VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Rubens Valente: Moro vaza para Bolsonaro dados de inquérito sigiloso da PF sobre laranjas do PSL
José Cruz/Agência Brasil
Denúncias

Rubens Valente: Moro vaza para Bolsonaro dados de inquérito sigiloso da PF sobre laranjas do PSL


05/07/2019 - 11h33

Moro vazou para Bolsonaro

Presidente disse que ministro lhe deu cópia de investigação da PF, mas ela está em segredo

por Rubens Valente, na Folha de S. Paulo

Que o presidente da República tenha revelado isso e nenhuma reação provocado é um sinal preocupante de debilidade das instituições.

Em entrevista coletiva no Japão, no dia 28, Jair Bolsonaro disse que o ministro Sergio Moro lhe deu acesso privilegiado a dados do inquérito sobre os laranjas do PSL: “Ele [Moro] mandou a cópia do que foi investigado pela Polícia Federal pra mim. Mandei um assessor meu ler porque eu não tive tempo de ler”.

Ocorre que a investigação tramita sob segredo na 26ª Zona Eleitoral de Minas Gerais. Surgem aqui dúvidas éticas e legais.

Bolsonaro foi além. Revelou que “determinou” a Moro, que por sua vez iria “determinar” à PF, que “investigue todos os partidos” com problemas semelhantes. “Tem que valer para todo mundo, não ficar fazendo pressão em cima do PSL para tentar me atingir.”

As declarações devem assustar policiais das diversas carreiras da PF —alguns dos quais hoje em cargos de direção, reconheça-se— que nos últimos 30 anos trabalharam para que o órgão evoluísse para uma instituição “de Estado, não de governo”, como cansaram de repetir. Uma PF que não esteja à mercê dos rancores do presidente e do ministro de plantão. Um órgão que investigue fatos e não pessoas.

Bolsonaro se elegeu agitando a bandeira “da lei e da ordem”, o que pressupõe pelo menos respeito aos órgãos investigativos.

Agora faz o contrário: acessa e fala sobre um caso sob segredo e humilha investigadores em praça pública ao ditar como devem se comportar, como se eles não soubessem seu papel. Ele também tem seguidamente atacado a PF por discordar, sem provas, das conclusões do caso Adélio.

Os órgãos de controle da União ou não ouviram o que Bolsonaro disse no Japão ou ouviram e silenciaram.

Nos dois modos temos instituições cegas para o Alex Jones que ora ocupa a Presidência. Ele exerce abertamente a ousadia dos impunes a fim de obter dados sigilosos e determinar o que deve ser investigado no país. Isso é que é Estado policial.

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Jardel

07 de julho de 2019 às 15h09

Cadê meu comentário? (não precisa colocar este)

Responder

Jardel

07 de julho de 2019 às 00h10

Esses FDPs estão achando que podem tudo.
Rasgaram a Constituição e estão limpado a bunda com ela.
Mas não há bem que tanto dure e nem mal que não se acabe.
O povão está de olho no STF, que se não corrigir tudo isso, ficarão totalmente desmoralizados e colocarão a democracia em risco.
Seria o fim do Estado Democrático de Direito. E o coxinhas ignorantes sequer sabem o que isso significa.

Responder

abelardo

06 de julho de 2019 às 17h27

O presidente Jair Bolsonaro confirma:
Ele [Moro] mandou a cópia do que foi investigado pela Polícia Federal pra mim. Mandei um assessor meu ler porque eu não tive tempo de ler”.

O ministro da justiça Sérgio Moro confessa:
O Ministério da Justiça confirmou, em nota enviada à Folha, que Jair Bolsonaro “foi informado sobre o andamento das investigações em curso” sobre as candidaturas laranjas do PSL, sigla à qual o presidente é filiado.

Vamos imaginar que Lula tivesse conseguido ser ministro da Dilma e feito exatamente o que Moro fez em relação a uma investigação que estava em segredo de justiça. Agora imaginemos o que fariam com o ex-presidente Lula: o Sérgio Moro, a lava jato, a Globo, as demais mídias seguidoras e obedientes, a PF, políticos golpistas e a vergonhosa coligação golpista de membros do judiciário, caso ele estivesse na posição do ministro que vazou a investigação sigilosa? Quantas vezes, na mídia e aos quatro ventos, eles condenariam, matariam, enterraria e exumariam com satisfação de ódio, ao ex-presidente Lula?

Responder

abelardo

06 de julho de 2019 às 10h17

O presidente Jair Bolsonaro confirma:
Ele [Moro] mandou a cópia do que foi investigado pela Polícia Federal pra mim. Mandei um assessor meu ler porque eu não tive tempo de ler”.

O ministro da justiça Sérgio Moro confessa:
O Ministério da Justiça confirmou, em nota enviada à Folha, que Jair Bolsonaro “foi informado sobre o andamento das investigações em curso” sobre as candidaturas laranjas do PSL, sigla à qual o presidente é filiado.

Vamos imaginar que Lula tivesse conseguido ser ministro da Dilma e feito o que Moro fez, em relação a uma investigação que estava em segredo de justiça. O que Moro, a lava jato, a Globo (e as suas demais mídias seguidoras e obefientes), a PF, políticos golpistas e a vergonhosa coligação golpista de membros do judiciário fariam com uma notícia desta? Quantas vezes eles condenaram, matariam, enterraram, exumar iam e repetiram, com exaustão e satisfação de ódio, essas operações?

Responder

Zé Maria

06 de julho de 2019 às 02h29

https://twitter.com/Helenasth/status/1147297824138321926

Bem que o Greg News alertou:
O Ráquer é o Marréco Taquara Rachada

https://twitter.com/i/status/1143882103513374721

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.