VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Advogado de Genoino: Barbosa “sai por uma porta e Justiça entra por outra”

29 de maio de 2014 às 15h16

Ele vai fazer campanha?

Barbosa “sai por uma porta e Justiça entra por outra”, diz advogado de Genoino

Guilherme Balza

Do UOL, em São Paulo 29/05/201413h28

O advogado Luiz Fernando Pacheco, que defende o ex-deputado federal José Genoino (PT-SP) no processo do mensalão, afirmou que o STF (Supremo Tribunal Federal) ficará mais justo e menos autoritário com a saída do presidente da Corte, ministro Joaquim Barbosa, que irá se aposentar.

“Genoino tem sido uma das vítimas do arbítrio, do autoritarismo e da sanha vingativa desse juiz. Ele sai por uma porta e a Justiça entra por outra”, afirmou Pacheco, referindo-se às decisões de Barbosa que impedem alguns presos do mensalão, condenados no regime semiaberto, de trabalhar.

“Vejo o ministro Joaquim como uma pessoa extremamente autoritária. Acho que ele tem tomado decisões contrárias à firme jurisprudência nacional, a fim de prejudicar membros condenados na Ação Penal 470 [mensalão]”, disse o advogado.

Pacheco afirmou que não lhe cabe comentar uma “decisão pessoal, de foro íntimo”, mas disse que, com a saída de Barbosa, o STF fica menos “autoritário”. “Naturalmente esse peso autoritário deixa a Suprema Corte junto com ele.”

Leia também:

Nassif: Advogado que levou PT à derrota no STF é ligado a Gilmar Mendes

Apoie o VIOMUNDO

Crowdfunding

Veja como nos apoiar »

O lado sujo do futebol

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Entre os mais vendidos da VEJA, O Globo, Época e PublishNews. O Lado Sujo do Futebol é o retrato definitivo do que acontece além das quatro linhas. Um dos livros mais corajosos da história da literatura esportiva, revela informações contundentes sobre as negociatas que empestearam o futebol nos últimos anos. Mostra como João Havelange e Ricardo Teixeira desenvolveram um esquema mafioso de fraudes e conchavos, beneficiando a si e seus amigos. Fifa e CBF se tornaram um grande balcão de negócios, no qual são firmados acordos bilionários, que envolvem direitos de transmissão e materiais esportivos. Um grande jogo de bolas marcadas, cujo palco principal são as Copas do Mundo.

por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet.

Compre agora online e receba em sua casa!

 

30 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Messias Franca de Macedo

30/05/2014 - 23h21

Mensalão é colocado em xeque em documentos do Banco do Brasil

http://correiodobrasil.com.br/noticias/brasil/mensalao-e-colocado-em-xeque-em-documentos-do-banco-do-brasil/705074/

Responder

Messias Franca de Macedo

30/05/2014 - 23h11

Barbosa, aposentado, ocupará cargo de destaque na iniciativa privada

Barbosa, após deixar o STF, tende a aceitar um cargo em uma grande empresa brasileira, possivelmente, no campo da mídia conservadora

Jornal Correio do Brasil

Após um breve recesso, o presidente demissionário do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, deverá aceitar o convite para assumir um cargo relevante, “em uma grande organização privada brasileira”, disse fonte ao Correio do Brasil, nesta sexta-feira. Ainda segundo a fonte, que ocupa um posto de destaque no Judiciário do Estado do Rio de Janeiro e falou em condição de anonimato, “(Barbosa) saiu desgastado no meio jurídico, mas ainda tem prestígio junto a um segmento exponencial da sociedade”.
A empresa para qual Barbosa deverá prestar seus serviços não foi revelada, mas pode atuar no campo da mídia conservadora, a qual tão bem soube lhe ser útil durante o tempo em que ocupava a relatoria da Ação Penal (AP) 470, durante o julgamento conhecido como ‘mensalão’. Após sair do STF, não é raro um ministro ser convidado a trabalhar para a iniciativa privada, como foi o caso da ex-ministra Ellen Gracie, que foi membro independente do Conselho de Administração da OGX Petróleo e Gás, até a companhia pedir concordata.
(…)

FONTE: http://correiodobrasil.com.br/noticias/politica/barbosa-aposentado-ocupara-cargo-de-destaque-na-iniciativa-privada/707323/

Responder

Vixe

30/05/2014 - 20h52

Bem, pelo menos se o Brasil perder a Copa do Mundo, eu poderei gastar meus fogos comemorando a saída desse sujeito…

Responder

Messias Franca de Macedo

30/05/2014 - 20h36

(…)
Quando duas aguerridas parlamentares da esquerda do PT – Luciana Genro e Heloísa Helena – ameaçaram subir à tribuna do Congresso para denunciar um caso de agressão de Joaquim a sua ex-mulher, ocorrido muitos anos antes da indicação, quando o casal discutia a separação, o presidente do partido José Genoíno (condenado a seis anos na AP 470) correu em defesa do candidato ao Supremo. Argumentou que a indicação representava um avanço importante na vitória contra o preconceito racial e convenceu as duas parlamentares. (Dez anos depois desse gesto, favorável a um cidadão que sequer conhecia, Joaquim formou sucessivas juntas médicas para examinar o cardiopata Genoíno. Uma delas autorizou a suspensão da prisão domiciliar obtida na Justiça).
(…)

Por jornalista Paulo Moreira Leite

FONTE: http://www.istoe.com.br/colunas-e-blogs/coluna/365896_O+NOVO+PAPEL+DE+JOAQUIM

Responder

Messias Franca de Macedo

30/05/2014 - 19h29

O [PSEUDO-]jornalismo do *Alexandre Garcia das organizações(!) Globo!

Assim começou o ‘Mau Dia Brasil’ de hoje (30/05/2014) pelas ondas potentes do rádio espalhadas por todo este ‘Brasilzão’ do Meu Deus!:

“O que teria levado à renúncia do presidente do STF ministro Joaquim Barbosa? Não foi em função de candidatura [o prazo para filiação já expirou]! Não foi por problemas de saúde: nestes últimos tempos “a ‘coluna’ anda boa”!… O Joaquim Barbosa tem mãe! [segue o pigarro indefectível! Adendo nosso!] O Joaquim Barbosa tem filho, o Felipe! [Perceba a intimidade do ‘calunista’ com o funcionário do Luciano Huck! De novo, adendo nosso!] Bom, e aquele aloprado do PT que ameaçou o Joaquim Barbosa continua (sic) solto! Num país sério (idem sic), já estaria enjaulado(!) Ainda tem um outro militante do PT na internet que afirmou ser ‘Joaquim Barbosa um monstro! E monstro tem que está morto’! Será que teria sido mais ameaças de morte que precipitaram a saída do presidente do STF?
Além do mais o Joaquim Barbosa tem muita razão: ele deve estar mesmo com o saco cheio, muito decepcionado com esse país, com a Justiça desse país!…
[No entanto] Será que o Joaquim Barbosa poderá assumir o Ministério da Justiça no próximo governo?”

Ao término da patifaria, os comerciais da rádio! De volta ao estúdio, o âncora do programa lê uma mensagem de um ouvinte: “Isto tudo é armação! É para colocar outro ministro no lugar do Joaquim Barbosa, para tirar os ladrões da cadeia!” E o âncora não se conteve: “Joaquim Barbosa prestou serviços inestimáveis à nação brasileira! Colocou corruptos graúdos na cadeia! E ele ‘tá’ certo mesmo: recebe R$ 26.000 líquido de salário no STF! Agora, o Joaquim Barbosa vai se dedicar a outras coisas mais rentáveis! Por exemplo, ele dará palestras! Cada uma a R$200.000,00! Ora, ele vai ganhar muito mais! Boa sorte, Barbosa!”

*o jornalista Alexandre Garcia “das organizações(!) Globo” foi porta-voz da ditadura militar! ‘O jornalista amigo dos patrões barões Marinhos’ se dedica a, digamos, capilarizar o PIGolpista! Todas as manhãs, o boçal e sádico direitista/conservador transmite seus comentários através das ondas potentes do rádio, o famigerado ‘Mau Dia Brasil’ [edição radiofônica]!

RESCALDO: lá isso é jornalismo, sô?!…

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Desmascarando o golpe geral

30/05/2014 - 14h13

Se a transposição do Paraiba do Sul não der certo?

Responder

Edna Lula

30/05/2014 - 10h13

Não tenho dúvidas que nenhum outro companheiro será preso injustimente agora! Fora Barbosa! Liberdade para Genoíno, Dirceu, João Paulo, Delúbio e os outros injustiços.

Responder

Fabio Passos

30/05/2014 - 02h53

Responder

Maria Carvalho

29/05/2014 - 20h54

Caso esse ministro saia no próximo mês, como está sendo dito na mídia, imagino que irá aparecer nos palanques tucanos para, caso o candidato psdbista vença, ganhar o ministério da “injustiça”. Aí, veremos se vai agir de maneira ditatorial… vai, nada! conhecerá, então, os meandros de um outro poder.

Responder

Rodrigo Leme

29/05/2014 - 20h05

Desconfie qdo advogado de bandido comemora saída de juiz.

E aí, quem será o próximo advogado do PT a ser indicado?

Responder

    Fábio

    29/05/2014 - 20h42

    Num sei se sabe, mas o Barbosa foi indicado pelo Lula. A lógica de vocês é engraçada, desculpem-me, mas é. O pior é que fecham os olhos para o que esse cara fez com a Lei de Execução Penal, sem falar que não enxergam as relações promíscuas com membros do CNJ (o Falcão, por exemplo, que manifestamente ajuda o filho advogado). Também esquecem dos contratos do IDP de Gilmar Mendes (esse indicado pelo FHC), bem como do controle feudal que ele exerce sobre Diamantino, no Mato Grosso. E o pior é fazer isso por puro clubismo, esquecendo-se que este homem – o Joaquim – recebeu desagravo de TODAS as associações de magistrados e da OAB.

    Edna Lula

    30/05/2014 - 10h15

    O nosso líder Lula, mentor intelectual do povo brasileiro, foi traído pelo traíra Barbosa. O STF agora é nosso!

    wagner paulista de souza

    29/05/2014 - 20h48

    Mamys ?

    Giordano

    29/05/2014 - 21h19

    Putz, é no que dá anos e anos lendo a veja e assistindo aos noticiários da globo na tv. Os neurônios voam e pousam em outras cabeças menos oblíquas!

    Geraldo do Espirito Santo

    29/05/2014 - 22h10

    O pior cego e aquele que não quer enxergar o que esse senhor fez de mal
    ao judiciário. presidindo a mais alta corte do Brasil. Comparado a ele
    somente o tirano que governou ,Idi Amin Dada .
    O pior cego e aquele quer enxergar mais faz uso de um óculos para ler
    revistas e jornais pra falar tamanha besteira.

    renato

    29/05/2014 - 22h35

    Não sei nada de bandido, não lido com eles..
    Só sei que vc foi pro saco!!

    Desmascarando o golpe geral

    30/05/2014 - 14h11

    Oi Rodrigo,

    Você mora em São Paulo?

Urbano

29/05/2014 - 19h35

Inclusive está saindo de onde nem devia ter entrado. Agora, justiça entrando pela outra porta… não acredito muito nisso, não. Vão ver o que ainda ficou do mesmo naipe…

Responder

Elias

29/05/2014 - 19h13

O senador Álvaro Dias, subiu à tribuna do Senado, hoje à tarde, apenas para aparecer no Jornal Nacional com esta frase: “Alguns moradores da Papuda comemoram a aposentadoria do ministro Joaquim Barbosa”. Talvez eu morda a língua, mas Álvaro Dias será o destaque no JN desta noite.

