VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Denúncias

Metri e Siqueira: A insegurança energética e o leilão de Libra


28/09/2013 - 06h35

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



20 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Hugo Siqueira

03 de novembro de 2013 às 20h06

O mesmo acontece com o “grande Gatsby” das empresas X. No momento, fogem dele como o diabo foge da cruz. Uma ajuda no momento seria “um tiro no pé”, tendo em vista as manifestações de rua. A letra “X” que já foi objeto de repúdio na privatização da Petrobrax agora ficou tão desmoralizada que a Xuxa resolveu trocar o nome para chucha, segundo Zé Simão.

Responder

Hugo Siqueira

18 de outubro de 2013 às 18h00

Esta conversa está muito parecida com aquela dos tempos do Monteiro lobato, Mr Link, Getulio Vargas. Dura de aguentar esta arenga por 60 anos e não ter suficiência em combustíveis:
Quem nos protegerá de nossos protetores?
(‘Quis custodiet ipsos custodes?’)
Não haverá surpresa alguma no leilão de Libra:
Um é Manuel, da Galp. Outro é Manolo, da Repsol, ambas são empresas minúsculas associadas à estatal chinesa Sinopec não estarão inscritas no leilão de Libra ao mesmo tempo, porque – empresas do mesmo dono – sabem da oferta de cada uma sem precisar de espionagem. Eles – que são ibéricos – que se entendam . Vence uma delas e com a Sinopec garantida. Quem nos protegerá dos nossos protetores chineses?
Daí, leva dez anos para produzir petróleo, já que a Petrobras não tem condições de bancar a exploração e os riscos.
Se já não ha interessados para Libra, quem vai interessar por outros menos promissores. De onde virá o gás para suprir termelétricas?
E a gasolina para abastecer a frota que não para de crescer? Carros retomados – por falta de pagamento – já não encontram espaço para ficarem parados. Algo está errado.

Responder

Leandro_O

30 de setembro de 2013 às 14h25

Chega a ser ridículo todo esse anseio para o leilão, porque suprirá o superávit em R$ 15 bilhões e ninguém se pergunta o porque desse gana por pelo superávit. Aliás, aliás, não seria surpresa. A política do Brasil tem sido essa há anos: exportar e exportar, não interessa o quê, contanto que se garanta superávit. Como resultado o país não desenvolve nada aqui dentro, importa a maior parte dos produtos de média e alta tecnologia e exporta commodities primários, assim como fazia séculos atrás. E ainda se perguntam por que faltam engenheiros aqui, oras!!!

Responder

    M D

    01 de outubro de 2013 às 10h46

    O País não se desenvolve nada? Você está bem informado?
    Recuperamos a indústria naval e o parque industrial!
    Se não nos desenvolvemos mais é por culpa do empresário que quer retorno alto e rápido.
    Por que das nações mais desenvolvidas o Brasil é o único sem uma indústria automobilística própria? Até a China tem!
    Tudo tem que depender do governo?
    Crédito não falta, mas depende de planejamento de longo prazo, investimento em tecnologia, etc. E isso demanda tempo.
    Se a Petrobrás não fosse estatal, estaríamos a ver navios, e dos outros apenas!Teríamos descoberto o pré-sal? Nâaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaao!

Mardones

30 de setembro de 2013 às 10h24

Eu tenho lido muitos artigos do Paulo Metri e acho que as ponderações dele são importantes. Por mais complexo que seja esse assunto a falta de clareza quanto aos benefícios sociais desse leilão é que deixa dúvida de sua necessidade. Outro fato que me chamou a atenção foi a atitude do Min Lobão em tirar o TCU do jogo. Não é um bom sinal.

Responder

Saçuober

30 de setembro de 2013 às 09h14

Embora concorde com vários pontos de vistas dos expositores e do sindicalista, no final foi dito que vários países entre eles os EUA, não tinham assinado o tratado da soberania brasileira sobre as 200 milhas, considerar isto um fato irrelevante é ingenuidade.
Outra ingenuidade é perfurar 100 poços para mensurar e certificar, elaborar plano estratégico, para posteriormente explorar, qual o tempo e recursos necessários?
Este tempo de pesquisa e estudo não servirá para orquestração da mídia e um retorno dos entreguistas para baterem mais uma vez o martelo.
A população carente necessita de mais, se não for atendida, rapidamente acreditaram nas pregações do pig, retornaremos ao comando novamente ao comando dos entreguistas.
O pig fez e faz uma campanha contra a Petrobrás, uma parte de ex e funcionários da Petrobrás, leitora assídua do pig colabora com as informações do pig, a petrobrás sózinha nesta empreitada será aniquilada, mais um motivo para o pig e os entreguistas alardearem a incompetência de empresas públicas.
A Petrobrás está com um endividamento elevado, tambem terá dificuldades para obter recursos, ela tambem não é uma empresa genuinamente pública, o governo não pode injetar recursos públicos a vontade.
Existe situações em que se precisa de parceiro, esta é uma.

Responder

Hildermes José Medeiros

30 de setembro de 2013 às 08h16

Venho acompanhando a discussão entre áreas no geral nacionalistas, à esquerda e muitas à direita sobre a realização ou não do leilão de Libra. De minha parte, não tenho dúvidas quanto ao acerto do Governo em realizar o leilão no próximo dia vinte e um de outubro, bastando duas razões: os americanos ficarem fora de participar do certame, possibilitando chances de serem os sócios da Petrobras no consórcio a ser criado para desenvolver Libra aos chineses, que não são imperialistas e estão à procura, mais de garantir seu abastecimento de petróleo, que é perfeitamente válido, dispondo de recursos, diz-se até para financiar parte dos aportes da Petrobras em bases vantajosas; não fazer o leilão impactarão os planos e programas do Governo, que conta com os prováveis e fartos recursos que logo advirão da produção de petróleo no campo de Libra,que proporcionarão milhares de empregos e recursos para importantes projetos da União. Claro que é percebido que esses adversários do leilão de Libra, nacionalistas e de esquerda, que não está em discussão, e muitos da direita mesmo, estes abertamente contrários ao Governo, mas todos opositores interessados em criar obstáculos, porque não dá para acreditar que possam estar desinformados quanto aos problemas que serão criados principalmente para a Petrobras que dizem defender, que terá de abandonar ou retardar projetos para fazer um menor desenvolvimento de Libra, com forte endividamento junto a bancos americanos e europeus que levarão parte do petróleo trasvestido em juros, comprometendo seu patrimônio, assumindo todo o risco do negócio, que a alternativa evitaria, com a nada desprezível possibilidade de ainda ter parte dos recursos vindas das petroleiras sócias, além de suas suas responsabilidades de participações no empreendimento. Não me parece que os opositores estejam na realidade pugnando por questões de nacionalismo, mas muito mais atuando no sentido político. É uma falsa questão nacionalista, porque o monopólio estatal através da Petrobras no regime da 2004 não mais existe, e a opção dentro da lei do pré-sal, que resgatou o controle do país sobre a exploração e produção nessa área, impondo inclusive o regime de participação, não obriga a solução que preferem, e a escolhida pelo Governo se impõe nas circunstâncias e oportunidade, e não tem nada de entreguista, pelo contrário, preserva o interesse do país e da Petrobras.

Responder

    M D

    01 de outubro de 2013 às 10h52

    Muitos dos que são contra não sabem que o modelo não é mais de concessão , e sim de partilha, e que está sendo criada uma empresa PPSA, estatal, que vai ser responsável pelo pré-sal . E além disso, estão pensando de forma ideológica e econômica, não estratégica

Matheus

30 de setembro de 2013 às 00h39

E daí eu digo e repito: alguém ainda tem alguma dúvida dos motivos que levaram o PT a bloquear a CPI da Privataria?

Se quisessem, seria uma oportunidade e tanto para liquidar a máfia demotucana e a ideologia neoliberal, através de uma investigação que desvendasse as caixas-pretas e detalhes.

Não vejo sequer blogueiros de esquerda se recordando disso, o que é gravíssimo. Afinal, entregamos os pontos assim, sem mais nem menos? É preciso pressionar para que seja aberta a CPI da privataria, que seja investigado o processo e sejam responsabilizados penal, civil e administrativamente os culpados. Assim, abre-se o precedente para cancelar as privatarias e retomar setores estratégicos e fontes de receitas. Nem que queiram privatizar novamente, mas desta vez de maneira honesta, pelo verdadeiro preço, de forma transparente. A questão da privataria nem sequer deveria ser tratada de modo ideológico: foi um crime de lesa-pátria, um caso de corrupção, deve ser investigado e punido nos termos da lei e ponto final. Mesmo quem é favorável a privatizações deveria assumi-lo.

Responder

    M D

    30 de setembro de 2013 às 09h25

    Não foi o PT, foi o Roberto Gurgel , Procurador Geral da República, o Gilmar Mendes e o Joaquim Barbosa. O novo procurador, Rodrigo Janot , questionado sobre o assunto respondeu: “Pau que dá em Chico dá em Francisco”.
    Eu tenho visto vários blogs falando a respeito, talvez você tenha que ler mais blogs.
    Dá uma olhada aqui http://saraiva13.blogspot.com.br/

    Matheus

    02 de outubro de 2013 às 12h04

    O presidente da Câmara era deputado do PT. Estava nas suas mãos a abertura da CPI.

    Como diabos Gurgel, Gilmar e Barbosa intervieram para abortar a CPI da Privataria?

FrancoAtirador

29 de setembro de 2013 às 15h49

.
.
Campo minado.
ANP dominada.
MME contaminado.
.
.
A Mina?
De Libra
Esterlina.
.
.

Responder

M D

29 de setembro de 2013 às 12h29

Caro Azenha,
assisti a esse debate, como também ao do Fernando Brito com o Ildo Sauer, e confesso que ainda não tenho uma opinião formada sobre a melhor escolha. O que posso dizer é que quero o melhor para o País. Só que nem sempre o mais óbvio é o melhor. Talvez o fator econômico não deva ser o único a ser levado em consideração, e talvez nem o mais importante .Eu me refiro a questões políticas, não as internas, mas as externas, a geopolítica. Não preciso detalhar, nem saberia, o rastro histórico de destruição das guerras por causa do ouro negro. Quando o Brasil descobriu o pré-sal, uma das coisas que me chamaram a atenção foi a reativação e o deslocamento da quarta frota naval americana para o Atlântico sul. Neste contexto, e com os últimos acontecimentos político-diplomáticos envolvendo Brasil e EUA, uma parceria com os chineses garantindo-lhes fornecimento de petróleo a médio prazo ( o interesse deles é menos econômico e mais estratégico, de abastecimento) seria uma situação bem interessante de garantia das nossas salvaguardas . Os interesses chineses também teriam que ser defendidos por eles, no caso de uma guerra. Então, em vez de perder dinheiro, estaríamos pagando por segurança, defesa. Acabaria, indiretamente, atendendo aos nossos interesses econômicos,porque sairia mais barato do que se tivéssemos que enfrentar uma guerra , sozinhos, ou fazer um investimento fabuloso em defesa. Um dos pontos principais desse debate foi o do sindicalista que mencionou a possível parceria com a China. E é, sim preocupante, dependendo das condições dessa parceria , pelos argumentos do petroleiro ao qual me referi . Se essa parceria for só de financiamento, as preocupações se dissipam. Diante do exposto, acho que o tema merece uma reflexão mais ampla.

Atenciosamente,
Mauro.

