VIOMUNDO

Diário da Resistência


Beto Mafra: Charge trágica do Iotti vale para nós todos
Charge do Iotti
Política

Beto Mafra: Charge trágica do Iotti vale para nós todos


16/10/2019 - 12h45

 

PINDORAMA SEM SAÍDA

Beto Mafra, em perfil de rede social

Se correr, o óleo afoga.

Se ficar, o fogo queima.

Se gritar, a lama cobre.

Sem lutar, A GENTE MORRE.

Charge trágica do Iotti, que vale para nós todos.

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

18 de outubro de 2019 às 22h29

Ação Civil Pública (ACP) do Ministério Público Federal (MPF) que tem por objetivo compelir a UNIÃO FEDERAL a implementar, de imediato, o Plano Nacional de Contingência
para Incidentes de Poluição por Óleo em Águas sob Jurisdição Nacional, para, nos termos
do Decreto N.º 8.157/2013, que regulamenta a Lei 9.966/2000, dar início a todas as medidas
necessárias “com o objetivo de permitir a atuação coordenada de órgãos da administração
pública e entidades públicas e privadas para ampliar a capacidade de resposta em
incidentes de poluição por óleo que possam afetar as águas sob jurisdição nacional, e
minimizar danos ambientais e evitar prejuízos para a saúde pública”.
Tudo, em virtude do
gravíssimo incidente ambiental, provocado por óleo, que impacta a Zona Costeira brasileira,
atingindo todos os Estados da Região Nordeste, de modo que sejam empregadas as melhores e
mais adequadas técnicas, em defesa do meio ambiente, de presentes e futuras gerações.

O Plano Nacional de Contingência para Incidentes de Poluição por Óleo em Águas sob Jurisdição Nacional (PNC) foi instituído em 2013, por meio de decreto do governo federal [de Dilma Rousseff (PT)], com o objetivo de preparar o País para casos justamente como o que afeta a costa do Nordeste desde o mês de setembro.
O documento, bastante detalhado, descreve responsabilidades, diretrizes e procedimentos para o governo responder a vazamentos de petróleo com foco em “minimizar danos ambientais e evitar prejuízos para a saúde pública”.

De acordo com o decreto, integram o comitê executivo do plano:
o Ministério do Meio Ambiente,
o Ministério de Minas e Energia,
o Ministério dos Transportes,
a Secretaria de Portos da Presidência da República,
a Marinha do Brasil,
o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama),
a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e
a Secretaria Nacional de Defesa Civil, do Ministério da Integração Nacional.

http://www.mpf.mp.br/se/sala-de-imprensa/docs/ACP0232019IC1.35.000.001274201963DesastreAmbientalPlanoNacionaldeContingencia1.pdf

Responder

Zé Maria

18 de outubro de 2019 às 21h35

O Ministério Público Federal ajuizou nessa quinta-feira (17) nova ação [Ação Civil Pública (ACP)*.] contra a União motivada pelo derramamento de óleo que atinge a costa do Nordeste.
O processo requer que a Justiça Federal obrigue a União a acionar em 24 horas o Plano Nacional de Contingência para Incidentes de Poluição por Óleo em Águas sob Jurisdição Nacional.
Os pedidos da ação judicial, que é conjunta, abrangem toda a costa do Nordeste.
[…]
Para o Ministério Público Federal, a União está sendo omissa ao protelar medidas protetivas e não atuar de forma articulada em toda a região dada a magnitude do acidente e dos danos já causados ao meio ambiente. De acordo com o procurador da República Ramiro Rockenbach, “tudo que se apurou é que a União não está adotando as medidas adequadas em relação a esse desastre ambiental que já chegou a 2,1 mil quilômetros nos nove estados da região, e é considerado o maior da história no litoral brasileiro em termos de extensão”.

Por fim, o MPF registra na ação que, para fins de operacionalização, fiscalização e com respeito à independência e autonomia de cada estado da Federação envolvido, que uma vez implementado o Plano Nacional de Contingência para Incidentes de Poluição por Óleo em Águas sob Jurisdição Nacional, membros do Ministério Público Federal em cada estado atingido acompanharão a execução do PNC de acordo com as circunstâncias e especificidades socioambientais locais.

O documento foi assinado pelos procuradores da República
Ramiro Rockenbach e Lívia Tinôco (Sergipe),
Raquel de Melo Teixeira (Alagoas),
Vanessa Cristina Gomes Previtera Vicente (Bahia),
Nilce Cunha Rodrigues (Ceará),
Hilton Araújo de Melo Maranhão),
Antônio Edílio Magalhães Teixeira (Paraíba),
Edson Virgínio Cavalcante Júnior (Pernambuco),
Saulo Linhares da Rocha (Piauí) e
Victor Mariz (Rio Grande do Norte).

*Íntegra da ACP:
http://www.mpf.mp.br/se/sala-de-imprensa/docs/ACP0232019IC1.35.000.001274201963DesastreAmbientalPlanoNacionaldeContingencia1.pdf

http://www.mpf.mp.br/ba/sala-de-imprensa/noticias-ba/mpf-nos-nove-estados-do-nordeste-pede-que-justica-obrigue-governo-federal-a-acionar-plano-nacional-de-contingencia-para-acidentes-com-oleo

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Últimas matérias
Com Evo a caminho do México, Exército ocupa as ruas e faz toque de recolher “informal” na Bolívia

Da Redação Correndo o risco de ser capturado pela tropa de elite encarregada de combater o narcotráfico, financiada e treinada pela DEA, a polícia antidrogas dos Estados Unidos, o presidente Evo Morales deixou a Bolívia ontem à noite e seguiu para o México. As ruas foram ocupadas pelo Exército, a pedido da segunda vice-presidenta do […]

Ler matéria