VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Denúncias

Globo e Corinthians: Quem ganhou com a implosão do grupo dos 13


05/05/2013 - 11h48

por Cosme Rímoli, no R7

Publicado em 04/05/2013 às 10h02

Ninguém ganha como o Corinthians em São Paulo, no Brasil. O Flamengo e seus R$ 750 milhões em dívidas não é páreo. Graças a Globo, os corintianos já começaram seu reinado. E, omissos, todos os rivais fingem não perceber…

Os quatro clubes de São Paulo divulgaram seus balanços. E os números não deixam dúvidas. Principalmente nas receitas. O Corinthians já deixou seus rivais para trás. Bem para trás.

O tratamento diferenciado que recebe da Globo é impressionante. Dos R$ 310,9 milhões, R$ 153,8 milhões vieram da tevê. Esse dinheiro é maior do que o total que o Palmeiras arrecadou em 2012. Somando cotas de tevê, patrocínio, venda de jogadores e bilheteria.

O São Paulo, segundo colocado, faturou R$ 220,7 milhões. Ou seja, R$ 90 milhões a menos. Isso tendo seu próprio estádio somando jogos e shows. Situação que o Corinthians ainda não tem.

Como a Espanha fez com o Real e o Barcelona, os corintianos recebem muito mais. Foram, como já foi escrito, R$ 153,8 milhões. O São Paulo recebeu R$ 112,4 milhões. O Santos, R$ 89,3 milhões. E o Palmeiras, foi o patinho feio, R$ 73,4 milhões. Menos da metade oferecida ao clube do Parque São Jorge.

Encolhidos, Juvenal Juvêncio, Luís Álvaro e Paulo Nobre nada podem fazer. Com o final do Clube dos 13 a negociação deixou de ser conjunta. É cada um por si.

E a Globo pagando mais para quem lhe interessa. Em São Paulo, já fez sua escolha e ponto final. O Corinthians é o clube que será o mais visto porque dá maior audiência.

Como no país ibérico, mais dinheiro ao clube significa melhor elenco, mais estrelas. Maior visibilidade arrasta maiores patrocínios. O clube da Zona Leste é o que mais faturou também com anunciantes. Ganhou R$ 64,6 milhões.

O Palmeiras conseguiu R$ 44,2 milhões. O Santos, R$ 40,4 milhões. O São Paulo apenas R$ 25,4 milhões.

Maior visibilidade, maior patrocínio, melhores jogadores e… Mais torcedores. O Corinthians arrecadou R$ 35,1 milhões em bilheteria. O São Paulo, R$ 25,4 milhões. O Palmeiras, R$ 18,4 milhões. Já o Santos, R$ 17,4 milhões.

O São Paulo só vence o Corinthians no item venda de jogadores. Conseguiu R$ 46,3 milhões. Não contabilizada a centenária venda de Lucas. Os R$ 108 milhões entrarão este ano. O Corinthians conseguiu R$ 33,8 milhões. O Santos conseguiu R$ 27,3 milhões. E o Palmeiras apenas R$ 6,3 milhões.

O resumo da ópera. Em 2012, o Corinthians arrecadou R$ 310 milhões. 24% a mais do que em 2011.

O São Paulo chegou a R$ 220,7 milhões. Cresceu 38,5%.

O Santos R$ 175,1 milhões. 12,9% a mais.

E R$ 121,1 milhões entraram no Palmeiras. 23,6% a mais do que há dois anos.

O Corinthians ganhou mais R$ 90 milhões do que o São Paulo. R$ 135 milhões do que o Santos. E R$ 161 milhões do que o Palmeiras. Isso sem o Itaquerão. Projeções apontam que o estádio levará ao clube R$ 100 milhões por ano. Entre jogos e shows.

A direção busca R$ 400 milhões pela venda dos naming rights. O Corinthians tem até acordo inédito com a Globo. Assim que fechar com o patrocinador, a emissora divulgará o seu nome. O que nunca fez em décadas de patrocinadores de times de basquete e vôlei. Isso pela quantia de 10% do acordo que os corintianos conseguirem.

Como na Espanha, a Globo, emissora dona dos direitos de transmissão, desequilibra o futebol. Torna a vida corintiana bem mais fácil. Tudo começou em fevereiro de 2011. Com Andrés Sanchez implodindo o Clube dos 13.

Veio a recompensa, com o Corinthians, ao lado do Flamengo, ganhando mais do que os outros. Sendo mais mostrado, atraindo maiores patrocinadores. O clube carioca não incomoda o corintiano. Até porque é aquele com maior dívida no país: R$ 750 milhões.

Por trás do campeão da Libertadores e do mundo há o que todos desconfiam. Muito dinheiro a mais do que os concorrentes. Exatamente como acontece com Barcelona e Real Madrid. No Brasil, o momento é espetacular para as finanças corintianas. Ele desfruta os privilégios sozinho. Já que o Flamengo precisa se livrar de suas dívidas. Isso vai levar anos.

Enquanto isso, a distância aumentará. Todos os dirigentes de outros clubes se calam. Pensam que nada podem fazer. Mas se não fossem tão omissos, covardes poderiam se unir. E exigir uma mudança de rumo. Fingem que não percebem. E vão aceitando passivamente ficar para trás.

Como um dia já fizeram os outros clubes da Espanha. Agora se arrependem amargamente. Enquanto acompanham admirados nos noticiários, as milionárias transações. Nunca deles, mas do Real Madrid e do Barcelona.

Qual clube no Brasil teria condições de brigar por Pato? Quem teria R$ 40 milhões para dispor pelo atacante? Trazer de quebra Renato Augusto e Gil? O Corinthians gastou R$ 60 milhões em reforços.

Com o dinheiro entrando a mais, vai continuar comprando. E cada vez melhor. Tendo um time cada vez mais atrativo para a Globo. Com mais audiência. A emissora cobrará mais dos seus patrocinadores. E dará sempre mais ao Corinthians.

A bola de neve já está a todo vapor.

Todos fingem não enxergar. Depois, quando se tornar uma avalanche, será tarde…

(Ao contrário do Flamengo, o Corinthians retribui à Globo. Em 2012, as maiores audiências no futebol foi com o clube. Não com a Seleção Brasileira. Na final da Libertadores contra o Boca, chegou a 41 pontos. Cerca de 65% dos televisores estavam ligados na Globo. Na final do Mundial diante do Chelsea, 32 pontos. Em 2013, o Corinthians já está na frente. Na partida contra o rival Boca nesta semana, 29 pontos. Recorde para o futebol no ano. Ou seja, uma mão está mesmo lavando a outra…)

Leia também:

Dilma entrega o ouro para Shell, Chevron, Exxon…

Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - A mídia descontrolada e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


82 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Jailson: "Quanto mais adianto a obra, mais fico perto de ser removido" - Viomundo - O que você não vê na mídia

09 de junho de 2013 às 00h43

[…] Globo e Corinthians: Quem ganhou com a implosão do grupo dos 13 […]

Responder

    Olney

    13 de junho de 2013 às 00h28

    Em primeiro lugar sou flamenguista! Mesmo com meu time beneficiado como Corinthians e alguns outros, eu também sou contra esse tipo de patrocínio televisivo. Em cerca de vinte anos ou até menos, alguns times bons como Cruzeiro, Vasco, Palmeiras entre outros sumirão e isso fará com que a grande maioria de seus torcedores percam a paixão pelo futebol. O futebol brasileiro é ÚNICO!! Nenhum país tem tantos times com tamanha expressão! E “cá” entre nós, sabemos que os times não são nenhuma maravilha e estão bem longe do evoluído futebol europeu. Mas quem aqui se arrisca com veemência a dizer quem será o campeão brasileiro de 2013? Eu não me arrisco! Talvez daqui a 20 anos!

