VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Denúncias

Tortura Nunca Mais: O uso de armas não-letais


27/02/2011 - 15h51

REGULAMENTAÇÃO DO EMPREGO DE ARMAS NÃO-LETAIS

A violência policial sofrida pelos estudantes durante as recentes manifestações contra o aumento da passagem de ônibus em São Paulo, levanta um tema de fundamental importância para a cidadania e toda a sociedade. É preciso enfrentarmos a discussão da mudança de conduta das forças de segurança do estado frente à liberdade de manifestação e expressão. É inadimissível o emprego da força da forma que foi orientada em um estado democrático de direito, mostrando a falta de preparo para uma atuação que respeite os cidadãos e a constituição, deixando evidente a falta de parâmetros e o despreparo para o emprego e uso das chamadas armas não-letais.

A justiça de transição para operar de forma satisfatória na consolidação da democracia após uma longa ditadura como a nossa, tem como condição que o Estado Brasileiro atue em várias frentes para realizar uma efetiva mudança e o fortalecimento de instituições democráticas. No Brasil um dos aspectos mais importantes para a construção do Nunca Mais tem sido negligenciado e omitido do debate, ou seja, a visão do inimigo interno permanece inalterada nas forças de segurança que ainda agem contra as manifestações populares como se aqui o regime vivido fosse uma ditadura.

Temos de ter uma Comissão da Verdade, que possa consultar os arquivos militares, restabelecendo a verdade, apontando o caminho para que o ciclo da impunidade seja quebrado e para isso o Brasil deve cumprir integralmente a decisão da Corte Interamerica sobre o caso Araguaia, como bem demonstrou a OAB encaminhando, por sugestão do Prof. Comparato, ofício à presidenta Dilma, porém devemos também enfrentar o desafio de trazer as estruturas de segurança pública para que atuem dentro do conceito democratico de sociedade em que vivemos, pondo fim à criminalização dos movimentos sociais e da pobreza.

O Grupo Tortura Nunca Mais de São Paulo oficiou a Ouvidoria da Polícia do Estado de São Paulo para que possamos ter acesso às normas internas e recomendações do emprego de armas não-letais feita pelos comandos das polícias de nosso estado aos seus subordinados policiais militares e da guarda civil, bem como a legislação. Entendemos que uma reformulação da mentalidade e conduta se faz necessária para o avanço e fortalecimento da democracia e passa pelo investimento e melhora das ouvidorias, da educação em direitos humanos junto à tropa, como também na criação de mecanismos de controle social como a regulamentação dos armamentos não-letais, envolvendo as entidades de direitos humanos e toda a sociedade num diálogo por reais mudanças nas forças de segurança em nosso país.

Atenciosamente,
Marcelo Zelic
Vice-presidente do Grupo Tortura Nunca Mais-SP e membro da Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo
Coordenador do Projeto Armazém Memória
www.armazemmemoria.com.br
[email protected]

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



129 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Vânia Lopes

09 de março de 2011 às 14h21

TROFÉU ANTA DE COMUNICAÇÃO
Meu voto para ganhar o Troféu Anta de Comunicação vai para REINALDO AZEVEDO(da INveja)
Vide blog: http://quemtemmedodolula.blogspot.com/2011/03/vin

Responder

Wilson Nascimento

02 de março de 2011 às 01h52

É a policia do Beato Opus Dei Alckmin.

Abraços

Credo em cruz.

Responder

Jonhson

01 de março de 2011 às 06h25

Covardia!!!

Responder

Ivan

01 de março de 2011 às 02h02

Contra manifestação de estudantes e professores a polícia tem "pulso firme", já qdo é o pcc q ta do outro lado, ai eles fazem acordo.

Responder

ZePovinho

28 de fevereiro de 2011 às 21h57

Me lembrei do CARACAZO,ocorrido na Venezuela em 1989 e onde a elite neoliberal de lá mandou assassinar o povo na rua.
Ali nasceu a Venezuela bolivariana:
http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_secao=7

Venezuela homenageia vítimas do massacre de El Caracazo
Os restos mortais de 71 venezuelanos assassinados durante a rebelião popular conhecida como "El Caracazo", que ocorreu em 27 de fevereiro de 1989, foram sepultados no cemitério de Caracas, onde autoridades oficiais prestaram homenagem às vítimas. “O governo venezuelano, guiado pelo presidente Hugo Chávez, encarrega-se de reivindicar a história”, afirmou Darío Vivas, deputado pelo Partido Socialista Unido da Venezuela.
"El Caracazo" aconteceu nos municípios de Caracas e Guarenas, no estado de Miranda, durante o segundo mandato do ex-presidente Carlos Andes Pérez. A população se revoltou contra o pacote de medidas econômicas neoliberais arquitetadas pelo governo Pérez e solicitadas pelo FMI, que levou ao aumento dos preços dos alimentos e combustíveis. A repressão militar e policial contra os protestos deixou centenas de mortos. ……………………..

Presionado por el Fondo Monetario Internacional (FMI) el presidente venezolano, Carlos Andrés Pérez, toma un conjunto de medidas antipopulares que provocan una reacción donde miles de personas saquean comercios e incendian vehículos en protesta por el alza de los precios. La Policía y el Ejército arremeten contra el pueblo y dan muerte a más de 5 000 personas.

Las protestas se iniciaron en Guarenas (una ciudad cercana a Caracas), la mañana del 27 de febrero de 1989. Rápidamente se extendieron a la capital y otras ciudades del país. Desbordado por los saqueos, el Gobierno declaró el estado de emergencia, militarizó la ciudad y aplastó las protestas con violencia desmesurada.

Esta matanza se conoce como el Caracazo. La represión fue especialmente dura en los barrios pobres de la capital (los cerros). Durante varios días la ciudad de Caracas vivió sumida en el caos, las restricciones, la escasez de alimentos, la militarización, los allanamientos, la persecución y el asesinato de personas inocentes. El Estado se comprometió a indemnizar a las víctimas, promesa que no se cumplió.

La medida que originó el Caracazo fue el incremento de los precios del transporte público.

[youtube t9YLnP8rqJI http://www.youtube.com/watch?v=t9YLnP8rqJI youtube]

Responder

ZePovinho

28 de fevereiro de 2011 às 21h17

Vejam as fotos do velho de 71 anos,21 trabalhando na CIA,que levou a maior surra só porque virou as costas para Hillary Clinton.Essa é a democracia tucana,quero dizer,americana:
http://resistir.info/pilger/pilger_24fev11.html

A palavra que não ousamos pronunciar por trás da revolta árabe
por John Pilger

Logo após a invasão do Iraque em 2003 entrevistei Ray McGovern, um dos membros de um grupo de elite de responsáveis da CIA que preparavam o resumo diário de inteligência do presidente. McGovern estava no cume do monolito da "segurança nacional" que é o poder americano e havia-se aposentado com aplausos presidenciais. Na véspera da invasão, ele e 45 outros responsáveis sénior da CIA e de outras agências de inteligência escreveram ao presidente George W. Bush que os "tambores da guerra" não eram baseados em inteligência e sim em mentiras.

"Era farsa em 95 por cento", disse-me McGovern.

"Como é que eles conseguiram escapar sem punição?"

"A imprensa permitiu aos loucos escaparem sem punição".

"Quem são os loucos?"

"As pessoas que dirigem a administração [Bush] têm um conjunto de crenças, um bocado como aquelas expressas no Mein Kampf… elas eram mencionadas nos círculos em que me movia, no topo, como 'os loucos'."

Disse eu: "Norman Mailer disse acreditar que a América entrou num estado pré-fascista. Qual é a sua visão disso?"

"Bem… espero que ele esteja certo, porque há outros a dizerem que nós já estamos num modo fascista".

Em 22 de Janeiro, Ray McGovern enviou-me um email exprimindo o seu desgosto com o bárbaro tratamento da administração Obama para com o alegado denunciante Bradley Manning e a sua perseguição do fundador da WikiLeaks, Julian Assange. "Muito tempo atrás George e Tony decidiram que podia ser divertido atacar o Iraque", escreveu, "Eu disse com efeito que o fascismo já havia principiado aqui. Tenho de admitir que não pensei que isto ficaria tão mau assim rapidamente".
Em 16 de Fevereiro, a secretária de Estado Hillary Clinton pronunciou um discurso na George Washington University na qual condenou governos que prendiam manifestantes e esmagavam a livre expressão. Ela louvou o poder libertador da Internet mas não de mencionou que o seu governo planeia encerrar aquelas partes da Internet que estimulam a discordância e falar a verdade. Foi um discurso de hipocrisia espectacular e Ray McGovern estava na audiência. Ultrajado, levantou-se da sua cadeira e silenciosamente virou as costas a Clinton. Foi imediatamente capturado pela polícia e por um estúpido segurança, espancado no chão, arrastado para fora e atirado numa cela, a sangrar. Ele enviou-me fotografias dos seus ferimentos. Tem 71 anos. Durante a agressão, a qual foi claramente visível para Clinton, ela não interrompeu o seu discurso…………………………………..

Responder

Luci

28 de fevereiro de 2011 às 18h42

O prefeito unido ao governador tem de dirigir seus esforços para resolver o problema das enchentes. Mais um alagamento, é o apagão da administração da repressão.

Responder

Luci

28 de fevereiro de 2011 às 18h19

A Onu inaugurou a instituição ONU Mulheres que cuidará das questões de genêro no mundo.Repressão demonstra que o governo municipal de São Paulo (3a maior cidade do mundo) está atrasado nas relações poder público e mulheres. A foto da jovem atingida por bala de borracha é uma agressão às mulheres e seu direito de manifestação pacífica.Some-se a esta o que aconteceu com aquela escrivã da polícia cívil, amplamente divulgado pela imprensa. Pelo direito das mulheres manifestarem-se contra injustiças e opressão.Pelo fim da violência institucional contra mulheres. Os países em desenvolvimento tem que respeitar as minorias. 3,00 o valor do ônibus é abusivo, irreal para a realidade de nosso país. Transporte público não é serviço para enriquecer alguns.

Responder

gonçalves

28 de fevereiro de 2011 às 17h15

parabens carmem o eleitor de sp tem a policia q merece baderna tem q ser reprimida

Responder

Vinicius Garcia

28 de fevereiro de 2011 às 16h51

A polícia defende os interesses da elite, quando deixar de fazer isso, não será mais polícia.

Responder

Mauro Vieira

28 de fevereiro de 2011 às 16h21

Eita porra!

O governo acaba de anunciar um corte de 18 bilhões nos investimentos (leia-se PAC), incluindo 5 bilhões do Minha Casa Minha Vida!

Palocci venceu! O neoliberalismo voltou!

Responder

Justiça

28 de fevereiro de 2011 às 14h23

As imagens demonstram desrespeito a dignidade humana, as manifestações/ protesto expõe que problemas existem entre executivo municipal e população da cidade dee São Paulo.Governantes milionários tendem a não compreender as necessidades básicas do povo humilde que eles governam. A repressão é o limite da falta de sabedoria e solidariedade.

Responder

Truculência

28 de fevereiro de 2011 às 14h17

É possível imaginar o que acontece nas periferias com o povo pobre.

Responder

Luci

28 de fevereiro de 2011 às 13h55

Quando os jovens protestam é a demonstração que a sociedade tem esperança na mudança, que governantes conservadores/opressores que não dialogam mudem seus comportamentos com o povo que os elegeu, confiando numa parceria governante e cidadãos. Ignorar a aflição do povo é estar na contramão da história universal, a política global indica: a humanidade quer prosperidade, felicidade e governantes democraticos, justos, éticos, que respeitem os direitos universais do homem. Para governar tem que aprender a dialogar com o povo e governar para todos com a mesma eficiência.A truculência macula a imagem da cidade e do país, no quesito maniestações populares e Direitos Humanos.

Responder

Luci

28 de fevereiro de 2011 às 12h07

O Bispo da cidade de São Paulo, foi a posse de Kassab, será que ele não vai manifestar-se?

Responder

profjosepsantos

28 de fevereiro de 2011 às 12h02

Marcelo,
perfeito seu texto e fico feliz com a cobrança do Tortura Nunca Mais quanto ao uso das armas não letais pela Polícia Militar Paulista.
No meu ponto de vista, o constante "excesso" da PM-SP não é puro despreparo e sim orientação política. Em meu blog fiz um breve levantamento dos últimos atos de repressão violenta da PM paulista: http://bitw.in/okN

Responder

    Morvan_Br

    28 de fevereiro de 2011 às 15h08

    Boa tarde.
    Concordo, profjosepsantos. Ademais, nunca nos esqueçamos de que este aparato repressor (polícia) ainda é o mesmo do regime militar. Em outras palavras, não houve qualquer mudança de orientação política, ideológica e / ou filosófica por parte desta categoria de trabalhadores. Aliás, como dizia Zé Pinto, famoso artista cearense, "a polícia é ó único trabalhador que bate no patrão". Precisa haver um grande trabalho de educação e de recursos humanos na polícia, senão viveremos eternamente criando leis para refrear a lascívia destes senhores contra a massa trabalhadora e ativista deste país.

    Morvan, Usuário Linux #433640

    gonçalves

    28 de fevereiro de 2011 às 19h33

    da para explicar as pedras rojoes e bombas caseiras de posse dos baderneiros prof ?

Luci

28 de fevereiro de 2011 às 11h59

Pois é descobriram mais um sistema de divisão do povo: os que utilizam ônibus, não são cidadãos de direitos, e os que não utilizam ônibus estes são cidadãos especiais e podem chamar aqueles que utilizam ônibus/e os que se insurgem contra aumento abusivo de demagosos. É só esta que faltava. Em pleno século XXI, é de doer.

Responder

George Santos

28 de fevereiro de 2011 às 11h48 Responder

Luci

28 de fevereiro de 2011 às 11h48

Se alguns dos jovens que estão protestando não utilizam ônibus como meio de transporte, mas tiveram a coragem de manifestarem-se contra o ilegal aumento, eu cumprimento-os pela força moral, pela atitude solidária que demonstram ante uma situação de injustiça. Os jovens manifestantes estão demonstrando consciência política, consciência do que é sociedade, consciência do que é correto ou não.
"Uma injustiça em algum lugar, é uma ameaça em todo lugar", "Enfrentaremos a força física com nossa força moral". Martin Luther King.
O prefeito recebeu o voto de confiança do povo para governar e bem para todos, não para cometer injustiças e reprimir manifestações pacíficas, legítimas no processo democrático (?), que exige diálogo para resolver questões que afetam os cidadãosd da cidade.

Responder

George Santos

28 de fevereiro de 2011 às 11h44

Na minha opinião, esses aí são uns covardes!!! Acho que são homens despreparados, sem instrução que nao souberam o que ser na vida e decidiram entrar pra força policial nao pelo salário, pois é uma miséria, mas pelo prazer da adrenalina quando se tem uma arma em punho, pelo sadismo em poder bater e torturar pessoas algemadas que nao podem se defender e pela permissão de matar dentro da lei.
Sao frustrados, fracos de espirito e de intelectualidade. Só sabem falar a linguagem da violencia quando é contra pobre despreparado que nao faz parte da criminalidade.
Quando o crime mostrou o seu poder em Maio/2006 aqui em Sao Paulo, ficaram todos aquartelados morrendo de medo com o rabinho entre as penas e a população teve que ficar dependendo a "bondade" do PCC pra nao ser assaltada.
Bocas de fumo, desmanche de carros e armazens de peças e cargas roubadas, casas de prostituição existem aos milhares pela cidade e eu duvido que a policia nao saiba onde estão. Cadê a eficiencia policial pra esses casos??
O pior de tudo isso, ainda na minha opiniao, é gente mediocre que ainda defente essa raça de gente mais mediocre ainda.

