VIOMUNDO

Diário da Resistência


Jovens são agredidos covardemente por líderes pró-impeachment na cara de policiais; manifesto pede punição
Denúncias

Jovens são agredidos covardemente por líderes pró-impeachment na cara de policiais; manifesto pede punição


02/11/2015 - 10h25

Natal

O homem de barba branca e camisa verde à esquerda é quem aplicou choque elétrico no professor Daniel Valença (de camisa rosa) e em vários jovens do PCdoB e do PT.  Ele e os dois de boné lideraram a barbárie contra os  jovens detidos

por Conceição Lemes

Em 23 de outubro, o Viomundo publicou esta denúncia: Professor foi ver ato pró-impeachment, acabou xingado e espancado por fascistas: “Um me aplicou choque elétrico, como os torturadores do DOI-CODI. A PM assistiu a tudo e nada fez”. 

O professor em questão é Daniel Valença,  licenciado do curso de Direito, da Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA), atualmente fazendo doutorado em Direitos Humanos na Universidade Federal da Paraíba (UFPB). O fato ocorreu Natal (RN) na quarta-feira anterior, 21 de outubro.

Ele mesmo conta:

Fui ver com meus próprios olhos o ato em Natal pró-impeachment. Eram cerca de 15 manifestantes e mais 10 “seguranças” contratados para “proteger” os bonecos de Dilma e Lula. Como em todo o Brasil, novamente a UJS rasgou os bonecos – o fizeram, aliás, em São Paulo, no Recife e em João Pessoa.

Corri para acalmar a confusão e impedir que os jovens fossem agredidos fisicamente. No meio do caminho, um dos organizadores do ato me aplicou um mata-leão, hora em que perdi meus óculos e celular. A PM assistiu a tudo e nada fez, exceto deter os jovens da UJS que, já algemados, continuaram sendo agredidos física e verbalmente.

Fui cercado por todo esse grupo que berrava “petista!”, “comunista!”, “bandido filho da puta”. Respondi insistentemente que era petista e comunista com muito orgulho e que tinha o direito de sê-lo. Foi então que um manifestante fascista veio por trás e me aplicou um choque elétrico, prática comum aos torturadores do DOI-CODI

                  (…)

Ao final, sugeríamos aos leitores que assistissem ao vídeo.

De lá para cá:

1) Descobriu-se que assessores dos deputados federais Felipe Maia (DEM) e Rogério Marinho (PSDB) organizaram o ato contra Dilma, Lula e o PT, embora os participantes se dissessem “apartidários”. São dois: Jean do Rego Rocha (matrícula de nº 218182) e Francisco Washington Cavalcanti Dantas (matrícula de nº 219469), nomeados, respectivamente, nos gabinetes do democrata e do tucano em Brasília (DF).  Felipe Maia é filho do senador Agripino Maia (DEM-RN).

2) Na quarta-feira passada 28, por volta das 17hs, três jovens jovens da União da Juventude Socialista (UJS) foram parados e revistados pela polícia, quando saíam da sede do PCdoB, em Natal. Estranhamente são três dos cinco jovens da UJS presos no dia do ato. Coincidência? Intimidação? Provocação?

3)  Os vídeos postados sobre o ato , inclusive o publicado aqui no Viomundo, foram sendo derrubados um a um, provavelmente por participantes do ato pró-impeachment, para evitar o reconhecimento dos que praticaram violência.

4) Porém, com a ajuda de um leitor, nós conseguimos uma coletânea de 19 vídeos, de diferentes tamanhos, a quase totalidade sem edição. Eles mostram a violência de vários ângulos. Inclusive num deles o agressor pede que a câmera (provavelmente de um celular) seja desligada. O áudio, porém prossegue. Somam 43min19s. Nós subimos para o You Tube e para o Vimeo, do jeito que recebemos. Por precaução, salvamos também nos nossos computadores.

A partir do minuto 29 da coleção de vídeos, o que se assiste é um conluio criminoso: três jovens da UJS  detidos, já imobilizados, de joelhos no chão e rosto para a parede, são agredidos,  xingados e ameaçados por líderes do ato pró-impeachment com a conivência de policiais.

Atente à movimentação de três, especialmente. O careca, de camisa listrada de branco e azul, é Washington Dantas, que trabalha no gabinete do tucano Rogério Marinho.

Os outros dois ainda não conseguimos identificar. Um, o que aplicou choque elétrico no professor Daniel Valença e em vários jovens da UJS e do PT, usa camiseta verde e boné. O outro, também de boné, veste camiseta amarela.


Qualquer semelhança com a barbárie diária diariamente nas periferias do Brasil contra jovens, principalmente pretos e pobres,  não é mera coincidência.

Manifestações populares fazem parte da democracia. Mas não se pode aceitar a incitação ao ódio e à violência.

É o alerta do manifesto (na íntegra, ao final) de entidades de direitos humanos, acadêmicas, movimentos sociais, sindicatos e pessoas físicas (na íntegra, abaixo) em solidariedade  a Daniel Valença e aos jovens vítimas da violência dos fascistas. O Viomundo divulga-o em primeira mão:

As manifestações populares são legítimas. Contudo, deve-se repudiar qualquer iniciativa que vise a propagar o discurso do ódio e incite à violência. Não se pode tolerar a naturalização da violência e do ódio que, agora, manifestam-se a pretexto do exercício de “liberdade política” – “liberdade” essa que tem vindo acompanhada de instrumentos de repressão, usados contra quem discorda dos atos: armas de choque e seguranças particulares pagos.

(…)

Consideramos que os/as responsáveis pela violência praticada no dia 21/10 devem ser punidos/as.

***

NOTA DE SOLIDARIEDADE AO PROFESSOR DO CURSO DE DIREITO DA UFERSA DANIEL VALENÇA E ÀS VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA NO ATO DO DIA 21/10 NA CIDADE DE NATAL/RN

As pessoas, entidades e organizações abaixo assinadas vimos manifestar apoio e solidariedade ao professor universitário Daniel Valença, bem como repudiar as acusações injuriosas que estão sendo divulgadas a seu respeito.

