VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

Greve dos professores de Santa Catarina: Quem aderiu, não terá contrato prorrogado


21/05/2011 - 14h59

Veja aqui o vídeo da professora do Rio Grande do Norte que bombou no You Tube





81 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Dá-lhe Tebaldi: Secretaria da Educação manda não renovar contrato de ACTs que aderiram a greve dos professores em SC - Blog do Camasão

26 de fevereiro de 2015 às 16h27

[…] Um verdadeiro crime contra a organizaçào do trabalho. Este é o termo que podemos utilizar em relação às últimas medidas tomadas pela Secretaria de Estado da Educação (SED) contra a greve dos professores estaduais. Segundo divulgado pelo blog Viomundo, a secretaria comandada por Marco Tebaldi (PSDB) orientou todas as escolas do estado a não renovarem os contratos dos professores temporários (ACTs) que aderiram à greve.  A medida absurda foi oficializada no ofício círcular 691/11, endereçado aos gerentes regionais de educação. O ofício exige das direções escolares a relação nominal dos grevistas. Além disso, não permite a realização de reuniões ou assembleias de professores dentro dos espaços escolares.  O documento finaliza pedindo a colaboração dos diretores e gerentes. Ressaltamos que tanto o Diretor de Escola quanto o Assessor de Direção constituem cargos de confiança e, estrategicamente posicionados, representam peças importantes para a consolidação da política educacional proposta pelo Governo do Estado. Portanto, este é o momento de exercer e fortalecer a liderança inerente ao cargo, atuando efetivamente como gestor da unidade esclar, buscando a organização em meio ao caos, e, principalmente, correspondendo à expectativa que o Governo do Estado deposita em cada um de vocês“, afirma o ofício.  Veja o fac-símile do ofício aqui.  […]

Responder

ronaldo

26 de junho de 2011 às 17h36

em Braco do norte SC , faz mais de 1 mes que esta em greve … espero que continue até dezembro . kkkk

Responder

William

26 de maio de 2011 às 23h28

Ainda nao acabo a greve?

Responder

eliani

26 de maio de 2011 às 17h47

Aqui em Itajai, a greve continua cada dia com mais força!
Mas hoje soube que os professores estaduais de Joinville voltaram para sala de aula.Gostaria de saber se realmente é verdade, pois não posso acreditar nisso. Não podemos deixar apeteca cair agora, a Hora é agora, se
desistirmos e nos deixar derrotar agora, nunca mais seremos valorizados.
Por favor verifiquem se é realmente verdade e postem aqui.

Responder

Tatiane

24 de maio de 2011 às 08h13

nestas horas tenho vergonha de dizer que sou Catarinense…mas esta FOI A ESCOLHA DA MAIORIA E NÃO ESQUEÇAM A QUE PARTIDO ELES SÃO…INCLUSIVE QUEM NOMEOU E ASSINOU O DOCUMENTO..É SÓ REPARAR O SOBRENOME

Responder

Carlos Nássaro

23 de maio de 2011 às 17h40

Sou um assíduo leitor do Blog, mas esta é a minha primeira postagem.
Gostaria de denunciar também a situação das Universidades estaduais Bahia que estão em Greve a mais de um mês e que contam até agora com o descaso, a truculência e o cinismo do gorverno Wagner (PT). Este tem se saído um legítimo aprendiz de ACM, o Toinho Malvadeza, para os íntimos. A sua primeira ação ao ser deflagrado o movimento foi cortar imediatamente os salários dos professores da UEFS, UESC e UESB, e ameaça cortar os salários dos professores da UNEB, últimos a entrar na greve, inclusive retirando o contra-cheque on-line do ar. Além disso cortou o Planserv, plano de saúde dos servidores estaduais e o Vale-Cesta, cartão para compras na Cesta do Povo, espécie de supermercado estatal.
Ações inadimissíveis para um político que se construiu nas lutas sindicais do polo petroquímico de Camaçari e que agora cerceia o direito legítimo de greve dos trabalhadores.

A educação na Bahia, em todos os níveis está de luto!!!

Responder

Adilson

23 de maio de 2011 às 17h26

Azenha,

Esquecida, abnadonada , relegada durante décadas, a educação no Brasil chegou num ponto absolutamente lastimável, pra mim não dá pra descer mais. O resultado está aí: O futuro brasileiro agonizando nas salas de aulas, quentes, caindo aos pedaços, onde a logica da meritocracia neoliberal somada as novas fontes de conhecimento via internet, criaram um fosso tão grande, que professores, alunos, pais etc_ nem mais conseguem se enxergar…O Poder público se afastou do professor, esse vive como rmarisco luta entre o rochedo e o mar, sofrendo na ponta junto com os jovens que cada vez mais se sentem distantes da escola e de tudo que é tratado ali.

Só uma REVOLUÇÃO NA EDUCAÇÃO, um moblização nacional ampla e com adesaão da sociedade, mídia etc_ pra mudar ese quadro.

