VIOMUNDO

Diário da Resistência


O surto fanático da pastora Damares com o azul para os meninos e o rosa para as meninas; veja vídeo
Valter Campanato/Agência Brasil
Denúncias

O surto fanático da pastora Damares com o azul para os meninos e o rosa para as meninas; veja vídeo


03/01/2019 - 16h51

Meninas preferem rosa, meninos preferem azul

da BBC

Em ensaio com crianças americanas e sul-coreanas, fotógrafa expõe dicotomia criada por marketing de ‘gênero’.

A fotógrafa sul-coreana JeongMee Yoon transformou uma crença comum da sociedade — o fato de meninos preferirem azul e meninas, rosa — em uma tese de estudos.

Por isso, retratou crianças da Coreia do Sul e dos Estados Unidos rodeados pelos objetos que existem em seu quarto nestas cores, evidenciando essa tendência cultural.

“Este trabalho também levanta outras questões, como a relação entre gênero e consumo, urbanização e a globalização do consumismo e o novo capitalismo”, afirma ela.

Yoon deu início ao projeto por causa de sua filha de cinco anos, que ama rosa e só queria vestir-se com roupas e brincar com objetos desta cor.

“Descobri que o caso da minha filha não é incomum. Nos Estados Unidos, na Coreia do Sul e em outros lugares, meninas amam roupas, brinquedos e acessórios cor de rosa. Este fenômeno está presente entre crianças de várias etnias, independentemente de seu contexto cultural. Talvez seja pela influência da propaganda e de produtos como as bonecas da Hello Kitty e da Barbie. Meninas são treinadas para usarem rosa para parecerem mais femininas”, Yoon diz.

Segundo as pesquisas feitas pela fotógrafa, rosa já foi uma cor associada à masculinidade, por ser considerada uma versão mais suave do vermelho e reter o poder associado a esta cor.

“Em 1914, o jornal americano The Sunday Sentinel aconselhou mães a usarem rosa para meninos e azul para meninas para seguirem as convenções da época”, explica ela.

A mudança do rosa para meninas e azul para meninos ocorreu nos EUA e em outros lugares do mundo após a 2ª Guerra Mundial, de acordo com a tese de Yoon.

“Conforme a sociedade moderna entrou na era do politicamente correto do século 20 e do conceito de igualdade de gênero, a perspectiva associada às cores foi invertida. Hoje, com os efeitos da propaganda sobre as preferências de consumidores, essas cores se tornaram um padrão mundialmente”, comenta a fotógrafa.

“Os objetos rosas que preenchem as minhas fotos de meninas revelam uma expressão manipulada da faminilidade amplamente aceita”, diz Yoon.

“Quando comecei a produzir estas imagens, percebi que muitos meninos têm vários objetos azuis. Consumidores são orientados a comprar coisas destas cores para meninos e meninas.”

Yoon conta que, no caso de seu filho de 11 anos de idade, ele não parece ser especialmente atraído pela cor azul.

“Mas, quando vamos comprar roupas, as que ele escolhe são principalmente desta cor”, comenta a fotógrafa. “As seções de roupas e brinquedos já estão divididas em azul e rosa.”

Segundo Yoon, as diferenças entre os objetos de meninas e meninos afetam sua forma de pensar e comportamentos.

“Muitos brinquedos para meninas não só são rosas, como também estão relacionados a maquiagem e cuidados com a casa”, diz ela.

“No entanto, a maioria dos objetos para meninos são azuis e relacionados a robôs, atividades industriais, ciência, dinossauros”, explica Yoon.

Para a fotógrafa, estas divisões entre os dois gêneros afetam profundamente sua identificação como grupo e o aprendizado social.

“Mas, conforme as meninas ficam mais velhas, sua preferência pela cor rosa muda”, afirma Yoon.

“Normalmente, elas passam a preferir roxo. Depois, ocorrem mais mudanças. No entanto, este código de cor tende a se manter ao longo da vida.”

Leia também:

O bizarro discurso de posse do chanceler de Bolsonaro

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



15 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Jardel

05 de janeiro de 2019 às 00h08

Pastora Damares, quando “Jesus subiu no pé de goiaba para falar com a senhora”, ele estava vestindo azul ou rosa?
Sei que a senhora é terrivelmente cristã, mas como eu sou terrivelmente agnóstico, reservo-me o direito de acreditar ou não acreditar no que eu bem entender.
Se o Estado é laico, como a senhora mesmo disse, então a senhora deve respeitar a Constituição e deixar suas crenças, misticismos e superstições para suas palestras em igrejas e lugares afins.
Ninguém é obrigado a acreditar naquilo que a senhora acredita.
Entendeu ou precisa desenhar?

Responder

Zé Maria

04 de janeiro de 2019 às 20h05

https://postimg.cc/9R97nz7m
Gênero: Igualdade x Ideologia
https://i.postimg.cc/gJSHrZcZ/G-nero-Igualdade-XIdeologia.jpg

O Frame da Damares ou Como Pelejar com esse Governo [de Bosta!]

Por Letícia Sallorenzo, a Madrasta do Texto Ruim

https://jornalggn.com.br/noticia/quadro-sobre-quadro-ou-como-pelejar-a-altura-com-esse-governo-por-leticia-sallorenzo

Responder

Bel

04 de janeiro de 2019 às 20h02

Vai vestir fúcsia!

Responder

Zé Maria

04 de janeiro de 2019 às 17h48 Responder

Marcos Ferreira

04 de janeiro de 2019 às 16h03

PSOL??? PT???
Envie pra eles aí (pro parti-dinho):

mensonges du féminisme.
mentiras do feminismo.
a falsidade do feminismo.

O feminismo é prova de lógica? Suportaria ser posto à prova? Sua retórica se levanta ao escrutínio? Em um estilo tingido de humor e sarcasmo, a ex-feminista Lucia Canovi destaca os sofismas e inconsistências do chamado feminismo “universalista”. Um feminismo que defende a saia para homens e a mini-saia para mulheres que andam sozinhas à noite …
Este ensaio refrescante e estimulante fornece as chaves para identificar os pontos fracos da argumentação feminista.

A propos de l’auteur:

Laureada de seis prêmios literários e agregados por literatura moderna, Lucia Canovi é autora de 32 livros nas áreas de psicologia, desenvolvimento e questões sociais. Suas obras são traduzidas para inglês, alemão, espanhol, italiano, português, holandês e japonês. Mais e mais leitores apreciam seu bom senso e sua coragem intelectual, bem como seu estilo marcante com um toque de humor.

Faça sua prova.

Responder

Edgar Rocha

04 de janeiro de 2019 às 14h53

Que diferença faz pra ela? Camisa de força é branca e Rivotril é tarja preta,

Responder

Zé Maria

03 de janeiro de 2019 às 23h43

“íntegra do capítulo sobre ROSA E AZUL
da minha dissertação de mestrado”

Ana Paula Passarelli
Mestre em Comunicação e Semiótica
PUC-SP

https://twitter.com/apassarelli/status/1080892537643196416/photo/1

Responder

Zé Maria

03 de janeiro de 2019 às 23h21

“Meninas de Rosa
Meninos de Azul
E Queiroz de Laranja!”

@erikakokay
Deputada Federal (PT-DF)

https://twitter.com/erikakokay/status/1080859703452807169

Responder

    Jardel

    05 de janeiro de 2019 às 00h13

    hahahah essa foi boa… Queiroz de laranja e o resto do gabinete de branco, como fantasmas.

Zé Maria

03 de janeiro de 2019 às 23h09

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, disse que pretende “garantir”, por decreto, a posse de arma de fogo para cidadãos sem antecedentes criminais, além de tornar o registro do equipamento definitivo.
Ao anunciar a medida no Twitter, Bolsonaro não detalhou o decreto que está em planejamento.
A decisão de manter a facilitação para posse de arma foi tomada após conversa com o futuro ministro da Justiça e Segurança, Sérgio Moro.

Juristas questionam a mudança por decreto sem aval do Congresso, uma vez que afetaria o Estatuto do Desarmamento, Lei de 2003.

Especialistas em Direito Constitucional ouvidos pelo jornal O Estado de São Paulo afirmaram que a proposta do presidente eleito, Jair Bolsonaro, de alterar o Estatuto do Desarmamento por decreto pode trazer insegurança jurídica e sofrer questionamentos no Supremo Tribunal Federal (STF).