Na quarta-feira, dia 21/10, o professor foi vítima de agressões verbais, morais e físicas durante manifestação contra o governo da presidenta Dilma e ao Partido dos Trabalhadores em Natal – RN. Na ocasião, os bonecos infláveis utilizados pelos manifestantes foram furados e os jovens apontados como responsáveis (Wangle Alves, Pedro Henrique, Frederico Germano, Eduardo Silvestre e Leonardo Rodrigues), rapidamente detidos pela polícia. Em atitude completamente desproporcional, líderes do movimento pró-impeachment agrediram esses jovens – já imobilizados -, iniciando um linchamento.

O professor Daniel Valença, ao tentar impedir as agressões, passou a ser o foco deles. Chegaram a imobilizá-lo com um golpe no pescoço (“mata-leão)  e utilizaram uma arma de choque no seu corpo, além de lhe dirigirem xingamentos e palavras de ódio.

A violência continuou pela internet e os mesmos envolvidos passaram a veicular informações distorcidas a respeito do professor, com o objetivo nítido de deturpar sua imagem, especialmente em seu espaço de trabalho, a UFERSA, instituição à qual sempre teve uma dedicação exemplar.

Atestamos a reputação ilibada do professor Daniel Valença, cujas trajetórias política e profissional sempre foram comprometidas com a defesa dos direitos humanos e contrárias a quaisquer manifestações de propagação de ódio e violência, como as que foram observadas no dia 21.

O que ocorreu em Natal não está dissociado do mesmo contexto de ódio do qual recentemente foram vítimas o militante do MST João Pedro Stédile, o Professor Mauro Iasi, bem como Fernando Haddad e Eduardo Suplicy. Tem sido recorrente em diversas manifestações similares à de Natal o repúdio a valores progressistas e aos direitos humanos, bem como ofensivas destrutivas, de truculência, contra quaisquer pessoas que apresentem posicionamento contrário às ideias que procuram disseminar (entre elas, a volta da ditadura militar e a ojeriza a ideais de esquerda).

As manifestações populares são legítimas. Contudo, deve-se repudiar qualquer iniciativa que vise a propagar o discurso do ódio e incite à violência. Não se pode tolerar a naturalização da violência e do ódio que, agora, manifestam-se a pretexto do exercício de “liberdade política” – “liberdade” essa que tem vindo acompanhada de instrumentos de repressão, usados contra quem discorda dos atos: armas de choque e seguranças particulares pagos.

Por fim, estendemos nossa solidariedade aos jovens e demais que foram agredidos/as fisicamente na manifestação e consideramos que os/as responsáveis pela violência praticada no dia 21/10 devem ser punidos/as.

Assinam: 

Entidades de Direitos Humanos

Conselho Estadual de Direitos Humanos do Rio Grande do Norte

Centro de Referência em Direitos Humanos da UFPB

Centro de Referência em Direitos Humanos da UFRN

Centro de Referência em Direitos Humanos do Semiárido – UFERSA

Rede Nacional de Advogadas e Advogados Populares – RENAP

Dignitatis – Assessoria Técnica Popular (PB)

Justiça Global Brasil

Associação de Advogados de Trabalhadores Rurais no Estado da Bahia – AATR

Centro de Assessoria Popular Mariana Criola/RJ

Terra de Direitos

Núcleo de Advocacia Popular – UCPel/RS

Ser-tão: assessoria jurídica e educação popular – UERN

Núcleo de Extensão Popular Flor de Mandacaru – NEP/UFPB

Observatório da Justiça e Cidadania do Rio Grande do Norte

 

Entidades Acadêmicas

Direito Achado na Rua – Grupo de Pesquisa da UNB

Instituto de Pesquisa, Direitos e Movimentos Sociais – IPDMS

Instituto Latinoamericano de Estudos sobre Direito, Política e Democracia

Instituto de Estudos e Pesquisas em Justiça e Cidadania – IPEJUC

Revista Crítica do Direito

Instituto de Estudos e Pesquisas em Justiça e Cidadania – IPEJUC

Grupo de Pesquisa e Extensão Marias – UFPB

Centro Acadêmico de Administração – UFRN

Centro Acadêmico de Direito da UFERSA

Centro Acadêmico de Fisioterapia Ernani de Sousa – UFRN/FACISA

Centro Acadêmico de Nutrição – UFRN/FACISA

Centro Acadêmico de Psicologia – UFRN/FACISA

Centro Acadêmico Amaro Cavalcanti – Direito UFRN

Centro Acadêmico Djalma Maranhão – Gestão de Políticas Públicas/UFRN

Centro Acadêmico Maria do Carmo – Geografia

Diretório Acadêmico de Ciências da Saúde – UFRN/FACISA

Diretório Central dos Estudantes – DCE/UFRN

Diretório Central dos Estudantes – DCE/UFERSA

Grupo de estudos em Direito Crítico, Marxismo e América Latina (GEDIC/UFERSA)

Grupo de Pesquisa Direito, Marxismo e Lutas Sociais – GPLutas/UFPB

Grupo de Pesquisa Marxismo e Educação – GPME/UFRN

Núcleo de Pesquisa em Práticas Sociais, Relações Éticas e Processos de Criação – NUPRA/UFSC

Núcleo de Pesquisas e Estudos sobre o Desenvolvimento da Infância e Adolescência – NUPEDIA/UFPB

Observatório da Justiça e Cidadania do Rio Grande do Norte

Observatório da População Infantojuvenil em Contextos de Violência – OBIJUV/UFRN

Diretório Acadêmico Idalisio Aranha Filho – Faculdade De Filosofia E Ciências Humanas Da UFMG

 

Movimentos Sociais, Culturais, Partidos e Sindicatos

CUT/RN

CTB/RN

ADURN-UFRN

SINTE-RN

Partido dos Trabalhadores/RN

PCdoB Natal

Consulta Popular

Setorial nacional de Direitos Humanos do MST

Grupo Arruaça de Teatro

CUIA

Marcha das Mulheres Negras

Movimento de Crianças e Adolescentes de Mossoró – Mac

Associação Potiguar dos Atingidos pela Copa – APAC

União Brasileira de Mulheres – UBM/RN

UJS/RN

AMPA – Associação dos Moradores dos Parques Residenciais Ponta Negra e Alagamar

Conselho Comunitário de Ponta Negra

 

 Pessoas físicas

Fátima Bezerra – Senadora PT/RN

Emir Sader – Professor UERJ

Fernando Mineiro – Deputado Estadual PT/RN

José Geraldo Sousa Júnior – Professor Direito e ex-reitor daUnB

Norman Solorzano Alfaro – Profesor de Filosofía de Direito na Universidad de Costa Rica

Carlos Frederico Marés de Souza Filho – Prof. Titular de Direito da PUCPR

Marcos Dionísio Medeiros Caldas – Presidente do COEDHUCI-RN

Padre Antônio Murilo de Paiva – Pároco da Paróquia de Nossa Senhora de Fátima em Parnamirim-RN e Capelão dos Mártires de Cunhau e Uruassu

Artur Cortez Bonifácio – Professor de Direito UFRN/Juiz de Direito

Gerivaldo Neiva – Juiz de Direito, membro da Associação Juízes para a Democracia/BA

Maurício Andrade de Salles Brasil – Juiz de Família e Coordenador do Núcleo Baiano da Associação Juízes para a Democracia. Professor.

Yeda Cunha de Medeiros Pereira – Superintendente do Patrimônio da União do RN

Maria Helena Zamora – Professora da PUC-RJ

Juvelino Strozake – Advogado, Conselheiro na Comissão de Anistia do Ministério da Justiça

Ricardo Prestes Pazello – Professor de Direito UFPR

Raquel Guzzo – professora de Psicologia da PUC Campinas

Martonio Mont’Alverne Barreto Lima – Professor Titular da UNIFOR

Mariana Trotta – professora Direito UFRJ

José Willington Germano – Professor Ciências Sociais- UFRN.

Oswaldo Hajime Yamamoto – Professor de Psicologia da UFRN

Andrea Vieira Zanella – Professora de Psicologia da UFSC

Kátia Maheirie – Professora de Psicologia da UFSC

Ilana Lemos de Paiva – Professora de Psicologia da UFRN

Daniel Alves Pessoa – Professor da UFERSA e Conselheiro da OAB/RN

Isabel Fernandes de Oliveira – Professora de Psicologia da UFRN

Cipriano Maia de Vasconcelos – DSC/CCS/UFRN

Angela Ferreira – Professora DOD/CCS/UFRN

Hugo Manso – Vereador PT/Natal

Robério Paulino – Professor do Depto. de Políticas Públicas UFRN

Ady Canário – Professora da UFERSA

Aldo Dantas – Professor DGE/UFRN

Ludimilla Carvalho Serafim de Oliveira – Professora Administração UFERSA

Oona de Oliveira Caju – Professora Direito UFERSA

Gilmara Joane Macedo de Medeiros – Professora Direito UFERSA

Kaio Cesar Fernandes, Professor Economia UFERSA

Frederico Silva Thé Pontes – Professor Economia UFERSA

Ricardo Henrique de Lima Leite – Professora Engenharia Química UFERSA

Izabelly Larissa Lucena, professora Engenharia Química UFERSA

Mônica Rodrigues de Oliveira, Professora Engenharia Química UFERSA

Marinalva Oliveira Freitas, Professora Engenharia Química UFERSA

Manoel Reginaldo Fernandes, Professor Engenharia Química UFERSA

Geraldine Angélica Silva da Nóbrega, Professora Engenharia Química UFERSA

Alex Galeno – Professor Ciências Sociais UFRN

Alex Reinecke de Alverga – Professor do curso de Psicologia da FACISA/UFRN

Ana Karenina Arraes – Professora de Psicologia da UFRN

Enzo Bello – Professor de Direito UFF

Herculano Ricardo Campos – Professor de Psicologia da UFRN

Hugo Belarmino de Morais – Professor da UFPB e Advogado Popular.

Jane Cruz Prates  – professora da PUCRS

Giovana Paiva de Oliveira – Arquiteta e Urbanista, professora UFRN

João Emanuel Evangelista – professor Ciências Sociais UFRN

Jairo Rocha Ximenes Ponte – Professor do curso de Direito da UFERSA

Thiago Arruda Queiroz Lima – Professor da UFERSA

Eraldo Paiva – Vereador de São Gonçalo do Amarante/PT

Tatyane Guimarães Oliveira – Professora Direito UFPB

Ana Maria Bezerra Lucas – Professora da UFERSA – Doutoranda em Ciências Sociais pela UFRN.

Ana Maria Pereira Aires – Professora DEDUC/CERES/UFRN

Ana Santana Souza – Professora Departamento de Educação UFRN

André Luiz da Silva Sobrinho Tecnologista em Saúde Pública – Fiocruz/RJ

Andressa Maia de Oliveira – Professora Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Ângela Alencar Araripe Pinheiro – Professora de Psicologia da Universidade Federal do Ceará

Angelo Roncalli – Professor Odontologia/UFRN

Renata Ribeiro Rolim – Professora Direito UFPB

Roberto Efrem Filho – Professor Direito UFPB

Aline Pereira de Azevedo – Levante Popular da Juventude

Ana Doris Bezerra de Souza Morais – Assistente social, servidora pública estadual/RN

Antonio de Lisboa Lopes Costa – Professor DOD/CCS/UFRN.

Antonio Medeiros Júnior – Professor DSC-CCS/UFRN

Antonio Ricardo Duarte – Professor DOD/UFRN

Antônio Vladimir Félix da Silva – Professor do curso de Medicina da Universidade Federal do Piauí

Bárbara Monte – Membro do NUCEPEC – UFC

Blenda Carine Dantas de Medeiro – Professora da UERN

Bruno Costa – Mestrando do PPGEL/UFRN

Carlos José Wanderley Ferreira. DCEA/CERES/UFRN.

Carolina Duarte Villarinho de Souza – Advogada

Ailton Medeiros – Jornalista e professor da SEC do RN

Anny Gabrielly dos Santos Ferreira – Estudante de Direito da UFRN

Victor Lopes Diniz – Estudante de Química do Petróleo da UFRN

Caroline Barbosa Contente Nogueira – Doutoranda em Direito Econômico e Socioambiental da PUC/PR

Cesar Sanson – Professor de Ciências Socais da UFRN

Clara Maria Melo dos Santos – Professora de Psicologia da UFRN

Ana Luiza Lopes L.A. Freire – Grupo de Estudos e Pesquisa em Questão Social, Política Social e Serviço Social

Claudilene de Oliveira – Professora Rede Municipal de Natal

Sidnei Miyoshi Sakamoto professor de Veterinária na UFERSA

Cristina Baldauf professora de Ecologia da UFERSA

Cynara Carvalho de Abreu – Professora de Psicologia da UFRN

Daniel Dantas Lemos – professor comunicação social UFRN

Alexandra Xavier Figueiredo – Advogada, OAB/MG63.558, Comissão de Direitos Humanos da OAB/MG

Sônia Costa – Advogada, OAB-TO 619, Profa. Universitária

Andreia Indalencio Rochi – Advogada, OAB/PR 29345

Mario Morandi – Advogado OAB-6365; Professor de História

Tchenna Fernandes Maso – Advogada OAB/PR 76.678

Ana Cacilda Rezende Reis – Advogada, OAB-BA 19834

Emiliano Maldonado – Advogado, OAB/RS 82.227

Rodrigo de Medeiros Silva – OAB-CE 16.193

Rafael Modesto dos Santos – Advogado OAB-DF 43.179

Érika Lula de Medeiros – Advogada – OAB-DF 38.307

Ana Lia Almeida – Professora de Direito/UFPB

Daniele Nunes – Professora de Psicologia da Universidade de Brasília

Danielle de Freitas Lima – Estudante da UFERSA/GEDIC

Adriana Dias Moreira Pires – Estudante de Direito UFERSA

Danielle Nunes Secretária de Juventude PT/Natal.

Danillo Lima da Silva – Estudante da UFERSA

Denilson da Silva Araújo – Professor DEPEC/UFRN

Francisco Iglesias – Arquiteto e Ambientalista

Djalma Freire Borges – professor aposentado UFRN

Douglas do Nascimento Silva – Professor da Escola de Ciências e Tecnologia da UFRN.

Edilene Rodrigues da Silva – ESUFRN

Édina Mayer Vergana – Professora UFPR e pós-doutoranda  PPGSS/UFRN

Edinaldo Domingos Silva Júnior – Estudante de Direito da UFERSA

Edla Hoffmann – Professora Serviço Social UFRN

Edna Maria da Silva – Departamento de odontologia UFRN

Elaine Cristina de Oliveira e Melo – Servidora pública – TJ/RN

Elaynne Albino da Silva – Estudante Serviço Social UFRN

Elizabethe Cristina Fagundes de Souza – Professora DSC/UFRN

Emanoel Nazareno Cadó – Sociólogo, estudante de Direito UFRN e Mestrando no PPGSS.

Enilson Medeiros dos Santos – Professor Engenharia Civil UFRN

Evandro Minchoni – Professor e Conselheiro Seccional da OABRN

Eve Maria Freire de Aquino. Professora da UFRN

Ewerton William Gomes Brito – Professor DSC/UFRN

Fábia Barbosa de Andrade – ADURN Sindicato

Fabiana Fernandes de Lima – Chefe do serviço de regularização fundiária – SPU/RN

Fellipe Coelho Lima – Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFRN

Fernanda Fernandes Gurgel – Professora do curso de Psicologia da FACISA/UFRN

Filipe Mendes Cavalcanti Leite – Advogado e professor universitário.

Francisca Idanésia da Silva – ESUFRN

Francisco Edivan Freitas – Estudante da UFC

Francisco Gomes de Lima – Presidente do PT Zona Leste Natal, diácono da Igreja Batista

Francisco Piolho – Engenheiro Civil, doutor em fisica professor da UERN

Francisco Welligton Duarte – DEPEC/CCSA/UFRN

Gabriel E. Vitullo – Professor de ciências sociais da UFRN

Gediel Ribeiro de Araújo Júnior – Analista Técnico de Políticas Sociais do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome

Geórgia Sibele Nogueira da Silva – Departamento de psicologia /CCHLA/UFRN.

Gilka Silva Pimentel –  NEI-UFRN

Geórgia Sibele Nogueira da Silva – Professora de Psicologia da UFRN

Gerusa Maria Oliveira Ciríaco – Estudante

Thariny Teixeira Lira – Estudante Direito UFERSA

Gilton Sampaio – Professor UERN/Pau dos Ferros

Gilvania Magda Luz de Aquino – ESUFRN

Giuliana Lopes Cordova Bobbio

Anne Caroline de Morais – fisioterapeuta

Glaucio de Morais e Silva, presidente do Conselho Regional de Odontologia

Gleyca Thyês da S. Romeiro Rocha – Mestranda Serviço Social UFRN

Gorete Ribeiro de Macedo- Professora da UFRN

Graziella Beck – ONG pachamama

Gustavo César de Macêdo Ribeiro – Sociólogo, membro do Diretório PT/Natal

Guttenberg Martins – Professor Departamento de Engenharia Civil UFRN.

Iano Flávio Maia – Jornalista da Universitária FM, associado Intervozes

Ilena Felipe Barros – Professora Serviço Social/UFRN

Íris Maria de Oliveira – Profª DESSO/PPGSS/UFRN

Isabel Cristina Torres de Lima – Conselheira Tutelar

Izala Sarah Freitas da Silva – Servidora da UFRN, mestranda  PPGSS

Jackson Angell – Consulta popular e levante

Jader Ferreira Leita – Professor de Psicologia da UFRN

Jaira de Araújo Nunes – Professora de Psicologia da UFRN

Janete de Araújo Medeiros – TJ/RN

Janete Peruca da Silva – Advogada em SP, OAB/SP 326.230

Jessica de Morais Costa – Assistente Social do CRDH Semiárido

Jéssica Steffany de Sousa – Estudante da UFERSA/GEDIC/DIVERGEN

Joana D’Arc Fernandes Coêlho Neta – Estudante da UFERSA

João Bosco Araújo Teixeira. Professor de Educação Física-aposentado pela UnB-Brasília.

João Rodrigues Neto – Professor Departamento de Economia UFRN

Joatan David Ferreira de Medeiros – Letras libras/UFRN

José Antônio Spinelli – Professor Ciências Sociais UFRN

José Antônio Spinelli Lindoso – Professor da UFRN

Jose Evangelista Fagundes – Professor UFRN.

José Luiz Ferreira – professor de letras/Ceres/UFRN

Manuel Caleiro –  Advogado, Centro de Pesquisa e Extensão em Direito Socioambiental –  CEPEDIS

José Wilson Sousa – Presidente Conselho Comunitário do Conjunto dos Garis e Alto da Torre

Josimey Costa da Silva – Departamento de comunicação UFRN

Júlio César de Andrade Neto – EAJ/UFRN

Kenia Beatriz Ferreira Maia – Professora Departamento de Comunicação Social UFRN

Kleber da Silva Bezerril – Presidente do NASC – Núcleo de Ação Social e Cidadania do RN

Larissa Fontes Torres – servidora do Judiciário

Larissa Mont’Alverne Jucá Seabra – Professora Departamento de Nutriçao UFRN

Layan Soares Gomes – Estudante de Eng. Civil da UFRN

Lêda Paiva de Oliveira – Mulher.

Lenilda Sousa – Pedagoga e Atriz

Lenilze Cristina da Silva Dias – Estudante de Mestrado em Serviço Social/UFRN

Lenir Correia Coelho – Advogada Popular, OAB/RO 2424

Letícia Moreira Lima Vieira – Estudante da UFERSA/GEDIC

Liana Amin Lima da Silva – Doutoranda em Direito Econômico e Socioambiental da PUC/PR

Liège Uchôa A. de Araújo – Psicóloga, Escola de Psicanálise/RN

Lizziane Souza Queiroz – Docente da Ufersa

Luana Cabral – Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFRN

Lucas Menezes de Oliveira – Estudante de Psicologia da UFRN

Luciana Mafra – Professora da UFERSA

Luciana Montenegro Matos – Advogada

Luiz Gomes da Silva Filho – Professor da UFERSA

Luiz Noro – Professor DOD/CCS/UFRN.

Maeva Rênnua Silva Soares Araújo – Estudante da UFERSA

Maiara Pacífico dos Santos – Mestranda Serviço Social UFRN.

Maisa Paulino Rodrigues – Departamento de Odontologia UFRN

Marcelo Eduardo Vieira de Cristo e Silva – Professor Cultura Inglesa

Marconi Gomes da Silva – professor DEPEC-CCSA/UFRN

Marcos Aurélio Garcia de Lemos – Secretário-Geral PT/Natal

Maria Arlete Duarte de Araújo – Professora Administração UFRN

Maria Arlete Duarte de Araújo, administração/UFRN

Maria da Apresentação Barreto – Professora de Psicologia da UFRN

Maria das Graças de Aquino Santos – Professora IFRN/ Campus Nova Cruz

Maria das Graças Soares Rodrigues  – Professora Departamento de Letras

Maria de Fátima César Cabral – Bancária/RN

Maria de Fátima Pereira Alberto – Professora de Psicologia da UFPB

Maria de Lourdes Almeida Bezerra – Estudante da UFERSA

Maria do Socorro Costa Feitosa Alves- Professorsa DOD/UFRN

Maria do Socorro Gondim Teixeira – Professora DEPEC/UFRN

Maria Regina de Ávila Moreira – Professora Serviço Social UFSC

Maria Taynara Ferreira Bezerra – Técnica e Estudante da UFERSA / CAD e GEDIC

Maria Teresa Nobre – Professora de Psicologia da UFRN

Maria Virgínia Ferreira Lopes – Economista

Mariana Dantas Cortez Bonifácio – Estudante Direito UFRN

Marisa Feffermann – Instituto de Saúde/SES/SP

Marta Maria de Araújo – Professora Educação UFRN.

Matheus Martins Mendes – DCE/UFERSA ; REAPI ; ABEEF ; GVAA ; DIVERGEN ; OcupaPraça .

Miranice Nunes dos Santos Crives – Assistente Social UFRN

Mirla Cisne – Profa. da UERN

Mykall Bandeira – CUIA

Najara Thayany Bezerra de Lima – JAE, MMN, DIVERGEN, GEDIC

Natália de Sena Alves – advogada popular, comissão de direitos humanos da OAB-RN

Nayara Katryne Pinheiro Serafim – Mestranda PPGA-UFPB

Nelson Gomes Júnior – Professor Depto. Ciências Jurídicas UFPB. Laboratório de Pesquisa e Extensão em Subjetividade e Segurança Pública – LAPSUS/UFPB

Nély Holland – professor Departamento de Nutrição/UFRN

Oswaldo Gomes Correa Negrão – Professor DSC/CCS ADURN/UFRN

Paula Barreto de Araújo Lima – Estudante de Serviço Social da UFRN

Pedro Lúcio Góis e Silva – Diretor de Secretaria Geral do Sindipetro/RN

Priscila Verena Caetano de Lima – Presidenta do Centro Acadêmico de Direito – Ufersa

Rachel Phanuelly Marinho e Silva – Estudante da UFERSA/GEDIC

Raimunda Medeiros Germano – Professora Enfermagem – UFRN.

Raimunda Soares da Costa – Secretária Geral do Secom / RN

Rayane Cristina de Andrade Gomes – JAE, MMN, DIVERGEN, GEDIC

Renata Martins Domingos – Advogada/PB.

Rodrigo Luiz Fonseca Ferreira – Estudante de publicidade e propaganda da UnP

Rodrigo Vieira Costa – Professor do Curso de Direito da UFERSA

Ronaldo Maia Moreira Junior – Estudante de Direito da UFERSA/GEDIC, DCE

Rosália de Fátima e Silva – Professora Departamento de Educação UFRN

Rosana Lucia Alves de Vilar –  Professora DENF/UFRN

Rosângela Francischini – Professora de Psicologia da UFRN

Ruthineia Diógenes Alves Uchôa Lins – Departamento de Odontologia/UFRN

Ruy Alkmim Rocha Filho – Professor de Comunicação Social da UFRN

Silvana Mara de Morais dos Santos – Professora de serviço social da UFRN

Sônia Weidner Maluf – Professora da Universidade Federal de Santa Catarina

Stephanie Lorena Costa dos Ramos – Corretora de imóveis

Suely Alencar Rocha de Holanda – Professor de Psicologia da UFRN

Suzérica Helena de Moura Mafra – Estudante Serviço Social UFRN

Symone Fernandes de Melo – Professora de Psicologia da UFRN

Tássia Rejane Monte Santos – Professora de serviço social da UFRN

Tatiana Minchoni – Doutoranda em Psicologia na UFSC

Taysa Dayana Freire De Lima – JAE/ Estudante de Engenharia Civil na UNP

Tayse Leticia Casado Batista – Estudante de Física da UFRN

Terezinha de Jesus Bezerra – Professora/ SEEC

Thiago Matias de Sousa Araújo – Professor da UERN

Tiago Nunes – Professor da Universidade Católica de Pelotas/RS

Veriana Colaço – Professora de Psicologia da UFC

Verônica Fernandes de Lima – Professora Arquitetura e Urbanismo/UFRN

Waleska Patricia de Lima Santos – Professora do curso de Psicologia da FACEX/RN

Wigna Bruna de Freitas Melo – Direito Ufersa

Maria Nazaré Davi Guimarães – Movimento de Adolescentes e Crianças

Edna Gomes de Souza– Movimento de Adolescentes e Crianças

Mônica Rafaela de Almeida – psicóloga

Glauber de Almeida Gomes – Advogado

Izabela Filgueira de Medeiros

Daisy Maria Martins Fernandes – Professora

José Leôncio Guimarães Filho – Advogado

Marília Guimarães da Silva – funcionaria pública

Gabriela Guimarães Rodrigues – economista

Afonso Henrique Guimarães – Economista

Mariana Carmem Davi Guimarães – engenheira agrônoma

Pedro Victor Cavalcanti Rodrigues – engenheiro

Jerônimo Raoni Davi Guimarães – bancário

Maria do Socorro Guimarães – professora

Jorge Augusto de Castro – economiário

Marina Clara Davi Guimarães – técnica em edificações

Wiqlifi Bruno de Freitas Melo – Estudante de Direito e Servidor da Ufersa

José Paulino Filho – Coordenador Pedagógico Instituto Kennedy

Márcia de Assis – Coordenadora Administrativa do Instituto Kennedy

Marlene Fernandes Ribeiro – Coordenadora do Instituto Kennedy

Vandilma Costa – Professora do Instituto Kennedy

Tereza Penha – Professora do Instituto Kennedy

Walderlúcia Palhares – Professora do Instituto Kennedy

Liz Araújo – Professora do Instituto Kennedy

Ilsa Fernandes – Professora do Instituto Keneddy

Joana D’arc Leite – Secretaria Municipal de Saúde/Natal

Fátima Cardozo – Professora, SINTE/RN

Fátima Costa – Professora, SINTE/RN

Marlene Moura – Professora SINTE/RN

Júnior Souto – Professor

Vilma Geruza de Oliveira – Professora, SINTE/RN

Maria das Neves Valentim – Coletivo Dez Mulheres/RN

Graça Leal – Coletivo Dez Mulheres/RN

Dulce Bentes – Professora Arquitetura e Urbanismo UFRN

Leonardo Sinedino – Professor e cicloativista da bicicletada

Fátima leão

Josilda Maria Silva de Carvalho – Arquiteta, Urbanista e documentarista UFRN

Francilúcia Dantas de Góis – Servidora do estado do RN

Valdomiro Morais – Professor de Física da UERN

Quem quiser assinar este documento, é só mandar um e-mail para: [email protected]

Serão aceitas novas assinaturas até 13 de novembro

[O Viomundo só consegue fazer matérias como esta graças à contribuição de nossos assinantes. Obrigada!]

Veja também:

Lula: Vou sobreviver a três anos de pancadaria





41 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Guilherme Ávila

06 de novembro de 2015 às 01h08

Quem é o fascista na história? Deveriam ir todos para cuba viver a democracia imposta pelo PT.

Responder

Urbano

03 de novembro de 2015 às 18h31

Tudo dominado há mais de meio século, vai se esperar por puliça… Só se for para apanhar ainda mais.

Responder

FrancoAtirador

03 de novembro de 2015 às 13h13

.
.
A Polícia Militar defende o Fascismo.
.
.

Responder

abolicionista

03 de novembro de 2015 às 11h28

Caros,

a violência contra a esquerda atingiu níveis extremos. Para quem estiver interessado numa ação direta contra as forças do fascismo, o primeiro a fazer é procurar os grupos da Ação Antifascista. Busquem as páginas da Antifa nas mídias sociais e reajam à barbárie.

“Primeiro levaram os negros
Mas não me importei com isso
Eu não era negro

Em seguida levaram alguns operários
Mas não me importei com isso
Eu também não era operário

Depois prenderam os miseráveis
Mas não me importei com isso
Porque eu não sou miserável

Depois agarraram uns desempregados
Mas como tenho meu emprego
Também não me importei

Agora estão me levando
Mas já é tarde.
Como eu não me importei com ninguém
Ninguém se importa comigo.”

B. Brecht

Responder

Vicente

03 de novembro de 2015 às 09h36

Soube que o Jean Willys vai propor o crime de petistofobia e esquerdofobia em breve.

Responder

    Mauricio Gomes

    03 de novembro de 2015 às 17h16

    Isso eu não sei, mas bem que ele poderia propor algum projeto contra a multiplicação de fascistas, retardados online e golpistas que sequer leem um livro e consideram-se elite.

    Luiz dos Santos

    03 de novembro de 2015 às 19h23

    e por que nao acabar com os tapados esquerdistas como voce Mauricio Gomes?

    Re

    04 de novembro de 2015 às 00h50

    Você não consegue perceber a seriedade do que aconteceu? Acha que o Viomundo postou uma coisa qualquer, que não quer dizer nada, que não tem nenhuma importância??

    Mauricio Gomes

    04 de novembro de 2015 às 09h09

    Bom Luiz dos Santos, prefiro mil vezes ser um “tapado esquerdista” do que um asno fascista como você.

Paulo Vidal

02 de novembro de 2015 às 23h54

Pelo q eu entendi da matéria, a violência começou quando os “meninos” da UJS rasgaram o “Pixuleco”…

Rasgar com q direito?

Foram se meter na manifestação pro-impeachment pq?

Foram buscar o confronto!

e deu no q deu…

Responder

    Lukas

    03 de novembro de 2015 às 11h06

    Petistas vivem num mundo paralelo, em que as leis para eles não se aplicam. Eles podem destruir o Pixuleco, mas se alguem triscar o dedo no Xuxuleco eles vão fazer um daqueles rídiculos abaixo assinados.

    O bom é que ninguém mais liga para eles.

    abolicionista

    03 de novembro de 2015 às 11h33

    Vocês fascistas se dizem patriotas? Uma ação policial como a que vimos, conivente com racismo e com violência, envergonha nossa pátria diante dos olhos do mundo.
    .
    Vocês da direita estão transformando o país num califado fundamentalista.
    .
    Até onde pretendem ir? Ensinar bíblia nas escolas? Apedrejar homossexuais? Proibir mulheres estupradas de tomarem anticoncepcional?
    .
    Não se esqueçam que vocês terão de viver na merda de país que estão construindo com as bancadas da bala, do boi e da bíblia.
    .
    Vocês envergonham nossa democracia.

    Luis

    03 de novembro de 2015 às 17h40

    Acho que já passou da hora de nós da esquerda também participarmos dos fatos. Acho muito louvável que mostremos nossa indignação contra essa oposição fajuta e ruim de voto. Espero que nosso povo veja a verdadeira face dessa elite obtusa que nos governa a 500 anos. Diante de governos mais democráticos (que olhem para as pessoas mais pobres) eles já se arrepiam todos. Espero que a esquerda não venha a ter o mesmo problema da direita, ou seja, a falta de cara, para conseguir levar nosso país adiante. Se depender da direita continuaremos a ser os bons escravos de sempre. Alguns continuarão a ter as províncias e alguns capitâes do mato para bater nos escravos/trabalhadores(as). Meu voto sempre de esquerda, quero um Brasil muito maior e muito melhor.

    Luiz dos Santos

    03 de novembro de 2015 às 19h12

    depois eh o PIG que distorce os fatos. Foram la para arrumar confusao. O jardim na frente do planalto eh imenso. Mas eles tiveram que ficar no mesmo lugar.

    Mário SF Alves

    03 de novembro de 2015 às 20h29

    Você pergunta com que direito?
    _________________________
    Calúnia e difamação ainda é crime ou não? Ainda mais em se tratando de crime praticado em público.
    __________________________________
    A considerar sua assertiva e cátedra em direito, e se fôssemos reagir no mesmo tom, a essa altura dos acontecimentos estaríamos inflando bonecos do Aécio, do helicóptero, do FHC, da Zelotes, do Suiçalão, do Cunha e por aí vai.
    ______________________________________________
    Ah, mas ainda temos uma Constituição. Bom. Muito bom.

    Re

    04 de novembro de 2015 às 00h57

    Não se trata disso, mesmo supondo que a polícia tenha tido razões para imobilizar os jovens estudantes, jamais poderia ter dado tapa na cabeça, chutado os pés, pois eles não estavam reagindo. Não é para isso que existe a policia, será que não entende? Além de ter sido agressora, não impediu a agressão de civis aos estudantes, foi conivente dessas agressões covardes, pois os meninos estavam imobilizados. Se você não defende os direitos humanos dos outros, como um dia vai defender o seu ou de algum familiar ou pessoa de que você goste?

ANGELA

02 de novembro de 2015 às 23h15

O tal Fábio Maia é filho de integrante da ditadura, Deputado corrupto desde sempre o Agripino Maia, o outro Rogério Marinho é um gangster, teve um episódio em 2008 em que encerrou uma reunião do PSB , ao qual era filiado, fazendo uso da má palavra e de gás de pimenta, simplesmente um bandido. Os dois igualmente perigosos homens de bens.

Responder

Mauricio Gomes

02 de novembro de 2015 às 18h09

A mídia produz tipos medíocres, como o blogueiro do yahoo chamado Claudio Tognolli, que ajudam a espalhar esse clima de ódio. Indo no Lattes do sujeito você descobre preciosidades como essas no texto inicial:

“Cláudio Júlio Tognolli formou-se na ECA-USP, em 1985. Em 2014 tornou-se Livre-Docente pela ECA-USP, com pesquisa sobre metodologia do jornalismo e sobre o Movimento de 1964.”

“Em junho de 2014 defendeu sua livre-docência na ECA-USP intitulada “Por uma metodologia do biografismo”. Tognolli está listado como escritor na Livraria do Congresso dos EUA: http://id.loc.gov/authorities/names/n95921641.html”

Esse blogueiro é uma piada. O que dizer de alguém que coloca no seu Lattes que recebeu um prêmio do Depto. de Estado dos EUA (1996) e que é listado como escritor na Livraria do Congresso dos EUA? Claro que trata-se de um sabujo direitoso e que, ainda por cima, chama a DITADURA SANGUINOLENTA que matou e torturou centenas de pessoas de “movimento de 1964”. Deviam é investigar esse sujeito para saber se não recebe uma graninha da CIA, já que ele adora jogar lama em cima dos outros….

http://lattes.cnpq.br/7786822531238422

Responder

Liberal

02 de novembro de 2015 às 18h03

B.O. pra quê?

Acho que vcs deveriam pedir uma lei específica contra a discriminação de petista. Falou mal de petista, cadeia! Sofreu agressão por ser petista? Crime hediondo inafiançável.

Responder

Fernando

02 de novembro de 2015 às 16h52

Só faltou a CNBB.

Responder

mineiro

02 de novembro de 2015 às 16h09

ta dominado mesmo , esse partido salafrario covarde junto com esse poste de pres. e tambem do lula levou a situaçao a isso, eles sao os culpados disso tudo. sabendo disso tudo e mesmo sendo odiado pela direita e pelo pig golpista quis fazer aliança com essa corja. sao culpados sim , nao fez politicas de combate ao nazismo e facismo no brasil achando que estava as mil maravilhas e deu no que deu. dessa eleiçao de poste maldito ja deveria ter mudado de postura e seguido outro caminho , mas nao continuou na mesmice. e agora a essa situaçao de ser petista ou progressita ser comparado ao mesmo que ser judeu perseguido por nazista. e o pior de tudo que b…………………………………………………………………..ainda nao enxergou a realidade. vai perder a proxima eleiçao igual ao arlindo perdeu na camara , vai ser daquele jeito.

Responder

    Sérgio

    03 de novembro de 2015 às 05h20

    Aclarando e Ampliando:
    http://jornalggn.com.br/noticia/a-implosao-sistematica-de-governos-promovida-pela-cia

    mineiro

    05 de novembro de 2015 às 10h30

    respondendo ao comentario abaixo, gostei da entrevista, entao se formos olhar pelo ponto de vista do texto , o brasil esta presta a implodir e a cia tomou contra do brasil. o que aconteceu e acontece de golpes tramados nos brasil da para ver que tudo isso é verdade mesmo. o brasil hoje é dominado pelo pig , a direita e os dois subordinados a cia. enquanto eles nao tomarem o poder nao vao acabar esses golpes e nao fizer nos moldes de cuba , vao sucumbir a isso cedo ou tarde. e o que tem de traidor a serviço da cia no brasil , a lista vai de sp ao nordeste, é traidor que nao acaba mais.

mineiro

02 de novembro de 2015 às 16h00

alguem ainda duvida que o facismo e nazismo tomou conta do brasil? alguem ainda duvida que ser petista ou qualquer coisa que diz respeito ao ser progressista ou comunista ta correndo risco de vida? so burro ou imbecil para nao ver isso , e outra coisa pior ainda , se aparecer de camisa vermelha tambem ta correndo risco de vida. e o pt e o bundao do lula se nao enxergou isso ate agora , nao ve mais. e nao existe pres. no brasil mesmo , quem manda é a direita e o pig.

Responder

Eduardo Guimarães

02 de novembro de 2015 às 15h54

Agora as pessoas entendem por que me desesperei tanto quando as malditas “jornadas de junho”, que deram vazão a tudo isso, abateram-se sobre o país. Quando estive na manifestação do Largo da Batata em 2013 e vi psolistas e neonazistas gritando “fora PT” juntinhos, tive certeza do que viraria este país. Como dizia aquele “filósofo” das Alagoas, “O tempo é o senhor da razão”

Responder

    Mário SF Alves

    03 de novembro de 2015 às 19h43

    É sério isso. Historicamente sério.
    _____________________
    Mas, voltando à vaca fria, Edu: você viu fascistas na tal manifestação pública em Natal?
    Quanto a mim, com todo o respeito, o que posso dizer com certeza é que vi um festival de insensatos (a começar pela proteção a bonecos infláveis simbolizando a calúnia pública); vi pessoas violentas usando armamento proibido; vi pessoas histéricas; vi uma polícia desnorteada e seletiva e vi funcionário público lotado em Brasília incentivando o referio ato de calúnia e difamação. Em resumo foi o que vi.
    _______________________________
    Já fascista propriamente dito ou galinhas verdes… esses, não vi nenhum.
    Abraço.

abolicionista

02 de novembro de 2015 às 14h27

Já temos os nomes. Se a justiça não faz nada, cabe partir para a ação direta. Contra fascistas é preciso agir, se preciso, de modo direto. Chega de covardia.

Responder

    Lukas

    02 de novembro de 2015 às 18h39

    Açao direta? Você é só mais um covarde que fica atras do computador.

    Vai mensalao vem petrolao e vocês não tiram o traseiro da cadeira.

    abolicionista

    02 de novembro de 2015 às 21h05

    Quando e onde você quiser, fascista.

    Paulo Vidal

    02 de novembro de 2015 às 23h52

    Mais um “macho de internet”…

    Ridículo!

    Eduardo Guimarães

    03 de novembro de 2015 às 15h30

    Esse “Lukas” não tem coragem nem na internet, quanto mais ao vivo.

    Luiz dos Santos

    03 de novembro de 2015 às 19h14

    Babaca.

    Luiz dos Santos

    03 de novembro de 2015 às 19h17

    vem pra cima abolicionista

Avelino

02 de novembro de 2015 às 13h57

Onde assino?

Responder

Mauricio Gomes

02 de novembro de 2015 às 13h26

Por isso que sou favorável a extinção dessa merda de PM, não passam em sua maioria de pessoas truculentas, autoritárias e corruptas a serviço do Estado, um tipo de capitão do mato do século XXI. Só que defende esses lixos são figuras medievais como o BolsoASNO e outros da bancada BBB.

Responder

    Luiz dos Santos

    03 de novembro de 2015 às 19h19

    e deixar o espaco aberto para voces esquerdistas… Nunca

Lourdes Moraes

02 de novembro de 2015 às 13h22

Isso não pode passar impune. Todos os agressores tem que ser punidos, afinal acreditamos que a ditadura acabou. Memso porque, num aís democrático isso é fora da lei.

Responder

marcio ramos

02 de novembro de 2015 às 11h42

É a Policia Militar subordinada as Forças Armadas fazendo “escola” com apoio da direita desqualificada e do PIG medíocre. Os terroristas sempre impunes.

Responder

Gerson

02 de novembro de 2015 às 10h44

Enviem o link da matéria para o senador Suplici, já que ele acredita em fazer que vai conseguir fazer debate com os fascistas sobre Democracia e Direitos Humanos na Livraria Cultura.

Responder

    Gerson

    02 de novembro de 2015 às 10h50

    Enviem o link da matéria para o senador Suplici, já que ele acredita que vai conseguir fazer debate com os fascistas sobre Democracia e Direitos Humanos na Livraria Cultura.

    Fábio Lima

    02 de novembro de 2015 às 12h42

    Uè, mas Lula e Dilma também apostam no debate com as Farcs e com o Estado Islâmico , né verdade ??


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Blogs & Colunas
Mais conteúdo especial para leitura