VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Denúncias

São Paulo: A polêmica sobre as manifestações do Passe Livre


12/06/2013 - 00h28

Foto do Estadão

Opiniões recolhidas no Facebook:

Marcello Barbosa

Sou totalmente a favor de manifestações públicas em defesa de direitos coletivos. Mas depredar o patrimônio público ou privado não é somente vandalismo, mas é um ato burro e medíocre pois quem paga a conta depois é o cidadão comum, ou melhor, quem paga a conta é o trabalhador e a trabalhadora. A conta é exata. A cada ônibus depredado é um ônibus a menos na frota que vai piorar o serviço público de transporte, cada placa destruida, muro pichado, enfim tudo vai gerar maka gastos…

*****

Camila de Oliveira

Acabei de ver uma foto dos manifestantes do Passe Livre com uma bandeira do Brasil na mão escrito “Lixo” e o cara vestia uma camiseta do EUA. Vai entender!!!

*****

Rafaela Marchetti

E aí, o que a televisão e os jornais vão te contar amanhã?

Provavelmente não vão falar da criança de 7 anos que precisou pedir ajuda, porque a polícia estava dando tiros de bala de borracha nela.

Provavelmente não vão falar do policial de moto que subiu na calçada para atropelar um manifestante que estava andando sozinho.

Não vai mostrar, também, imagens das pessoas que foram machucadas pelos policiais.

Dificilmente ela vai falar que, quando chegou na Avenida Paulista, a manifestação era pacífica. Vi um vidro quebrado e pichações quando estava a caminho, mas nada tão assustador quanto o estado em que está a Paulista e seus arredores agora.

Encontrei uns amigos na manifestação perto do prédio da Gazeta, e fomos andando até o MASP, onde a coisa ficou feia.

Conseguimos ver que a polícia estava com alguém, e os manifestantes gritavam para soltar, depois disso, só correria e bombas de efeito moral. Desesperador, gente gritando e correndo para todos os lados, e as bombas não paravam. Corremos para a rua de trás, mas as bombas não paravam, e foi aí que quem se uniu para protestar por seus direitos começou a destruir tudo.

As cabines da Polícia Militar que ficam espalhadas pela Av Paulista estão no chão, destruídas. Lixo na rua, fogo, quando você quer protestar por seus direitos e é recebido com bombas de efeito moral (e pra quem não sabe, cara, aquilo arde), e policiais violentos, perde a razão.

Parabéns Srs Haddad e Alckmin, pelo belo trabalho de repressão da polícia, por ouvir seu povo, e por defendê-lo, por não se preocupar só com o trânsito. (risos)

Depois de presenciar a guerra que foi o protesto de hoje, ainda me resta esperança. Ver que a maioria dos que estavam ali reunidos eram jovens, e que estão lutando pelos nossos direitos, me faz acreditar em um futuro melhor. Quem sabe né?

*****

Charge reproduzida pelo Plínio [de Arruda Sampaio] comenta sobre a cobertura das manifestações pela mídia:

*****


Pablo Mattos

Adoro esse povo que se impressiona com a atribuída violência e vandalismo dos “baderneiros”! Não demoram muito e atacam os manifestantes como sendo, esquerdistas, comunistas, anarquistas, etc… Pois bem! Nenhuma das conquistas da democracia liberal, sim a implementada em favor dos grupos dominantes, nenhuma das garantias do Estado Democrático de Direito foi efetivada sem protestos brutalmente violentos. E sequer estou falando de comunismo ou socialismo!

Dia do trabalho? 13° salário? Férias? Jornada de trabalho justa? Muita gente tomou porrada e foi morto pra que vocês gozassem destes direitos! A história deve ser estudada para que esta memória não seja distorcida! Chamam o Brasil de país acomodado, cordial… Quando o povo sai às ruas, pronto! “Vândalos”! Para e pense nas inconsistências deste discurso! Muito mais do que janelas foram quebradas para que você gozasse de direitos CONQUISTADOS por manifestantes.

Então, poupe-me do mimimi porque meia dúzia de janelas foram quebradas em protesto. Nenhuma das garantias democráticas que você tem hoje foi conquistada sem que algo muito mais violento acontecesse.

*****

Marcelo Bittencourt

Enquanto jornalista temos que regiatrar essa bagunca organizadas por filhinhos de papai q nem sabem o vlr do onibus…estao nas ruas para mostrar o qto sao ignorantes e despreparados. O engracada eh q depois q isso vai para o ar aparecem os intelectuais criados a lei de cabra dizendo que a imprensa eh sensacionalista. sera que esse bando se preocupa realmente c o Brasil ou sao burgueses q vao mamar nas tetas do pais.

*****

Gilberto Maringoni

VÂNDALOS NÃO SÃO MANIFESTANTES – Quem já participou de manifestações públicas sabe ser impossível controlar o comportamento de cada integrante. Não há catraca, não há crachá e nem ingresso para se juntar a um protesto. Ainda mais a marchas com mais de 10 mil pessoas, como a de hoje, em São Paulo.

As cenas de vandalismo, como pichar a bandeira do Brasil, quebrar vitrines e patrimônio público, incendiar ônibus e detonar parte da fachada da sede do PT são atos boçais, que faz o jogo de quem se opõe às manifestações.

São gestos absolutamente marginais . A manifestação NÃO passou pela rua Silveira Martins, onde se situa a sede do PT. Os incendiários do parque D. Pedro foram repelidos pelos manifestantes.

Acusar um movimento pacífico de ter táticas violentas é falta de informação ou absoluta má fé.

*****

Reproduzido pelo A Verdade Nua & Crua:

Leia também:

Jorge Souto Maior: Passe Livre e o direito de ir e vir

Lincoln Secco: Anatomia do Movimento Passe Livre





139 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Rawls

12 de janeiro de 2016 às 20h38

HEBER VELOSO manifestante do Passe livre – que quer ONIBUS SEM TARIFA ..
Avisem ele ” O mito da gratuidade NAO EXISTE, tudo custa (manutenção, gasolina e funcionario)
Sera que o boyzinho
Nao percebe que o Estado vai tirar IMPOSTOS do CIDADÃO
pra o Bonitinho que chamou o Alckmin de “Facista” – andar de.ônibus AS CUSTAS DA SOCIEDADE !

Responder

ROOSEVELT S. FERNANDES

11 de julho de 2013 às 22h50

REFLEXÃO QUE NÃO VAI AGRADAR A MUITA GENTE

SE OS “MÉDICOS IMPORTADOS” NÃO FARÃO O REVALIDA, CERTAMENTE NÃO PODERÃO ESTAR REGISTRADOS JUNTO AO CRM – DEDUÇÃO ÓBVIA.

SE COMETEREM ALGUM ATO OU POSTURA DANOSA A ALGUM BRASILEIRO, SEM CRM, QUAL SERÁ SUA RESPONSABILIDADE LEGAL E PENAS?

QUEREM QUE ELES FIQUEM “LIGADOS” A ALGUMA Instituição DE ENSINO, TALVEZ DE MODOI A DAR A ELES A CONDIÇÃO DE “MÉDICO RESIDENTE” ( responsabilidade limitada) OU ALGO PARECIDO, SITUAÇÃO QUE NUNCA OCORRERÁ.

PERGUNTO: QUAL É O EFETIVO INTERESSE DE TRAZER ESTE PESSOAL DE FORA? OS SELECIONADOS FORAM SERÃO ESTRANGEIROS OU BRASILEIROS QUE FORAM PARA LÁ, FIZERAM UM CURSO QUESTIONÁVEL DE MEDICINA, E AGORA VÃO RECEBER A ABERTURA DE UMA “PORTA AMIGA” PARA QUE VOLTEM.

Responder

    Conceição Lemes

    12 de julho de 2013 às 00h36

    Roosevelt, preferimos letras minúsculas. abs

Antonio Carlos Ruiz Arriero

17 de junho de 2013 às 21h25

O governo federal e o Congresso negociam estaa semana a possibilidade de retirada da urgência do projeto que destina 100% dos royalties para a educação. Um projeto como este merecia uma ampla mobilização da sociedade, tanto nas ruas como nas redes sociais, para pressionar o Congresso Nacional por sua aprovação.
Infelizmente esse Movimento Passe Livre se mobiliza contra o aumento das passagens de ônibus, que, aliás subiram abaixo da inflação. Não sou contra mobilizações populares, o que questiono é a prioridade da reivindicação. Vamos se mobilizar por uma grande revolução na Educação deste nosso País.

Responder

Mário SF Alves

15 de junho de 2013 às 22h21

Lamento o fato do PT não ter entendido ainda o poder que emana desse fogo que ora incendeia a juventude. Manipulados ou não, inocentes úteis ou não, infiltrados ou não, eles fizeram aquilo que a realpolitik tem nos impedido de fazer. Fizeram aquilo que nossa compreensão sobre a complexidade política afeta ao Brasil e à América Latina como um todo tem nos impedido de fazer. Fizeram aquilo que nossa confiança no modelo de desenvolvimento elaborado pelo PT tem nos impedido de fazer.

É certo que entre e principalmente atrás deles há muita gente mal intencionada; há especialistas em sabotagens; há político profissional capacho da pior elite do mundo e há, sobretudo, golpistas à “bolinha de papel”. Assim como também é certo que a imensa maioria deles é generosa e capaz, sim, de fazer aquilo que nosso pragmatismo tem nos impedido de fazer.

Mas… ainda é tempo PT, ainda é tempo. Só depende de você. E não precisa muito, basta a direção. E óbvio “direção” aqui, neste dado, provocado e artificialmente criado contexto, não tem absolutamente nada a ver com governabilidade. Ou seja, tem a ver com interesses supra-partidários; tem a ver com os reais interesses do povo brasileiro. Coisa que o ato de governar impõe restrições politicamente impossíveis de superar.
___________________________________
Confesso que resta a dúvida. Reais interesses do povo brasileiro? Podem ser alcançados em ações supra-partidárias? Ou… nem assim? Bom… se nem assim, estamos de fato condenados ao maldito [e secular] capitalismo subdesenvolvimentista naZional e à barbárie eterna.

Responder

Wilson Garcia

14 de junho de 2013 às 22h23

Fico ca pensando com meus botoes,se tem gente se manifestando e promovendo quebra quebra, por causa do aumento de vinte centavo, quando este aumento esta abaixo da inflação,o que não fariam se nosso pais estivesse como estão grande parte dos países europeus, a maioria estão quebrados, seus povos desempregados,em situação muito difícil. Quem brinca com fogo corre o risco de se queimar.

Responder

    Mário SF Alves

    16 de junho de 2013 às 11h10

    Exatamente isso, prezado Wilson Garcia. E se é pra queimar, nada mais humano do que aproveitar as circunstâncias e direcionar a chama em benefício do povo. Nada muito distante do rompimento/superação dos dilemas que impedem a consolidação da democracia no mundo.
    ––——————
    Simples. Quem viver, verá!

    PS: Pena que para tanto nosso sangue vai ter de ser derramado. Refiro-me ao sangue constituído de hemoglobina. Mesmo porque o outro, o fruto de nosso trabalho, este, há séculos, vem sendo imoral e covardemente sugado. Resta dúvida? Então debrucemo-nos sobre questões como Dívida Pública Interna e sobre a Derrama. E tudo isso sem uma gota sequer de Karl Marx.

Victor Diego ENSA

14 de junho de 2013 às 20h34

Não sou totalmente a favor destas manifestações pois pelo meu ponto de vista a causa não é tão alarmante e sair de casa para voltar para casa machucado cheio de marcas por uma causa que eu acho que não irá resolver. Nada contra as manifestações mas se desejam realmente lutar por essa causa sitam-se a vontade e lutem por seus direitos.

Responder

Bárbara Moraes

14 de junho de 2013 às 09h38

Sou totalmente a favor de manifestações e protestos pacíficos, acredito que o povo tem que expor sua opinião e lutar pelo bem maior. Entretanto, tais manifestações deveriam atingir o núcleo do problema e não as “as beiradas”. Educação, saúde, transporte, todos estes setores estão em decadência, isso porque apesar do brasileiro ter a consciência de ir para as ruas “lutar pelos seus direitos”, não sabem exercer a mesma cidadania na hora de votar. E isso eu acho uma hipocrisia, ir para as ruas protestar, depreciar patrimônio público (que depois é o próprio povo que paga, com juros e correção monetária), deslocar vários policiais, que poderiam estar cuidando da segurança pública em outras regiões (que também é o cidadão que paga a conta no final), enfim, causar todo um transtorno e na hora de votar eleger um palhaço para representá-los e ficar satisfeito quando o mesmo oferece uma bolsa “alguma coisa”.
Infelizmente a visão do brasileiro é muito medíocre, e só é despertada quando mexem DIRETAMENTE no bolso do cidadão. Se o governo oferecesse uma educação digna, muitas pessoas teriam trabalhos melhores e por consequência salários melhores e o aumento da passagem perante isso seria insignificante. Se o governo oferecesse uma saúde de qualidade, as pessoas não precisariam gastar grande parte do seu salário em convênios particulares, pois teriam consciência que pagam impostos e é OBRIGAÇÃO do governo retornar isso em benefícios para a população. Se o brasileiro tivesse o mínimo de consciência, ia protestar também pelos diversos desvios de verba pública que está acontecendo, devido as obras para a copa do mundo, onde obras estão sendo superfaturadas, algumas obras sendo destruídas e reconstruídas da mesma forma. Ou pela corrupção que está sobre os nossos olhos e as pessoas fingem não verem: Porque para a massa, o político pode até roubar, mas seu rolar uma bolsa “tapa olho” para a população está tudo bem.
E quando olho por essa perspectiva, os R$ 0,20 do aumento da passagem (que sei que no final do mês faz muita diferença, pois também uso transporte público) ganham uma proporção tão pequena, diante do problema que é tão maior. Acorda Brasil!

Responder

Igor Felippe: A metamorfose de um protesto de jovens em ato de vandalismo - Viomundo - O que você não vê na mídia

13 de junho de 2013 às 15h07

[…] São Paulo: A polêmica sobre as manifestações do Passe Livre […]

Responder

mario sergio

13 de junho de 2013 às 04h32

Pessoal no Movimento PASSE LIVRE, voces estao de parabens, por uma transporte de melhor qualidade, porem numca isso vai acontecer, entao pessoal do passe livre, voces podem fazer uma campanha a nivel nacional
DIGA NAO AO SEU VOTO, quer mudar DIGA NAO AO SEU VOTO, democracia nesse pais so para quem esta no poder a grande MASSA QUE VOTA NAO TEM DIREITO A NADA, pense nessa CAMPANHA DIGA NAO AO SEU VOTO, para eleiçoes de 2014

Responder

simas

13 de junho de 2013 às 02h37

Gente, eu não consigo ler esses comentários… Primeira, segunda, terceira linha… Não passa, disso. Tbm não me interesso, mto, por manifestações na Av Paulista… Embora carioca, da gema, qdo jovem morei, por ali, descendo da Paulista, pra 9 de Julho. Meus priminhos, paulistanos, moravam, lado oposto, descendo na direção Rebouças. Foi por ali q tetaram me convencer de q a Bossa Nova era criação do lugar… Enqto isso, eu me divertia ao criticar um possível hábito de chupar mexerica (não era tangerina), na Augusta… Eu me divertia com a diversidade, em contrapartida ao meu físico, pequeno e mal vestido; quase sempre de manga de camisa e calça de tergal (tinha horror às rancheiras paulistanas). Isso faz meio século; entretanto, por lá, já se pensava no Primeiro Mundo. Atualmente, fico observando o paulistano e, já, o paulista, mesmo, tentando se inserir ao Brasil, mantendo essa superioridade de um Primeiro Mundo (em letras maiúsculas, mesmo).
Depois, desse período, fui estudar em Campinas – belíssima Campinas. onde consegui me inserir, melhor, ao espírito… e cultivar boas amizades.
Pensando essa época, acho q posso tirar q o paulistano, agora, ‘tá na sua, inventando uma Primavera Paulista. Só pode ser. Organizou-se uma manifestação, nada espontânea, como não poderia ser diferente, justo na Paulista… Não contavam com a repressão, violenta e fascista, da Força Pública… estatal; consequência, no embalo do combinado, repetiram as manifestações… “primaveris”, lá de cima. E, ficam tentando entender a incongruência dos fatos; não são “baderneiros”, esquerdistas… E não querem parecer burgueses, em luta de classe… Mas, são “milleneiros”, frustrados, com a repressão violenta de seus pares. E quebraram, tdo; tacaram, fogo; ao estilo “primaveril”. Beleza! Estaria criado e repetido aqueles movimentos, controversos, q são contra; porém, a favor de uma verdade. inconsistente, como visto no norte da África, por exemplo?… Pq, à administração municipal e à militância petista não existem interesses do molde. O PT corre atrás de resultados, q garantam governabilidade e q se reflitam em votos. E o q se experimenta e expõe, ai, é uma luta de classes, fora do esquema petista.

Responder

    damastor dagobé

    15 de junho de 2013 às 05h28

    pode resumir??? não entendi quase nada..

AlvaroTadeu

13 de junho de 2013 às 00h14

Estou com um pé atrás nessas “manifestações”. Passe livre é impossível, nem na antiga URSS onde o pãozinho ficou congelado por 60 anos havia passe livre para todos. Em São Paulo, estudantes pagavam meia passagem através da compra mensal de passes, não sei como é o serviço hoje. Os passes eram vendidos apenas na Galeria Prestes Maia, no Anhangabaú. Queria lembrar que no governo Lula, com uma inflação anual de 3,6%, Kassab reajustou as tarias em quase 12% (de R$ 2,70 para R$ 3,00) e não houve qualquer manifestação, nem reclamações nos jornais da TV. Quanto ao imbecili que acima culpou o Kassab pela repressão policial, lembre-se de que o controle da PM é de exclusiva competência do governo estadual, leia-se Geraldo Alckmin, do PSDB.

Responder

renato

12 de junho de 2013 às 22h43

O que não dá para engolir, é um infeliz de um americano
que veio para a copa, e achando que é todo dia esta baderna
pegou nossa bandeira, para indicar que ele e sua camiseta é
um lixo.
Viu perdemos um torcedor..
Ele achou que estava na Líbia, o Rambo..

Responder

renato

12 de junho de 2013 às 22h40

O reporter de assuntos diversos da Cultura.
Falou tudo, e não disse nada.
Mas uma coisa é certa, já vai passar.

Responder

Marcelo Sant'Anna

12 de junho de 2013 às 22h30

Valeu Azenha,
Isto é que é um espaço democrático e todas as correntes de pensamento são aceitas. Pena que no PIG a dita é dura mesma.

Responder

paulo Sergio

12 de junho de 2013 às 22h19

Olha , o q tenho a dizer é que , quem assistiu ao programa Roda Viva , Tv cultura com aquele sr asqueroso , psiquiatra canalha de nome Laranjeira , que fere as conquistas em prol dos direitos humanos , ouviu dele que , presta serviços ao governo Alkimin e ao prefeito Hadad . Isso me deu a medida desta grande farça q se tornou a política . Queremos um PT diferente , convicto de seus ideais progressistas , não esse alinhamento que trai o nosso voto e as nossas esperanças . Hadad igual a Alkimin , é uma coisa que não podemos passar por enganados . Dilma alinhada com Anastasia e Marcio Lacerda , outra coisa que não podemos aceitar , ou a locupletação vai fazer da política , uma inutilidade e tem muita gente ruim apostando nisso .

Responder

Maria Izabel L Silva

12 de junho de 2013 às 21h16

Os genios revolucionarios do movimento passe livre poderiam explicar a uma tonta como eu, quem vai pagar a conta da gratuidade? Antes de me acertarem com um coquetel molotov,comece por ai pra eu entender. Onibus, metros e trens possuem um custo. Alguém vai ter que pagar esse custo. Eles não rodam por inspiração divina, nem com o sopro de deus. Até as igrejas evangelicas não funcionam com o sopro de deus por que cobram dizimos de seus fieis.Eu propnho que a burguesia de São Paulo e todos os propritarios de SUVs do Brasil, que são contra o Bolsa Familia, paguem um imposto sobre cada dose de uisque consumida.Tres reais e vinte centavos ta de bom tamanho. Euzinha, não vou posso pagar mais imposto por que tô até a tampa …

Responder

    Lucas L

    12 de junho de 2013 às 22h37

    Olá Maria Izabel L Silva,
    Sua atribuição do adjetivo “tonta” à você mesma me parece um tanto precipitado, e por que não, injusto, para alguém que na própria continuação do comentário demonstra uma grande vontade de conhecer/se apropriar das implicações econômicas das reivindicações do MPL!(ou “gênios revolucionários-arremessadores-de-coquetel-molotov” para você)Enfim, compartilho com você um artigo do sociólogo João Alexandre Peschanski com esperanças e votos de que possa enriquecer suas reflexões sobre o tema; sanar algumas dúvidas ou, melhor ainda, suscitar mais dúvidas!

    http://blogdaboitempo.com.br/2013/06/10/motivos-economicos-pelo-transporte-publico-gratuito/

    renato

    12 de junho de 2013 às 22h56

    Li e gostei da idéia.
    Na minha cidade o transporte é o onibus
    (330 mil hab), é de uma empresa só.
    Amanha haverá greve dos cobradores e moto.
    Sabidamente, logo depois vem o aumento da
    tarifa.
    Como ficaria transformar o transporte aqui em
    público, já que é uma empresa privada, e muito boa.
    está certo que nas horas de pico há muita gente,
    mas o transporte para deficiente funciona, para aposentados
    funciona, e aí que não funcione. e esta sempre no horário.
    Mas gostei muito da idéia….legal.
    Ela tem razão….vamos com calma todos..

    assalariado.

    12 de junho de 2013 às 23h21

    Pois é, Maria Izabel. Você pensa com o cérebro do capital, uma dirigente sindical que jamais confessará os seus dotes políticos partidários, como naquela greve da APEOESP, próxima passada. Realmente, nas mentes dos alienados a culpa é sempre do povo nunca dos seus algozes capitalistas e seu governo serviçal da vez. Pior que isso, os alienados políticos nunca enxergam o Estado seja municipal, seja estadual, seja federal, como o mentores central da mazelas da sociedade.

    Ajudar difundir meia dúzia de atos em detrimento de se discutir a essência da ideia em questão, são sempre as táticas usadas pelos ‘especialistas’, em qualquer esquina da história para comentar o óbvio da noticia, sob o viés dos interesses ideológicos da imprensa burguesa. Quem sabe o dinheiro que os governos vão pagar de juros na divida publica interna, em vez de ir para os bolsos da burguesia, talvez isso ajudaria a baratear o transporte coletivo. A verdade é que a preferencia politica já está escolhida e, com certeza, o escolhido não foi os do Brasil e do povo assalariado. Por falar nisso, a taxa SELIC, este ano já subiu quanto mesmo? Para que? Em beneficio de quem mesmo?

    Abraços.

Fabio Passos

12 de junho de 2013 às 20h49

Transporte publico de graca custeado por imposto nos ricos e uma proposta excelente.

Apoio do PiG e depredacao de bens publicos e pessimo sinal.

Se os manifestantes insistirem em reduzir preco de passagem e ao inves de destruir patrimonio publico atearem fogo nos veiculos do PiG… podem contar com minha solidariedade e apoio!

Responder

marco

12 de junho de 2013 às 20h32

Vou insistir.O transporte é privado.Os oportunistas de sempre,hão de culpar o Estado,apoiando por se tratar de movimento social.Sou contra o aumento de tarifas contudo convém ressaltar,que o que chamam de imprensa democrática,a pouco instigava a Turquia,intervir na Síria apoiando a criminosa Otan.A imprensa democrática,monologa com as populações e escolhe dentre os manifestantes,alguns mais alvorotados,depois como de habito,editam o que eles dizem,sem dar-lhes o direito ao contraditório,pra seus propósitos golpistas.Onde se escondem nessas horas,os privatistas, doadores do patrimônio público pra seus amigos da iniciativa privada.Onde estão.

Responder

ricardo silveira

12 de junho de 2013 às 20h16

É pena que não tenhamos uma mídia interessada em informar sem manipular. Jornal da Globo deixa o governador, o prefeito, o policial e uma representante do movimento do passe livre falarem, são discursos e falas olhando o próprio umbigo, há lacunas a serem preenchidas, mas falta jornalismo para fazer isso. Daí a meninada sai estigmatizada como baderneira, o que até pode ser uma constatação correta, neste caso, mas precisa ser demonstrada.

Responder

Edgar Rocha

12 de junho de 2013 às 20h10

Já vi e participei de manifestações que chegaram às vias de fato. Mas, nunca isso ocorria sem se respeitarem todas as etapas de negociação. Normalmente, numa manifestação organizada, séria e com reivindicações muito bem delineadas e objetivas, poderia levar um tempo maior pra se alcançar o que deseja, mas, quase sempre saía vitoriosa. E a consciência adquirida durante o processo era normalmente, irreversível (salvo, é claro, os fisiológicos de plantão que recusam qualquer princípio e que, portanto carecem de consciência, só tendo discurso). E, se me lembro bem, nenhum grupo infiltrado, nenhum trabalho de sabotagem, conseguia desestabilizar o movimento, sendo claramente denunciados e com o espaço devidamente reduzido. Enfim, dava certo. O que vimos neste episódio, nada mais foi do que uma amostra do néctar das lideranças fisiológicas mais tradicionais: “a porraloca”. O termo é velho, mas já incomodava nos tempos áureos dos movimentos sociais. Contudo, eles venceram e o sinal está fechado pra nós, já não tão jovens. Tem muita liderança hoje carente de holofote e, sobretudo de ideal e credibilidade. Precisam montar palco, nem que seja só pros convidados pra festa. Nenhuma das lideranças reais desta bagunça vai assumir a responsabilidade. Bandeira não tem dono mesmo e ninguém de nenhum partido vai dar a cara pra bater depois dessa zona que fizeram. E aquelas antigas lideranças (ao menos as sérias), pra tristeza desta garotada frouxa e mimadinha que nem paga condução (e se paga, com certeza, pode pagar) não participariam deste ato de vergonha alheia. Isso é coisa de candidato a BBB (tem BBB de esquerda, não tem?)Eu, hein? Tô longe de Salve-geral, de esquerda, de direita ou do subterrâneo.

Responder

abolicionista

12 de junho de 2013 às 19h48

Manifestação violenta?

Se querem saber o que é ser violentado, peguem um busão às seis da tarde e mais um trem lotado, como eu faço, sua concepção de violência dará um salto qualitativo…

Responder

Maria Izabel L Silva

12 de junho de 2013 às 19h24

Já entendi o recado da Globo News. A primavera árabe é em São Paulo e no Rio.

Responder

assalariado.

12 de junho de 2013 às 19h20

É impressionante a perca de foco dos caros comentaristas, sobre o que está em discussão e, o que motiva este post. Afinal, o objetivo estratégico do Movimento Passe Livre (MPL), não é a catraca livre? Portanto, não se resume aos R$ 0,20 de aumento. Ah, tá bom, descambou, por que será? A tática de luta está errada? Então, em vez de acusar, que tal encaminhar a discussão desta situação, para o seu devido proposito?

Algumas observações:

1) Realmente, olhando a multidão (foto do Estadão), parece que os movimentos resolveram se juntar e avisar/ acordar o povo. As esquerdas não devem se limitar à luta ‘do possível’ e ficar de quatro, segundo a lógica discursiva dos sociais democratas de plantão (PT e PSDB), que é: vamos explorar o povo mas, nem tanto.

2) (Marcello Barbosa): meu caro, desde quando existe a luta de classes, é o povo quem, e sempre, pagou e paga pelas mazelas do Estado capitalista, burguês, seja no transporte, seja na saúde, seja na educação, … Você já viu diferente?

3) Nesta (foto do Estadão) este midiotizado com a bandeira, nada mais é que um ‘brasileiro’ se juntando com a mídia burguesa para se assumirem como colonizados. A direita é craque em infiltrações nos movimentos sociais populares, para ridicularizar e desqualificar os movimentos reivindicatórios. Porém, o MPL que fique esperto, bunda de bêbedo não tem dono.

4) (Rafaela Marchetti) pergunta: E aí, o que a televisão e os jornais vão te contar amanhã? Digo que, não existe momento melhor do que este para o MPL e aliados politicos distribuírem panfletos/ jornais para as massas assalariadas, desmascarando a imprensa burguesa e seu viés ideológico de manobrar os desavisados da nação. Ah, sim, coloquem nesse balaio tarifário, os governos municipal (ônibus) e o estadual (trem, metro e ônibus intermunicipais).

5) Esta Charge reproduzida pelo Plínio [de Arruda Sampaio] comenta sobre a cobertura das manifestações pela mídia. Ou seja, de um lado uma verdadeira multidão em protesto questionando a exploração dos capitalistas, do outro, um possível pau mandado da direita, quebrando um carro. Adivinhem para quem a mídia burguesa deu destaque?

6) (Pablo Mattos), muito bem observado. Na história de libertação dos explorados pelo burguesia, nada veio de mão beijada. Ainda por cima vem uns da social democracia e rotulam esse ou aquele partido como culpados pela reação de alguns.

7) (Marcelo Bittencourt), quem registra a história é quem luta para transforma- lá. No entanto, a imprensa é do capital as divulgam segundo seu viés/ conceito ideológico do que é ‘notícia’. Pode até ser que muitos em luta nunca sequer andou de ônibus porém, isso não desqualifica as suas atitudes enquanto lutadores sociais. O meu medo mesmo é da classe média despolitizada, massa de manobra do PIG, travestidos de esquerda.

8) (Gilberto Maringoni), gostaria que você aprofundasse este seu comentário. Escrevendo um post para o viomundo. Estou no aguardo. Obrigado.

9) (Hipocrisia brasileira), faz 4 comparações: Egito, Londres, Turquia e Brasil. Estas comparações são reveladas nos muitos comentários de complexos de vira latas e reacionários da classe média, exercidos democraticamente, aqui no viomundo.

Saudações Revolucionárias.

Responder

Maria Izabel L Silva

12 de junho de 2013 às 19h05

A Globo News aderiu ao movimento. Já tem um “professor” “interpretando” os motivos do movimento. Segundo esse rapaz, o protesto é por transporte, saude e educação de qualidade. A burguesia chic de São Paulo agora resolveu defender os interesses dos trabalhadores. Disse que se o transporte publico fosse de qualidade, a classe media e os turistas (não podia faltar os turistas da Copa do Mundo) andariam de onibus. Que lindo. Todos andariam de onibus por que é o que eles mais sonham … Em tempo: como brinde, o movimento deixou 85 onibus DEPREDADOS. A classe trabalhadora tá ferrada nas mãos dessa gente.

Responder

camilo

12 de junho de 2013 às 18h46

Esse pessoal ,é soma da marcha da maconha + PSTU/PCO sem voto + embalo de harlem shake + imagens da Turquia , quero ver essa turma pedir mais horas aula nas universidades , avaliações sérias na conclusão do curso , mais pobres e negros nos cursos de medicina e engenharia , hospitais com mais medicos do que seguranças armados , mas não dá para deixar de comentar a truculencia da policia de São Paulo nunca vai evoluir ..

Responder

Tomudjin

12 de junho de 2013 às 18h10

O mais provável é que a imprensa(jornalistas) chegou bem depois do conflito ter iniciado, já que ela, a que condena um dos lados, não conseguiu testemunhar quem foi o primeiro a se valer da arma que dispunha: se era algo semelhante a gaz lacrimogênio ou a paus e pedras.

Responder

marcio gaúcho

12 de junho de 2013 às 18h07

O transporte público tem custos, muitas vezes subsidiado pelo erário público. Mas, o que se vê nas manifestações de rua em São paulo, também em Porto Alegre, é de uma irracionalidade de dar dó. Duvido que esses jovens, rebeldes sem causa, usem ônibus para se locomover. Se usassem, tratariam de preservar o sistema ao invés de promover atos de vandalismo. Todo e qualquer serviço, público ou privado, tem custos para funcionar. Assim, deve ser pago pelos seus usuários.

Responder

IZA

12 de junho de 2013 às 17h57

Quem leva coquetéis molotov para “manifestações pacíficas”?,o que quer?
Alguém acha que os coquetéis molotov, aparecem do ar, como mágica?
São preparados com antecedância.

Ou esses garotos do “Movimento Passe Livre” são inocentes úteis, ou não passam mesmo um bando de idiotas!

Responder

trombeta

12 de junho de 2013 às 17h47

Assistindo a manifestação na Turquia que começou com um protesto legítimo contra a construção de um shopping numa praça e se transformou num movimento golpista já que querem derrubar um governo democrático, a direita sem voto e a globo ficaram alvoroçados.

A cobertura tá caprichada com direito a flashes em pleno andamento da novela das 8; não faltam revolucionários de apartamento do psol e assemelhados turbinado com playboys, patricinhas e maria vai com as outras…

A globo sabe que a maioria dessa gente vai estar votando na direita e lendo a revista veja antes dos 30 anos então porque não apostar num fogo de palha pré-eleitoral e vender ao mundo que o Brasil vive uma crise econômica.

Mensalão, inflação e empulhação nunca é demais quando tem eleição pela frente e a nossa chance de ganhar no voto é quase nenhuma.

Responder

Paulo

12 de junho de 2013 às 17h27 Responder

matheus

12 de junho de 2013 às 17h06

Nojo desses governistas e pelegos nos comentários, batendo palma para a união de Haddad, Alckmin, “blogs sujos” e “PIG” para reprimir brutalmente uma mobilização por uma causa justa.

Se tiver algum governista honesto, que acorde do seu sonho petistucano. Quanto aos oportunistas da situação e da oposição, que vão todos para o inferno com os seus queridos banqueiros, empresários, latifundiários e políticos corruptos.

Responder

    Maria Izabel L Silva

    12 de junho de 2013 às 18h51

    85 onibus depredados! Esse é o saldo de seu movimento justo! Você não anda de onibus nem precisa deles. E você não tem envergadura moral para falar em nome dos trabalhadores …

    abolicionista

    12 de junho de 2013 às 19h47

    Depredado sou eu, que preciso pegar busão lotado e trem todo dia e sou tratado como um animal. Isso sim é violência, aquela que acontece todos os dias, que estraga nossa saúde e nossa humanidade. O PT abandonou a luta ideológica e abriu caminho para o fascismo. O filósofo Walter Benjamin dizia que todo fascismo surge no lugar de uma derrota da esquerda. Não será diferente no Brasil, o neoliberalismo light conciliador e consumista oferecido pelo PT já está mostrando sua face sinistra, a face do capitalismo. Quando a crise vier, e ela virá, minha cara, não nos iludamos, as massas estarão prontas e embrulhadas para engrossar as marchas com deus pela família. É o preço que se paga por achar que ideologia é coisa de dinossauro: volta-se à idade da pedra.

    renato

    12 de junho de 2013 às 22h36

    Para o Abolicionista.
    Você tem Midia para entrar em contato com Viomundo as 19:45 hs
    Esta dentro do ônibus, ou já chegou em casa, se chegou? – chegou cedo.
    Não passa nem perto de onibus…
    Preste atenção o PT esta no Governo de São Paulo, cidade…
    Velho do restelo.

    abolicionista

    13 de junho de 2013 às 19h28

    Acho sempre curiosas, essa ânsia cega em defender o PT que beira o fascismo. Camarada, eu pego ônibus desde nasci e continuo pegando, infelizmente. Se souber como eu posso arrumar o dinheiro para comprar um carro e mantê-lo, avise-me. Se um dia eu tiver recordações proustianas, elas serão dentro de um ônibus: o cheiro de diesel, o barulho dos vidros batendo, tudo muito romântico. A diferença é que quando pequeno eu passava por baixo da catraca e usava o dinheiro da passagem para comprar figurinha. E agora, trinta e dois anos depois, vem o Sherlock PTucano dizer que eu passo longe de ônibus. É mole? Foi tudo alucinação? Ah, você acha que quem anda de ônibus não conseguiria escrever esses posts. Sabe preconceito? É isso. Sabe aquela faculdade que quando você fala o nome, seu familiares dizem que admiram seu idealismo? Eu fiz letras, como dá pra imaginar. Mas não foi por idealismo, foi por gostar de literatura. Gosto, fazer o quê? Segundas e quartas eu saio da ONG onde dou aulas, no Parque Santo Antônio, e venho de metrô fajuto (linha lilás, ou linha nada-lugar nenhum), trem CPTM e mais um trem de Presidente Altino até a Lapa, perto de onde moro. Chego aqui, quando nada dá errado, umas sete e pouco. Duas horas na lata de sardinha. Se não fosse pela condição desumana, até que seria razoável, dada a grande distância percorrida. É claro que tem gente que fica muito mais, mas esse consolo me faz feliz? Pelo contrário , só me deixa mais puto. Acordo cinco da matina, tomo café que eu mesmo preparei como dizia o Bandeira e vou para o terminal Lapa. A aula começa às oito. Às terças, quintas e sextas eu vou até o morumbi para dar aulas (essa vida de micro empreendedor individual ainda me mata!), são dois busões para chegar lá, e a volta é uma desgraça. Mesmo horário. A grana dá para o aluguel de uma casa coletiva aqui na Lapa. Tem gente que trabalha mais que eu? Certamente, mas isso não me faz gostar do transporte público de São Paulo, pelo contrário, ver gente sofrendo mais que eu não me deixa feliz. Por alguma razão, não consigo ver um nexo direto entre as duas coisas. Olha, não sei não renato, mas com uma capacidade indutiva como a sua, vais acabar trabalhando na polícia federal. Podes almejar até o STF!

    Dias

    12 de junho de 2013 às 19h47

    A Globo no comando da mídia declarada de oposição está em extase, estimulando a juventude paulistana ir divertir-se de manifestante na farra do ônibus. O problema é que a farra não é virtual, é real, e daqui a pouco a realidade apresenta a fatura e não adianta esperar o papa chegar para reclamar. O caldo vai entornar, sabemos disso e nesse momento, só interessa para quem deseja ferrar com o Brasil ou será que o terrorismo da desinformação, da falta de energia, da inflação com o tomate, do fim da industria por falta de exportação, da crise na economia com o dólar em alta, da tragédia de um reboco ter desprendido do teto em algum canto do aeroporto de congonhas, acontecem apenas por efeito da gravidade levemente desinteressada?

    Antonio

    12 de junho de 2013 às 19h53

    Nossa, pela sua pose de mauricinho voce pega busão todo dia né ? rsrsr.,

    Mais um inocente útil para fazer o jogo político da direita reacionária.

Leia

12 de junho de 2013 às 17h06

Só digo uma coisa. Onde está as forcas armadas ? manda o exército, como foi no RJ contra os traficantes, e ponham a casa em ordem.

Responder

Antonio - SP

12 de junho de 2013 às 16h38

Esses babacas do movimento passe livre viraram massa de manobra da direita na capital.

Isso não vai acabar bem, quero ver quando um manifestante morrer numa dessas manifestações, quem vai pagar por isso ?

Esse pessoal é irresponsável.

Responder

    willian

    12 de junho de 2013 às 17h33

    Que diferença. Quando o prefeito era Kassab o MPL era defendido por todos aqui.
    Não acredita em mim? No alto da página, escrevam no campo BUSCA “movimento passe livre”.

    Dias

    12 de junho de 2013 às 19h31

    Quando o prefeito era o Kassab, a mídia de oposição não divulgava esse movimento, hoje a Globo explora-o à exaustão no JN e persiste nos intervalos da novela ao vivo fazendo chamadas, pois sabe que assim atrairá mais jovens para divertirem-se na próxima farra do ônibus marcada, criando assim a massa de manobra e o clima, que até hoje não conseguiram, para atingir seus inconfessos objetivos. Por outro lado a polícia agora começa a descer o cacete e espalhar bombas a vontade para que o cenário desejado se faça.
    Por que será que a globo contumaz relapsa em acompanhar movimentos sociais (lembra do Pinheirinho?) mmostra-se agora tão interessada no tema, não é mesmo?

    renato

    12 de junho de 2013 às 22h39

    Foi sim….
    Então acho que a MPL ganha dos dois lados, ou tres.
    Quem que ganha com isto mesmo Willian?
    Você sabe mais que eu.

Maria Dirce

12 de junho de 2013 às 16h23

Segundo historiadores, Roma ardia nas chamas e Nero tocava Lira!!Segundo o Portal Uol. que pertence a Folha de São Paulo a fogueira vai continuar hoje e amanhã.Diz UOl-“Outros dois protestos devem ocorrer hoje (12) e amanhã (13), em São Paulo, contra o aumento das tarifas do transporte coletivo. Desde a semana passada, foram ao menos quatro manifestações –três delas, organizadas pelo MPL (Movimento Passe Livre).”
Me lembra uma convocação essa matéria!!
Que Alckmin, e Hadad voltem de Paris, pq se houver mortes e feridos, a culpa é dos que governam , mas não estão presentes.Como dizia Janio Quadros-Vice não é nada!!
Uol diz ainda-“Para hoje, às 16h30, a manifestação é prometida pelo DCE (Diretório Central dos Estudantes) da USP (Universidade de São Paulo) em conjunto com “moradores do Butantã”. A concentração será no vão dos prédios dos cursos de história e geografia, da FFLCH (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas) e se diz contrária aos “problemas com o transporte na Cidade Universitária”.”
Interessante que sabem a hora dos movimentos começarem. pq geralmente esses movimentos de destruição começam na surdina.Os pobres de Pinheirinhos que foram chutados e tirados de sua moradia não foram na Paulista!!!(sic)

Responder

Paulo

12 de junho de 2013 às 15h55

Caras Pintadas – Como Collor foi destronado.

“As origens do movimento remontam ao final da década de 1980 e início da década de 1990, época em que os estudantes brasileiros, representados pela UNE e pela UBES, tiveram grande protagonismo nas lutas sociais do país. Tal protagonismo deveu-se, sobretudo, às campanhas pela conquista do PASSE LIVRE NOS TRANSPORTES…”

Será pura coincidência? Acho que não!

Como UNE e UBES, cooptados pelo poder vem perdendo a voz e a noção dos seus papeis políticos, cada vez mais, movimentos desestruturados e descolados das instituições representativas vão emergir para reformar a democracia.

Responder

    rodrigo

    13 de junho de 2013 às 02h26

    Oi Paulo, na verdade “cara-pintada” foi uma apropriação linguística mais do que indébita por parte da nossa tão inteligente e absolutamente isenta imprensa.

    http://es.wikipedia.org/wiki/Carapintadas

José Silva

12 de junho de 2013 às 15h36

Do jeito que a coisa anda o povo vai passar por cima é de todo mundo. A coisa mais difícil de se encontrar hoje é uma liderança comprometida com alguma causa, radicais, reacionários p…. nenhuma, o povo já está cansado de tanta ladainha e tanta exploração, e a indignação aumenta na medida que mais pessoas enchem suas barrigas e começam a poder pensar em alguma coisa que não seja só como vai por comida na mesa amanhã.
Lá no Jd Lucélia foi a mesma coisa, só arrumaram um córrego que cortava uma favela depois que inundou e uma criança de 3 anos morreu afogada no esgoto e o povo se revoltou e fechou a avenida por 3 dias, queimaram busão, pintaram o diabo, rapidinho engravatado se levantou da cadeira e a coisa andou. Já fazem mais de 2 anos e nunca mais o córrego encheu depois da obra realizada no local.
A passagem no Brasil é uma das mais caras do mundo, e o transporte público é um dos piores e a coisa só vai mudar se o povo, O POVO, decidir que tem que mudar.
Os intelectuais de frente de computador que fiquem tentando influenciar as pessoas que é isso ou aquila, que existe a conspiração tal, contra não sei quem.
Eu se estiver preso no transito porque está tendo uma manifestação contra esse sistema perverso e explorador nem ligo!!! Acho é bom, pois tô de saco cheio de ver tanta safadeza e exploração em cima de quem luta honestamente todo dia pra defender o pão da sua família. Chega de ser cordeirinho, motorista, policial, professor, médico, funcionário público, metalúrgico, doméstica, costureira enfim o trabalhador em geral é o único que pode por fim a o que assistimos no nosso país.
Desculpem pelo desabafo, mas tem hora que temos que por pra fora senão poca rsrsrs!!!

Responder

    Dias

    12 de junho de 2013 às 19h19

    Zézito, esse movimento ocorreu por três vezes nos últimos anos e você nem ficou sabendo e agora a rede Globo, comandando a mídia do millenium, quer que você e os jovems saibam, por isso não cansa de colocar no JN a exaustão e continuando nos intervalos da novela. Pense cara, o que a Globo está querendo ao estimular que mais colegiais participem da farra do ônibus, depredando a cidade, com a polícia do Alckmim descendo o cacete? Pense. A globo e a mídia declarada de oposição fazem terrorismo com a desinformação. Ora é a energia que vai faltar, ora é a inflação que vai explodir por causa do preço do tomate, ora é a industria que vai acabar, ora é a economia que vai ruir se o dolar subir e assim os terroristas da desinformação vão tentando de tudo, custe o que custar para o país, apenas para retornarem ao comando central do Brasil, perdido desde janeiro de 2003.

    José Silva

    12 de junho de 2013 às 21h49

    Foi só um momento de desabafo mesmo Dias rsrsrsrs, é que tem hora que enche o saco!!! A reforma mais importante pra mim no Brasil é a reforma política, somente através dela é que vamos dar um golpe na espinha dorsal desse sistema que aumenta a corrupção e anula quem quer realmente trabalhar para o bem estar do povo, principalmente com uma imprensa tão bandida como a nossa. Grande abraço!!!

    ricardo

    12 de junho de 2013 às 22h33

    Que coisa, não é mesmo, Dias? Então é a Globo que está orquestrando tudo. Mnada mensagem subliminares para colegiais, inventa uma inflação que está controladíssima, inventa essa de o dólar subindo, e sabe-se á o que mais. E não é que com essa lorota você enquadrou o “Zezito”.

    Dias

    13 de junho de 2013 às 02h01

    Que coisa, não é mesmo, Ricardo? Mas espero que não seja cinismo e sim certa dificuldade na intelecção, pois não afirmo absolutamente que “a Globo está orquestrando tudo” através de “mensagem subliminares para colegiais”, pelo contrário, informo que esse movimento existe há anos, com várias manifestações efetuadas por ocasião de aumento de tarifa, sem que as passeatas, com 700 a 1000 participantes, que se repetiam por mais de um mês, tivessem qualquer repercussão na mídia auto declarada de oposição, enquanto prefeitos de São Paulo, Serra e Kassab, e que agora com Kassab do PT prefeito, passaram explicitamente (e não subliminarmente como insinua)a fazerem exaustiva divulgação do movimento no JN e nos intervalos da novela, pois sabem que assim cooptam mais jovens para somarem-se ao “happening” da “farra do ônibus” e tanto isso é real, que a primeira passeata contou com o quase milhar dos anos anteriores, após a divulgação massiva da mesma na Globo e demais órgãos da mídia de oposição, foi aumentando e pode ter certeza que amanhã haverá novo recorde, conforme desejado pelo millenium, que tentou mas jamais conseguiu colocar pessoas protestando para valer nas ruas. Quanto ao terrorismo da informação, se cínico entendeu, caso contrário, leia de novo, pois não disse que eles inventam, afirmei sim, que fazem terrorismo desinformando, já que a inflação do governo Dilma é bem inferior a do governo FHC e não lembro de praticarem esse terrorismo, então, já em relação ao dólar, hoje sobe, amanhã cai e tenta-se aterrorizar a população a cada subida, esquecendo de ressaltar a queda anterior e a situação favorável no país, apesar da grave crise que atinge o mundo, atualmente. Acredite que pessoas sensatas não enquadram outras, dialogam e aprendem juntas, mas no caso de cínicos… deixa para lá.

    José Silva

    13 de junho de 2013 às 12h00

    Vc acompanhou a cobertura “Global” na desocupação de Pinheirinho Ricardo? O que vc achou? Provavelmente que foi uma ótima cobertura não é mesmo?!?!?! O governo que está aí já completou mais de 10 anos no poder e discordo de vários posicionamentos do mesmo, principalmente em relação a classe trabalhadora, que pôde desfrutar de alguma melhora em sua condição enquanto Lula estava sentado na cadeira, no caso de Dilma acho que ela deixa muito a desejar mas é inegável que a economia mundial vive um outro momento e o Brasil deixou de fazer reformas fundamentais para o seu desenvolvimento, talvez seja hora de começar repensar até a continuidade desse governo, mas essa é uma discussão que se depender da nossa imprensa, jamais será feita de forma imparcial, porque se eles pudessem já teriam apeado o PT do poder. Um abraço pra vc também!!!

Paulo

12 de junho de 2013 às 15h24

“A repressão aumenta, mas o movimento pela liberdade não retrocede e os democratas intensificam as manifestações por eleições diretas. Na televisão, o general Figueiredo classificava como ‘subversivos’ os protestos que começavam a acontecer em todo o país.”

Retirado de: http://pt.wikipedia.org/wiki/Diretas_J%C3%A1

É só pra lembrar. Parece que tem muita gente aqui com falta de memória ou que não se mexeu em 83/84.

Regra básica para manifestações: Quando o que se afronta é o estado-nação e seus governantes, de direita, de esquerda ou de “tanto-faz-desde-que-pague-bem”, a polícia, o braço estatal para a coerção, via de regra vai partir para a ignorância.

No mais, para quem ainda não entendeu:

http://noticias.r7.com/blogs/andre-forastieri/2013/06/12/transporte-publico-gratuito-ja/

Responder

Saçuober

12 de junho de 2013 às 14h48

Com ou sem confusão estes plays, as patrinhas, os piguentos, a falsa esquerda, os neolibelês e os golpistas vão perder no voto.

Responder

Saçuober

12 de junho de 2013 às 14h08

Isto vinha desenhando-se, a velha imprensa, os comentários nos seus sites, o facismo vem instalando-se, estes marginais não andam de onibus, dizer que mesmo não utilizando, estão lutando pelos que necessitam, é uma tremenda mentira.
Os que utilizam onibus, precisam de atendimento médico, de moradia, de segurança, de saneamento, de educação, de atuação do poder público na periferia, isto eles não reinvidicam.
São os que nas redes sociais, são contra os programas sociais e agora travestem-se em defensores do passe livre, são mentirosos e alguns imbecís manipulados os acompanham.

Responder

Vixe

12 de junho de 2013 às 13h49

Movimento pseudo socialista executados por playboys e patricinhas brincando de “progressistas” e servindo de massa de manobra para a direita extrema brasileira.
PSTU e PSOL juntos dá nisso.
Usam inocentes úteis como massa de manobra para tentarem atingir seus objetivos.
Fascistas e oportunistas.
Criam divisão na esquerda brasileira por puro ciúmes e inveja de quem chegou ao poder pelas vias democráticas.
É fácil ser “revoltadinho” numa democracia.
Queria ver toda essa “coragem” e “fúria” sob um governo ditatorial.
Aí sim veríamos que é quem nesse jogo sujo impetrados por estes dois pseudo partidos de esquerda que são tão somente instrumentos da direita extrema e acanhada brasileira.

Responder

    Vlad

    12 de junho de 2013 às 16h19

    E se o prefeito fosse do PSDB, como ficaria esse seu comentário?

Maria

12 de junho de 2013 às 13h43

ola, o proximo é quinta dia 13/06 e não 12/06, Dia dos Namorados, afinal, os que estão nas passeatas tem o direito de namorar também, num dia criado pelo capitalismo, para comprar e gastar, nesta o capitalismo venceu, não está somente na cobrança de passagens de ônibus, prova de que estas pessoas são realmente muito espertas…kkkkkk

Responder

Dani

12 de junho de 2013 às 13h32

É ingênuo dizer que o PT é de esquerda. Não é, nunca foi e também nunca será. São de direita ainda por cima neoliberal. Como diz Lula: “Nunca na história desse país os empresários brasileiros ganharam tanto dinheiro como no meu governo”. Falou tudo! é triste pessoas ainda terem coragem de defender governo x ou y. O PT não age diferente do PSDB, são iguais. Vivemos na era da escravidão moderna, vivemos num país em que somos assaltados diariamente pelos próprio mercado. O salário mínimo é uma miséria, não dá nem para comer. Tudo é caro. Como pode o povo ser passivo diante de tanta exploração. Sou a favor do povo na rua brigando por justiça, por dignidade. Que pena que são poucos que têm a consciência da exploração em que vivem. Não defendo partido político, mas sim justiça social.

Responder

    Maria Izabel L Silva

    12 de junho de 2013 às 14h09

    Quem faz manifestação de rua encapuzado é bandido. Espero que você não use capuz … Quando o PT ia prá ruas, ia de cara limpa e peito aberto. Você conhece como aconteceram as greves do ABC em pleno regime militar? Conhece alguma coisa sobre isso? Então aprenda o que é protesto de trabalhador explorado. Trabalhador não usa capuz de bandido. Um bando de encapuzados aterrorizando o povo e tocando fogo nas coisas, não é protesto de trabalhador. Isso é coisa de bandido …

    Saçuober

    12 de junho de 2013 às 14h24

    Disse tudo.

    Saçuober

    12 de junho de 2013 às 14h32

    Justiça social, estás brincando ou mentindo.
    Justiça social junto com um facista nojento como o mostrado na foto, deixa de mentiras.

    matheus

    12 de junho de 2013 às 16h39

    O Brasil é um regime de partido único com 20 facções de direita.

Fernando

12 de junho de 2013 às 12h54

como se pode levar a sério esse movimento só tem playboy e patricinha a serviço das organizações globo e dos tucanos !!!

Responder

    LEANDRO

    12 de junho de 2013 às 13h15

    Rsrsrsr…o PT e o PSDB cada vez se alinham mais…

    “O governador Geraldo Alckmin (PSDB) chamou de “baderneiros” os manifestantes envolvidos com atos de depredação durante o protesto de ontem (11) contra o reajuste das passagens do transporte público em São Paulo.

    O prefeito Fernando Haddad (PT) também criticou os atos de violência que ocorreram em São Paulo e que foram deflagrados, segundo ele, por “pessoas inconformadas com o Estado democrático de direito”.”

    andré

    12 de junho de 2013 às 13h42

    Fique quietinho hahaha

Apavorado por Vírus e Bactérias

12 de junho de 2013 às 12h34

O sujeito com a Bandeira Brasileira grafada como lixo está no País e num movimento de passagem livre porque é um idiota ou safado?

Primeiro que aquele idiota com a camisa dos ianques e a bandeira do Brasil como lixo deveria ir para os EUA. Não tem porque ele ficar aqui. Ele é ianque e não gosta do Brasil. Está aqui e num movimento de passagem livre porque é um idiota ou safado?

Depois, a direita infiltrou-se nesse movimento para fazer baderna. O movimento virou massa de manobra dos conservadores que não querem perder o governo do Estado de São Paulo e querem a presidência da república, além de atazanarem a vida do Haddad. O pessoal do movimento deveria ter uma vigilância interna para segurar os baderneiros, que são, com certeza, infiltrados. Os ratos da direita estão se afogando no próprio esgoto criado e querem estilhaçar para todo lado.

Responder

Daniel Faria

12 de junho de 2013 às 12h25

Ótima iniciativa essa de reunir várias opiniões, Azenha!

Eu sou absolutamente a favor dessas manifestações. Amanhã estarei na daqui do Rio.

Responder

Paulo

12 de junho de 2013 às 11h34

E como tem “esquerdista classe média” por aqui.
Avisa lá para a Chauí!

E no PIG o jornalista lembra:

“No entanto, a classe média, pouco acostumada no país a manifestações de protesto nas ruas, está aplaudindo as autoridades, que pediram mão dura à polícia contra as mobilizações, que estão paralisando o tráfego em cidades já normalmente supercongestionadas”.(http://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/el-pais/2013/06/12/o-brasil-se-levanta-em-protesto-contra-aumento-nos-precos-do-transporte.htm)

Então, manifestação em prefeituras do PT, por óbvio, são todas sem autenticidade popular, desprovidas da benção dos grandes líderes. Faz-me rir! E tem gente que ainda vem com o trololó de “direita reacionária”.
Lá na Turquia o estopim da pólvora indignatória foi uma porcaria de um shopping e uma dezena de árvores. Aqui, pode ser que o pavio tenha sido aceso e ninguém ainda se tocou!

Manifestação popular pós-moderna é assim: Ninguém entende direito como começa e muito menos ainda em como se desenvolve, se é com ou sem violência. Para piorar o lado ideológico dos intelectualizados, a indignação pode terminar hoje como pode demorar até as próximas eleições.

Em suma: Um pesadelo!

Responder

    Wagner

    12 de junho de 2013 às 14h04

    Concordo, colega. Acho que esta manifestação não diz respeito somente à tarifa do transporte, o povo está no limite, não sabemos como vai começar e quando vai terminar.

    Ricardo Lima Vieira

    12 de junho de 2013 às 15h25

    Qual “povo” está no “limite”?

    Por que algumas pessoas como você fazem questão de criar uma imagem de caos, desalento, crises e mais crises que se materializam basicamente nas redações de grandes órgãos midiáticos inconformados com o modo como o pais tem sido conduzido nos últimos dez anos?

    O povo está preocupado em viver sua vida, boa parte do povo conseguiu galgar degraus nunca antes proporcionados quando as forças que você apóia estiveram no poder, ao longo de 502 anos. O “povo” que está no “limite”, fala a verdade, é a classe média midiática.

    Não entrarei no mérito dessas manifestações que a Globo cobre sofregamente, em São Paulo, e sobre as quais o governador paulista, em viagem ao exterior, repudia com veemência, com todos os holofotes a lhe emprestarem a imagem de timoneiro responsável. A segurança pública é basicamente responsabilidade do governo estadual, principalmente no Estado que adora se apresentar como autossuficiente, quase um país à parte. Resumo: somente sinto cheiro de osso queimado nesse angu.

    Não temos um paraíso nesse país, mas com as ações governamentais federais dos últimos dez anos, começamos a descer um pouco os níveis do inferno dantesco sempre presente por aqui. Faz-se o omelete com o tacho disponível, sem se colocar óleo demais – como querem alguns -, nem óleo de menos – como querem outros.

    Narr

    12 de junho de 2013 às 16h19

    Com o FORA DILMA! e a eleição de Aecio no primeiro turno?

    Ricardo Lima Vieira

    12 de junho de 2013 às 16h04

    Paulo, vem cá: a notícia que você “linkou” é uma cobertura do Juan Arias. Não é aquele do… Xi… Baixa o pano, rápido (como diria José Simão)!

    E, cá pra nós: “manifestações de protesto”? Isso requer vandalismo premeditado?

    E mais: qual pavio foi aceso? o do traque da óia?…

Dias

12 de junho de 2013 às 11h19

Considero o movimento como tendo direito adquirido em manifestações sobre o tema, pois por pelo menos três anos pude presenciá-los (500 a 1000 manifestantes) em passeatas pelo centro de São Paulo, durante um mês ou pouco mais, a cada aumento da tarifa, devidamente monitorados pela polícia, ocorrendo excepcionalmente uma spraizada de pimenta ou uma bomba de lacrimogênio atirada e praticamente sem “vandalismos”.
A novidade agora é a cobertura da mídia, de praticamente inexistente antes, inclusive quando passeatearam em frente a residêncida do Kassab, passaram a ser protagonistas (ou será patrocinadores interessados?), com a líder, a globo, fazendo flash’s a cada intervalo de novela principal. Talvez esteja aí, no desejo de potencializar o impotencializável, as ocorrências agora de depredações pelos manifestantes e atuação dura da polícia, que nunca aconteceram antes.
A mídia do millenium é golpista e o governo faz vistas grossas, com o velho mêdo de “não cutucar a onça”. Essa é a realidade do fato, o resto são versões para mascará-lo.

Responder

Maria Izabel L Silva

12 de junho de 2013 às 11h12

É obvio que tem alguma coisa errada com esse movimento. A esquerda e os movimentos sociais brasileiros tem uma larga tradição de manifestações e nunca, em nehuma época, agiu dessa forma, com tamanha violencia. Não faz sentido essa reação toda por causa de vinte centavos na passagem de onibus. Não faz sentido alguma. Não faz sentido depredar as instalações publicas e o transporte publico, quando se defende redução das tarifas. Se querem defender o transporte publico, então por que a furia contra ele? Isso é coisa de quem NÂO utiliza e NÃO precisa do transporte publico. É coisa dessa burguesia nojenta e fascista. Alguns grupos de esquerda partiram em defesa desse movimento como se fosse a grande novidade … Quem acha que aterrorizar a população é coisa normal, democratica e salutar deve estar delirando. Baderneiros e bandidos de merda …

Responder

    Tiago

    12 de junho de 2013 às 12h54

    Excelente comentário!

FrancoAtirador

12 de junho de 2013 às 10h45

.
.
A Extrema-Direita sempre se utilizou desse artifício,

de infiltração nos movimentos reivindicatórios populares,

para inverter a lógica das manifestações coletivas.
.
.
PS:
O Bandido Mascarado é um exemplo do antipatriotismo

disseminado aos quatro ventos pela Mídia BraZileira.

Certamente esse não levou borrachada da Polícia Tucana.
.
.

Responder

    Willian

    12 de junho de 2013 às 11h03

    Certo, certo, a culpa é sempre dos outros, entendo.

    Assim é fácil.

    FrancoAtirador

    12 de junho de 2013 às 14h19

    .
    .
    De técnicas de infiltração e de manipulação

    vocês da Extrema-Direita entendem muito bem.
    .
    .

    willian

    12 de junho de 2013 às 17h44

    Claro, o inferno são os outros… A esquerda só quer o bem da humanidade.

    Vou chorar!

    Mário SF Alves

    15 de junho de 2013 às 12h49

    Bandido mascarado… ou bandido midiotizado? É… essa foto ainda vai render muitos dividendos anti-Brasil à mídia fora-da-lei.
    ______________________________
    E aí Franco, você não acha que se o PT fosse aquilo que seus detratores dizem que ele é, não seria essa uma boa hora do Partido jogar a toalha e fugir da luta em grande estilo?
    _________________________________________
    O rastilho está aceso, bastaria realimentar o fogo. A sequência seria relativamente simples: a coisa toda explode; a governabilidade vai pro saco; a direita incivilizada aproveita o caos; completa o golpe iniciado com a farsa do mensalão e se apropria do butim. “Melhor dos mundos”. E quem iria condenar o Partido?
    _________________________________________________
    Mas, sinto informar, esse não seria o PT (ainda que por força das circunstâncias esteja ele hoje tão contaminado por tucanóides “governistas”). De fato, esse não seria o PT. Esse seria qualquer coisa menos o PT. Talvez até fosse um Jânio Quadros, mas jamais o nosso PT.
    Abraços,
    Saudações radicalmente democráticas.
    ___________________________________________________________
    Em tempo: Em se tratando de PT, “fugir da luta” significa, além de tudo, frustrar e lançar à própria “sorte” pelo menos metade da América Latina.
    ___________________________________________________________________
    E antes que eu me esqueça. Não há aqui quem ignore as provocações da mídia corporativa (ou bandida, como queira) – serviçal e braço ideológico da pior elite do mundo – que diuturna e cruelmente vem cavando a desacreditação local e global dos governos do PT. Mas, claro, não obstante isso, só tem colhido gafes e insucessos. No entanto… “água mole em pedra dura tanto bate… até que… fura. Ou, quem sabe… até que acabe a água.
    ____________________________________________________________________
    Assim, na dúvida quanto à reserva de água (ou seja, de veneno banditiático), isto é, se acaba a água ou se fura a pedra dura, é bom, nesse ínterim, considerarmos a hipótese de um movimento realmente supra-partidário com vistas à consolidação da democracia. A começar, entre dezenas de outros, pela exigência de admissão de erros, retratação pública e transparência nas ações do STF e respectivo julgamento das falcatruas anti-Brasil do PSDB, assim como pelo apoio massivo à Comissão da Verdade.
    _________________________________________________________________________
    Fato I: As mencionadas e inequívocas provocações da mídia corporativa fora-da-lei, fundadas em pretenso apoio incondicional do Grande Irmão-Espião do Norte, os EUA, podem resultar numa reação que nem ela imagina;
    Fato II: O movimento pelo passe livre pode sim ser (se é que já não está sendo) usado como estratégia de desestabilização do governo Dilma. Entretanto, é bom que a Casa Grande não se esqueça de que pau que dá Chico também dá em Francisco, e essa mesma artimanha pode sim, e a qualquer tempo, ser apropriada como instrumento de luta pelo PT. Aí, meu amigo, saiam de baixo, porque vai ser chumbo grosso.

Vandirson

12 de junho de 2013 às 10h45

A questão é que fazem manifestação 18 horas, será que marcaram o ponto antes de ir a manifestação e disseram que iam pra essa espécie de micareta revolucionária, pegam a massa e espremem na parede contra PM, essa necessidade de vandalizar e não de um protesto onde se coloque reivindicações que vá além do Catraca Livre, tanto que alguns esperaram o momento para partir pra ação de quebra quebra. Onde as vertentes que não comungam entram em confronto, gente que tá lá pra pro confronto e jovens que necessitam de protagonismo pra um debate de sociedade. Reitero que o inexplicável é fazer isso só em final de expediente pra expor a massa, não havendo outros fóruns pra o debate e claro que a questão da juventude precisa ser ouvida, agora gente tirando onda de trabalhador as 18 horas é triste, fazendo isso um tormento diário e graças a Deus hoje é Dia dos Namorados e com certeza muitos arrumaram o que fazer e os comuns terão um pouco de paz, quer ser agente político ter protagonismo é legitimo, só nesse tipo de confronto e o maior prejudicado é trabalhador comum e a juventude não pode ir contra a massa e sim a favor, esse tipo de movimento tutelado por programas policialesco de final de tarde traz muito pouco ao debate, simplesmente ser a principal noticia do JN por estar predicando os iguais não traz compromisso com nenhum debate. Tem mais, essa conversa de vovó revolucionaria também não diz nada… A primavera árabe tá mais pra praça de alimentação principalmente de que dizem que apoiam, tenho a opinião que a evolução só se faz com transgressão, com possibilidades novas, PODER PARA MAIORIA… PARA A MAIORIA.

Responder

Rasec

12 de junho de 2013 às 10h19

Sim, e como fica Santos? Isso tá parecendo mais coisa dos psoldados em ação! Será coincidência que em Santos o Prefeito é do PSDB? Indignação seletiva? Logo, logo as pessoas vão perceber! Tem algo estranho nessa seletividade…

Responder

    Rodrigo Leme

    12 de junho de 2013 às 10h24

    Engraçado, qdo eles batiam panela na porta do Kassab não eram “psoldados”, tinha até deputado petista no meio…

    Dias

    12 de junho de 2013 às 16h03

    Mas então, a polícia não jogava bomba a granel para animar a festa da molecada e a mídia a escondia, ao invés de divulgá-la de forma anabolizada no JN e em intervalos da novela, ao vivo.
    Diz aí, “me engana que eu gosto”!

    Paulo

    12 de junho de 2013 às 10h58

    E todos os matizes pseudo-ideológicos. Seletividade? De quem?

    Ixi, olha a tarifa de BH? A parceria Anastasia/Lacerda (PSDB&PSD) aparece bem na fita, hein?

    Sem contar que os prefeitos das grandes capitais colaboraram com Dilma&Mantega na postergação dos reajustes para que estes não impactassem a inflação de fevereiro/março (aquela do tomate), lembra?

    http://g1.globo.com/brasil/noticia/2013/05/onze-capitais-brasileiras-tem-reajuste-na-tarifa-de-onibus-em-2013-veja-lista.html

    assunça

    12 de junho de 2013 às 15h44

    O meio é a mensagem. Assim considero muito acertado um protesto sobre mobilidade urbana parar as principais vias no horário de pico. Mas só também. O foco da mensagem é totalmente distorcido.
    Primeiro pq em termo de tarifa foi o menor aumento da década. O aumento é igual ao do metrô, mas a revolta é com os onibus apenas. Estranho.
    A proposta de catraca livre parece tirada da cartola. Tipo assim, depois q a primeira manisfestou colou, sabe?
    Parece que não existe um colapso na CPTM. Que o metro não está se deteriorando. Claro, a situação da SPTRANS é sofrível tbem.
    Pq focar então no Prefeito que acaba de assumir o mandato, faz um esforço para subir a tarifa num patamar bem abaixo do praticado anteriormente? Que já prevê a retomada de investimentos em temas como corredor de ônibus, bilhete mensal?
    Pq não falar de um grupo que há 20 anos faz a gestão de duas malhas importantíssimas como a do Metro e a CPTM?
    Aí sabe o que fica parecendo? Que apesar da adesão dessa juventude aguerrida falta um pouco de discurso. Um pouco de querer reclamar porque afinal está tudo um absurdo. E a tarifa passa a ser apenas uma desculpa.
    De qualquer forma, a proporção e que a mídia quer dar ao assunto como uma insatisfação com o governo, acaba colocando a barbárie da PM mais uma vez à mostra. Estão forçando até acontecer algo de comoção nacional. Me parece outro tiro no pé.

ricardo

12 de junho de 2013 às 10h13

Que o estado faça o que os pais dos playboizinhos não fizeram: que os ponha no quartinho de castigo.

Responder

Romanelli

12 de junho de 2013 às 10h00

então, e quem paga a conta ?

Infelizmente muitos manifestantes partem da poesia de dizer que é a prefeitura, ou o governo, mas se vc se atreve a dizer como, eles não sabem ligar que seria via mais IMPOSTO, ou corte de investimentos, ou de gastos tipo em áreas que eles já são insuficientes (saúde, educação, segurança etc) ..isso partindo do pressuposto qde que não há desperdícios e nem corrupção por se conter

Convenhamos, hoje tá ruim, mas foi bem pior

Hoje temos passe do idoso, meia passagem pra imensa maioria dos que protestavam em roupa de grife, modelos integrados como o Bilhete Único e o VALE TRANSPORTE pago por muitas empresas e repassados ao consumidor.

Claro, poderia ser melhor indagam ?! sim, acho que sim, pois tudo neste vida, pode, deve e TEM QUE melhorar, não ? ..mas precisa ser com tanta violência, justo de quem se pede por igualdade e respeito e se sente mais esclarecido e atento ?

Será ? será que se formos na casa destes caras e lhes impusermos prejuízos com depredação, saque e pichação, será que eles iriam gostar ? oras, mas eles fizeram isso com a minha e a sua casa, pois a rua não é de todos ? então ?

Não, tá errado, mais errado ainda compararmos com protestos legítimos contra ditaduras, mesmo elogiando as tais FAMIGERADAS primaveras árabes que o que até agora trouxeram foi mais radicalismo, FANATISMO religioso combinado ainda com um maior servilismo colonialista ..embora tem quem goste, vai entender ??!!

E olha, embora possa até achar que o transporte publico NUNCA deveria ter sido privatizado (por ser monopólio e especializado), por outro lado tb devo admitir que neste país de corruptos e gatunos inimputáveis, o que tinha de desperdício não estava no gibi ..então aqui fica assim, ou se se é roubado por empresário sovina, ou por agentes de Estado vagabundos, simples

Ahh sim, e pra quem admite a hipótese da re-estatização, de qq forma sobra ainda pra “prefeitura” ter que pagar motorista, cobrador, manutenção, despesas diversas e pelo ônibus, inclusive ..fora de se endividar e pagar tudo com divida r JUROS pro banco ..e com todo este pacote sendo repassado a quem paga imposto ..ou isso, ou mais divida, mais juros..

Aliás, será que nesta discussão caberia discutirmos serenamente algum CORTE de gastos como com a demissão dos cobradores que hoje não se justificam, ou com novas medidas que barateassem a sistema (uso do biogás), e com toda esta economia, AQUI SIM, sendo repassadas pras tarifas ?

Responder

augusto2

12 de junho de 2013 às 09h56

A plimplim passa a cada cinco minutos em certos horarios um flash.
Tem PM cometendo coisas talvez calculadas…
Se haddad nao vigiar de perto os responsaveis pela CGM pode haver mais…No seculo 19 acreditava-se em geraçao espontanea.
Colorido,ainda nao tem.Mas após odesejado cadaver isso vai piorar em questao de minutos.

Responder

José Ricardo Romero

12 de junho de 2013 às 09h30

As imagens revelam mais que as palavras, mas é preciso chamar a atenção sobre alguns detalhes, pois é neles que o diabo mora. O indivíduo da bandeira é branco, bem nutrido, alto, forte, jovem, usa tênis e está encapuçado. Não mostra a cara. Protesta por um aumento da passagem de ônibus (do metrô e trem também?) que ficou abaixo da inflação? O que ele tem na sua mão direita? É muito grosso para ser um celular.

Responder

Horridus Bendegó

12 de junho de 2013 às 09h25

No Que Dá uma Sociedade de Burguesinhos Bem Amestrados Pela Comprada e Prostituída Imprensa Brasileira!

os Burguesinhos Amestrados acham lindo quando chegam na Europa e se deparam com o alto grau de civilidade do povo do velho Continente! (e até desejam viver lá para escapar da vergonhosa condição de ser brasileiro e viver no Pardieiro Social)

Como são amestrados e desconhecem a verdadeira história dos povos (incluindo a sua) pensam que as elevadas relações sociais européias forma construídas com cordiais tapinhas nas costas de amabilidade!

HUAHAUHAUAHAUHAUAHUAHAU

Responder

    Tiago

    12 de junho de 2013 às 13h02

    Me perdoe, meu amigo, mas, respeitosamente, ri muito algo com seu comentário.

    Eu condeno sim o vandalismo desses vagabundos, porque estão depredando patrimônio utilizado pelo povo.

    Eu nunca estive na Europa. Mas fico pensando nos playboys “revolucionários” que encabeçam esse “movimento”.

    Certamente a maioria deles passa as férias na Disney, vão à Europa com frequência, falam outras línguas e tem acesso à cultura européia.

    Esses vagabundos são os burgueses, não o contrário.

    E assim como o resto da classe a qual pertencem, estão apenas prejudicando o povo. Mas não é de se admirar, afinal, como alguém que não sabe o que é trabalhar poderia defender o trabalhador?

    Seria cômico se não fosse trágico.

    Wagner

    12 de junho de 2013 às 14h21

    Eu sou trabalhador, uso ônibus e metrô diariamente, e apoio completamente os movimentos sociais, que nunca foram pacíficos.

    Tiago

    12 de junho de 2013 às 15h13

    Eu idem, colega Wagner. Só que não posso apoiar depredação e vandalização do que é para o uso do povo.

    Pois, sim, as grandes transformações nunca foram pacíficas…mas prejudicar o que é do povo “em nome do povo”?

    Isso só poderia partir de pessoas que não pertencem ao povo que alegam defender. Mentirosos e burgueses, hipócritas e imundos.

    Que voltem para baixo da saia de suas mamães e para os carros dos seus papais.

    Mário SF Alves

    15 de junho de 2013 às 13h03

    Também sou contra a depredação. Mas, desculpe-me pela franqueza, esse argumento de depredação de patrimônio do povo não se sustenta. É visão curta. Patrimônio do povo depredado com força e diuturnamente, e pra valer, é o garrote da dívida pública interna; verdadeiro dreno de energias e recursos, impiedosamente imposta a todos os brasileiros. Isso sim é imoral. Mais imoral do que a esdrúxula teoria do domínio (joaquinzão/STF) funcional do fato.

Sergio de Moraes Paulo

12 de junho de 2013 às 09h14

Azenha,

postei esse palpite no domingo. Em linhas gerais, defendo a tese da inconsequente atitude de Haddad em não esclarecer o que realmente está em jogo nessa discussão. Desde a demagogia de Kassab em não reajustar as passagens em 2012, até a conveniência de Haddad e do PT em não dizer isso em nome das negociações para a entrada do PSD na base aliada.

Abs.

o palpiteiro.

http://opalpiteiro.blogspot.com.br/2013/06/o-dilema-de-haddad.html

Responder

Vinicius Garcia

12 de junho de 2013 às 09h14

O que penso é o seguinte: como movimentos populares que houveram no passado, como o diretas-já e o do caras-pintadas, ocorreram sem este tipo de resultado? Havia ali por acaso proteção da mídia? Será que esses movimentos não tinham entre as pessoas baderneiros? A paixão partidária de alguns, entram nesse tipo de manifestação para direcionar ao rumo que lhes interessa, aí se o movimento não tiver uma boa diretriz tudo fica mais fácil para eles. Para quem crê na violência como melhor meio tais movimentos são um ótimo convite, cabe aí aos organizadores direcionar para a diretriz de agregar pessoas, e não afastá-las, o brasileiro ainda não vê com bons olhos movimentos destrutivos, a tendência desse movimento depois do fatos ocorridos, é a dispersão das pessoas.

Responder

    Ana Lítica

    12 de junho de 2013 às 10h20

    Claro que o movimento Caras-pintadas não foi espontâneo.
    Abra a Veja eletronica e leia os depoimentos dos caras pintadas, na comemoração dos vinte anos do evento. Mesmo vinte anos depois são uns boçais, ignorantes e ainda não fazem boa análise da historia e do fato em si. Imagine 20 anos antes.Foram comandados, por óbvio.O Pudê os organizou. Motivo: Collor mexeu com a grana, e também chacoalhou o pudê de forma não vista após Getúlio.

    Vinicius Garcia

    12 de junho de 2013 às 13h02

    Sim disso sei, estive lá presente, nas duas manifestações, e por isso mesmo digo, que houveram naquelas manifestações pessoas com intenção nada boa, porém, foram rechaçados e tudo em festa. Cara-pintadas foi um movimento gerado por gente poderosa, mas o povo embarcou porque queria o mesmo objetivo. O Movimento Passe Livre em tese, tem uma boa proposta, porém, da forma que é conduzido, permitindo a ação de baderneiros, faz o papel contrário, isto é, piora a situação.

Bonifa

12 de junho de 2013 às 09h01

Parece que a Globo entendeu que os olhos do público se voltaram para a educação. Os transportes coletivos já foram suficientemente malhados pela equipe global de ações pré-eleitorais. No Bom Dia de hoje, dentro do grande projeto da Globo “O Brasil é uma Melda”, o tema hoje foi a Educação. Mostraram escolas caindo aos pedaços no Pará, em Alagoas, no interior de São Paulo e vereadores que rebaixaram o salário de professores no Ceará. Não informaram qual o partido governante nestes locais, mas procuraram de propósito lugares onde o próprio PSDB governa, porque assim podem dispensar ouvir o “outro lado” sem problemas, já que com os tucanos “está tudo em casa”, não haverá bronca. E já que o povo não sabe nada sobre governos locais e tende a ver apenas o geral. As imagens são caprichadas: Crianças infelizes, prédios em ruína, abandono e perigo de desabamento, professores revoltados, não faltou nada. Claro que a impressão que ficou foi a de que o Governo Federal é o culpado de tudo, e as críticas finais do A. Garcia são feitas, rangendo os dentes, ao país como um todo, o que significa que as críticas foram diretas ao governo federal: “um país que não olha para o futuro, um país (governo federal) que não quer saber de prestigiar a Educação”. Claro que é bom denunciar, mas na reportagem, composta de “casinhos locais”, não cabe chamar o Ministro da Educação para dar sua versão. Para terminar, o Chico Pinheiro, depois de condenar brevemente o ensino público em si, pediu que quem soubesse de mais desgraças relacionadas com a educação Brasil afora, fizesse o favor de acessar o site da Globo para dar sua preciosa contribuição ao seu Projeto Globo Eleitoral 2014.

Responder

Marcelo de Matos

12 de junho de 2013 às 09h00

A cobertura do PIG é unilateral: só mostra violência da parte dos manifestantes: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/06/1293688-sozinho-pm-quase-foi-linchado-durante-protesto-na-regiao-da-se.shtml

Responder

Paulo Ribeiro

12 de junho de 2013 às 08h53

Se investigarem a fundo os organizadores desta manifestação, vai ter pena de tucano para todo lado.

Responder

    Willian

    12 de junho de 2013 às 11h06

    Nem você acredita nisto…rs

    Vlad

    12 de junho de 2013 às 16h24

    Por falar nisso, a PF do cardozo já identificou quem foi o criminoso que contratou a “empresa de telemarketing” para espalhar os boatos do bolsa-família?
    Ainda não? mas nem pra uma coisa elementar dessa a PF do cardozo serve?
    Ou já identificou e é melhor não tocar no assunto?

Carlos Ribeiro

12 de junho de 2013 às 08h35

Toda essa baderna por causa de um reajuste de R$0,20(bem abaixo da inflação) na tarifa de ônibus? Kassab aumentou R$0,60 de uma só vez e não se viu nada parecido. Ah o PT…

Responder

    Luiz Henrique

    12 de junho de 2013 às 11h57

    Acho que os movimentos irão se intensificar , mas agora por outros motivos !

Mardones

12 de junho de 2013 às 08h34

\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/\o/

Parabéns aos manifestantes que foram às ruas de Sâo Paulo mostrar que desejam outra solução para o transporte público.

Responder

Willian

12 de junho de 2013 às 08h30

Há mais usuários dos ônibus entre os policiais do quem entre os manifestantes.

Responder

    Francisco

    12 de junho de 2013 às 20h43

    Rárárá! concordo!

Jose Mario HRP

12 de junho de 2013 às 08h15

Enquanto a Meganha reprimia os jovens, isso acontecia.
São Paulo na mão dos bandidos e dPSDB(sinonimo de bandido?).
O jornalista Roberto Lameirinhas usou o Facebook para expressar algo que muitos dos cidadãos paulistas, tenho certeza, gostariam de dizer, se tivessem a oportunidade de se encontrar com o governador Geraldo Alckmin.
O que escreveu, com a veemência dos justos, é um verdadeiro manifesto que milhões de pessoas violentadas em seus direitos básicos de cidadãos gostariam de subscrever.
O governador, se fosse um homem público de verdade, um estadista, não perderia uma oportunidade dessas para defender a sua política, a política de seu partido, a sua própria dignidade.
Mas é claro que não fará nada disso.
Ele é apenas um Geraldo Alckmin.
Abaixo, o depoimento do Lameirinhas:

Roberto Lameirinhas
há 12 horas próximo a São Paulo
Essas imagens, que vocês viram à exaustão hoje nos telejornais e programas sensacionalistas da TV nesta segunda-feira, eram de um vizinho meu, assassinado na pizzaria que ele transformou em sucesso há mais de dez anos. O dia e horário do assassinato, domingo, 23 da noite, eram exatamente o dia e horário em que eu costumava estar na pizzaria dele batendo papo, falando do Palmeiras, essas coisas. Neste domingo, eu e a Lu fomos ao bar do Justo. Não comemos pizza, optamos por um lanche de pernil. Na segunda pela manhã, descobri que o Reginaldo, da pizzaria tinha sido assassinado, junto com o sobrinho, Felipe – menino de 19 anos que eu conhecia desde os 10, mais ou menos, e brincava com meu filho, da mesma idade. Não, não sou um defensor ferrenho do olho por olho. Tenho sérias restrições ao discurso em favor da redução da maioridade penal. Mas quero, exijo, o direito de sair de casa sem ser assaltado ou assassinado. Eu tenho nojo do governo de um Estado que retira a polícia das ruas durante um evento, só porque ele é promovido por uma prefeitura, cuja liderança pertence a um partido diferente. Eu tenho nojo do governo de um Estado que aposta no quanto pior, melhor, por razões politiqueiras. Geraldo Alckmin, eu tenho um nojo profundo de você, politiqueiro, reacionário, incompetente, incapaz de resolver o problema da segurança na periferia de São Paulo. Eu, pagador de impostos escorchantes, responsabilizo você – safado, vagabundo, inepto – e sua polícia ineficaz por essas duas mortes.
CRÔNICAS DO MOTTA: “Responsabilizo você, governador, por essas duas mortes”
Postado há 2 hours ago por Blog Justiceira de Esquerda

Responder

Santana

12 de junho de 2013 às 08h03

Minha gente, a foto do cara com a bandeira do Brasil escrito lixo e vestido com a bandeira dos Estados Unidos sintetiza de maneira brilhante o sentimento das nossas elites com relação ao nosso país. Diz o dono da bandeira: isso aqui é uma merda, é um lixo (inclusive o livro A privataria tucana, lembram?); eu sou colonizado e assumo esta minha condição, porque admiração eu tenho mesmo é pelo colonizador, que manda nessa merda de país e no mundo inteiro. Viva os Estados Unidos que é um lugar decente para se passar umas férias.

A pergunta que não quer calar é: esse cara é filiado ao PSOL ou é um agente da CIA?

Responder

Narr

12 de junho de 2013 às 08h02

Tá faltando malandragem pros manifestantes. Assim que as multidões levantarem as faixas com FORA DILMA! e PT NUNCA MAIS! o quebra-quebra inconsequente vai desaparecer do noticiário.

Responder

Cláudio

12 de junho de 2013 às 07h59

Ley de Medios Já ! ! !

Responder

Narr

12 de junho de 2013 às 07h58

Quase todos os manifestantes, os anarquistas (que são em cada vez maior número no meio estudantil) e os militantes do PSOL e PSTU consideram que o PT é um partido burguês como os outros, então ninguém precisa se espantar com a agressividade deles contra a sede nacional ou contra o prefeito. Todavia, se a PM é comandada pelo governador, por que o prefeito deve responsabilizado pela truculência? A lei obriga a autoridade a zelar pele patrimônio público. Se Haddad ou Alckmin não chamarem a PM, a conta das depredações tem que ser apresentada a eles também. A turma do Tea Party é que perde ótima oportunidade de se juntar ao movimento. Afinal, se a culpa é das autoridades, e se já exigem abertamente a redução dos impostos, então os empresários de transporte são as grandes vítimas do Estado. Que eu saiba, não há manifestações populares nas portas das empresas de ônibus, há?

Responder

Jose Mario HRP

12 de junho de 2013 às 07h15

Uma policia fascista, violenta e descompromissada com a sociedade que lhe paga versus jovens descontrolados.
Confronto por onibus mais baratos.

Varios direitos constitucionais vem sendo tosados pelo governo impopular do PSDB no estado de São Paulo pois sempre que há protestos e passeatas a policia reprime sem dó, cerceando o direito de reunião de protestar.
Mas a turma que protesta agora não sabe fazer o que é preciso para angariar apoio popular, ainda mais num estado em que a população tem o cerebro lavado por essa midia burguesa e fascista.

O povo paulista , conservador e pouco esclarecido e o radicalismo juvenil são a receita para essa m***a de ontem por 06 horas entre jovens e a meganh

Responder

Notívago

12 de junho de 2013 às 07h01

Fora de Pauta? Será?

TELEJORNAL DA BAND: A INEXPLICÁVEL RAIVA DE BOECHART

Às vezes eu vejo o telejornal da Band. E tenho notado um Boechart cada vez mais raivoso ao fazer algum comentário ou uma crítica a um órgão governamental ou a um funcionário do governo. Isto para não falar que o Boechart é ruim de conta de cabeça e deveria se abster de fazê-las em pleno telejornal. Basta dizer que a estimativa que ele fez para o preço da gasolina na bomba depois do último reajuste desse combustível (5%) foi de R$ 3,00. Estimou com muita convicção, embora em lugar nenhum do Brasil este preço tenha sido atingido.

Mas ontem a coisa foi feia. Começou com um comentário ácido contra a Anac por aquele órgão não saber explicar porque um pedaço de isopor tinha se desprendido do teto de um aeroporto. O pedaço de isopor teria ferido levemente uma senhora, que não quiz falar à reportagem.

Depois teve uma matéria sobre os 10% que os empresários pagam ao governo toda vez que demitem um funcionário sem justa causa (10% sobre o salário do funcionário naquele momento?). Aparentemente este tipo de cobrança deveria ter deixado de ser feita há algum tempo, mas o governo não abriria mão de mais este “imposto”. Na sequência apareceu o Gilberto Carvalho confirmando a versão do apresentador da Band e logo depois um Boechart agressivo dizia que o governo estava roubando os empresários, mas isso ficaria assim mesmo porque a polícia estaria ao lado do governo (???).

