VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

Requião: “Oportunismo, irresponsabilidade, ciumeira e ressentimento”


26/09/2012 - 11h57

por Roberto Requião, no Senado Federal

Não costumo assinar manifestos, abaixo-assinados ou participar de correntes. Mas quero registrar aqui minha solidariedade a Luís Inácio Lula da Silva, por duas vezes presidente do Brasil.

Diante de tanto oportunismo, irresponsabilidade, ciumeira e ressentimento não é possível que se cale, que se furte a um gesto de companheirismo em direção ao presidente Lula. Sim, de companheirismo, que pouco e me dá o deboche do sociólogo.

A oposição não perdoa, e jamais desculpará a ascensão do retirante nordestino à Presidência da República.

A ascensão do metalúrgico talvez ela aceitasse, mas não a do pau-de-arara. Este, não!

Uma ressalva. Quando digo oposição, o que menos conta são os partidos da minoria. O que mais conta, o que pesa mesmo, o que é significante, é a mídia, aquele seleto grupo de dez jornais, televisões, revistas e rádios que consome mais de 80 por cento das verbas estatais de propaganda. Aquele finíssimo, distintíssimo grupo de meios de comunicação “que está fazendo de fato a posição oposicionista deste país, já que a oposição está profundamente fragilizada”, como resumiu com a sinceridade e a desenvoltura de quem sabe e manda, a senhora Maria Judith Brito, presidente da Associação Nacional dos Jornais.

Este conjunto de articulistas e blogueiros desfrutáveis que faz a “posição oposicionista” nos meios de comunicação usa uma entrevista que não houve para, mais uma vez, tentar indigitar o ex-presidente. Primeiro, tivemos o famosíssimo grampo sem áudio. Mais hilário ainda: a transcrição do áudio inexistente mostrava-se extremamente favorável aos grampeados. Um grampo a favor. E sem áudio.

Lembram?

Houve até quem quisesse o impeachment de Lula pelo grampo sem áudio e a favor dos grampeados, houve até quem ameaçasse bater no presidente.

Agora, este mesmo conjunto de jornais, rádios, televisões e revistas, esses mesmos patéticos articulistas e blogueiros querem que se processe o ex-presidente. Não me expresso bem: não querem processá-lo. Querem condená-lo, pois como a Rainha de Copas, de Lewis Carol, primeiro a forca, depois o julgamento.

Recomendaria a vossas excelências que tapassem o nariz, não fizessem conta dos solecismos, da pobreza vocabular, das ofensas à regência verbal e lessem o que escreve esse exclusivíssimo clube de eternos vigilantes.

Os mais velhos de nós, os que acompanharam o dia-a-dia do país antes do golpe de 64, vão encontrar assustadores pontos de contato entre o jornalismo e o colunismo político daquela época com o jornalismo e o colunismo político dos dias de hoje.

Embora, diga-se, os corvos de outrora crocitassem com mais elegância que os grasnadores de agora.

Fui governador do Paraná nos oito anos em que Lula presidiu o Brasil. Por diversas vezes, inúmeras vezes, manifestei discordância com a forma de sua excelência governar, com suas decisões ou indecisões. Especialmente em relação à política econômica, à submissão do país ao capitalismo financeiro, aos rentistas.

Mas havia um Meireles no meio do caminho. No meio do caminho, para gáudio da oposição e para a desgraça do país, havia um Meireles.

É verdade que Lula acendeu uma vela também para os pobres. E não foi pouco o que ele fez. É preciso ter entranhados na alma o preconceito, a insensibilidade e a impiedade de nossas elites para não se louvar o que ele fez pela nossa gente humilde.

Na verdade, no fundo da alma escravocrata de nossas elites mora o despeito com a atenção dada aos mais pobres por Lula.

Apenas corações empedrados por privilégios de classe, apenas almas endurecidas pelos séculos e séculos de mandonismo, de autoritarismo, de prepotência e de desprezo pelos trabalhadores podem explicar esse combate contínuo aos programas de inclusão das camadas mais pobres dos brasileiros ao maravilhoso mundo do consumo de três refeições por dia.

A oposição –- somem-se sempre a mídia com a minoria, mas o comando é da mídia — também não perdoa Lula porque ele sempre a surpreendeu, frustrou suas apostas, fez com que ela quebrasse a cara seguidamente.

Foi assim em 2002, quando ele se elegeu; foi assim em 2006, quando se reelegeu; foi assim na crise de 2008, quando ele não seguiu as receitas daqueles gênios que quebraram o Brasil três vezes, entre 1995 e 2002, e impediu que a crise financeira mundial levasse também o nosso país de roldão. E, finalmente, foi assim em 2010, quando elegeu Dilma como sucessora.

O desempenho da oposição – isto é, mídia e minoria, sob o comando da mídia — na crise de 2008 foi impagável. Caso alguém queira se divertir é só acessar um vídeo que corre aí pela internet com uma seleção de opiniões dos economistas preferidos dos telejornais, todos recomendando a Lula rigor fiscal extremo, austeridade e ascetismo dos padres do deserto; corte nos gastos sociais, cortes nos investimentos, elevação dos juros, elevação do depósito compulsório, congelamento do salário mínimo, contenção dos reajustes salarial, flexibilização dos leis trabalhistas, diminuindo direitos dos assalariados.

Enfim, recomendavam, como sempre aconselham, atar os trabalhadores ao pelourinho, tirar-lhes o couro, para que os bancos, os rentistas, o capital vadio restassem incólumes e seus privilégios protegidos. Receitavam para o Brasil o que a troika da União Européia enfia goela abaixo da Grécia, da Espanha, da Itália, de Portugal.

Lula não fez nada do que aqueles doutores prescreviam. Em um dos vídeos, um desses sapientíssimos senhores ridicularizava os conhecimentos macroeconômicos do presidente, prevendo que o “populismo” e o “espontaneísmo” de Lula levariam o Brasil ao desastre. Pois é.

A acusação mais frequente que se fazia, e se faz, a Lula é a de ser “populista”. A mesmíssima acusação feita a Getúlio quando criou a CLT, o salário mínimo, as férias e descanso remunerados, a previdência social; a mesmíssima acusação feita a João Goulart quando deu aumento de cem por cento ao salário mínimo ou quando sancionou a lei instituindo o 13° salário ou quando criou a Sunab; ou quando desencadeou a campanha das reformas; a mesmíssima acusação feita a Juscelino quando ele decidiu enfrentar o FMI e suas infamantes condições para liberação de financiamento.

Qualquer coisa que beneficie os trabalhadores, que dê um sopro de vida e de esperança aos mais pobres, que compense minimamente os deserdados e humilhados, qualquer coisa, por modesta que seja que cutuque os privilégios da casa grande, qualquer coisa, é imediatamente classificada como “populismo”.

Outra coisa que a oposição não perdoa em Lula é sua projeção internacional. Quanto ciúme, meu Deus! Quanto despeito! Quanta dor de cotovelo! A nossa bem postada, e sempre constispadinha elite, jamais aceitou ver o país representado por um pau-de-arara. Ainda mais que não fala inglês. Oh, horror!

Divergi de Lula inúmeras vezes. Quase sempre em relação à econômica. Com a popularidade que tinha, com o respeito que conquistara, com a força de seu carisma poderia ter feito movimentos consistentes que nos levassem a romper com os fundamentos liberais que orientavam — e orientam — a política econômica brasileira.

E que mantinham – e mantém — o país dependente, atrasado, em processo veloz de desindustrialização.

Pior, as circunstâncias favoráveis do comércio mundial valorizaram ainda mais o nosso papel de produtores e exportadores de commodities, criando uma “zona de conforto” que desarmou os ânimos e enfraqueceu os discursos de quem lutava por mudanças.

Outra divergência que me agastou com Lula foi em relação à mídia. Era mais do que claro que a lua-de-mel inicial com a chamada “grande imprensa” seria sucedida pela mais impiedosa e, em se tratando de um pau-de-arara, pela mais desrespeitosa oposição.

Em breve tempo, as sete irmãs que dominam a opinião pública nacional cobrariam caro, caríssimo o período em que fora obrigada a engolir o sapo barbudo. O troco viria na primeira crise.

Conversei sobre isso com o presidente, que procurou me aquietar e recomendou-me que falasse com um de seus ministros que, segundo ele, cuidava desse assunto. E o ministro me disse: “Por que criar um sistema público de comunicação, por que apoiar as rádios e a imprensa regional se temos a nossa televisão? A Globo é a nossa televisão”, disse-me o então poderoso e esfuziante ministro.

Pois é.

Quando busco paralelo entre esta campanha de tentativa de destruição de Lula e as campanhas de destruição de Getúlio e Jango, não posso deixar de notar que eles, pelo menos, tinham um jornal de circulação nacional e uma rádio pública também de alcance nacional para defendê-los. Hoje, que temos?

E o que entristece é que essa campanha atinge Lula quando ele se encontra duplamente fragilizado. Fragilizado pela doença, que lhe rouba um de seus dons mais notáveis: a sua voz, a sua palavra, seu poder de comunicação.

Fragilizado pelo espetáculo mediático em que se transformou o julgamento do tal mensalão.

Se algum respeito, se alguma condescendência ainda havia para com esse pau-de-arara, foi tudo pelo ralo, pelo esgoto em que costumam chafurdar historicamente os nossos meios de comunicação.

Não sejamos ingênuos de pedir ou exigir compostura da mídia. Não faz parte de seus usos e costumes. Sua impiedade, sua crueldade programada pelos interesses de classe não estabelece limites.

Não é apenas o ex-presidente que é desrespeitado de forma baixa, grosseira. A presidente Dilma também. Por vários dias, a nossa gloriosa grande mídia deu enorme destaque às peripécias de uma pobre mulher, certamente drogada, certamente alcoolizada, certamente deficiente mental que teria tentado invadir o Palácio do Planalto, dizendo-se “marido” da presidente.

Sem qualquer pudor, sem o menor traço de respeito humano, a Folha de São Paulo, especialmente, transformou a infeliz em personagem, em celebridade. Chegou até mesmo a destacar um repórter para “entrevistar” a mãe da tal mulher. Meu Deus!

Às vésperas do golpe de 1964, o desrespeito da grande mídia para com o presidente João Goulart e sua mulher Maria Teresa chegou ao ponto de o mais famoso colunista social do país à época publicar uma nota dizendo que na Granja do Torto florescia uma trepadeira. Torto, como referência ao defeito físico do presidente; trepadeira, como referência caluniosa à primeira-dama do país.

Alguma diferença entre um desrespeito e outro?

Esse tipo de baixeza não se vê quando os presidentes são do agrado da grande mídia, quando os presidentes frequentam os mesmos clubes que os nossos guardiões dos bons costumes.

Nem que tenham, supostamente, filhos fora do casamento, que disso a mídia acha uma baixeza tratar.

Pois é.

Leia também:

Rubens Casara: O risco da tentação populista na Justiça

Gurgel pede arquivamento de denúncia contra deputado que recebeu de Cachoeira

Luiz Flávio Gomes: “Um mesmo ministro do Supremo investigar e julgar é do tempo da Inquisição”

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



103 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Emiliano José: Hobsbawn e sociedades boas « Viomundo – O que você não vê na mídia

09 de outubro de 2012 às 14h55

[…] Requião: “Oportunismo, irresponsabilidade, ciumeira e ressentimento” […]

Responder

Ibope em SP: O potencial de crescimento dos candidatos até domingo « Viomundo – O que você não vê na mídia

03 de outubro de 2012 às 16h19

[…] Requião: “Oportunismo, irresponsabilidade, ciumeira e ressentimento” […]

Responder

Carandiru: Vinte anos depois, PMs ainda aguardam julgamento « Viomundo – O que você não vê na mídia

02 de outubro de 2012 às 21h23

[…] Requião: “Oportunismo, irresponsabilidade, ciumeira e ressentimento” […]

Responder

Qual será a manchete dos jornais na antevéspera da eleição? « Viomundo – O que você não vê na mídia

02 de outubro de 2012 às 16h53

[…] Requião: “Oportunismo, irresponsabilidade, ciumeira e ressentimento” […]

Responder

Mário SF Alves

01 de outubro de 2012 às 12h21

Cara, tô feliz. O Rodrigo Leme sempre provocando, sempre tentando desconstruir os argumentos apresentados pelos anti-Brasil de Uns Poucos aqui no Viomundo. Aí, de repente, bum! se vê na contingência de ter de tomar essa sopa de realidade e polidez. Deve ter sido terrível, hein!, Rodrigo. Tenha a certeza, é tal qual lhe disse o Ricardo Lima Vieira: “E, homem, pare de reclamar da companhia dos que o acolhem – ainda que alguns percam a paciência com você, pois você não teria a liberdade do contraditório nos blogs da tua seara: lá, você sabe, só pode o pensamento único.”
PS.: Por “pensamento único nos blogs de tua seara” entenda a sinonímia, pois é o mesmo que dizer “ditadura contra todo e qualquer argumento que sequer ouse lembrar o projeto “Brasil Um País de Todos”; ditadura contra todo argumento que ouse sequer sugerir a importância histórica do Lula; contra todo e qulquer argumento que ouse sequer sugerir ensair ligeira crítica contra o papel calhorda e anti-democrático desempenhado pela mídia neoconservadora corporativa.

Responder

Eleições na Venezuela ainda indefinidas « Viomundo – O que você não vê na mídia

30 de setembro de 2012 às 17h23

[…] Requião: “Oportunismo, irresponsabilidade, ciumeira e ressentimento” […]

Responder

Renato

28 de setembro de 2012 às 08h23

Esta é nossa realidade. Um pais escravocata.

Responder

Jotace

28 de setembro de 2012 às 00h18

Maravilhoso o discurso do Senador Requião. Ao reprovar todo e qualquer desvio do descumprimento das boas normas jurídicas, condena de forma veemente o que são os reais propósitos da grande mídia no julgamento do chamado mensalão: levar Lula ao pelourinho, à execração pelo grande público, privando o país de mais um governo ‘populista’. E demonstra a excelência do seu caráter pela defesa que faz do ex-Presidente, quando até mesmo as bancadas do PT no Congresso parecem esquecidas de fazê-lo. Mais uma vez o Senador Requião demonstra ter as exatas qualidades que o povo vem reclamando dos que exercem a função pública, especialmente nos grandes cargos diretivos, justo quando o país vem sendo prejudicado pela corrupção e o entreguismo sem peias do patrimônio do povo. Jotace

Responder

Eddie Lamas

27 de setembro de 2012 às 23h15

Um pequeno Histórico da Imprensa no Brasil (e na América do Sul).
Temos que ter consciência com que tipo de poder estamos lidando, quando avaliamos a imprensa no Brasil.
Não podemos esquecer que os grupos empresariais de comunicação (rádio, jornal, TV, etc) mais fortes do país cresceram substancialmente durante os governos militares, cooptando com a ditadura.
Não dá para julgar se a cooptação foi por sobrevivência ou subserviência, mas o fato é que o crescimento físico e financeiro foi significativo, tanto em abrangência quanto em capilaridade.
Ao final do ciclo das ditaduras da América do Sul, o poderio econômico dos grupos de mídia era equiparado às principais empresas de indústria e comércio no Brasil.
No ciclo seguinte, dos chamados governos liberais, já possuidores de capital significativo, a linha editorial de imprensa apoiou abertamente as políticas vigentes de desnacionalização inconsequente, que subservientes ao capital internacional, levaram o estado ao endividamento e à estagnação, mas que permitiram aos grandes grupos, entre eles os de imprensa, um outro ciclo fabuloso de crescimento e concentração de riquezas.
Nestes dois grandes ciclos (ditaduras e liberalismos), a imprensa apoiou sistematicamente as decisões políticas destes governos e se omitiu quanto ao crescimento da desigualdade e ao agravamento dos problemas sistêmicos de educação, saúde e saneamento, suportados pela degradação da infraestrutura do país, advindos de dirigentes incompetentes e corruptos, em todas esferas de poder.
Mas, atualmente, no ciclo dos governos populares na América do Sul, o que mais se ouve nos meios de comunicação é um clamor pela liberdade de imprensa e contra toda forma de censura, acobertando seus inconfessos interesses antidemocráticos com um falso manto de imprensa combativa, corajosa e com voz na verdade.
Eles acham que estão enganando a quem?

Responder

Requião tem culhão « Ficha Corrida

27 de setembro de 2012 às 22h23

[…] Requião: “Oportunismo, irresponsabilidade, ciumeira e ressentimento” por Roberto Requião, no Senado Federal […]

Responder

Jorge Viana: Mídia quer formar, pautar e votar pelo STF « Viomundo – O que você não vê na mídia

27 de setembro de 2012 às 15h08

[…] Requião: “Oportunismo, ressentimento, ciumeira e ressentimento” […]

Responder

Gerson Carneiro

27 de setembro de 2012 às 11h53

José Serra levou um NÃO até do Maluf. Isso é que é capacidade de rejeição.

Responder

Abelardo

27 de setembro de 2012 às 11h49

Azenha, eu quero parabenizar o Senador Requião pela emocionante defesa ao ex- Presidente Lula da Silva. Como ele mesmo afirmou a defesa não se dá pelos erros ou acertos do ex- Presidente Lula da Silva, mas sim pelo covarde e audacioso abuso de poder, que parte da mídia vem exibindo com uma certeza de impunidade jamais vista. A impressão que fica é que quase toda a base de sustentação do governo, principalmente o PT, e quase todas as autoridades do país estão com medo que a mídia poderosa revele alguns deslizes que eles possam ter cometidos e, talvez, por essa razão temam o enfrentamento. Repito, é a impressão que causam a população por suas omissões e pelo flagrante acovardamento ao não responderem a tão arrogante e indecente trama que a mídia articula para tentar envolver o ex- Presidente Lula da Silva em qualquer brecha que possa levá-lo a processo. E tenho o pensamento de que não desistirão, independentemente do preço que paguarão por toda essa insanidade. Parabéns ao Senador Roberto Requião pela corajosa, brilhante e espetacular lição que deixa para a reflexão dos omissos.

Responder

Matheus

27 de setembro de 2012 às 11h30

E há semanas atrás o Requião fez críticas arrasadoras ao governo Dilma, que está restaurando no Brasil o neoliberalismo dos anos de FHC. Agora o cara detona essas acusações caluniosas contra o Lula. Demonstração de firmeza e independência política e ideológica. É até engraçado que o Requião esteja no mesmo partido que Sarney.

Responder

Demetrius

27 de setembro de 2012 às 10h48

Parabéns Requião por representar tão perfeitamente nossa indignação contra esses meios de comunicação comprados e contra as pessoas que os defendem.

Contra essa rataiada, temos que bater de frente, sem dó!

Responder

joão

27 de setembro de 2012 às 10h00

Viva Requião! Pela lucidez,sabedoria e patriotismo.

Responder

Túlio

27 de setembro de 2012 às 09h38

Obrigado Senador. Lavou minha alma.

Responder

smilinguido

27 de setembro de 2012 às 09h34

A mim me ocorre com frequencia….não sei a voces; mas para se ler o que geralmente se escreve em nosso país nao parece o analfabetismo uma benção??
Aliás vamos radicalizar e buscar compreender coisas aparentemente absurdas do ponto de vista politico como o Khmer Vermelho, o Sendero Luminoso, ou os militantes da Revolução Cultural (a revolução dentro da revolução chinesa)..talvez algum dia se chegue a conclusão que será preciso passar pelas as armas todos que sabem ler e escrever para erradicar a corrupção das almas.

Responder

    damastor dagobé

    27 de setembro de 2012 às 11h54

    Afinal não é de outra coisa que trata o mito bíblico do pecado e da morte trazidos pelo fruto da árvore do conhecimento. A corrupção sempre vem com algum conhecimento e nenhuma ética não é? O que tb é explicitado pelo prórpio JC quando enche a bola dos simples de espírito, e certamente não muito aquinhoados de sagacidade, que herdarão o mundo.

smilinguido

27 de setembro de 2012 às 09h32

A mim me ocorre com frequencia….não sei a voces; mas para se ler o que geralmente se escreve em nosso país nao parece o analfabetismo uma benção??
Aliás vamos radicalizar e buscar compreender coisas aparentemente absurdas do ponto de vista politico como o Khmer Vermelho, o Sendero Luminoso, ou os militantes da Revolução Cultural (a revolução dentro da revolução chinesa)..talvez algum dia se chgue a conclusão q

Responder

Mardones Ferreira

27 de setembro de 2012 às 09h00

Requião é detestado por ter deixado o PIG paranaense sem um níquel nos dois mandatos dele como governador.

Esse pronunciamento é mais um para mostrar a verdadeira face dos grupelhos da imprensa-oposição que na sua seletividade não esconde seus preconceitos de classe e não tem limites no sentido da baixaria.

Imagina se Lula tivesse um filho fora do casamento com uma jornalisa! Seria o fim do mundo.

Até o para seria entrevistado para condená-lo. Mas como quem pulou a cerca foi o FHC, então seria baixaria tocar no assunto. Muito bem lembrado pelo REquião.

Assim também é o caso da mulher que rondou Brasília tentando falar com a presidente e mereceu destaque nos jornais e na tv. Uma falta de respeito de uma imprensa que de tão baixa não consegue ver seus descalabros.

Ainda bem que há ainda senadores para ocupar a tribuna e lembrar que a oposição – sem programas e projetos para defender – cedeu lugar à imprena e seus desrespeitos cotidianos ao ex-presidente e a atual presidenta.

Salutar também as críticas do Requião, pois o governo financia parte dessa baixaria com recursos públicos. E o governo também não deixou de orientar a política econômica aos restistas, como bem destacou o senador paranaense.

Até para fazer oposição é preciso educação e respeito. E isso falta aos editores da oposição muito bem denominados de PIG. Crititar é algo louvável, mas baixar o nível – mesmo quando se tem como sócio um Carlinho Cachoeira – é inaceitável.

Certamente muitos devem detestar aqueles que ainda guardam as memórias dos golpes sofridos pelo Brasil. Desse ser duro para Globo, Folha e afins ter de ouvir de um senador da república que essas táticas são velhas e conhecidas. E que, ao contrário de 1964, há menos apoio ao golpe dentre os cidadãos.

A vela que o PT do metalúrgico acendeu segue acesa para o desgosto da muita gente.

Responder

Roberto Locatelli

27 de setembro de 2012 às 07h37

Essa clareza de discurso não vejo no PT. E isso é preocupante. O próprio Requião explica que decidiu fazer este pronunciamento depois que constatou que os petistas – exceção do senador Jorge Vianna – se calaram diante dos ataques a Lula.

O PT espera o quê? Que a oposição defenda Lula?

Responder

Nó Cego

27 de setembro de 2012 às 07h32

FORA DE PAUTA

CANCELADO DEBATE DA RECORD: SERRA E RUSSOMANO FOGEM DO PAU

Serra mentiu mais uma vez ao dizer que não havia sido comunicado sobre o debate, a tempo. A Record exibiu o convite que foi protocolado junto ao PSDB com muita antecedência. Na realidade o SERRA estava com medo da participação do Amaury Ribeiro Júnior, autor do livro A Privataria Tucana e jornalista da Record.

Já o Russomano caiu fora porque disse que um filho seu iria nascer no dia do debate. De parto normal? Como ele sabe? Só existe certeza com relação à data do nascimento de uma criança quando se opta por um parto cesariano com hora marcada. E nesse caso, os riscos para a vida do bebê e da mãe aumentam consideravelmente. E RUSSOMANO resolveu marcar o parto cesariano exatamente para o dia do debate. Será que ele quer ficar viúvo antes de começar a “governar” São Paulo?

Responder

Pedro Ribeiro

27 de setembro de 2012 às 05h03

O Rodrigo apesar de ter leme no nome, coitado!
Totalmente sem rumo…
Toma vergonha na cara homi, talvez ainda dê tempo.

Responder

aparecida

27 de setembro de 2012 às 04h34

Parabéns Senador !! Sou brasileira, nordestina, alagoana..Sou Luiz Inácio LULA da Silva com mto orgulho !!!!

Responder

Luiz Bodisatva

27 de setembro de 2012 às 01h11

Abelardo, tenha mais respeito aos bois…

Responder

Luiz Bodisatva

27 de setembro de 2012 às 00h57

Rodrigo, você não me engana. Em seu comentário você não acrescentou nada. Apenas usa do subterfúgio típico dos sem argumento que é diminuir os outros com palavras de efeito do tipo “cantilena” , “conversa pra boi dormir”. Quem não tem argumento diminui os outros. Se a conversa do Requião é pra boi dormir você veste a carapuça. Teu jornal é a Folha. Volta pra lá para achincalhar petistas e seja feliz. Ou fique por aqui mas use sua inteligência para argumentar e não para ironizar. Esta postura é pobre e vazia.

Responder

Luiz Stinghen

27 de setembro de 2012 às 00h44

Requião é macho. Enfrentou a imprensa, os juízes vendidos, a Monsanto, as Concessionárias de rodovias que pagaram propina aos Lernistas. Os Curitolas acreditaram no Lerner e no Taniguchi. Os dois foram condenados por desvios de verba e não saiu nos jornais porque são o PIG daqui.

Responder

H. Back™

27 de setembro de 2012 às 00h20

Esse pessoal da imprensa está brincando com fogo. Depois vão querer apagar o incêndio com gasolina.

Responder

ZePovinho

26 de setembro de 2012 às 23h22

E o Sardenberg(aquele economista dos jornais da Globo,que é irmão do economista-chefe da Febraban) com o Jabor falando mal do discurso da presidenta Dilma na ONU??Que dois imbecis!!!!Ora…..se nem os próprios americanos estão aceitando o dólar como papel moeda(devido à impressão desenfreada de dinheio pela impressora lá do FED),por que temos de aceitar essa porcaria em troca de nossos ativos???????????

http://www.globalresearch.ca/gold-is-money/

CNN reported in February:

A growing number of states are seeking shiny new currencies made of silver and gold.

Worried that the Federal Reserve and the U.S. dollar are on the brink of collapse, lawmakers from 13 states, including Minnesota, Tennessee, Iowa, South Carolina and Georgia, are seeking approval from their state governments to either issue their own alternative currency or explore it as an option.

***

Unlike individual communities, which are allowed to create their own currency — as long as it is easily distinguishable from U.S. dollars — the Constitution bans states from printing their own paper money or issuing their own currency. But it allows the states to make “gold and silver Coin a Tender in Payment of Debts.”

http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=20983

A reação entreguista interna ao pronunciamento de Dilma na ONU
É repulsiva a tentativa dos dois principais comentaristas de noticiários da Globo, Carlos Sardenberg, na economia, e Arnaldo Jabor, na política, de enxovalhar cada um dos pronunciamentos da Presidenta Dilma Roussef, inclusive o recente discurso na ONU. Sabemos que falam para um público específico, os inconformados com o exercício do poder pelo PT, mas se tratando de um órgão de comunicação de massa era de se esperar algum pudor. O artigo é de J. Carlos de Assis.

J. Carlos de Assis (*)

Responder

    Roberto Locatelli

    27 de setembro de 2012 às 07h35

    Essa gente do PIG age como teleguiados dos EUA. Alguns, provavelmente, são funcionários de Washington, recebendo $$ deles.

    Os EUA estão devendo mais do que o valor do PIB deles. Ou seja, a dívida do país é maior do que o conuunto das riquezas dos EUA. Subordinar-se a eles, como o México faz, é pedir para ser sugado.

Antonio Marcos

26 de setembro de 2012 às 22h33

Requião quando governador do Paraná cortou as verbas destinadas ao PIG ( gastos com propaganda oficial do Estado.)
A Dilma deveria colocar o Requião para ser ministro da comunicação no lugar do medroso Hibernardo.
O Requião tem coragem para colocar em prática a “Ley de medios”, ele não tem medo do PIGolpe.

Responder

    Fabio Passos

    26 de setembro de 2012 às 23h16

    Requião sabe, como sabia Brizola, que estas oligarquias mofadas da mídia são uma corrente que nos mantém presos ao atraso e ao subdesenvolvimento.

    Detonar o PiG é questão capital para garantir um futuro melhor para nossa nação.

    O PiG é uma máquina de propaganda idiotizando brasileiros.
    marinho, civita, frias e mesquita são chantagistas inescrupulosos defendendo os privilégios indecentes da minoria branca e rica.

    Que sentido tem aceitar passivamente que estes bostas mantenham o monopólio da informação?
    O PiG é a verdadeira oposição as forças progressistas no Brasil.

    É preciso combater abertamente a globo, veja, estadão e fsp.
    Organizações que deveriam ter acabado junto com a ditadura que promoveram.
    Passou da hora de acabar com a mamata destes pilantras.

    Roberto Locatelli

    27 de setembro de 2012 às 07h30

    Pois é, o que Dilma está esperando? Que o PIG exija do STF que casse o mandato dela e emposse José Serra presidente?

    Lu Witovisk

    27 de setembro de 2012 às 07h46

    AHAHHAHAH Dilma já vai fazer isso… Deveria mesmo, concordo com vc, mas o efeito do chá de cueca do Civita ainda não passou. As vezes dá sinais de que está passando, mas não o suficiente para mandar o bernardo dormir de vez e botar um Requião no ministério. SERIA UMA MARAVILHA!!!!

Fabio Passos

26 de setembro de 2012 às 22h25

Os racistas da África do Sul prenderam Mandela por 27 anos.

A “elite” branca e rica do Brasil só conseguiu colocar o Lula em cana por 30 dias… mas ainda não desistiu de seguir o exemplo dos afrikaaners.

E é na classe média idiotizada pelo PiG que a “elite” branca e rica busca apoio para seus desejos pervertidos de prender o pobre-pau-de-arara-sem-dedo.

É fato: Lula mostrou que o povo brasileiro é muito mais competente, criativo e capaz do que a ricaiada branquicela, vagabunda e ladra da casa grande.

Responder

sil

26 de setembro de 2012 às 21h52

Apoiadíssimo senador Requião!
Viva o grande Presidente Lula!
Viva Presidenta Dilma!
Viva o PT!
Não nos envergaremos!

Responder

Fabio Passos

26 de setembro de 2012 às 21h10

“Não sejamos ingênuos de pedir ou exigir compostura da mídia. Não faz parte de seus usos e costumes. Sua impiedade, sua crueldade programada pelos interesses de classe não estabelece limites.”

Nós é que precisamos dar cabo do PiG.
Acabar com o monopólio destas oligarquias decrépitas e corruptas.

Responder

FrancoAtirador

26 de setembro de 2012 às 20h59

.
.
ÉPICO

“…os corvos de outrora
crocitavam com mais elegância
que os grasnadores de agora.”

GRANDE REQUIÃO!
.
.

Responder

gerson

26 de setembro de 2012 às 20h22

Essa atitude forte da Veja contra Lula (com argumentos falsos) num momento em que ela enfrenta graves denuncias na CPI do Cachoeira, demonstra com a máxima nitidez que contra o PIG só funciona tratamento de choque.

Responder

    Maria Izabel L Silva

    26 de setembro de 2012 às 21h13

    A Veja não perdoa ter perdido o Cachoira e o Demostenes, dois santinhos do pau ôco que alimentavam as iniquidades da revista. Por isso, mais uma vez, se voltaram contra o Lula. Inútil. É o que prova a subida do Hadadd, que tem o Lula como principal cabo eleitoral, e as altas taxas de popularidade da Dilma, que é uma invenção do Lula. Sem Lula a Dilma não existiria. Assim como o Hadadd. Lula ainda é disputado em todo país como cabo eleitoral. Todos querem Lula em seu palanque.Pergunte quem quer o Demostenes …

Roberto Marçal Ferreira

26 de setembro de 2012 às 19h47

Parabéns Requião. É preciso lutar contra a hipocresia. Estou com o Lula.

Responder

Maria Amélia Martins Branco

26 de setembro de 2012 às 18h03

Sobre a Carta Aberta do linchamento promovido pelo STF, quam quiser aderir é só mandar um e-mail para:

[email protected]

Responder

Nilo

26 de setembro de 2012 às 17h59

A mídia é 99% da direita e você tá preocupado com os 1% da mídia que “assumidamente” são de esquerda e que faz o contraditório com muita dificuldade e pouco dinheiro,pois recebe 00,1 % da verba publicitária do governo, ao contrário das vejas e globos que recebem 70% da verba para manipular gente que não sabe pensar por si só, sendo que no discurso querem parecer imparciais quando não são. Por falar nisso explica para nós porque a mídia chama o mensalão do PT por esse nome e o mensalão do PSDB de mensalão mineiro e não mensalão do PSDB.

Responder

Clerto Alves

26 de setembro de 2012 às 17h07

Que belíssima reflexão nobre Senador. É incrível o quanto a elite brasileira é ressentida com a ascensão dos menos favorecidos. Porém, os novos caminhos da história do povo brasileiro, serão pavimentados por esse próprio povo, que escreverá com suas mãos o seu enredo e determinará o seu destino. Viva Lula! Viva o povo brasileiro!.

Responder

augusto2

26 de setembro de 2012 às 17h04

isto é bem fora do tema – azenha mas por fvr é imperdivel.
procurem e re gravem no HOJE no site…”global research.ca”
o link ”
Battle for Syria – view from the frontline

UM Video de uns 10 min sobre a batalha nas ruas, vista do lado do exercito sirio – o sangue, a morte as crueldades diarias como tática! e mentira nua da midia mundial. Eu nunca vi antes tudo aquilo.
SE quiser informaçao real vá lá e mostre aos outros do que se trata.

Responder

RicardãoCarioca

26 de setembro de 2012 às 17h04

A militância tucana do PiG não engana mais ninguém, nem o mais humilde do povo. Basta ver os índices de aprovação de Lula e Dilma que só fazem crescer.

Responder

Geraldo Matias

26 de setembro de 2012 às 16h30

Parabéns Senador! Parabéns! Isso é o que penso, só não conseguia expressar em palavras. Por isso, mais uma vez, parabéns e obrigado por ter sido minha voz.

Responder

dukrai

26 de setembro de 2012 às 16h08

o novo Código Florestal foi um desastre, a bancada ruralista fez o cabelo, a barba e o bigode. Acho que deve ser por isto que o governo não manda uma regulamentação da mídia pro congresso, é capaz dos deputados e senadores criarem uma agência reguladora e botarem o Policarpo Civita pra chefe. Imagine se alguém quer correr o risco de virar capa de Veja e perder o salário de deputado, se vários perderam o cargo de ministro e no fim descobriram que era só armação do Demóstenes, Cachoeira, Policarpo Civita e outros meliantes. A Dilminha podia pelo menos fazer como o Requião, acabar com a publicidade institucional do governo, estatais e empresas públicas, deixar só campanhas de interesse público e publicidade de serviços, como BB e Caixa Econômica. Nesta os jornalões e a gLobo levavam uma facada no bolso, o mesmo que no coração, economisava um troquinho e investia no Minha casa, minha vida.

Responder

    RicardãoCarioca

    26 de setembro de 2012 às 17h06

    O PMDB, partido do emissário dos marinhos, não iria votar com o governo. Não haverá Ley de Medios enquanto o fiel da balança, o partido do (vice?) presidente Temer estiver mais pra lá do que pra cá.

Márcio Oliveira

26 de setembro de 2012 às 15h57

Fantástico o discurso do Requião! Corajoso e preciso. Mostra como o PIG está povoado por um bando de degenerados.

Responder

josé maria de souza

26 de setembro de 2012 às 15h56

Parabéns, senador. Um discurso que mostra a verdade, nada mais do que a verdade. Não devemos esquecer que o Requião teve a coragem de apresentar um projeto (o que foi feito dele?) criando efetivamente o direito de resposta, tema totalmente escamoteado e boicotado pela mídia golpista.
Que eu saiba, até agora só o Requião, que é do PMDB, e o Jorge Vianna, também ex-governador e agora senador do PT pelo Acre, tiveram coragem de enfrentar e denunciar publicamente esta mídia e oposição mentirosas, anti-democráticas, elitistas. Onde está o PT? Esperando novo golpe?
josé maria de souza

Responder

eraklito

26 de setembro de 2012 às 15h50

Pois é.
Sou LULA até embaixo d’agua.
É só o LULA nos chamar, que estaremos fazendo um imenso cordão humano de isolamento para ele.
Viva o nosso eterno presidente.

Responder

Maria Thereza

26 de setembro de 2012 às 15h46

Cadê a SECOM???!!!! Só hoje há 2 notícias que não vão ter nenhuma repercussão: Dilma quebra recorde de aprovação e temos a maior queda da desigualdade da história. Era para ter ministros, presidente do IBGE, beneficiário (pequenos e médios empresários, consumidores, estudantes, entre outros) ocupando tvs, rádios e jornais, divulgando o outro lado da história. Isso é utilidade pública. Os órgãos de desinformação no Brasil não vão falar nada ou, no máximo, vai ter um imenso MAS no meio do caminho. E esperar helena chagas fazer alguma coisa é pura perda de tempo. A mídia aqui se acostumou tanto a fazer sucesso com ficção, que não sabe mais o que é realidade. Occupy media!

Responder

    renato

    26 de setembro de 2012 às 19h14

    Isto ninguem fala nem aqui, sô!
    Mas vou pocurar, agora mesmo!
    E podem se debater, EU SOU LULA.
    EU SOU DILMA!E quero que tenha novas eleições para presidente
    só para votar nela!Ou nele! Ou no Requião!

edson

26 de setembro de 2012 às 15h36

O que mais conta, o que pesa mesmo, o que é significante, é a mídia, aquele seleto grupo de dez jornais, televisões, revistas e rádios que consome mais de 80 por cento das verbas estatais de propaganda.

Responder

Julio Silveira

26 de setembro de 2012 às 15h33

O Requião tem posições que me agradam bastante, mas francamente não confio nele. Lógico, sou sincero, muito dessa implicância tem a ver com as informações passadas pela midia corporativa, que as vezes até ajuda a cidadania quando persegue pessoas que não lhes são simpaticas, mas que por outro lado tem telhado de vidro. O Requião me parece desses casos, ainda o acho um politico demagogo.

Responder

Eduardo Guimarães

26 de setembro de 2012 às 15h02

Hoje um colunista da Folha escreveu que o cenário político parece o de 1974, quando a ditadura começou a perder as eleições que, relutantemente, aceitava que ocorressem; digo que o colunista errou o ano com o qual este momento político se parece. E não errou pouco, errou por exata uma década. Este momento se parece, cada vez mais, com 1964, quando insultar líderes políticos até com palavras de baixo calão prenunciava o golpe que sobreviria. Àquela época, muitos diziam que era “exagero” prever um golpe.

Responder

    Mário SF Alves

    27 de setembro de 2012 às 00h46

    Peraí. Insultar líderes políticos já vem sendo praticado há algum tempo. Vide Casseta e Planeta; o Lula é Minha Anta, do tal Diogo Mainardi; o Zorra; as mentiras e temores desnecessários de responsabilidade PiG na questão da crise de 2008; e por aí vai. O problema é que em 64 havia o fantasma do comunismo. A URSS estava em pleno vigor ideológico. Mas, agora, sem guerra-fria, sem a dita ameaça comunista, qual poderia ser o pretexto? Os drones norte-americanos? A política externa que preconiza o não acirramento da guerra de civilizações?

Ivonete

26 de setembro de 2012 às 14h54

Por várias vezes a mídia podre tentou e continua tentando, pelo discurso, transformar Lula num bandido. Tudo o que conseguiram até agora foi tranformá-lo em heróis. Se continuarem com essa idéia obsessiva de perseguir o Lula, e,pô-lo na cadeia, a despeito de sua saúde frágil e o amor que o povo lhe dedica, correm o risco de tranformá-lo em martir, mito. E os martires nunca são vencidos.

Responder

ADEMAR RAMOS BRILHANTE

26 de setembro de 2012 às 14h49

Parabens senador,a sua fala é a expressão do sentimento de milhões de brasileiros.

Responder

T

26 de setembro de 2012 às 14h44

Como sempre Requião foi perfeito. Ele vale mais que toda a bancada do PT.
Requião deveria viabilizar sua candidatura a presidente.

Responder

Hélio Pereira

26 de setembro de 2012 às 14h43

Tenho o maior respeito para com o ex Pres Lula,mas não posso deixar de lembrar que: O PGR Roberto Gurgel que “senta em cima” de Processos contra “nobres’ Tucanos e seus aliados “empresários de Jogo do bicho”,enquanto persegue os Governistas foi colocado em seu Posto e reconduzido ao cargo por Lula,que a maioria dos ministros do STF também foi indicada por Lula e que Lula e Dilma vivem “Paparicando” a Grande midia.
Lula e Dilma ficam “criando Cobras”e depois reclamam que foram “picados”!

Responder

jaime

26 de setembro de 2012 às 14h30

Aprovo Requião e seus discursos porque não são apenas discursos; como governador do Paraná ele mostrou que pratica o que diz e se tivesse um espaço maior de visibilidade o que se veria é um temperamento par e passo com a de uma argentina que todos conhecem. Tem defeitos? Sim, alguns graves, um temperamento ditatorial, pavio curto, menos diplomacia do que seria necessário em muitas ocasiões, mas passando a régua as qualidades compensam. E dentre essas qualidades está a separação clara entre o público e o privado; ali não há sabugismo nem complexo de vira-lata e se existe alguém com coragem para desfazer os 80 anos de atraso em 8 do FHC, esse é o cara.
O que gostaria de saber é em que planeta vivia a presidenta quando diziam: “a nossa televisão é a Globo”?

Responder

Zepol

26 de setembro de 2012 às 14h10

Uma jóia! Precioso discurso!

Responder

Rita

26 de setembro de 2012 às 13h55

Requião foi perfeito. Ainda bem que alguém abriu o bico. Cadê o PT??? Quem tá fragilizada é a oposição. Cadê o PT? Cadê o Haddad? Que perdeu uma ótima oportunidade de mandar a soninha lavar a boca pra poder falar do LULA. Essa ventríloqua, ABERRAÇÃO ÉTICA. (Obrigada, Marilena Chauí.)

Responder

trombeta

26 de setembro de 2012 às 13h44

É bom as forças progressistas se unirem pois é sabido por todos que a direita (PSDB/DEM/PPS/PSOL)em conluio com a mídia e setores do STF conspiram (abertamente) para a construção de um ambiente de desestabilização institucional.

Sabedouros de que não tem a mínima chance de retornar ao poder pela via democrática vislumbram no horizonte a aventura golpista conforme a velha tradição das elites latino-americanas, embora numa conjuntura que não lhes é favorável não se deve subestimá-los.

Responder

Gersier

26 de setembro de 2012 às 13h44

Do Blog Cidadania,do Eduardo.
“A pesquisa de opinião da série CNI-Ibope que acaba de ser divulgada, porém, mostra que o governo da presidente Dilma Rousseff ganhou aprovação apesar de todo esse circo midiático,tendo agora 62%, índice maior do que o registrado em junho,que era de 59%.Além disso,a aprovação da própria presidente atingiu espantosos 77%.
Renato da Fonseca,gerente-executivo da Unidade de Pesquisa da CNI, afirmou,em coletiva de imprensa convocada para anunciar a nova edição da pesquisa da entidade,que 57% da população julga este governo igual ao governo Lula,o que significa que a maioria da população está conseguindo ver cada vez mais méritos nos dois últimos governos,ignorando a mídia.”

Responder

Tiago

26 de setembro de 2012 às 13h39

Suponho que essa “excelência” hipócrita do Requião está se preparando para confiscar o gravador dos repórteres de todos os meios de comunicação que porventura critiquem o Lula.

Responder

Vinicius Moura

26 de setembro de 2012 às 13h33

Muito bom parabens

Responder

Vlad

26 de setembro de 2012 às 13h29

Proponho censurar todos e também o ursinho Ted.

Responder

Jorge Portugal

26 de setembro de 2012 às 12h59

PT se caga todo de medo da mídia, Parabéns ao senador Requião!

Responder

    Rita

    26 de setembro de 2012 às 13h57

    É verdade.

RicardãoCarioca

26 de setembro de 2012 às 12h55

A intensa militância tucana do PiG já se popularizou. As pessoas não conversam muito sobre isso porque geralmente isso acaba em briga e rompimento de amizades, mas está claro que o apoio do povo a Lula e a Dilma e o crescente do Haddad nas pesquisas, mostra que a baixaria do PiG só está fazendo mal a eles. O STF é outro. Está passando uma sensação de injusto e inquisidor e isso as pessoas de bem não aprovam. Deixem o PiG continuar e até baixar ainda mais o nível da sua militância tucana, porque o povo, que não é bobo, já percebeu o que já havíamos percebido a mais tempo.

Responder

Maria Izabel L Silva

26 de setembro de 2012 às 12h40

O que é que determinados comentaristas estão fazendo aqui nesse blog?? Essas pessoas pensam que enganam a quem?? Meu filho, isso aqui é uma barricada da liberdade e da democracia. Barricada, Entendeu??? Volte para o seu lar, volte para lá. Vá opinar nos blogs da Globo ou da Veja. Aqui vocês não passam de estupidos, pateticos e infiltrados. Nem de longe esse bolg comunga com suas opiniões. Mas os caras insistem como baratas …
O senador fez sim um elogio e uma defesa de Lula. Quem não tem argumento para negar todas as verdades que o senador elencou chama tudo de “propaganda” … é de uma pobreza atroz.

Responder

Mariac

26 de setembro de 2012 às 12h36

Acredito que são as duas coisas. A causa principal é que Lula é extremamente inteligente e esperto e debocha da eláite a seu modo e lhe desperta o ódio, sim. Pois se vilões se vissem como vilões deixariam de ser vilões. Como a elaíte – inclusa a da Paulista – bate em pobre mata mendigo, ataca homossexuais -, é a vilã que se vê como gentil, e então ataca as verdadeiras vitimas fazendo-as vitimas uma segunda vez.Esse é seu modo de trabalho.Causa segunda: Lula é uma oposição firme, valente.Porque o ex-presidente Lula é firme, valente, e incansável. Essa é a parte prática. Requião tem razão sim.

Responder

    Mariac

    26 de setembro de 2012 às 12h37

    A eláite é a mesma do Cansei, e da Pena de Morte. Nunca nos esqueçamos.

neopartisan

26 de setembro de 2012 às 12h25

“Os mais velhos de nós, os que acompanharam o dia-a-dia do país antes do golpe de 64, vão encontrar assustadores pontos de contato entre o jornalismo e o colunismo político daquela época com o jornalismo e o colunismo político dos dias de hoje”.
Requião matou a cobra e a gente ajuda a mostrar o pau http://www.youtube.com/watch?v=n6HV-Jpc3I8

Responder

Alberto Santos Neto

26 de setembro de 2012 às 12h20

E o PT finge que nada disso é com ele. Quanta decepção com este partido!
Parabéns ao senador Roberto Requião que não se curva para esta mídia corrupta. A senadora Ana Amélia Lemos (empregada da da RBS), que presidia a mesa na hora que o Requião dizia a verdade sobre o PIG, deve ter tido urticárias

Responder

José Livramento

26 de setembro de 2012 às 12h18

Virei fã dele.

Responder

Thelma Oliveira

26 de setembro de 2012 às 12h17

Ótimo discurso do Requião. E esses comentaristas deslocados, que distorcem o teor das críticas que são feitas aqui, podiam ir dormir e parar de encher a paciência fazendo o que mais a oposição sabe faze: distorcer por falta de coisa inteligente pra dizer.

Responder

Ronaldo Luz Dantas

26 de setembro de 2012 às 12h09

Parabéns Senador Roberto Requião

Responder

Valdeci Elias

26 de setembro de 2012 às 12h08

O que eu acho pior, é o Poder Judiciario quase parado, pilhas e pilhas de processo se acumulando. E o Supremo perdendo tempo nesse circo.

Responder

Henrique

26 de setembro de 2012 às 12h07

Isso é verdade?

“Exército decide dar proteção a Joaquim Barbosa e cria zona de conflito com Dilma Rousseff”

http://ucho.info/exercito-decide-dar-protecao-a-joaquim-barbosa-e-cria-zona-de-conflito-com-dilma-rousseff

Responder

    Henrique Pinheiro

    26 de setembro de 2012 às 13h18

    1/07/2003

    “Ucho Haddad é o nome do editor do site UH! Comunicação Ilimitada, lançado há pouco mais de um mês em São Paulo. Evaldo Haddad Fenerich é o nome de um publicitário com várias passagens pela polícia, uma prisão e uma condenação pela Justiça do Estado de São Paulo. Ucho Haddad é Evaldo Haddad Fenerich.

    Ucho Haddad apresenta-se como um baluarte do jornalismo investigativo – por alguns, é reconhecido como tal. Ao que parece, Evaldo Haddad Fenerich tem várias profissões, dada a versatilidade de seu cotidiano. Nos registros da polícia e da Justiça, ele se autodeclara publicitário. Em outros trechos do processo a que responde, atualmente, por estelionato, figura como consultor de investimentos em bancos estrangeiros. Não bastasse, o mesmo Fenerich – tal qual seu alter-ego, Ucho Haddad – tem propalado, há muito, sua inclinação pela lida de Hipólito José da Costa.”

    http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos/asp0807200394.htm

    Rita

    26 de setembro de 2012 às 13h46

    Perigo de vida e de futuro correm os BRASILEIROS DE VERDADE nas mãos dessa corja golpista.

lulipe

26 de setembro de 2012 às 12h04

A mídia que querem é uma mídia subserviente, que se omita ante os escândalos, que apenas os bajulem, que apenas divulguem seus feitos, que possa ser controlada e direcionada para seus anseios.Nunca terão!!!

Responder

    Nilo

    26 de setembro de 2012 às 12h26

    Basicamente essa mídia que nunca terão é a que FHC tinha. É exatamente o que Requião falou. Qualquer cidadão decente quer que a mídia seja imparcial e denuncie e aplauda os governantes por merecimento independente da pessoa ou partido no poder. Só isso.

    Gersier

    26 de setembro de 2012 às 12h46

    Deixe de ser idiota.Ninguem quer uma mídia assim,mas sim uma imprensa séria que mostre os fatos como eles são e não inventem factóides e calunias que alimentam jumentos como vc.
    Porque não falam da filha do alkcmin que era gerente de uma luxuosa loja de uma contrabandista?Mas inventaram até que um dos filhos do Lula era sócio do Saad,dono da Bandeirantes,simplesmente porque um dos sócios do filho do Lula numa pequena empresa,comprava horario na grade de programação da emissora.
    Inventaram que um irmão do Lula,influenciava até no Congresso a favor de amigos,mas elogiavam a “atuação” do filhinho do FGAGAC quando esse fazia lobyes a favor de empresas.
    Inventaram que um dos filhos do Lula comprou uma “mansão” no Sul do País,mas se fingiram de mortos quando o fgagac comprou por alguns milhões de dólares,um apartamento em área nobre de Paris.
    Portanto trol imbecilizado,aqui comentários como o seu,só são feitos por inocentes fúteis cujo QI é bem inferior ao das amebas.

    Rita

    26 de setembro de 2012 às 14h08

    Essa já existe. Cadê a compra de votos para reeleição? Cadê o julgamento do Mensalão tucano? Cadê a pasta rosa? Cadê a Alstom? Cadê o Policarpo? Cadê o Pirilo? Cadê o Paulo Preto e seus 4 milhões? Cadê os escândalos da merenda em São Paulo? Cadê a privatização da saúde? Cadê as ambulâncias superfaturadas? Cadê o andamento do processo do Aécio (esse não pode. Foi o único que sobrou para ser o candidato da mídia cheirosa.)? Cadê a quebra do Brasil com FHC? Cadê os sapatos do Lafer?
    É LULA, você mostrou que pode. Só realizou algumas transformações “básicas”, evidentes e provocou esse rebosteio nessa elite INCOMPETENTE. Foi pouco, mas t6ão impotante. Foi imperdoável.

