VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Fernando Marroni e o pré-sal: DNA do entreguismo está no sangue dos tucanos
Denúncias

Fernando Marroni e o pré-sal: DNA do entreguismo está no sangue dos tucanos


11/06/2015 - 11h54

Captura de Tela 2015-06-11 às 11.53.16

DNA da entrega!

por Fernando Marroni*

A Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados está pronta para votar uma emenda com poder devastador para o futuro da produção de petróleo brasileira, em especial à produção do pré-sal.

O projeto, de autoria do deputado Jutahy Júnior (PSDB/BA), propõe o fim da obrigação da Petrobrás de entrar com 30% de participação na exploração de todos os campos de pré-sal licitados pela ANP e de atuar como operadora única no setor.

Para piorar, o relator é outro deputado tucano: Domingos Savio (PSDB-MG).

Mais uma vez, os políticos tucanos tentam entregar a Petrobras e o nosso petróleo de mão beijada para os estrangeiros.

Mas, o que parece ruim, é ainda pior.

No Senado, outro tucano, de alta hierarquia no ninho, articula o mesmo golpe: já está em adiantada tramitação proposta idêntica apresentada pelo senador José Serra (PSDB-SP).

O regime de partilha é fundamental para manter a soberania da Petrobras – e do Brasil – na produção de petróleo.

Acabando com o regime de partilha, como quer Serra e os deputados do PSDB, estaremos, simplesmente, abrindo mão da riqueza gerada pela maior descoberta de petróleo – no mundo inteiro – nos últimos 30 anos.

O regime de partilha foi instituído por lei aprovada pelo Congresso que confere papel estratégico à Petrobras na exploração desta riqueza nacional, assegurando repercussão positiva em áreas como educação, saúde  e ciência e tecnologia, com os royalties que ali advirão.

Esse mesmo PSDB, que quer acabar com a partilha, é o mesmo que tentou vender a Petrobras durante o governo FHC.

Já haviam, inclusive, alterado o nome da nossa estatal para “Petrobrax”, para ficar mais fácil vendê-la aos gringos.

Só não venderam, porque Lula ganhou a eleição de Serra, em 2002.

Recentemente, o vice-presidente nacional do PSDB admitiu, publicamente e com todas as letras, que “o PSDB não tem projeto para o país”.

Mas, projeto de entrega do país, eles têm.

E agora, descaradamente, querem entregar o pré-sal.

A entrega está no sangue dos tucanos. Eles têm o DNA da entrega!

*Deputado Federal – PT/RS

Leia também:

Leitor relembra: FHC levou 500 mil da Sabesp para seu instituto!

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



7 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Daniel

12 de junho de 2015 às 16h23

Esperavam outra coisa? FHC, Serra e semelhantes foram adestrados para fazer EXATAMENTE isso… Subir no poder nacional e então entregar tudo para os estrangeiros, para depois fugir para Miami (como Barbosa e Lerner fizeram) e ganharem um osso dos seus donos como prêmio por seguirem obedientes o treinamento. E eles não precisam de projeto de país para isso.

Responder

Urbano

12 de junho de 2015 às 12h14

Tráfico de pessoas humanas para a prostituição, tráfico de pessoas humanas para serem assassinadas e terem seus órgãos vendidos, tráficos de bens pátrios para escravizar e inanir todo um povo, tráfico de venenos para a dependência e morte. Eis o âmago do fascismo.

Responder

Julio Silveira

11 de junho de 2015 às 20h00

Meus caros concidadãos, se tem uma coisa que essa trupe de entreguistas não irão querer permitir é que este país aculturado (e já a muito submetido aos interesses e cultura yanke), imitem os seus patrões nas leis que lá penalizam traidores de forma rigorosa, sendo um dos crimes mais repudiados daquele país. No Brasil em seu desinteresse (incentivado) pelo nacionalismo, em seu incipiente e imaturo conhecimento sobre a própria cidadania, o povo vê sem se dar conta, campanhas publicas para confundir sobre nossos interesses, para reduzir o moral nacional, e com isso enfraquecer as cobranças pelos interesses nacionais. O que tem permitido que os financiadores escusos desse processo fiquem cada vez mais fortes e continuem tramando, urdindo, traindo, e até conseguindo adeptos no Pais, contra os interesses da própria pátria.

Responder

lando carlos

11 de junho de 2015 às 16h50

Eu não entendo porque o ministério da defesa,não enquadre esses entreguistas,e a nossa soberania que esta em jogo ,e quem cuida da nossa soberania e as forças armadas,Presidenta a senhora sendo comandante,chegou a hora de chamar esses traidores da pátria e dar um ultimato,deputado ou senador que ousar a fazer leis para entregar ou vender o que e dos brasileiros serão tratados como traidores,simples assim,ou faça-se um plebiscito para deferir seremos soberanos ou lacaios como sempre fomos ,vamos voltar a tirar os sapatos para os EUA.

Responder

Bacellar

11 de junho de 2015 às 13h41

Ora mas não são os distintos sociais-democratas-brasileiros iluminados por um farol pensante?

Ora mas o magnum opus do referido lumiar não trata-se de floreado compêndio sobre o sub-destino manifesto servil do Brazil varonil?

Pois pois.

Responder

Francisco de Assis

11 de junho de 2015 às 12h29

Destes entreguistas do PSDB é o que se espera.

E quando a traição vem de um energúmeno no PT, o senador Delcídio Amaral, sendo o desgraçado LÍDER DO GOVERNO DILMA no Senado, quando o seu passado tucano aflora?

Pois ontem, em plena sessão do Senado, o senador vigarista Delcidio Amaral, do PT e líder do governo, tomou o microfone para elogiar José Serra e se dizer ‘pessoalmente’ de acordo com a proposta do representante paulista dos interesses da Chevron & Cia, no sentido de retirar a participação obrigatória de 30% da Petrobras na exploração do pré-sal. Numa tremenda canalhice, Delcidio Amaral faz isto enquanto a Chefe do Governo, do qual ele é líder, está no exterior, com o mesmíssimo argumento de Serra de ‘ajudar’ a Petrobras. Não à toa, recebeu em seguida os elogios fervorosos de Serra.

Lembrando que a situação no Senado foi criada pelo energúmeno Renan Calheiros, que pôs em votação diretamente no PLENÁRIO a proposta de Serra, sem encaminhá-la às comissões.

Será que alguém no V Congresso do PT, vai denunciar o senador vigarista Delcídio Amaral?

Responder

    Caracol

    13 de junho de 2015 às 10h22

    Trata-se, evidentemente, de um Dissídio Amoral.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.