Logo a seguir um Boechart espumando de ódio apresentaria o resultado da Pesquisa CNT/MDA que diz que Dilma se elegeria no primeiro turno se a eleição fosse ontem. Nenhuma comparação desta pesquisa com a pesquisa Data Folha apresentada com grande estardalhaço pelo grupo de comunicação Bandeirantes no dia anterior. E isto simplesmente porque na pesquisa CNT/MDA a popularidade da Dilma continuava praticamente a mesma de um ano atrás.

Ah, sim: vários flashes da manifestação contra o aumento das passagens de ônibus em São Paulo foram comentados ao longo da edição de ontem por um Boechart que mal continha o entusiasmo.

Um recado para o Boechart: cara, vista a camisa do Grupo Bandeirantes, mas não se desgaste tanto emocionalmente e profissionalmente. Relaxe!

Responder

Horridus Bendegó

12 de junho de 2013 às 06h39

Parabéns aos manifestantes!

Só a Guerra constrói!

P.S. Os que condenam a violência nas manifestações de São Paulo são os mesmos que vão à Europa e se embasbacam com o grau de civilidade do Velho Mundo e pensam que essas relações sociais elevadas forma erguidas só com tapinhas nas costas…

Responder

    LordLorein

    12 de junho de 2013 às 18h35

    Pois é, e acredita ainda que a revolução francesa foi “pacífica” e o povo deu rosas à nobreza pedindo gentilmente que olhassem para a condição de pobreza da população e se compadecessem.

Avelino

12 de junho de 2013 às 06h11

Caro Azenha
Se o prefeito fosse do PSDB, DEM, PSD, entre outros reacionários, os manifestantes seria tratados como marginais, bandidos, como aconteceu inúmeras vezes com os professores, nos governos Serra, Alckmin, entre outros; agora eles são assim tratados também, para dizer que o PT, com Haddad, em nada é diferente. A resposta é, não votem mais no PT, nem para prefeituras, nem para governador, nem para presidente, nem para nada.
A manifestação é contra a passagem dos ônibus, metros e trens, mas destaca-se apenas os ônibus.
Faz parte da safadeza de nossa mídia.
Saudações

Responder

    Luís

    12 de junho de 2013 às 16h35

    E quando é no governo do PT, os manifestantes são tratados como marginais pela pelegada governista.

Francisco

12 de junho de 2013 às 06h04

Quanto à violência da policia é o seguinte: eu adoro dançar na chuva…

Mas se entro nela eu sei que é para me molhar.

Se um policial diz: “ocupe a faixa da direita”, ocupe a faixa da direita e faça o seu protesto numa boa.

Faça assim e tudo vai dar certo.

Não faz vinte dias teve um milhão de gay na rua protestando contra o preconceito. Nenhuma repressão.

Mais uns dias e um monte de crente protestando para poder discriminar. Nenhuma repressão.

Agora, se tu achar que policial é seu papai psicólogo ou sua mamãe terapeuta, tu tá viajando!

Não tem “Super Nanny” não, rei! Acorda!

O cara ganha pouco, leva tiro de marginal o dia inteiro, dez horas da noite podia estar dormindo ou com a mulher – não tá…

Tá pajeando filho dos outro…

E ainda por cima, ouvindo desaforo!

Entra na chuva e se molha!!!

Responder

    Kaju

    13 de junho de 2013 às 19h14

    Perfeito

Francisco

12 de junho de 2013 às 05h51

Se o pessoal fizer essa fuzarca para exigir do STF o julgamento imediato do mensalão tucano, tô dentro!

Se fizer essa fuzarca ao quadrado pelo financiamento público de campanha, tô dentro e caiu na clandestinidade!!!

Pra passagem de ônibus…

Já participei de duas, corri de batalhão de choque, rumei as duas pedras que já meti em vidraça de ônibus (uma eu errei, a outra… bateu e voltou).

Quanto era a passagem? Quanto ficou no final? Não lembro. Ninguém lembra.

É natural a mocidade esbanjar energia…

Responder

Alemao

12 de junho de 2013 às 04h31

Mesma ladainha de sempre, um grupelho de vagabundos que se auto declara representante do povo tentando ganhar no grito e na violência.

Responder

Mateus

12 de junho de 2013 às 01h32

Compartilho do comentário da Rafaela Marchetti. É isso mesmo que ela disse. Quando há protestos, ele passa por vários pontos da cidade sem haver incidêntes. Mas quando a polícia aparece, a pancadaria começa. E quando você esta apanhando. É natural que haja revoltas e quebra-quebra. Afinal, niguem vai apanhar e ficar quieto.
E quanto a polícia. Os caras quando aumejam entrar para a corporação, já sabem que vão aprender a matar e bater. Ou seja, antes de entrar para a corporação, eles já têm a plena consciência do vão fazer. Então, não existe essa de que eles também são vitimas. Porque não são.

Responder

    Wagner

    12 de junho de 2013 às 14h39

    Ninguém é vítima, todos são responsáveis.

Valmir

12 de junho de 2013 às 01h08

Azenha eu também sou a favor da manifestação espontânea, eu disse espontânea, quer dizer não dirigida.
Mas eu quero ver mesmo uma manifestação em Santos-SP, Santos tem 280 Km² , a passagem de ônibus custa a “bagatela” de R$ 4,00, tem bilhete eletrônico só que não serve para nada cada viagem é uma tarifa ( não como em São Paulo que cada tarifa pode servir para embarcar em até três ônibus no período de 4 horas ) e ainda por cima demitiu sumariamente todos os cobradores de ônibus que foram obrigados a se tornarem sub empregados vendendo bilhetes na rua porque sem o bilhete ou cartão voce não viaja.
Estou esperando MPL a manifestação em Santos-SP, mas já vou dizendo como estou esperando o STF julgar o mensalão tucano.

Responder

    Baader

    12 de junho de 2013 às 09h39

    Valmir, o MPL é um movimento e não uma entidade. Você mesmo deveria organizá-lo por aí e não esperar que fizessem por você! Se eu esperar por você e você esperar por mim, nada acontecerá, portanto façamos juntos!

Luc

12 de junho de 2013 às 00h55

do face, mensagem pública,

Adriana Miranda Martins
8 de Junho
Só para deixar registrado meu breve esclarecimento para família e amigos sobre as manifestações acerca do aumento da passagem.
O ato de quinta-feira foi, por um lado, lindo e, pelo outro, vergonhoso. Digo vergonhoso devido à extrema violência presenciada. O ato começou lindo, diferentes grupos de pessoas gritando um ideal comum. Ao contrário do que a grande mídia quer que você pense, a manifestação não era somente de estudantes. Ao contrário do que alguns reacionários andam dizendo por aí, a manifestação não era briga de partidos. Diversos setores da sociedade se faziam presentes. Partidários, apartidários, estudantes, não estudantes, trabalhadores, jovens, adultos, idosos. Só não consegui enxergar os apáticos, penso que esses estavam na internet concordando com o que o G1 postava ou com o que Reinaldo Azevedo, no conforto de seu lar, representando ao melhor estilo a mentalidade Veja falava. Havia sim um grupo pequeno de pessoas que estava lá para apenas vandalizar, é importante que se diga “apenas vandalizar” porque pessoas que depredam por depredar sem nenhum embasamento político não representam o movimento, sob o meu ponto de vista. Muitos olhavam feio e tentavam barrar esse tipo de postura, mas é importante que se destaque também que, infelizmente, nossos veículos de comunicação em massa não estão interessados em mostrar manifestações pacíficas porque estas, por ironia ou não, teriam grande apoio adesão da população, mas para desarticular o movimento, é sempre válido mostrar os jovens quebrando tudo e colocar em pé de igualdade a bala de borracha no rosto do jovem justificando a lixeira queimada atrapalhando o trânsito de São Paulo. Essas depredações, em alguma instância, até justificam o aumento da passagem para alguns setores conservadores da sociedade.
O ato de ontem foi bonito e bem menos vergonhoso. Alguns momentos de tensão como quando a manifestação se estendeu, por poucos minutos, à marginal e deu espaço para sensacionalismos desonestos como os publicados nas páginas do Estadão, por exemplo, ou quando um ônibus foi pichado e as câmeras se voltaram a isso em vez de filmar a nossa dança contra o aumento. Foi uma longa e emocionante caminhada. Deu medo, deu bomba, deu gás, mas bem menos comparado ao ato de quinta. Estamos vivos e mais fortes!
É muito triste ter que repetir a todo momento os motivos do ato. Ouvi gente falando que eu era estudante, pagava meia passagem, comia quase de graça na USP e não tinha que falar nada. Li na Veja (eca!) que os 20 centavos diários não fazem diferença no orçamento de qualquer um e que estudantes não tinham que reclamar porque são bancados pelos pais e ZZZzzzzzzZZZZ. Essa forma individualista de ver o mundo talvez seja o que explica a nossa desunião. Não penso só em mim quando grito que “R$3, 20 é um assalto”, penso nas milhões de pessoas que recebem salários mínimos e precisam, por falta de opção mais barata, usar o transporte público da periferia ao centro e gastam 2h, 3h, 4h 5h diárias de suas vidas só nesses trajetos devido à falta de planejamento do transporte urbano. 20 centavos por dia, para mim, pode não fazer tanta falta, mas e as famílias que têm mais de 5 pessoas para sustentar e que precisam usar mais o transporte? No final do mês há sim uma diferença. Para além disso, o transporte público é precário e desumano e o preço já é alto. Enfim, há muito a ser falado. Deixo como sugestão a reflexão em torno de tudo o que está acontecendo. Antes de afirmarmos quaisquer coisas, é preciso, ao menos, ter um pouco de conhecimento fora do que vem fácil pela grande mídia. Estamos aí… Terça tem mais!

Responder

    Julio Cesar Montenegro

    12 de junho de 2013 às 08h03

    texto informadamente situado e coerentemente defendido
    mas a foto exibida do yupie(?) com a bandeira brasileira descartada e a bandeira americana vestida
    confirma minha percepção de que a maioria dos eleitores pode ATE votar em quem quiser enquanto a minoria EX CLARECIDA, sempre branca, embora chegada a terra desde 1500, continua com a mente colonizada pelo PATROCINADOR modelo europeu nortamericano
    mesmo sem votar no presidente eleito pela maioria, essa minoria BRANCA EURODESCENDENTE CRISTA há 500 anos conserva os serviços públicos nas mãos atraves de parentes clientes afilhados aderentes
    como exemplo gritante compare o destaque dado pela mídia aos vandalismos de poucos (principalmente se forem pes rapados ou jovens desamparados) e a desconsideração global querendo asfixiar DIRETAS JA!
    ou como a veja, por EXEMPLO, SISTEMATICAMENTE maltrata nordestinos operários suburbanos sem terra…

    Jorgina Maria Alves

    12 de junho de 2013 às 13h55

    Verdade já na midia Medíocre.
    Para se conquistar alguma coisa é preciso lutar mesmo que todos vão contra apenas para nos intimidar e nos fazer desistir.
    No brasil hoje tudo é medíocre: Saúde, educação, segurança e transporte pulblico. Parece que a midia que defende o direito da minoria rica e politica é claro!
    Quando saimos para protestar por nossos direitos somos taxados de VANDALOS.
    GENTE usem a cabeça pelo amor de DEUS; reflitam por si, estão dizendo que houve muito vamdalismo mostrem para gente, quebra, quebra Paulista destruída; cadê? a última vez que estive lá estava bem melhor que vi na tv! Voces vão acreditar que fhaches ao vivo em horario nobre onde a maioria são pessoas acomodadas que preferem pensar com os neuromios dos outros me poupem!
    Estão dizendo que foram 12.000 manifestantes ea rede Globo mostrou 2min. de quebra quebra; não entrevistou nem um manifestante apenas mostrou o que lhes conviam ou o que lhe mandaram.
    Pede a todas ás midia para mostra o manifesto do começo ao fim entrevistado os dois lado para o telespectador tirar sua própria opinião.
    Em um movimento com 12.000 pessoas só mostra apenas10% é achar que o povo e relmente idiota.
    A manifestação começou ás 17:00 foi até ás 22:00 vamos dizer quantos jornalistas tinha lá falando ao vivo? Voce viu algum me responda?
    Por que os tele jornais grandes lideres de audiência eu não vi quase nenhuma chamada ao vivo a não se uma ou outra pelo alto um ato covarde eu acho.
    QUEM PAGA A MIDIA SOMOS NÓS O POVO; POR QUE SEM AUDIÊNCIA PERGUNTA ONDE ELES ESTARIAM.
    Tudo isso me lembra agora aquele movimento na França da periferia que a midia lá insistia em dizer que eles eram marginais mas eles venceram.


Deixe uma resposta para augusto2

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding