VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Denúncias

JN manipula subida de Dilma e queda de Marina no Datafolha


10/09/2014 - 23h39

JN - eleições

por Conceição Lemes

O Jornal Nacional, da TV Globo, divulgou nesta quarta-feira nova pesquisa do Datafolha sobre de intenção de voto para presidente da República.

O Datafolha mostra Marina Silva numa trajetória de queda, ainda que leve, no primeiro turno.

No levantamento realizado em 28 e 29 de agosto, Marina tinha 34 pontos. Manteve os 34 na pesquisa feita entre 1 e 3 de setembro. E, agora, caiu para 33.

Já Dilma está numa tendência de subida, ainda que modesta, no primeiro turno. Tinha 34 pontos, subiu para 35 e agora ascendeu para 36.

No segundo turno, de acordo com o Datafolha, Marina caiu de 50 pontos para 48 e agora desceu para 47.

Já Dilma subiu de  40 para 41 e agora está com 43.

Tanto no primeiro quanto segundo turno Marina e Dilma estão tecnicamente empatadas.

JN - Datafolha

Curiosamente, o JN, em nenhum momento da matéria (durou 4m46s), diz que Dilma subiu e Marina caiu. Imaginem o estardalhaço se fosse o inverso.

De cara, o JN anunciou o empate entre as candidatas.

O JN utilizou o “subiu” apenas em relação à situação anterior de Marina:

Marina Silva, do PSB, tinha 21%. O índice subiu para 34%, se manteve 34%. Agora, Marina está com 33%. Com a margem de erro, tem de 31% a 35%.

Já o “caiu” o JN utilizou apenas para o Aécio:

Aécio Neves, do PSDB, tinha 20%. Depois, o índice caiu para 15%. Passou para 14%.

Parece piada. Mas não é. É a manipulação de sempre do jornalismo global.

Confiram abaixo a transcrição da matéria que foi ao ar na noite desta quarta-feira.

********************** 

Dilma tem 36%, Marina, 33%, e Aécio, 15%, mostra Datafolha

 do JN 

Instituto divulgou uma nova pesquisa de intenção de voto sobre a corrida presidencial, encomendada pela TV Globo e pelo Jornal Folha de S. Paulo.

O Datafolha divulgou uma nova pesquisa de intenção de voto sobre a corrida presidencial, encomendada pela TV Globo e pelo Jornal Folha de S. Paulo. Como ocorreu na última rodada do Datafolha, divulgada há uma semana, o levantamento de agora revela um empate técnico entre Marina Silva, do PSB, e Dilma Roussseff, do PT, no primeiro turno.

Mas a diferença numérica entre as duas passou de um para três pontos percentuais e Dilma manteve a liderança. Aécio Neves, do PSDB, oscilou positivamente um ponto.

Já na simulação de segundo turno do Datafolha, a vantagem de sete pontos que Marina tinha sobre Dilma deu lugar, agora, a uma diferença de quatro pontos – o que é um empate técnico, no limite da margem de erro.

O nível de confiança é de 95%. Isso significa que se forem realizados cem levantamentos, em 95 deles os resultados estariam dentro da margem de erro prevista, que é de dois pontos para mais ou para menos. Vamos, então, aos números.

Dilma Rousseff, do PT, tinha 36% na pesquisa divulgada no dia 18 de agosto. Onze dias depois, ela apareceu com 34%. Na quarta-feira da semana passada, com 35%. Agora, Dilma está com 36%. Com a margem de erro, tem de 34% a 38%.

Marina Silva, do PSB, tinha 21%. O índice subiu para 34%, se manteve 34%. Agora, Marina está com 33%. Com a margem de erro, tem de 31% a 35%.

Marina e Dilma estão, portanto, tecnicamente empatadas, dentro da margem de erro.

Aécio Neves, do PSDB, tinha 20%. Depois, o índice caiu para 15%. Passou para 14%. Agora, Aécio aparece com, 15%. Com a margem de erro, tem de 13% a 17%.

Votos brancos e nulos somavam 8%. Depois, 7%. Depois, 6%. E agora, somam 6% de novo.

Os que não souberam ou não responderam eram 9%. Depois, 7%. E 7% novamente. Agora, 7% mais uma vez.

Pastor Everaldo, do PSC, Eduardo Jorge, do PV, e Luciana Genro, do PSOL, tiveram 1%, cada.

Zé Maria, do PSTU, Levy Fidelix, do PRTB, Mauro Iasi, do PCB, Rui Costa Pimenta, do PCO e Eymael, do PSDC, não atingiram 1%.

Datafolha faz três simulações de segundo turno

O Datafolha fez, mais uma vez, três simulações de segundo turno. Numa delas, como nós dissemos, a vantagem de Marina Silva, do PSB, sobre Dilma Rousseff, do PT, deu lugar, agora, a um empate técnico, no limite da margem de erro. Vamos aos resultados.

Considerando um segundo turno entre Marina Silva e Dilma Rousseff, Marina tinha 47%. Depois, 50%. Passou para 48%. E agora, está com 47%. Com a margem de erro, tem de 45% a 49%.

Dilma aparecia com 43%. Depois, 40%. Passou para 41%. E agora, está com 43%. Com a margem de erro, tem de 41% a 45%.

Dilma e Marina estão, portanto, empatadas tecnicamente, no limite da margem de erro.

Votos brancos e nulos somavam 6%. Depois, 7%. Depois, 6%. E agora, 6% de novo. Os que não souberam ou não responderam eram 4%. Depois, 3%. Depois, 5%. E agora, são 4%.

Numa possível disputa entre Marina Silva e Aécio Neves, Marina tinha 56% na pesquisa da semana passada – a primeira do Datafolha a incluir esse cenário. Agora, está com 54%. Com a margem de erro, tem de 52% a 56%.

Aécio tinha 28%. Agora, está com 30%. Com a margem de erro, tem de 28% a 32%.

Votos brancos e nulos, somavam 10%. Agora, somam 10% novamente. Os que não souberam ou não responderam eram 6%. Agora, são 5%.

