VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Miguel do Rosário: Governo Dilma golpeia a Voz do Brasil

25 de abril de 2013 às 05h48

Paulo Bernardo: Destruindo a comunicação pública

O PACOTE DE MALDADES NA COMUNICAÇÃO

por Miguel do Rosário, em O Cafezinho

Quando o tema é comunicação, o governo Dilma, tão progressista em algumas áreas, converte-se no Mr.Hyde de si mesmo. Se a metáfora de “O Médico e o Monstro” pode ser aplicada a qualquer indivíduo ou instituição, em virtude da inevitável dialética do ser, o problema das políticas públicas de comunicação social é que elas agem sobre o que há de mais nobre e mais duradouro numa sociedade: o espírito, a cultura, os valores, a moral.

A noção de que o Estado não deve participar do complexo processo político da comunicação embute a grande farsa liberal do Ocidente, que protege (hoje, nem tanto) as liberdades domésticas mas patrocina guerras e golpes em outros países para impor sua própria agenda de comunicação.

É o caso do Brasil.

O golpe de Estado de 1964 foi preparado com recursos financeiros, apoio logístico, suporte político e diplomático, do governo americano. Os estudos sobre seus preparativos junto à opinião pública, como o que fez René Armand Dreifuss (em “1964, A Conquista do Estado”), incluem sempre, além disso, as agências de publicidade norte-americanas.

Terminado o golpe, as empresas de mídia, pequenas, médias e sobretudo, as grandes, que o apoiaram, estavam mais fortes, mais ricas, mais influentes, e com grande público. As que se insurgiram contra a ditadura, destruídas. A mesma coisa vale para o concentrado setor de publicidade. As agências que protegiam os interesses norte-americanos expandiram-se durante a ditadura. As que não o defenderam, deixaram de existir.

Daí vem a democracia, trazendo com ela uma profunda crise econômica. Os anos 80 foram chamados, no Brasil, de década perdida. Os anos 90, por sua vez, começam num pesadelo e terminam com uma ilusão. A “estabilidade” do Plano Real vem junto com explosão dos juros, da dívida pública, da carga tributária, do desemprego; redução brutal das exportações; e desmantelamento da indústria. Um ambiente não muito propício, como se vê, para o florescimento de novos empreendimentos de mídia.

Em virtude desse histórico, é uma afronta ao bom senso que a Secretaria de Comunicação da Presidência da República (Secom) pretenda instaurar critérios puramente “técnicos” na distribuição dos recursos federais. Ou seja, todos aqueles gigantes que se deram bem na ditadura, silenciaram sobre a tortura e sambaram sobre o cadáver da nossa democracia, ganham um troféu do governo.

É como se, terminada a II Guerra, o governo alemão resolvesse distribuir suas verbas publicitárias para o canal com maior público, ou seja, independente se fosse nazista ou não.

Não quero rechaçar os critérios técnicos. Entendo perfeitamente que a Secom precise deles. Mas eles precisam ser equilibrados pelo bom senso, pela compreensão das circunstâncias históricas, e pelo princípio do pluralismo. É preciso entender qualquer órgão de mídia como um agente político. O mito da imparcialidade deve ser enterrado bem fundo, porque é a maior mentira do pós-modernismo brasileiro.

Não é justo que o governo direcione mais da metade dos recursos publicitários para as Organizações Globo. E não só isso. É uma questão de acúmulo. Se uma empresa recebe R$ 500 milhões num ano, isso a ajuda a se fortalecer e se posicionar no mercado, facilitando a captação de anúncios privados. Se a mesma empresa recebe R$ 500 milhões durante um longo período de tempo, ela se torna uma potência, com poder de engolir seus concorrentes menores. A própria Secom informa que a Globo recebeu mais de R$ 6 bilhões em publicidade federal apenas nos últimos 10 anos.

Eu moro no Rio de Janeiro, onde o Globo, além de quebrar seus concorrentes locais, também engoliu todos os jornais de bairro. Ou seja, a segunda maior cidade do país vive o mais absoluto monopólio midiático no segmento de jornalismo de opinião, o que evidentemente nos causa um enorme dano cultural. Mesmo São Paulo vive uma situação melhor, porque tem dois jornais. Os dois são conservadores, mas são dois, concorrentes entre si, e um sempre pode divulgar uma atividade cultural com receio de que o outro o faça antes. Aqui no Rio, nem isso.

As maldades na área de comunicação, porém, vão além do cínico tecnicismo da Secom. Um amigo que trabalha no Senado me liga para pedir auxílio numa quixotesca luta para salvar a Voz do Brasil, o programa radiofônico público mais antigo do país. Senado e Câmara aprovaram a flexibilização do seu horário, o que, na prática, o jogará para as horas mais vazias da noite, esvaziando-o completamente.

Mais uma vez, o lobby dos grandes grupos de mídia venceu.

O meu amigo informa, contudo, que há uma chance: a equipe do senador Roberto Requião (sempre ele) escreveu um Projeto de Lei “tombando” a Voz do Brasil, incluindo aí o seu horário. Essa lei anularia a outra. O projeto foi parar nas mãos da senadora Ana Rita (PT-ES), mas esta foi orientada, segundo meu amigo, pelo Ministério das Comunicações, a bloquear o projeto como inconstitucional.

A equipe do Requião insiste com ela de que o projeto é perfeitamente constitucional, e a situação agora está nesse impasse.

Segundo minha fonte, a maioria dos deputados, sobretudo do baixo clero, é a favor da Voz do Brasil, porque é o único meio pelo qual podem expor seus projetos ao grande público nacional, mas têm medo de se manifestar em virtude do lobby dos grandes grupos. Mas se o projeto – de tombamento da Voz do Brasil – for a votação, ele tem chances de ser aprovado, e teremos salvo um bem público.

Por fim, há ainda uma outra “maldade” em curso: o Ministério das Comunicações tenta acabar com as rádios AM. Como todas as rádios serão digitalizadas, Paulo Bernardo defende a conversão de todas para FM, ao invés de criar também uma faixa digitalizada para AM, como existe em tantos lugares do mundo. A medida, porém, significaria o fim da maioria das pequenos rádios AM, em função da necessidade de equipamentos mais caros. Será mais um golpe contra a pluralidade informativa no país.

Leia também:

Altercom: Relatório da Secom confirma concentração de verbas

 

Apoie o VIOMUNDO

Crowdfunding

Veja como nos apoiar »

O lado sujo do futebol

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Entre os mais vendidos da VEJA, O Globo, Época e PublishNews. O Lado Sujo do Futebol é o retrato definitivo do que acontece além das quatro linhas. Um dos livros mais corajosos da história da literatura esportiva, revela informações contundentes sobre as negociatas que empestearam o futebol nos últimos anos. Mostra como João Havelange e Ricardo Teixeira desenvolveram um esquema mafioso de fraudes e conchavos, beneficiando a si e seus amigos. Fifa e CBF se tornaram um grande balcão de negócios, no qual são firmados acordos bilionários, que envolvem direitos de transmissão e materiais esportivos. Um grande jogo de bolas marcadas, cujo palco principal são as Copas do Mundo.

por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet.

Compre agora online e receba em sua casa!

 

62 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Franklin Martins: “Governo tem que liderar debate sobre telecomunicações” - Viomundo - O que você não vê na mídia

26/05/2013 - 01h19

[…] Miguel do Rosário: Governo Dilma golpeia a Voz do Brasil […]

Responder

Edson Araujo

28/04/2013 - 09h30

A maioria das pessoas houve a hora do Brasil porque não a alternativa no horário (é o meu caso). Pra quem gosta de ouvir, flexibilizando o horário continuara ouvindo, ou não?

Responder

Senadora Ana Rita: Em defesa da Voz do Brasil - Viomundo - O que você não vê na mídia

26/04/2013 - 19h37

[…] Miguel do Rosário: Governo Dilma golpeia a Voz do Brasil […]

Responder

Roberto Locatelli

26/04/2013 - 19h17

Está chegando a hora de surgir, no Brasil, um partido de esquerda. Enquanto ele não surgir, o PT é a alternativa que temos.

A Blogosfera contribuirá fortemente para o surgimento desse partido.

Responder

    Lu Witovisk

    27/04/2013 - 10h31

    É Locatelli e tem q ser esquerda de verdade, pq esse misto com a direita midiatica e a cristã não tá dando

João Vargas

26/04/2013 - 18h49

Deveria, em primeiro lugar, ser feita uma pesquisa para saber quantos brasileiros ouvem a voz do brasil.Desconfio de que não são muitos não. Baseado nesta pesquisa o governo poderia decidir se vale a pena mantê-lo ou não.

Responder

    Lu Witovisk

    27/04/2013 - 10h32

    vá para a roça e ouça! o povo trabalha ouvindo radio AM e na hora da Voz tá todo mundo ligado!

Mário SF Alves

26/04/2013 - 18h36

Respondendo ao Tiago:

“Hm…faz sentido. Não obstante, se o(s) governo(s) atuasse(m) para corrigir as questões e problemas dessas regiões, não seria, talvez, uma propaganda mais eficaz que a nossa não tão querida Voz Do Brasil?”
____________________________________
A questão é saber qual o governo no Brasil teria poder pra de uma só penada fazer isso. Ainda que houvesse concordância da pior elite do mundo, ainda assim ia ter de concordar com obras superfaturadas o tempo todo.
_____________________________________________
Bom, a não ser que por governo, entenda-se governo dos EUA. Aí, não haveria nem perhaps, a tal elite automaticamente abaixaria o cabeção.
____________________________________________________
Espero ter lhe ajudado.

Responder

FrancoAtirador

26/04/2013 - 02h17

.
.
Há um problema que é enfrentado por brasileiros ouvintes de rádio em alguns estados que não estão no mesmo fuso horário de Brasília (UTC -3) e que não recebem o programa de rádio A Voz do Brasil nas convencionais 19 horas da Capital Federal, além do fato que em determinadas localidades do interior simplesmente não há emissoras de rádio locais, tendo o ouvinte interessado que buscar a sintonia de uma emissora de fora até da região para escutar o programa.

A questão seria relativamente simples e de fácil resolução:
bastaria permitir exclusivamente aos municípios onde não é adotado o horário de Brasília, que se reproduzisse o programa A Voz do Brasil conforme o fuso horário correspondente. Assim não se descaracterizaria a tradição do programa e se resolveria uma demanda regional legítima.

Pois foi precisamente isso que o deputado federal Rogério Carvalho, do PT de Sergipe, pretendeu com a apresentação do Projeto de Lei nº 3612/12 (http://bit.ly/180C9UM), estabelendo que a transmissão do programa A Voz do Brasil “observe o horário local do ouvinte”.
E foi no dia 10 de abril próximo passado que o projeto foi REJEITADO pela maioria dos membros da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara dos Deputados.

Isto demonstra que, na verdade, não há interesse público da maioria dos deputados membros dessa Comissão em buscar uma solução razoável para a questão, mas sim que a Mídia Bandida (MB) está querendo mesmo é tirar proveito dessa disputa regional para exibir A Voz do Brasil no horário que mais lhe convém, ou seja, às 19 horas de Júpiter (http://bit.ly/14UhseB).

Por isso, a MB voltará à carga com o PL 595/2003 (http://bit.ly/JYeOUV), de autoria da bem intencionada, porém não muito perspicaz, deputada do PCdoB do Acre Perpétua Almeida, que “flexibiliza a retransmissão do programa ‘A Voz do Brasil’ no horário compreendido entre as 19h30 e 00h30 horas; estendendo a obrigatoriedade de transmissão às emissoras de televisão”.

Os abutres midiáticos já estão revoando de olhos atentos, pois o projeto está pronto para ir à votação no Plenário da Câmara.
.
.
Flexibilização da Voz do Brasil é rejeitada

Projeto de lei que pretendia tornar variável o horário de transmissão da Voz do Brasil de acordo com fuso horário não passa em comissão

Por Saulo Cruz, da Agência Câmara, via Meio e Mensagem

Foi rejeitado o projeto de lei que pretendia flexibilizar o horário de transmissão do programa oficial A Voz do Brasil.

Com a decisão da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática, tomada na quarta-feira 10 e divulgada nesta sexta-feira 12, o projeto deve ser arquivado.

De acordo com o PL 3612/12, do deputado federal Rogério Carvalho (PT-SE), o programa A Voz do Brasil seria veiculado de acordo com o horário local do ouvinte.

Hoje, o programa vai ao ar às 19 horas, mas as diferenças de fuso impedem que muitos brasileiros o ouçam, já que existem regiões com diferenças de até duas horas em relação ao horário de Brasília e, segundo o deputado, muitas vezes os ouvintes ainda estão no horário de trabalho.

O projeto foi apresentado no primeiro semestre do ano passado e a análise da comissão foi em caráter conclusivo.

O programa está no ar há mais de 75 anos, uma hora de duração e está distribuído entre notícias do Poder Executivo (25 minutos), Judiciário (5 minutos) e Legislativo, com informações do Senado e da Câmara Federal (30 minutos). Os 25 minutos do Poder Executivo são produzidos pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC).

Outro projeto que tem como objetivo liberar o horário de transmissão do programa tramita na Câmara. O PL 595/2003 está pronto para ser avaliado pelo plenário, após passar pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, em agosto de 2011. No ano passado, o ministro das comunicações Paulo Bernardo afirmou a proprietários de rádio que o projeto era prioritário para o governo, mas recuou na semana seguinte. De acordo com esse projeto, as emissoras de rádio ficariam livres para transmitir o programa oficial no horário que escolhessem.

(http://www.meioemensagem.com.br/home/midia/noticias/2013/04/12/Flexibilizacao-da-Voz-do-Brasil-erejeitada.html)
.
.
MAPAS DOS FUSOS HORÁRIOS BRASILEIROS


SEM HORÁRIO DE VERÃO


COM HORÁRIO DE VERÃO

Fonte: OBSERVATÓRIO NACIONAL, em: http://pcdsh01.on.br

Leia também: (http://pt.wikipedia.org/wiki/Fuso_hor%C3%A1rio)

Responder

Bernardino

25/04/2013 - 22h55

Jayme VASconcelos,que analise de pontaria certeira no peito da D DILMA,voce o fez com inteligencia,vigor,coragem e justeza como um desabafo.
Será que a d DILMA ou seus auxiliares nao leem os Blogs em particular o do AZENHA e Conceiçao.Ate parece que ela nao tem um atomo de sensibilidade pra sentir que esta contrariando aqueles que por ela fizeram CAMPANHA aqui e nos outros blogs.deixa estar jacare QUE O VERAO VAI CHEGAR,QUERO VER A LAGOA SECAR!!!!!!!

Responder

Mário SF Alves

25/04/2013 - 20h38

Tudo isso por enquanto. Porque o que está em jogo mesmo é arrancar não só a voz, mas também a garganta do Brasil. E assim impedí-lo de vez de liderar e/ou influenciar o movimento de emancipação da América Latina.

Responder

    Valmont

    26/04/2013 - 00h00

    Pois é, companheiro. A voz do Brasil foi arrancada há décadas e permaneceremos sem ela indefinidamente, enquanto os capatazes dos marinhos continuarem mandando no governo Dilma.
    Deplorável!…

JORGE

25/04/2013 - 19h53

O melhor a dizer é FORA BERNARDO e ACORDA DILMA.

Quem alimenta MONSTRO corre o risco de virar COMIDA.

Responder

Bonifa

25/04/2013 - 18h52

É um círculo vicioso. O Governo precisa anunciar na Globo ou não será visto ou ouvido. E ao anunciar, aumenta o poder de monopólio das Organizações Globo. O que o Governo precisa, diante deste dilema, não é de se embiombar por trás da falácia estúpida de que estaria cumprindo alguma racionalidade técnica. O que está faltando ao Governo é, na verdade, pensar e agir políticamente sobre esta questão, criando e estimulando condições para que a opinião pública se liberte desta escravização ao pensamento único da Globo. Para isso, para pensar politicamente sobre isso, o Governo deve se afastar da ingênua posição de que sua secretaria ou seu ministério próprio deva cuidar com exclusividade desta questão. Para isso, o Governo precisa dar ao assunto uma prioridade intergovernamental, ou supragovernamental, e um encaminhamento muito especial, que é o que o assunto merece.

Responder

    Jotace

    25/04/2013 - 23h29

    Caro Bonifa,

    De acordo apenas com uma parte do seu comentário porque você acha mesmo que Dilma e Lula (agora o bafejado analista do Times) não sabiam disso? Entregar a um banqueiro o Ministério das Comunicações é como nomear a raposa para guardar o galinheiro. Os (des)governos petistas cometem sempre a antítese dos que governam para os seus povos como o faz, por exemplo, Rafael Correa, …Mas, para satisfazer as justas queixas, quando estivermos mais próximos da eleições, para enganar os eleitores, o Paulo Bernardo será substituído por alguém para esse fim mais conveniente. E continuaremos a guinchar contra o PiG, quaisquer que sejam os resultados delas, caso não surja alguém como REQUIÃO com a honestidade de propósitos e a coragem que sempre o caracterizaram…Você duvida?

    Jotace

    26/04/2013 - 00h54

    O CONTRAGOLPE DE RAFAEL CORREA

    Excelente o artigo do Miguel do Rosário, como ademais os pronuncimentos da esmagadora maioria dos comentaristas que despertou. A propósito do tema que em tão boa hora se discute aqui mais uma vez, é imperdível a entrevista do Presidente Rafael Correa concedida desta feita à Jornalista Ana Ibañez na TV espanhola La Noche en 24h, neste dia 24 de abril.

Celso Carvalho

25/04/2013 - 18h33

O SECOM adotou as mesmas normas de distribuição publicitária dos governos de São Paulo, Minas, Goiás e Paraná. Houve uma tranfusão de sangue no PT. O doador compatível foi o PSDB.

Responder

Sr.Indignado

25/04/2013 - 18h21

O Paulo Bernardo é um indicador, enquanto ele estiver no governo, alguma coisa sempre irá cheirar mal.

Responder

    André Dantas

    25/04/2013 - 20h08

    E quem nomeou e mantém o Bernardo?

francisco de paula leite

25/04/2013 - 17h35

Afinal o que diabos este governo quer? Encher os bolsos da globo já o fez e continua fazendo. Coloca um bocó para ministro das comunicações que não comunica coisa alguma.
Manda estes caras liberarem o estacionamento. Não se faz política para desagregar companheiros. Apenas este governo, tem a coragem de bater em seus próprios filhos para alegria de sua oposição.

Responder

Roberto Marçal Ferreira

25/04/2013 - 17h26

É com tristeza que recebo a informação de que o programa “Hora do Brasl” será flexibilizado. É um retricesso.

Responder

Jayme Vasconcellos Soares

25/04/2013 - 16h59

Se fosse listar o número de medidas da Dilma e do PT contra o povo brasileiro, poderíamos dizer que Silvério dos Reis traiu menos! Que vergonha dona Dilma! O seu governo é covarde, traidor e mentiroso. Mas as eleições de 2014 vêm aí! E não pense que o povo será de novo enganado. pela campanha midiática conservadora que, você supõe, a ajudará! As taxas de aprovação de seu governo, divulgadas pela mídia de direita, não correspondem à verdade, e visam cooptá-la, de modo a continuar a receber as benesses das verbas de publicidade fartas, imoralmente distribuídas para estes veículos de informação.

Responder

lando carlos

25/04/2013 - 16h43

paulo bernado gleisi hoffman casal a favor do capital internacional alguem tem duvidas………….?

Responder

Maria Rita

25/04/2013 - 15h56

Dilma, acorda, a Voz do Brasil é a ‘banda larga” das populações mais pobres. E olha que é uma forma de se informar sem interagir. Não é internet, mas também não é denorex, a comunicação que não parece ser mas é. A única praticamente.

Responder

    renato

    25/04/2013 - 18h15

    Jesus!Parabéns! Não podia falar melhor do que isto!
    É melhor que o Café com Presidente!
    Que você escuta e não come nada!

Elias

25/04/2013 - 14h36

A minha impressão é que apesar de há tantos anos a sigla PIG surfar nas ondas da blogosfera, o governo encabeçado pelo PT não se dá conta da cama de gato que se prepara contra ele. Ministro que não tem coragem de enfrentar Globo e PIG de modo geral, deveria ouvir a sugestão do capitão Nascimento: “pede pra sair”. E se Dilma está com o ministro, nem precisa pedir nada, 2014 a fará sair sem pedir. Ou não. Mas…

PS: Meu voto ainda é em Dilma. Se bem que ando meio acabrunhado.

PS 2: Estou com Requião. A Voz do Brasil deve ser tombada como patrimônio cultural brasileiro.

Responder

claiton

25/04/2013 - 14h18

Recentemente o TSE julgou e definiu que o cargo de parlamentar é do partido. Definição esta, tomada por julgamento ocorrido em plenário composto de todos os seus representantes. O STF convalidou em julgamento esta definição. Perante a justiça ficou determinado que o cargo de parlamentar pertença ao partido.
Nestes julgamentos ficou definido que o parlamentar só pode mudar de partido em duas opções possíveis: 1 – em caso de transferência para a fundação de outro partido; 2 – por justa causa comprovada.
Porem em nenhum momento, tanto o TSE quanto o STF fez qualquer menção, definição, possibilidade, sugestão, ou qualquer outra posição tomou relativa, que a saída do parlamentar de um partido para outro, fosse agraciado com os recursos financeiros e tempo de televisão. ISTO PORQUE É EXPLICITO QUE QUEM PROPORCIONOU O GASTOU FINANCEIRO E TEMPO TELEVISIVO PARA A ELEIÇÃO DO PARLAMENTAR FOI O PARTIDO PELO QUAL ESTAVA FILIADO E FOI ELEITO. Portanto não cabe qualquer revindicação destas duas naturezas ao dissidente. Que o novo partida à que se filiou cubra suas necessidades financeiras e de tempo televisivo que venha a precisar em uma nova eleição.
O novo partido, quando muito, pode e deve receber a cota mínima de recursos financeiros e tempo de televisão que é proporcionado a todos os partidos na cota compartilhada.
Não é justo que um partido recém- fundado que nunca participou de uma única eleição, portanto nunca convalidou ( contribuiu ) com a eleição de um único parlamentar receba benesses financeiras e tempo televisivo maior que os já formados.

Responder

Geysa Guimarães

25/04/2013 - 13h34

Deveria abaixar a voz da Globo, isto sim.
Quando vejo esse ministro, meu dilmismo entra em dúvida atroz.

Responder

    Marcelo de Matos

    25/04/2013 - 13h58

    Penso que é ingenuidade cobrar “atitude” do ministro Bernardo. Seria possível um ministro do PT bater de frente com os grandes grupos de comunicação? Como diz o pessoal de RH, cada cargo tem um perfil. O de Ministro das Comunicações implica entendimento com as teles porque elas é que farão os investimentos e as mudanças tecnológicas necessárias. O estado brasileiro, ou se preferirem, a CF estabelece o protagonismo da iniciativa privada, ou, quando não, das parcerias público-privadas. Não há como tergiversar. Em 1945, ao sair da prisão, Luiz Carlos Prestes era o homem de maior prestígio no Brasil. Se quisesse, poderia ter sido eleito presidente. Ao invés disso fez com que o PCB apoiasse a candidatura de Yedo Fiuzza que, evidentemente, perdeu. Prestes era inteligente e sabia que, se eleito, não conseguiria governar batendo de frente com os partidos da elite. O ministério das comunicações e a CBF são mais ou menos assim: sem respaldo dos poderosos ninguém esquenta a cadeira.

Bernardino

25/04/2013 - 13h17

QA QUE PONTO chegou a COVARDIA dessse governo pra mim trata-se de um caso patologico ja que sou da area de saude e entendo um pouco.A VOZ do Brasil um simbolo nacional a unica maneira de se cobrir o nosso territorio sem ajuda da Imprensa CANALHA,Sinceramente,nao votarei mais na D DILMA eos esquerdinhas do governo.Ontem no jornal canalhal vi a sra GLEISE HOFFMAN se derretendo em explicaçoes na defesa das privatizaçoes dos portos.Ela é mais uma imcompetente e despreparada desee governicho ao lado do Cardoso,Bernardo e a tal da Helena Chagas,embaixadora da Globo na tal SECOM

Quero fazer um registro de coerencia e justiça ao Prefeito HADDAD quando recebeu em seu Gabinete o Joao Pedreo stedile,fazendo comvenio com o MST para suprir e fornecer alimentos para merenda escolar das escolas municipais.O HADDAD nao foge da raia nem da satisfaçao Á midia Bandida com toda educaçao que lhe é peculiar,porem firme em atitudes.Ele foi com certeza a melhor acertada do LULA ja que os ministros do supremo e a D DILMA deixam muito a desejar.Felicidades e sorte ao Prefeito que está motivado pra acertar!!!!!!!!!

Responder

Marcelo de Matos

25/04/2013 - 13h06

Grande Miguel. É um prazer vê-lo por aqui. Não sou adepto de Voz do Brasil, nem ligado em rádio, que para mim é uma mera alternativa para a vitrola, que ainda conservo com a coleção de LPs de MPB. Sim, sou conservador, gosto de coisas antigas, mas, Voz do Brasil já é demais. O meu rádio fica ligado na Nova Brasil FM e, no horário da Voz do Brasil, coloco um pen drive. O noticiário dos três poderes pode ser veiculado na TV ou na internet. A TV Justiça tem uma boa programação. A TV do Executivo precisa melhorar. Inclusive precisa ficar entre os treze canais abertos e não perdida lá em cima. Como está a gente se esquece de ligar. O rádio AM é dose, não? Penso que o rádio deveria ter um código para acesso da estação preferida pelo ouvinte, estivesse ele em qualquer parte do mundo. Se vou para o interior, basta andar 100 Km que só consigo pegar música sertaneja e entrevista com políticos da região. Somos forçados a ouvir o que esse pessoal quer que ouçamos. Claro que poderia ouvir a Nova Brasil no notebook, mas, o som é precário.

Responder

Willian

25/04/2013 - 11h46

Se dependesse deste pessoal, a passagem da Era da Pedra Lascada para a da Pedra Polida teria demorado mais alguns milhares de anos.

Responder

    abolicionista

    26/04/2013 - 00h01

    Tem razão, o conservadorismo atravanca o desenvolvimento do país.

Ramalho

25/04/2013 - 10h57

As relações cúmplices entre o governo americano e órgãos da grande imprensa de lá, órgãos que tradicionalmente acobertam nos seus escritórios no exterior e, também, em solo americano, espiões e agentes de informação governamentais, são denunciadas por Amber Lyon, ex-repórter da CNN. Diz ela textualmente: “CNN é paga pelo governo dos Estados Unidos para noticiar alguns eventos, e não noticiar outros. A Administração Obama paga pelo conteúdo da CNN” (“… CNN is paid by the US government for reporting on some events, and not reporting on others. The Obama Administration pays for CNN content”), e eu não vi resposta da CNN.

Neste link (http://www.youtube.com/watch?v=PoNxRV71kXw) há vídeo com as denúncias (de 09/10/2012), e, neste outro, (http://beforeitsnews.com/blogging-citizen-journalism/2012/10/cnn-exposed-emmy-winning-former-cnn-journalist-amber-lyon-blows-the-whistle-2444190.html) notícia da denúncia (há outros locais com a denúncia).

Do ponto de vista brasileiro, é bom saber que o governo americano compra a imprensa para tornar a opinião pública americana (e mundial) tolerante com suas ocupações, torturas e matanças no exterior (nós fazemos parte desse “exterior”), como pode ser verificado na denúncia.

A cumplicidade imprensa-governo nos EUA explica também certas “eleições” das “most influencial people in the world”, mesmo a de Lula (pois era a liderança latino-americana de esquerda mais moderada na época em que foi eleito, e, portanto, interessava aos americanos levantar a bola dele), e, agora, a de Barbosa (o verdugo da esquerda brasileira que, por isso, interessa ao governo americano enaltecer). Como a imprensa brasileira é laudatória subservientemente à imprensa americana (aliás, a tudo que venha de lá), a baboseira eleitoral assume importância que não tem, e a opinião pública acaba sendo manipulada.

Responder

    renato

    25/04/2013 - 19h14

    Requião, por algum motivo, esta plantando seus
    discursos, daqui a pouco teremos novidade.Boas
    é claro!
    Ruim para alguém, por certo!

jaime

25/04/2013 - 10h32

Mídia? Perguntem ao Requião como se faz. E outros assuntos, como concessões, PPPs, enfim, PRIVATIZAÇÕES, também.

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=a076UqAY4Uc

Responder

Julio Silveira

25/04/2013 - 10h22

Esse governo Dilma está se revelando de uma incompetência só comparada a dos tempos do FHC, pra minha decepção. Sinto muito ter que reconhecer isso. foi inspiração do Lula, mas parece que se inspira no FHC de tantas semelhanças. Essa compulsão pela defesa de privilegiados midiaticos, é só mais uma faceta. Desconhecer a forma de crescimento financeiro imoral desse poder midiatico, nivelando-os com aqueles que batalham um crescimento e uma inserção dignas, discursando critérios tecnicos chega a ser ridiculo. É como reconhecer a força empresarial de mafiosos que consquistaram seu poder através de formas imorais e em função desse poder conquistado os anistiam e esquecem seus metodos, zerando seu passado. Esquecem suas origens e ainda dão-lhes as mesmas prerrogativas dos que lutam dentro de normas éticas de conduta empresarial.
Estão trabalhando para beneficiar a concorrência desleal e pior dizendo que isso é pelo bem da cidadania. Inversão de valores.

Responder

Tiago

25/04/2013 - 10h17

Amigos, qual é a necessidade de existir a “Voz Do Brasil”?

Responder

    Julio Silveira

    25/04/2013 - 11h01

    Não se trata de voz do Brasil meu caro lerdo, se trata de poder e interesses.

    Maria

    25/04/2013 - 11h21

    É o único contraponto ao noticiário uniformizado do PIG. Tambem virei fã da Voz do Brasil. Não ao monopólio. Pela deversidade de informação. Dilma, gosto muito de você, mas por favor, esse ministro da comunicação está de coluio com a Globo. Mande ele embora. Você sempre obedece ao PIG quando este exige a demissão de ministro, aumento de juros, etc. Escute um pouco aqueles que votaram e lutaram pela sua eleição, demita essa turma do ministério das comunicações.

    Gerson Carneiro

    25/04/2013 - 12h09

    Para saber qual é a necessidade de existir a “Voz Do Brasil”, caro Tiago, é preciso conhecer um mínimo dos grotões do Brasil constantes dos romances de Guimarães Rosa, Ariano Suassuna… e por aí.

    Tiago

    25/04/2013 - 12h18

    Hm…faz sentido. Não obstante, se o(s) governo(s) atuasse(m) para corrigir as questões e problemas dessas regiões, não seria, talvez, uma propaganda mais eficaz que a nossa não tão querida Voz Do Brasil?

    Paulo

    25/04/2013 - 14h06

    Nenhuma! Lá nos grotões, aonde 99,9% destes que aqui emitem opiniões à rodo sem terem nunca pisado, a brincadeira mais séria e que é a pura verdade é:

    “Voz do Brasil, aquela que ninguém nunca ouviu!”

    Ou

    “Voz do Brasil, a hora em que todos os brasileiros juntos desligam o rádio!”

    ———-

    Pelo teor do texto e pela lead, fica claro que a Voz do Brasil foi só uma alavanca para meter o pau na “mídia golpista” e apoiadora do golpe de 1964, que, ironicamente, foi um dos beneficiados por esta ferramenta de comunicação.
    Obviamente, em outras ondas e era, mais sua do que nossas (já somos velhacos), a atratividade deste mercado e canal pulverizado, a assincronia da internet, jogará tudo para o túmulo da história.

    Boa sorte e não se esqueça de enterrar os inimigos do passado para começar a construir um futuro, que a maioria daqui nem imagina como pode ser!

    renato

    25/04/2013 - 18h30

    Se depender de você, (facebookboy leitor de Wikipédia). Não teremos futuro!
    Acredite, quando apagar seu PC ou o diabo, você não vai conseguir
    virar o botão do rádio amador!
    Ou também não sabe o que é isto.
    Ou não sabe onde é a transmissão da voz do Brasil, guri
    esperto!

Euler

25/04/2013 - 09h55

Quando é que a ingênua “esquerda” (com aspas) no governo federal vai descobrir que a mídia é O PRINCIPAL e mais forte poder dos tempos atuais? E que essa questão não pode ser tratada com a fraseologia oca da ameaça à “liberdade de imprensa”. Ameaçados estamos nós, cidadãos comuns, privados do direito de manifestar nossa opinião, já que a mídia é controlada por meia dúzia de famílias serviçais dos piores interesses.

Todas as políticas de rapina do império norte-americano (invasão do Iraque, do Afeganistão, financiamento dos golpes de estado em todo o mundo) são feitas com o apoio de uma OPINIÃO PUBLICADA pelas redes de comunicação privadas, que são financiadas pelo governo e por poderosos grupos econômicos que controlam o poder político de fato.

Na Venezuela, se não fosse a intervenção do estado para criar TVs próprias e controlar as TVs e rádios privadas, os chavistas já teriam sido expulsos do governo e do país. Mas aqui no Brasil parece que o PT gosta de apanhar. O dia que o PT perder o governo federal, não sobrará mais nada para defender, pois os meios de comunicação continuam monopólio da mesma “irmandade” da ditadura e dos tucanos.

Sem a democratização dos meios de comunicação, inclusive com a presença estatal – para se contrapor aos monopólios privados -, não se consegue realizar nenhuma reforma séria neste país. A reforma agrária foi enterrada; a reforma política não sai do papel – e quando sair provavelmente será para piorar; não há participação popular organizada para controlar as políticas sociais, como o Minha Casa Minha Vida, que foi entregue à especulação imobiliária, que obtém grandes lucros em cima dos assalariados, etc.

Responder

josé maria de souza

25/04/2013 - 09h54

Afinal, de onde surgiu este Paulo Bernardo?
É funcionário (disfarçado de ministro)da globo?
josé maria

Responder

abolicionista

25/04/2013 - 09h45

Mais uma ação do governo Dilma no combate à democracia. Triste ver o PT jogando sua história de lutas no lixo.

Se Ana Rita e Paulo Bernardo decidissem se casar, a cerimônia seria transmitida na Globo em horário nobre e a Dilma faria as vezes de cônego. Em vez de hóstia, uma bolachinha com o emblema da Globo. Todos de fraque, bebendo champanhe francês. Do lado de fora, a legião de miseráveis, fortemente cercada pela polícia público-privada, ergueria loas ao céus, comovida com a beleza daquela ocasião. Galvão Bueno derramaria uma ou duas lágrimas por viver num país tão belo e com canapés tão gostosinhos. A presidenta, enternecida, abriria um sorriso eficiente e abençoaria o casal em nome do progresso.

Responder

renato

25/04/2013 - 09h40

Na Escola. em 2020.Logo aí viu – 2020.
Prof- Pedrinho,o que te lembra a expressão
Voz do Brasil.
Pedro- Humm!… Aquela banda que canta o LEK TEC.
Prof – (forçando os lábios diz), bom! e Qual as cores de nossa
Bandeira?
Pedro- Preta e Branca, e roxa, com um globo no meio.
Prof – Bom Pedrinho, e agora para ganhar um dois e passar de ano!
….Fica para vocês terminarem!

Responder

Narr

25/04/2013 - 09h27

O mais lindo de tudo vai ser a transmissão ao vivo, em rede nacional pela Globo, da posse do presidente Aécio Neves, da invasão da PF à sede nacional do PT, à prisão de Lula e Dilma, da privatização da Petrobrás e do BB, tudo isso sob o patrocínio de…

Responder

    mineiro

    25/04/2013 - 10h49

    esta ultima ai citada merece , merece porque é traidora e vai entregar o poder de vez para a direita ,essa maldita traidora é da direita.

Mardones

25/04/2013 - 09h26

Mais uma vez, eu reforço que as palavras foram muito polidas para a seriedade do problema. Semana passado li um artigo do Tasso Genro sobre a aumento da taxa Selic e da tranferência de recursos que essa decisão inadequada do governo federal causa em favor dos rentistas. Eram também palavras bastante polidas para um assunto pra lá de sério.

O governo Dilma vem tomando medidas que deixariam José Serra em péssima situação com os progressistas. Mas, como é o governo Dilma, há sempre muito cuidado para tentar suavizar. Vejam que sempre se fala que a medida é péssima, anti democrática, mas há sempre o atenuante de ser um governo que tem progressos em utras áreas.

Assim, o PT vai fazendo concessões (em moldes iguais aos das privatizações), mantendo todos os apoiadores da ditadura e recebe críticas suavez. E apoio como o melhor no cenário atual.

Responder

Neotupi

25/04/2013 - 09h25

É por causa dessa postura Talibã que fica difícil aprovar qualquer lei dos meios.
1) Quando a voz do Brasil foi criada não havia nem TV, nem radios Camara e Senado, nem NBR, nem internet. Acho que esse assunto de flexibilização de horário deve ser discutido mais racionalmente, com audiências públicas. Qual o real perfil da audiência no rádio do programa? Está havendo renovação de ouvintes nas novas gerações?
2) Se a tecnologia celular em 20 anos já foi trocada 4 vezes, de analógica para TDMA, CDMA, GSM, e o brasileiro se adaptou, não é possível imaginar que o rádio AM com tecnologia de 100 anos atrás não possa ser mexida, com radinhos custando R$ 20, e transmissores para rádios comerciais custando menos do que um carro popular. De novo seria interessante abrir audiências públicas.

Responder

oscar rissieri paniz

25/04/2013 - 09h18

É lamentável e escandalosa a submissão da “ex companheirada” à midia dominante. Que falta de vergonha na cara.Que falta de coragem. Com a faca e o queijo nas mãos e se acovardam. O desafio é enorme? Sim é enorme. Sobre a Hora do Brasil. Eu a escuto praticamente todos os dias. Melhorou muito em relação mesmo ao passado recente. Tu houve informações nesta hora em que não vai aparecer nas demais mídias. Estejamos atentos em ajudar.

Responder

J Souza

25/04/2013 - 08h28

Vai ver o Paulo Bernardo também liga para o Merval Pereira para receber orientações… ops, para conversar, assim como o Joaquim Barbosa…

Não acho que o governo Dilma se rendeu à mídia golpista. Acho que o governo Dilma, que representa apenas uma parte do PT, é aliado da mídia golpista! Não é a toa que esse governo é composto de Antônio Palocci, José Eduardo Cardozo, Paulo Bernardo, Helena Chagas, Alexandre Padilha…

O “outro” PT se calou, em nome da “governabilidade”, e vai “pagar o pato”… Aliás, já começou a pagar no julgamento do “mensalão”… Esse “outro” PT vai ter dificuldades eleitorais em 2014…

Responder

Ernesto Pilotto Neto

25/04/2013 - 08h05

Isso vai nos fazer lutar com mais audácia e inteligência, com parcos recursos financeiros.

Mas ao fim venceremos, graças a dedicação e nosso profissionalismo. A guerra ainda não acabou.

Responder

Gerson Carneiro

25/04/2013 - 07h41

Quando Dilma falou que não iria enfrentar a mídia eu pensei que seria apenas um não enfrentamento, e não uma rendição.

Responder

    Cleber

    25/04/2013 - 08h45

    Rendição? Estão trabalhando com eles. O maior inimigo está dentro do governo, SECOM e MiniCOM. Ele não se importa com nada mais a não ser o governo de seu estado, ou para ele ou para a esposa dele. No interior da Amazonia, muitas vezes, a unica forma de se informar é através da Voz do Brasil. Esqueçam, o Requião está sozinho nessa, e o PT? Ahh o PT, quer aparecer como bonzinho na capa da Veja e no JN. O maior inimigo da liberdade de expressão, atualmente, chama-se Paulo Bernardo.

    MariaC

    25/04/2013 - 10h03

    Cassando meu voto em Dilma definitivamente.

RicardãoCarioca

25/04/2013 - 07h18

Tratar diferentes como iguais não gera igualdade. É preciso um sistema de cotas, tal qual foi implantado no ensino superior público.

Como está, é do estrito interesse da ex-funcionária da Globo e atual ministra da Secom.

Responder

Gerson Carneiro

25/04/2013 - 06h57

Essa semana sonhei que tinha lido um post no VIOMUNDO que dizia que “Estadão e Época querem calar Dilma”.

Será este um outro pesadelo, ou o mesmo?

Responder

Evandro

25/04/2013 - 06h52

Não restam dúvidas que algo precisa ser feito pelo PT em relação so governo Dilma. Ela não pode tomar decisões sem consultar as bases.

Responder

    Fernanda Cairós

    25/04/2013 - 17h14

    Perfeito. O governo Dilma não é popular? Ela não pode decidir sem consultar o ex-presidente Lula.

Deixe uma resposta