VIOMUNDO

Diário da Resistência


Opinião do blog

Haddad: Livrar São Paulo do higienismo social


28/10/2012 - 17h17

por Luiz Carlos Azenha

Lula elegeu-se presidente, em 2002, como herdeiro dos movimentos sociais que militaram contra a ditadura e defenderam a inclusão social.

Escolheu, para sucedê-lo, Dilma Rousseff, a tecnocrata de classe média mais preocupada com a eficiência da máquina administrativa do que com o debate ideológico.

Depois de eleger a primeira mulher presidente da República, Lula patrocinou o “novo”, em São Paulo, o que pode ser visto sob vários aspectos: mudança geracional, mudança em uma cidade marcada pelo continuismo tucano, mudança no PT pós-mensalão…

A eleição de Haddad pode marcar, também, a consolidação da guinada do PT do sindicalismo militante à academia militante.

O novo prefeito de São Paulo tem ligações profundas com a Universidade de São Paulo, que será essencial na formulação das políticas públicas necessárias para enfrentar a crise urbana na maior cidade brasileira.

Encarar a péssima qualidade de vida em São Paulo com soluções criativas, baseadas na inclusão social, requer ouvir os afetados pela crise, especialmente na periferia, e em seguida transformar as reivindicações em políticas viáveis. A crise urbana em São Paulo é, aliás, a crise urbana de todas as metrópoles brasileiras, o que dá dimensão nacional a qualquer solução bem sucedida na capital paulista.

Deng Xiaoping, o líder chinês, dizia que não importava a cor do gato, desde que capturasse o rato.

Se Dilma encarna a preocupação do PT com o governo de resultados, Haddad, pela natureza do cargo que assumirá, representa um passo além. Seu desafio será traduzir em políticas públicas ideias capazes de reverter o quadro que nos levou ao caos urbano, resultado da aplicação do neoliberalismo à maior metrópole brasileira. Em outras palavras, buscar um caminho alternativo ao dos tucanos, que apostaram na privatização com higienismo social.

Leia também:

Miguel Nicolelis: SP como centro da inovação cultural

Fillipi e Zaratini: Como será o Arco do Futuro

Raquel Rolnik: A revalorização do espaço público em São Paulo

A carta para incentivar o uso das bicicletas

Emicida: Em defesa de investimentos na periferia

Ermínia Maricato: A importância da reforma urbana

Altamiro Borges: Repensar a privatização da saúde





23 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

A reportagem sobre a guerra contra os Guarani « Viomundo – O que você não vê na mídia

31 de outubro de 2012 às 17h58

[…] Haddad: Livrar São Paulo do higienismo social […]

Responder

Paulo Metri: Inaugurada a temporada de caça ao petróleo brasileiro « Viomundo – O que você não vê na mídia

31 de outubro de 2012 às 12h21

[…] Haddad: Livrar São Paulo do higienismo social […]

Responder

Pública: Governador zombou de pedido dos Guarani « Viomundo – O que você não vê na mídia

30 de outubro de 2012 às 22h10

[…] Haddad: Livrar São Paulo do higienismo social […]

Responder

Flavio Moreira

30 de outubro de 2012 às 17h28

Espero que o Haddad consiga reverter de fato o processo higienista encabeçado por Serra e mantido por Kassab. Foi na gestão desses dois que foram fechados abrigos do centro que atendiam moradores de rua, foram suspensas cooperativas de catadores, passando a coleta seletiva a ser feita por meia dúzia de empresas indicadas pela prefeitura, e as pessoas dependentes de crack que perambulam pela região da Luz e Campos Elíseos foram tratados como lixo.
O trabalho será árduo, e Haddad tem um alvo gigantesco estampado no peito para a grande mídia e a oposição (sic) raivosa. A blogosfera progressista precisa continuar atenta e não se deixar levar pelo clima de “já ganhou”. Demos muito duro para conseguir colocar o Haddad lá, desmentindo a mídia e tentando abrir os olhos daqueles à nossa volta para as armações contra o PT. Não podemos relaxar, pois agora começa o segundo round. Vamos para luta!

Responder

Jorge Viana: Prioridade do PT passa de inclusão a qualidade dos serviços públicos « Viomundo – O que você não vê na mídia

29 de outubro de 2012 às 18h32

[…] do Viomundo: Políticas públicas sem higienismo, com a ajuda da USP, foi o que escrevi aqui. Vladimir Safatle observou, aqui, que os limites do lulismo haviam sido atingidos; que só a oferta […]

Responder

E a Globonews consegue derrotar Lula… « Viomundo – O que você não vê na mídia

29 de outubro de 2012 às 13h39

[…] Haddad: Livrar São Paulo do higienismo social […]

Responder

Merval Pereira: O mito e os fatos « Viomundo – O que você não vê na mídia

29 de outubro de 2012 às 13h39

[…] Haddad: Livrar São Paulo do higienismo social […]

Responder

Leitores atribuem derrota do PT em Salvador a Jaques Wagner « Viomundo – O que você não vê na mídia

29 de outubro de 2012 às 13h38

[…] Haddad: Livrar São Paulo do higienismo social […]

Responder

Bonifa: Só carisma de Lula não basta para vencer no NE « Viomundo – O que você não vê na mídia

29 de outubro de 2012 às 13h37

[…] Haddad: Livrar São Paulo do higienismo social […]

Responder

José Arlindo

28 de outubro de 2012 às 23h45

E Miguel nicolélis para Reitor da USP

Responder

Luana

28 de outubro de 2012 às 22h55

A eleição de Haddad pode marcar, também, a consolidação da guinada do PT do sindicalismo militante à academia militante.

Rapaz, podem falar o que quiser do Lula, mas aquele nordestino da cabeça chata é um gênio da política. Tirou 40 milhões da miséria, inseriu o PRO-Uni e, agora, ao colocar a USP no poder e dialogando com a intelectualidade traz, também, para o debate, a politização no país, uma visão de mundo mais participativo e igualitário.

É por isso que a crítica será acirrada. Enquanto a mídia quer manter o controle da mente dos brasileiros, a academia vai trabalhar para libertar o homem através do conhecimento. Não é incrível?

Responder

Regina Braga

28 de outubro de 2012 às 22h30

Grande Tarefa do Haddad.

Responder

Fabio Passos

28 de outubro de 2012 às 21h50

É gigantesco o trabalho de Haddad p/ resgatar São Paulo.

Responder

Rodrigo Leme

28 de outubro de 2012 às 19h19

Olha só: um textodo Azenha com o qual concordo 100%. O desafio é esse mesmo. Resta saber se o candidato de um partido que alimenta o confronto entre classes conseguirá fazer essa aproximação…mas o felino que tenho do Haddad é que ele está distante dessa agressividade. Veremos.

Responder

    Darcy Brasil Rodrigues da Silva

    28 de outubro de 2012 às 21h00

    A velha e igualmente falsa ideia de que existem partidos que alimentam o confronto entre as classes”. A história das sociedades humanas sempre foi a História da luta de classes,muito antes de terem surgido na face da Terra agremiações partidárias. Todo partido ( assim como todo comentarista)terá necessariamente que ser reportar a essa ou aquela classe e a inevitável luta que se desencadeará entre elas por conta de terem interesses contrários, antagônicos,vendo-se na contingência de escolher um dos pólos dessa relação existente na sociedade,relação que se converte em luta de classes espontaneamente, sem que haja necessidade de nenhum partido para tanto. Sendo a nossa sociedade dividida entre classes antagônicas, profundamente desigual, em que uma minoria de privilegiados continua a viver do fruto do trabalho de seus semelhantes, analogamente ao que fizeram outros privilegiados no passado, como os senhores de engenho que viveram do fruto do trabalho dos escravos, não há como conciliar esses contrários ou deixar de escolher um dos lados.Lógico que a conquista de uma simples prefeitura obriga a que se respeite a cada munícipe como iguais. E é exatamente por isso que se deverá tratá-los de modo diferente,pois a realidade que se encontra revela que esse tratamento igualitário jamais se concedeu por parte de partidos que se gabavam de não fomentar a luta de classes, enquanto investiam a maior parte dos recursos públicos nos bairros nobres, e a maior parte da força policial em operações repressivas contra a população da periferia. E haveria naquela época, na dos senhores de escravos, algum Rodrigo que contestasse os que queriam “alimentar o confronto entre aquelas classes”? Sim, havia, pois sempre há: tratavam-se dos jesuítas a confortar os escravos com a equalização deste estado de coisas depois da morte.

    Rodrigo Leme

    29 de outubro de 2012 às 08h51

    Darcy, me desculpa a franqueza, mas que bobagem. Aimentar a luta de classes é justamente o que trava o desenvolvimento desse país. A conciliação sempre será o caminho ideal, alguém que trabalhe em nome da população como um todo, e não necessariamente tendo que prejudicar um grupo de pessoas para favorecer outro.

    E sua comparação com a escravidão é ridícula, não dá nem pra comentar um absurdo desses. É parte dessa mistificação burra de que temos que viver uma guerra ao invés de buscar a harmonia.

    Fabio Passos

    29 de outubro de 2012 às 07h19

    você é um filhote de serra & malafaia.
    cria do PiG.

    não engana ninguém. rsrs

Murdok

28 de outubro de 2012 às 18h48

O caos urbano que vivemos, principalmente na cidade de São Paulo, é o rastro deixado pelo neoliberalismo tukano.

Responder

Leo V

28 de outubro de 2012 às 18h18

Ai que saudade de São Paulo.

Caos é Belo Horizonte. São Paulo é o paraíso perto de BH.

Responder

    Willian

    28 de outubro de 2012 às 18h27

    Verdade. Basta ter um prefeito do PT que a cidade muda para melhor. É automático. Verdade também que nas duas vezes que o PT governou a cidade o povo não reelegeu o prefeito, mas aí foi um erro do povo, que não soube votar.

FrancoAtirador

28 de outubro de 2012 às 17h42

.
.
O problema é que os ratos da Prefeitura SP

já estão fugindo para o Palácio Bandeirantes.

A ratazana da extrema-direita continua aí

e só os movimentos sociais podem combatê-la.

Unir os anseios acadêmicos às causas populares

por meio de uma administração participativa

será essencial para que a cidade de São Paulo

se livre das garras do obscurantismo autoritário

coordenado a partir do Governo do Estado paulista.

É a esperança que surge com a eleição de Haddad.
.
.

Responder

Ibope em São Paulo: Haddad 57% x Serra 43% « Viomundo – O que você não vê na mídia

28 de outubro de 2012 às 17h21

[…] Opinião do blog: Livrar São Paulo do higienismo social […]

Responder

Deixe uma resposta para Bonifa: Só carisma de Lula não basta para vencer no NE « Viomundo – O que você não vê na mídia

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding