Ruy Braga e a terceirização: Elite quer colocar trabalhador brasileiro em padrão de direitos “pior que o do chinês”

Tempo de leitura: 3 min

Captura de Tela 2015-04-07 às 19.02.41

O resumo do filme em duas imagens

por Luiz Carlos Azenha

Anos 80. Washington. Ronald Reagan ascende ao poder e, imediatamente, trata de enfrentar uma greve de controladores de vôo com o objetivo de “quebrar” o sindicato da categoria. É bem sucedido, no salvo inicial de uma onda conservadora cujo objetivo de fundo era “rebaixar” o padrão de vida dos trabalhadores norte-americanos para colocá-los em pé de igualdade com a mão-de-obra do mercado internacional. Globalização 1.0. Pode-se identificar ali um momento marcante da História. O da aceleração do processo de concentração de renda que hoje bate recorde no Grande Irmão do norte.

2015. Brasília. A Câmara dos Deputados, com os votos da base supostamente aliada de um governo nominalmente comandado pelo Partido dos Trabalhadores, aprova o PL 4.330 (324 votos a 137), que permite a qualquer empresa brasileira funcionar totalmente com terceirizados. Uma empresa de ônibus só com motoristas terceirizados. Uma montadora de veículos só com operários terceirizados. Um hospital só com médicos e enfermeiras terceirizadas.

Muito embora a comparação acima seja de nossa lavra, o sociólogo Ruy Braga, autor do indispensável A Política do Precariado, concorda que se trata de um momento histórico. É, segundo ele, a maior derrota dos trabalhadores brasileiros desde o golpe de 1964. Marca o fim de qualquer pretensão “neodesenvolvimentista” do governo Dilma. Encerra um ciclo em que a valorização do salário mínimo turbinava o mercado consumidor interno como alternativa às exportações. Para Ruy Braga, o que a elite brasileira busca é dar ao trabalhador brasileiro um padrão salarial e de direitos “menor que o do trabalhador chinês”.

Hoje, há cerca de 50 milhões de trabalhadores brasileiros contratados diretamente e de 12 a 13 milhões de terceirizados. Aprovado o PL 4.330, em 5 a 6 anos, calcula Ruy, a proporção de terceirizados será de 60% a 40%. Consequências? Redução da massa salarial e, portanto, do mercado interno, queda na arrecadação — que, aliás, sustenta os projetos sociais — e redução geral dos salários em torno de 30% (segundo a CUT, a diferença salarial entre contratados diretamente e terceirizados é hoje de 27,4%).

Derrotado, o governo Dilma não terá mais qualquer relação com os “trabalhadores” da sigla PT. Aliás, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, reuniu-se com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, para tratar do PL 4.330. Mas apenas para manifestar preocupação com eventual queda na arrecadação. Queda que, segundo Ruy, acontecerá, apesar de garantias em contrário.

Para Braga, a “privatização branca” da seguradora da Caixa Econômica Federal, anunciada hoje, deverá ser seguida por outras, de empresas ligadas à Petrobras, como a BR Distribuidora. É a forma encontrada pelo governo Dilma para estimular a economia, mas de uma forma cada vez mais subordinada aos interesses do mercado financeiro.

Clique abaixo para ouvir a imperdível entrevista de Ruy Braga (segue um resumo):

— O país entra numa nova fase de relações de trabalho precárias;

— Das últimas 36 missões do Ministério do Trabalho para resgatar trabalhadores em situações análogas à escravidão, 35 envolviam empresas terceirizadas;

— É a maior derrota da classe trabalhadora desde a ditadura militar;

— O governo do PT foi incapaz de propor uma lei contra a demissão imotivada, que funcionaria como antídoto ao PL 4.330;

— Do ponto-de-vista dos trabalhadores, acaba qualquer tipo de ligação de interesses com o governo Dilma;

— Os salários dos terceirizados geralmente ficam 36% abaixo dos de contratados diretamente;

— O horizonte da elite econômica é rebaixar as condições salariais e as condições de vida da classe trabalhadora para padrão menor que o chinês; 36 a 37% da economia brasileira dependem de trocas internacionais e os trabalhadores vão entrar como bucha de canhão;

— Se houve esboço de um projeto neodesenvolvimentista, ele é página virada com Joaquim Levy no Ministério da Fazenda; o que se delineia é um aprofundamento do controle da economia pelo capital financeiro; o que se vê é um governo de joelhos, que só tem a oferecer um novo ciclo de privatizações brancas (a seguradora da Caixa Econômica Federal como primeiro exemplo);

— Vai se intensificar a luta distributivista, ou seja, a luta pelo controle do Orçamento e o governo Dilma já demonstrou que não tem absolutamente nada a oferecer aos trabalhadores.

Leia também:

PT entra com mandado de segurança no STF contra decisão da Câmara

Apoie o jornalismo independente


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

Heloísa Coellho

Na minha opinião, os políticos e partidos que votarem A FAVOR da terceirização na área-fim são INIMIGOS dos trabalhadores. E devem ser denunciados nas REDES SOCIAIS, e vão ser descartados nas próximas eleições. Estamos de olho em vocês!!!

CIRO

Conseguem enganar muita gente por pouco tempo, mas não é possível enganar tantos sempre, quando os interesses são postos à mesa as máscaras caem e as dívidas são cobradas.

    CIRO

    PDT – Brizola rolando no túmulo
    PTB – Vergonha Histórica Trabalhista
    PPS ex-Comunista – Prestes esperneando no caixão
    Solidariedade – Representante oficial dos sindicatos pelegos
    Triste assistir à falta de respeito Histórico e a traição ideológica às origens, em nome dos interesses econômicos dos antigos adversários.
    PSDB e PMDB, os entreguistas e vendedores dos bens e direitos, (de free shopping, para não pagar imposto, claro) de sempre…

    Messias Franca de Macedo

    Terceirização é forma selvagem de precarização, diz juiz do trabalho

    O juiz do Trabalho da 10ª Região e ex-presidente da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), Grijalbo Fernandes Coutinho, participou de um seminário sobre terceirização realizado na Escola Judicial do TRT da 4° Região.

    “A terceirização tem dois propósitos muito evidentes: o econômico e o político. Sua razão econômica é permitir aos patrões a diminuição de custos com a exploração da mão de obra. Vários argumentos são usados no sentido de que se trata de especialização, de racionalização, mas tudo isso é secundário. A outra razão é a de cunho político. Nesse ponto o objetivo é dividir os trabalhadores, fragmentá-los, especialmente em suas representações sindicais”, disse ele em entrevista em que fala sobre a terceirização e o Projeto de Lei 4.330/04.

    (…)

    FONTE: http://steem.org.br/2015/04/10/terceirizacao-e-forma-selvagem-de-precarizacao-diz-juiz-do-trabalho/

Sérgio

Alguns comentaristas têm comentado que a Dilma apoia o projeto de lei.
De onde surgiu essa “informação”? Não encontrei nenhuma nota que comprovasse isso. Pelo contrário, o PT foi o único partido com grande representação que votou 100% contra.
Com a cultura de difundir notícias sem averiguar a veracidade, fica fácil entender o porquê de tanta gente ser contra o governo…

    Conceição Lemes

    PT, PCdoB e Psol votaram contra o projeto. O ministro Miguel Rossetto, da Secretaria-Geral da Presidência da República, divulgou nota contra projeto. POrtanto, a favor do trabalhador. Pelo contrário então o quê, Sérgio? sds

Leo

Dilma apoia a proposta, pessoal. E, como disse no início dos comentários, Lula vai de encontro à Chefe do Executivo ao convocar a militância. Trata-se de puro jogo político promovido pelo ex-presidente, com a finalidade de isolar Dilma, emplacar a imagem populista e bancar de salvador da Pátria em 2018. Notem que apenas o PT e o PSOL, se não me engano, votaram contra, ou seja, está decretada a bagunça generalizada. E aí, pessoal? Vocês vão de “coração valente” ou de Luiz Inácio?

Boa noite para todos!

    leandro oliveira

    Acorda tonto !!! Vamos marchar dia 12 para colocarmos a cunha na presidência … essa lei da terceirização está muito frouxa, queremos quarteirização !!! E a matéria se desintegrou dos grandes portais… por que será ? Não tem preço ver o tal de Reiazedo de veja explicando para os coxinhas, seus e(l)eitores que a terceirização e redução dos seus salários é bom pro Brasil por que o PT votou contra. VETA DILMA !!!

Nelson Nobre

Na visão do cientista político André Singer “o lulismo é um modelo de mudança dentro da ordem, até com um reforço da ordem, ele não é e não pode ser mobilizador. Isso faz com que o conflito não tenha uma expressão política partidária, eleitoral, institucional.”

O PT em nome da governabilidade abriu mão de seu projeto político e na busca de apoio no Congresso Nacional deu continuidade ao sistema de governos anteriores que alimentava os 300 picaretas. Eles não foram combatidos, pelo contrário, se fortaleceram e em conluio com a oposição odiosa e golpista elegeram Eduardo Cunha Presidente da Câmara Federal e que num golpe de mestre (do mal) inviabilizou o projeto de distribuição de renda no Brasil.

O que houve de fato foi o abandono de elementos importantes da ideologia de esquerda e o combate às desigualdades históricas da sociedade brasileira só foram feitas a base de negociações com o maior partido do Brasil, o fisiologista PMDB, com quem o PT divide o governo.

O que antes não poderia ser o agente mobilizador passou a ser o negociador e resultados de algumas destas conquistas segundo o sociólogo Francisco de Oliveira, uns dos fundadores do PT, não passa de uma funcionalização da pobreza para manter a exploração do capitalismo. Há alguma esperança? Se este projeto passar no Senado a resposta é, não há esperança. Não quero crer, mais acho que o PT já terceirizou para o PMDB a capacidade do governo em aprovar ou rejeitar projetos no Congresso Nacional.

Luiz

Porque não votam logo para condições de trabalho iguais ao final do séc. XIX???

Paulo Rodrigues

Alguém me explique. Não é necessaria a aprovação presidencial?

    Matheus Glauber

    Sim… mas se ela vetar, o senado pode aprovar! E como o senado tem um dedo de oposição creio eu… Já viu né?

Tarcísio

Fui ouvir a entrevista e qual é minha supresa ao final dela quando entre uma voz falando do serviço de inteligência das forças armadas, que é para estocar alimentos em casa, o que a coisa tá feia etc, numa nítida intenção de levar a crer que um golpe militar está a caminho. Essa fala dua mais de três minutos e na sequência entre uma entrevista do Azenha com o senador Randolfe Rodrigues. Não entendi nada. Que interfer~encia maluca foi essa? Consegui gravar apenas uma parte. Alguém mais ouviu?

Tarcísio

Fui ouvir a entrevista e qual é minha supresa ao final dela quando entre uma voz falando do serviço de inteligência das forças armadas, que é para estocar alimentos em casa, o que a coisa tá feia etc, numa nítida intenção de levar a crer que um golpe militar está a caminho. Essa fala dua mais de três minutos e na sequência entre uma entrevista do Azenha com o senador Randolfe Rodrigues. Não entendi nada. Que interfer~encia maluca foi essa? Consegui gravar apenas uma parte. Alguém mais ouviu?

vitor

Parlamentar Partido Voto

Roraima (RR)
Abel Mesquita Jr. PDT Sim
Carlos Andrade PHS Sim
Hiran Gonçalves PMN Não
Jhonatan de Jesus PRB Não
Maria Helena PSB Não
Remídio Monai PR Sim
Shéridan PSDB Sim
Total Roraima: 7

Amapá (AP)
André Abdon PRB Não
Cabuçu Borges PMDB Sim
Janete Capiberibe PSB Não
Jozi Rocha PTB Sim
Marcos Reategui PSC Sim
Professora Marcivania PT Não
Total Amapá: 6

Pará (PA)
Arnaldo Jordy PPS Não
Beto Faro PT Não
Beto Salame PROS Não
Delegado Éder Mauro PSD Sim
Edmilson Rodrigues PSOL Não
Elcione Barbalho PMDB Sim
Francisco Chapadinha PSD Sim
Hélio Leite DEM Sim
Joaquim Passarinho PSD Sim
José Priante PMDB Sim
Josué Bengtson PTB Sim
Júlia Marinho PSC Não
Nilson Pinto PSDB Sim
Simone Morgado PMDB Sim
Zé Geraldo PT Não
Total Pará: 15

Amazonas (AM)
Alfredo Nascimento PR Não
Arthur Virgílio Bisneto PSDB Sim
Átila Lins PSD Sim
Conceição Sampaio PP Sim
Hissa Abrahão PPS Sim
Marcos Rotta PMDB Sim
Pauderney Avelino DEM Sim
Silas Câmara PSD Sim
Total Amazonas: 8

Rondonia (RO)
Expedito Netto Solidaried Sim
Lucio Mosquini PMDB Sim
Luiz Cláudio PR Sim
Marcos Rogério PDT Não
Mariana Carvalho PSDB Sim
Marinha Raupp PMDB Sim
Nilton Capixaba PTB Sim
Total Rondonia: 7

Acre (AC)
Alan Rick PRB Sim
Angelim PT Não
César Messias PSB Sim
Flaviano Melo PMDB Sim
Jéssica Sales PMDB Sim
Leo de Brito PT Não
Rocha PSDB Sim
Sibá Machado PT Não
Total Acre: 8

Tocantins (TO)
Carlos Henrique Gaguim PMDB Sim
César Halum PRB Sim
Dulce Miranda PMDB Sim
Irajá Abreu PSD Sim
Josi Nunes PMDB Sim
Lázaro Botelho PP Sim
Profª Dorinha Rezende DEM Não
Vicentinho Júnior PSB Sim
Total Tocantins: 8

Maranhão (MA)
Aluisio Mendes PSDC Sim
André Fufuca PEN Sim
Cleber Verde PRB Não
Deoclides Macedo PDT Não
Eliziane Gama PPS Não
Hildo Rocha PMDB Sim
João Castelo PSDB Sim
João Marcelo Souza PMDB Sim
José Reinaldo PSB Sim
Junior Marreca PEN Sim
Juscelino Filho PRP Sim
Pedro Fernandes PTB Sim
Rubens Pereira Júnior PCdoB Não
Victor Mendes PV Sim
Waldir Maranhão PP Sim
Weverton Rocha PDT Não
Zé Carlos PT Não
Total Maranhão: 17

Ceará (CE)
Adail Carneiro PHS Sim
André Figueiredo PDT Não
Aníbal Gomes PMDB Sim
Antonio Balhmann PROS Sim
Arnon Bezerra PTB Sim
Cabo Sabino PR Não
Chico Lopes PCdoB Não
Danilo Forte PMDB Sim
Domingos Neto PROS Não
Genecias Noronha Solidaried Sim
Gorete Pereira PR Sim
José Airton Cirilo PT Não
José Guimarães PT Não
Leônidas Cristino PROS Não
Luizianne Lins PT Não
Macedo PSL Não
Moroni Torgan DEM Não
Moses Rodrigues PPS Não
Odorico Monteiro PT Não
Raimundo Gomes de Matos PSDB Sim
Ronaldo Martins PRB Não
Vitor Valim PMDB Não
Total Ceará: 22

Piauí (PI)
Assis Carvalho PT Não
Átila Lira PSB Não
Heráclito Fortes PSB Sim
Iracema Portella PP Sim
Júlio Cesar PSD Sim
Marcelo Castro PMDB Sim
Merlong Solano PT Não
Paes Landim PTB Sim
Rodrigo Martins PSB Sim
Silas Freire PR Sim
Total Piauí: 10

Rio Grande do Norte (RN)
Antônio Jácome PMN Abstenção
Beto Rosado PP Sim
Fábio Faria PSD Sim
Felipe Maia DEM Sim
Rafael Motta PROS Não
Rogério Marinho PSDB Sim
Walter Alves PMDB Sim
Zenaide Maia PR Sim
Total Rio Grande do Norte: 8

Paraíba (PB)
Aguinaldo Ribeiro PP Não
Benjamin Maranhão Solidaried Sim
Damião Feliciano PDT Não
Efraim Filho DEM Sim
Hugo Motta PMDB Sim
Luiz Couto PT Não
Manoel Junior PMDB Sim
Pedro Cunha Lima PSDB Sim
Rômulo Gouveia PSD Sim
Veneziano Vital do Rêgo PMDB Não
Wellington Roberto PR Sim
Wilson Filho PTB Sim
Total Paraíba: 12

Pernambuco (PE)
Anderson Ferreira PR Sim
Augusto Coutinho Solidaried Sim
Betinho Gomes PSDB Sim
Bruno Araújo PSDB Sim
Carlos Eduardo Cadoca PCdoB Não
Daniel Coelho PSDB Sim
Eduardo da Fonte PP Sim
Fernando Coelho Filho PSB Sim
Fernando Monteiro PP Sim
Gonzaga Patriota PSB Sim
Jarbas Vasconcelos PMDB Sim
João Fernando Coutinho PSB Sim
Jorge Côrte Real PTB Sim
Kaio Maniçoba PHS Sim
Luciana Santos PCdoB Não
Mendonça Filho DEM Sim
Pastor Eurico PSB Sim
Raul Jungmann PPS Não
Ricardo Teobaldo PTB Sim
Silvio Costa PSC Sim
Tadeu Alencar PSB Não
Wolney Queiroz PDT Não
Zeca Cavalcanti PTB Não
Total Pernambuco: 23

Alagoas (AL)
Arthur Lira PP Sim
Cícero Almeida PRTB Não
Givaldo Carimbão PROS Sim
Marx Beltrão PMDB Sim
Maurício Quintella Lessa PR Sim
Paulão PT Não
Pedro Vilela PSDB Sim
Ronaldo Lessa PDT Não
Total Alagoas: 8

Sergipe (SE)
Adelson Barreto PTB Sim
Andre Moura PSC Não
Fábio Mitidieri PSD Sim
Fabio Reis PMDB Sim
João Daniel PT Não
Jony Marcos PRB Não
Laercio Oliveira Solidaried Sim
Valadares Filho PSB Sim
Total Sergipe: 8

Bahia (BA)
Afonso Florence PT Não
Alice Portugal PCdoB Não
Antonio Brito PTB Abstenção
Antonio Imbassahy PSDB Sim
Arthur Oliveira Maia Solidaried Sim
Bacelar PTN Não
Bebeto PSB Não
Benito Gama PTB Sim
Cacá Leão PP Sim
Caetano PT Não
Claudio Cajado DEM Sim
Daniel Almeida PCdoB Não
Davidson Magalhães PCdoB Não
Elmar Nascimento DEM Sim
Erivelton Santana PSC Sim
Félix Mendonça Júnior PDT Sim
Fernando Torres PSD Sim
Irmão Lazaro PSC Sim
João Carlos Bacelar PR Sim
João Gualberto PSDB Sim
Jorge Solla PT Não
José Carlos Aleluia DEM Sim
José Carlos Araújo PSD Sim
José Nunes PSD Sim
José Rocha PR Não
Márcio Marinho PRB Não
Mário Negromonte Jr. PP Sim
Moema Gramacho PT Não
Paulo Azi DEM Sim
Paulo Magalhães PSD Não
Roberto Britto PP Sim
Ronaldo Carletto PP Sim
Sérgio Brito PSD Sim
Tia Eron PRB Sim
Uldurico Junior PTC Não
Valmir Assunção PT Não
Waldenor Pereira PT Não
Total Bahia: 37

Minas Gerais (MG)
Adelmo Carneiro Leão PT Não
Ademir Camilo PROS Não
Aelton Freitas PR Não
Bilac Pinto PR Sim
Caio Narcio PSDB Sim
Carlos Melles DEM Sim
Dâmina Pereira PMN Sim
Delegado Edson Moreira PTN Sim
Diego Andrade PSD Sim
Dimas Fabiano PP Sim
Domingos Sávio PSDB Sim
Eduardo Barbosa PSDB Sim
Eros Biondini PTB Sim
Fábio Ramalho PV Sim
Gabriel Guimarães PT Não
Jaime Martins PSD Sim
Jô Moraes PCdoB Não
Júlio Delgado PSB Abstenção
Laudivio Carvalho PMDB Não
Leonardo Monteiro PT Não
Leonardo Quintão PMDB Sim
Lincoln Portela PR Não
Luis Tibé PTdoB Sim
Luiz Fernando Faria PP Sim
Marcelo Álvaro Antônio PRP Não
Marcelo Aro PHS Sim
Marcos Montes PSD Sim
Marcus Pestana PSDB Sim
Margarida Salomão PT Não
Mário Heringer PDT Sim
Mauro Lopes PMDB Sim
Misael Varella DEM Sim
Newton Cardoso Jr PMDB Sim
Odelmo Leão PP Sim
Padre João PT Não
Pastor Franklin PTdoB Sim
Paulo Abi-Ackel PSDB Sim
Raquel Muniz PSC Sim
Reginaldo Lopes PT Não
Renzo Braz PP Sim
Rodrigo de Castro PSDB Sim
Rodrigo Pacheco PMDB Sim
Saraiva Felipe PMDB Sim
Silas Brasileiro PMDB Sim
Stefano Aguiar PSB Sim
Subtenente Gonzaga PDT Não
Tenente Lúcio PSB Sim
Toninho Pinheiro PP Sim
Wadson Ribeiro PCdoB Não
Weliton Prado PT Não
Zé Silva Solidaried Sim
Total Minas Gerais: 51

Espírito Santo (ES)
Carlos Manato Solidaried Sim
Dr. Jorge Silva PROS Não
Evair de Melo PV Sim
Givaldo Vieira PT Não
Helder Salomão PT Não
Lelo Coimbra PMDB Sim
Marcus Vicente PP Sim
Paulo Foletto PSB Sim
Sergio Vidigal PDT Sim
Total Espírito Santo: 9

Rio de Janeiro (RJ)
Alessandro Molon PT Não
Alexandre Serfiotis PSD Sim
Alexandre Valle PRP Sim
Altineu Côrtes PR Sim
Aureo Solidaried Sim
Benedita da Silva PT Não
Cabo Daciolo PSOL Não
Celso Jacob PMDB Sim
Celso Pansera PMDB Não
Chico Alencar PSOL Não
Chico D’ Angelo PT Não
Clarissa Garotinho PR Não
Cristiane Brasil PTB Sim
Deley PTB Não
Dr. João PR Sim
Eduardo Cunha PMDB Art. 17
Ezequiel Teixeira Solidaried Sim
Fabiano Horta PT Não
Felipe Bornier PSD Sim
Fernando Jordão PMDB Sim
Francisco Floriano PR Não
Glauber Braga PSB Não
Hugo Leal PROS Não
Indio da Costa PSD Sim
Jair Bolsonaro PP Sim
Jandira Feghali PCdoB Não
Jean Wyllys PSOL Não
Julio Lopes PP Sim
Leonardo Picciani PMDB Sim
Luiz Carlos Ramos PSDC Não
Luiz Sérgio PT Não
Marcelo Matos PDT Não
Marcos Soares PR Sim
Marquinho Mendes PMDB Sim
Miro Teixeira PROS Não
Otavio Leite PSDB Sim
Paulo Feijó PR Sim
Roberto Sales PRB Não
Rodrigo Maia DEM Sim
Rosangela Gomes PRB Não
Sergio Zveiter PSD Sim
Simão Sessim PP Sim
Soraya Santos PMDB Sim
Sóstenes Cavalcante PSD Sim
Walney Rocha PTB Sim
Washington Reis PMDB Sim
Total Rio de Janeiro: 46

São Paulo (SP)
Alex Manente PPS Sim
Alexandre Leite DEM Sim
Ana Perugini PT Não
Andres Sanchez PT Não
Antonio Bulhões PRB Não
Antonio Carlos Mendes Thame PSDB Sim
Arlindo Chinaglia PT Não
Arnaldo Faria de Sá PTB Não
Baleia Rossi PMDB Sim
Beto Mansur PRB Sim
Bruna Furlan PSDB Sim
Bruno Covas PSDB Sim
Capitão Augusto PR Sim
Carlos Sampaio PSDB Sim
Carlos Zarattini PT Não
Celso Russomanno PRB Não
Dr. Sinval Malheiros PV Sim
Eduardo Bolsonaro PSC Sim
Eduardo Cury PSDB Sim
Eli Correa Filho DEM Sim
Evandro Gussi PV Sim
Fausto Pinato PRB Não
Flavinho PSB Sim
Gilberto Nascimento PSC Sim
Goulart PSD Sim
Guilherme Mussi PP Sim
Herculano Passos PSD Sim
Ivan Valente PSOL Não
Jefferson Campos PSD Sim
João Paulo Papa PSDB Sim
Jorge Tadeu Mudalen DEM Sim
José Mentor PT Não
Keiko Ota PSB Sim
Lobbe Neto PSDB Sim
Luiz Lauro Filho PSB Sim
Luiza Erundina PSB Não
Major Olimpio PDT Sim
Mara Gabrilli PSDB Sim
Marcelo Squassoni PRB Sim
Marcio Alvino PR Sim
Miguel Haddad PSDB Sim
Miguel Lombardi PR Sim
Milton Monti PR Sim
Missionário José Olimpio PP Sim
Nelson Marquezelli PTB Sim
Nilto Tatto PT Não
Orlando Silva PCdoB Não
Paulo Pereira da Silva Solidaride Sim
Paulo Teixeira PT Não
Renata Abreu PTN Não
Ricardo Izar PSD Sim
Ricardo Tripoli PSDB Sim
Roberto Alves PRB Não
Roberto Freire PPS Sim
Samuel Moreira PSDB Sim
Sérgio Reis PRB Não
Silvio Torres PSDB Sim
Tiririca PR Sim
Valmir Prascidelli PT Não
Vanderlei Macris PSDB Sim
Vicente Candido PT Não
Vicentinho PT Não
Vinicius Carvalho PRB Não
Vitor Lippi PSDB Sim
Walter Ihoshi PSD Sim
William Woo PV Sim
Total São Paulo: 66

Mato Grosso (MT)
Adilton Sachetti PSB Sim
Ezequiel Fonseca PP Sim
Fabio Garcia PSB Sim
Nilson Leitão PSDB Sim
Professor Victório Galli PSC Sim
Ságuas Moraes PT Não
Valtenir Pereira PROS Não
Total Mato Grosso: 7

Distrito Federal (DF)
Alberto Fraga DEM Sim
Augusto Carvalho Solidaried Sim
Erika Kokay PT Não
Izalci PSDB Sim
Laerte Bessa PR Sim
Ronaldo Fonseca PROS Sim
Roney Nemer PMDB Sim
Total Distrito Federal: 7

Goiás (GO)
Alexandre Baldy PSDB Sim
Célio Silveira PSDB Sim
Daniel Vilela PMDB Sim
Delegado Waldir PSDB Sim
Fábio Sousa PSDB Sim
Giuseppe Vecci PSDB Sim
Heuler Cruvinel PSD Sim
João Campos PSDB Sim
Jovair Arantes PTB Sim
Lucas Vergilio Solidaried Sim
Magda Mofatto PR Sim
Marcos Abrão PPS Sim
Pedro Chaves PMDB Sim
Roberto Balestra PP Sim
Sandes Júnior PP Sim
Total Goiás: 15

Mato Grosso do Sul (MS)
Carlos Marun PMDB Sim
Dagoberto PDT Sim
Elizeu Dionizio Solidaried Sim
Geraldo Resende PMDB Sim
Mandetta DEM Sim
Tereza Cristina PSB Sim
Vander Loubet PT Não
Zeca do Pt PT Não
Total Mato Grosso do Sul: 8

Paraná (PR)
Alex Canziani PTB Sim
Alfredo Kaefer PSDB Sim
Aliel Machado PCdoB Não
Assis do Couto PT Não
Christiane de Souza Yared PTN Não
Diego Garcia PHS Sim
Dilceu Sperafico PP Sim
Enio Verri PT Não
Evandro Rogerio Roman PSD Sim
Hermes Parcianello PMDB Sim
João Arruda PMDB Não
Leandre PV Sim
Leopoldo Meyer PSB Não
Luciano Ducci PSB Sim
Luiz Carlos Hauly PSDB Sim
Luiz Nishimori PR Sim
Marcelo Belinati PP Não
Nelson Meurer PP Não
Osmar Bertoldi DEM Sim
Osmar Serraglio PMDB Sim
Ricardo Barros PP Sim
Rossoni PSDB Sim
Rubens Bueno PPS Sim
Sandro Alex PPS Sim
Sergio Souza PMDB Sim
Toninho Wandscheer PT Não
Zeca Dirceu PT Não
Total Paraná: 27

Santa Catarina (SC)
Carmen Zanotto PPS Sim
Celso Maldaner PMDB Sim
Cesar Souza PSD Sim
Décio Lima PT Não
Edinho Bez PMDB Sim
Esperidião Amin PP Sim
Geovania de Sá PSDB Não
João Rodrigues PSD Sim
Jorge Boeira PP Sim
Jorginho Mello PR Sim
Marco Tebaldi PSDB Sim
Mauro Mariani PMDB Sim
Pedro Uczai PT Não
Rogério Peninha Mendonça PMDB Sim
Ronaldo Benedet PMDB Não
Valdir Colatto PMDB Sim
Total Santa Catarina: 16

Rio Grande do Sul (RS)
Afonso Hamm PP Sim
Afonso Motta PDT Não
Alceu Moreira PMDB Sim
Bohn Gass PT Não
Carlos Gomes PRB Sim
Covatti Filho PP Sim
Danrlei de Deus Hinterholz PSD Sim
Darcísio Perondi PMDB Não
Fernando Marroni PT Não
Giovani Cherini PDT Sim
Heitor Schuch PSB Não
Henrique Fontana PT Não
Jerônimo Goergen PP Sim
João Derly PCdoB Não
José Fogaça PMDB Não
José Otávio Germano PP Sim
Jose Stédile PSB Não
Luis Carlos Heinze PP Sim
Luiz Carlos Busato PTB Não
Marco Maia PT Não
Marcon PT Não
Maria do Rosário PT Não
Mauro Pereira PMDB Sim
Nelson Marchezan Junior PSDB Sim
Onyx Lorenzoni DEM Sim
Osmar Terra PMDB Sim
Paulo Pimenta PT Não
Renato Molling PP Sim
Ronaldo Nogueira PTB Não
Sérgio Moraes PTB Sim
Total Rio Grande do Sul: 30

Sidnei Brito

Ora, o PT votou, fechado, maciçamente contra o projeto na Câmara.
Já está tentando (tá certo que é só pro-forma) barrar na Justiça a forma como foi encaminhado o projeto na Câmara.
O Congresso que está fazendo isso, caso não nos tenhamos atentado, foi eleito pelo… Povo, em sua maioria formado por… Trabalhadores!
Uma bobagem que sempre repito – e que não costuma ter ressonância entre meus interlocutores – é de que somos viciados em eleições para os chamados cargos majoritários – bem ou mal, debatemos, brigamos, fazemos propaganda por candidatos à presidência, prefeituras, governos do estado; mas demonstramos um desprezo abissal pelos candidatos aos parlamentos nas diversas instâncias.
Está aí, mais uma vez, o resultado.

lulipe

Dilma já se antecipou ao PL 4.330, terceirizou à presidência!!!

    Julio Silveira

    Taí, concordo com vc.

Edgar Rocha

O fiel da balança para conhecermos a Dilma de fato, será sua postura diante da PEC 4330. Se ela não vetar, o que não é improvável, já que tem o Levy como Ministro, vai ser uma guinada de vez pro lado de lá. Adeus à guerrilheira bem intencionada. Eu mesmo disse em outro post que achava a Dilma uma pessoa honesta e digna, embora incorporasse os erros do PT e do Governo enquanto presidenta, sendo responsável em boa parte pela inoperância política diante do impasse gerado pela direita. Pode ser que tudo que ela queira no momento é fazer as pazes com os setores que a agridem nestes tempos. Talvez sonhe em entrar num estádio durante as Olimpíadas e ser ovacionada pelo “povo” que pode pagar por um ingresso. Pode ser também, que nunca tivesse o propósito de aprofundar mudanças, vendo em exemplos como a China o futuro de um país que costure o lençol de seu berço esplêndido com couro de trabalhador. Seria uma decepção da qual sairiam incólumes somente os que se entregam totalmente a uma ideologia ou a uma idealização pessoal, inebriado pela proximidade a um líder forte e marcante. Teria a esquerda tanta arrogância assim?
Acho que o Lula não está sinceramente disposto a romper com a Dilma ou com o Governo, a fim de ser elevado à condição de salvador. Afinal de contas, o que sobraria se fosse eleito? A quem ele cooptaria se a direita alcançasse vitórias tão expressivas? Funcionaria alguma coisa esta política de cooptação com a sociedade rendida e desmobilizada? Se o Lula entrasse no governo novamente nestes termos, teria de fazer tudo que lhe mandarem.

A única questão que me vem é esta: seria isto um incômodo ou é tudo que ele quer? A resposta quem dará é a Dilma, dependendo de sua posição com relação a PEC 4330. Quem viver verá.

    Mário SF Alves

    Pois é, Edgar, ainda insisto no mesmo ponto: a superação do subdesenvolvimento no Brasil pressupõe competências e capacidades muito mais complexas do que possa parecer. As condicionantes reacionárias são terríveis e você sabe disso. Passam por interesses contrários não apenas internos, mas, sobretudo, interesses que contrariam um império; e o que é mais grave, um império hoje totalmente fora de controle (vide o absurdo da ameaça feita contra a Venezuela).
    ________________________________
    Com relação à presidenta Dilma, percebo que mais uma vez caímos no velho e estúpido erro do culto à personalidade. Ela é apenas a Chefe de um dos poderes da República Federativa do Brasil. Alguém que elegemos para conduzir os destinos do Brasil. Sem dúvida que merece honras e tratamento carinhoso, mas ela, por si só, é quase nada sem que nos posicionemos constitucionalmente diante do enorme desafio posto à nossa frente.
    Temos direitos constitucionais, porém temos também responsabilidades constitucionais, ou não?
    Um fraterno abraço e saudações democráticas,
    Mário.

mineiro

o pt e o seu governo foi o maior responsavel por isso, ninguem nega o que os governos petistas fizeram , mas o pt fez para a elite tambem , comeu dos dois lados. e agora a conta ta chegando , e o debate e as reformas para combaterem isso que esta acontecendo nao fizeram. e o pt se nao fazer alguma coisa , vai ter um fim lastimavel.

mineiro

nao tem mais duvida , é o desgoverno da fhc de sais , o congresso ditador , pig golpista , a zelite de um lado e do outro lado os movimentos sociais , sindicais, e parte da esquerda do outro. nos trabalhadores nao precisa contar mais com esse desgoverno dessa mulher , porque para min ela nao esta mais do lado dos trabalhadores. o pt que foi heroi e votou a favor dos trabalhadores , mas nao vai adiantar nada, porque o pt hoje se nao tomar lado , mesmo votando do lado dos trabalhadores , vai ficar querendo ou nao do lado da corja.

maria do carmo

Azenha, queremos urgente, relacao com os nomes dos deputados contra os trabalhadores brasileiros, e que seja divulgado sistematicamente para que o povo tome consciencia, nao podemos esperar que o pig o faca.

Liberal

Por acaso a CLT não vale para os empregados das contratadas?

    AA

    Vale!

    ganham 27,4% menos que os não terceirizados, sofrem mais acidentes de trabalho, trabalham mais horas e são mais suscetíveis ao “trabalho escravo” … ótima lei para os trabalhadores!!! Além disso, nada impede que uma empresa demita todos os seus funcionários e os recontrate todos como terceirizados, cada um com sua própria empresa (prática comum nos anos 90 na indústria de software brasileira).

    Marcel

    dois exemplos: terceirizados ficam anos sem tirar férias porque são demitidos antes de completar doze meses e recontratados. Também não conseguem reclamar as horas extras não pagas para a fiscalizadora senão ficam desempregados. Isso o empresário Mabel não explica na TV Câmara, eh eh!

Romanolli

O raciocínio esta errado, torto, tendencioso ..é primário, generalista, VULGAR em vários aspectos, por exemplo quando induz a pensarmos que o terceirizado, em maioria, esta desprotegido da CLT, mais :
.
1 – Tenta demonizar o lucro, quando este, mesmo que pra bem de um Estado atuante, responsável, ciente de seus deveres, este deve estar presente inclusive nas Estatais ou nas empresas de Capital misto em que participar. (o ESTADO não pode se permitir viver só de imposto regressivo ..DIVIDENDOS podem e devem fazer parte das suas receitas tb)
.
O problema não é o lucro em si, mas a usura, a cobiça, o abuso (assim como a preguiça e falta de iniciativa o é para o funcionalismo) ..Um família humilde, tendo que viver da sua horta, terá que comprar, arar, plantar, colher e vender, correr risco ..auferir ganho pra se manter e pra poupar pros dias piores ..com sorte, pensando nos filhos ou em melhorar-se a própria existência, em acumular pra crescer ..Pra acumular ela necessita, e merece, ser remunerada pelo esforço em não praticar um consumo fugaz (eis um dos papéis do juros, estes que serão cada vez mais modestos SE, se o Estado cumprir com o que se espera, se mantendo ereto e parcimonioso, menos corrupto ou perdulário, controlando seus gastos e a inflação, por exemplo) ..tudo isso que falo é básico, elementar, e vale pruma empresa tb, ela que tem que ter noção da sua missão, mas que tb deve ser tratada com respeito e lealdade pela sociedade que a abriga ..sem preconceito, muito menos manipulação.
.
2, A terceirização NÃO necessariamente implica em menores salários, precarização e/ou corte de empregos
.
Veja um exemplo: Aqui em SP temos 3 fontes de distribuição de medicamentos, a federal, estadual e municipal ..todas possuem secretários, diretores, assistentes, atendentes, estrutura burocrática, estoques etc etc .. mas a população atendida é a mesma ..fosse este BANDO centralizado, fora de melhorar o atendimento, os gastos administrativos seriam enxugados, e estes ganhos, repassados na forma de outros serviços, pra população ..o mesmo se dá com restaurantes populares, ou coma educação que tem mais cacique que índio no comando ..qual seja, com a terceirização é o mesmo, inclusive dá pra imaginar, não dá ?
.
Reitero o que já disse, pra atividades sazonais, temporais, intensivas de MO e especializadas, que exigem treinamento, aperfeiçoamento, dedicação, supervisão, contratação, manutenção de uma estrutura administrativa e até de capital próprio, não afeita à missão da empresa – e vai do caso a caso e do MOMENTO – como por exemplo restaurante, segurança, manutenções diversas, compra, venda, publicidade, engenharia, contabilidade, RH, processamento industrial, químico e/ou farmacêutico, coleta, plantio, treinamento, montagem etc etc. podem sim se valer de outras empresas especializadas que, em ESCALA, mesmo auferindo lucro, mas por racionalidade, tendo menos custos de STAFF, ofertam um ganho pra contratante que estará, muitas vezes, economizando recursos e com isso repassando parte dos ganhos para os clientes, ou mesmo para seus funcionários efetivos (quer na forma de salário, como em partilha de lucro), e mais, repartindo RISCO com o fornecedor que sempre tenderá a se manter pró ativo.
.
A pior emprego é o que não existe ..a pior empresa é a que não sobrevive ..e o pior sindicato é o que ILUDE e mente, que manipula seus associados
.
Por fim peço que a maioria aqui reflita ..os EUA (que NÃO deve ser copiado em muitos exemplos, como com as cotas racistas) repassou a partir da década de 80 muitos dos seus processos pra países do 3o mundo ..hoje vemos que os terceirizados (principalmente a CHINA), embora ainda não sejam uma uva, prosperaram e aprenderam como fazer, cresceram ..e os EUA se sustentou praticamente com serviços e a aplicação de seu intelecto no processo ..claro que como disse, vai do caso a caso e do momento histórico, e nada é pra sempre ou necessariamente efêmero.
.
Mas o importante mesmo é termos o coração desarmado e a mente aberta pra, em verdade, colaborarmos o máximo que podemos, e não ficarmos fazendo terrorismo barato, o tempo todo ..isso cansa, viu ??!
.
frase do dia:
.
Quando ajudei um pobre, me chamaram santo ..como perguntei porque existia o pobre, me acusaram de comunista
.
..cuidado com os falsos protetores e os eternos mamadores e assistencialistas ..aqui ainda vale a máxima, antes da sardinha, me de a varinha.

    Romanolli

    Olha que interessante, vindo ao encontro do que reclamei ..partido dum site liberal ..não é que os caras reconhecem a importância de um programa social
    .
    Ahh, se antes de tanto ódio infantil e rasteiro, diversionista e beligerante, partido de Caiados, de Jean Willians, Marias do Rosário e/ou de Bolssonaros espalhados pelo mundo, se antes deles pudéssemos ter, em maioria, mais opiniões e reflexões pró ativas e reflexivas como a que segue, penso que as nossas vidas e conquistas seriam muito mais gratificantes, abundantes e leves.
    .
    A coisa pode ser muito mais simples do que parece ..desde que abandonemos teorias pretéritas e ultrapassadas , TEIMOSIAS e querências experimentalistas dilmistas, , e fórmulas alienígenas á nossa terra
    .
    ..ado, aado, cada um no seu quadrado, já devia ter sido dito Sócrates, da antiga Grécia.
    .
    http://www.infomoney.com.br/blogs/terraco-economico/post/3968372/esqueca-vies-politico-por-que-bolsa-familia-bom-deve-ser

FrancoAtirador

.
.
Isso é que é Projeto de Distribuição de Renda:
.
Com a Terceirização Ampla, Geral e Irrestrita,
.
o braZil terá 100 Bilionários na Lista da Forbes,
.
e 100 Milhões de Trabalhadores Brasileiros
.
recebendo até 1 Salário-Mínimo por Mês.
.
.

FrancoAtirador

.
.
ANAMATRA afirma na Câmara que Terceirização
vai ampliar Gastos com Seguro-Desemprego
.
O Juiz do Trabalho Guilherme Feliciano disse nesta terça-feira (7), durante a audiência pública sobre a Medida Provisória 665/14, que a aprovação do projeto que regulamenta a terceirização no mercado de trabalho (PL 4330/04) vai aumentar a rotatividade no setor formal da economia, ampliando os gastos com seguro-desemprego.
.
O projeto, cuja discussão começou nesta terça no Plenário da Câmara dos Deputados, permite que empresas possam contratar terceirizados inclusive nas atividades fim, possibilidade hoje vetada por uma súmula do Tribunal Superior do Trabalho (TST).
.
As centrais temem que, com isso, as empresas promovam demissões em massa em todo o País para contratar terceirizados. Além disso, segundo elas, os trabalhadores terceirizados possuem uma taxa de rotatividade superior aos empregados com carteira assinada. “Isso é uma bomba”, disse Feliciano, sobre o projeto.
.
8 milhões sem acesso
Segundo ele, a MP, que ampliou os prazos de carteira assinada para acesso ao seguro-desemprego, impossibilitará o acesso ao benefício de 64,4% dos trabalhadores desligados.
Isso significa cerca de 8 milhões de pessoas.
.
“É isto que já está sendo atingido pelos efeitos da MP, por conta de um rombo que não se deveu a gastos sociais”, afirmou o juiz, que participou da audiência como representante da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra).
.
Ele afirmou ainda que a fragilidade das contas fiscais do governo federal
deve-se a problemas na arrecadação, decorrentes da desoneração
da folha de pagamento das empresas, que reduziu a receita da União.
A desoneração foi realizada durante o primeiro governo da presidente Dilma Rousseff.
.
Feliciano também defendeu a instituição de um Imposto sobre Grandes Fortunas
como forma de aumentar a Arrecadação Federal.
.
(http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/TRABALHO-E-PREVIDENCIA/485282-JUIZ-AFIRMA-QUE-TERCEIRIZACAO-VAI-AMPLIAR-GASTOS-COM-SEGURO-DESEMPREGO.html)
.
.

FrancoAtirador

.
.
08/04/2015 às 08:13:49
Ache Concursos
.
PL 4330 Deve Barrar Abertura de Novos Concursos
.
Em votação na Câmara, Projeto de Lei 4330/04 pode afetar Carreiras Públicas.
.
Medida prevê regulamentação dos serviços de terceirização no mercado de trabalho
e pode diminuir lançamento de concursos na administração federal.
.
Por Juliana Xavier
.
O projeto de lei foi criado no intuito de possibilitar que serviços terceirizados sejam contratados para atividades de qualquer natureza, isto é, não prevê limites quanto ao tipo de serviço que pode ser terceirizado.
.
Atualmente, o que pode ser terceirizado são serviços de atividades-meio ou apoio das empresas, com a contratação de pessoal para realização da limpeza, telefonia, segurança, recepção, informática, etc.
.
Com o projeto, as empresas não somente poderão contratar profissionais para as suas atividades-meio, como também terão expansão para contratar profissionais para as atividades-fim.
.
Por exemplo: uma Instituição Bancária poderá contratar serviços terceirizados de bancários.
.
Além disso, e aí entra a primeira questão que gera polêmica,
o serviço poderá ser contratado tanto por empresas privadas
como pelas públicas e de economia mista, o que prejudicaria e muito
a abertura de novos concursos públicos, por exemplo.
.
A Administração Pública terá sinal verde para contratar terceirizados
(exceto para atividades exclusivas de Estado, como regulamentação e fiscalização).
.
Com isso, a Contratação de Prestadores de Serviço
não dependerá mais de Concursos Públicos.
.
Os Sindicatos e Representantes dos Trabalhadores
defendem que, se aprovada, a lei poderá ocasionar
redução da qualidade dos serviços prestados no mercado de trabalho,
além de que os profissionais não terão mais estabilidade,
receberão menores salários e perderão
ou terão diminuídos os benefícios trabalhistas.
.
(http://www.acheconcursos.com.br/noticia/pl-4330-deve-barrar-abertura-de-novos-concursos-2503)
.
.

    Mário SF Alves

    Então, e é isso que os politicamente ingênuos que ora levam água ao moinho dos que querem a volta ao passado do radicalismo neoliberal ainda não entendem. E ainda teimam em bater as tais panelas.
    Haja pedagogia. Haja pedagogia dialética pra dar conta deste incomum recado.
    Enfim, haja paciência!

Leo

Azenha, só falta combinar com a Dilma, pois ela é a favor do projeto (rsrs).

Aliás, não é de hoje, venho alertando que o relacionamento “paz e amor” entre Lula e Dilma é um factoide e que o ex-presidente quer ver o caldo entornar para posar de “salvador da pátria” em 2018. Parece que o plano está dando certo, pois Lula, ao contrário do que quer a PresidentA, convocou a militância para protestar contra a terceirização.

Mas não se esqueçam de que o povo não é mais tão desinformado como pensam e Lula vai ter que dar nó em pingo d’água para se reeleger, considerando que nossas urnas eletrônicas são da maior confiança e que estão acima de qualquer suspeita.

Boa noite para todos!

    Mário SF Alves

    É… bacana isso… vai ver foi também ela que elegeu este Congresso reacionário. O mesmo que, agora, a toque de caixa, e sob a liderança de alguém mais reacionário ainda pretende aprovar esta lei espúria, retrógrada, desumana e antidemocrática.
    ______________________________________
    Ora, mas se não esse relação de causalidade, como inferir que a presidenta está a favor de tal excrescência?

Deixe seu comentário

Leia também