    Abraços

guilherme

08 de maio de 2013 às 21h29

A culpa não é do Corinthians e sim dos idiotas que aceitaram. Uma negociação em bloco tem muito mais força do que individual.

Responder

Claudomiro

07 de maio de 2013 às 21h37

Gostaria de saber qual o time que o autor torce. Me parece texto de
torcedor e, logicamente, que não é corinthiano!rs
Ficaria empolgado caso apresentasse um texto destacando os atos realmente dignos dos clubes de futebol brasileiros em prol da melhoria da nação. Diga-se de passagem, o único clube que me recordo que teve uma atitude descente no fim da ditadura militar, para citar uma postura interessante de um clube de futebol em prol efetivo da nação, foi justamente o clube que ele critica, com a Democracia Corinthiana.
Texto medíocre e decepcionante.

Responder

Pedro Teixeira

07 de maio de 2013 às 10h29

Perdi a vontade de assistir o Brasileiro. Sei que, com essa lógica de cada um por si, nunca mais verei o meu Cruzeiro campeão. Se for para ficar vendo o Corinthians ser campeão seguidas vezes, é melhor assistir a um campeonato estrangeiro e que de preferência não seja o espanhol ¬¬
Quem diria que no quesito esportes os EEUU são mais igualitários do que a gente. Uma Soluçao seria fazer um campeonato só entre o Corinthians e o Flamengo, já que são tão melhores, e o restante faria um torneio a parte.

Responder

Mardones

07 de maio de 2013 às 09h23

k k k k k

“Todos os dirigentes de outros clubes se calam. Pensam que nada podem fazer. Mas se não fossem tão omissos, covardes poderiam se unir. E exigir uma mudança de rumo. Fingem que não percebem. E vão aceitando passivamente ficar para trás.”

Não sei se todos se calam, mas aposto que os dirigentes do antigo Clube dos 13 não têm do que reclamar. Ou reclamariam de barriga cheia. Que outra atividade renderia a presidente, vice e afins o que ele ganham?

E mais: o que um ‘dirigente’ de time de futebol precisa para bem viver? Mostrar resultados? Não.

Como exemplo vejo os dois principais times da Bahia: o Vitorinha e Tricolor de Aço (Bahia). Mesmo na ‘décima’ divisão do campeonato brasileiro, a torcida não parou de encher os bolsos dos dirigentes. E por isso não faltaram grandes patrocinadores, como montadoras de carro(ças).

Dirigentes jamais vai mexer o traseiro da sua cadeira, pois atua num ramo muito privilegiado. E tem o torcedor para sofre pelo time em seu lugar. Quem precisa se mobilizar é o torcedo. O artigo errou o alvo.

Responder

Marco Galo

07 de maio de 2013 às 09h20

O povo brasileiro é tão alienado, tão idiota, tão amestrado que não entende sua força.
Muito se falou sobre os horários de transmissão dos jogos na quarta-feira. 22:00 hs.terminando meia-noite, até sair do estádio e chegar em casa uma hora da manhã no mínimo. Tomar um banho e dormir, duas horas da manhã e ter de acordar cinco, seis, sete da manhã na quinta.

Deixem de ir ao estádio pra vocês verem se a TV Globo não muda o horário. Façam o teste seus idiotas amestrados fãs do futebol mais corrupto do mundo, mas cheio de falcatruas ( vide condenações do João Havelange e do Ricardo Teixeira na Suiça ) Dois ladrões que devem rir da cara de babacas de vocês e que estão curtindo os milhões de dólares que receberam de propina enquanto dirigentes do futebol brasileiro e mudial.

Responder

Marco Galo

07 de maio de 2013 às 09h19

O povo brasileiro é tão alienado, tão idiota, tão amestrado que não entende sua força. Muito se falou sobre os horários de transmissão dos jogos na quarta-feira. 22:00 hs.terminando meia-noite, até sair do estádio e chegar em casa uma hora da manhã no mínimo. Tomar um banho e dormir, duas horas da manhã e ter de acordar cinco, seis, sete da manhã na quinta.

Deixem de ir ao estádio pra vocês verem se a TV Globo não muda o horário. Façam o teste seus idiotas amestrados fãs do futebol mais corrupto do mundo, mas cheio de falcatruas ( vide condenações do João Havelange e do Ricardo Teixeira na Suiça ) Dois ladrões que devem rir da cara de babacas de vocês e que estão curtindo os milhões de dólares que receberam de propina enquanto dirigentes do futebol brasileiro e mudial.

Responder

Francisco

07 de maio de 2013 às 08h42

Um bobão esse Cosme Rimoli… A cada dois parágrafos tem que ficar desmoralizando o Flamengo… Mala!

Responder

    guilherme

    13 de maio de 2013 às 19h44

    O não está desmoralizando, porque o flamengo não tem moral nenhum. Desmoralizar o que?

Jose Mario HRP

07 de maio de 2013 às 06h05

Fica patente que essa coisa toda, esse drama que os corintianos fazem por conta do tal “timão” foi extremamente inflada por conta dessa mídia sordida em especial pela Globo “garante”!
Fora ser uma torcida antipática e arrogante , agora se descobre que é artificial.

Por isso ninguém atura essa manada.

Responder

    Fernando

    08 de maio de 2013 às 16h41

    Porcure urgentemente um ortopedista

    Sua dor de cotovelo esta afetando seu juizo…

Marcos

07 de maio de 2013 às 02h13

Isso já era sabido. O Corinthians fez o que o que achou justo pra ele. Quem dá mais retorno, ganha mais. A reportagem do R7 parece encomendada pra demonizar a Globo. Erra ao associar algumas coisas à implosão: já faz tempo que o Corinthians tem mais jogos televisionados, tem a maior audiência e maior espaço na mídia. O valor que informa parece ser de todas as competições somadas. Libertadores e Mundial devem pagar mais que Copa do Brasil. E esquece de dizer que a Record fez proposta semelhante pelo jogos do Brasileiro.

Responder

hc

06 de maio de 2013 às 23h33

Isso se chama profissionalização, quando entram os burocratas, assim não serão os melhores, serão os mais rentáveis.
Agora o Andres está na seleção e vai ficar ali até engolir o Marin. Ai sim, a profissionalização via entrar pra valer.
Um verdadeiro circulo viciado e não vicioso. Na musica e nas artes quem tem entrado, por vias, fora da profissionalização é pelo YOUTUBE, onde o profissionalismo não é necessário, somente o talento e a criatividade.
Bom um palpite vai ser a transmissão dos varzeanos com os melhores atletas, porém de rentabilidade duvidosa.

POR FALAR NISSO DESDE AQUELA COPA QUE O RONALDO FOI O MELHOR DA COPA, DEIXANDO PARA TRÁS O RIVALDO E QUE O OLIVER “PERUZEIRO” KAN FOI CONSIDERADO O MELHOR GOLEIRO DEIXANDO PARA TRÁS O MARCOS PODE SE PERCEBER A PROFISSIONALIZAÇÃO. PENA O RIVALDO ATÉ HOJE NÃO É RECONHECIDO PELO QUE FEZ EM SEU PAIS. ISSO É QUE É SER PROFISSIONAL, DIGO RENTÁVEL.

Responder

Richard

06 de maio de 2013 às 23h16

Vamos por partes.

