VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


“Sou deficiente nos meus ouvidos de choque elétrico que o Ustra me deu”, diz vereador — que define bolsonaristas como sub humanos; veja relatos
Reprodução
Denúncias

“Sou deficiente nos meus ouvidos de choque elétrico que o Ustra me deu”, diz vereador — que define bolsonaristas como sub humanos; veja relatos


10/10/2020 - 12h12

Os bolsonaristas e seus milhares de robôs estão acesos nas redes para defender… a tortura e os torturadores. Monstruosidade. Raça de sub humanos. Gilberto Natalini, vereador (PV-SP)

Da Redação

As declarações espantosas do vice-presidente da República, o ex-general Hamilton Mourão, em entrevista ao Deutsche Welle, receberam repúdio daqueles que foram torturados pelo carrasco Carlos Alberto Brilhante Ustra, que chefiou o Doi-Codi em São Paulo, durante a ditadura militar.

Mourão, criminoso

Uma das vozes mais enérgicas contra Ustra é a do vereador Gilberto Natalini, do PV.

Ele foi pessoalmente torturado pelo ídolo de Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão, de forma pesada durante “mais ou menos um mês”.

“Choque nos ouvidos era todo dia. Sou deficiente nos meus ouvidos, de choque elétrico que o Ustra me deu”, contou ele em entrevista.

“Quando eles ligam a corrente elétrica, você grita. E quando você grita, surge uma faísca que pula de um lado da boca para o outro. Isso queima toda a sua mucosa bucal. Descasca. Fica em carne viva”, relatou Natalini.

Amelinha Teles, que também foi levada para o centro de torturas que funcionava na delegacia da rua Tutoia, em São Paulo, apanhou de Ustra na cara assim que chegou.

Ela diz que Ustra participava pessoalmente das sessões de tortura.

Nua, Amelinha foi colocada na cadeira do dragão, onde recebeu choques elétricos até na vagina.

Os filhos crianças de Amelinha, de 5 e 4 anos, foram levados por Ustra para vê-la sob tortura.

Foi a família Teles quem conseguiu que Ustra fosse declarado torturador pelo Estado brasileiro.

Ela calcula que Ustra foi responsável pelo assassinato de 60 pessoas só na rua Tutoia.

Para Ivan Seixas, Carlos Alberto Brilhante Ustra era um psicopata.

De acordo com Seixas, Ustra levava a esposa e a filha para o Doi-Codi.

O ex-preso político não tem dúvida de que existia uma cadeia de comando, que no topo tinha o ditador.

Segundo Ivan, além de ter pessoalmente torturado, Ustra também chefiou uma operação que desapareceu com adversários do regime.

Ele calcula que 80 pessoas tenham sido mortas sob responsabilidade do carrasco.



Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


8 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

abelardo

12 de outubro de 2020 às 19h04

Por tudo que as Forças Armadas tem declarado e provocado desde o início do governo Temer até, e com muito mais intensidade, no governo atual fica a pergunta: será que o seu alto comando decidiu se rebaixar e fazer as FFAAs se nivelarem as milícias cariocas? Será que resolveram pelo banditismo, pela traição e pela entrega de nosso país a quem melhor pagar? Será que o tão alardeado “Avante Brasil do meu coração” foi uma pura e enganosa ilusão criadas por outros Mourões?

Responder

Zé Maria

11 de outubro de 2020 às 19h14

https://pbs.twimg.com/media/EkDi3NPXgAEHWah?format=jpg

‘#Somos Todos Ustra’: A Hashtag das Forças Armadas do braZil

“Mourão presta um serviço ao esclarecer como o Exército pensa”

Jornalista Jânio de Freitas

https://twitter.com/SergiusAugustus/status/1315300578327756800

Responder

Zé Maria

11 de outubro de 2020 às 18h50

Só pelo fato de elogiar o Torturador Brilhante Ustra
o Mourão já está compactuando com a Tortura.
Dizer que é contra é palavra morta, inócua, ou seja,
não passa de uma Mentira Deslavada de um sujeito
manipulador da Verdade e portanto da História.

Responder

Henrique Martins

11 de outubro de 2020 às 10h46

“Somos liderados pelos menores entre nós”.

Terence McKenna

Fonte:
https://www.rt.com/op-ed/502965-superspreader-misery-powerful-people/

Responder

Cristina Silveira

11 de outubro de 2020 às 10h41

Depoimentos mortíferos de ouvir. O que dizer as vitimas? Devemos, devemos, o Brasil deve a estas pessoas…

Responder

Henrique Martins

11 de outubro de 2020 às 10h28

Ao infectologista Jorge Casseb

O Covid provoca uma vasculite sistêmica.

Responder

Henrique Martins

10 de outubro de 2020 às 19h06

URGENTE

Aos pesquisadores da Fiocruz

Considerando que o Covid provoca uma reação exagerada do sistema imunológico, sugiro que vocês pesquisem pacientes alérgicos e tentem descobrir se aqueles que morreram tinham algum tipo de alergia.
Isso porque é possível que o sistema imunológico destas pessoas tenha uma reação muito mais forte ao Covid do que as outras que não têm alergias.
Se for confirmada essa hipótese tais pessoas precisam ser incluídas no grupo de risco. urgentemente

Responder

marco

10 de outubro de 2020 às 15h29

E alguém,desde que humumanóides,esperava algo diferente,dessa TROUPE?Esse tipo de sub-humano,não produz,nada diferente.Pior que eles,são seus eleitores,todo iguais!

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!