Responder

Luci

28 de fevereiro de 2011 às 11h31

Qual é a legitimidade da decisão do prefeito que autorizou o valor de 3,00 diante desta e outras imagens que foram veiculadas. O que está por trás (lucro ganancioso dos empresários/oligarquia)desta repressão aos nossos jovens que tem o legítimo direito universal de manifestarem-se pacificamente contra decisão injusta e arbitrária de um governante.Se o poder público tem a certeza que está agindo com legalidade porque a repressão policial?Quem está lucrando com este valor abusivo para um país que tem salário mínimo fixado em 545,00. São Paulo é uma cidade com minoria rica, maioria pobre e alto indice de desemprego entre os pobres.Quem é o ouvidor que não se manifestou voluntariamente diante destas ações de truculência e desrespeito às leis? Quem indica o ouvidor.O que faz o ouvidor? Cumprimento o senhor Marcelo Zelic pela ação.

Responder

    Marcelo Zelic

    28 de fevereiro de 2011 às 12h53

    A Ouvidoria de polícia funciona a partir de demanda.

Marcelo

28 de fevereiro de 2011 às 11h17

Se uma bala dessas pega no olho, a pessoa volta pra casa cega.

Outra é jato de água. Dependendo da pressao ele tb pode cegar, como aconteceu na alemanha, nos protestos contra energia nuclear.

Responder

    João

    01 de março de 2011 às 21h29

    então a policia vai usar o quê para reprimeir um bando de baderneiro que estavão com rojões? bolinhas de sabão?

Julio Silveira

28 de fevereiro de 2011 às 11h04

É São Paulo, o estado, na vanguarda da estupidez.

Responder

Luiz Henrique

28 de fevereiro de 2011 às 10h15

São covardes, assim como seus governantes Serra e Alckim.

Responder

waleria

28 de fevereiro de 2011 às 09h17

Inadmissivel a atitude das policias de São Paulo.

Os abusos sistematicos contra o povo, a meu ver, deveria gerar uma atitude séria do MP em primeiro lugar, e em segundo uma intervenção federal no Estado.

Responder

    Silvana Maranhão

    28 de fevereiro de 2011 às 10h46

    Que povo amiga??? isso aí é BADERNEIRO.

    Almerindo

    28 de fevereiro de 2011 às 11h18

    Silvana, qual o seu problema???

    Claudio

    28 de fevereiro de 2011 às 15h07

    Parentesco com a senadora Kátia?

    Leider_Lincoln

    28 de fevereiro de 2011 às 17h03

    Então as pessoas são obrigadas a concordar com tudo? Acaso você não estaria confundindo gente com gado?

    jose

    28 de fevereiro de 2011 às 17h12

    pelo visto, você é paulistana de berço, e nãofoi o colégio fundador da cidade, e sim aquela "parada' que ficava logo abaixo do pátio do colégio.

José

28 de fevereiro de 2011 às 08h20

Há mais de 20 anos a ditadura acabou no Brasil e alguém sabe explicar o porquê de ainda termos uma Polícia Militar? Já não chegou a hora de rever este modelo? Não critico aqui a instituição, mas sim este modelo de Polícia vinculado ao militarismo. Os policiais militares estão subordinados a um tipo de estrutura hierárquica que não dá margens para questionamentos, ou obedece, ou obedece.

Alguém aí conhece o famoso Regime Disciplinar da PM, é a lei feita para que os policiais sejam punidos por falhas funcionais. Inclui-se neste regulamento interno, que poucos conhecem, punições para a "falta de cobertura", ou seja o policial pode ser punido pelo simples fato de estar sem seu boné.

É dessa forma, com um regulamento arcaico que se preocupa com a limpeza do uniforme, a falta de um botão, uma botina sem graxa, que se submetem trabalhadores policiais a uma espécie de lavagem cerebral, que impede os questionamentos e a desobediência aos arbítrios.

Muitos colegas policiais já relataram casos de humilhações e até mesmo casos de punições com cadeia administrativa por coisas insignificantes, tudo graças a esse regime disciplinar.

Por conta deste regime, os policiais ainda se submetem a práticas como estas, que não condizem mais com o atual estado democrático de direito no Brasil. Está lá na constituição as Polícias Militares são forças auxiliares do Exército. Acabou realmente o regime militar?

Protestar faz parte do regime democrático e se este protesto parar um trânsito por alguns minutos ou horas não há porque sair por aí disparando em pessoas ou cometendo arbitrariedades.

Aproveitando-se deste regulamento que impede aos policiais linha de frente de desobedecer ou questionar seus superiores comandantes, o Governo Tucano usa da violência para impedir uma corrente pensante Paulista que questiona seus desmandos no Estado, atacando estudantes, professores, policiais civis, funcionários da justiça, ou seja, todos aqueles que ousarem desafiar a ordem estabelecida.

Da forma como está, caminhamos em São Paulo para a instalação de uma ditadura disfarçada de governo democrático, cuja ordem é mantida pela Guarda Pretoriana.

Responder

Roberto Locatelli

28 de fevereiro de 2011 às 07h41

Só para lembrar: Pedro Kassab, irmão do prefeito, é "assessor" das empresas de ônibus da capital. Ou seja, está tudo em família, contra o povo.

Responder

    Luci

    28 de fevereiro de 2011 às 11h54

    Senhor Roberto então privatizaram a administração pública? Em nenhum país do mundo isto aconteceria. é gravíssimo esta proximidade e proteção ao grupos social/empresariado que o irmão assessora. Grave, grave, grave.

maconheiro

28 de fevereiro de 2011 às 07h21

A polícia vai te matar , não adianta reclamar !

Responder

Marcos Simões

28 de fevereiro de 2011 às 06h11

Cont… Tem-se que haver uma completa campanha para introduzir esses leões de chácara no modelo democrático em construção, sob pena de mais e mais agressões no porvir. Não consigo entender o porquê do cuidado (ou medo?) de se tratar deste tema. Como a mídia grande é omissa e representa a voz dos poderosos, esse serviço poderia ser feito pela mídia alternativa. Por que não fazem?
A bola está com vocês da imprensa alternativa. Fim (2)

Responder

Marcos Simões

28 de fevereiro de 2011 às 06h11

Diz o texto em um de seus parágrafos "O Grupo Tortura Nunca Mais de São Paulo oficiou a Ouvidoria da Polícia do Estado de São Paulo para que possamos ter acesso às normas internas e recomendações do emprego de armas não-letais feita pelos comandos das polícias de nosso estado aos seus subordinados policiais militares e da guarda civil, bem como a legislação. Entendemos que uma reformulação da mentalidade e conduta se faz necessária para o avanço e fortalecimento da democracia…"
Isso só irá acontecer se houver a desmilitarização desse monstrengo medieval que é a PM (todas), cujo treinamento e doutrina têm por objetivo não deixar que pessoas simples se organizem e exijam os seus direitos constitucionais, fazendo com que o efetivo da PM porte-se como leões de chácara de governos autoritários e comandantes vassalos e omissos, mas que recebem muito bem do erário para assim proceder. Cont… (1)

Responder

laura

28 de fevereiro de 2011 às 05h35

Isso é um absurdo completo.Não ví tiros assim nas primeiras passeatas estudantís de 1975, sob a ditadura. Jogavam gaz lacrimogênio. Impressiona.

Responder

Thiago M Silva

28 de fevereiro de 2011 às 02h33

O título do video deveria ser: Democracia Paulista

Responder

    Carmem Leporace

    28 de fevereiro de 2011 às 08h58

    Viva a democracia dos Castros!! quantos será que já morreram nas masmorras cubanas esse ano???

    Marcelo Zelic

    28 de fevereiro de 2011 às 09h35

    Carme não adianta tentar jogar a conversa para os problemas de outras sociedades. Brasileiros devem enfrentar suas questões aqui. O fato de haver ou não problemas de direitos humanos em Cuba, não justifica a barbárie que se passou em SP.

    jose Carlos

    28 de fevereiro de 2011 às 10h11

    vai te esconder, vaca!!!!!

    Thiago M Silva

    28 de fevereiro de 2011 às 11h19

    Carmem, vc deve enxergar em preto e branco, não é possível. Quem disse que pra criticar oq ocorre aqui, eu tenho que concordar com tudo o que ocorre em outros lugares, como Cuba? Vc não deve enxergar nem tons de cinza!
    O governo de São Paulo tem tanta tradição no não-diálogo que já jogou a PM até contra a Polícia Civil. Ou vc acha que eram policiais subversivos comunistas? rs. Vou só te informar, Carmem: a Guerra Fria já acabou, estamos no século XXI e TODAS as sociedades merecem governos mais democráticos…mas pelo jeito vc nunca vai entender isso, então vai lá dar um abraço no policial do video.

    Leider_Lincoln

    28 de fevereiro de 2011 às 17h04

    Nãoooo! Viva as democracias que os EUA apoiam, como a dos Saud, dos Mubarak…

    Ariadne Jacques

    28 de fevereiro de 2011 às 17h07

    Carmem,
    O que a pseudodemocracia dos Castros tem a ver com a violência policial em São Paulo em uma manifestação de protesto contra o aumento nas passagens de ônibus? Não compreendi seu comentário ou será que você está comparando a truculência de lá à daqui?

marcos santos

27 de fevereiro de 2011 às 23h42

Sou favoravel ao manifestantes se defendam com o mesmo nivel que a policia age !
Sem reação desproporcional, sem o uso exagerado de força. apenas reagir com o mesmo nível de força da ação da policia!

Inclusive poderia pedir uma liminar para garantir esse direito!

Responder

edson fachin

27 de fevereiro de 2011 às 23h37

vamos deixar de frescuras,esta conversa de pt./psdb/,dem…fato muito mais importante para se preocuparem e com certesa seria mais util a população doque discurso barato,alias o de sempre,estão acontecendo Brasil afora. Alguem assistiu o fantastico hoje 27/02/2011, que vergonha o que continuam fazendo neste brasil sem lei.
PAREI, ESQUECI QUE ESTOU NUM SITE ONDE PESSOAL INTELIGENTES INTERAGEM E ESTAS PESSOAS VAO DIZER QUE É COISA DA G.L.O.B.O, invensão.
Estão esquecendo que estamos prestes a patrocinar dois grandes eventos
Há…antes que me esqueça devo lembra-los que o Brasil esta mudando??????

Responder

paulo rafael pizarro

27 de fevereiro de 2011 às 23h20

Na Rua do Riachuelo, Rio, há uma antiga bica com a seguinte inscrição. "Ordem no povo e fé na polícia."

Responder

assalariado.

27 de fevereiro de 2011 às 22h14

No Estado capitalista,burgues,um dos meios de dissuasão para que o poder não seja contestado é,utilizar seus meios coercitivos para reprimir os contestadores pela força.Karl Marx entendia o Estado Burguês como uma instituição a serviço da classe dominante, ou seja, a burguesia. O Estado gerado pelo modo de produção capitalista visa, na teoria de Marx, validar a exploração da mais-valia "legalmente" e manter a lei de propriedade privada. Para isso, conta com aparatos de diversos tipos como, os tribunais e as forças da repressão, como o exército e as polícias. Portanto, tendo isso em mente, Marx quer dizer que o Estado é uma instituição a serviço da burguesia, para manter, validar e proteger seus interesses, que nada mais são que o lucro, a propriedade dos meios de produção e a exploração do trabalho assalariado.Tudo isso em nome da ordem,da ordem capitalista e, sua hegemonia como classe dominante,mesmo sendo só 5% da sociedade.

Responder

    Carmem Leporace

    28 de fevereiro de 2011 às 09h00

    E tu ainda tá nessa velho???? nem na China se fala mais em Marx… sai dessa e procure tratamento rapaz.

    pedro

    28 de fevereiro de 2011 às 10h23

    Ora Carmem, parece que você está desatualizada. Desde a crise de 2008, a venda dos livros de Marx subiu muito na Europa. Informe-se. Ou melhor, leia Marx antes de falar sobre ele. Leia, e depois faça a crítica. Não fique repetindo sem mais o que os ideólogos da direita afirmam.

Lucas

27 de fevereiro de 2011 às 22h02

Na verdade o termo correto é "armas menos letais".

Responder

Marcelo Fraga

27 de fevereiro de 2011 às 21h20

Essa gente reacionária quer que voltemos à Idade Média: camponês e pobre que se revoltar com a exploração leva porrada, tortura e até a morte.

Responder

    daniel

    28 de fevereiro de 2011 às 00h48

    O problema é que os reacionários não são bons de história, a guilhotina está sempre na espreita…

Ligeovanio

27 de fevereiro de 2011 às 20h49

quem sabe não se resolve com mais 4 anos de psdb no poder com o picolé de xuxu

Responder

Carmem Leporace

27 de fevereiro de 2011 às 20h14

ATENÇÃO:

Esses preços das passagens de ônibus são reajustados em São Paulo ou qualquer outra capital ou grande cidade brasileira, "via contratos", há que existir uma segurança jurídica para que essas empresas prestem o serviço, essa segurança se dá mediante esse contrato, normalmente os índices de reajuste são os da inflação corrente, IPC, IGPM, IPCA, ou qualquer outro índice inflacionário, ou seja, isso até independe da vontade do prefeito, qualquer que seja ele. Há cidades governadas por petistas que a passagem é ainda mais cara que São Paulo.

Vocês tem que reclamar sabe com quem??? com quem está deixando a inflação voltar ao Brasil. Vocês têm alguma idéia de quem seja o responsável pela volta da inflação????

Obrigada pela atenção.

Responder

    Fernando

    27 de fevereiro de 2011 às 20h48

    Ah!Ah!Ah!Ah!

    Você é comica ou é hipócrita!

    Glecio_Tavares

    27 de fevereiro de 2011 às 21h26

    Deixe eu te ensinar um pouco de matematica simples. A passagem era de 2,70 subiu para 3,00 reais, portanto um aumento de 11,11%, ou seja acima da inflação do ano. Alias no ano passado subiu de 2,40 para 2,70 também acima da inflação, e o serviço esta cada vez pior, com diminuição de onibus circulando e funcionarios mal pagos. O iptu também subiu acima da inflação, o problema é que a camara de vereadores não representa a sociedade, se beneficia dela.

    Elton

    27 de fevereiro de 2011 às 21h29

    Ainda "agradece pela atenção"…kkkkkkk………..você foi demitida da equipe do extinto "casseta e planeta"…….esse é o típico "humor" deles……

    Elton

    27 de fevereiro de 2011 às 21h34

    A escrita dese tal "carmen leporace" é ridícula, primária, infantil……..escolheram mal pra ser troll do PSDB, deve até pra isso ter gente melhor…….

    edv

    27 de fevereiro de 2011 às 21h36

    Análise sectárias, não raro, acabam brigando com os fatos…
    Por ex., a London Transport Authority chega a ficar anos sem reajustar a tarifa (eu lembro de sete).
    "Há que existir uma segurança jurídica"… Antes, há que existir um transporte de qualidade e preço aceitável, ou condizente com a qualidade oferecida aos (pobres) usuários.
    Há pessoas que se preocupam mais com o interesse de alguns poucos empresários sobre o interesse público de alguns milhões.
    Que se preocupam mais com contratos celebrados entre amigos picaretas (de um lado empresários amigos e, de outro, políticos que ganham para representar a população).
    Quanto à OSCILAÇÃO inflacionária (que vc chama desejosamente de "volta" da inflação), ela é reflexo de medidas temporárias que resguardaram o Brasil, brilhantemente, de uma das piores crises econômicas da história mundial.
    Mas ainda assim está longe dos mais de 12% que o seu provável ídolo FHC deixou chegar, sem desenvolver o país, endividando e alienando imenso e estratégico patrimônio público lucrativo, desnecessariamente (ou melhor, atendendo às necessidades de alguns)
    Ou vc não tem alguma idéia destas responsabilidades?
    Obrigado pela atenção.

    Fernando

    27 de fevereiro de 2011 às 21h48

    A senhora como boa capitalista deve ser contra subsidios e a favor da livre concorrência.
    Pena, que os contratos das empresas se ônibus não sejam assim.
    A prefeitura subsidia o pagamento, logo a passagem poderia ser menor.
    Outra opção seria a livre concorrência, ou seja, o mercado regula o preço (existe coisa mais linda do que isto no capitalismo, o mercado regulando preços), mas, para isto deveria acabar com o oligopólio. Explicando para a senhora (que parece meio burrinha), os jovens empreendedores (lotação) podendo atender com Ônibus qq linha, ganha quem cobra menos (td regularizado e pagando os devidos tributos). Isto seria capitalismo, mas, os tucanos são liberais na casa dos outros, na casa deles é facismo e negócios para os amigos.
    Resumindo a passagem poderia ser menor.

    Paulo Roberto

    27 de fevereiro de 2011 às 22h17

    A dona Carmem aí deve ser amiga de sala do curso de direito onde estuda aquela outra que tem preconceito contra os nordestinos…

    João

    01 de março de 2011 às 01h21

    Neoudenista.
    Máxima do direito:
    "Aos amigos, a lei!
    Aos inimigos, os rigores da lei!"
    Ao que parece, os amigos estão conseguindo o que querem do Alcaide de plantão.
    Outro dia li que o gasto extra com diesel (não se sabe porque, custou muito mais para a Prefeitura do que para o "Posto do Zé", embora o Zé faça compras em quantidades modestas), na cidade de São Paulo, daria para ir e voltar da lua umas dezessete vezes.

maria

27 de fevereiro de 2011 às 19h07

Isto é um absurdo, não se pode ignorar nem deixar que passe impune. Qualquer manifestação pública jamais deveria ser tratada com essa violência. Além disso, o governo e a prefeitura de SP não abrem o diálogo de jeito nenhum. A manifestação ocorreu por que o tal secretário de transportes marcou e não compareceu à reunião na Câmara Municipal e sequer de satisfação, o que foi um desrespeito inclusive com os vereadores, além dos estudantes e trabalhadores que alí esperavam, Mas o governo e prefeitura "armam o circo" para depois mandar a P.M. despreparada para atirar nas pessoas. Para quem acha que os manifestantes são baderneiros, meus sinceros pêsames, pois não sabem que amanhã, isto pode acontecer com eles;

Responder

    Carmem Leporace

    27 de fevereiro de 2011 às 20h04

    A palavra é essa mesmo, ""baderneiros"""

    Essa gente só está fazendo isso porque o prefeito é do DEM, fosse Marta não tinha nada disso.

    Sinto por você, parece totalmente perdida meu.

    Alexei

    27 de fevereiro de 2011 às 20h31

    A Carmem (?) é que está os chamando de "baderneiros" porque o prefeito é de direita
    Se fosse do PT diria que são "cidadãos exercendo sua liberdade de manifestação".
    ai ai ai…. coitada.
    Raciocínio lógico não é o seu forte, né Carmem?

    Glecio_Tavares

    27 de fevereiro de 2011 às 21h28

    Se o prefeito fosse do PT a policia trataria as pessoas com educação e respeito. E a midia apoiaria a manifestação.

    edv

    27 de fevereiro de 2011 às 21h47

    A merdiocrelite adora o lema da nossa bandeira:
    Ordem (pros outros…)
    e Progresso (pra eles…)

    PS: Carmen, não sou petista nem comunista, sou capitalista e defensor da liberdade. Inclusive para suas manifestações (e dos estudantes). Mas prezo o interesse social, a importância de desenvolver a população (sim, pessoas), distribuir renda e também o que é ganância, capitalismo predatório e conservação de poder e privilégios. Dentre outras.

Raphael Tsavkko

27 de fevereiro de 2011 às 19h04

É válido um questionamento sobre o uso indiscriminado e descontrolado de armas ditas "não-letais" pelas forças de "segurança".

Balas de borracha, bombas de gas lacrimogêneo eufemísticamente chamadas de "bombas de efeito moral", sprays de pimenta concentrada e mesmo armas de choque são armas potencialmente letais, usadas de forma indiscriminada por policiais sem qualquer tipo de treinamento, e pior, com vontade de causar o máximo de dano que puderem.

Caso matem a vítima com estas armas "não-letais", poderão dar a desculpa de que foi sem querer ou de que cumpriam ordens.

Estas armas são basicamente instrumentos de tortura em massa com selo de aprovação governamental.
http://tsavkko.blogspot.com/2011/02/brutalidade-p

Responder

    Carmem Leporace

    27 de fevereiro de 2011 às 19h49

    Pior é que é.

    edv

    27 de fevereiro de 2011 às 21h54

    Raphael, bombas de efeito moral não são eufemismo para lacrimogêneo, que é apenas um dos efeitos morais. Há diversos outros tipos, como as que causam diarréia imediata, riso sufocante e outras.
    O fato é que são instrumentos de repressão à manifestações que, se PACÍFICAS (direito assegurado em qualquer país civilizado), passam a ser instrumentos de VIOLÊNCIA (típica de países atrasados e sem liberdades).

    Leider_Lincoln

    28 de fevereiro de 2011 às 17h08

    E o que a manifestação tinha de violenta, cidadão? Me conte quando encontrar a "pacificidade" das manifestações de Atenas, na semana passada, ok? Ah, os simplistas….

rodrigo.aft

27 de fevereiro de 2011 às 18h46

Azenha e colegas,

já postei aqui, mais de uma vez, a responsabilidade do comando da pm, do prefeito e do governador na confirmação de ordens de como agir, formação e administração da tropa. ALGUÉM SABE COMO FUNCIONA A CAIXA PRETA DA SEGURANÇA PAULISTA?

CADÊ A DROGA DA UNIFICAÇÃO DAS POLÍCIAS? (quais são os interesses ocultos para a não unificação?)

– quem deu ordem para uso de armas não letais?
– como o comando da pm (q deve ter cores partidárias, quase certeza) passa a visão de sociedade para sua tropa? ninguém questiona ordens do dia e palestras internas?
– o q os cursos sobre segurança(?) (SIC) dos eua e israel ensinam? (COMO BATER NA POPULAÇÃO, FAZER ACORDOS COM O PCC E PROTEGER POLÍTICOS CORRUPTOS??????????????????)
– como está o trabalho das corregedorias civil e militar?
Pelo q estou vendo ultimamente, somente a PF consegue prender policiais civis e militares corruptos e bandidos… as corregedorias (civil e militar) não enxergam enriquecimento ilícito, sumiço de provas, sumiço de apreensões, extorsão de bandidos, venda de informações internas para o crime e aí vai… ninguém (do comando da civil ou militar ou da corregedoria) sabe, ninguém viu…
– a sociedade civil beira o amadorismo e a ingenuidade no debate, formulação, condução e controle de políticas de segurança, Inacreditável o besteirol na área… ou fica no discurso fascista da direita ou no papo "cabeça" da esquerda.
Em ambos casos, os atores ficam mais preocupados com estrelismo e aplicação de teorias mirabolantes copiadas de alguma contracapa de livro (lógico sem ler o livro ou ler MAIS DE UM livro) ou documentário (macaco vê, macaco faz) do q conhecer a área EM PROFUNIDADE para DEPOIS começar a formular e aplicar políticas da área.

em todo caso, tá todo mundo (população alienada e func. públicos corrupotos) certo…. a educação formal promove o analfabetismo funcional e a população não escolhe bem seus candidatos,.. o sistema político é viciado (permite candidatos ficha-suja) e quase não há punição para corrupção… perfeito inferno de dante!
é a apoteose do samba do criolo doido.

Responder

Jairo_Beraldo

27 de fevereiro de 2011 às 18h35

Mas o que se deve discutir, não são os puliça, pois lhes falta o necessário para ter discernimento – cérebro. Tem sim que discutir, são os detentores do poder, que mandam estes anacéfalos cometer as atrocidades contra a constituição e a democracia.

Responder

    Clóvis

    27 de fevereiro de 2011 às 21h02

    Você claramente deve ter problemas com a lei… O policial é aquele cara que toma tiro pra que você e eu possamos andar tranquilos na rua… Se há abusos que sejam punidos mas não fale mal de policial, a não ser que você tope fazer o que eles fazem, ainda mais pelo salário deles. Se quer reclamar de dispersarem a multidão fale do governante que é quem dá a ordem. Se o PM não obedece vai preso pois ele é militar e não civil!
    Agora temos que discutir uma coisa: qual o limite das manifestações? Será que realmente não tem limites? Será que parar a região central (que é cheia de ônibus) é razoável? Vai fazer isso no itaim, na Berrini onde quase não tem transporte público. Ou chame a atenção das pessoas de outro modo, pois desta forma todos os cidadãos que dependem deste lixo de transporte público só pensam que a culpa por demorarem mais 1 hora na condução é dos manifestantes e que a PM é que libera o caminho deles!
    Sou contra manifestações que param o transito. Só um fato realmente extraordinário (e já tivemos alguns e até com pouca revolta – aquele maio do PCC é um exemplo) é que justifica uma coisa dessas. Acho, inclusive, que esta tática que foi criada nos anos 60 já deu o que tinha que dar e que o problema é que nossa juventude sonha em um novo 1968 o que é simplesmente ridículo! Já dizia Heráclito que o homem nunca se banha duas vezes no mesmo rio…
    Moramos, os paulistanos, numa cidade de mais de 10 milhões de habitantes, na região metropolitana temos mais de 20, região e cidade que não foram planejadas para isto (até porque não existe planejamento para isso – fruto de uma política de centralizar a economia em SP que é péssima pra SP e pro Brasil), a noção desta tão ampla liberdade de parar o transito deve ser revista…. Isso não quer dizer não protestar, acho que há pouco protesto, em número e em frequencia, mas sim repensar a forma!

    Jairo_Beraldo

    28 de fevereiro de 2011 às 06h07

    Com certeza, não tenho problemas "com a lei", e nem com a justiça. Não, não gosto de veste fardas, e tenho mais medo deles nas ruas do que de bandidos comuns. O veste farda não cumpre com sua função, é um desviado, e o bandido sei que esperar dele. E eu FALEI claramente sobre os governantes que mandam estes anacéfalos agridirem movimentos sociais, que voce chama de baderna.

    Geysa Guimarães

    28 de fevereiro de 2011 às 18h20

    Ô Jairo:

    Tem gente boa dentro de qualquer segmento, e banda podre também. Espero que vc nunca tenha que ser salvo pelos fardados e morder a lingua.
    Se eles abusam, é porque seguem ordens políticas.

    Jairo_Beraldo

    28 de fevereiro de 2011 às 21h03

    Ô Geysa:

    A última vez que liguei 190, foi em 1993, quando algum meliante adentrou minha residencia. E quando os veste fardas apareceram, cerca de 3 h depois, começaram a agredir verbalmente a mim, minha mãe e uma ex-namorada. Pedi que se retirassem, e me ameaçaram com um "disacatu a ôtôridadi" . Fiquei olhando pra ele, um tenentinho de merda, até que eles se retiraram. E jurei pra mim mesmo -"nunca mais chamo esta casta em qualquer situação. Se entrarem em minha casa(nunca mais aconteceu, subi os muros em 1,5 mts), peço a Deus que levem o que quiserem, mas não mexam com niguém…se me roubarem um dos carros, estão segurados, chamo meu corretor de seguros. Mesmo porque, eles estão mais ocupados em passar no bairro onde moro, que é de classe média alta, para pegar a "mesada" com os comerciantes, e não têm tempo de me dar segurança.

    Clóvis

    28 de fevereiro de 2011 às 19h49

    Eu não chamei de baderna em momento algum… Pra mim baderneiro é quem faz carnaval na rua! E as vezes baderna é tão bom…
    Falei que deviam haver mais manifestações só que deveriam rever os métodos. Isso não quer dizer que sejam baderneiros ou qualquer outra coisa!
    Só falo 1 coisa, numa cidade com os problemas de SP, muito bem administrados pelos "governos"(administrados lógico em favor deles) este tipo de manifestação coloca a opinião pública contra os manifestantes. Não é novidade, já faz um tempo que é assim. O cara que pega 3 horas de condução pra ir e voltar do trabalho tá cansado demais pra aguentar 1 hora a mais de transito mesmo que seja para o bem dele. E eu não o culpo, ninguém deveria ter de pegar 3 horas e condução (e tem muita gente que pega muito mais) morando na mesma cidade onde trabalha – ainda mais pagando 3 reais por isto!
    Bandido é previsível? Alguns são, outros não. A PM é muito mais, eles obedecem ordens, se questionar vai pra cadeia e pode até perder o trabalho…
    Estes "anencéfalos" evitam que seu computador seja levado por um bandido, diminuem violência.
    Há péssimos policiais de quem você tem razão de ter medo… Mas a imensa maioria é de bons profissionais e que ainda tem de ouvir besteira de quem eles protegem… Quero ver você encarar traficantes, homicidas e etc.
    Gerson, que que o carnaval tem a ver? Voce é da turma que acredita em direitos incontrastáveis?
    Ok, então o direito de manifestação é absoluto e NUNCA pode ser reprimido?
    E se uma multidão quiser se manifestar na porta do HC de São Paulo, maior centro de referência da América Latina? Não chega 1 ambulancia… E ai? Pode?
    E se forem pessoas pregando o ódio?
    E se cada categoria escolher 1 dia da semana pra tomar as ruas? Como o mundo anda? Pq SP não tem transporte público de qualidade, o metrô tem 3 linhas de verdade as outras são estória… Os ônibus não prestam e são caros…
    Não dá pra pensar que o direito à manifestação pode ser exercido de outra forma?
    Ah, mas se faz assim desde 1700 e pedrinhas… F— -se a humandiade evolui. Estamos fazendo parte de novas modalidades de mobilização popular. Novas formas de pressionar o estabelecimento e queremos usar instrumentos do século XVIII…

    Gerson Pompeu

    28 de fevereiro de 2011 às 08h05

    É… Clovis… carnaval… tem tudo a ver.

    Leider_Lincoln

    28 de fevereiro de 2011 às 17h12

    Então quem não concorda com a truculência, a violência, a inapetência, a corrupção, a violência, a incivilidade e a barbárie da polícia é por que "tem problemas com a Lei"? Faça-me o favor! Não me espanto por que você é o mesmo nick que atacou não sei quem, chamando-o de imbecil por dizer que o sociopata dos atropelamentos era eleitor do Mais Preparado. Então, se quem acusa extremismo de direita de ser serrista (mesmo em se considerando que foi de fato o Serra que pôs a extrema-direita em seu palanque) é "imbecil" quem questiona os métodos da polícia "só pode ter problemas com a Lei"? Já te saquei, cidadão, já te saquei…

    Clóvis

    28 de fevereiro de 2011 às 22h59

    Não sr. a imbecilidade estava em vincular uma tragédia sem a MENOR CONOTAÇÃO POLÍTICA a uma eleição passada (graças a deus). Ele declarou que votou no serra? Se sim realmente é eleitor, mas tb é pai, isso não faz de todo pai um assassino. Odeio o Serra, nunca consegui votar nele, mas daí a dizer que seus eleitores são violentos e desequilibrados (como regra) é imbecilidade. Igual a do Serra de fazer campanha de coroinha…
    Agora da onde vc tirou que o monstro das bicicletas é de direita? Por trabalhar no BACEN? Por ter carro?
    O Jairo não questionou atos de truculência disse que não gosta de policial, que tem medo de policial (e não que tem policial ruim e tals). Ele disse que são anencéfalos e que não prestam… Se vc teve uma situação destas porque não buscou fazer algo? Ah, é mais fácil falar nunca mais quero ver um policial. Já sofri abusos de policiais voltando de jogar bola sujo de lama. Nem por isso tenho aversão aos policiais. Inclusive perdi um amigo no combate ao crime. Mas realmente, os assaltantes que o mataram porque ele tentou evitar o roubo de um estabelecimento comercial são melhores que ele foi…
    Já pesquisou quem fez provavelemnte a maior compra singular de armas menos letais no Brasil?

Augusto

27 de fevereiro de 2011 às 18h25

O problema é que o Brasil vive uma crise de autoridade, uma crise de legalidade. As pessoas não respeitam mais o direito dos outros, não respeitam mais as leis de postura pública, não respeitam mais os policiais, não respeitam mais as autoridades públicas em geral. Só que respeitar a autoridade pública é fundamental para que possamos viver em sociedade. As pessoas precisam saber que não se pode fazer badernas em pleno centro da cidade, prejudicando os demais que não tem nada a ver com o peixe e que querem apenas trabalhar, ir a um banco, fazer uma compra, ir a um hospital.

Responder

    Augusto

    27 de fevereiro de 2011 às 20h39

    Este post, aliás, tem relação com o post sobre o atropelamento das bicicletas em Porto Alegre. Os caras resolvem fazer uma passeata de bicicletas pelo centro de Porto Alegre e se julgam no direito de fazê-lo sem pedir permissão à Prefeitura, sem prever possíveis consequências para o trânsito, sem respeitar o direito daqueles que querem usar a via pública. Aí um cara desses, certamente já de saco cheio dessas badernas, passa por cima de tudo mundo com o carro. Não adianta tapar o sol com a peneira. Hoje viver nas grandes cidades brasileiras está simplesmente insuportável.

    edv

    27 de fevereiro de 2011 às 22h04

    Já imaginou se eu ficar de "saco cheio" por ex. de camelôs na calçada, ou de pivetes guarda-vagas, eu
    matar uns dois ou três? (ou "apenas" espancar…).
    Teria sorte de ser julgado por um juiz "compreensivo" como vc…

    Augusto

    27 de fevereiro de 2011 às 20h39

    Em todo lugar que você vai tem camelos nas calçadas, pastores pregando a "palavra", estátuas humanas (como se isso fosse útil ou engraçado), gente com carrinhos de mão vendendo água, cerveja e o diabo, gente vendendo churrasquinho nas calçadas, entregando propaganda e folhetos de todo tipo, gente cuspindo fogo nas faróis e pulando de um lado pro outro (nada mais ridículo do que isso, como se os faróis fosse um circo), gente ensinando matemática (quase sempre analfabetos, por sinal), gente medindo a pressão do povo (nenhum médico, nenhum enfermeiro, embora vestidos de branco), francamente, hoje é impossível viver em São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Porto Alegre, e por aí vai.

    Elton

    27 de fevereiro de 2011 às 21h31

    Que pena, que você não vive na NORUEGA né? Lá não deve ser assim.

    Leider_Lincoln

    28 de fevereiro de 2011 às 17h16

    As pessoas precisam é entender que vida, uma vez arrancada, não pode ser devolvida, pelas demais coisas sempre se pode lutar, não acha?
    Aliás, me diga se os policiais respeitam a Lei e os cidadãos? Se o poder público respeita os mesmos cidadãos? Se as autoridades públicas em geral respeitam o povo? Por que o respeito é sempre vendido por vocês, de direita, como se fosse uma rua de mão única?

Augusto

27 de fevereiro de 2011 às 18h21

Só que manifestações também têm limites. Ultimamente, a gente não consegue andar em São Paulo sem ter de enfrentar alguma coisa desse tipo. As ações desses estudantes estão mais para baderna que para protesto. Precisamos dizer claramente, em geral, são baderneiros. Alguns sequer são alfabetizados, quanto mais estudantes. Por outro lado, a ordem pública não pode ser comprometida porque uma pequeníssima parte da socidade não concorda com o aumento da tarifa. Ora, não são apenas os estudantes que vão pagar o aumento. Todos as pessoas que usam o serviço vão pagar. Então o que eles querem? Que apenas os estudantes sejam beneficiados? Ora, tenha dó! Além disso, o que mais a Polícia poderia fazer? Ora, as armas não letais só são usadas depois que todos os recursos disponíveis foram esgotados.

Responder

    Carmem Leporace

    27 de fevereiro de 2011 às 19h51

    Tudo baderneiro profissional, ninguém dessa gente aí anda de ônibus, só baderna.

    Aqui eles não se criam.

    edv

    27 de fevereiro de 2011 às 22h10

    Este "aqui eles não se criam" me lembrou um "Dengue? Aqui não!" (ou similar)
    Alguns realmente acreditam que estão num "pedaço" que não pertence ao país…
    A sorte deles é que "baderneiros" promoveram o resgate da democracia da (sua saudosa?!) ditabranda…

    Leider_Lincoln

    28 de fevereiro de 2011 às 17h18

    Em compensação a polícia e os corruptos aí se reproduzem como ratos, não é mesmo? Basta perguntar para a Alston ou o Paulo Preto…

O_Brasileiro

27 de fevereiro de 2011 às 17h35

Imaginem o que aconteceria se cidadãos paulistanos protestassem numa casa legislativa, como fizeram no Wisconsin…

Responder

    Carmem Leporace

    27 de fevereiro de 2011 às 19h54

    Igamina se esse protesto fosse em Cuba…. um povo que prefere morrer na boca de um tubarão a viver num paraíso como aquele decantado por vocês, deve ser muito ingrato mesmo não é?

    Roberto SP

    27 de fevereiro de 2011 às 21h43

    HAHAHAHAHAHAHHAHAHAH

    COMO A DIREITA È RI DÍ CU LA!!!!!!!!!

    Aprendeu isso onde, criatura?

    Lendo a Veja?

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    edv

    27 de fevereiro de 2011 às 22h15

    Entendi:
    Se houver violência de esquerda, é abominável.
    Se for conservadora, é manutenção da ordem.
    Ou é apenas sectariamente difícil decidir-se?

    Leider_Lincoln

    28 de fevereiro de 2011 às 17h19

    Um povo? Ou alguns indivíduos?

ANA

27 de fevereiro de 2011 às 17h33

Ao contrário dos reacionários de São Paulo e sua tropa de choque quer armada ou espalhada pela Net, no anonimato da calúnia, da difamação ou até mesmo reabiltando o discurso da extrema direita, a discussão é fundamental para toda a sociedade paulistana, que adormecida deixou passar 16 anos de desmando e inconpetência, acumulando nesse período muita frustração e vergonha.
Bem vinda a participação do Movimento Estudantil.
Quanto às mesmas posições contrárias…
Vamos aguardar o que vai 'rolar' em 2012 em São Paulo!

Responder

    Carmem Leporace

    27 de fevereiro de 2011 às 19h46

    Onde estava essa turma aí durante as lambanças do SISU e do ENEM???

    é tudo massa de manobra, se brincar são até pagos, esses baderneiros nunca entraram numa condução…

    Pensa que engana quem rapaz???

    ANA

    27 de fevereiro de 2011 às 20h12

    com certeza, paga aqui é você.
    Já sei quem é você, meu caro.
    O patrão falou para você não exagerar…

    Alexei

    27 de fevereiro de 2011 às 20h43

    Sobre a febre dos perfís falsos…. http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMos

    Andre

    27 de fevereiro de 2011 às 21h18

    Do minha cara a tapa se vc pega o busão. E tão pouco metro né porque dai mesmo que vcê não cuspia tanta merda. Engraçado eu moro no interior do mato grosso, e fico aqui pensando. O paulista acorda 4:30 da manha pra poder chegar no trabalho as 7( e nesse tempo, pegou 3 onibus, 4 metros), sai do trabalho 6, TEM QUE LEVAR UM BOTE INFLÁVEL PRA NAO SER ENGOLIDO PELA CHUVA, e chegar em casa as 11 pra acordar no outro dia novamente as 4:30.
    VAI SER BESTA ASSIM LA NA PQP! SOMOS DO INTERIOR, MAS BESTA NÓS NUM SEMO NAO :D
    se fosse aqui a chinela ia cantar MESMO, a gente ia quebrar era tudo até q as autoridades tomassem providencia. :*

    edv

    27 de fevereiro de 2011 às 22h19

    Lambanças? Hmmm
    Agora suspeito que é apenas PIGuinha(o?) Amestrada (o?), meramente currupaqueando campanhas mirdiáticas (no caso, em prol da privatização do ensino…).

feathertop

27 de fevereiro de 2011 às 17h33

Só espero que os eleitores de São Paulo, que na sua maioria depende do transporte público, lembrem-se destas lamentáveis atitudes de nossos governantes quando da próxima eleição municipal.

Responder

Zé Ninguém

27 de fevereiro de 2011 às 17h29

Agora que o Kassab faz parte do governo ederal.. esquece movimentos sociais.
Para os blogs alternativos, a Dilma já deu o recado : "Vcs não estão com essa bola toda". Só a FSP, Hebe e Ana Maria Braga !!!

Responder

feathertop

27 de fevereiro de 2011 às 17h26

Só espero que os eleitores de São Paulo, que na sua maioria depende do transporte público, lembrem-se destas lamentáveis atitudes de nossos governantes quando da próxima eleição municipal.

Mas é só uma esperança minha…

Como disse alguém mais esperto do que eu, o povo paulista sofre de Síndrome de Estocolmo política.

Responder

    Carmem Leporace

    27 de fevereiro de 2011 às 19h44

    É por essas e outras que vocês não ganham por aqui rapaz, o eleitor paulistano se lembra muito bem dessas lamentáveis atitudes de badernas e depredação de patrimônio público por parte de certos tipos.

    Tudo com fins políticos, usam da boa fé desses jovens mauricinhos que nunca entraram num CPTMão da vida a fim tentar voltar ao poder.

    Solamen, aqui não violão.

ZePovinho

27 de fevereiro de 2011 às 16h55

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia
http://www.cubadebate.cu/noticias/2011/02/26/prue

Relações perigosas entre a “dissidência” cubana e o imperialismo

O capítulo “Os peões do Império” da série Razões de Cuba, transmitido no último sábado (26) pela Televisión Cuba, revela os estreitos vínculos da contrarrevolução interna com o governo dos Estados Unidos.

[youtube sISdJlKMkEg http://www.youtube.com/watch?v=sISdJlKMkEg youtube]

Responder

Carmem Leporace

27 de fevereiro de 2011 às 16h22

Outra coisa, Kassab nos próximos dias vai se filiar ao partido de Eduarado Campos, esse suposto Movimento dos sem ônibus vai sumir como que por encanto, não usam transporte público mesmo, tudo pau mandado…

Farsa.

Responder

    Alexei

    27 de fevereiro de 2011 às 19h16

    E por falar em farsa…….
    Eu desafio essa Carmem Leporace a provar que ela existe mesmo!!!!
    CPF, RG, curriculo Lattes…. qualquer coisa.

    Leider_Lincoln

    28 de fevereiro de 2011 às 17h21

    Verdade: experimentem tentar achar a senhorita Carmem Leporace/Paulo Amaral/Suzana Alves para ver se encontram qualquer coisa… Não é troll, é pau mandado mesmo.

Carmem Leporace

27 de fevereiro de 2011 às 16h20

Vão tomar mais uma surra pra prefeitura de São Paulo e para governo.

Baderneiro por aqui não se cria.

Todo mundo sabe que esses "manifestantes" aí nem andam de busão, tudo incocente útil e massa de manobra nas mãos de espertalhões políticos que só querem o poder a qualquer custo.

Não cola, vão tomar outra surra na eleição em 2012.

Responder

    ANA

    27 de fevereiro de 2011 às 18h37

    o teu patrão vai te demitir.
    Estás a repetir as mesmas coisas.
    Cuidado com o desemprego 'troll' semi-profissional.

    Marcelo Fraga

    27 de fevereiro de 2011 às 21h18

    Mas tu veio direto de 64, hein Carmela!

    Jorge Zimbábue

    27 de fevereiro de 2011 às 21h35

    Ô Carmem, pasme, qualquer um ganha eleição em São Paulo prá qualquer posto: tire a "Urna Eletrônica" e vamos ver?

    edv

    27 de fevereiro de 2011 às 22h26

    O aparelhamento de SP por décadas de controle da merdiocrelite cria pessoas muito bem amestradas para defendê-los. Concordo que há muito trabalho a ser feito para desamestrar boa parte da população.
    Mas o importante é que o país (ao qual SP pertence) já esta se desamestrando.
    Aqui sim, claretim…

    Thiago M Silva

    28 de fevereiro de 2011 às 02h27

    Essa Carmem é uma piada!

Gerson Carneiro

27 de fevereiro de 2011 às 16h13

Bala de borracha se pegar no olho, vaza o olho.
Essa polícia aí não reagiu com tanta brutalidade quando dos ataques organizados pelo PCC.

Responder

    Roberto SP

    27 de fevereiro de 2011 às 21h51

    Pode não ter reagido com o PCC, mas teve pelo menos 400 mortos naquela semana que até hoje não se sabe como foi.

    Por muito menos do que isso a imprensa MUNDIAL acusa as ditaduras em queda do Oriente médio e norte da África de assassinos e de massacrar o próprio povo.

    Já aqui em São Paulo o PIG fez que não viu

    Gerson Carneiro

    27 de fevereiro de 2011 às 22h29

    Foram mais de 500 mortos após os ataques. Em uma caçada feita pela PM em comunidades pobres.
    Mas na rua, no momento dos ataques, não se viu reação. A população teve que ser evacuada por conta dos ataques do PCC.

    Leider_Lincoln

    28 de fevereiro de 2011 às 17h27

    Verdade: os "bravos" e "corajosos" PMs que se infiltram em sindicatos e no MST, atiram em estudantes e professores, fizeram o lucro do ano das lavanderias na época em que os bandidos do PCC atacaram São Paulo. Depois que os bandidos sumiram saíram para as ruas, para matarem os PPP…

    gonçalves

    28 de fevereiro de 2011 às 17h58

    500 foi muito pouco se vc prefere o pcc no comando problema seu

    Gerson Carneiro

    28 de fevereiro de 2011 às 20h45

    Rapaz, nessa matança promovida pela PM após os ataques do PCC a PM executou uma mulher grávida que estava com cesária marcada para uma semana adiante.

    Se tiver curiosidade em saber mais sobre as execuções promovidas pela PM paulista e chamadas pela própria PM paulista de "resposta aos ataques do PCC", acesse o blog http://maesdemaio.blogspot.com

    E você se engana se você pensa que o PCC não está no comando.

    Leider_Lincoln

    28 de fevereiro de 2011 às 17h23

    Realmente, diante de bandidos de verdade, armados, a coragem deles derrete como sorvete na churrasqueira…

    Gerson Carneiro

    28 de fevereiro de 2011 às 20h46

    Ficam todos entocados. As ruas em torno das delegacias são isoladas. A macheza deles some.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.