Responder

    Elias

    29/05/2014 - 19h21

    Se é para ir nesse tom, devo dizer que o senador e muitos do seu partido comemoraram a morte de Hugo Chávez.

Messias Franca de Macedo

29/05/2014 - 18h49

Deus é bom! E pelos justos! A verdade vos libertará! Quase não acreditei na notícia, no deslocamento do trabalho para a minha casa! Olhei para o Céu e agradeci, penhoradamente, a Deus! Muito obrigado, Senhor!

O RÁBULA PSICOPATA E O GOLPE jurídico-midiático!

A FARSA DO MENSALÃO [MENTIRÃO] ESTÁ DESMASCARADA! Cadeia nos fascigolpistas, do poder judiciário, do ‘miniSTÉRIO’ Público, do PIGolpista et caterva!!

A verdade vos libertará!

Como podemos depreender, *”o supremo” é, absolutamente, ÍNFIMO!
*”supremoTF”: aspas monstruosas e letras submicroscópicas!

Viva o Brasil! Viva o verdadeiro e honesto povo trabalhador brasileiro!

Messias Franca de Macedo
Feira de Santana, Bahia,
BRASIL

Responder

Rogério Ferraz

29/05/2014 - 17h31

Acho que os advogados deveriam ter mais paciência e esperar para ver se realmente Joaquim Barbosa, finalmente, vai embora. Do jeito que ele é, é capaz de voltar atrás e ficar só para ampliar o suplício de Genoíno, em vingança pelo que o advogado disse.

Responder

FrancoAtirador

29/05/2014 - 16h49

.
.
PGR DIZ QUE DECISÃO DE JB SOBRE SEMIABERTO GERA INSEGURANÇA JURÍDICA

28.05.2014 – 12h47 | Atualizado em 28.05.2014 – 15h53
Agência Brasil/EBC

Reportagem: Ivan Richard | Edição: Beto Coura

O Procurador-Geral da República [PGR], Rodrigo Janot, disse hoje (28) que a decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa [JB], sobre a necessidade de cumprimento de um sexto da pena antes da concessão do benefício do trabalho externo a presos no regime semiaberto pode causar insegurança jurídica e prejudicar presos nessa situação.

Com base no Artigo 37 da Lei de Execução Penal, que prevê a regra, Barbosa negou há duas semanas o pedido feito pela defesa do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu e revogou o benefício ao ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, aos ex-deputados federais Valdemar Costa Neto, Pedro Corrêa e Carlos Alberto Pinto Rodrigues (Bispo Rodrigues), além de Jacinto Lamas, ex-tesoureiro do então Partido Liberal.

Durante apresentação do relatório do Programa Segurança Sem Violência, Janot ressaltou que as medidas alternativas ajudam na ressocialização dos presos e devem ser incentivadas para crimes em que o potencial ofensivo seja menos danoso à sociedade.

“O problema que se coloca em interpretação de direito é a segurança jurídica.
Tínhamos uma interpretação, já de algum tempo, de que não seria necessário o cumprimento de um sexto da pena para que o preso pudesse alcançar o privilégio do trabalho externo.
Uma modificação nessa interpretação jurídica pode causar insegurança jurídica.
E, em causando insegurança jurídica, pode refletir em demais presos sim”, argumentou Janot.

Sem citar diretamente o ministro Joaquim Barbosa, o presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, Marcus Vinícius Coêlho, disse que uma mudança na aplicação da regra para aplicação do benefício do trabalho externo a presos condenados a regime semiaberto vai prejudicar mais de 77 mil detentos nessa situação.

“Temos hoje no Brasil 77 mil presos no regime semiaberto.
A todos eles, sem discriminação, deve se dado o direito ao trabalho, porque esse é o regime da lei.
Não pode haver vitória do discurso da intolerância:
se o condenado é inimigo eu devo cumprir a lei, se é amigo não devo cumprir.
A interpretação vingativa de um caso concreto não pode prejudicar 77 mil presos nesse regime assegurado por lei”,
frisou o presidente da OAB.

(http://www.ebc.com.br/noticias/politica/2014/05/janot-diz-que-decisao-sobre-semiaberto-gera-inseguranca-juridica)
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    29/05/2014 - 16h55

    .
    .
    Leia também:

    PROGRAMA SEGURANÇA SEM VIOLÊNCIA

    “Segurança sem Violência é oportunidade histórica de mudança”

    A ação inédita no Brasil reúne representantes da sociedade civil e diversos órgãos, como Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), Supremo Tribunal Federal (STF), Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e Conselho Nacional de Defensores Públicos Gerais (Condege).

    (http://migre.me/jrwGG)
    .
    .

    Mário SF Alves

    29/05/2014 - 19h56

    “Segurança sem Violência é oportunidade histórica de mudança”

    Segurança sem violência, prezado FrancoAtirador, como você bem sabe, depende de mais equidade em lugar de tanta iniquidade. Passa por mais tolerância e menos arrogância. Passa pela superação de preconceitos. Passa, enfim, pela consolidação da Democracia, e desagua, inexoravelmente, na certeza do respeito aos direitos de cada um.

    Ainda chegaremos lá!

    FrancoAtirador

    30/05/2014 - 00h26

    .
    .
    Mestre Mário.

    Estou encaminhando o seu procedente comentário

    ao Ministro da Justiça José Eduardo Cardozo (PT-SP).

    Foi ele quem fez a afirmação acima transcrita.

    (http://www.brasil.gov.br/defesa-e-seguranca/2014/02/seguranca-sem-violencia-e-oportunidade-historica-de-mudanca-diz-cardozo)
    .
    .

    FrancoAtirador

    29/05/2014 - 19h10

    .
    .
    As duas posições de Joaquim Barbosa sobre o regime fechado

    O mesmo Barbosa que desautorizou o trabalho externo para José Dirceu,
    criticou o governo Dilma por manter em regime fechado um paraguaio
    que já poderia ter sido beneficiado com a progressão para o regime semiaberto.

    Por Najla Passos, na Carta Maior

    Brasília – O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, criticou o governo brasileiro, durante a sessão plenária desta quarta (28), por manter preso em regime fechado por tempo superior ao necessário o paraguaio Idelino Ramon Silveiro, condenado a 28 anos de prisão no Brasil por uma série de crimes, como roubo, furto e formação da quadrilha, mas com extradição para seu país de origem já autorizada pela corte máxima.

    As críticas foram motivadas porque Idelino cumpre regime fechado há quase nove anos: pelas leis brasileiras, já deveria ter tido direito à progressão para o semiaberto.
    Entretanto, como sua extradição foi autorizada, foi decretada também sua prisão preventiva, o que o obriga a permanecer no regime fechado.
    E, pelo entendimento da corte, só a presidenta da república pode mudar o quadro, por meio da extradição imediata ou da expulsão.

    Barbosa não foi o único a fazer a crítica. Tampouco o mais duro. Todos os ministros ressaltaram que a inoperância do Ministério da Justiça causa o estrangulamento do já tão precário sistema carcerário brasileiro, impedindo a progressão de pena dos que têm direito a ela ou mesmo mantendo na cadeia aqueles que já cumpriram sua dívida com a justiça. “Como não há gestão deste tema, as pessoas ficam por aí cumprindo pena”, destacou o ministro Gilmar Mendes, que não perde a oportunidade de atacar o governo Dilma.

    O que causa estranhamento é Barbosa endossar a crítica. Justamente ele que, no último dia 9, decretou, por decisão individual, o fim do sistema semiaberto no país, ao determinar que o ex-ministro José Dirceu, condenado ao regime pela ação penal 470, só poderia trabalhar após cumprir um sexto da pena, conforme o que afirma de forma genérica a Lei de Execução Penal.

    A medida atingiu também, em cadeia, os outros condenados da ação penal 470 que já estavam trabalhando fora do presídio: o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, os ex-deputados Valdemar Costa Neto (PR-SP), Pedro Corrêa (PP-PE) e Bispo Rodrigues (PL-RJ), e o ex-tesoureiro do antigo PL, Jacinto Lamas. E ameaça outros 77 mil presos do mesmo regime que desempenham funções fora da penitenciária, conforme cálculos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

    Fora do eixo

    A decisão de Barbosa acerca do ex-ministro não tem paralelo. Desde 1999, o entendimento firmado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) é que o preso condenado ao regime semiaberto pode começar a trabalhar imediatamente: o cumprimento de pelo menos um sexto da pena, utilizada como argumento por Barbosa, só vale para os presos em regime fechado, ou seja, condenados a mais de 8 anos.

    Na avaliação do presidente da OAB, Marcus Vinícius Furtado Coêlho, trata-se de vingança pessoal. “Temos hoje no Brasil 77 mil presos no regime semiaberto. A todos eles, sem discriminação, deve se dado o direito ao trabalho, porque esse é o regime da lei. Não pode haver vitória do discurso da intolerância: se o condenado é inimigo eu devo cumprir a lei, se é amigo não devo cumprir. A interpretação vingativa de um caso concreto não pode prejudicar 77 mil presos nesse regime assegurado por lei” “.

    Não foi o único. Na semana passada, a Comissão Brasileira Justiça e Paz (CBJP), ligada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), divulgou nota criticando a decisão do presidente do STF: “A CBJP tem a firme convicção de que as instituições não podem ser dependentes de virtudes ou temperamentos individuais. Não é lícito que atos políticos, administrativos e jurídicos levem a insuflar na sociedade o espírito de vingança e de ‘justiçamento’. Os fatos aqui examinados revelam a urgência de um diálogo transparente sobre a necessária reforma do Judiciário e o saneamento de todo o sistema prisional brasileiro”.

    Todos contra Barbosa

    A reação da comunidade jurídica é forte. “Um ministro do STF tem todas as garantias possíveis para imprimir à atuação do tribunal uma postura condizente com a defesa mínima dos direitos dos condenados. José Dirceu está preso, está sob a tutela do Estado. O Judiciário não pode fazer de conta que ele não tem direitos. Há um jogo de faz de conta em curso. Pretende-se fazer de José Dirceu um troféu. Qualquer coisa pode ser feita para garantir que tal objetivo seja alcançado”, disse ao jornalista Paulo Moreira Leite o professor de direito e membro do CNMP, Luiz Moreira.

    O professor da PUC-RS e conselheiro da OAB, Alexandre Wunderlich disse à Folha de São Paulo que a lei prevê que, antes do cumprimento de um sexto da pena, o trabalho deve ocorrer em colônias agrícolas ou industriais, mas que o “trabalho externo é admissível”. “Como os presídios não têm essas colônias, os juízes permitem o trabalho externo. Se estivesse no Rio Grande do Sul, Dirceu estaria no regime aberto ou com tornozeleira eletrônica porque não há vagas no regime semiaberto”, comparou.

    O PT recorreu ao plenário do STF e também divulgou nota: “Ao obstruir novamente, de forma irregular e monocrática, o direito de José Dirceu cumprir a pena em regime semiaberto,o ministro Joaquim Barbosa comete uma arbitrariedade, tal como já o fizera ao negar a Jose Genoino, portador de doença grave, o direito à prisão domiciliar. Mais ainda: apoiando-se em interpretação obtusa, ameaça fazer regressar ao regime fechado aqueles que já cumprem pena em regime semiaberto, com trabalho certo e atendendo a todas as exigências legais. O PT protesta publicamente contra este retrocesso e espera que o plenário do STF ponha fim a este comportamento persecutório e faça valer a Justiça”.

    O ministro do STF, Marco Aurélio de Mello, é outro que já afirmou publicamente discordar da decisão do colega. Segundo ele, exigir o cumprimento de um sexto da pena é uma incoerência. “Quando tiver um sexto, já vai para o aberto. É um equivoco, porque o sistema não fecha”, afirmou. E se disse preocupado que os juízes das instâncias inferiores decidam segui-lo. “O STJ tem jurisprudência há 10 anos. Será que a juizada vai se curvar à decisão? O prestígio do senhor presidente está tão grande assim?”, ironizou.

    O procurador-geral da República, Roberto Janot, é outra voz contrária. “O problema que se coloca em interpretação de direito é a segurança jurídica. Tínhamos uma interpretação, já de algum tempo, de que não seria necessário o cumprimento de um sexto da pena para que o preso pudesse alcançar o privilégio do trabalho externo. Uma modificação nessa interpretação jurídica pode causar insegurança jurídica. E, em causando insegurança jurídica, pode refletir em demais presos sim”, argumentou à Agência Brasil.

    (http://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Politica/Barbosa-critica-governo-por-manter-preso-paraguaio-em-regime-fechado/4/31036)
    .
    .

Francisco

29/05/2014 - 16h00

Daqui há trinta anos o que restará?

restarão duas certezas:

Restará a perversidade e ironia de se meter na cadeia um dos artifices do regime democrático, da sociedade de oportunidades inclusivas e do império da Lei no Brasil. Um dos heróis centrais da Constituição de 1988.

Restará um juiz rigido, como um juiz pode optar por ser (é seu direito), mas que praticou rigidez seletiva, esmagando o fraco e fazendo vista grossa ao poder oligárquico, excludente e pouco timido, diante de soluções politicas que coloquem em risco o pleno Estado de Direito.

Usar a expressão “vista grossa” para com um juiz do Supremo é um procedimento um pouco rude para um repúblicano, como sou.

Devo retirar o que disse? É “perigoso” se expressar assim com um Juiz do STF?

Mas justamente por ser republicano, me lembro: agora Joca (vulgo “Joca do Mensalão Tucano”) é tão contribuinte quanto eu e, se abrir a boca para falar de politica, pode receber todos os impropérios que desferiu contra Dirceu e Genuino. Graças a Joca Cospe-no-Prato-que-Comeu, qualquer delirio acusatório pode, não há qualquer limite…

Você, Jojoca (o “Jojoca da Vista Grossa”), abriu as portas do inferno. Lhe desejo vida longa no inferno que você mesmo criou…

Responder

Mário SF Alves

29/05/2014 - 15h49

“Alguém com expressão raivosa e confusa perambula sozinho pelas esplanadas de Brasília, incensado apenas por globais sonegadores e coxinhas psicóticos.

Até o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, um conservador corporativo como parecem ser todos no Ministério Público, percebeu que não é boa ideia morrer abraçado com Barbosa. E declarou, em alto e bom som: a decisão de Barbosa, de não permitir que os réus da AP 470 trabalhem fora, cria “insegurança jurídica”.

A OAB calcula que quase 80 mil presos podem ser prejudicados pela decisão de Barbosa.

O presidente do STF agora só tem um esteio, a grande mídia, ou, mais exatamente, os quatro cavaleiros do apocalipse: Globo, Folha, Estadão e Veja, o grupinho gente boa que “alguns” chamam de PIG.”

Adaptado do O Cafezinho:

http://www.ocafezinho.com/2014/05/28/barbosa-isolado-procurador-geral-pula-fora-do-barco/#sthash.xU1qUFht.dpuf

Responder

Aline C. Pavia

29/05/2014 - 15h42

Já vai tarde.

Responder

Deixe uma resposta