Professor titular da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), André Ramos Tavares afirma que para estabelecer o registro definitivo da posse de arma de fogo, por exemplo, seria preciso aprovar um projeto de lei ou editar uma medida provisória.
“A lei diz que o registro deve ser renovado periodicamente.
Para torná-lo definitivo, é preciso alterar a lei e isso não pode ser feito por decreto.
Ele pode dar prazo maior do que os cinco anos que vigoram hoje, mas não tornar definitivo por decreto.
Isso traria uma insegurança jurídica para quem tem posse porque a lei continuaria em vigor”.

A advogada constitucionalista Vera Chemim ressalta que qualquer modificação para facilitar a posse de arma também precisa passar por aprovação no Congresso Nacional.
“A lei impõe uma série de requisitos para quem quer ter posse de arma, como certidão negativa de antecedentes criminais e comprovação de capacidade técnica.
Para alterar esses dispositivos, é preciso passar pelo Legislativo.
Um decreto atropelaria o processo democrático”
.
.
“A proposta de Moro de adotar decreto pra descumprir lei em vigor
revela o qt o idolatrado ‘juiz’ desconhece do Direito
(decreto não pode alterar dispositivo legal),
como demonstra pouca disposição do Gov Bolsonaro
para luta política no âmbito do Congresso!”

https://t.co/MOo4S78NNt
https://twitter.com/DimitriSales/status/1079219504641699842
.
.
Moro, “democrata”, vai dar a volta no Congresso
para dar armas à população.
Democrata. Congresso. Dar a volta. Nem rosa, nem azul,
é o camisa preta.
https://twitter.com/VIOMUNDO/status/1080976826497986561

Responder

CARRASCO

03 de janeiro de 2019 às 22h03

Mas será que vale a pena comentar coisas a respeito de alguém com cara de doida, comportamento de doida, mentalidade de doida? Resumindo, ela é só uma imbecil, ponto. Mas o que este blog precisa mesmo é, estimulando outros blogs a fazerem o mesmo, precisa mover uma séria campanha de cobranças ao cafajeste que era o chefe dela: o ex-senador Magno (da) MALTA…ou da máfia, se quiserem. Afinal, o vigarista infernizou a vida de um pobre coitado que foi injustamente acusado de pedofilia mas acabou sendo provado que era inocente (pois tudo começou por causa de um erro grosseiro de uma médica). Mas Magno (da) Malta fez com que o coitado ficasse nove meses preso, sofrendo torturas a ponto de perder a visão de um olho de tanto apanhar na cadeia. E depois de inocentado pela Justiça o coitado finalmente estaria movendo um processo contra Magno (da) Malta. Só que a imprensa precisa relembrar sempre desse episódio e procurar mais crimes do maldito ex-senador cafajeste, amigão do Boçal….naro……..a imprensa precisa trucidar esse cafajeste que vivia denegrindo a esquerda toda vez que discursava (ou vomitava) no Senado. Mas esse sim precisava ser preso e trucidado dentro da cadeia até perder a visão dos 2 olhos e de preferência a maldita língua maligna…….maldito, que o capeta o tenha no inferno……cafajeste

Responder

Nelson

03 de janeiro de 2019 às 20h53

O sionismo fanático, fundamentalista mesmo, domina Israel desde sua fundação, há mais de 70 anos, sempre com o coturno no pescoço dos palestinos. Quando não são bombas israelenses a estraçalhá-los.

Natural então, sem surpresa alguma, que sua bandeira apareça nas manifestações fanáticas, fundamentalistas, da Dona Damares.

Responder

Zé Maria

03 de janeiro de 2019 às 19h41

Pra Acabar com essa dicotomia Rosa x Azul
é só vestir todo mundo de Vermelho…

Responder

Dimas

03 de janeiro de 2019 às 18h20

Se fosse simples assim, não teria gays no mundo.
Não tem solução simples para problema complexo.
Será que essa senhora tem as competências para esse cargo ?
Julgar e condenar a pessoa é a pior forma de abordar essa questão espinhosa, por isso muitos ficam com raiva de igrejas e religiões e quem paga o pato é Deus. Todavia, não aconselho menino usar roupa rosa porque sofrerá bulling em todo lugar.

Responder

BobAP

03 de janeiro de 2019 às 18h03

Chiii !!!!
Um dia destes eu vi um jogão do Barça onde o timaço estava inteiro de rosa, camiseta e calção.
Se vierem jogar um dia no Brasil , o que é 100% improvável, serão presos pela Madares Pastominal (pastora ministra fiscal).

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.