– Vivi para ver o Azenha colocar texto do Cosme Rimoli
– A turma da dor de cotovelo querer colocar tudo na conta do Corinthians é de doer.
– O Corinthians sozinho não fez nada. Aliás, se os outros clubes fossem tão santos como seus torcedores pregam, teriam se unido e Rede Globo nenhuma mandaria no futebol brasileiro.
– Aliás, o Corinthians sozinho não tem força nenhuma, tanto que o Andrés nem vai tentar CBF pq sabe que vai tomar pau. E aí?
– Quem comanda a CBF é alguém ligado ao São Paulo manipulado por um do Palmeiras. Super força o Corinthians tem na CBF né?
– Enquanto vcs continuarem colocando tudo apenas na conta do Andrés e do Corinthians apenas, vai continuar essa merda aí.

Responder

Arquimedes Ferraz

06 de maio de 2013 às 23h07

O Clube dos 13 foi o maior mal já criado no futebol brasileiro, ele serviu simplesmente para concentrar a renda gerada pelo esporte mais popular do país nas mãos dos clubes do Eixo Rio-São Paulo (como protagonistas) e Minas e Rio Grande do sul (como coadjuvantes). Sua atividade segregadora colocou à margem muitos times tradicionais em benefício de poucos, a discussão sobre a disparidade financeira que as novas cotas proporcionou ao Corínthians, nada mais é do que o acirramento da ambição e do espírito predatório que impulsionou a criação dessa entidade espúria.

Os mesmos que colocam o Palmeiras como prejudicado pelas novas cotas, esquecem que esse mesmo clube vai receber para disputar a Série B deste ano mais do que TODOS os seus adversários juntos e mais do que muitos times que disputarão a Série A de 2013 e que não faziam parte do Clube dos 13, como, por exemplo, Náutico e Criciúma.

Essa absurda concentração de renda, ao passo que colocou no limbo clubes tradicionais fora da ótica político-regional dos idealizadores do Clube dos 13, foi excelente para os clubes dos estados beneficiados, lembrem-se que antes da criação da referida entidade, o único time de São Paulo campeão da Libertadores era o SANTOS DE PELÉ, depois disso os quatro “grandes” do estado citado já foram campeões da América, o Corínthians não tinha uma única conquista nacional, hoje é campeão do mundo.

A mesma Rede Globo que aqui é criticada por beneficiar o Corínthians serve de instrumento de alienação e colonização de torcedores/consumidores em todo o Brasil, induzindo-os para torcerem, não só para o Corínthians, mas para TODOS os ditos times “grades” do Eixo Rio-São Paulo. O efeito disso é devastador, pois destrói o futebol local em benefício de clubes distantes que não representam esses torcedores.

Acompanho diariamente este Blog e sua luta incessante pela democratização da mídia, mas não vejo uma discussão profunda quanto ao tema da regionalização de conteúdos, presente na constituição e ausente na programação da televisão, e que, em relação ao futebol, transforma nosso principal esporte em um torneio Rio-São Paulo com convidados.

Ao leitor que postou acima que o Sudeste e o Sul carregam Norte e Nordeste nas costas, eu peço que faça a seguinte reflexão: Nós nordestinos sofremos com o subdesenvolvimento e o nosso crescimento econômico depende do fortalecimento de várias atividades que geram riqueza, entre elas o esporte, será que é justo a grande mídia roubar o nosso torcedor-consumidor?

O meu Brasil tem 26 estados e um Distrito Federal, quantos estados tem o dos senhores?

Responder

Luís CPPrudente

06 de maio de 2013 às 23h01

A maioria dos dirigentes de clube são verdadeiros bandidos, coniventes com as safadezas feitas pela CBF, pelo canal da famiglia Marinho.

Seria necessário mudar a direção da CBF e dos clubes, para peitar as falcatruas feitas pela famiglia Marinho.

Esses mafiosos da famiglia Marinho ainda vão conseguir destruir o futebol brasileiro ao privilegiar o “Curinthians”.

O Congresso Nacional deveria criar uma lei impondo aos clubes de futebol que se tornem empresas sérias para terem acesso a créditos dos Governos e acesso à televisão aberta, por ser uma concessão pública. E nós devemos mandar a FIFA para a PQP por achar que só no Brasil não os clubes não podem ser profissionalizados (terem direções sérias e que arquem com todos os prejuízos que causarem).

Responder

Evandro

06 de maio de 2013 às 22h39

Porque o Corinthians deveria sustentar os outros clubes?

O Corinthians não está tomando nada de ninguém. Ele está se vendendo pelo preço que pensa valer.

Os outros clubes que negociem com a Globo e tentem receber o que o Corinthians recebe. E que apresentem boas razões pra isso.

Responder

guilherme

06 de maio de 2013 às 20h20

Existe uma coisa muito antiga que é totalmente correta, “a união faz a força”. O que é que a globo fez? acabou com clube dos 13 enfraqueceu os mais fracos. Mas isso tem jeito. Deixem o Corinthians e o flamengo (minúsculo mesmo) disputarem o campeonato entre eles. Os outros, que são maioria formem uma liga independente e façam o seu próprio campeonato. Ah!!! mas, e a televisão. Bem ela tem a força do direito e maioria tem o direito da força. Gostaria de não ter que dizer isso, mas, o Eurico Miranda está fazendo falta. Jamais ele aceitaria um absurdo desses; até porque ele detesta a Globo.

Responder

Carlos Alberto

06 de maio de 2013 às 20h14

Pois bem, concordo com você Cosme. Por exemplo se os clubes tivessem ouvido a proposta da record e fechado com ela a globo não iria poder transmitir os jogos do corinthians pois os outros clubes não teriam acordo com ela. Aí a globo teria que fazer algo pois o corinthians nunca joga sozinho. COncordo com a forma da NFL. Tudo é dividido igualmente entre os clubes, evitando uma superioridade de um clube que torna o campeonato sem graça.

Responder

Messias Gonçalves Cardoso

06 de maio de 2013 às 19h57

Muito bem eu penso que toda discussão tem que ser feita a luz da razão, sem a obscuridade da paixão, sou corinthiano, entretanto nunca fui a favor do Dualib, a contrário ele era de fato um mafioso! mais vamos colocar os pigos nos “is” primeiro que todos que são administrado como empresa, tem que dar lucro, não é assim no comunismo, o comunismo também não tem nada a ver com entrenimento! está bem claro que o BNDE emprestou o dinheiro para o corinthians, como emprestaria ao São Paulo, mais este não quis! mais vamos dar uma pausa e retornar à época da ditadura, onde o estado de São Paulo foi governdores biônicos, um deles por nome de Naudo Natel veio a ser depois presidente do São Paulo futebol Clube, época que foi contruido o Morumbi, lembram? será que uma coisa não tem nada a ver com a outra? onde foi que o são paulo com uma renda ridícula conseguiu o dinheiro para tamanha façanha? por tanto se é para discutir vamos discutir então!

Responder

    Rafael

    07 de maio de 2013 às 08h02

    Amigo, todos os clubes de São Paulo ganharam incentivos fiscais durante os anos 40, 50 e 60 . Enquanto Palmeiras e Corinthians compraram jogadores e ganharam títulos o São Paulo amargou 12 anos de fila entre os anos 50 e 60 até a inauguração do Morumbi. Obviamente todos ganharam alguma coisa , mas sempre tem corinthiano com essa desculpa esfarrapada.
    Caso os governos não tivessem cedito um monte de coisas para os clubes da capital ( Corinthians, São Paulo , Palmeiras e Portuguesa ) provavelmente não teriamos a metade deles ainda vivos.

Willian

06 de maio de 2013 às 17h43

Por falar em Corinthias, como estão os 12 torcedores presos na Bolívia? Presos não, sequestrados. Cadê os direitos humanos? Imagina este corintianos presos nos EUA ou na Europa, você já teriam colocado o bloco na rua.

Mas como é o companheiro Evo, que quer que o governo brasileiro entregue o senador boliviano abrigado na Embaixada para soltar os brasileiros, fica por isto mesmo.

Responder

    guilherme

    08 de maio de 2013 às 21h11

    Direitos humanos são para seres humanos.

    guilherme

    28 de maio de 2013 às 20h23

    Direitos humanos são para pessoas de bem,que não leva armas para espetáculo de futebol. Deixem eles resolverem com a justiça boliviana. Sobre o Senador boliviano, não podemos falar nada, não sabemos os motivos de seu exílio.

Edno Lima

06 de maio de 2013 às 17h29

Ainda não consegui entender a lógica do autor do texto. Se o Corintians tivesse menos público, menor audiência e ganhasse mais, tudo bem, mas ele tem maiores bilheterias, seus jogos são mais assistido na TV. Não é justo que ganhe mais? É um ciclo; quem gerencia melhor, quem investe melhor ganha mais. Acho que autor do texto pensa que vivemos em Cuba ou em algum outro regime comunista.

Responder

    Luiz Carlos Azenha

    06 de maio de 2013 às 17h40

    Edno, a lógica é a mesma da NBA e da NFL, respectivamente do basquete e do futebol americanos, que não têm nada de comunistas: ambas trabalham por um equilíbrio entre os times, de maneira que os campeonatos sejam mais competitivos e que os mercados se desenvolvam por igual tanto em Cleveland, Ohio, quanto em Tampa, Flórida. No draft dos atletas universitários, por exemplo, o pior time fica com as melhores escolhas. Nem os estadunidenses acreditam de verdade na mão livre do mercado!

    Edno Lima

    08 de maio de 2013 às 20h15

    dno, a lógica é a mesma da NBA e da NFL, respectivamente do basquete e do futebol americanos, que não têm nada de comunistas: ambas trabalham por um equilíbrio entre os times, de maneira que os campeonatos sejam mais competitivos e que os mercados se desenvolvam por igual tanto em Cleveland, Ohio, quanto em Tampa, Flórida. No draft dos atletas universitários, por exemplo, o pior time fica com as melhores escolhas. Nem os estadunidenses acreditam de verdade na mão livre do mercado!
    Responder
    Dizer que um modelo que dá certo no EUA dará certo no Brasil é um pouco de ingenuidade. Será que lá um time com a popularidade do Flamengo teria as mesmas péssimas administrações a descomunal dívida do clube carioca? Será que lá Ricardos Teixeira e os Euricos Miranda da vida teriam vida tão longa no esporte??
    No Brasil, a mão livre do mercado funciona sim, Azenha. Ela funciona para os pequenos empresários, pequenos profissionais liberais e para os ambulantes. Ela aqui só não funciona para gente como Eike Batista; para ele funciona a mão invisível do BNDES.

    vinicius

    07 de maio de 2013 às 02h51

    VC ESTA CERTO .

    Narr

    07 de maio de 2013 às 09h36

    O futebol, como outros esportes, tem o aspecto aristocrático da disputa honrosa que exclui a mesquinhez do ouro. O acúmulo de verbas para o Corinthians (ou o Flamengo RJ) alegra o torcedor por um tempo. O problema é que depois de o Corinthians ganhar, digamos, 18 ou 19 de 20 títulos paulistas, qual torcedor corinthiano ainda vai se entusiasmar pelo paulistão? O paradoxo da competição esportiva é esse, nossa vitória tanto mais nos agrada quanto for difícil, ou seja, se nem sempre ganharmos.

Fabio

06 de maio de 2013 às 16h05

Cooptando o futebol como um todo, o que a globo já faz (CBF), e cooptando Corinthians e Flamengo ainda mais, as duas maiores e mais populares torcidas do Brasil, a Globo manipula o povão (ou ao menos tenta) tornando mais palatáveis ao gosto popular as teses defendidas pela televisão (contra as cotas, ou que não há racismo no Brasil, ou que o poder legislativo é corrupto e mais ainda o pt e outras tantas).

Responder

Fernando

06 de maio de 2013 às 11h19

Alguns aqui queriam que o Corinthians continuasse em uma negociação que garantisse mais dinheiro aos adversários? É isso?
Por favor menos paixão e mais racionalidade.
O Corinthians garantiu o melhor para si, se o São Paulo, Santos, Palmeiras, Vasco ou qualquer outro clube tivesse a oportunidade faria a mesmissima coisa. Alias, todos os clubes passaram a ganhar mais com o novo formato de negociação das cotas de televisão. O Corinthians ganha mais porque tem mais exposição, mais gente assistindo. Se o Corinthians tem maior audiência, proporciona maior lucro à emissora, logo é natural que seja melhor remunerado que os demais.
Cobrem filantropia de seus clubes e quando eles abrirem mão de seus recursos poderão exigir o mesmo dos adversários.

Responder

    Leonardo

    06 de maio de 2013 às 11h57

    Sabe eu concordo com você.

    O Brasil não é entidade filantropica né? Porque agente fica sustentando os falidos do nordeste né?

    Dando dinheiro pra quem não tem, bolsa familie, prouni.

    Tudo inutil. A classe A devia lutar pelos seus direitos e o melhor para sí.

    é assim que tudo funciona nessa sua cabeça né? fala pra mim?

    Fernando

    06 de maio de 2013 às 13h21

    Por favor não confunda alhos com bugalhos.
    As questões são completamente distintas e qualquer comparação é tentiva de manipular a discussão
    Os programas sociais do governo buscam promover o bem estar através de politicas de distribuição de renda. Não há competição entre os beneficiários.
    No futebol o assunto é outro, é competição. O São Paulo por exemplo nunca reduziu o preço cobrado dos alugueis do seu estadio devido à dificuldades dos outros clubes. Cada um sempre cuidou do seu. E continua assim. Por que com o Corinthians tem que ser diferente?
    Quando os outros clubes foram solidários entre si? Voce seria capaz de mostrar apenas um exemplo, um só, em que um clube de futebol abriu mão de se impor sobre seus adversários em nome do bem comum?
    Quando o Corinthians consegue se organizar e impor a justa retribuição pelo que ele gera de riquesa a lógica até então vigente não vale mais?
    Realmente, como a disse alguem neste espaço, não é mera coincidencia!!!

    Leonardo

    06 de maio de 2013 às 17h43

    Cara é exatamente essa sua cabeça pequena e a cabeça pequena dos dirigentes dos clubes que fazem com que o futebol brasileiro jamais se torne um evento mundial.

    Concordo… os clubes brasileiros jamais foram solidários… porque são idiotas.

    Porque se fosse solidarios se juntariam, obrigariam a globo a fazer jogos as 19 horas para sua torcida assistir e ir pra casa em paz.

    Se juntariam, e colocariam ordem nessa várzea que é a libertadores da américa, pois até agora não entendeu que sao os principais nessa competição e que se eles se juntarem e boicotarem a mesma ela acaba.

    Se eles se juntasse conseguiriam até colocar fim na violencia em estádios.

    Mas são burros demais “competindo”. Não entendem que competição e torcedorismo deve acontece apenas dentro do campo, jamais nas diretorias.

    E sim, o seu pensamento encaixa perfeitamente com o da nossa direita.

    Afinal, porque eu vou ligar pro bem estar social (neste caso o bem estar dos outros times), o dinheiro é MEU, quero que os outros se danem e se virem e eu me de bem.

    Você caro corinthiano, tente pensar a longo prazo com o corinthians ganhando verbas até cinco vezes maiores que de internacional e gremio. Imagina daqui a 20 anos, imagina o seu sonho, de cada dez brasileiros o corinthians venceu os dez com 30 rodadas de antecedencia.

