VIOMUNDO

Diário da Resistência


Em outra mamata, ex-deputado que propôs caçar animais silvestres vai comandar Serviço Florestal
Reprodução TV Globo
Denúncias

Em outra mamata, ex-deputado que propôs caçar animais silvestres vai comandar Serviço Florestal


17/01/2019 - 16h22

Deputado do PL da morte de animais chefiará Serviço Florestal Brasileiro

Ex-parlamentar do MDB-SC é autor do projeto de lei que libera a caça de animais silvestres, mesmo dentro de unidades de conservação. Para deputada, trata-se de mais uma nomeação no governo Bolsonaro que coloca “raposa cuidando de galinheiro”

por Redação RBA

São Paulo – A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, informou, nesta quarta-feira (16), que o ex-deputado Valdir Colatto (MDB-SC) vai comandar o Serviço Florestal Brasileiro.

Segundo post no Twitter da própria ministra, o decreto já foi publicado e nomeação de Colatto é oficial.

O emedebista é autor de um projeto de lei, apresentado em 2016, que libera a caça de animais silvestres no Brasil, mesmo dentro de unidades de conservação.

O Projeto de Lei (PL) 6268/16, de Colatto, ainda permite a criação de fazendas particulares de caça de animais silvestres e de zoológicos para a venda de animais a criadouros particulares.

O texto só exclui da caça animais domesticados e espécies consideradas em risco de extinção.

O projeto ainda dá a permissão para a comercialização de animais silvestres e enfraquece o poder de controle do Estado, ao tentar impor a retirada do porte de arma de fiscais ambientais.

A deputada federal Margarida Salomão (PT-MG) criticou a nomeação, em uma de suas redes sociais.

“Agora não dá mais pra dizer que é a raposa cuidando do galinheiro. Se depender do nomeado para o cargo, caça-se inclusive a raposa”, disse.

Colatto é dono de fazendas em Tocantins e Rondônia e também apresentou um outro Projeto de Lei (PL) 1027/2007, que descaracteriza como improbidade administrativa qualquer ato de apoio de agentes públicos a produtores rurais em demandas apresentadas por associações e cooperativas.

O ex-deputado, que não conseguiu se reeleger em 2018, é alvo de críticas por entidades que preservam o meio ambiente.

O coordenador de políticas públicas do Greenpeace no Brasil disse no ano passado, ao jornal Folha de S.Paulo, que o PL 6268/16 é um retrocesso.

“O texto libera o abate de animais em situação de ameaça comprovada à agropecuária. Ou seja, animais que ameacem uma fazenda, por exemplo, poderiam ser mortos”, lamenta.

Leia também:

Fux mata no peito e suspende investigação sobre Flávio Bolsonaro

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



Nenhum comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.