Se depender do governo (de qualquer governo, PT, PSDB), eu prefiro nem comlletar essa frase…

Dois pontos:

1- No Rio é a mesma coisa, a greve é coibida na chibata ideológica e com porrada na rua!!

2- A Globo não é a favor do professor, mas sim contra o governo.

Responder

Nadia

23 de maio de 2011 às 16h58

Infelizmente não são só os professores do Estado não. Na maior cidade de SC, Joinville (com prefeito do PT) os professores e demais servidores estão em greve há 3 semanas, reivindicando o reajuste anual, que é concedido para todas as classes sindicalizadas. É greve em todos os setores por aqui, independente de partidos.

Responder

CLAUDIO LUIZ PESSUTI

23 de maio de 2011 às 16h46

Brasil, a patria dos "direitos" so no papel!Sim, voce tem "direito" de fazer greve.E eu , patrao tenho o direito de te demitir , ou nao renovar o seu contrato por isso.Isto que e um "Estado de Direito Pleno" hein??!!

Responder

beattrice

23 de maio de 2011 às 15h10

Longe de querer disputar o TROFÉU NACIONAL DA DESGRAÇA, mas a educação em SP depois de 24 anos de uma verdadeira dinastia tucana que assola o estado instalada na BASTILHA do MORUMBI, todos os índices paulistas são devastadores: salário, aproveitamento, segurnaça nas escolas, etc etc.
O CAOS é o limite, mas já chegamos lá.

Responder

FrancoAtirador

23 de maio de 2011 às 15h00

.
.
CAMPANHA PARA A FEDERALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO EM TODOS OS NÍVEIS

Encaremos a realidade: a estadualização e a municipalização da educação fracassaram.

Os motivos desse fracasso são tantos, que talvez seja impossível enumerá-los todos:

Faltam gerenciamento, planejamento, projetos, vontade política e interesse público.

E sobram desvio de verbas, descaso administrativo, sucateamento e precariedade nos serviços.

É o verdadeiro caos nacional.

Está na hora de repensarmos a estrutura do sistema educacional brasileiro.

Os estados e os municípios, salvo exceções esporádicas, se demonstraram incapazes de executar as Diretrizes Básicas da Educação previstas na LDB (Lei 9394/96).

O novo Plano Nacional da Educação, do governo federal, é muito bom, mas a quem cabe implementá-lo?
Aos 26 estados e aos 5.565 municípios, a maioria em situação econômica precária e sem um aparelhamento funcional, especialmente técnico-administrativo, sem condições, sequer, de elaborar projetos e encaminhá-los ao Ministério da Educação.

Decorre daí, por exemplo, o passeio da verba federal, que inúmeras vezes é liberada pelo Governo Federal, porém retorna ao Tesouro Nacional sem a devida execução orçamentária, simplesmente porque não foi elaborado um projeto pelo estado ou pelo município.

Sem falar no desvio desta mesma verba nos trâmites burocráticos internos.

Os problemas são de toda ordem: política, administrativa, financeira, legislativa e estrutural.

As maiores contestações e resistências, em relação a uma mudança radical no sistema, partem dos governos estaduais e dos grandes municípios, com orçamentos robustos, já que os caciques políticos regionais, notadamente governadores, senadores e aspirantes a tais cargos, jamais vão admitir esta alteração das competências administrativa e financeira, pois significará perda do poder político e econômico nos estados.

Certamente o tema é bastante complexo e precisa de amadurecimento, até porque envolve alteração de normas constitucionais, mas inegavelmente uma mudança radical na estrutura do sistema educacional é necessária e urgente.

Este debate sobre a Educação Brasileira é de suma importância para o País.

A proposta está lançada:

PELA FEDERALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO EM TODOS OS NÍVEIS !
.
.

Responder

    JotaCe

    23 de maio de 2011 às 17h47

    Caro Franco,

    Admirável a sua análise do que ocorre com o sistema de ensino básico no país e, o que é sobremodo importante, a solução que propõe. Que continue a discussão do tema, difundido em primeira mão pelo Viomundo pois, ao que parece, o governo no âmbito federal, está cego para enxergar o que se passa. Em entrevista que deu o Ministro Haddad ao jornal O Globo em 04. 01.11 foram suas palavras:

    ‘O sistema de educação no Brasil, sobretudo o ensino fundamental, reagiu às políticas do Ministério da Educação positivamente. Assimilou a cultura da qualidade, do acompanhamento e do cumprimento de metas.’ Abs,

    JotaCe

Roberto Locatelli

23 de maio de 2011 às 14h28

O governador é ex-Demo, agora PSD (P-edaço S-errista do D-em). Esperar o que…

Responder

    daniel

    23 de maio de 2011 às 15h13

    Justamente!
    Muitos desses professores votaram no Colombo e no Serra!

    Odete

    23 de maio de 2011 às 18h59

    Digo mais….se tivessem votado em Ideli, não precisavam estar em greve hoje pelo pela implementação do piso, pois com o voto dos professores teria sido eleita.O compromisso de Ideli com o piso nacional é público e notório. Mas, a chibata é melhor, né mesmo? De quebra ainda elegeram Paulo Bauer senador, secretário de Educação de diversos governos e que sempre teve a postura de "enxugar" os gastos com a educação, especialmente no salário dos professores.

    Altemar

    23 de maio de 2011 às 19h27

    Se "Chapéu de Otário é marreta" então voto é uma martelada?

    vau

    25 de maio de 2011 às 20h28

    votei e sou professora e tambem estou em greve. te pergunto e o do pmd fezalguma coisa?

    Carmem Leporace

    23 de maio de 2011 às 20h01

    Tem petista que quando descer do avião vai em cana

    Tchau mano.

Francisco De Olavo

23 de maio de 2011 às 14h21

A caminho de mais uma surra em São Paulo.

Continuem tentando, depois de mais essa podridão de Palocci, acham que vão ""conquistar"" a classe média???

Só os ignaros votam nessa turma e olhe lá…

Responder

FrancoAtirador

23 de maio de 2011 às 14h15

.
.
PELA FEDERALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA EM TODOS OS NÍVEIS

Quando da publicação do vídeo da professora Amanda Gurgel, o Viomundo abriu espaço para uma discussão importante sobre a estrutura da educação no Brasil:
.
.
O ZePovinho deu o mote:

"Vamos defender a criação de uma Rede Federal de Educação Básica (do maternal ao ensino médio).Estados e municípios não têm competência ( e nem vontade) de entregar educação pública de qualidade aos brasileiros que não podem pagar uma boa escola privada."

Eu aderi:

"Há tempos venho refletindo na questão e cheguei a esta triste constatação:
A estadualização e a municipalização da educação e da saúde fracassaram.
E os motivos desse fracasso são tantos, que talvez seja impossível enumerá-los todos:
Faltam gerenciamento, planejamento, projetos, vontade política e interesse público.
E sobram desvio de verbas, descaso administrativo, sucateamento e precariedade nos serviços.
É o verdadeiro caos nacional."

O Roberto Locatelli complementou:

"No primeiro mandato de Lula, ele iniciou um movimento pela federalização do ensino. Mas sofreu ataques furiosos da elite. E recuou. Será que não é o caso de se pensar nisso novamente?"

O Marco Tulio, por sua vez, assim se manifestou:

"Cara…que felicidade ler isso.
Não é de hoje que venho falando isso aqui e acolá, mas minha voz sozinha é muito baixinha para ser ouvida…quem sabe daqui do Viomundo que é um espaço respeitado e de grande repercussão na blogosfera possa germinar essa idéia e tomar corpo junto à opinião pública.
Enquanto a fase mais importante da educação, que é a fundamental, continuar gerida por essa cambada (exceções há, apenas para confirmar a regra) de prefeitos ignorantes e corruptos e incompetentes vamos continuar nessa situação patética.
Federalizar o ensino fundamental com URGÊNCIA é a única solução (objetiva e de curto prazo, como bem disse a Profª Amanda Gurgel, ainda que não sobre a federalização) para reverter esse quadro dantesco.

Paralamente, o Pedro Luis Paredes fez comentário no mesmo sentido:

"Esse passeio da verba federal seria encurtado se eliminássemos os Estados.
Assim as demandas seriam as mesmas em todas as escolas do Brasil pois teriam a mesma fonte e o mesmo padrão de gasto.
Sendo as mesmas demandas, a mobilização e a união do setor seria muito mais fácil, sempre pontual e com mais responsabilidade.
Hoje cada estado tem um piso, demandas diferentes, gargalos diferentes. Isto é um absurdo sob o ponto de vista constitucional.
Não alcançaremos a democracia de oportunidades dessa forma uma vez que a constituição quer justamente diminuir as desigualdades regionais…
A educação deve ser a mesma para o Brasil inteiro, não sofre de elementos circunstanciais e locais, então não cabe aos estados tomarem conta se no fim das contas quem executa são as cidades. O executivo dos estados estão de gaiato nessa estória…
A questão da segurança se estende aos carceres, drogas e oportunidade (educação).
A questão da saúde…depende da educação que seria feita pelas cidades subordinadas diretamente à União.
Digo isso porque com boa educação diminuímos custos com saúde e segurança; diminuímos custos futuros.
Se querem mudar o Brasil, mudem a educação.
Se querem mudar a educação, unifiquem-na.
Estamos a quanto tempo mendigando mudanças?
Dando tiro no escuro?
Rodando em círculos?
Desde 1989?
Só por falta de força política?
Para ganhar merreca?
Não brinco com esse tipo de assunto.
O momento agora é perfeito pois precisamos de gente capacitada; o governo tende a ceder; até a rede bobo esta defendendo a melhora na educação (por razões diferentes é claro); e principalmente porque ainda precisamos.
Os professores desconhecem o poder que tem nas mãos. Se conhecem, não sabem como usá-lo."
.
.
Pergunto a todos:

Não seria o momento para ampliar esta discussão e transformá-la em um debate nacional sobre os rumos da Educação no Brasil?
.
.
CAMPANHA PELA FEDERALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA EM TODOS OS NÍVEIS

Aguardamos adesões, especialmente dos educadores e dos blogueiros que lutam por uma educação de qualidade no País.
.
.

Responder

Celso Silva

23 de maio de 2011 às 14h09

Vergonha de minha SC. O governo gasta rios de dinheiros com secretárias de desenvolvimentos regionais (tradução = cabides de emprego para retorno de dinheiro ao partido) e não tem dinheiro para aumentar o salário dos professores. Mas não vai mudar tão cedo essa situação. SC é terra de conservadores, a direita é forte e vai brincar muito tempo com nosso dinheiro.

Responder

Alberto Gastegi

23 de maio de 2011 às 11h20

Neste fim-de-semana aproveitei os dois dias de sol e me locomovi entre os populares desta aprazível cidade de Porto Alegre. Esperava ver cidadãos indignados, influenciados pelas manchetes da imprensa, rádio e TV. Para meu espanto, a maioria nem sabia do assunto, outros achavam normal que estando ele lá em cima, a burra ficasse mais cheia. Os gremistas só queriam saber de culpar o Odone e apenas um estava indignado com o Palocci, mas este era conhecido político da oposição, e ainda assim, mais com inveja do que com preocupação com os rumos do país. Já eu, acho que o verdadeiro alvo é a Presidente. Claro que é um teste, se ela ceder as acusações sem provas, mostrar preocupações será atacada por todos os lados. Mas quem resistiu a torturas físicas para não entregar seus companheiros, não é agora que ocupando o maior cargo do país que ela vai se sentir fragilizada.

Responder

    Edineuza

    23 de maio de 2011 às 19h09

    Caro Alberto, faço minhas as suas palavras. O ALVO É DILMAAAAAAAAA,

Pedro Higgins

23 de maio de 2011 às 11h02

Aqui no estado do Rio de Janeiro, que recebe milhões de royalties de petróleo, que receberá olimpíadas e final de copa do mundo, o segundo estado mais rico do Brasil, o piso salarial dos professores do estado é de 680 reais!!

Uma vergonha!!

Responder

    Fernando

    23 de maio de 2011 às 15h56

    E ainda tomam porrada de PM quando fazem greve.

henry_H

23 de maio de 2011 às 11h01

Enquanto discute-se isso dêem uma olhadinha na lista dos "aposentados" pela ALESC ( Ass. Legisl.Est. SC) e suas módicas gratificações vitalícias, no link abaixo
http://tinyurl.com/3zwfsnv

Responder

IVO MORESCO

23 de maio de 2011 às 10h44

LUIZ CARLOS AZENHA,
Por favor, esta greve dos professores de SC merece maiores atenções, artigos, revelações… por parte deste BLOG, principalmente, pela sua grandiosidade. Não perca oportunidade de publicar algo, pois, esta greve representa uma das maiores (senão a maior) movimentação social do Brasil no momento e da história do SUL do Brasil. Para os professores do Brasil, mais de um milhão, representa um grande exemplo. Para SC e para o Basil, o movimento que conseguiu maior adesão possível: mais de 90%. Esperamos maior reconhecimento. Os movimentos no Oriente Médio, na Espanha, etc., merecem atenção. Por que esta greve não tem a devida cobertura?
IVO

Responder

vani da col

23 de maio de 2011 às 10h14

O cabide de empregos é grande; está na hora de rever isto. O governo foi eleito herdando o cabide de empregos do anterior (PMDB); é o preço a pagar…para quem acha que cabide de empregos sai de graça…
é a troca pelo emprego de muitos…

Responder

    Rebeca Perez

    01 de junho de 2011 às 15h44

    Gente voces precisam entender é aqui em Joinville o Maior Numero de servidores municipal em Greve nossa Administração é Carlito Mers Truculrnto ñ ngocia com greveista ele é PT para minha tristeza

V

23 de maio de 2011 às 09h19

Governo Colombo, esperavam o quê?
Imagino só a cena: "O que essa cambada de professor pensa que é? Pensam que podem fazer greve? Vão ver só. Vamos dar uma lição, vamos desestimular qualquer greve."

Para muitos, já não vale a pena renovar o contrato. O que é preciso, é levar POLÍTICA para dentro da sala de aula, discutir Santa Catarina, discutir o Brasil, senão serão sempre ovelinhas a obedecer mansamente. E quem sabe, ir às ruas e pedir a demissão dos dois diretores que assinaram este ATO FASCISTA e do secretário de educação, afinal, o que eles pensam que são?

Responder

Gerson Carneiro

23 de maio de 2011 às 07h27

A luta dos professores públicos de todo Brasil ganhou um guardião de peso nesse domingo, 22 de maio de 2011. Seu nome: Faustão.

Agora vai.

Responder

    beattrice

    23 de maio de 2011 às 15h07

    A mãe dele foi professora, levou uns cascudos para defender o que vale a pena emc asa?

    Edineuza

    23 de maio de 2011 às 19h18

    Na verdade a globo usa a professora Amanda na tentativa de atingir O governo federal, viram ao final quando o Faustão diz que vai mandar a entrevista para a Presidenta Dilma. Mas jamais se referiu à governadora Rosalba do DEM que é quem governa o RN. A professora Amanda é muito feliz na sua fala, mas como ela mesma diz não disse nada de inuzitado e sim a realidade que vive a educação brasileira e em particilar do RN.

Barreto

23 de maio de 2011 às 06h09

Azenha,

O que justifica o silêncio da mídia em relação ao pronuncimento da Professora Amanda Gurgel do Rio Grande do Norte ?

Esta bombando na internet e nas ruas.

Mais de 1 milhão de acessos.

Dilma sabe que essa discussão é relevante.

Valorização dos professores, e ai ?

Porque o silêncio Azenha ?

Seria uma conspiração contra a qualidade da educação no Brasil ?

Se vc não é mais da Globo, quem te obriga a se calar ?
http://www.youtube.com/watch?v=yFkt0O7lceA&fe

Responder

    Conceição Lemes

    23 de maio de 2011 às 09h22

    Barreto, acorda!!! Foi a partir do Viomundo que o vídeo da professora Amanda se espalhou pela internet. abs

    Gerson Carneiro

    23 de maio de 2011 às 10h19

    E eu aqui pensando que a Marcha da Maconha já tinha acabado. Só…

    Francisco De Olavo

    23 de maio de 2011 às 10h45

    O engraçadinho do blog tinha que falar alguma sandice.

    Mas que gosta de aparecer…. isso gosta….

    Gerson Carneiro

    23 de maio de 2011 às 11h09

    Sóóó…

    Elton

    23 de maio de 2011 às 15h14

    Chegou aqui outro "putarevoltz"…………………..fazer o quê?

    Adilson

    23 de maio de 2011 às 17h12

    Boa Gérson..

    só um adendo: A marcha não é "da maconha", mai sim "dos maconheiros" pois a danada da erva não arreda do pé..

    abraços

    Conceição Lemes

    23 de maio de 2011 às 11h18

    Barreto, acorda 2!!! Foi a partir do Viomundo que o vídeo da professora Amanda não só se espalhou pela internet, como foi parar nas capas de todos os grandes portais. Enfim, deixou de ser um problema apenas dos professores do Rio Grande do Norte, passou a ser questão nacional. abs

    Fabio SP

    23 de maio de 2011 às 10h51

    Pois eu vi esse vídeo em todos os canais de TV possíveis.

    Até no Facebook.

    Fernando

    23 de maio de 2011 às 11h46

    A professora Amando Gurgel do PSTU esteve ontem no programa do Faustão.

    FrancoAtirador

    23 de maio de 2011 às 13h45

    .
    .
    Para o Faísca Atrasada:
    .
    .
    Viomundo
    Você escreve
    18 de maio de 2011 às 11:38

    Professora Amanda Gurgel cala secretária da Educação e deputados

    Sugestão dos leitores Sandra Vaz, Maria Salete Magnoni, Zé Povinho e Henrique Pinheiro

    https://www.viomundo.com.br/voce-escreve/professor

    Julio Silveira

    23 de maio de 2011 às 13h52

    Pô Barreto, sem querer ser a voz do Azenha que não precisa quem o defenda, mas neste caso foi aqui que primeiro eu ví o video da professora.
    Amigão quando voce resolver descer da nuvem para a terra e achar a ponta do fio da teoria da conspiração, antes informe-se para não ser injusto.

    Luciano Prado

    23 de maio de 2011 às 15h41

    Toc, toc, toc…

    Barreto?

    Tá aí?

Vinícius

23 de maio de 2011 às 02h26

A professora Amanda Gurgel, aquela do RN, esteve no Faustão hoje! Uma sindicalista esteve na Globo e a platéía só aplaudiu. Esqueçam a parte da Globo, pensem na visibilidade. Quanto de apoio da população não dá pra conseguir através disso em Santa Catarina, quanto desse apoio não vira segurança pros grevistas? Vamos aproveitar!