    Agora imagina o lixo que vai ser o futebol brasileiro, nao tem competição, é tao previsivel um jogo de damas.

    Se conseguir tirar a venda do fanatismo onde eu narrei o seu mundo ideal, verá que neste ritmo o futebol brasileiro como um todo caminha pra total falta de emoção e de competição que você tanto pregou.

Jaiminho

05 de maio de 2013 às 22h08

Existe uma máfia nos meios de comunicação que anaboliza tudo que se refere ao curíntia. Creio que seja dessa overdose de curíntia que nasce o ódio que as outras torcidas tem por esse time. Ademais, como ter respeito por quem se orgulha de ser maloqueiro e sofredor? E povo e elite tem em todos os times, do mundo todo. Sem essa de querer dizer que o curíntia é o time do povo.

Responder

    lator

    06 de maio de 2013 às 10h51

    Ae passa Gelol que passa a dor de cotovelo. .. hihihihi

Luciana

05 de maio de 2013 às 21h58

País capitalista, que preza pelo consumo desenfreado. Não sei porque o espanto.

Responder

willian

05 de maio de 2013 às 20h44

A Caixa é um banco federal. Estará ela neste conluio? O jornalista viajou na maionese…

Responder

assalariado.

05 de maio de 2013 às 19h27

A ideologia burguesa é onipresente, digo, está presente em todos os lugares, ao mesmo tempo. No futebol não podia ser diferente. Inclusive, por ser economicamente mais acessível no lazer de muitos brasileiros. A burguesia como não é boba nem nada logo, percebeu e inculca desde tenra idade do brasileirinhos e, usa de forma oportunista e financeira particular, qual o melhor caminho para manipular as consciências e, ao mesmo tempo, obter lucros as custas dessa religião popular.

É bom não se esquecer que aonde a burguesia capitalista põe suas mãos invisíveis do deus mercado, aliado a sua ideologia de deus dinheiro, vira máfia. O times de futebol que o digam, de forma que, enquanto meia dúzia de clubes, vai muito bem obrigado, outras dezenas mais de estão com chapéu na mão.

Claro, os donos do capital usam, em todos os ambientes sociais, a mesma tática ideológica do capital que é, dividir para reinar, digo, dividir para lucrar. Sim, os clubes vivem na pendura mas, e seus dirigentes também? Geralmente são empresários ou, um soldado a soldo. Essa quadrilha de capitalistas são os mesmos que colocou e colocam na cabeça do povo e na sua boca que, religião, politica e futebol não se discute.

Pois é, agora podem colocar na lista a rede PIG de manipulação dos ricos sobre as massas que, o que freara a maior máfia do Brasil, é uma lei que leva o nome de Lei das Mídias. E assim vai rolando a concentração do poder e a concentração das riquezas produzidas pelo coletivo de trabalhadores, inclusive no mundo do trabalho esportivo em beneficio dos mesmos de sempre.

Conclamo todas as torcidas a participarem e assinarem a campanha (POR UMA LEI DA MÍDIA DEMOCRATICA).

Maiores informações aqui:

http://www.baraodeitarare.org.br/index.php/noticias-do-barao/137-conheca-e-assine-o-projeto-de-lei-da-midia-democratica

Torcedores do Brasil uni -vos, contra a máfia do futebol. PLIM, PLIM!!

Responder

J Souza

05 de maio de 2013 às 18h09

Globo e Corinthians se merecem…

Responder

Lóki

05 de maio de 2013 às 17h44

O problema do Andrés, não é ele ter implodido o clube dos 13, isso era um direito dele até. O problema é que antes disso, ele apoiou a candidatura de Kleber Leite ao Pleito do Clube dos 13 (junto com a Globo e a CBF ainda do Teixeira), com a certeza de que iam ganhar, pois o Ricardo Teixeira já havia distribuído uma série de “presentinhos” para quem os apoiasse.
Porém, para surpresa geral, perderam a eleição para o Fábio Koff, então, perdida a eleição, o que uma pessoa de bem faz? Dá o GOLPE !
O que voces acham do caráter de uma pessoa, que aceita as regras para a eleição em um órgão, e se perde, decide destruí-lo?
Fora isso, Andres era Diretor de Futebol da Gestão Dualib/MSI (Kia) e ficou famoso no episódio do áudio da ligação em que combinava com o presidente do corintians, o que ia falar na Policia Federal. Que Lindo !
Isso, é Andres, isso é Globo, isso é o futebol brasileiro !

Responder

    Fernando

    06 de maio de 2013 às 11h33

    O Andres não implodiu o Clube dos 13. A clube dos 13 é que implodiu sozinho.
    Se implodiu pois não conseguiu ser uma entidade de defesa dos clubes, não se impos perante a CBF, ao longo do tempo foi incapaz de apresentar propostas que beneficiassem os clubes. Sobrevivia da politicagem de repassar aos clubes os recursos das cotas de TV e nada mais.
    Se o Clube dos 13 fosse uma entidade realmente util aos seus filiados não teria sucumbido a um novo modelo de negociação.
    A maior prova de que o Clube dos 13 não tinha outra função senão negociar as cotas de televisão foi o fato de que ele sumuiu depois do novo formato. Se tivesse realmente utilidade estaria ainda por aqui.

    Leonardo

    06 de maio de 2013 às 11h55

    Claro, ninguem deu o golpe em 64 no brasil, acontece é que teve uma viagem, aí o brasil ficou sem ninguem

    e só pra garantir os militares ficaram um pouco no comando….

    auahuah ai ai

    é mutio engraçado a pedra virar vidraça de um modo tão simples.

    acho que o pessoal aqui dá uns otimos direitistas.

    Fernando

    06 de maio de 2013 às 13h26

    Ele implodiu pois sua unica finalidade era negociar a cota de televisão. Se tivesse outra estria ainda por aqui. Voce entendeu ou quer que eu desenhe.

    Leonardo

    06 de maio de 2013 às 17h35

    Cara, o clube dos 13 NUNCA teve como objetivo negociar as cotas.

    É nisso que os defensores de Andrés, e da implosão perdem pois são incapazes de pensar devido a cegueira de torcedor.

    O clube dos 13 sempre existiu para garantir uma liga com os 12 grandes clubes brasileiros fortes, e que estes ajudassem os clubes do interior repassando uma verba que eles jamais conseguiriam sozinhos.

    Existiu também para defender juntos os interesses dos clubes em relação a horarios de transmissão, enfim, fazer valer o desejo dos clubes sobre a globo ou qqer empresa que ganhasse a licitação.

    Pois de qualquer outra forma, se a globo achar que deve passar a novela e colocar o jogo lá pra uma da manhã ninguem pode fazer nada.

    O clube dos 13 servia também para lutar pelo interesse do futebol brasileiro.

    Essa era a essencia da instituicao.

    Sacou???

    Se vc não conseguiu entender ainda que a implosão do clube dos 13 a longo prazo é extremamente nociva ao futebol como um todo é ou cego pelo fanatismo, de modo que nao vejo mais proposito nesta discussão, ou ainda não entendeu o que está acontecendo.

    Fernando

    08 de maio de 2013 às 16h33

    Essencia da instituição????

    Então me exemplos praticos desta essencia de sua atuação.

    A unica coisa que o mal fadado clube dos 13 fazia era negociar a cota da televisão e depois repassa-la aos clubes, fazendo politica e levando uma parte a titulo de administração.

    Se ele tinha outra utilidade ou proposito ninguem sabe, ninguem viu.

    Servia apenas para o ex- presidente do gremio Fabio Koof fazer politica com o chapéu alheio. Nada mais.

    Voce sabe que os times que voce citou ganham mais dinheiro hoje do que quando o clube dos 13 negociava?

    Voce fala de fanatismo, se fosse outro clube voce estaria tão incomodado ou agiria como o advogado gaucho que entrou com medida cautelar suspendendo o contrato de patrocinio da CEF com o Corinthians esquecendo que a prória CEF tem contratos com mais de uma dezena de clubes e que os clubes do RGS tb foram patrocinados por um banco estatal o Banrisul.

    A verdade, meu caro esquerdista de ocasião, que o que move a maioria dos comentarios contra esta situação não é o interesse pelo bem do futebol.

    Nem tão pouco a possibilidade de hegemonia, que diferente do que voce prega esta muito, mas muito longe de acontecer, afinal a diferença entre os valores pagos aos clubes a titulo de cota de televisão não é tão grande como voce quer fazer crer. A diferença do primeiro para o segundo grupo é 9 milhões ano

    Mesmo que as cotas fossem iguais como voce prega, O Corinthians teria maior exposição, consequentemente melhores contratos de markenting.

    E ai, deveria repartir também este rendimento?

    Acredito que a renda dos jogos do Corinthians tambem deveria ser dividida em prol do futebol brasileiro não é mesmo?

    É muita papagaiada

André Dantas

05 de maio de 2013 às 17h02

O texto tem uma frase que resume bem o futebol brasileiro e o sistema em que ele se insere: é cada um por si.
Em verdade já era cada um por si na época do Clube dos Treze, só que na época da criação da recém falecida entidade eles precisavam agir em conjunto para tirar a CBF do seu pescoço, já que esta era e é alicerçada nos pequenos clubes e federações que eternizam figuras como Ricardo Teixeira e Marim no comando do futebol brasileiro. Essa convergência dos interesses da CBF e dos pequenos clubes e federações estaduais era prejudicial aos grandes clubes que perdiam boa parte da lucratividade em campeonatos que às vezes tinham mais de 60 times. Ou seja, o Clube dos Treze foi uma “rebelião aristocrática”.
Agora, depois de tantos anos de campeonatos de pontos corridos, fa fixação em 20 clubes na Série A, de institucionalização das fórmulas de disputas e de um calendário previsível a Globo percebeu que chegou o momento de maximizar os lucros, o Clube dos Treze não só não era mais necessário como já estava atrapalhando – uma negociação coletiva, com possibilidade de concorrência com outras Redes interessadas num leilão perigoso para a hegemonia da Globo, o que poderia aumentar exponencialmente os custos, era tudo que a Globo buscaria evitar.
E evitou. Adocicou a boca de Corinthians e Flamengo, aumentou o valor que alguns times médios receberiam (apesar do fato de que o aumento seria bem maior caso ficassem todos unidos), deixou alguns no limbro e estava estabelecida irrevogavelmente a cizânia e a vitória da Globo, Corinthians e Flamengo (esse tem muito mais problemas administrativos que o Corinthians, mas também foi imensamente favorecido nas negociações).
E isso tudo se deu porque nenhum deles trabalha em prol do coletivo, mesmo que esse coletivo represente apenas vinte e poucos clubes. Foi, é e será cada um por si. Se a proposta da Globo fosse para favorecer descaradamente qualquer um deles em detrimento dos demais, qualquer um deles assinaria sem olhar para trás e sem ao menos enrusbecer.
É por isso que, nesse assunto, não critico o Corinthians, o Flamengo e nem mesmo a Globo. Não existem inocentes nessa história. Eles se merecem.
Quanto ao futebol em si, quanto ao esporte preferido pelos brasileiros, tudo isso é péssimo. Não tardará a termos um Brasileiro ainda mais polarizado, podendo chegar ao extremo do rídiculo do exemplo espanhol.
Quem ganhou com a implosão do Clube dos Treze certamente não foi o futebol (que um dia foi um esporte) e nem o torcedor. Ou seja, quem efetivamente importa perdeu. Ou melhor, continuou perdendo.
Meu dinheiro é que não vai patrocinar esse negócio.

Responder

Alexandre Maruca

05 de maio de 2013 às 17h00

A parte as verdades contidas no artigo, tem muita gente com saudade do que era o Corinthians até os anos 90, quando o time mais popular e que dava mais dinheiro para todos os envolvidos (tv, federação, patrocinador, jornais, revistas..)era o mais pobre, com a maior parte dos jogadores vindos do terrão e o único que tinha que pagar aluguel de estádio para jogar. Aí sim havia justiça. Até lá ninguém tinha culpa se o time da zona leste não tinha capacidade de ganhar dinheiro. As regras estavam postas, era só correr atrás. Agora que o Corinthians resolveu entrar no jogo, onde ninguém é santo, acordaram para as injustiças. Qualquer semelhança com a política não é mera coincidência.

Responder

Nelson

05 de maio de 2013 às 16h44

Pelo que vemos, abriu-se a porteira para o fanatismo clubístico aqui no Viomundo. Não admira, então, que a irracionalidade tenha tomado conta de grande parte dos comentários. Está parecendo o espaço de comentários de alguns sites de esporte.

Responder

    Rogerio

    05 de maio de 2013 às 22h18

    Isso mesmo.

Nelson

05 de maio de 2013 às 16h39

E, para aumentar ainda mais esta disparidade, o governo federal, de Dona Dilma, embuchou o Corínthians com R$ 30 milhões da Caixa Econômica Federal.

Absurdo. Lamentável.

Algo que, apesar de tudo, não é surpreendente. É o mesmo governo que está a privatizar(*) rodovias, aeroportos, portos e ferrovias embuchando mega empresa privadas, brasileiras e estrangeiras, com dinheiro fácil do BNDES, aumentando ainda mais a riqueza de quem já é milionário ou bilionário neste país. Dilma está a “engordar porco gordo”.

Decididamente, foi para fazer coisa bem diferente que nos esforçamos tanto para eleger Lula e Dilma.

(*) Aos que insistem em afirmar que não se trata de privatizações mas de concessões, eu digo que o resultado, para o país e o povo brasileiro, será o mesmo: concentração ainda maior da riqueza em poucas mãos e aumento da remessa de lucros para o exterior.

Responder

    Aline C Pavia

    06 de maio de 2013 às 14h22

    Caixa Econômica Federal patrocina outros quatro times de futebol e mais uma série de outros clubes/times/atletas de diversas modalidades esportivas. E o faz há muitos anos.
    Mas o que incomoda mesmo é ela patrocinar o Corinthians. O raciocínio de alguns comentaristas beira o irracional, o doentio. Especialmente quando associam o Corinthians de 35 milhões de torcedores a apenas “um” torcedor ilustre, que é Lula.
    Isso cansa.

Mariana

05 de maio de 2013 às 16h16

Buá buá buá…. texto de chorão inconformado……
Pelo ibope que o time proporciona, o que significa milhões e milhões em cotas de marketing, o Timão tá ganhando pouco da Grobo.

Responder

    Viviana

    07 de maio de 2013 às 00h10

    Esse é o ponto que apaixonado não entende: se o Corinthians está ganhando pouco, quem está ganhando a outra parte? O São Paulo? O Santos? O Palmeiras? Os gandulas?

    Não. A globo.

    Se acabar o intere$$e da globo, acaba o Corinthians.

    Se o Real Madrid bater à porta da globo com uma e$$$$$$tratégia para montar uma “filial” brasileira, corintiano vai chorar junto com palmeirense, santista, flamenguista, …

abolicionista

05 de maio de 2013 às 16h06

STF paga viagem de jornalista do Globo

Diário do Centro do Mundo
Paulo Nogueira

Eis um caso inaceitável de infração de ética de mão dupla.

