VIOMUNDO

Diário da Resistência


Fernando Brito: Moro falta com a verdade quando diz que pune quem ameaça Jean Wyllys
Válter Campanato/Agência Brasil
Denúncias

Fernando Brito: Moro falta com a verdade quando diz que pune quem ameaça Jean Wyllys


27/01/2019 - 21h20


Moro pega caso de 2011/12 para dizer que pune quem ameaça Wyllys

por Fernando Brito, no Tijolaço

Em nota oficial emitida neste sábado (na íntegra, ao final), o Ministério da Justiça, chefiado por Sérgio Moro lamenta a decisão do deputado Jean Wyllys de renunciar ao mandato e deixar o país, mas diz que “não há omissão das autoridades constituídas” na identificação e punição aos que ameaçam o psolista.

Dá como exemplo solitário a prisão de Marcelo Valle Siqueira Mello, membro do grupo autointitulado ‘Homens Sanctos’, que foi preso em 2018, segundo a nota, por fazer ameaças contra Wyllys .

Não é verdade.

Marcelo foi preso em maio de 2018, em razão de um inquérito policial iniciado em 2012, muito antes de Wyllys denunciar ameaças.

Inquérito que, aliás, começara um ano antes, como se pode ler no mandado de busca, apreensão e prisão do cidadão, assinado em abril deste ano pelo Juiz Marcos Josegrei, da 14a. Vara Criminal.

O documento, em PDF, está aqui.

Aliás, o sujeito já fora condenado na Operação Intolerância (ação penal nº 5021040-33.2012.4.04.7000) pela prática de crimes via internet, através de postagens destinadas a disseminar o ódio, o racismo e a discriminação, “fatos ocorridos no período de outubro a dezembro de 2011”.

Na peça, em 36 páginas, o nome de Jean Wyllys não é citado uma única vez.

O Ministério da Justiça “reciclou” um criminoso de ódio para “demonstrar” que está agindo contra os que ameaçam o deputado, usando um caso antigo e, aparentemente, não relacionado com as ameaças que o deputado sofre.

Aliás, não deve saber que os áudios em que o cidadão recomenda que os homens sejam “canalhas” para serem bem sucedidos com mulheres – que seriam satânicas, aliás – continuam podendo ser acessados na internet e que o canal dos tais “Homens Sanctos” continua ativo no Youtube, veiculando propaganda nazista.

Até porque Marcelo, preso desde maio, não poderia ser o autor de tentativas de intimidação recente.

O Ministério de Moro deveria caprichar mais nas respostas, limitando-se a informar a verdade e não pegando um condenado “na prateleira” para tentar apresentar serviço.

A mistificação só ajuda a dar razão ao que diz Jean Wyllys.

Nota

Leia a íntegra da nota divulgada pelo Ministério da Justiça e da Segurança Pública:

Nota do MJSP sobre ameaças ao deputado federal Jean Wyllys

Ao longo de 2017 e 2018, foram instaurados diversos inquéritos pela Policia Federal para apurar ofensas e ameaças contra o deputado federal Jean Wyllys.

As investigações estão em andamento, mas já foi possível identificar um dos autores, Marcelo Valle Silveira Mello, preso em 2018, membro do grupo autointitulado “Homens Sanctos”, e que se servia da identidade de Emerson Setim para fazer ameaças ao deputado.

O Ministério da Justiça e Segurança Pública repudia a conduta dos que se servem do anonimato da internet para covardemente ameaçar qualquer pessoa e em especial por preconceitos odiosos.

Lamenta-se a decisão do deputado de deixar o pais, mas não corresponde à realidade a afirmação de que há omissão das autoridades constituídas.

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

LUIZ HORTENCIO FERREIRA

29 de janeiro de 2019 às 16h26

Muito inocente o Sr. Fernando Brito! Esperava qual atitude do tal moro? Parece até que acha o tal moro heroi nacional e paladino da justiça! rsrsrsrsrsr.
Faça me o favor!!!!!!!!!!!!!!!! Muito inocente ou partidário da filosofia dos tais magistrados que viram minsitro da justiça em troca de julgamentos tendenciosos, imorais e ilegais, que só mesmo neste nosso pais para acontecer e todos deixarem passar!!!

Responder

Zé Maria

28 de janeiro de 2019 às 22h40

Tal como o juizéco fez com Lula,
os doutores da lei, aplicando a Torá,
condenaram Jean ao Apedrejamento,
com Sentença confirmada pelo Sinédrio.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Pentateuco
https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Sin%C3%A9drio

Responder

Hudson

28 de janeiro de 2019 às 10h43

De fato, o documento citado por Moro não menciona ameaças a Jean Wyllys, mas, segundo a Lola, o terrorista fazia, sim, essas ameaças há muitos anos:

http://escrevalolaescreva.blogspot.com/2019/01/obrigada-por-tudo-e-volte-logo-jean.html

«Lembram de um site mascu/ neonazista que pregava o assassinato de mulheres, negros e LGBT, que viralizou em 2011 e que culminou na Operação Intolerância, em que dois misóginos, racistas, homofóbicos (e desde aquela época já fãs de um certo político que hoje é presidente), Marcelo e Emerson, foram presos? Seus alvos preferenciais eram Jean e eu. Quase todo dia havia ameaças de morte fresquinhas contra nós, oferta de recompensas para quem nos matasse… Parte dessas ameaças só pararam entre 2012 e 2013, enquanto os dois líderes estavam presos, e mais recentemente a partir de maio de 2018, quando Marcelo foi preso novamente (e em dezembro foi condenado a 41 anos de prisão).»

Moro tenta ocultar, no entanto, que as ações oficiais não garantem de fato segurança. Tanto é que Marielle foi assassinada pela familícia, assim como ocorre, por comparação, com inúmeros feminicídios, diariamente, cometidos sob “medidas protetivas”.

O texto do Tijolaço tem imprecisões, mas não isenta o Estado da falta de segurança (pra não dizer ameaças, como as dos bolsonazis, com o silêncio conivente −ou zombaria explícita− do ALCAponey).

https://theintercept.com/2019/01/22/bolsonaros-milicias/

Responder

Hudson

27 de janeiro de 2019 às 21h54

Veja-se o blog da Lola Aronovich para informações precisas; o Fernando Brito se enganou.

Responder

    Conceição Lemes

    27 de janeiro de 2019 às 22h11

    Oi, Hudson. Vou olhar. Obrigadíssima. abs

    Conceição Lemes

    27 de janeiro de 2019 às 22h46

    Hudson, por favor, daria pra vc colar aqui o que a Lola diz? Fiz uma busca no PDF sobre a decisão o Jean não é citado uma única vez. abs


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

Últimas matérias
Bebianno só acredita “quando sair o papel com a exoneração” e teria dito a interlocutor que com sua demissão “o Brasil vai tremer”

Da Redação  “Eu quero ver o papel com a exoneração, a hora em que sair o papel com a exoneração é porque eu fui exonerado”, afirmou aos jornalistas neste sábado Gustavo Bebianno, o ministro da Secretaria Geral da Presidência. O cala boca de Bebianno, agora acusado de ter vazado conversas sigilosas entre ele e Jair […]

Ler matéria