Moro no Paraná, mas contém comigo quem quiser ajuda no que quer que seja: [email protected]

Por sinal, ela pediu pra postarem no twitter, #dezporcentodopibja ou coisa assim. Só repassando…

Responder

    João

    23 de maio de 2011 às 10h20

    É caro Vinícius, a Profa. Amanda apareceu realmente no Faustão.
    Eu, como Professor que sou, vi.
    Notei que o discurso da Profa. foi editado. falaram da educação como um todo, e não se prenderam a casos específicos (como em São Paulo, e a tal "meritocracia" instalada pelo Serra e Paulo Renato).
    Como TODO mundo sabe que a educação está ruim (até a pessoa mais simples), a Globo posa de "boa moça" divulgando o discurso da Amanda, e auferindo alguns pontinhos no Ibope.

    Vinícius

    23 de maio de 2011 às 12h58

    Não que eu ache que alguém vá precisar de mim, mas só pra constar, não é como eu escrevi: é [email protected]

    ô coisa

Brendo

23 de maio de 2011 às 00h50

NOTE-SE QUE A NOTÍCIA BOMBOU NO YOUTUBE COM MAIS DE UM MILHÕA DE ACESSOS

Responder

Brendo

23 de maio de 2011 às 00h49

Azenha,

A omissão da imprensa escrita sobre a manifestação da professora Amanda Gurgel sugere uma conspiração dos orgaos de imprensa em relação a educação no Brasil ?
http://www.youtube.com/watch?v=yFkt0O7lceA

Responder

Euler Conrado

22 de maio de 2011 às 20h26

Por este rascunho fascista emitido pela secretaria da DESeducação de Santa Catarina se percebe como anda a situação da Educação pública no Brasil. Faltou apenas mandar um par de chicotes para os diretores de escola. E olha que a LDB apregoa a crescente autonomia das escolas. Que a greve dos colegas educadores de Santa Catarina se amplie, se fortaleça e obrigue esse desgoverno de Santa Catarina a tomar vergonha na cara e a pagar o piso já.

Aliás, para quem não é da área e não sabe, foi graças uma ADI (4167) impetrada no STF por cinco desgovernadores, incluindo o de Santa Catarina, que o nosso piso salarial ficou suspenso durante quase dois anos. Agora, quando o STF finalmente julgou o mérito da ADI rejeitando-a e considerando constitucional a Lei do Piso, o governo de Santa Catarina tinha obrigação moral de pagar imediatamente o piso, cujo valor já é ridículo: R$ 1.187,00 para uma jornada de 40 horas, para o professor com ensino médio.

No ano passado, em Minas Gerais, fizemos uma greve de 47 dias contra o governo Anastasia/Aécio Neves, que durante oito anos confiscaram vários direitos dos educadores. Este ano já estamos nos preparando para uma nova greve, pois o governo mineiro tem essa mesma ladainha, de esperar pela publicação do acórdão para pagar o piso. Uma vergonha nacional!!!

Responder

    Ana Dias

    22 de maio de 2011 às 21h01

    é ridículo. Dizem-se muito preocupados com a educação, mas na hora do vamos ver, saem-se com essa desculpa de "esperar o acórdão". Faça-me o favor!!! Se estivessem MINIMAMENTE preocupados, se tivessem um MÍNIMO de vergonha na cara, de civismo – UM MÍNIMO – pagariam imediatamente.

Ana Dias

22 de maio de 2011 às 20h22

Pois é. E quem assina ainda é de uma "Diretoria de Desenvolvimento Humano". é muita cara de pau.
Os professores já estão se sentindo intimidados…
e a grande imprensa continua fazendo de conta que nada de grave acontece…

Responder

Seger

22 de maio de 2011 às 20h04

São uns jenios. Estão fazendo a alegria da oposição no estado, que estava precisando de assunto para uma boa briga e defender a sociedade de um governo malvado. Uma carta fascistas dessas, cheia de ameaças do tempo do Geisel, era o que sonhavam os petistas de SC. Sem falar que, de um jeito ou de outro, o senhor desgovernador vai ter que pagar a conta. Ou ele vai preferir ficar sem um centavo de verbas federais para serem aplicados aqui na demolândia durante o goveno da JK de Saias?

Responder

    Elton

    22 de maio de 2011 às 21h04

    Mas o amigo esperava o quê de um governo de direita? Ou também acreditava que os donos do poder local em SC iriam "governar para o povo"? Aqui em SC o poder DE FATO pertence a quatro ou cinco famílias tradicionais. Que divulgam números "geniais" sobre a qualidade de vida no estado, a dar a entender que o paraíso existe e situa-se entre o Paraná e o Rio Grande do Sul. O Eleitor acredita e mantém a continuidade………..

Elton

22 de maio de 2011 às 18h47

Santa Catarina tem um eleitorado profundamente conservador. Aqui é comum afirmar-se que "não precisamos de políticos e sim de ADMINISTRADORES COMPETENTES". E é assim que são conduzidos os discursos durante as campanhas eleitorais, principalmente pelos candidatos do PSDB e DEM, que ganham a maioria dos votos para os cargos do legislativo e executivo no estado e municípios. Assim como no Paraná, Santa Catarina há tempos "optou" por contratações de professores temporários ao invés de realizar concursos públicos, os argumentos, vocês já devem conhecer mas o fato é que se precariza ainda mais o mercado de trabalho para o professor e se barateia ainda mais a nossa mão de obra.
A RBS (filiada local da Globo) óbviamente "condena" a greve e é a condutora da opinião pública no estado. Sempre naquela de que o "governo estadual se empenha em resolver o problema mas o radicalismo dos profissionais é o que atrapalha……."
O governo local se conduzir a "solução" que ameaçou pôr em prática, não terá a quem contratar. Não há realmente muitos professores disponíveis, primordialmente no interior de SC, onde moro.

Responder

    Nadia

    22 de maio de 2011 às 20h44

    Em Joinville (SC) os professores municipais estão em greve há duas semanas…e o prefeito é do PT.

    Edmilson

    23 de maio de 2011 às 13h05

    A "grande mídia" adora meter o malho nos terceirizados da Petrobras (não sem razão), mas convenientemente "esquece-se" de falar da precarização do magistério estadual em SP (mais de 100 mil contratados "por prazo determinado") , PR e SC. E contratação por prazo determinado, segundo o artigo 37, IX, da CF, só poder ser realizada para necessidade TEMPORÁRIA de excepcional interesse público. Que necessidade "temporária" é essa na qual professores ficam anos e anos trabalhando sob vínculo precário, amparados por contratos renovados anualmente???

    Elton

    23 de maio de 2011 às 15h19

    É que essa questão talvez a partir de AGORA comece a ter visibilidade nacional. É como se faz em muitas empresas particulares, põe estagiários, sai mais barato e o sujeito dificilmente aderirá a uma greve por medo. Creio que o último concurso público para contratação de professores efetivos no Paraná foi em 2007. Em Santa Catarina nem sei……..
    é também um modo de os políticos locais desmobilizarem mais ainda a classe.

Polengo

22 de maio de 2011 às 18h18

O nome das duas meliantes que assinam é:

Elizete Freitas Mello
Gilda Mara Marcondes Penha

O ideal seria rescindir o contrato dessas duas coisas.
E de todos os cúmplices.

Responder

Angélica

22 de maio de 2011 às 16h21

Mas o Governo do PMDB de Cabral não faz diferente no R.J. é só conferir : http://www.seperj.org.br/ver_noticia.php?cod_noti

Responder

yacov

22 de maio de 2011 às 16h20

E eu não sei não, mas acho que teremos greve do PROCON-SP, em breve. A greve foi decidida em Assembléia para ter início no dia 23/05, mas a nova Secretária da Justiça, pediu 20 dias para estudar o caso… O fato é que os servidores não tem aumento há mais de 10 anos e acumulam 49% de perdas salariais, não há adicional para os técnicos que trabalham com o público nos poupatempos, além de estarem há 10 anos lutando pela implantação de Plano de Carreira, sem sucesso. Coisas que não se vê na grande mídia, que blinda o Governo paulista como pode.

"O BRASIL PARA TODOS não passa na glOBo – O que passa na glOBo é um braZíl para TOLOS"

Responder

Luís

22 de maio de 2011 às 15h23

Greve nas ETECs em São Paulo e greve de professores em Santa Catarina e ainda por cima com uma intimidação como essa.

Esse é o jeito PSDB/DEM de governar.

Responder

    Pedro Almodóvar

    22 de maio de 2011 às 17h01

    E quem os elege? Me poupe.

SILOÉ -RJ

22 de maio de 2011 às 15h02

Essa é a maneira de governar do PSDB e cia. Tudo na base ou dá ou desce!!!

Responder

Étore

22 de maio de 2011 às 14h41

Justíssimo.
Se o acordado foi paralisar e repor as aulas em um detrminado prazo, nada mais correto do que punir quem não o fez. Isso independe do mérito da paralisação.

Responder

    ana

    22 de maio de 2011 às 16h22

    CUMPRIR A LEI TAMBÉM É NADA MAIS QUE CORRETO E PUNIR QUE NÃO CUMPRE O STF.
    fazer que se cumpra a lei é o mérito da questão

    JotaCe

    22 de maio de 2011 às 19h50

    O problema, Ana, é que a Lei sempre é invocada para atender o interesse dos inimigos do povo. Invocada e atendida…Veja o caso do médico criminoso, condenado a mais de 250 anos de cadeia e do banqueiro Daniel Dantas, soltos ‘lá em cima’ pelo mesmo STF que você mencionou. O caso é que acima da letra fria, impessoal, dos códigos legais, sempre deve estar o lado humano, o direito de existir…Será que você não entende como é mal retribuído o trabalho dedicado dos professores, especialmente os do ensino básico ? Pra finalizar quero te dizer que não sou professor e os defendo do meu ponto de vista de cidadão que deseja um país melhor para todos. Até te adianto que, se fora um deles, já estaria acampado, protestando…Cordial abraço,

    JotaCe

    Ana Dias

    22 de maio de 2011 às 21h03

    Acho que a Ana (que não sou eu) está se referindo ao governador de SC, não aos professores. Ela quer que cumpra-se o que estabeleceu o STF, ou seja, pague-se o piso ou puna-se o infrator…

    JotaCe

    22 de maio de 2011 às 21h54

    Cara Ana Dias,

    Se for o caso, apresento minhas desculpas. Mas, não está muito claro o poster dela, o que leva a considerar que o tal governador só pagaria após publicado o acórdão, como denunciado na Web. se não criar até novos problemas para os professores…Enquanto isso, estaria (ou estará) todo o professorado sofrendo pela conduta fascista, idiota e simiesca de autoridades. Estas chegam ao extremo de publicar um documento como é a circular, assinado não só pela Secretária de Educação, mas até de uma pseudo-Diretora de Desenvolvimento Humano (?)…Aonde está o povo de SC que não ajuda o professorado que educa e instrui os seus filhos? Cordial abraço,
    JotaCe

    Elton

    23 de maio de 2011 às 15h23

    O povo de Santa Catarina (a quem conheço bem) infelizmente não tem na mobilização seu forte. Aliás aqui no Sul (ao menos no PR e SC) ACEITA-SE muito os desmandos dos governos direitistas dominantes por estes lados. Não estou "falando mal" apenas constatando algo corriqueiro pois nasci no Paraná e moro em SC. Sou professor e militante político há 28 anos.

    JotaCe

    22 de maio de 2011 às 17h19

    Caro Étore,

    Independe do mérito? Discordo de tão singular raciocínio que não atenta sequer para o status quo que preside a vida dos professores, seres humanos como você e como eu. Assinada até por uma Diretora de Desenvolvimento Humano (?), a circular da Secretaria de Educação de Sta. Catarina, é de envergonhar a todo o povo brasileiro. Não poderia ser menos fascista a pretensão de fazer calar pela miséria aqueles que se dedicam à tarefa de instruir e educar os nossos filhos. Regresso aos tempos do Bornhausen, denunciado pelo próprio Collor, como o ‘homem da mala preta’? Os professores devem se mobilizar e iniciar a criação de acampamentos de protestos como o faz o povo espanhol representado, mas não exclusivamente, pelos jovens. Cordial abraço,

    JotaCe

João

22 de maio de 2011 às 14h06

Jisuis! E os caras têm a coragem de escrever isso?
Pobre Santa Catarina, que já teve uma boa educação.
Pobres Professores catarinenses, tendo que se curvar à ditadura do Colombo.
Se eu pudesse, em um "passe de mágica", colocaria na cabeça de todos os Professores catarinenses: "ninguém volta a trabalhar enquanto não discutirmos seriamente a educação, as condições de trabalho, e a reposição das aulas para os alunos".
Imaginaram? TODOS os Professores parados, e o Governo tendo que explicar para a socieade o porque disto?
Sei que é um sonho, que as pessoas precisam sobreviver, e que nem todos têm consciência política. Mas eu gostaria de ver este sonho realizado (mais do que ganhar na mega-sena).

Responder

    SILOÉ -RJ

    22 de maio de 2011 às 15h02

    Vai depender da mobilização sindical, se os mesmos não estiverem nas mãos deles.

Rios

22 de maio de 2011 às 12h16

Meu Deus… que texto mais facista!!!! e ainda tiveram a coragem de colocar no papel… imaginem o que eles não mandam dizer e fazem "em off".

Responder

    DoSul

    22 de maio de 2011 às 17h55

    Nem queira saber. O estado SC vai mal. Além da educacão, a seguranca pública é uma vergonha também.

Ivonete

22 de maio de 2011 às 11h37

Isso é uma ameaça covarde. O Estado de SC tem um número exorbitantes de professor contratado por tempo limitado, pois há muito que não abre concurso público para efetivo. Caso, esses acts não tenham seus contratos prorrogados, as escolas não funcionarão e o governo não terá como contratar outros professores, porque não há tantos professores disponíveis. O que quero dizer é: isso é apenas ameaça, o governo de SC não dispõe de um contingente de reserva docente nessa magnitude.

Responder

    @tarsoryon

    22 de maio de 2011 às 16h24

    Acertou em cheio Ivonete, pois praticamente + 90% dos contratados estão em greve. Quero ver o governo explicar depois a falta de professores e tem mais, se eu fosse ACT só aceitaria um novo contrato pagando o que eu pedisse.

O_Brasileiro

22 de maio de 2011 às 11h22

Como disse a professora do RN, os professores têm que ter vários empregos para sobreviver… Então, façam greve em uma escola e trabalhem na outra!
Se todos professores tiverem 2 empregos, 100% dos professores estarão em greve mesmo dando 50% das aulas!

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding