria
e Gráfica Ltda. se apresentou como presidente do PSL em Amaraji,
município do interior do estado de Pernambuco, a 98 km
de distância da capital, Recife.

Vidal esteve com o já presidente eleito Jair Bolsonaro em sua casa, no Rio, em novembro.

— Fui só para tirar uma foto — disse ele a jornalistas.

Vidal, no entanto, coordenou a campanha presidencial
na região da Mata Sul de Pernambuco.

Na página de Vidal no Facebook, que – segundo o Estadão –
foi apagada após reportagens da Imprensa Paulista,
ele aparecia em diversas fotos ao lado de Jair Bolsonaro
na casa do presidente, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio.

Em outras imagens, o dono da Gráfica Vidal e dirigente do PSL pernambucano aparece em Brasília ao lado do senador Flávio [Bolsonaro]
e do deputado federal Eduardo Bolsonaro, filhos do presidente.

Já a Gráfica Itapissu, no Recife, aparece nas prestações de contas entregues pelo PSL ao TSE como fornecedora de
campanha de 14 candidatos, em um total declarado de
R$ 1,5 Milhão, conforme reportagens da Folha de S. Paulo.

A Folha mencionou que uma candidata laranja indicada
a Deputada Federal pelo PSL, em Pernambuco,
declarou à Justiça Eleitoral ter gasto R$ 380 mil de
dinheiro público nessa gráfica, a quatro dias da eleição,
em transferências bancárias no dia 3 e no dia 11 de outubro, quatro dias após ter recebido um total de 274 votos em todo
o estado.

Após a Folha procurar a gráfica nos endereços informados
nas notas fiscais e na Receita Federal. Em um dos locais,
numa pequena sala, com duas mesas não havia maquinário para impressões em massa
Uma pessoa, que se identificou como Paulo, ligou para a
reportagem e disse ser funcionário da gráfica.

Ele demonstrou espanto com o valor, em uma primeira ligação:

“Trezentos e oitenta mil reais aqui?
Eu acho que não viu, minha filha.
Eu acho que você pegou informação errada…
380 mil reais?”

Ele não quis dar o nome completo.
Em contratos da referida Gráfica Itapissu, aparece o nome
de Paulo Henrique Vasconcelos, como gerente.
Ele também não quis passar o contato da pessoa que
figura como dona da empresa, Juliane Mirella de Carvalho.
A Folha não conseguiu localizá-la.

http://www.osul.com.br/a-grafica-de-um-dirigente-do-psl-em-pernambuco-recebeu-mais-de-1-milhao-de-reais-em-recursos-do-partido/
https://www1.folha.uol.com.br/poder/2019/02/r-380-mil-aqui-pergunta-gerente-de-grafica-onde-psl-afirma-ter-gasto-esse-valor.shtml
https://www1.folha.uol.com.br/poder/2019/02/endereco-de-grafica-que-recebeu-verba-do-psl-nao-tem-maquinas.shtml

A Polícia Federal cumpre na manhã desta terça-feira (15/10) mandados de busca e apreensão em endereços em Pernambuco. ligados ao Deputado Federal Luciano Bivar,
Presidente Nacional do PSL, em investigação sobre o
esquema das candidaturas de laranjas revelado pela Folha.

Os mandados foram autorizados pelo Tribunal Regional Eleitoral do estado, atendendo pedidos da polícia e do Ministério Público.

A casa de Bivar no Recife e a sede do PSL estão entre os alvos.
Endereços de três candidatas pernambucanas a deputadas federais pelo mesmo Partido, Maria de Lourdes Paixão,
Érika Santos e Mariana Nunes, e de duas gráficas,
Itapissu e Vidal, bem como seus representantes,
também tiveram busca e apreensão.

O PSL é o Partido do Presidente da República, Jair Bolsonaro.

Em nota, a defesa do presidente do PSL classificou o mandado de busca e apreensão como “fora de contexto”.

“A defesa enfatiza que o inquérito já se estende há 10 meses, já foram ouvidas diversas testemunhas e não há indícios de fraude no processo eleitoral”, diz o texto assinado pelo escritório de advocacia de Ademar Rigueira, responsável pela defesa do deputado.

“Ainda na visão da defesa, a busca é uma inversão da lógica da investigação, vista com muita estranheza pelo escritório, principalmente por se estar vivenciando um momento de turbulência política.”

https://www1.folha.uol.com.br/poder/2019/10/bivar-e-alvo-de-buscas-da-pf-no-caso-dos-laranjas-do-psl-partido-de-bolsonaro.shtml

Curiosidade:
Quem será o “Gestor” dos R$ 268 MILHÕES
destinados ao PSL para as Eleições de 2020 ?

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Últimas matérias
Com Evo a caminho do México, Exército ocupa as ruas e faz toque de recolher “informal” na Bolívia

Da Redação Correndo o risco de ser capturado pela tropa de elite encarregada de combater o narcotráfico, financiada e treinada pela DEA, a polícia antidrogas dos Estados Unidos, o presidente Evo Morales deixou a Bolívia ontem à noite e seguiu para o México. As ruas foram ocupadas pelo Exército, a pedido da segunda vice-presidenta do […]

Ler matéria