Um asterisco aparece no nome da jornalista do Globo que escreve textos sobre Joaquim Barbosa em falas na Costa Rica.

Vou ver o que é o asterisco.

E dou numa infração ética que jamais poderia acontecer no Brasil de 2013.

A repórter viaja a convite do Supremo.

É um dado que mostra várias coisas ao mesmo tempo.

Primeiro, a ausência de noção de ética do Supremo e do Globo.

Viagens pagas já faz tempo, no ambiente editorial mundial e mesmo brasileiro, são consensualmente julgadas inaceitáveis eticamente.

Por razões óbvias: o conteúdo é viciado por natureza. As contas do jornalista estão sendo bancadas pela pessoa ou organização que é central nas reportagens.

Na Abril, onde me formei, viagens pagas há mais de vinte anos são proibidas pelo código de ética da empresa.

Quando fui para a Editora Globo, em 2006, não havia código de ética lá. Tentei montar um, mas não tive nem apoio e nem tempo.

Tive um problema sério, na Globo, em torno de uma viagem paga que um editor aceitou.

Era uma boca-livre promovida por João Dória, e o editor voltou dela repleto de brindes caros, outro foco pernicioso de corrupção nas redações.

Fiquei absolutamente indignado quando soube, e isso me motivou a fazer de imediato um código de ética na editora.

Surgiu um conflito do qual resultaria minha saída. Dias depois de meu desligamento, o editor voltou a fazer outra viagem bancada por Dória, e desta vez internacional.

Bem, na companhia do editor foi o diretor geral da editora, Fred Kachar, um dos maiores frequentadores de boca livre do circuito da mídia brasileira.

Isto é Globo.

De volta à viagem de Costa Rica.

Quando ficou claro que viagens pagas não podiam ser aceitas eticamente, foi a Folha que trouxe uma gambiarra ridícula.

A Folha passou a adotar o expediente que se viu agora no Globo: avisar que estava prevaricando, como se isso resolvesse o caso da prevaricação.

A transparência, nesta situação, apenas amplia a indecência.

A Globo sabe disso. Mas quando se trata de dinheiro seus limites morais são indescritivelmente frouxos.

Durante muito tempo, as empresas jornalísticas justificaram este pecado com a alegação de que não tinham dinheiro suficiente para bancar viagens.

Quem acredita nisso acredita em tudo, como disse Wellington. Veja o patrimônio pessoal dos donos da Globo, caso tenha alguma dúvida.

É ganância e despudor misturados – e o sentimento cínico de que o leitor brasileiro não repara em nada a engole tudo.

Então a Globo sabe que não deveria fazer o que fez.

E o Supremo, não tem noção disso?

É o dinheiro público torrado numa cobertura jornalística que será torta moralmente, é uma relação promíscua – mídia e judiciário – alimentada na sombra.

Para usar a teoria do domínio dos fatos, minha presunção é que o Supremo não imaginava que viesse à luz, num asterisco, a informação de que dinheiro do contribuinte estava sendo usado para bancar a viagem da jornalista do Globo.

Como dizia meu professor de jornalismo nas madrugadas de fechamento de revista, quando um texto capital chegava a ele e tinha que ser reescrito contra o relógio da gráfica, a quem apelar?

http://saraiva13.blogspot.com.br/2013/05/stf-paga-viagem-de-jornalista-do-globo.html

Responder

Leonardo

05 de maio de 2013 às 15h57

É exatamente baseado nos comentários em um post trivial como este de futebol e de Corinthians que eu vejo o quanto os leitores deste blog são cegos e tendenciosos.

É claríssimo que o melhor para o Brasil, para o futebol e para o crescimento do futebol por igual em todo o país, que o melhor a se fazer é negociar as cotas juntas e separa-las por igual.

É quase a mesma ideia de um bolsa família.

O dinheiro saí de um lugar, e vai para outro que por razões sociais e até geográficas o dinheiro não chega lá tão facilmente.

É o que o governo faz e todo mundo aqui adora.

Aí quando a mesma coias acontece com o Corinthains eu tenho que ler: “o Corinthians cansou de carregar doze falidos nas costas e decidiu resolver os seus problemas sozinhos”.

Não seria melhor o sudeste, sul do país resolverem seus problemas sozinhos e deixar de carregar o norte nas costas até que o Norte consiga andar sozinho?

Irônico como um assunto que não pode mudar o rumo de nada no mundo exponha o que o pessoal deste blog realmente pensa.

Aí eu me pergunto, será que o pessoal deste blog não podem ser comparados aos 35% fiéis leitores da Veja.

Quem sabe em algum outro post de futebol, vôlei ou qualquer outra coisa eu consigo responder essa pergunta.

Mas que eu estou rindo demais com os comentários eu estou…

Responder

    Gisele

    06 de maio de 2013 às 02h02

    Sendo que o que o governo está fazendo não é tão diferente. Porque essa bolsa família é uma miséria para quem realmente precisa. É uma migalha.

    Aline C Pavia

    06 de maio de 2013 às 14h42

    Total desconhecimento e preconceito no seu comentário. “Migalha” pra quem tem carro, casa, geladeira, internet, TV a cabo, microondas, celular. 75 reais, para muita gente nos rincões mais pobres do país, dá quase duas compras de mês. Uma enorme diferença para pessoas que antes bebiam água de poça do chão para não morrer de sede. Ou comiam só farinha e feijão-corda pra não morrer de fome.

    Fernando

    06 de maio de 2013 às 13h34

    Voce realmente é o unico por aqui com visão abrangente e sem tendencia.
    Comparar o bolsa familia à negociação de clubes de futebol mostra realmente que voce não é tendencioso, muito menos manipulador. Os outros é que são.

willian

05 de maio de 2013 às 15h29

Qual a opinião do Lula sobre isto?

Responder

Marcelo Silber

05 de maio de 2013 às 15h28

Atualmente frequento muito mais o blog do Cosme Rímoli que o Vi O Mundo e digo com certeza. O são paulino e funcionário da Record que escreveu o texto não aguenta o sucesso do Corinthians Paulista. Ele acha que estamos nos anos 60-70 , na ditadura militar , quando o torturador da OBAN Laudo Natel deu o Morumbi para o clube da elite.
Durante anos fomos explorados , sustentando clubes falidos e o SPFC, odiento clube da ditadura.
Graças a Deus, a Andrez Sanchez e ao Presidente Lula esse quadro mudou.
Nos organizamos , construimos o melhor CT do Brasil, vamos inaugurar o Estadio mais moderno do mundo e exigimos e obtemos o que nos é de direito, qual o cabimento de recebermos as mesmas cotas de times pequenos como Palmeiras, Sport, Bahia ou Botafogo??? Corinthians ! Atual Bi Campeão Mundial FiIFA e invicto da Libertadores e calma, vem muito mais por ai!!!!!

Responder

    Jaiminho

    05 de maio de 2013 às 22h11

    Disseram que o SPFC é o time da ditadura. Digo que é um time amado por milhões de pessoas, do povo e da elite. Não digam merda pra querer defender o CUríntia.

RicardãoCarioca

05 de maio de 2013 às 15h06

1o) Como se mede a audiência do Flamengo se a mesma é auferida apenas na capital paulista?

2o) Onde a Globo entra, faz o que quer porque, ao que parece, todos têm medo de seu canhão midiático assassino de reputações.

3o) Sou flamenguista e perdi o interesse por futebol já fazem dois anos. Por quê? Porque a Globo está desvirtuando essa que era uma opção de entretenimento. Ficar estudando, como estou fazendo agora (fiz esse pequeno intervalo), é melhor para o meu futuro.

Responder

Rafael

05 de maio de 2013 às 15h04

Quem fala que o que acontece é a lógica de mercado, precisa estudar um pouco mais. A lógica do mercado é a de que campeonatos equilibrados atraem mais audiência e interesse. Isso explica o sucesso da liga mais rica do mundo: a NFL, de futebol americano. Lá, os direitos de transmissão são divididos igualmente entre os times, e há um teto salarial que todos os times devem obedecer. O resultado é que não há hegemonias, e o interesse (e os lucros) não param de crescer.

Por fim, o texto erra ao dizer que ninguém reclama da divisão atual do bolo. Até onde eu saiba, o presidente do Atlético, Alexandre Kalil, lutou com tudo o que podia para que isso não acontecesse. Foi voto vencido.

Responder

Ivan Soares

05 de maio de 2013 às 14h37

Futebol é jogo de cartas marcadas. assiste quem quer

Responder

Tomudjin

05 de maio de 2013 às 14h36

Quem patrocina o Corinthians não é a Globo, e muito menos os torcedores do Corinthians. Quem patrocina o Corinthians são os telespectadores que assistem aos jogos do Corinthians, na expectativa de vê-lo perder.
No dia que esses torcedores “anti-Corinthians” deixarem de dar audiência aos jogos do Corinthians, o faturamento deste clube deixará de ser, assim, tão questionável.
Ou, ao menos os “loucos” pularão para eles mesmos.

Responder

Roberto

05 de maio de 2013 às 14h27

Estranho comentário esse. não vivemos em um pais capitalista? então todo o dinheiro que se aplicada, se busca onde esta o maior retorno. não vejo nada de errado nisso. o Corinthians cansou de carregar doze falidos nas costas e decidiu resolver os seus problemas sozinhos. o que tem de ilegal nisso? para mim nada. como tem a maior torcida do Brasil, tem a maior bilheteria, a maior audiência etc e em função disso maior visibilidade que é onde atrair maiores patrocinadores. isso me cheirou a dor de cotovelo de flamenguista, nada mais do que isso. se quiserem competir faça com que a sua torcida assista aos seus jogos. bem simples assim.

Responder

    Marcelo

    05 de maio de 2013 às 16h34

    Roberto, a implosão dos clubes dos treze não tem nada de capitalismo. A record tinha uma proposta maior e nem por isso ganhou. O que ocorreu apenas foi a necessidade da Globo de ter futebol na sua grade e o Corinthians de ter um estádio. Carregar doze times ? De onde você tirou isso? Vocês são centenários e somente se tornaram conhecidos com o Ronaldo gordo e com a máfia russa. Francamente, só rindo. Em relação a clubes falidos, concordo com você, pois dirigidos por cartolas corruptos e vocês não ficam de fora, anteciparam as receitas da televisão e por isso ficaram reféns de cancêr chamado Rede Globo.

Armando Viana de Lima

05 de maio de 2013 às 13h37

Essa é a lei de mercado, não tem nada de errado. Méritos para o Corinthians pela sua grandeza.

Responder

    RicardãoCarioca

    05 de maio de 2013 às 15h08

    Grandeza anabolizada pela Globo e demais mídias a reboque, como todos sabemos. Comentário típico de quem só leu até o final do primeiro parágrafo.

    paulo

    05 de maio de 2013 às 15h33

    Grandeza? Então porque não faz sozinho o estádio?

    Nelson

    05 de maio de 2013 às 16h27

    Ah! Como ainda tem inocentes a acreditarem na tal “mão invisível” do mercado.

Marcos K

05 de maio de 2013 às 13h31

Estou escrevendo de cabeça por isso posso cometer algum engano. Mas o que lembro é o seguinte: quem detonou o Clube dos 13 foi o Corinthians, o Cuzeiro e o Grêmio. O Corinthias pelas razaões conhecidas, o Cruzeiro porque o Perela tinha um esquema na CBF e acabou indo na onda, o Grêmio porque o PAULO ODONE, presidente da época era desafeto do Fábio Koff, presidente do Clube dos 13. Lembro também que o Flamengo, endividado até os cabelos, foi subornado para deixar o Clube dos 13 e que depois todos os clube, completamente falidos, acabaram não resistindo a pressão da Globo. Esses f… nem pensaram em resistir em bloco. Quem mais resistiu foram São Paulo, o Inter e o Atlético Mineiro, mas não tiveram forças para suportar a pressão dos outros. Resumindo: os própríos clubes aceitaram essa situação e se renderam a dupla Globo-Corinthians. Agora estão falidos e estão sendo massacrados por essa máfia, mas agora, a não ser aqueles que tentaram resistir, nenhum clube tem o direito de se queixar.

Responder

    RicardãoCarioca

    05 de maio de 2013 às 15h11

    Tomara que, no futuro, só tenha o time do ‘Gloríntia’ para disputar o ‘brasileirãozinho’. Toda a grandeza anabolizada desse clube, seguidamente campeão (por W.O.) será imposta.

marcio

05 de maio de 2013 às 13h30

Quem tem a maior torcida no maior centro comercial do Brasil .
Acho que o corinthians deveria receber o dobro a mais de receita .

Responder

    RicardãoCarioca

    05 de maio de 2013 às 15h13

    ‘Curíntia’ nunca teve a maior torcida do Brasil. Se um dia tiver, será porque não existirá mais um Flamengo no mundo.

Urbano

05 de maio de 2013 às 12h49

A dinheirama com a qual se sustenta os meliantes do pig daria para se resolver problemas crônicos e seculares do nosso país, como, por exemplo, o desmatamento indiscriminado e criminoso das florestas, com perdas irreparáveis para a fauna e a flora. A coisa é tão brutal que só pode ser decorrente de uma anencefalia associada à cegueira congênita.

Responder

Wilson Ramos

05 de maio de 2013 às 12h24

quanta ignorância contém este artigo! Não é porque o Corinthians aparece mais que a torcida é grande, é o contrário. Precisa desenhar? O Corinthians implodiu o clube dos 13 porque era roubado por ele. Evidente que sem os espertalhões de pouca torcida no comando da repartição da verba de TV, foi cobrar da Globo o que lhe é de direito.

Se o autor for estudar a matéria antes de escrever besteira, vai aprender que audiência de “secadores” nos jogos do timão supera a dos outros times nos seus jogos.

Se a Globo paga mais ao Corinthians, imagine o que ela ganha a mais com ele?

Responder

    Ricardo JC

    05 de maio de 2013 às 19h47

    Amigo, só quero te dizer a coisa. Um jogo de futebol precisa de dois times para ocorrer. Lamentável o seu comentário.

Jose Mario HRP

05 de maio de 2013 às 12h24

Desde 77 , quando a Globo “garantiu” o campeonato para o Corinthians, usando aquele mote “A Globo garante, Corinthians campeão”!, aquela sacanagem com o Rui Rei e coisa e tal, dal´para frente a Globo eos milicos e depois os grandes grupos de direita tanto na economia paulista e na politica do estado usaram o time da Fazendinha para manipular o povão, inflando a dimensão do clube e quase fazendo uma ditadura clubistica no estado, quase matando o campeonato estadual e dando relevancia indevida ao alvi negro do pavilhão 09!
Mais dinheiro, mais espaço na midia, mais juizes a favor, mais patrocinadores, mais mafiosos como o Kia e o velho e gato Dualib e outras tantas tramóias para ganhar dinheiro , juntos a Globo e os dirigentes da Fazendinha.
Uma total Vergonha e descalabro!
Futebol Cartas Marcadas!

Responder

    Jose Mario HRP

    05 de maio de 2013 às 12h25

    Esqueci da vergonhosa trama do Brasileirão 2005!


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.