VIOMUNDO

Diário da Resistência


Parlamentar de NY pressiona hotel Marriott contra recepção a Bolsonaro: “Homofóbico perigoso”
Um dos salões de eventos do hotel; reprodução de publicidade
Denúncias

Parlamentar de NY pressiona hotel Marriott contra recepção a Bolsonaro: “Homofóbico perigoso”


26/04/2019 - 23h25

Reprodução de publicidade

Hotel em Nova York é pressionado para não receber homenagem a Bolsonaro

Senador democrata pede para nova sede seguir exemplo de Museu de História Natural e cancelar evento

André Duchiade, em O Globo

RIO — Depois de o Museu de História Natural de Nova York desistir de sediar uma homenagem ao presidente Jair Bolsonaro, a rede de hotéis Marriott, para onde o evento foi remarcado, está sob pressão para também cancelar a cerimônia, sob a alegação de que Bolsonaro ameaça os valores novaiorquinos de tolerância e multiculturalismo.

O senador estadual democrata de Nova York Brad Hoylman, que representa, entre outras áreas de Manhattan, Times Square, onde está localizada a filial do hotel, enviou uma carta ao presidente do grupo Marriott, alegando que Bolsonaro é um “homofóbico perigoso e violento, que não merece uma plataforma pública de reconhecimento em nossa cidade”.

Hoylman, que é homossexual, pede que o Marriott Marquis, para onde está marcada a cerimônia de entrega do título de Personalidade do Ano da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos no próximo dia 14 de maio, não receba Bolsonaro.

— Times Square representa não só a esquina do mundo, mas a essência do multiculturalismo e da cultura global de aceitação e tolerância — o senador afirmou ao GLOBO. — Fico enojado com a possibilidade de essa região receber alguém tão preconceituoso. Assim como vários outros lugares analisaram e rejeitaram esta possibilidade, espero que o Marriott vá ouvir a preocupação dos nova-iorquinos e cancelar o evento.

Em 2015, a empresa foi eleita “O melhor lugar para trabalhar em termos de inclusão LGBT”.

O grupo também faz parte da Câmara Nacional de Comércio de Gays e Lésbicas dos EUA, patrocina a Human Rights Campaign (HRC) americana, o Centro Nacional para Direitos Lésbicos e outros grupos americanos de inclusão homoafetiva, além de ter sido um dos primeiros grandes hotéis a oferecer benefícios iguais para parceiros do mesmo sexo, desde 1999.

O senador Hoylman definiu como “vergonhoso” que uma empresa com estes títulos aceite sediar uma homenagem a Bolsonaro.

No passado, o presidente já disse que era “homofóbico com orgulho” e que preferia “ter um filho morto a um homossexual”, entre outras declarações no mesmo tom.

Nesta quinta-feira, em café da manhã com jornalistas, o presidente afirmou que “o Brasil não pode ser um país do mundo gay, de turismo gay”.

— O hotel pode receber quem eles quiserem, mas isso contraria a sua política de responsabilidade LGBT. Aceitar receber esta homenagem é um tapa na cara. O hotel deve se preocupar em como seus acionistas e clientes irão reagir — afirmou Hoylman.

— Nenhuma autoridade pública que deu declarações tão revoltantes merece nada dos nova-iorquinos, nem de empresas em Nova York.

Apesar de suas declarações do passado, Bolsonaro não mais se identifica publicamente como homofóbico. No café da manhã, questionado sobre a recusa do Museu de História Natural, o presidente afirmou que o prefeito de Nova York, o democrata Bill de Blasio, o atacou porque “é contra Trump”.

Perguntado sobre o que achava de a Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos não conseguir um lugar para dar a festa que vai homenageá-lo em Nova York, Bolsonaro disse que recebe a honraria “até na praia”.

Procurada, a Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos disse que não irá se manifestar sobre o assunto. O site do evento não indica para onde ele será, mas, ao jornal nova-iorquino NY Daily News , que primeiro noticiou a pressão de Hoylman, o hotel confirmou que receberá o evento e disse que “aceitar fazer negócios não indica apoio nem corroboração a nenhum grupo ou indivíduo”. A porta-voz do hotel Marriott não foi localizada para comentar.

A cerimônia no Museu de História Natural foi cancelada após uma série de protestos de membros da instituição científica, por considerarem o presidente brasileiro um “inimigo” da preservação ambiental. Em uma carta aberta à presidente do museu, Ellen Futter, estudantes, doutorandos, funcionários e pesquisadores da instituição pediram o cancelamento da homenagem a Bolsonaro, a quem chamaram de “presidente fascista do Brasil”, afirmando que o evento seria “uma mancha na reputação do museu”.

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

29 de abril de 2019 às 16h28

https://t.co/jlBUgWu1zq

Cármen Lúcia suspende decisão que permitia “cura gay”

Ministra do STF cassa liminar concedida em 2017
e diz que juiz usurpou a competência do Supremo.

Desde 1999, o Conselho Federal de Psicologia (CFP)
proíbe as chamadas terapias de “reversão sexual”

De acordo com a relatora, o núcleo do fundamento e do pedido objetivo da ação popular parece ser a declaração de inconstitucionalidade da Resolução 1/1999 do CFP.

A ministra determinou a suspensão da ação popular até o julgamento final da RCL 31818 no STF.

A ministra determinou, ainda, a manutenção da eficácia plena da Resolução 1/1999 do CFP e suspendeu os efeitos da decisão de primeira instância
que autorizava atendimento psicoterapêutico voluntário para
“transtornos psicológicos e comportamentos associados à orientação sexual”.

“Sem prejuízo da reapreciação da matéria no julgamento do mérito defiro a medida liminar requerida para suspender a tramitação da Ação Popular n. 1011189-79.2017.4.01.3400 e todos os efeitos de atos judiciais nela praticados, mantendo-se íntegra e eficaz a Resolução n. 1 do Conselho Federal de Psicologia”,
decidiu Cármem Lúcia.

https://twitter.com/STF_oficial/status/1121161010365313025
http://portal.stf.jus.br/noticias/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=409367
https://www.dw.com/pt-br/c%C3%A1rmen-l%C3%BAcia-suspende-decis%C3%A3o-que-permitia-cura-gay/a-48468874

Responder

Zé Maria

28 de abril de 2019 às 00h28

Salão de Eventos Vermelhaço com Decoração Comunista?
Não foi aí que o Foro de São Paulo se reuniu em New York?

https://www.viomundo.com.br/wp-content/uploads/2019/04/captura-de-tela-2019-04-26-axxs-23.19.58-e1556331822385.png

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.