VIOMUNDO

Diário da Resistência


Aprovação de Bolsonaro despenca, mas Lula é visto como responsável pela crise
Fernando Frazão/Agência Brasil
Política

Aprovação de Bolsonaro despenca, mas Lula é visto como responsável pela crise


05/04/2019 - 15h28

Pesquisa mostra que o massacre da mídia contra Lula funcionou

Em três meses, Bolsonaro vê avaliação positiva cair para 35% e otimismo com mandato recuar 13 pontos

Resultado mostra nível de aprovação de Bolsonaro pior do que de seus quatro antecessores imediatos eleitos. Desempenho só é melhor do que de Itamar Franco e Michel Temer

do Infomoney

SÃO PAULO – A menos de uma semana de completar 100 dias de governo, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) mantém trajetória descendente em seu nível de aprovação e carrega números piores do que seus quatro antecessores imediatos eleitos (Dilma Rousseff, Luiz Inácio Lula da Silva, Fernando Henrique Cardoso e Fernando Collor de Melo) no mesmo momento de seus respectivos mandatos.

É o que mostra a sexta edição da pesquisa mensal XP/Ipespe, realizada entre os dias 1º e 3 de abril.

Segundo o levantamento, as avaliações positivas (“ótimo” e “bom”) atribuídas pelos entrevistados ao governo caíram de 40% para 35% de janeiro para cá.

No mesmo período, o nível “regular” oscilou de 29% para 32%, ao passo que as avaliações negativas subiram de 20% para 26%.

O resultado só não é pior do que os de Itamar Franco e de Michel Temer com tempo similar de mandato – ambos assumiram a presidência em decorrência da queda dos titulares do cargo antes do fim de suas gestões: Collor e Dilma, respectivamente.

A XP/Ipespe também mostrou que, para 50% dos entrevistados, Bolsonaro deverá fazer um governo ótimo ou bom, desempenho 13 pontos percentuais menor do que o registrado em janeiro.

Do lado negativo, as expectativas por uma gestão ruim ou péssima foram de 15% para 23% no período. A pesquisa ouviu 1.000 eleitores de todas as regiões do país e tem margem máxima de erro de 3,2 pontos percentuais para cima ou para baixo.

A pesquisa também ouviu os eleitores quanto às expectativas para o combate à corrupção, uma das principais pautas da campanha do ano passado e dos atuais debates políticos.

Na opinião de 43%, a corrupção terá diminuído nos próximos seis meses. O resultado representa uma oscilação de 1 ponto percentual em comparação com os dois meses anteriores, mas uma queda de 11 pontos em relação a janeiro.

Já as expectativas de aumento na prática foram de 16% no mês da posse para atuais 24%.

Ainda de acordo com o levantamento, os eleitores mantêm avaliação de que o presidente Bolsonaro tem sofrido com notícias mais desfavoráveis do que positivas na imprensa.

As respostas negativas somaram 42% em abril, ante 43% um mês antes. Em comparação com o início do ano, o salto é de 15 pontos percentuais.

Metodologia

A pesquisa XP/Ipespe foi feita por telefone e ouviu 1.000 entrevistados em todas as regiões do país. Os questionários foram aplicados por entrevistados e submetidos a fiscalização posterior. O nível de confiança é de 95,45%, o que significa que, se o questionário fosse aplicado mais de uma vez no mesmo período e sob as mesmas condições, esta seria a chance de o resultado se repetir dentro da margem máxima de erro, estabelecida em 3,2 pontos percentuais. A amostra representa a totalidade dos eleitores brasileiros com acesso à rede telefônica fixa e a telefone celular, sob critérios de estratificação por sexo, idade, nível de escolaridade, renda familiar etc.

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Aldo

07 de abril de 2019 às 06h18

AS ÚLTIMAS DE BOLSONARO

BOLSONARO diz que o Brasil é lixo: https://youtu.be/sJ5Iiq5sm4Q

Como o Brasil é muito grande, nós podemos chama-lo de LIXÃO.

Logo depois Bolsonaro se declara incompetente para administrar o LIXÃO.

Disse ele: “Desculpem as caneladas, não nasci para ser presidente, nasci para ser militar, mas no momento estou nessa condição de presidente e, junto com vocês, nós podemos mudar o destino do Brasil. Sozinho não vou chegar a lugar nenhum”.

https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2019-04-05/nao-nasci-para-ser-presidente-nasci-para-ser-militar-diz-bolsonaro-em-evento.html

Veja bem, ele não é presidente, ele está na condição de presidente do LIXÃO. E pede socorro a todos os presentes no evento em que ele reconheceu toda a sua INCOMPETÊNCIA.

Ora porra! O cara passou quase 30 anos como deputado, mamando nas tetas do contribuinte e das milícias, e depois de se eleger presidente do LIXÃO, através de uma eleição fraudada até o olho do cu (eu sempre me lembro do fiofó de Olavo de Carvalho), diz que não gosta de ser presidente e que sua vocação é ser militar!?

RENUNCIA, DESGRAÇA!

Responder

Jardel

05 de abril de 2019 às 23h44

Para o nível médio do quociente de inteligência dos eleitores do Bozo, era de se esperar esse quadro. Ou seja: o Bozo é uma merda, mas a culpa é do Lula.

Responder

Zé Maria

05 de abril de 2019 às 18h46

Aviso aos incompetentes: Ainda há tempo…

“Não nasci para ser presidente,
nasci para ser militar”
“Às vezes me pergunto, meu Deus,
o que fiz para merecer isso?
É só problema”

Jair Bolsonaro
Em Discurso
no Palácio do Planalto

https://twitter.com/luisnassif/status/1114275180807954437

Responder

    Zé Maria

    06 de abril de 2019 às 16h58

    “Depois de tantas bravatas, tantas arminhas,
    de dizer q fazia e acontecia, julgar os outros
    levianamente, Bolsonaro chega à conclusão
    q ñ nasceu pra ser presidente.
    O problema é q o custo imposto ao Brasil
    e ao povo pra descobrir isso foi enorme.
    E agora, vai largar o ‘brinquedo’?”

    Deputada Federal Gleisi Hoffmann (PT=PR)
    Presidente do Partido dos Trabalhadores

    https://twitter.com/gleisi/status/1114491536354443264

Zé Maria

05 de abril de 2019 às 18h35

Um relatório do Banco Mundial divulgado nesta quinta-feira (04/04) afirma que, entre 2014 e 2017, a pobreza aumentou no Brasil, atingindo 21% da população perfazendo 43,5 milhões de pessoas pobres.

O Levantamento demonstra que o aumento da pobreza nesse período foi de 3%, um acréscimo de 7,3 milhões de brasileiros.

No ano de 2014, o total de brasileiros que viviam na pobreza era de 36,2 milhões (17,9%).

O quadro negativo teve início com a forte recessão que o país atravessou a partir do segundo semestre daquele ano, que durou até o fim de 2016.

https://youtu.be/a_9Opih5rFk
Fora Dilma! Fora Lula! Fora PT! Dãããã…
https://youtu.be/MsYQ_zLTZIM

Responder

Zé Maria

05 de abril de 2019 às 17h42

https://www.viomundo.com.br/wp-content/uploads/2019/04/lula.png

De Janeiro pra cá, não mudou nada.

Ainda assim, tem que dar um Desconto na parte de baixo
e um Acréscimo na parte de Cima das Colunas:

https://youtu.be/2oYf5DGneqo?t=1758
Pesquisa da XP = Corretora que opera na Bolsa de Valores, ligada aos Herdeiros do Roberto Marinho,
aos Bancos e aos Tucanóides Aécio, Joesley, Huck …

Entrevistas por Telefone e Margem de Erro de 3,2% …

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.