Responder

Bernardino

29 de setembro de 2013 às 10h44

ESTA audiencia publiCA é a prova CABAL da falta de patriotismo de nossa gente.O REQUIAO,0 SIQUEIRA e O METRI alem claro dos presentes merecem elogios e este blog viomundo nunca falha,está sempre na VANGUARDA.

A Impresssao que se tem é que a D DILMA foi fazer teatrinho em NEW YORK na ONU:EU Protesto contra os EUA,mas dou o DINHEIRO PRA vocês!!Dizem as más llnguas que ela nao gostou da espionagem,nao por causa do Brasil e sim por terem vasculhado sua VIDA PRIVADA:telefones e amizades!!

Temos a ESQUERDA mais frouxa,antipatriota e agora CORRUPTA da America Latina: O PT,PC do B e outros da base aliada estao embevecidos com o PODER e o país que se lixe.Igualzinho à DIREITONA que alem de corruptos ja estao costurados no SACO DO TIO SAM há tempos!!

Ora a D DILMA já ia comprar os CAÇAS da FAB à BOEING por pressao e pedidos da Aeronautica que como sabemos sao LAMBE BOTAS dos EUA.Nao o fez porque estourou o escandalo da espionagem,porem o que vale é a intençao o que mostra que a mesma nao é ESTADISTA e esta longe de SE-LO

Ate o mundo mineral sabe que os SUKHOI U-35 Russos sao os melhores em combate asssunto já discutido aqui no viomundo!!

A Miia Bandida e antipatriota nao fala uma palavra contra o leilao do PETROLEO de LIBRA ao contrario fala contra a Petrobras e que a mesma esta inadimplente claro fazem o jogo dos seus PATROES Rotschild e ROckefeller!!
Se correr o bicho pega:se ficar o Bicho come!!
O DNA POrtugues A cada ANO que passa sofre MUTAÇAO e fica PIOR!!
TRISTE FIM de POLICARPO QUARESMA.

Responder

M D

28 de setembro de 2013 às 17h28

Primeiramente, dou meu parabéns ao Azenha pela iniciativa de disponibilizar esse vídeo, um serviço à nação.

Além de criar a PPSA temos que criar uma empresa nacional de SOFTWARE, não só pela questão do pré-sal , mas por todo o contexto internacional atual.

Responder

Anderson

28 de setembro de 2013 às 13h25

Grande Azenha,
Por favor, acompanhe, informe sobre a
greve dos professores municipais do Rio,
que estão lutando de forma inédita contra o autoritarismo do atual governo.
Dentre tantos motivos para o enfrentamento,
o atual e mais grave é pela colocação em pauta de um “Plano de Cargos e Salarios”
a ser criado em parceira professores e governo,
e não o plano capenga que o governo tenta aprovar sem dialogo,
atraves de vereadores totalmente alheios as importante questoes
que precisam ser debatidas e redigidas com os professores,
pois elas determinarão a vida dos combalidos educadores.
Por favor, faça uma visita aos professores que estao acampados frente a camara, na Cinelandia.
Abs,
A

Responder

emerson57

28 de setembro de 2013 às 11h31

parabéns ao “vi o mundo” por sua luta contra a “doação” do présal.

Responder

    M D

    29 de setembro de 2013 às 12h31

    Caro Emerson,

    esse tema exige uma análise mais ampla e profunda. Leia meu comentário acima.

MAURILIO FELIX

28 de setembro de 2013 às 10h14

Fico perplexo e triste por constatar que pouquíssimas pessoas tomam conhecimento de, ou se interessem por, um assunto extraordinariamente importante como este que afetará decisivamente a vida delas tanto num futuro mais próximo como também para o resto de suas vidas. Apelo aos demais leitores deste blog que formem uma corrente do bem para divulgar para os amigos e conhecidos este assunto de máxima importância.

Responder

    M D

    28 de setembro de 2013 às 17h31

    Concordo,
    e estou fazendo isso através da divulgação do vídeo por e-mail. Não tenho Facebook , por isso sugiro que compartilhem quem o tiver.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.