Rodrigo Leme

26 de setembro de 2012 às 12h04

Sempre a velha cantilena do preconceito, do “não aceitam um presidente nordestino, operário, yadda, yadda, yadda”.

A oposição não aceita Lula pq é oposição. Mais simples impossível. Assim como o PT combate seus opositores onde e quando é oposição, os partidos de fora do governo fazem o mesmo. Nada mais simples.

O PT não está sentando o sarrafo no Russomanno, que é de um partido que é da base governista no federal?

Não acredito que alguém precise ensinar a Requião – ou a qualquer um que recorre à mistificação do preconceito – isso tudo que eu disse. Quem repete essa cantilena sabe que o efeito esperado é outro: a propaganda. Não são pessoas ignorantes; pelo contrário, são espertas demais.

Responder

    MARCELO

    26 de setembro de 2012 às 12h47

    Se o Serra fosse do PT,seria um herói.
    Se Lula fosse do PSDB,seria um demônio.
    Imagino o Serra no PMDB ou no PC DO B.
    Não pegariam tanto no pé dele.

    Nilo

    26 de setembro de 2012 às 12h50

    Se antes comentar tivesse tido o trabalho de assistir ao vídeo descobriria que a oposição hoje não tem votos, por isso é feita atualmente pela mídia, aliás como foi dito pela representante da associação dos jornais. A oposição que ele critica é o PIG(Partido da Imprensa Golpista) O Requião em momento algum critica os partidos que fazem oposição ao governo. Assista o vídeo e comente com argumentos, concordadando ou discordando dele.

    Ricardo Lima Vieira

    26 de setembro de 2012 às 12h51

    Ô “seo” Rodrigo, as palavras do Requião incomodaram você? Por quê? Por que você – não sei – talvez se identifique com a “alma escravocrata de nossas elites [onde] mora o despeito com a atenção dada aos mais pobres por Lula”?

    Rodrigo Leme

    26 de setembro de 2012 às 13h44

    Sim, alma escravocrata total. Tenho uns 3 escravos em casa: um pra me servir o uisque a noite, um para servir de controle remoto e um de descanso dos pés.

    Pago todos com o salário que meus patrões do PIG me pagam para vir aqui semear discórdia.

    (Desculpe, queria ironizar muito mais asneiras que leio aqui contra quem não beija a estrela vermelha, mas não consigo lembrar, são muitas. Depois volto nisso)

    Ricardo Lima Vieira

    26 de setembro de 2012 às 17h43

    Pois é, monsieur Rodrigo, fico pensando se o segundo parágrafo de sua réplica à minha modesta intervenção quiçá não entre na sua ironia. Diria que um problema seu seja assumir que todos que não vejam em Lula um satã, sejam beijadores da “estrela vermelha” (uau, onde você teve este insight, assistindo “Guerra nas Estrelas”, ou quem sabe a introdução de Cecil B. de Mille ao seu [dele] Dez Mandamentos?).

    Digo-lhe que não tenho filiação partidária, mas dentro do que está aí, posto para “consumo” dos brasileiros, os únicos que se aproximam – ainda que aos trancos e barrancos – à construção de uma razoável e menos excludente cidadania tem sido os atuais ocupantes do Palácio do Planalto.

    E, homem, pare de reclamar da companhia dos que o acolhem – ainda que alguns percam a paciência com você, pois você não teria a liberdade do contraditório nos blogs da tua seara: lá, você sabe, só pode o pensamento único.

    Gersier

    26 de setembro de 2012 às 12h54

    Só um cego(pelo preconceito)não enxerga que a mídia e seus capangas amestrados,sempre desrespeitou o Lula e a Dilma.
    Ou não foi um deles que escreveu um livro chamando o Lula de anta?
    Ou não foi outro deles que numa das inúmeras capas calhordas da revista de foi uma bebum lambe botas que bêbada,perguntada sobre futebol,deitou falação contra Lula numa emissora de rádio?
    A cantilenda é do PIG e não dos que defendem Lula e o Brasil de UMA CORJA tremendamente safada e sem moral.

    priscila maria presotto

    26 de setembro de 2012 às 13h04

    Sempre a mesma cantilena ,iguar qui nem a mídia e oposição rasteira que sempre sangra Lula,tchau….tchau…..

    Abelardo

    26 de setembro de 2012 às 14h09

    A direita já foi melhor! Esse aí tem a profundidade de análise de um boi no pasto.

    Ricardo JC

    26 de setembro de 2012 às 14h11

    Honestamente, você percebe o que escreveu?
    Que os PARTIDOS de oposição a façam, ferrenhamente, contra Lula, vá lá. É papel deles. Mas à imprensa, essencial para a democracia, deve ser facultada a tarefa de reportar os fatos e comentá-los, ouvindo, SEMPRE, as partes envolvidas. Imprensa não deveria ser partido político, pois se assim o for (como de fato, hoje, é) ela deixa de ser imprensa e deixa seu papel de lado, sendo afetada por suas ideologias e demandas. É essa mesmo a imprensa livre que você quer? Uma que seja oposição ao governo quando interessa e seja favorável, quando também interessa?

    Rodrigo Leme

    26 de setembro de 2012 às 16h04

    E vc acredita em conto da carocinha? Voc~e acha que esse blog, a Carta Capital, o Hora do Povo (golpe baixo, eu sei), a revista Forum, o PHA, a Caros Amigos, etc ad etenum possuem compromisso com tudo isso que você falou?

    A diferença é que você está do lado desses veículos pq eles cantam as canções que chama ao seu coração. Mas é tudo a mesma coisa.

    Na hora de falar dos “veículos da direita”, exigem imparcialidade. Dos da esquerda, aí vem o papo de “são veículos da luta contra as elites predatórias” e outras bananidades do tipo.

    Em suma, conversa pra boi dormir.

    PauloH

    26 de setembro de 2012 às 18h39

    A Carta Capital não publica noticias falsas só pra prejudicar o Serra. O Blog do Azenha nunca tentou manipular eleições nem esconder manifestações da oposição. E se vocè acha que é “tudo a mesma coisa”, vamos trocar? Eu te dou meu “blog esquerdista” e você me dá a Globo. O PSDB compra a Caros Amigos; mas em troca a Veja deixa de ser de direita e para de publicar mentira. E trocamos todos os “jornais esquerdistas” do Brasil pela Folha e o Estadão – não pra que parem de falar mal do governo, mas pra que voltem a fazer jornalismo. Topas?

    Ricardo JC

    27 de setembro de 2012 às 00h28

    Ô Rodrigo Leme…vou te perguntar mais uma vez. Você realmente lê as matérias deste blog? Apesar de ser um blog que tem, na maioria das vezes, apreço pelo governo, publica muitas vezes matérias contra este mesmo governo, expondo pontos de vista de fato contrários às ações que este tem tomado. Este blog, como a maioria dos blogs sujos não adere incondicionalmente ao governo atual, mas faz campanha sim contra quem fez um mal governo e tenta destruir as conquistas obtidas em 10 anos de governo dos trabalhadores (sim, julgamos elas importantes). E, repetindo o que disse PauloH, jamais encontrei em qualquer veículo de imprensa dito “governista” qualquer matéria fantasiosa sobre membros da oposição (a não ser que você considere o conteúdo do Privataria Tucana fantasioso…como o Serra).


Deixe uma resposta para Gerson Carneiro

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.