VIOMUNDO

Diário da Resistência


Pimenta denuncia farsa contra cacique Raoni:  YouTube tem de banir canal; criadores terão de se explicar à PF e à CPI; vídeo mentiroso
Denúncias

Pimenta denuncia farsa contra cacique Raoni: YouTube tem de banir canal; criadores terão de se explicar à PF e à CPI; vídeo mentiroso


27/09/2019 - 16h45

Fake News: Milícias digitais de Bolsonaro forjam vídeo contra o cacique Raoni, denuncia Pimenta

por Rogério Tomaz Jr., no PT na Câmara

O líder do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta (PT-RS), denunciou no Twitter  um vídeo forjado para atacar o cacique Raoni com uma denúncia falsa que o acusa de contrabandear ouro para a França junto com ONGs.

O vídeo foi publicado no Youtube na quarta-feira (25), um dia após o discurso de Jair Bolsonaro na Assembleia Geral da ONU, na qual o chefe de Estado brasileiro criticou duas vezes o líder kayapó que vai completar 90 anos em 2020.

“Olhem do que são capazes as milícias digitais de Jair Bolsonaro e sua família: criaram uma fake news sórdida contra o cacique Raoni na qual o acusam de contrabandear ouro junto com ONGs. A denúncia é falsa, o vídeo é sensacionalista”, alertou Pimenta.

Em menos de dois dias, o vídeo alcançou mais de 460 mil visualizações no canal “BomNotícias TV”, que tem 266 mil inscritos e se faz passar por um veículo jornalístico. “Esse material está circulando no submundo das redes de Whatsapp e Facebook da extrema-direita. Recebi o vídeo por uma pessoa do interior do Maranhão, o que mostra a capilaridade das milícias digitais de Bolsonaro e seus apoiadores”, explicou o parlamentar.

Nobel da Paz

Raoni esteve na Câmara também na quarta-feira e foi recebido por dezenas de parlamentares, militantes e apoiadores da luta ambiental. O ato de desagravo aos ataques de Bolsonaro foi seguido de uma coletiva de imprensa.

O cacique kayapó é apoiado por uma coalizão de entidades e movimentos sociais para uma candidatura ao prêmio Nobel da Paz, em razão de sua atuação histórica em defesa da Amazônia e dos direitos dos povos indígenas.

Falsa reportagem

O vídeo começa com uma vinheta de visual jornalístico. Na sequência, um apresentador faz a “denúncia”, lendo um texto repleto de erros de concordância, enquanto são exibidas imagens do cacique Raoni participando de um evento no exterior e policiais ou seguranças privados custodiando objetos que parecem ser barras de ouro.

O título da reportagem forjada segue à risca a cartilha dos manuais de fake news da extrema-direita, usando um tom sensacionalista e citando a Polícia Federal para dar à mentira ares de escândalo descoberto por autoridades: “ALERTA MÁXIMO Polícia Federal DESCOBRE ONG ENVIANDO ILEGALMENTE BARRAS DE OURO PARA FRANÇA”.

Pimenta cobrou providências da plataforma que abriga o material e apontou que os criadores do vídeo terão que prestar contas à Justiça e à investigação que corre no Congresso Nacional com a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito que apura a indústria das fake news no Brasil.

“O YouTube tem o dever de BANIR esse canal e os responsáveis por essa farsa terão que se explicar à Polícia Federal e à CPI das Fake News”, escreveu o líder petista.

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Thiago

30 de setembro de 2019 às 07h01

Fora de Pauta mas nem tanto

PERGUNTEM AO VICE MOURÃO PORQUE QUE ELE ACHA QUE AS CAPITANIAS HEREDITÁRIAS FORAM EXEMPLOS DE EMPREENDEDORISMO

Breve resumo sobre as Capitanias Hereditárias

Capitanias Hereditárias

Por Juliana Bezerra
Professora de História

As Capitanias Hereditárias foram um sistema administrativo implementado pela Coroa Portuguesa no Brasil em 1534.

O território do Brasil, pertencente a Portugal, foi dividido em faixas de terras e concedidas aos nobres de confiança do rei D. João III (1502-1557). Essas poderiam ser passadas de pai pra filho e por isso, foram chamadas de hereditárias.

Os principais objetivos eram povoar a colônia e dividir a administração colonial. As Capitanias Hereditárias, porém, tiveram vida curta e foram abolidas dezesseis anos após sua criação.

Resumo

Após a descoberta das terras a leste do Tratado de Tordesilhas, em 1500, por Pedro Álvares Cabral, o foco da Coroa portuguesa na sua colônia da América Portuguesa era a extração dos recursos da terra, como o pau-brasil.

Isso se devia ao fato de não terem sido encontrados metais preciosos como foi o caso dos espanhóis nas suas possessões.

O sistema de capitanias hereditárias foi implantado a partir da expedição de Martim Afonso de Sousa, em 1530. Os portugueses tiveram receio de perderem suas terras conquistadas para outros europeus que já estavam negociando com os indígenas e buscavam se fixar ali.

Para tanto, a Coroa Portuguesa imediatamente adotou medidas para povoar a colônia, evitando, dessa maneira, possíveis ataques e invasões.

O sistema de capitanias havia sido implementado pelos portugueses na Ilha da Madeira, nos Arquipélagos dos Açores e de Cabo Verde.

Assim, ficou estabelecido a criação de 15 capitanias e seus 12 donatários, uma vez que uns receberam mais que uma porção de terra e as Capitanias do Maranhão e São Vicente foram divididas em duas porções.