Numa possível disputa entre Dilma Rousseff e Aécio Neves, Dilma tinha 47%. Depois, 48%. Passou para 49%. Agora, está com 49% novamente. Com margem de erro, tem de 47% a 51%.

Aécio aparecia com 39%. Depois, 40%. Passou para 38%. Agora, está com 38% de novo. Com margem de erro, tem de 36% a 40%.

Votos brancos e nulos somavam 9%. 9%, de novo. Depois, 10%. E agora, 9%. Os que não souberam ou não responderam eram 5%. Depois, 4%. 4% de novo. E agora, são 4%, mais uma vez.

PS do Viomundo: Era exatamente assim em 2006 para quem assistiu “por dentro”. Manipulação nas minúcias…

Leia também:

Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - A mídia descontrolada e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


42 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Junior

05 de outubro de 2014 às 23h02

Olá.

Eles não poderiam dizer que a porcentagem “subiu” ou “desceu” pois nesses casos a diferença com relação à pesquisa anterior estava dentro da margem de erro estabelecida de acordo com a amostragem utilizada na pesquisa.

Seria um erro científico usar a palavra “caiu” ou “subiu”.

Já no caso de Aécio a mudança na porcentagem de voto foi maior que a margem de erro então a palavra “caiu” foi corretamente utilizada.

Não sou fã da globo nem acho que ela não seja manipuladora, mas nesta matéria a justificativa não foi cientificamente correta.

Responder

Urbano

13 de setembro de 2014 às 12h21

A ação mais nobre do jn não passa disso…

Responder

Donana

12 de setembro de 2014 às 20h12

Enquanto isso no QG dos direitopatas…A campanha da direitalha (jornalismo é outra coisa) tá beirando ao misto de delírio e desespero. Perderam o senso do ridículo:

http://veja.abril.com.br/multimidia/video/pt-promove-briga-de-rua-em-campanha?utm_source=redesabril_veja&utm_medium=twitter&utm_campaign=redesabril_veja&utm_content=feed&

Responder

Cláudio

12 de setembro de 2014 às 18h13

Com Dilma, a verdade vai vencer a mentira assim como a esperança já venceu o medo (em 2002 e 2006) e o amor já venceu o ódio (em 2010). ****:D:D . . . . ‘Tá chegando o Dia D: Dia De votar bem, para o Brasil continuar melhorando!!!! ****:L:L:D:D ****:D:D . . . . Vote consciente e de forma unitária para o seu/nosso partido ter mais força política, com maioria segura. . . . . ****:L:L:D:D . . . . Lei de Mídias Já!!!! ****:L:L:D:D ****:D:D … “Com o tempo, uma imprensa [mídia] cínica, mercenária, demagógica e corruta formará um público tão vil como ela mesma” *** * Joseph Pulitzer. ****:D:D … … “Se você não for cuidadoso(a), os jornais [mídias] farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo” *** * Malcolm X. … … … Ley de Medios Já ! ! ! . . . … … … …:L:L:D:D

Responder

Elias

12 de setembro de 2014 às 11h03

Enquanto a Globo manipula pesquisa e informação para ver Dilma longe de Brasília, Dona Eliza Bertucho Carrara, com seus 104 anos de idade, escreve 800 folhas sobre Dilma. “Eu adoro ela porque ela é sincera e ajuda quem precisa”. Excelente reportagem do portal Terra. Dona Eliza fará 105 anos no próximo dia 19 de setembro e pretende entregar seus cadernos que falam sobre Dilma nas mãos da presidenta. “Vou fazer uma dedicatória para cada um”, referindo-se aos cadernos. Uma reportagem comovente.

http://noticias.terra.com.br/eleicoes/dilma-rousseff/aos-104-anos-eleitora-tem-800-folhas-com-historias-de-dilma,0e350017ea468410VgnVCM20000099cceb0aRCRD.html

Responder

FrancoAtirador

12 de setembro de 2014 às 02h39

.
.
A ESTADISTA DILMA VANA ROUSSEFF PÕE A CANDIDATA VOLÚVEL NO LUGAR:

MARINA SILVA BEIROU AS RAIAS DA LEVIANDADE E DA INCONSEQÜÊNCIA

“Eu considero que a candidata Marina tem de parar
de usar as suas conveniências pessoais para fazer declarações.
Por que conveniências pessoais?
Porque a candidata ficou 27 anos no PT,
todos os seus mandatos obteve graças ao PT,
e, terceiro: dos 12 anos aos quais ela se refere,
8 ela esteve no governo ou na bancada no Senado”.

“Eu acredito que não é possível
as pessoas terem posições
que não honrem sua trajetória política
e tentam se esconder atrás de falas.
Eu acho que não medem o sentido
dos seus próprios atos durante a vida.
A militância do PT e a história do PT
foram fundamentais para a candidata
[Marina Silva] chegar aonde chegou.
Uma frase desta mostra uma posição
extremamente leviana e inconsequente.
Lamento uma fala desse tipo.”

A Presidente da República e Candidata à Reeleição, Dilma Vana Rousseff (PT),
reagiu enfaticamente às críticas feitas ao PT nesta quinta-feira (11)
por sua adversária na disputa eleitoral Marina Silva (REDE/PSB),
ex-Senadora Petista e ex-Ministra do Meio Ambiente no Governo LULA (PT).

Em entrevista no Palácio da Alvorada, Dilma disse que Marina age
por “conveniências pessoais”, não honra sua “trajetória política”
e fez uma afirmação “extremamente leviana e inconsequente”
sobre o Partido dos Trabalhadores (PT) ao qual foi filiada por 27 anos.

“A militância do PT e a história do PT foram fundamentais
para a candidata [Marina Silva] chegar aonde chegou.”

Dilma se referia às declarações de Marina sobre o PT
durante sabatina realizada pelo jornal O Globo, mais cedo.

A candidata da REDE/PSB disse que as pessoas não confiam em um partido
que colocou um diretor na Petrobras para ‘assaltar os cofres’ da empresa,
numa referência a Paulo Roberto Costa, preso por suspeita de desviar dinheiro de contratos para pagar propina a políticos.
‘Não consigo imaginar que as pessoas possam confiar em um partido
que coloca por 12 anos um diretor para assaltar os cofres das Petrobras’.

Diante dos jornalistas, na Coletiva de Imprensa no Palácio da Alvorada,
Dilma afirmou que repudia com muita indignação a declaração da candidata da REDE/PSB:

“Eu considero que a candidata Marina tem de parar
de usar as suas conveniências pessoais para fazer declarações.
Por que conveniências pessoais?
Porque a candidata ficou 27 anos no PT,
todos os seus mandatos obteve graças ao PT,
e, terceiro: dos 12 anos aos quais ela se refere,
8 ela esteve no governo ou na bancada no Senado”,
afirmou a Presidente da República.

“Eu acredito que não é possível
as pessoas terem posições
que não honrem sua trajetória política
e tentam se esconder atrás de falas.
Eu acho que não medem o sentido
dos seus próprios atos durante a vida.
A militância do PT e a história do PT
foram fundamentais para a candidata
chegar aonde chegou”, disse Dilma em seguida.

“Uma frase desta mostra uma posição
extremamente leviana e inconsequente.
Lamento uma fala desse tipo”, completou.
.
.
“Não dá para vestir as duas roupas.
Uma é de verdade e a outra é fantasia”

Dilma Vana Rousseff, sobre os papéis de Néca Setubal,
Educadora e Banqueira do Itaú, na Campanha de Marina.

Na mesma entrevista, Dilma falou também sobre o interesse particular
da Coordenadora do Programa de Marina Silva, Maria Alice Setubal [Néca},
na Proposta de Governo de dar Autonomia ao Banco Central, pois, além de educadora,
Néca Setubal, como é conhecida, é uma das herdeiras do Banco Itaú.

Em entrevista ao jornal ‘O Estado de S. Paulo’ publicada nesta quinta, Néca afirmou que ‘é baixar o nível da campanha’ dizer
que a ex-senadora petista Marina Silva é ‘sustentada por banqueiros’.

Questionada sobre o porquê de o Partido dos Trabalhadores
‘antes tratar a Neca como educadora e agora como banqueira’,
a Presidente Dilma afirmou que a Acionista do Banco Itaú
passou a se comportar como banqueira e não mais como educadora.

“Ela agora está se comportando como banqueira.
A Neca educadora é educadora.
Agora, na medida em que é herdeira do Banco Itaú
e defende a política que beneficia claramente os bancos,
que é a política de independência do Banco Central,
de diminuir o papel dos bancos públicos,
está fazendo papel de banqueira.
Não dá para vestir as duas roupas.
Uma é de verdade e a outra é fantasia”, concluiu.

Com informações de Brasília dos repórteres
Filipe Matoso (G1)e Luciana Lima (iG).
.
.

Responder

Aroeira

11 de setembro de 2014 às 19h42

Marina mente outra vez

http://jornalggn.com.br/noticia/marina-silva-nao-contrariou-projeto-de-biblias-em-bibliotecas

Por Letícia Fernandes

Na sabatina realizada nesta quinta-feira, 11 de setembro, pelo GLOBO, a candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, falou sobre um projeto de lei do deputado Filipe Pereira (PSC-RJ) que dispunha “sobre a obrigatoriedade de manutenção de exemplares da Bíblia Sagrada nos acervos das bibliotecas públicas”. Nesse momento, ela afirmou:

“Me deram um relatório de um projeto que obrigava a colocar bíblias em todas as bibliotecas. Eu dei parecer contrário”

Segundo “tramitação” registrada no site do Senado, a ex-senadora Marina Silva foi relatora do Projeto de Lei da Câmara n° 16, de 2009, julgado pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Casa, e não deu qualquer parecer sobre a matéria.

Responder

    FrancoAtirador

    11 de setembro de 2014 às 23h45

    .
    .
    É verdade.

    A MariNéca até chegou a ser nomeada Relatora, mas não relatou a matéria,

    devolvendo o projeto, no fim da Legislatura, sem haver dado Parecer algum.

    Por fim, quem acabou relatando o PLC 16/2009 foi o Senador Crivella.

    (http://www.senado.gov.br/atividade/materia/detalhes.asp?p_cod_mate=89889)
    (http://legis.senado.leg.br/mateweb/arquivos/mate-pdf/94091.pdf)
    .
    .

    FrancoAtirador

    11 de setembro de 2014 às 23h51

    .
    .
    PLC – PROJETO DE LEI DA CÂMARA Nº 16, DE 2009

    Tramitação

    19/03/2009 CCJ – Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania
    Situação: MATÉRIA COM A RELATORIA
    Ação: Distribuído à Senadora Marina Silva, para emitir relatório.

    20/12/2010 CCJ – Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania
    Ação: Devolvido pelo Relator, em atendimento ao art. 89, § 2º,
    do Regimento Interno do Senado Federal,
    conforme solicitação do Ofício Circular nº 350-PRESIDÊNCIA/CCJ, de 07/12/2010.

    22/12/2010 CCJ – Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania
    Ação: À SCLSF, em cumprimento ao disposto no art. 332
    do Regimento Interno do Senado Federal (Final da 53ª Legislatura).
    Encaminhado para: SSCLSF – SUBSEC. COORDENAÇÃO LEGISLATIVA DO SENADO

    13/01/2011 SSCLSF – SUBSEC. COORDENAÇÃO LEGISLATIVA DO SENADO
    Ação: A presente proposição continua a tramitar, nos termos dos incisos do art. 332 do Regimento Interno e do Ato nº 4, de 2010, da Mesa do Senado Federal.
    A matéria volta à CCJ.
    Encaminhado para: CCJ – Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania

    14/01/2011 CCJ – Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania
    Situação: AGUARDANDO DESIGNAÇÃO DO RELATOR
    Ação: Recebido na Comissão nesta data.
    Matéria aguardando designação de Relator.

    16/06/2011 CCJ – Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania
    Situação: MATÉRIA COM A RELATORIA
    Ação: Distribuído ao Senador Marcelo Crivella, para emitir relatório.

    05/08/2011 CCJ – Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania
    Situação: PRONTA PARA A PAUTA NA COMISSÃO
    Ação: Recebido o relatório do Senador Marcelo Crivella,
    com voto favorável ao Projeto, com três emendas que apresenta.

    Matéria pronta para a Pauta na Comissão.

    Textos: Relatório
    Download do documento no formato original
    Download do documento em PDF
    .
    .

Léo

11 de setembro de 2014 às 18h14

A ultima pesquisa atingiu o ego da Marina, agora não existe mais “nova política” basta assistir ao programa de logo mais. Ela não menciona os programas que beneficiou e tirou milhões de pessoas da miséria extrema, não cita o nome do governo que os criou (procurem no youtube, nos dois últimos debates Marina dizia que reconhecia os benefícios feitos pelo governo Dilma, agora teve amnésia).
Dilma deve melhorar nas próximas pesquisas e espero que ela aborde também a questão do desmatamento que diminui ao longo de seu governo, mas que teve um aumento em 2013 e 2014, por fim,

Responder

    miguel

    14 de setembro de 2014 às 20h03

    sera que tbm vai falar sobre o roubo da petrobras vergonha nacional pq ela sabe muito bem o que rola por la assim como lulinha tbm sabe

Francisco

11 de setembro de 2014 às 14h56

O que a esquerda tem de fazer é parar de reclamar da Globo e trazer ou financiar, via BNDES,uns vinte ou trinta institutos de pesquisa, ponto final.

Aproveita o ensejo, e distribui para fundações criadas por sindicatos (de artistas, de jornalistas, de cineastas, de umas duas centrais sindicais) canais de TV aberta.

A TV digital permite isso e isso está na gaveta já vai faz uns seis anos.

Ou isso ou “guenta!”.

Responder

Ricardo JC

11 de setembro de 2014 às 12h30

Esta pesquisa do Datafolha está em desacordo com os dados divulgados pelo IBOPE, ontem. Segundo o IBOPE, Dilma já ultrapassou Marina no RJ e cresceu em SP. Marina caiu nos dois estados. Como é que a pesquisa Datafolha indica que não houve alteração no sudeste, da última pesquisa para essa. Só se Dilma tiver perdido em MG…e muito, o que não aconteceu. Tem gato na tuba…

Responder

Elias

11 de setembro de 2014 às 12h09

Acredito que Ruy Falcão e a cúpula do PT são leitores do Viomundo. Por consequência ao lerem a análise dessa última pesquisa Datafolha onde Conceição Lemes, em detalhes, mostra como o Jornal Nacional manipula os números em favor da oposição, cabe uma pergunta ao comando da campanha presidencial de Dilma Rousseff: Dilma deve comparecer ao debate da Globo?

Ao participar “do último debate” a presidenta corre o mesmo risco do que se, por acaso, não participasse. O debate será na sexta à noite, 3 de outubro (sábado, 4, um dia antes da eleição) o Jornal Nacional que vem falseando informação há doze anos, sem a menor dúvida usará os mais sórdidos subterfúgios para desqualificar Dilma. Portanto, indo ou não indo ao debate Dilma será o alvo a ser atacado até o fim da eleição. Então, por que ir?

Responder

    Mário SF Alves

    11 de setembro de 2014 às 13h36

    Elias,

    Fiquei sabendo agora há pouco que o PSDB ameaça jogar a toalha¹.

    Não suporta mais nem a dúvida de ver a Marina se esfarelar de vez num provável segundo turno. Por isso cogita transformar a campanha do AhÉsim em campanha pelo voto -duplamente in-útil.

    Sim, amigo, esse PSDB que aí está já era. E pior, o que até ontem era “o candidato” virou pó e corre o risco de se transmutar em “a candidata”. Transgênese de gênero.

    Fonte:Hora a Hora, de hoje, 11/09, Carta Maior.

    Elias

    11 de setembro de 2014 às 14h57

    É de causar espanto ver um partido que nos últimos vinte anos venceu duas eleições presidenciais e perdeu três. E nas três derrotas ficou sempre em segundo lugar. Os eleitores de Lula e Dilma consideraram até hoje o PSDB seu maior rival. Dá uma certa frustração ver um arqui-adversário definhar assim, de uma hora pra outra. É interessante também, quando se compara politicamente PT e PSDB ver qual dos dois criou mais quadros femininos à presidência do Brasil. Na eleição passada tivemos duas mulheres provenientes do PT. Nesta temos três: Dilma, Marina e Luciana Genro. Não é à toa que a mídia golpista e a ultra-direita querem “o fim da raça petista”. E Marina, que já foi da “raça petista” hoje se alia com o “exterminador” do DEM. Não sei se é pra rir ou pra chorar por tudo isso. Prefiro rir.

mineiro

11 de setembro de 2014 às 11h44

para min ela nunca teve esse indice, desde a entrada da marifaiajato nessa disputa , eles estao manipulando essa pesquisa. essa corja do esgoto a ceu aberto golpista , que é esse rede manipuladora de tv, ta segurando essa lacraia falsificada, mal carater , traidora e manipuladora. é logico que o pig rede esgota , ta manipulando as pesquisas, a dilma ta subindo e ela nao cai , ta a mesma coisa , intocavel. é piada , essas pesquisas é manipulada e se mostrar a verdade , ai que a coisa vai ficar feia para ela. nao a menor duvida o pig golpista desgraçado ta segurando essa falcatrua de candidato com esse indice. para min ela nunca teve isso.

Responder

Fernando

11 de setembro de 2014 às 11h24

Queriam que o JN fizesse estardalhaço porque Dilma subiu 1 ponto e Marina caiu 1 ponto? Estardalhaço merece Marina que; 1 – está em campanha há menos de um mês, enquanto Dilma está há quase quatro anos; que está desde a última eleição sem qualquer cargo público ou situação que lhe dê visibilidade, sem a máquina do estado e sem apoio dos coronéis PMDBistas do norte/nordeste; 3- Que tem apenas 2min de propaganda eleitoral contra 10min de Dilma. Se há alguém que com todas essas dificuldade merece estardalhaço é Marina, que com o pouco que tem está tirando o sono dos petistas!

Responder

    Ricardo JC

    11 de setembro de 2014 às 12h28

    Acho engraçado como as pessoas se recusam o olhar para a realidade. Dilma está fazendo campanha há menos de um mês!!! Desde que o horário eleitoral começou, ele passou a poder mostrar o que fez. Vem sofrendo campanha negativa da mídia há mais de 4 anos. Todo dia um fato de viés negativo é anunciado pela mídia. Nenhuma linha positiva sobre o seu governo. E você vem aqui dizer que a Marina só tem 2 min…esqueceu de todos os jornais, portais de internet e emissoras de TV que tentam derrubar o governa há 4 anos?

    Márcio Joffily

    12 de setembro de 2014 às 14h59

    Fernando, além de tudo isso, ao destilarem o ciúme da Marina/Itaú, esquecem que criaram um BOLSA BANQUEIRO mais aprimorado do o do FHC. Falam da costela petista,Marina/beata, acerca da autonomia do BC, mas lá puseram o CUMPANHERU esquerdista Henrique Meirelles, para que defendesse à altura os interesses do capital. Trocaram a mobilização popular pelo MENSALÃO, aprendido com os tucanos. Como se não bastasse, eis que surje o PETROLÃO. Mais esse mandato ( 2015/2118 ) e o oportunismo petista será desmascarado, assim como foi o tucanato.

Fabio Silva

11 de setembro de 2014 às 11h19

Enquanto isso, a mídia também tenta fazer de tudo para esconder os fatos do Trensalão do PSDB. Impressionante. E agora um juiz reverbera EXATAMENTE o que disse José Serra sobre o caso, parece até que o candidato a senador teve uma visão mediúnica da opinião do magistrado:
“Não é porque duas concorrentes sabem os valores que proporão em uma licitação é que haverá crime”, sentenciou o juiz Rodolfo Pellizari.
http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/politica/2014/09/11/interna_politica,528809/denuncia-contra-envolvido-em-cartel-do-metro-e-rejeitada.shtml

O juiz? Duas notícias em uma googada:
“Justiça absolve industrial acusado de crime contra a ordem tributária”
http://zmadvogados.adv.br/justica-absolve-industrial-acusado-de-crime-contra-a-ordem-tributaria/

“Juiz que sacou arma em bar responde a ação administrativa.”
http://www.conjur.com.br/2006-out-05/juiz_apontou_arma_responde_processo_administrativo

Responder

Julio Silveira

11 de setembro de 2014 às 10h50

Esperar o que desse grupo? Já tentaram um golpe no Brizola, já deram golpe no Lula, apoiaram sorateiramente o golpe militar no Brasil, e apoiam de forma dissimuladamente clara, golpes em qualquer país onde os interesses da classe, reprentados nos grupos que eles se assentam, possam colocar algum risco de prejuizo em suas regalias,tornando isso uma questão politico ideologica, camuflando interesses financeiros mundanos. Esperar o que? quando apenas uma candidata acena com uma mudança tão significativa para inibir a desfaçatez do poder desse grupo e de seus donos, que sequer politicos são, apenas movimentam as marionetes.

Responder

Arthur Arnt

11 de setembro de 2014 às 10h37

Quero cancelar o meu patrocínio (ou assinatura) e ninguém dá retorno.
Não quero patrocinar parcialidades.

Responder

Luís CPPrudente

11 de setembro de 2014 às 09h26

A famiglia Marinho, como o finado FHC, abraçou de vez a campanha da messiânica e sinistra Marina Silva, a versão piorada de Jânio Quadros.

Só espero que o Governo Dilma não esqueça da necessidade da Ley de Medios para combater as mentiras e as censuras promovidas pelo PIG.

Responder

Rodrigo Leme

11 de setembro de 2014 às 08h55

O que a paranóia não faz com as pessoas.

Responder

    Luís CPPrudente

    11 de setembro de 2014 às 11h26

    O que a paranoia fez com o Rodrigo Sem Leme!

FrancoAtirador

11 de setembro de 2014 às 07h01

.
.
Canção do Aébrio (*)

Tornei-me um ébrio e na bebida busco esquecer

Aquela ingrata que eu amava e que me abandonou.

Apedrejado pelas ruas vivo a sofrer.

Não tenho lar e nem parentes, tudo terminou…

Só nas tabernas é que encontro meu abrigo.

Cada colega de infortúnio é um grande amigo,

Que embora tenham, como eu, seus sofrimentos,

Me aconselham e aliviam os meus tormentos.

Já fui feliz e recebido com nobreza até.

Nadava em ouro e tinha alcova de cetim

E a cada passo um grande amigo que depunha fé,

E nos parentes… confiava, sim!

E hoje ao ver-me na miséria tudo vejo então:

O falso lar que amava e que a chorar deixei.

Cada parente, cada amigo, era um ladrão;

Me abandonaram e roubaram o que amei.

Falsos amigos, eu vos peço, imploro a chorar:

Quando eu morrer, à minha campa nenhuma inscrição.

Deixai que os vermes pouco a pouco venham terminar

Este ébrio triste e este triste coração.

Quero somente que na campa em que eu repousar

Os ébrios loucos como eu venham depositar

Os seus segredos ao meu derradeiro abrigo

E suas lágrimas de dor ao peito amigo.

(http://youtu.be/6AWiitgGqTc)

(*) ‘Dor-de-Cutuvêlo’ pela Rede Globo de Televisão
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    11 de setembro de 2014 às 07h06

    .
    .
    DataFrias
    08-09/9/2014

    ESPONTÂNEA

    DILMA VANA ROUSSEFF (PT) = 28% [Única que Avançou]

    MariNécaFaia Collor de Mello da Costa e Silva Quadros (ITAÚ) = 24%

    Aério Naves = 10%

    Outros = 1%

    Brancos/Nulos = 6%

    Não Sabe = 29%
    .
    .
    Risco de Desabamento:
    MariNéca bateu no Této,
    Aébrio foi pro Porão.
    .
    .
    MARGEM DE ERRO
    A margem de erro do DataFrias (todos sabem)
    é de 2% a mais para a Oposição ao BraSil
    e a menos para qualquer candidato do PT.
    .
    .
    ARRANCADA PARA A VITÓRIA
    A Militância Pró-BraSil tem exatos 15 dias
    para conquistar o voto de 2/3 dos indecisos,
    e dar a vitória à Dilma Vana, já no 1º Turno.
    .
    .
    O Melhor Termômetro:
    Estado de São Paulo (UF)
    (http://imgur.com/Li9dWxT)
    .
    .

    FrancoAtirador

    11 de setembro de 2014 às 07h53

    .
    .
    SEGUNDO TURNO: A FORMAÇÃO DE UM SENSO COMUM

    Calunistas, Comentaristas de Política e demais [email protected]

    do COMETA G.A.F.E.* estão tratando a Ocorrência de 2º Turno

    entre Dilma Vana e MariNéca como se já fosse Fato Consumado.

    Não É!

    O Movimento dos Eleitores Indecisos na Última Semana indica

    o Crescimento da Possibilidade Real de Reeleição de Dilma Vana,

    já no 1º Turno da Eleição Presidencial, no dia 5 de outubro.

    Não se deve baixar a guarda. É Hora de Avançar Rumo à Vitória!
    .
    .

Claudio Gress

11 de setembro de 2014 às 01h26

É a velha e boa política . Tem de fugir do neutro , do economês ! Dilma tem de explicitar nos minutos deste primeiro turno quem ganha com sua reeleição : minha casa minha vida , mais médicos , UPAS , emprego pleno, distribuição de renda , poder de compra do salário mínimo, pré – sal , prouni, reuni, ciencia sem fronteiras etc .
E , por outro lado , que Marina é a candidata dos banqueiros , dos que vivem de juros , dos que acham po SUS um lixo e um luxo , os que querem o fim do INSS público , os que querem o pré – sal nas mãos americanas etc
Vamos parar de vez com cordialidade . Eles acusam-nos todos os dias de petralhas , mentem nos indicadores que apresentam etc.
Se alguém aqui tem acesso aos marketeiros , por favor , mais histórias reais de quem se beneficia das políticas públicasdestes 12 anos !

Responder

    Mário SF Alves

    11 de setembro de 2014 às 13h49

    Pior do que isso. Lembra aquele papo da Marina ainda na condição de vice na chapa do falecido Eduardo Campos repetindo aos quatro cantos e sem o menor pudor o surrado bordão midiático e psdbista do tal chavismo petista?

    Pois é. A coisa vem de longe. Pobres diabos. Nem sequer conseguem distinguir o que é Brasil do que é a Venezuela.

    Bom… até aí novidade nenhuma. Estranho mesmo seria se de repente começassem a divulgar publicamente o que é o Brasil real. Aliás, esse não conta. Inexiste a não ser na aritmética eleitoral deles.

Maria Carvalho

11 de setembro de 2014 às 01h25

Essas pesquisas, por esse tempo, não passam de “jogo” para conquistar votos de “incautos”. Quando estiver próximo do dia da votação, “esses institutos se ajustarão”. Sempre foi assim!
Existe “pretensa inflação”, também, em pesquisas!

Responder

pimenta

11 de setembro de 2014 às 01h08

Tio Rei, o último Aécioman, revela o que Marina prometeu aos bacanas do Bank of América
Autor: Fernando Brito

O Brasil é um país sui-generis em matéria de imprensa.

Um exemplo? Como é que três empresários – Apolo Vieira Santana, Eduardo Ventola e João Paulo Lira – que compraram, sem contrato ou recibo e usando contas-laranjas, depois de um mês, não foram abordados por um repórter sequer, não têm uma foto ou uma declaração – mesmo que seja nada a declarar – estampadas nos jornais, nos sites, na tevê?

Mistério….

Mas há um novo quase-mistério na praça.

Anteontem, o Bank of America, agora com o charmoso apelido de Merril Lynch, reuniu mais de 500 pesos-pesados das finanças brasileiras, a nata da “turma da bufunfa” para ouvir os emissários de Marina Silva: o vice, Beto Albuquerque, André Lara Resende e Alexandre Rands, além dos coordenadores Walter Feldman, Maurício Rands, Bazileu Margarido e João Paulo Capobianco.

532, para ser exato, porque o Estado de Minas publica algo próximo de um press-release sobre o encontro, onde se fala tudo, menos do que se falou nele.

Obviamente, não foi permitido o acesso da plebéia imprensa.

Mas será que não tem um coleguinha capaz de, como a gente chama na profissão, “recuperar” o que se disse ali sobre o que pretendem fazer com o país?

Mas, calma.

Nem tudo está perdido.

Reinaldo Azevedo- o último Aécioman da Terra, agora que Merval Pereira marinou -tinha um amigo por lá.

Não vou tirar leitores do Reinaldo, cujo blog sempre visito, em nome de minhas convicções sobre a biodiversidade.

Mas trago o essencial, retirado da espuma petófoba que lhe sai.

Diz que a bola ficou com André Lara Resende*, o cavaleiro (cavaleiro, mesmo, sem lh) do Plano Cruzado e das traquinagens do Governo FHC, cujo retrato deixo que a própria Veja faça, numa nota ao pé desta página, para evitar que ele se aborreça.

Em seguida, Reinaldo conta que ele falou do que Marina pensa sobre de preços, “os que o ouviram saíram de lá com a impressão de que ele defende um tarifaço de cara para retomar a credibilidade… ”.

Que mais, que mais, como diz no rádio o Sardemberg?

Disse que vão promover uma desvalorização do Real e, logo, uma alta do dólar: Os “vocalizadores” de Marina também acham que o câmbio está valorizado de maneira artificial, e se supõe, então, que a turma pretenda trabalhar com um dólar mais fraco e um real mais forte.

Ah, e os empresários vão ser convocados para um “mutirão” cívico na infraestrutura – supõe-se que com dinheiro próprio, não com o do BNDES, que dizem estar hipertrofiado – e em troca a categoria deixaria de ser “tratada como bandida”.

Diz Reinaldo que “falou-se até em rever a postura “perversa e autoritária” da Receita Federal”.

Aquela coisa horrorosa do tipo autuar o Itaú pela merreca de R$ 19 bilhões de imposto sonegado, sabe como é…

Então está aí, com meus agradecimentos a Reinaldo Azevedo, este repórter atucanado sempre com a notícia, por ter revelado como é que seria (seria, do verbo não será) a “nova economia” da “nova política”.

Palmas para o jornalismo econômico brasileiro, que deixou passar uma “reunião de bacanas” que nem o Bezerra da Silva perdoaria.

* sobre André Lara Resende, da Veja: “Economista brilhante, Lara Resende ajudou a criar o Plano Cruzado, juntamente com o colega Persio Arida. Teceu também as bases do Plano Real. Para favorecer a vitória do Opportunity na compra da Tele Norte Leste, em detrimento do consórcio Telemar, negócio que não se concretizou, Lara Resende foi diretíssimo ao ponto em suas conversas telefônicas com Arida. “”Se precisar vou ter de detonar a bomba atômica””, disse ele ao amigo, referindo-se ao presidente Fernando Henrique Cardoso. “”Vai lá e negocia, joga o preço para baixo. Depois, se precisar, a gente sobe e ultrapassa o limite””, instruiu Lara Resende, segundo fitas divulgadas pela imprensa à época.” Foi absolvido, apesar disso, por falta de provas.

Responder

    FrancoAtirador

    11 de setembro de 2014 às 09h37

    .
    .
    BofA

    O Bank of America (BofA) Merrill Lynch é atualmente o maior banco norte-americano em operação por número de ativos e o segundo maior por valor de mercado.

    A instituição financeira faz parte da FDIC (Federal Deposit Insurance Corporation).

    Além disso, o BofA Merrill Lynch também está listado nos índices acionários S&P 500 e Dow Jones.

    Em 2010, o banco foi listado como a quinta maior empresa dos United States of America
    e a segunda maior empresa do país fora do ramo de petróleo,
    atrás apenas do Wal-Mart.

    Uma das principais aquisições do BofA em toda a sua história
    foi a do banco de investimentos Merrill Lynch, em 2008,
    por cerca de US$ 44 bilhões.
    Após a compra, o Bank of America passou a ser um dos maiores players mundiais no mercado de Wealth Management.

    O Bank of America Merrill Lynch também faz parte da Global ATM Alliance, uma joint venture de grandes bancos internacionais.
    Também fazem parte deste grupo nomes reconhecidos como
    Barclays Capital, BNP Paribas e Deutsche Bank.

    (InfoMoney)
    .
    .

    FrancoAtirador

    11 de setembro de 2014 às 09h58

    .
    .
    São Paulo, domingo, 9 de maio de 1999
    Folha de S.Paulo

    SISTEMA FINANCEIRO

    Bancos de economistas crescem no Real

    Instituições que tiveram formuladores do plano
    como sócios ou fundadores multiplicam o patrimônio

    MARTA SALOMON
    ALEX RIBEIRO
    da Sucursal de Brasília

    Três bancos que tiveram como sócios
    ou fundadores pais do Plano Real –
    Matrix, BBA e Opportunity –
    mais do que duplicaram seu patrimônio
    nos quatro anos do primeiro mandato
    do presidente Fernando Henrique Cardoso.

    Nesse período, não foi raro ver
    bancos multiplicarem seu patrimônio,
    embalados pelo plano econômico
    formulado por Pérsio Arida,
    André Lara Resende e Edmar Bacha.

    Esses personagens tiveram em comum,
    além das respectivas ligações
    com o Opportunity, BBA e Matrix,
    passagens pelo comando do Banco Central
    (com exceção de Bacha) e do BNDES
    (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

    Dos três, apenas Edmar Bacha permanece
    atualmente vinculado a uma instituição financeira.

    Como o BBA de Bacha, algumas instituições
    até triplicaram o patrimônio,
    segundo levantamento feito pela Folha no Sisbacen,
    o sistema eletrônico de informações do Banco Central.

    É o caso do FonteCindam, socorrido pelo BC
    depois da desvalorização do real
    em operação investigada pela CPI dos Bancos.

    Pouco mais da metade das instituições privadas pesquisadas
    conseguiram duplicar o seu patrimônio,
    de acordo com pesquisa feita em amostragem que reuniu
    os 50 maiores bancos do país.

    Ouvido pela Folha, Lara Resende classificou
    o desempenho dos bancos de “nada excepcional”.

    Edmar Bacha reconhece que houve
    transferência de renda para os bancos
    e atribuiu o fato à dificuldade do governo
    em controlar seus gastos.

    “Isso fez com que a manutenção da estabilidade de preços
    dependesse da manutenção de uma política cambial rígida,
    acompanhada de uma política cambial apertada”, disse à Folha.

    “Taxas de juros elevadas implicam
    transferência de renda de quem se endivida
    por gastar em excesso para seus credores”,
    completou Bacha.

    Negócios ligados aos juros, câmbio
    e privatização de estatais,
    pilares do plano formulado pelos economistas-banqueiros,
    sustentaram o desempenho dos bancos.

    Só com o pagamento de juros,
    o setor público desembolsou quase R$ 220 bilhões
    no primeiro mandato de FHC.

    A dívida pública saltou de R$ 155 bilhões, em dezembro de 94,
    para R$ 389 bilhões, quatro anos depois.

    Grupo
    O currículo de André Lara Resende,
    Edmar Bacha e Pérsio Arida
    registra também vínculos
    com o departamento de economia da PUC (
    Pontifícia Universidade Católica) do Rio de Janeiro –
    um detalhe que esses pais do Real
    têm em comum com o ministro da Fazenda, Pedro Malan.

    No grupo dos economistas-banqueiros
    também pode ser incluído Luiz Carlos Mendonça de Barros,
    um crítico da política de juros altos e câmbio
    que ganhou destaque durante a campanha de reeleição de FHC
    como formulador da segunda fase do Plano Real.

    Ele se afastou do governo no ano passado,
    depois do vazamento de escuta telefônica no BNDES.

    Seu currículo inclui passagem pelo Banco Central,
    como Lara Resende e Arida.

    Mendonça de Barros já havia sido diretor do BC
    quando fundou o Banco Matrix,
    em parceria com André Lara Resende, em 1993.

    O banco exibiu, nos primeiros anos,
    um dos melhores índices de crescimento
    e rentabilidade do mercado.

    Lara Resende negou que o desempenho do banco se devesse
    às relações com o comando da política econômica.

    “Era só olhar para os planos anteriores
    para prever que o juro iria ser muito alto
    e ler jornais para saber que o câmbio
    ficaria mais ou menos estável”,
    disse em entrevista disponível
    no site do banco na Internet.

    O Matrix continuou crescendo,
    embora num ritmo mais lento.

    Entre dezembro de 1994 e dezembro de 1998,
    os balanços do banco registraram crescimento de 124%.

    Antes de formularem o Real, Lara Resende e Arida
    se juntaram a Luiz Carlos Mendonça de Barros,
    durante o governo José Sarney,
    em diretorias do Banco Central,
    sob o comando de Fernão Bracher,
    então presidente da instituição.

    A relação de Arida e Bracher
    se estreitou na fundação do banco BBA, em 1988,
    a ponto de inviabilizar, mais tarde,
    a permanência de Pérsio Arida
    na presidência do Banco Central.

    A passagem de Arida pelo BC durou apenas cinco meses
    e foi abalada pelas notícias
    do Carnaval que passou na fazenda de Bracher.

    O país atravessava uma turbulência do mercado financeiro,
    e o Banco Central interveio no mercado de câmbio,
    área em que o BBA obteve lucros.

    Durante o primeiro mandato de FHC,
    o BBA manteve forte atuação na área de privatização
    e quase que triplicou seu patrimônio,
    revela o levantamento feito pela Folha – cresceu 180%.

    O desempenho foi ainda melhor que o outro banco a que Pérsio Arida se associaria: o Opportunity, que cresceu 144% nos quatro últimos anos.
    Fundado em 1994 e controlado por outro economista da PUC do Rio de Janeiro, Daniel Dantas, o Opportunity apostou na política de juros altos e estocou títulos públicos antes do lançamento do Plano Real.
    Depois, o banco investiu pesado nos negócios da privatização do governo FHC.
    Comprou participações da Companhia Vale do Rio Doce e de empresas do Sistema Telebrás.
    Durante o processo de privatização das empresas de telefonia, manteve contatos com Lara Resende e Mendonça de Barros, que comandavam a operação nos cargos de presidente do BNDES e ministro das Comunicações, respectivamente.
    O episódio mudou o destino dos três. Arida rompeu a sociedade com o Opportunity. Lara Resende e Mendonça de Barros pediram demissão.
    ²

    Multiplicação Numa amostragem de 50 maiores bancos privados do país, excluídos aqueles que passaram por recente processo de reestruturação ou fusão, 52% conseguiram duplicar o patrimônio durante o primeiro mandato de Fernando Henrique Cardoso.

    Nesse grupo, além do Matrix e do Opportunity,
    estão bancos como Safra, Bozano,Simonsen e Icatu.

    A lista inclui o Banco Marka,
    também socorrido pelo BC depois da desvalorização do real
    e investigado pela CPI dos Bancos.

    Há um grupo menor, com cerca de 20% da amostragem,
    de bancos que conseguiram triplicar seu patrimônio
    entre dezembro de 1994 e 1998.

    Aí estão BankBoston, Votorantim, Citibank,
    BNL, Sofisa e Fininvest, além do FonteCindam.

    (http://www1.folha.uol.com.br/fsp/brasil/fc09059915.htm)
    .
    .
    Essa é a Tchurma da MariNéca do Itaú.
    .
    .

    Zanchetta

    11 de setembro de 2014 às 10h29

    Apelando para o Tio Rei… ééé´, não tá fácil, não!!!!

Sidnei Brito

11 de setembro de 2014 às 00h45

Esses números do Datafolha não merecem ser tratados como de grande relevância científica.
O único estado do nordeste sondado foi Pernambuco (num total de apenas sete estados), justamente aquele em que Marina lidera, em razão da comoção em torno da morte de Eduardo Campos, que lá naturalmente “sobrevive” mais do que em outras unidades da Federação.
Imaginemos que se, em vez de Pernambuco, a pesquisa fosse feita, por exemplo, na Bahia: Dilma uns seis pontos na frente no primeiro turno e talvez ganhando no segundo.
E os caras do Datafolha sabem muito bem que Pernambuco distorce o quadro. Mantém tal método por sacanagem mesmo.

Responder

Fabio Passos

11 de setembro de 2014 às 00h08

A globo é o comitê da campanha de marina.

Esta direita sórdida apóia um projeto pavoroso, que mistura o mais completo atraso fundamentalista religioso, com um neoliberalismo desvairado e inconsequente.

Responder

    Julio Silveira

    11 de setembro de 2014 às 10h27

    Tudo para que os donos desses grupos possam continuar desfrutando de poderes e benesses que os tornam especiais neste país de gente considerada especial, os “nobres” e gente considerada insignificante, os”suditos”, o populacho, a ralé.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.