VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

André Singer: Coalizão rentista foi às ruas reagir contra Dilma

20 de agosto de 2013 às 06h05

Leia também:

Igor Grabois: Reação contra Dilma começou com a redução de juros

Maria Lucia Fatorelli: Banqueiros capturaram o Estado brasileiro

Apoie o VIOMUNDO

Crowdfunding

Veja como nos apoiar »

O lado sujo do futebol

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Entre os mais vendidos da VEJA, O Globo, Época e PublishNews. O Lado Sujo do Futebol é o retrato definitivo do que acontece além das quatro linhas. Um dos livros mais corajosos da história da literatura esportiva, revela informações contundentes sobre as negociatas que empestearam o futebol nos últimos anos. Mostra como João Havelange e Ricardo Teixeira desenvolveram um esquema mafioso de fraudes e conchavos, beneficiando a si e seus amigos. Fifa e CBF se tornaram um grande balcão de negócios, no qual são firmados acordos bilionários, que envolvem direitos de transmissão e materiais esportivos. Um grande jogo de bolas marcadas, cujo palco principal são as Copas do Mundo.

por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet.

Compre agora online e receba em sua casa!

 

32 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

O Pereira

09/11/2013 - 20h01

Cuidado,Singer.
A doutoriça liberal, graduada nos esteites, está soltando fogo pelas ventas.

Responder

Caio Peixoto

22/08/2013 - 18h34

É impressionante como certas pessoas de esquerda ainda insistem em dizer “milhões de pessoas” foram às ruas para “defender os serviços públicos de qualidade” e outras pautas progressistas.

Aos que dizem isso, eu pergunto: QUANDO? Em que dia? Em que semana?

Pois a ÚNICA semana em que se viu milhões, ou pelo menos centenas de milhares de pessoas nas ruas foi a semana de 16 a 23 de junho.

E COM CERTEZA os milhões, ou centenas de milhares de pessoas que foram às ruas na semana de 16 a 23 de junho não tinha consciência NENHUMA do que estavam fazendo, eram uma enorme MASSA DE MANOBRA manipulada por uma nítida conspiração iniciada no Facebook e alimentada na tela da Rede Globo.

As pessoas que insistem em dizer “milhões de pessoas” foram às ruas para “defender os serviços públicos de qualidade” e outras pautas progressistas devem estar se referindo, provavelmente, às semanas SEGUINTES, e principalmente, ao mês de julho. De fato, nesse período posterior, alguns POUCOS MILHARES de pessoas foram às ruas do país para reivindicar melhores serviços públicos e coisa do gênero.

É impressionante como manifestantes “de esquerda” que “continuam nas ruas” insistem em confundir as suas manifestações com POUCOS MILHARES de pessoas nos meses de julho e agosto com a GRANDE EXPLOSÃO da semana de 16 a 23 de junho onde DE FATO tivemos “milhões de pessoas” nas ruas, ou pelo menos, centenas de milhares de pessoas.

Uma coisa não tem NADA A VER com a outra.

Os únicos “grandes protestos” que houveram foram na semana de 16 a 23 de junho, e foram COM CERTEZA uma criação da DIREITA no Facebook, com a ajuda valiosa da TV aberta, da Rede Globo.

Os protestos posteriores, onde nossos bravos colegas “de esquerda” continuam apanhando da polícia para reivindicar “melhores serviços públicos” não tem nada a ver com o grande espasmo direitista-Facebookista-global da semana de 16 a 23 de junho.

Porque nossos bravos colegas “de esquerda” não respondem de forma honesta a esta pergunta: “Porque nas manifestações atuais, posteriores à Copa das Confederações, vocês não tem força para mobilizar nem sequer 10% do número de pessoas que foram às ruas na semana de 16 a 23 de junho?”

A resposta é clara: porque não tem mais a direita organizada do “marketing viral nas redes sociais” e nem a Rede Globo ajudando a convocar suas manifestações por “melhores serviços públicos”.

Deixem de se iludir. Não foi o MPL, nem a esquerda e nem as “pautas progressistas” que colocaram milhões nas ruas na semana de 16 a 23 de junho. Foi a conspiração direitista.

Responder

FrancoAtirador

22/08/2013 - 18h21

.
.
Desemprego em julho cai para 5,6%, uma das menores taxas do mundo
e a 2ª menor da história do Brasil.

País já criou 907 mil empregos no ano e 41 mil em julho, mês afetado por protestos
que reduziram oferta de vagas no comércio, sobretudo das capitais.

Esses são os fatos.

E esta é a manchete garrafal da ‘Folha’, desta 5ª-feira:
‘Capitais fecham vagas pela 1ª vez em uma década’…

Carta Maior
.
.
Observação

Considerando que a atividade econômica no Brasil

se encontra atualmente em patamar razoavelmente estável

e que o número de desempregados no País é cada vez menor,

portanto há mais pessoas inseridas no mercado de trabalho,

parece lógico, nesta situação, que a oferta de emprego diminua

isto é, que naturalmente o número de vagas criadas se reduza.
.
.

Responder

Raquel Boechat: Farsa na CPI dos Ônibus no Rio - Viomundo - O que você não vê na mídia

22/08/2013 - 08h51

[…] André Singer: Coalizão rentista foi às ruas em junho protestar contra Dilma […]

Responder

anderson

22/08/2013 - 02h07

denuncia:http://www.novojornal.com/politica/noticia/parte-ii-caso-renova-aecio-tenta-apagar-rastro-de-4-5-bi-15-08-2013.html
Parte II: Caso Renova. Aécio tenta apagar rastro de R$4.5 bilhões
Investigações colocam em evidência a utilização de R$ 4,5 bilhões do patrimônio mineiro para financiar implantação na Bahia de fábrica da Alstom
Diante do escândalo do Cartel Alstom/Siemens, começa a naufragar o projeto megalomaníaco de Poder desenvolvido pelo grupo de Aécio Neves que não encontrou limite de atuação na área de energia, ao utilizar-se do Patrimônio Público do Estado de Minas Gerais para elegê-lo presidente da República em 2014.

Alstom e Siemens, réus confessos no escândalo do Metrô e transporte sobre trilhos em São Paulo, tradicionais e principais financiadoras do PSDB paulista, cooptadas através de seus ex-dirigentes a integrar o projeto político de Aécio Neves através do esquema montado pela CEMIG, estão sendo vasculhadas pelo CADE e Ministério Público.
Evidente que se encontram na CEMIG as maiores irregularidades envolvendo a prática de Cartel, porém a cooptação dos dirigentes das multinacionais visando evitar maiores fiscalizações ocorreram através de tentáculos no denominado “Burgo dos Neves”, formado por empresas subsidiarias integrais da CEMIG e da Light.

Diante do vazamento seletivo de participação apenas no esquema de corrupção montado na área de transporte sobre trilhos pela Alstom/Siemens em São Paulo e DF, o governador paulista Geraldo Alkimin e o ex José Serra, cientes da armadilha e contrariados com o abandono dos companheiros do PSDB nacional mandou um recado direto a Aécio Neves ao informar que o Cartel não atuou só em São Paulo, no Metrô, sua atuação estendeu-se também para as empresas de energia de diversos Estados, recomendando que sejam também elas investigadas.

Na matéria, “Parte I: Cartel Siemens/Alstom nasceu em Minas Gerais”, abordamos a até então pouco explicável indicação pelo ex-governador hoje senador Aécio Neves do ex-presidente da Alstom José Luiz Alquéres, investigado pela prática de Cartel pelo CADE, para presidir a Light, empresa adquirida pela CEMIG.

Repetindo á prática adotada na CEMIG, foi através da Light, para evitar rastro, que Aécio promoveu uma série de aquisições, sendo uma delas a empresa Renova especializada em energia eólica. Como em relação a outras empresas, através da Renova alianças e acordos comerciais foram celebrados apenas no intuito de gerar caixa para sua campanha, poder na política e economia dos demais Estados da Federação e a “boa vontade” das grandes corporações multinacionais.

Novojornal noticiou o fato em dezembro de 2012 na matéria; “CEMIG: Consumidor mineiro financia “Império da Energia”, mostrando que a CEMIG vinha há anos criando empresas denominadas subsidiarias integrais utilizando seu crédito, receita e patrimônio sem levar em conta os riscos e a viabilidade econômica das mesmas.

Anteriormente em julho de 2012 o Governo de Minas anunciava; “com investimento de R$ 1,2 bilhão fora inaugurado, no Sudoeste da Bahia, o Complexo Eólico Alto Sertão I, um empreendimento da Renova Energia, empresa do Grupo Cemig especializada na geração de energia renovável. Considerado o maior do gênero na América Latina, o complexo eólico irá gerar 294 MW de energia, o que representa um incremento de 29,4% na matriz eólica do país, atualmente na ordem de 1 GW.
Localizado nos municípios baianos de Caetité, Guanambi e Igaporã é composto por 14 parques, que tiveram sua energia comercializada para a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). São 184 aerogeradores de 1,6 MW e cada parque irar gerar até 30 MW. A energia gerada pelo Complexo Alto Sertão I é suficiente para garantir o consumo de uma cidade com 540 mil residências ou cerca de 2,16 milhões de habitantes, considerando quatro pessoas por residência”.

Ao mesmo tempo que em julho de 2012 o Governo de Minas anunciava o investimento de R$ 1,2 bilhão na Renova, o jornal “Brasil Econômico” noticiava;

“Uma das principais parcerias do setor energético no Brasil foi anunciada nesta quarta-feira pela Renova Energia e a francesa Alstom. As companhias assinaram a carta de intenções durante evento para clientes e fornecedores em São Paulo”.
“A parceria consolida a nossa posição de liderança nesse segmento e vai gerar desenvolvimento para a região, disse ao Brasil Econômico, Marcos Costa, presidente da Alstom Brasil e vice-presidente de Global Power Sales na América Latina”.
“Jerôme Pécresse, presidente mundial do setor de energias renováveis da Alstom, afirmou que a parceria coloca a companhia em uma posição diferenciada no mercado de energia na América Latina. “Esta é uma parceria ambiciosa, o maior acordo onshore da Alstom para a área eólica mundialmente. Nossa intenção é que seja um relacionamento duradouro.”
“A previsão é de que os aerogeradores comecem a ser entregues a partir de 2015, processo previsto para ser concluído entre três e quatro anos. Para a Renova, a parceria trará vantagens competitivas e financeiras, já que os geradores da Alstom sairão da fábrica a alguns quilômetros dali, o que significa menor custo com logística, maior rapidez na entrega e na manutenção”.

Em fevereiro de 2013 a revista “Veja” noticiou: “Renova fecha acordo de € 1 bi com Alstom e faz aposta alta em eólicas”. A matéria informava ainda que; “mesmo sem linhas de transmissão suficientes para fazer com que a energia saia dos parques eólicos, empresa fecha contrato incomum no setor: a compra de maquinário antes mesmo que haja demanda”.
“A notícia não só surpreende pelo volume do investimento (o maior anunciado pela Renova até hoje), que dimensiona o tamanho da aposta da empresa no setor eólico brasileiro, como também é uma prática incomum no mercado de energia, geralmente as empresas só contratam maquinários para atender a demanda já vendida. O acordo com a Alstom contempla também a prestação de serviços de operação e manutenção, mas não impede que, para outros projetos, a Renova contrate outros fornecedores ou que a Alstom venda para outras companhias de energia os maquinários”.

Á exemplo da ferrovia do Aço, obra bilionária construída no período do Golpe Civil Militar de 1964, sinônimo de desperdício de dinheiro público, o Complexo Eólico Alto Sertão está sendo construído a um custo de R$4,5 bilhões para gerar energia mesmo sem a existência de linhas de transmissão para venda do produzido.

Fontes do mercado de energia já haviam denunciado que a aquisição de parte do capital da Renova ocorrido coincidentemente após a saída de Alqueres da Light, ocasião que recebeu uma indenização de R$ 30 milhões, visou apenas dar a empresa garantias para celebração de financiamentos bilionários inclusive perante o BNDES para compra sem qualquer licitação de equipamentos da francesa Alstom, uma vez que Renova é uma empresa privada.

Até a compra da participação acionaria pela Light os geradores de energia do parque eólico da empresa Renova eram da marca GE sendo substituídos pelos da Alstom, viabilizando a construção de uma fábrica da multinacional francesa em Camaçari na Bahia. Segundo as mesmas fontes a comprovação de que a lucratividade da empresa Renova passou a ser uma questão secundária, para não gerar desconfiança e repercussão, a principal cláusula do acordo de acionistas celebrado entre Renova e Light, foi à retirada de suas ações da Bolsa de Valores.

Diante das investigações e da proporção que ganhou o escândalo do Cartel Alstom/Siemens o grupo de Aécio tenta agora apagar o rastro de R$ 4,5 bilhões criado com garantias do patrimônio público do Estado de Minas Gerais para em tese beneficiar apenas a Alstom.

Responder

Venha debater conosco sobre redes sociais e ativismo - Viomundo - O que você não vê na mídia

22/08/2013 - 01h07

[…] André Singer: Coalizão rentista foi às ruas em junho protestar contra Dilma […]

Responder

Paulo Moreira Leite: O conservadorismo primitivo de Octávio Cabral - Viomundo - O que você não vê na mídia

21/08/2013 - 14h30

[…] André Singer: Coalizão rentista foi às ruas em junho protestar contra Dilma […]

Responder

Carlos Neder: Sobre o mito da eficiência administrativa dos tucanos - Viomundo - O que você não vê na mídia

20/08/2013 - 23h03

[…] André Singer: Coalizão rentista foi às ruas em junho protestar contra Dilma […]

Responder

Gustavo Gindre: Só a Globo sobrevive a médio prazo - Viomundo - O que você não vê na mídia

20/08/2013 - 22h54

[…] André Singer: Coalizão rentista foi às ruas em junho protestar contra Dilma […]

Responder

Zé Brasil

20/08/2013 - 22h39

Quando eu vejo esta turma a protestar sem um foco definido, igual aquela coroa símbolo do Cansei, que mascando bovinamente seu chiclete quando perguntada sobre o quê protestava ela dizia:- sobre tudo que está aí, num belo argumento com a profundidade de um pires.

Sem fazer qualquer propaganda, apenas sendo justo, penso que nos dias de hoje seria fundamental que as pessoas lessem o livro do Sicsu,’Os dez anos que abalaram o Brasil’ e refletissem sobre como a vida de cada um mudou nestes dez anos de administração do PT e seus aliados no Governo Federal. Como isto mudou a sua vida? Você está melhor de vida ou não? Suas perspectivas e de seus filhos de progresso estão melhores do que eram há dez atrás ou não?
Os números estão lá no livro para serem consultados e uma vez publicados podem ser contestados ou não.

Tenho visto diuturnamente na mídia um País mostrado à beira do precipício, com o caos em cada esquina. Como mudar isto? Simples a receita deles, porém não veiculada: -arranquem de qualquer modo estes ladrões e corruptos e nós te levaremos ao paraíso pelas mãos de um cangaceiro torquemada ou pelos incorruptíveis, ad nutum, tucanos, que por um desses desvãos do destino estão agora, ufa! até que enfim, com seus intestinos à mostra exalando a podridão de sua corrupção de sempre e sempre acobertada jurídica e midiaticamente. Tudo isto graças a abertura de bico das multinacionais, cujos CEOS tiverem seus respectivos bagos, diga-se de passagem, espremidos lá em seus países de origem e a cagada deles respingou por aqui pegando a tucanada santa em pleno vôo de céu de brigadeiro.

O que tenho dito é que se esta aventura for levada adiante por falsos Moisés à frente do rebanho rumo a terra prometida farta e pura fico pensando como será o dia em que acordarem e descobrirem que café da manhã, da tarde,trabalho com carteira assinada, um teto digno para moradia, mobiliado, filhos de pais semi-analfabetos (tristemente…) com perspectiva de completar um curso técnico ou universitário, sua dignidade e sua auto-estima e tudo mais, que tudo isto foi ao chão, aí velho, o protesto não será mais de coxitas branquitas criadas ao leite com pêra batido pela vovó. Vai ser de incêndio prá cima, de porrada pura, de ódio entre irmãos por terem sido empulhados e manipulados por um sistema podre e viciado que quer lhe empurrar goela abaixo a pílula de fel coberta por fina capa de açúcar, doce no início e amarga, muito amarga no final. Pensem nisto!

Responder

    Mário SFTenho visto diuturnamente na mídia um País mostrado à beira do precipício, com o caos em cada esquina. Alves

    21/08/2013 - 18h06

    “Tenho visto diuturnamente na mídia um País mostrado à beira do precipício, com o caos em cada esquina.”
    _________________________________
    Mas é claro. E isso é pura estratégia. De mais a mais, eles, a pior elite do mundo e seus prepostos, os pps-demotucanos e essa mídia antipovo, sabem que (se puderem, se tiverem a chance) serão eles que os que trarão novamente o caos econômico para o seio da sociedade brasileira. E, aí, meu caro, o que eles mais creem é que se esconderão atrás desse tal biombo, de onde jogariam a culpa toda no PT. Simples assim. Mas, fique tranquilo: “deus não joga dados”.

    E a superação do subdesenvolvimento virá. Mas não por esses prepostos, claro. Disso são impedidos. Para isso são impotentes desde que nasceram (politicamente). E o Brasil, meu caro, o Brasil jamais foi e jamais será o Chile. Simplesmente porque Brasil é Brasil e Chile é Chile, óbvio.

maria

20/08/2013 - 17h30

essa fala final é a grande ingenuidade do pt e aliados. achar que existe extrema esquerda e que nao tem nada a ver com a extrema direita. e o que o chico alencar e compania fazem junto com o aluisio nunes no congresso? alianca, criticando a politica de aliancas do pt e base governista. puro oportunismo. fico impressionada com a capacidade de algumas pessoas do pt, que se dizem a esquerda do pt, de achar aliados nesses grupos de oposicao ditos de extrema esquerda. chega a ultrapassar a ingenuidade, é muita fé crista e falta de realismo.

Responder

carlos saraiva e saraiva

20/08/2013 - 16h24

Mesmo discordando da categorização “lulismo”, do “governo de arbitragem”, da “politica econômica neoliberal” do “lulismo”, acho uma analise, em que pese e por isto, os equívocos conceituais, extremamente acadêmica, coloca algumas reflexões pertinentes.A mais importante e talvez a grande novidade , que deve ser seguida pela esquerda ao nível mundial, é o pacto “capital produtivo e trabalho” contra o capital financeiro, rentista, especulativo. E o rompimento deste acordo, por parte do capital, fortalecendo a aliança entre os capitais, contra a classe trabalhadora. Prevaleceu a “velha” e sempre presente “luta de classes”. AS manifestações, servem como preparação e mobilização para as eleições de 2014. Um grande alerta para a “esquerda”, sobretudo a antipetista e uma responsabilidade para a classe trabalhadora organizada em absorver a nova classe emergente, para a continuação do projeto, os avanços e as rupturas necessárias, contra a volta do atrazo neoliberal.

Responder

    Lafaiete de Souza Spínola

    20/08/2013 - 19h59

    Com certeza, a grande lacuna governamental dos últimos 12 anos foi a continuidade na falta de um alto investimento na educação básica.

    Se no governo Lula, desde 2003, fosse instituído o aumento de 1%, a cada ano, no orçamento da educação, estaríamos investindo, hoje, cerca de 15% do PIB nessa área.

    O Brasil seria outro!

    As injustiças sociais seriam bem menores, o mercado interno estaria crescendo, a criminalidade não estaria nesse patamar de uma verdadeira guerra, o pequeno agricultor estaria fornecendo a alimentação escolar.

    Estaríamos desenvolvendo tecnologia e pesquisas, as indústrias teriam mão de obra qualificada, as forças armadas não precisariam estar pensando em importações de equipamentos sofisticados e de pouca utilidade, pois, sob o controle de terceiros.

    Considero que esse continua sendo nosso maior problema!

    A Dilma poderia, apesar de tardiamente, tentar colocar o Brasil nos trilhos aplicando um choque na educação básica.

    Primeiro: Estabelecer a federalização.

    Investir 15% do PIB com recursos oriundos da realização de uma auditoria na dívida pública e decretar uma CPMF exclusiva.

    Usar; imediatamente, numa mobilização nacional; cerca de 40% das reservas para a construção de grandes centros escolares e preparo de professores.

    Padronizar o nível de ensino, em todo país, nas cidades e no campo. Estabelecer melhores salários para os professores e oferecer, dentro dessa mobilização, cursos de superação desses profissionais.

    Esse seria um verdadeiro choque de auto-estima!

    É preciso, para isso, determinação, coragem e mobilização!

    Mário SFTenho visto diuturnamente na mídia um País mostrado à beira do precipício, com o caos em cada esquina. Alves

    21/08/2013 - 18h36

    Prezado Lafaiete de Souza Spínola, gostaria de sua opinião sobre um comentário que fiz e que descrevo a seguir:

    “Estamos na era da mais plena prostituição ideológica. E quem a inaugurou foi a mídia norte-americana que hoje mais do que nunca domina e ensandece muitos povos. Não. Não é o caso dos desesperados e tão maltratados egípcios. E sim, é o caso, por exemplo, dos próprios norte-americanos.
    ____________________________________
    E não falta quem não encha os pulmões pra enaltecer a importância da educação formal em países capitalistas. E não há quem não caia nessa esparrela. Fosse a educação tão libertadora, tão revolucionária, os norte-americanos, exemplo máximo de sociedade capitalista, não seriam jamais um povo tão estupitizado politicamente.
    ___________________________________________
    Comecemos pela educação política. Comecemos por aí. Aí, quem sabe, a coisa toda não mude de figura. Seja onde for. Seja no Leste, seja no Oeste. Do Oiapoque ao Chuí.”
    ___________________________________________________
    Obrigado,
    Att.,
    Mário.

    Lafaiete de Souza Spínola

    27/09/2013 - 13h26

    Mário,

    Quando digo que sem educação não temos futuro, fica claro que essa é uma condição necessária, porém não suficiente.

    Um exemplo pode vir da água. Uma molécula de água é constituída por H2O, dois elementos de hidrogênio e um de oxigênio. Para termos água faz-se necessária a presença do hidrogênio; sem hidrogênio, não temos água. Sem educação não temos justiça social, não temos desenvolvimento. O hidrogênio é necessário para termos água, contudo não é suficiente; é preciso haver a combinação com o oxigênio para termos a água.

    A água é uma molécula simples. Temos, em nossa natureza, moléculas de alta complexidade; formadas de elementos os mais variados.

    Uma sociedade justa, desenvolvida, tem como condição necessária, básica, a educação, mas não é suficiente. É um processo complexo!

    O que desejo é que concentremos nossos esforços em torno dessa condição básica, necessária!

    Em meu tópico, UM PROJETO PARA A EDUCAÇÃO NO BRASIL, procuro demonstrar essa necessidade!
    Muitos não desejam trilhar por esse caminho, pois dentro das estruturas partidárias atuais; com o financiamento privado, com reeleições em todos os níveis, com o caciquismo generalizado; imperam mais os interesses pessoais que os da transformação da sociedade. Muitos ficam, assim, esperando por salvadores da pátria.

    Sou a favor de ver o povo como ator da história e não mais como uma manada dirigida por salvadores da pátria e até por manipuladores!

    Estive lendo vários programas de partidos, dos antigos aos mais novos, e só encontrei generalidades. Alguns não passam de belos textos, mas nada de projeto, nada de propostas concretas!

    Partidos, assim, passam a ser ninhos criados às margens direita e esquerda do rio para dar guarida a diferentes lideranças que neles permanecem por decênios, cada um com seu canto específico, deleitando e oferecendo esperanças aos marginalizados que sofrem nas constantes enchentes, e nada se transforma.

    Tenho, também, o tópico PRECISAMOS DE UM PARTIDO DIFERENTE!
    Esse partido não seria construído nas árvores; às margens, pelos costumeiros e eternos caciques, nem atrelados ao financiamento privado; mas pelos verdadeiros marginalizados, injustiçados.

    Esse partido tem programa a ser cumprido, explícito, a começar pela proposta de que sejam investidos, pelo menos, 15% do PIB na educação básica.

    Toda educação deve ser federalizada!

renato

20/08/2013 - 16h18

Parece haver um medo da Esquerda deste país.
O que esta acontecendo,isto esta invertido.
Não esta na hora de procurar respeito.
Quem tem repeito por mim, me bate na cara e
pede desculpa. Vai bate na cara de ladrão para
ver o que acontece.
Vamos tomar tento. Vamos denunciar.
Tem gente ameaçando com multidões na rua.
Para que nós não continuemos informando a
roubalheira que eles fazem.
Querem nossa atenção em outro lugar que não no
julgamento.

Responder

Valcir Barsanulfo

20/08/2013 - 15h48

Conversei com muitas pessoas participantes nas manifestações, que perguntadas qual a causa prioritária que elas defendiam, a resposta foi quase unãnime, nenhuma, acho que devemos protestar.
No seio dos jovens, essa reposta acima foi unânime.

Responder

    Lafaiete de Souza Spínola

    20/08/2013 - 20h03

    Se estivessem investido alto na educação, como proponho, o quadro seria outro!

edir

20/08/2013 - 15h08

Está perfeita a análise do Singer.Discordo em parte sobre as manifestacöes.
Falo por vários amigos e até pessoas da família que psassaram a odiar Dilma e PT por causa do notíciário da Globo, matérias na revista Veja e dos que recebem nas redes sociais.
Se a gente observar, muitos dos que foram às ruas, foram simplesmente por causa dessas informacöes distorcidas que recebem. Há muita falta de informacäo de uma grande parte da populacäo. Näo säo pessoas totalmente analfabetas näo, muitas delas com ensino médio completo e outros até cursos técnicos. Faco um observacäo: Quando sugiu o caso Arruda em Brasilia, muita gente ligou esse caso ao governo Lula. Falo isso, porque várias pessoas que conheco acreditava que o Lula tinha responsabilidade e ou tava metido tambem. Só pelo fato de dizer o governo de Brasilia, para muitos era o Lula metido lá. Muita gente näo entende que Brasilia tem um governo independente do Governo Federal.
Há um grupo muito interessado em tirar o PT do poder e usam as redes sociais para disseminar as informacöes deturpadas. Há dezenas de vídeos no youtube, onde um cidadäo aparece diante de uma camara e comeca a falar boboseiras como se fosse um economista, mas ataca o governo até näo ter mais palavras. As coisas boas que o governo faz, näo tem destaque na imprensa e quase nada nas redes sociais, entäo näo há governo bom que resista a maldades das mentes doentia que tem esses grupos extremistas.Enquanto eles convence 10, nós näo conseguimos desmentir nem mesmo dois, e por aí vai. O que percebo é que estes ataques pioraram no governo da Dilma.

Responder

    maria

    20/08/2013 - 17h23

    concordo, falta educacao. a populacao nao sabe nada de federalismo, democracia, cidadania, governos, politica, enfim, sao teleguiados, analfabetos politicos, facil convence-los a odiar os politicos e sao um caldo de cultivo facil para o fascismo. onde estao os professores? protestando com eles, no mesmo grau de ignorancia, so pensam nos seus salarios e nos seus direitos, nao tem compromisso com nada mais. sao a geracao mcdonalds, miami e disney. tudo que entrar no bolso da classe c vai sair para os bolsos da china e eua. e ainda vao protestar e alternar os governos que os deixarem viajar, ter carro e microondas e televisao gigante, para comer hamburger e pipoca de microondas assistindo a globo. essa e a felicidade e a cidadania ideal do brasileiro medio com 7 anos medios de estudo, mais nada.

Filipe

20/08/2013 - 14h01

E a concessão dos aeroportos, portos, rodovias, ferrovias? Já que Dilma vem traindo o discurso anti-privatização.

E a base de sustentação conservadora no congresso? (criada por Lula, bom que se diga, mas que mostra a total falta de conhecimento da presidenta)

Responder

    Matheus

    20/08/2013 - 16h40

    Pois é! Só para esses governistas e tucanalhas um governo que privatiza tudo o que pode e corta “gastos” da educação e saúde públicas (enquanto financia a privada com generosidade) é de esquerda.

    Governistas e tucanalhas são farinha do mesmo saco, dois lados da mesma moeda. Tanto que se uniram para afundar a CPI da Privataria. E depois vêm nos dirigir a palavra com a sua típica arrogância e prepotência. Não perdem por esperar.

    maria

    20/08/2013 - 17h25

    falou a milicia psoleira do psdb… e ameacou tambem, tipico, corpos irao rolar, o psol vai massacrar… sangue pelas ruas e vidracas quebradas, praca tahir… e acham que isso é ser de esquerda

Andre Barrocal: Saudosos da ditadura se juntam a patota que vai às ruas no 7 de setembro - Viomundo - O que você não vê na mídia

20/08/2013 - 13h44

[…] André Singer: Coalizão rentista foi às ruas em junho protestar contra Dilma […]

Responder

FrancoAtirador

20/08/2013 - 11h15

.
.
DESVIRTUAMENTO DO SISTEMA SELIC PELOS EMPRESÁRIOS FRAUDADORES

DESVIOS DE RECURSOS EM OPERAÇÕES SIMULADAS

COM LASTRO EM TÍTULOS DA DÍVIDA PÚBLICA,

MANIPULAÇÃO DE RESULTADOS, “ESQUENTA/ESFRIA”,

DESFALQUES EM FUNDOS DE PREVIDÊNCIA PRIVADA,

ESPECULAÇÃO COM CÂMBIO (OVER-DÓLAR E CAIXA 2),

CRIMES TRIBUTÁRIOS E OUTRAS FRAUDES FINANCEIRAS

(http://www.cosif.com.br/publica.asp?arquivo=20040304fraudes)
(http://www.cosif.com.br/mostra.asp?arquivo=mcap_desviodaytrade)
(http://www.cosif.com.br/mostra.asp?arquivo=inte_constituicaixa2)
(http://www.cosif.com.br/mostra.asp?arquivo=crimeinvestidor)
(http://www.cosif.com.br/publica.asp?arquivo=20061206swap)
(http://www.cosif.com.br/mostra.asp?arquivo=mcap_operpassaficha)
(http://www.cosif.com.br/mostra.asp?arquivo=mcap_corretagenscambio)
(http://www.cosif.com.br/mostra.asp?arquivo=camb_overdolarcomiss3)
(http://www.cosif.com.br/mostra.asp?arquivo=funselic2)
.
.

Responder

Valente

20/08/2013 - 10h27

Inclusive estão já manipulando os juros, o dolar, e tudo.

Precisamos de um Chaves. Por isso a máfia fala tanto mal do chavismo.
Sem uma pessoa forte igual a Chaves não daremos conta d amáfia, não.

Responder

Carlos Lima

20/08/2013 - 10h15

Pela movimentação das peças no mundo inteiro, não é só no Brasil, que não há nenhuma possibilidade democrática de vencer o sistema rentista, uma vez que ele também é governo e sendo governo, o escárnio dos bolsos nacionais servem também para tapar os buracos produzidos pela corrupção e pela ganância de arrecadação do governo. Não é possível um governo popular, ao invés de enfrentar o rentismo, simplesmente transformou os bancos de fomento em meros bancos de negociatas como qualquer outro, somente o Banco do Brasil neste semestre obteve um lucro de mais de 10 bilhões, lucro subtraído do suor e sangue dos brasileiros e da classe produtiva, classe essa como os pequenos empresários que foram transformados em funcionários públicos sem estabilidade e sem nenhuma proteção, apenas se tornaram escravos dos vários níveis de governos. Então não se pode esperar muito do que esta ai quanto ao rentismo, o pobre na desculpa da inclusão bancária os transformaram em “dizimistas” para que não restasse nenhum ser brasileiro que não contribuísse para a COROA DO RENTISMO e não são nem atendidos por pessoas humanas, colocaram lá engenhos eletrônicos como posto de coleta desse dízimo perverso que rega famíglias bilionárias que além de sangrar o sistema produtivo, ainda levam para fora em operações suspeitíssimas tudo que aqui arrecada. Nenhum outro brasileiro tem esse privilégio de subtrair da nação mesmo que seja por extrema necessidade. Afinal a receita age como LEÃO COM O POVO e age como CORDEIRO para com os grande sonegadores, somem até com os processos, encostam num canto, enquanto isso pequenos delitos fiscais ADVOGADOS da receita torna a vida do cidadão comum em um verdadeiro inferno. A GLOBO não sabe o que é um ADVOGADO desses, também pudera sem CND contratam e recebem do governo, e as pequenas empresas, há essas até com CND não conseguem nada, Portanto o governo também é um rentista e não tem a menor preocupação em enfrentar essa máquina legalmente montada para surrupiar os bolsos nacionais agindo pior que os corruptos, pois todos sabem, financiam políticos e são corruptores e nada pega neles pois o casal político corrupto e sistema rentista corruptor são muito bem casados e tem como padrinho de casamento o governo e o casamento foi realizado numa “igrejona” chamada BRASIL e o povo recebeu o convite mas tendo que pagar com o seu suor e sangue. Viva os noivos…vivaaaaa

Responder

Mauricio Lourenco

20/08/2013 - 09h57

Para entender o processo político e social no Brasil!!

Responder

flavio jose

20/08/2013 - 07h27

Visão demolidora e realista da situação atual do Brasil. Infelizmente o povo brasileiro não consegue alcançar esta realidade.

Responder

    Jorge Moraes

    20/08/2013 - 14h53

    Com todo o respeito, Flávio, considero a afirmação de que o “povo brasileiro não consegue alcançar esta realidade” é apenas uma expressão (mais uma) do chamado “senso comum”, essa construção ideológica que passa por verdade com facilidade, mas que defrontada com argumentação mais incisiva não tarda a se mostrar o que verdadeiramente é: vento.

    A ideia de que “o povo brasileiro não consegue alcançar esta realidade” teria, de acordo com a linha de pensamento que esboço, as seguintes fragilidades:

    1 – Quem a expressa de certa forma não se considera parte do povo.
    2 – Que o chamado povo não teria condições de compreender minimamente uma análise como a do Professor Singer. Observar, no entanto, que ele mesmo, em sua fala, menciona que a percepção dos momentos políticos vividos chega a independer de uma compreensão mais orgânica do processo.
    3 – Que o resultado de estudos prolongados de uma equipe, que resultaram até em uma tipificação da fase política posterior a 2002 possa ser confundido como um discurso de momento.

    Lafaiete de Souza Spínola

    20/08/2013 - 20h20

    Cada economista tem sua versão!

    Escutem e leiam quantos sejam possíveis. As verdades apresentadas são as mais variadas. O mundo atual é cada vez mais complexo e manipulável.

    Sou a favor de decisão política, com projeto para a construção de um país e sem confronto. É possível!

    Que decisão defendo?

    UM PROJETO PARA A EDUCAÇÃO NO BRASIL!

Deixe uma resposta