Segue abaixo o nome de cada Capitania Hereditária e de seus respectivos donatários:
•Capitania do Maranhão: João de Barros e Aires da Cunha e Fernando Álvares de Andrade
•Capitania do Ceará: Antônio Cardoso de Barros
•Capitania do Rio Grande: João de Barros e Aires da Cunha
•Capitania de Itamaracá: Pero Lopes de Sousa
•Capitania de Pernambuco: Duarte Coelho Pereira
•Capitania da Baía de Todos os Santos: Francisco Pereira Coutinho
•Capitania de Ilhéus: Jorge de Figueiredo Correia
•Capitania de Porto Seguro: Pero do Campo Tourinho
•Capitania do Espírito Santo: Vasco Fernandes Coutinho
•Capitania de São Tomé: Pero de Góis da Silveira
•Capitania de São Vicente: Martim Afonso de Sousa
•Capitania de Santo Amaro: Pero Lopes de Sousa
•Capitania de Santana: Pero Lopes de Sousa

Direitos e Obrigações do Donatário

O rei Dom João III concedeu as terras para nobres de sua confiança. Cada Capitão Donatário era considerado a autoridade máxima, ficando responsável por povoar, administrar, proteger o território, fundar vilas e desenvolver a economia local. Por sua parte, a Coroa Portuguesa não dava nenhuma ajuda financeira aos donatários para esse empreendimento.

Os donatários, por outro lado, possuíam alguns privilégios jurídicos e fiscais como:
•escravizar indígenas;
•cobrar tributos e doar lotes de terra não cultivados (sesmarias);
•explorar a região e usufruir de todos seus recursos naturais (donde uma porcentagem pertencia à coroa), desde animais, madeira e minérios.

A despeito de possuírem grande poder, as capitanias não pertenciam aos donatários e sim à Coroa Portuguesa que cobrava um imposto denominado “dízimo”, ou seja, 10% da produção da capitania.

No entanto, o sistema de capitanias sofreu com a falta de recursos, algumas foram abandonadas e em outras jamais seus donatários estiveram ali. Igualmente sofreram ataques indígenas, os quais lutavam contra a invasão de suas terras.

Desta maneira, o empreendimento das capitanias hereditárias fracassou. Somente duas foram bem-sucedidas:

•Capitania de Pernambuco, comandada por Duarte Coelho, responsável por introduzir o cultivo da cana de açúcar;
•Capitania de São Vicente, comandada por Martim Afonso de Sousa, graças ao tráfico de indígenas que realizavam naquelas terras.

Após a inviabilidade das Capitanias Hereditárias, a colônia passou por uma reforma administrativa e foi instituído o Governo Geral.

Curiosidades
•As capitanias hereditárias impulsionaram o crescimento das vilas, que aos poucos se transformaram em províncias, e, mais tarde constituíram alguns estados brasileiros.
•A herança dos sistema de capitanias hereditárias pode ser sentido até hoje através do coronelismo e das famílias que seguem mantendo o poder em certos estados.
•Martim Afonso de Sousa permaneceu pouco tempo em sua capitania, pois foi deslocado para ocupar um posto nas Índias. Quem administrou a terra foi sua esposa, Ana Pimentel.

OBS: É por isso que os militares (Bolsonaro à frente) odeiam tanto os índios brasileiros. Porque eles não se deixaram escravizar no início da colonização portuguesa, porque gozavam de toda liberdade do mundo e conheciam muito bem o território que habitavam. E por terem resistido à escravidão, são chamados até hoje, de vagabundos pelos militares, que sempre foram e são o braço armado da repressão ao longo desses de 500 anos de matanças e de Golpes de Estado que se abateram sobre o Brasil (inicialmente Ilha de Vera Cruz, Terra dos Papagaios e Terra de Santa Cruz). Leiam sobre Canudos de Antônio Conselheiro e sobre a Ditadura Militar de 64
para compreenderem como agiu a repressão militar nesses dois períodos da história do Brasil.
Mas eu continuo sem compreender porque o Gal Mourão chama de empreendedorismo a organização das Capitanias Hereditárias. Você entendeu?
Quem não sabe de nada diz qualquer coisa. Veja o que disse aquela mulher que foi para a frente da suprema corte (STF) exigir pela CPI da lava toga e falou em ministros do FGTS.

Responder

João Ricardo

27 de setembro de 2019 às 18h47

Se uma pessoa precisa espalhar mentiras para dar razão a outra, então mais me convenço que estou do lado certo da história.
Direita fascista.
É sempre assim, jogo sujo para justificar o que não se justifica.

Responder

João Ricardo

27 de setembro de 2019 às 18h03

Se uma pessoa precisa espalhar mentiras para dar razão a outra, então mais me convenço que estou do lado certo da história, contra toda essa direita fascista.
É sempre assim, jogo sujo para justificar o que não se justifica.

Responder

Zé Maria

27 de setembro de 2019 às 18h00

Esse ‘BomNotícias TV’
é um dos Canais Fascistas
mais Fake News do YouTube.
Só perde pro tal ‘Terça Livre’.

Responder

    Zé Maria

    27 de setembro de 2019 às 19h06

    Aliás, se o Dias e o Nosferatu querem realmente
    saber quem propaga Fake News estimulando
    ameaças aos Ministros do STF que, por suas
    decisões, desagradam a Extrema-Direita,
    basta consultar esses Canais do YouTube
    e depois verificar as Sugestões do Algorítimo.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.